Base de datos : LILACS
Búsqueda : (violencia AND genero) OR (violencia AND mujer) OR (mujer$ AND maltratada$) OR (maltrato AND conyugal) [Palabras]
Referencias encontradas : 2537 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   en el formato [Detallado]

página 1 de 254 va a la página                         

  1 / 2537 LILACS  
              next record last record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-906728
Autor: Lafaurie Villamil, María Mercedes; Cuadros Salazar, Lorena Liseth; García Bocanegra, Paola Andrea; Hernández Ayala, Ingrid Johana; Pulido Espinosa, Johanna Smit; Reynales Triana, Lina Fernanda; Rodríguez Díaz, Anyi Paola; Sánchez Cortes, Paola Andrea; Siatoya Pinto, Leidy Alejandra; Torres Rivera, Mayra Alejandra.
Título: Violencia de la pareja íntima durante el embarazo y sus repercusiones en la salud mental / Intimate partner violence during pregnancy and its impact on the mental health / Violência por parceiro íntimo durante a gravidez e seu impacto sobre a saúde mental
Fuente: Rev. cienc. cuidad;12(2):100-116, 2015.
Idioma: es.
Resumo: Este artículo presenta un estado del arte sobre violencia de la pareja íntima durante el embarazo y sus implicaciones en la salud mental de la madre, partiendo de 13 artículos publicados entre 2000 y 2014, obtenidos mediante búsqueda en bases de datos (Pubmed, Medline, Nursing Consult, sCielo, Dialnet, Redalyc, Lilacs, Index y Bireme), utilizando como palabras clave: embarazo, violencia de la pareja íntima, salud mental e implicaciones. Los hallazgos de este estudio, muestran que la violencia de la pareja íntima durante el embarazo incrementa la depresión y depresión posparto, así como el malestar emocional en la gestante.

This article presents a state of the art on intimate partner violence during pregnancy and its implications for the mental health of the mother, based on 13 articles published between 2000 and 2014, they were gotten by looking for databases (PubMed, Medline, Nursing Consult, SciELO, Dialnet, Redalyc, Lilacs, Index and Bireme), using as keywords: pregnancy, intimate partner violence, mental health and implications. The findings of this study show that intimate partner violence during pregnancy increases depression and postpartum depression, and emotional distress in pregnant women.

Este artigo apresenta um estado da arte sobre a violência por parceiro íntimo durante a gravidez e suas implicações para a saúde mental da mãe, com base em 13 artigos publicados entre 2000 e 2014, obtidos através de pesquisa bases de dados (PubMed, Medline, Enfermagem Consult, SciELO, Dialnet, Redalyc, Lilacs, Índice e Bireme), usando como palavras-chave: gravidez, violência por parceiro íntimo, saúde mental e implicações. Os resultados deste estudo mostram que a violência por parceiro íntimo durante a gravidez aumenta a depressão e depressão pós-parto, e problemas emocionais em mulheres grávidas.
Descriptores: Embarazo
Violencia Doméstica
-Identidad de Género
Salud Mental
Responsable: CO648.1


  2 / 2537 LILACS  
              first record previous record next record last record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-906520
Autor: Santos, Walquíria Jesusmara dos; Oliveira, Patrícia Peres de; Viegas, Selma Maira da Fonseca; Ramos, Thiago Magela; Policarpo, Aryanne Gabrielle; Silveira, Edilene Aparecida Araújo da.
Título: Violência doméstica contra a mulher perpetrada por parceiro íntimo: representações sociais de profissionais da atenção primária à saúde / Domestic violence against women perpetrated by intimate partner: professionals' social representations in primary health care / La violencia doméstica contra las mujeres: las representaciones sociales de los profesionales de atención primaria de salud
Fuente: Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online);10(3):770-777, jul.-set. 2018.
Idioma: en; pt.
Resumo: Objective: Our goal herein has been to gain further insights regarding the professionals' social representations in Primary Health Care (PHC) related to violence against women perpetrated by an intimate partner. Methods: Qualitative research having focus on Social Representations, which was analyzed by the Structural Analysis of Narrative. The study scenarios were eight PHC units from the municipality of Minas Gerais, Brazil. Eight focus groups were carried out, where each group participants number ranged from 8 to 12, comprising a total of 53 professionals. Results: Two categories appeared: 1. From popular saying, the domestic violence banalization against women identifying the meaning cores: "do not interfere in a couple fight"; "high incidence of violence legitimized in the social representations". 2. In defense of the intimate partner abuser held the meaning cores: "alcohol and other drugs as violence triggers"; "representations associated to gender perspectives"; "guilt imputation towards the woman". Conclusions: This study showed that violence against women is legitimized, accepted and tolerated according to participants' speeches. Moreover, violence against women has been also inferred as something imputed/inherent to women

Objetivo: Conocer las representaciones sociales de los profesionales de Atención Primaria de Salud (APS) sobre la violencia contra la mujer perpetrada por su pareja. Método: Investigación cualitativa con enfoque en las Representaciones Sociales. Los escenarios fueron ocho unidades de APS de un municipio del Minas Gerais, Brasil. Se realizaron ocho grupos focales, el número de participantes varió de ocho a 12, por un total de 53 profesionales. Resultados: Emergieron dos categorías: 1. Do dicho popular de la representación social de la violencia doméstica contra las mujeres, la identificación de las unidades de significado: no interfiere con la lucha de la familia; alta incidencia de la violencia legitimada en las representaciones sociales. 2. En defensa del agresor de pareja, celebró las unidades de significado: alcohol y otras drogas como causas de la violencia; representaciones asociadas con la perspectiva de género; atribuir la culpa a la víctima.Conclusión: Mostró que la violencia contra las mujeres se legitima, aceptado y tolerado en los discursos de los participantes, como algo imputado / inherente a las mujeres

Objetivo: Compreender as representações sociais de profissionais da Atenção Primária à Saúde sobre violência contra a mulher perpetrada por parceiro íntimo. Método: Pesquisa qualitativa com o enfoque nas Representações Sociais, analisado pela Análise Estrutural da Narração. Foram realizados oito grupos focais, o número de participantes variou de 8 a 12, totalizando 53 profissionais de oito unidades de Atenção Primária à Saúde de um município de Minas Gerais, Brasil. Resultados: Emergiram duas categorias: 1. Do ditado popular à banalização da violência conjugal contra mulheres, identificando-se os núcleos de sentido: "não se interfere em briga de casal"; "naturalização da violência legitimada nas representações sociais. 2. Representações sociais numa perspectiva de gênero, decorrida dos núcleos de sentido: "representações associadas aos papeis de gênero"; "imputação de culpa à mulher". Conclusão: O estudo demonstrou que a violência contra as mulheres é legitimada, aceita e tolerada nas falas dos participantes, como algo imputado/inerente à mulher
Descriptores: Violencia contra la Mujer
Violencia Doméstica/psicología
Grupo de Atención al Paciente
-Atención Primaria de Salud/utilización
Salud de la Mujer
Límites: Humanos
Masculino
Femenino
Responsable: BR1208.1 - Biblioteca Setorial de Enfermagem e Nutrição


  3 / 2537 LILACS  
              first record previous record next record last record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-906446 LILACS-Express
Autor: Amorim, Juliana de Freitas; Texeira, Éneas Rangel.
Título: Atendimento das necessidades em saúde das travestis na atenção primária / Meeting the health needs of transvestites in primary care / El atendimiento de las necesidades en salud de las travestis en la atención primaria
Fuente: Rev. baiana saúde pública;41(3):https://doi.org/10.22278/2318-2660.2017.v41.n3.a2379, jul. 2018.
Idioma: pt.
Resumo: A identidade trans está relacionada ao reconhecimento da identidade de gênero oposta ao sexo biológico. Essa característica faz com que essa população sofra diversos preconceitos e se torne vulnerável. Em nível programático, esse processo, quando ocorre nas unidades de saúde, faz com que as necessidades em saúde das travestis não sejam reconhecidas pelos profissionais da Atenção Primária. O presente trabalho tem como objeto de estudo as necessidades em saúde das travestis e objetivou discutir o atendimento das suas necessidades nos serviços de saúde da Atenção Primária. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa do tipo descritiva. A coleta de dados ocorreu nos meses de abril e maio de 2013, quando foram realizadas entrevistas semiestruturadas com cinco travestis. A análise da entrevista foi realizada por meio da técnica de análise de conteúdo. Diante das falas das participantes emergiram três categorias temáticas: o conceito de saúde para travestis, a construção do corpo das travestis e o atendimento das travestis nas Unidades Básicas de Saúde. Foram identificadas como necessidades em saúde específicas: o acolhimento no serviço de saúde com a utilização do nome social da travesti, de modo a evitar a discriminação e constrangimentos na sala de espera; atendimento especializado por profissionais de saúde capacitados; proteção contra a violência desencadeada, principalmente em função da discriminação; orientações quanto à utilização de hormônios femininos; oferta de testes rápidos em toda Atenção Básica para diagnóstico de HIV, Hepatite B/C e Sífilis.

Trans identity is related to the recognition of gender identity as opposed to biological sex. This characteristic causes this population to suffer diverse prejudices and become vulnerable. At the programmatic level, this process, when it occurs in health facilities, makes the health needs of transvestites not to be recognized by Primary Care professionals. The objective of the present study is to study the health needs of the transvestites and aimed to discuss the meeting of their needs in Primary Health Care services. It is a qualitative research of descriptive type. Data collection took place in April and May 2013, when semi-structured interviews were carried out with five transvestites. The analysis of the interviews was performed by means of the technique of content analysis. Three themes emerged from the participants' speeches: the concept of health for transvestites, the construction of the body of transvestites and the treatment of transvestites in Basic Health Units. Specific health needs were identified: the reception in the health service using the social name of the transvestite, in order to avoid discrimination and constraints in the waiting room; specialized care by trained health professionals; protection against violence, mainly due to discrimination; guidelines on the use of female hormones; offer rapid testing throughout Basic Care for the diagnosis of HIV, Hepatitis B / C and Syphilis.

La identidad trans está relacionada al reconocimiento de la identidad de género opuesta al sexo biológico. Esta característica hace que esta población sufra diversos prejuicios y vuelvase vulnerable. A nivel programático, ese proceso, cuando ocurre en las unidades de salud, hace que las necesidades en salud de las travestis no sean reconocidas por los profesionales de la Atención Primaria. El presente trabajo tiene como objeto de estudio las necesidades en salud de las travestis y objetivó discutir la atención de sus necesidades en los servicios de salud de la Primaria Atención. Tratase de una investigación de abordaje cualitativo de tipo descriptivo. La recolección de datos ocurrió en los meses de abril y mayo de 2013, cuando se realizaron entrevistas semiestructuradas con cinco travestis. El análisis de la entrevista fue realizado por medio de la técnica del análisis de contenido. Ante las declaraciones de las participantes surgieron tres categorías temáticas: el concepto de salud para travestis, la construcción del cuerpo de las travestis y la atención a las travestis en las Unidades Básicas de Salud. Fueron identificadas como necesidades en salud específicas: la acogida en el servicio de salud con la utilización del nombre social de la travesti, para evitar la discriminación y las constreñimiento en la sala de espera; atención especializada por profesionales de la salud capacitados; protección contra la violencia desencadenada, principalmente en función de la discriminación; orientaciones sobre la utilización de hormonas femeninas; oferta de pruebas rápidas en toda Atención Básica para diagnóstico de VIH, Hepatitis B / C y Sífilis.
Responsable: BR800.9


  4 / 2537 LILACS  
              first record previous record next record last record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-905916
Autor: Rodrigues, Diego Pereira.
Título: Violência obstétrica no processo do parto e nascimento da Região Metropolitana II do Estado do Rio de Janeiro: percepção de mulheres/puérperas / Obstetric violence in the birth process and birth of Metropolitan Region II of the State of Rio de Janeiro: perception of women / puerperal women.
Fuente: Niterói; s.n; 2014. 186 f p.
Idioma: pt.
Tesis: Presentada en Universidade Federal Fluminense. Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa para obtención del grado de Mestre.
Resumo: Trata-se de uma investigação sobre a violência na assistência obstétrica em que a mulher durante o processo parturitivo vivência, sendo um problema de saúde pública por conta da precariedade da assistência obstétrica brasileira, e pertencendo ao projeto Violência na assistência obstétrica no processo parturitivo da região metropolitana II do Estado do Rio de Janeiro: percepção de mulheres/puérperas. Assim, o estudo objetivou identificar a caracterização sociodemográfica, obstétrica e assistencial das mulheres/puérperas assistidas em maternidades públicas da Região Metropolitana II do Estado do Rio de Janeiro; caracterizar as principais situações de violência a partir da percepção das mulheres/puérperas acerca da assistência obstétrica durante seu processo parturitivo. Estudo descritivo, exploratório, de abordagem qualitativa, em que utilizou um roteiro de entrevista semiestruturada com cinquenta e seis mulheres assistidas nas maternidades públicas descritas a seguir: Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP); Hospital Estadual Azevedo Lima; Maternidade Municipal Alzira Reis Vieira Ferreira; Hospital Municipal da Mulher Gonçalense. A pesquisa obteve a aprovação do Comitê de Ética do HUAP sob n° 375.252/13. Os dados evidenciados no estudo foram analisados conforme a análise de conteúdo na modalidade temática, onde originaram dois eixos temáticos: o primeiro, relacionado com os aspectos da peregrinação da mulher; e o segundo, com o direito ao acompanhante, os quais foram escolhidos para a análise pela expressiva demanda dos depoimentos, e deixando entrever a possibilidade de estar presente a violência na assistência obstétrica, segundo a perspectiva das mulheres/puérperas. Os resultados apontaram para duas categorias temáticas, a saber: A peregrinação das mulheres na rede de saúde materna: uma violência velada na assistência obstétrica; O descumprimento da Lei do Acompanhante: uma violação dos direitos da mulher em processo de parturição. Desse modo, os resultados apontaram para uma violência na assistência obstétrica de caráter institucional, psicológica e física, cujo aspecto relacionado ao direito, ao (des)cuidado e aos sentimentos e insegurança do processo parturitivo. Assim, o respeito aos direitos das mulheres devem ser inerentes ao acesso à saúde, e ao acompanhamento adequado do parto e nascimento, e contribuindo para sentimentos positivos e segurança do processo parturitivo

This is an investigation about the violence in obstetric care against the woman during the parturition process experience, and this is a public health problem because of the poor obstetric care in Brasil, and this project belongs to other project named Violence in obstetric care during the birth process in the metropolitan region II of the State of Rio de Janeiro: perception of women/mothers. Thus, the study aimed to identify the sociodemographic, obstetric care and women/mothers assisted in public hospitals of the Metropolitan Region II of the State of Rio de Janeiro; characterize the main situations of violence from the perception of women/mothers about obstetric care during her birth process. This study is descriptive, exploratory, with qualitative approach, which used semi-structured interviews with fifty-six women seen in public hospitals described below: Antonio Pedro University Hospital (APUH); Azevedo Lima State Hospital; Municipal Maternity Alzira Reis Vieira Ferreira; Municipal Women's Hospital Gonçalense. The research was approved by the Ethics Committee of the APHU under No. 375.252/13. The data highlighted in the study was analyzed according to the content analysis in the thematic way, and they originated two main themes: the first related to aspects of the journey of women; and the second is the women's rights to have an accompanying person, which were chosen for analysis because they had a strong demand of the statements, and letting on the possibility of being present violence in obstetric care from the perspective of women/mothers. The results have pointed for two thematic categories, named: The journey of women in maternal health network: a veiled violence in the obstetric care; Noncompliance with the Companion Law: a violation of women's rights in the parturition process. Therefore, the results point to the obstetric violence in institutional character, psychological and physical, whose aspect related to the rights, the care(less) and feelings and insecurity of the birth process. So, respect for women's rights must be inherent in access to health, and adequate monitoring of labor and birth, and contributing to positive feelings and safety of the birth process
Descriptores: Enfermería
Violencia contra la Mujer
Obstetricia
Derechos Reproductivos
Responsable: BR1342.1 - Biblioteca da Escola de Enfermagem BENF
BR 1342.1, R696; D 618.4


  5 / 2537 LILACS  
              first record previous record next record last record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-905071
Autor: Zuchi, Camila Zanatta; Silva, Ethel Bastos da; Costa, Marta Cocco da; Arboit, Jaqueline; Fontana, Dariele Gindri Resta; Honnef, Fernanda; Heisler, Eliana Daniela.
Título: Violência contra as mulheres: concepções de profissionais da Estratégia Saúde da Família acerca da escuta / Violence against women: conceptions of family health strategy professionals about listening
Fuente: REME rev. min. enferm;22:e-1085, 2018.
Idioma: pt.
Resumo: INTRODUÇÃO: Buscou-se analisar as concepções de profissionais de Estratégia Saúde da Família acerca da escuta às mulheres em situação de violência. Trata-se de pesquisa qualitativa, participante, desenvolvida com 38 profissionais (enfermeiros, técnicos de enfermagem a agentes comunitários de saúde). Os dados foram produzidos em seis oficinas pedagógicas no período de novembro de 2015 a janeiro de 2016. Os dados obtidos foram submetidos à análise temática. A escuta foi concebida pelos profissionais como uma prática que precisa ir além do que a mulher relata, sendo necessárias empatia, sensibilidade, calma e ausência de julgamento. Necessita também de questionamentos indiretos, em ambiente privado, sigiloso e protegido. Os limites indicados foram falta de tempo, demanda excessiva na unidade, ausência de empatia, despreparo do profissional e vigilância do agressor. Como ações e soluções, ressaltam a valorização e qualificação da escuta como técnica e a organização e planejamento de atividades com escuta individual e coletiva. CONCLUSÃO: Concluiu-se que a unidade de Estratégia Saúde da Família é um serviço em que a escuta deve ser incentivada a partir da qualificação dessa prática, visando ao acolhimento e integralidade no atendimento às mulheres em situação de violência.(AU)
Descriptores: Violencia contra la Mujer
Salud de la Mujer
Estrategia de Salud Familiar
Comunicación
Atención Integral de Salud
Límites: Humanos
Femenino
Responsable: BR21.2 - BVS Enfermería


  6 / 2537 LILACS  
              first record previous record next record last record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-905052
Autor: Leite, Tatiana Henriques.
Título: Prevalência de transtorno do estresse pós-traumático no período pós-parto entre mulheres atendidas em maternidade de referência para agravos perinatais no município do Rio de Janeiro / Prevalence of post-traumatic stress disorder in postpartum period among women with high risk fetal pregnancy in Rio de Janeiro.
Fuente: Rio de Janeiro; s.n; 2014. 83 f p.
Idioma: pt.
Tesis: Presentada en Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Medicina Social para obtención del grado de Mestre.
Resumo: O Transtorno do estresse pós-traumático (TEPT) é um transtorno mental que ocorre em resposta a um evento traumático que coloca em risco a vida do indivíduo ou de outras pessoas. O TEPT no período pós-parto foi documentado pela primeira vez em 1978. Porém, há poucos estudos sobre o tema, principalmente em gestantes de alto risco materno e fetal. Visando preencher essa lacuna, essa dissertação tem por objetivo estimar a magnitude de TEPT no período pós-parto em uma maternidade de alto risco fetal no município do Rio de Janeiro e identificar subgrupos vulneráveis ao transtorno. Trata-se de um estudo transversal, cuja população de estudo foi composta por 456 mulheres que tiveram o parto no Instituto Fernandes Figueira e realizaram a consulta de revisão pós-parto entre fevereiro e julho de 2011. Casos suspeitos de TEPT foram identificados por meio de dois instrumentos: Trauma History Questionnaire (THQ) utilizado para a captação de situações potencialmente traumáticas ao longo da vida e Post-Traumatic Stress Disorder Checklist (PCL-C) para rastreio de sintomas de TEPT. A prevalência agregada de TEPT no período pós-parto foi de 9,4%. Subgrupos considerados vulneráveis foram: mulheres com três ou mais partos anteriores (15,1%), com o recém-nascido com APGAR menor ou igual a 7 no primeiro minuto (13,6%), com histórico de psicopatologia anterior (29,0%) ou concomitante à gestação (36,7%), com depressão pós-parto (31,5%), mulheres que sofreram violência física (19,8%) e psicológica (11,6%) perpetrada por parceiro íntimo durante a gestação, mulheres que sofreram abuso sexual na infância (25,7%) e com histórico de 5 ou mais situações traumáticas anteriores (25,9%). A elevada prevalência de TEPT encontrada entre as mulheres entrevistadas pode ser, em parte, atribuída às particularidades da população assistida nessa instituição, de reconhecido risco materno e fetal. A alta prevalência de casos suspeitos de depressão pós-parto entre as mulheres com suspeição de TEPT é um fator de preocupação adicional, já que dificulta o manejo clínico dos casos e afasta a mulher e a criança dos serviços de saúde. TEPT no período pós-parto não é um evento raro e merece atenção. Rápido diagnóstico e tratamento são fundamentais para a melhor qualidade de vida da mãe tornando-a apta aos cuidados do recém-nascido
Descriptores: Trastornos de Estrés Traumático/epidemiología
Prevalencia
Riesgo
Mujeres/psicología
Periodo Posparto
-Estudios Transversales
Depresión Posparto
Límites: Humanos
Femenino
Tipo de Publ: Revisión
Responsable: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C
BR433.1, T1428, L533; 618.7


  7 / 2537 LILACS  
              first record previous record next record last record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-905016
Autor: Ribeiro, Letícia.
Título: Somos todas vadias ?: igualdade, diferença e política feminista a partir da Marcha das Vadias do Rio de Janeiro / Are we all sluts?: equality, difference and feminist politics from the Slutwalk of Rio de Janeiro.
Fuente: Rio de Janeiro; s.n; 2016. 90 f p. il.
Idioma: pt.
Tesis: Presentada en Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Medicina Social para obtención del grado de Mestre.
Resumo: O estudo toma como objeto a Marcha das Vadias do Rio de Janeiro, movimento político que, ancorado no paradigma dos direitos sexuais e reprodutivos, articula a luta contra a violência de gênero a demandas referentes à autonomia feminina no tocante à sexualidade e à defesa da diversidade sexual. O foco recai sobre as controvérsias em torno desse movimento, a partir da constatação de que as slutwalks valorizam a pluralidade e a diversidade, mas são confrontadas por críticas centradas na reivindicação de identidades específicas baseadas em diferenças. Ao longo de 2014 realizou-se observação participante de reuniões e eventos organizados pelas ativistas da Marcha das Vadias do Rio de Janeiro, posteriormente complementada por entrevistas semiestruturadas. Buscou-se compreender como as especificidades desse ato político enquanto modalidade de ativismo influenciam a maneira pela qual são pensadas igualdade/diferença e políticas de identidade. Um questionamento perpassa toda a dissertação: qual é a possibilidade de alianças entre mulheres, tendo em vista as diferenças e desigualdades entre elas? As análises apontam que mulheres negras e de periferia caracterizam a Marcha das Vadias como um feminismo "elitista e branco", questionando a dimensão libertadora atribuída ao termo "vadia". A despeito do comprometimento das ativistas com preceitos democráticos - resumidos no ideal de "horizontalidade" -, as interações foram marcadas por denúncias de hierarquizações, nas quais os marcadores raça e geração foram centrais. Por fim, os significados atribuídos às figuras de vítima/agressor, que nas dinâmicas internas se desdobraram em opressoras/oprimidas, apontam para possibilidades e limites de estratégias políticas nas quais a vulnerabilidade não é associada a falta de agência
Descriptores: Feminismo
56876
Controles Informales de la Sociedad
Distancia Social
Valores Sociales
57289
Investigación Cualitativa
Límites: Humanos
Femenino
Tipo de Publ: Revisión
Responsable: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C
BR433.1, T1575, R484; 396.9


  8 / 2537 LILACS  
              first record previous record next record last record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-904789 LILACS-Express
Autor: Guimarães, Renata Cavalcante Santos; Soares, Maria Cidney da Silva; Santos, Renata Clemente dos; Moura, Jaquelline Pereira; Freire, Therezza Virgínia Vital; Dias, Maria Djair.
Título: Impacto na autoestima de mulheres em situação de violência doméstica atendidas em Campina Grande, Brasil / Impact on the self-esteem of women in situations of domestic violence attended in Campina Grande, Brazil / Impacto en la autoestima de mujeres en situación de violencia doméstica atendidas en Campina Grande, Brasil
Fuente: rev. cuid. (Bucaramanga. 2010);9(1):1988-1997, jan.-abr. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Introdução A problemática da violência contra mulher está disseminada em toda sociedade. O objetivo do estudo foi investigar qual o impacto na autoestima de mulheres vítimas de violência. Materiais e Métodos Trata-se de um estudo de natureza qualitativa. A amostra foi selecionada por conveniência não probabilística e composta por 11 mulheres atendidas da delegacia da mulher do município de Campina Grande, Brasil. Utilizando a técnica de análise de conteúdo elencou-se as categorias: Impacto na saúde da mulher; Impacto na autoimagem e perda da identidade feminina e Submissão e perda da liberdade. Resultados As idades variaram entre 20 e 68 anos, o número de filhos entre 1 a 13, o tempo de convívio com a violência variou entre 2 e 25 anos. Identificou-se que a violência trouxe sofrimento e impactos na vida da mulher como perda de sua identidade, desestruturação na autoimagem, sentimento de impotência e redução da autoestima. Discussão e Conclusões A carga de sofrimento as atingem de forma integral, podendo levá-las a quadros depressivos. Muitas procuram ajuda nos profissionais de saúde que devem estar capacitados para realizar um atendimento integral, apoiando-a no seu empoderamento e então lhe auxiliando na quebra do ciclo da violência. Percebe-se a necessidade de profissionais habilitados para prestar assistência a mulher vítima de violência doméstica, buscando minimizar seus impactos.

Abstract Introduction The problem of violence against women is widespread in every society. The aim of this study was to investigate the impact upon the self-esteem of women victims of violence. Materials and Methods This was a qualitative study. The sample was selected through non-probabilistic convenience and comprised 11 women attending the women's police station in the city of Campina Grande, Brazil. By using the content-analysis technique, the following categories were listed: Impact upon the woman's health; Impact upon self-image and loss of female identity, and Submission and loss of freedom. Results Ages varied from 20 to 68 years; number of children between 1 and 13; length of time living with the violence varied between 2 and 25 years. It was identified that violence brought suffering and impacts on the lives of women, like loss of identity, de-structured self-image, feelings of impotence, and reduced self-esteem. Discussion and Conclusions The burden of suffering reaches them integrally, taking them to depressive states. Many seek help from health professionals who must be trained to perform comprehensive care, supporting their empowerment and helping them to break the cycle of violence. The need is perceived for professionals qualified to provide care to women victims of domestic violence, seeking to minimize its impacts.

Resumen Introducción La problemática de la violencia contra la mujer está diseminada en toda la sociedad. El objetivo del estudio fue investigar cuál es el impacto en la autoestima de las mujeres víctimas de violencia. Materiales y Métodos Se trata de un estudio de naturaleza cualitativa. La muestra fue seleccionada por conveniencia no probabilística y compuesta por 11 mujeres atendidas en la comisaría de la mujer del municipio de Campina Grande, Brasil. Utilizando la técnica de análisis de contenido se seleccionaron las categorías: Impacto en la salud de la mujer; Impacto en la autoimagen y pérdida de la identidad femenina y Sumisión y pérdida de la libertad. Resultados Las edades variaron entre 20 y 68 años, el número de hijos entre 1 a 13, el tiempo de convivencia con la violencia varió entre 2 y 25 años. Se identificó que la violencia trajo sufrimiento e impactos en la vida de la mujer como pérdida de su identidad, desestructuración en la autoimagen, sentimiento de impotencia y reducción de la autoestima. Discusión y Conclusiones La carga de sufrimiento las alcanza de forma integral, pudiendo llevarlas a cuadros depresivos. Muchas buscan ayuda en los profesionales de salud que deben estar capacitados para realizar una atención integral, apoyándola en su empoderamiento y por consiguiente auxiliándola en la ruptura del ciclo de la violencia. Se percibe la necesidad de profesionales habilitados para prestar asistencia a la mujer víctima de violencia doméstica, buscando minimizar sus impactos.
Responsable: CO304.1 - Biblioteca Arturo Aparicio Jaramillo


  9 / 2537 LILACS  
              first record previous record next record last record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-904780 LILACS-Express
Autor: Guimarães, Renata Cavalcante Santos; Soares, Maria Cidney da Silva; Santos, Renata Clemente dos; Moura, Jaquelline Pereira; Freire, Therezza Virgínia Vital; Dias, Maria Djair.
Título: Impacto na autoestima de mulheres em situação de violência doméstica atendidas em Campina Grande, Brasil / Impact on the self-esteem of women in situations of domestic violence attended in Campina Grande, Brazil / Impacto en la autoestima de mujeres en situación de violencia doméstica atendidas en Campina Grande, Brasil
Fuente: rev. cuid. (Bucaramanga. 2010);9(1):1988-1997, jan.-abr. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Introdução A problemática da violência contra mulher está disseminada em toda sociedade. O objetivo do estudo foi investigar qual o impacto na autoestima de mulheres vítimas de violência. Materiais e Métodos Trata-se de um estudo de natureza qualitativa. A amostra foi selecionada por conveniência não probabilística e composta por 11 mulheres atendidas da delegacia da mulher do município de Campina Grande, Brasil. Utilizando a técnica de análise de conteúdo elencou-se as categorias: Impacto na saúde da mulher; Impacto na autoimagem e perda da identidade feminina e Submissão e perda da liberdade. Resultados As idades variaram entre 20 e 68 anos, o número de filhos entre 1 a 13, o tempo de convívio com a violência variou entre 2 e 25 anos. Identificou-se que a violência trouxe sofrimento e impactos na vida da mulher como perda de sua identidade, desestruturação na autoimagem, sentimento de impotência e redução da autoestima. Discussão e Conclusões A carga de sofrimento as atingem de forma integral, podendo levá-las a quadros depressivos. Muitas procuram ajuda nos profissionais de saúde que devem estar capacitados para realizar um atendimento integral, apoiando-a no seu empoderamento e então lhe auxiliando na quebra do ciclo da violência. Percebe-se a necessidade de profissionais habilitados para prestar assistência a mulher vítima de violência doméstica, buscando minimizar seus impactos.

Abstract Introduction The problem of violence against women is widespread in every society. The aim of this study was to investigate the impact upon the self-esteem of women victims of violence. Materials and Methods This was a qualitative study. The sample was selected through non-probabilistic convenience and comprised 11 women attending the women's police station in the city of Campina Grande, Brazil. By using the content-analysis technique, the following categories were listed: Impact upon the woman's health; Impact upon self-image and loss of female identity, and Submission and loss of freedom. Results Ages varied from 20 to 68 years; number of children between 1 and 13; length of time living with the violence varied between 2 and 25 years. It was identified that violence brought suffering and impacts on the lives of women, like loss of identity, de-structured self-image, feelings of impotence, and reduced self-esteem. Discussion and Conclusions The burden of suffering reaches them integrally, taking them to depressive states. Many seek help from health professionals who must be trained to perform comprehensive care, supporting their empowerment and helping them to break the cycle of violence. The need is perceived for professionals qualified to provide care to women victims of domestic violence, seeking to minimize its impacts.

Resumen Introducción La problemática de la violencia contra la mujer está diseminada en toda la sociedad. El objetivo del estudio fue investigar cuál es el impacto en la autoestima de las mujeres víctimas de violencia. Materiales y Métodos Se trata de un estudio de naturaleza cualitativa. La muestra fue seleccionada por conveniencia no probabilística y compuesta por 11 mujeres atendidas en la comisaría de la mujer del municipio de Campina Grande, Brasil. Utilizando la técnica de análisis de contenido se seleccionaron las categorías: Impacto en la salud de la mujer; Impacto en la autoimagen y pérdida de la identidad femenina y Sumisión y pérdida de la libertad. Resultados Las edades variaron entre 20 y 68 años, el número de hijos entre 1 a 13, el tiempo de convivencia con la violencia varió entre 2 y 25 años. Se identificó que la violencia trajo sufrimiento e impactos en la vida de la mujer como pérdida de su identidad, desestructuración en la autoimagen, sentimiento de impotencia y reducción de la autoestima. Discusión y Conclusiones La carga de sufrimiento las alcanza de forma integral, pudiendo llevarlas a cuadros depresivos. Muchas buscan ayuda en los profesionales de salud que deben estar capacitados para realizar una atención integral, apoyándola en su empoderamiento y por consiguiente auxiliándola en la ruptura del ciclo de la violencia. Se percibe la necesidad de profesionales habilitados para prestar asistencia a la mujer víctima de violencia doméstica, buscando minimizar sus impactos.
Responsable: CO304.1 - Biblioteca Arturo Aparicio Jaramillo


  10 / 2537 LILACS  
              first record previous record
selecciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-904768 LILACS-Express
Autor: Guerrero, María Fernanda Rivadeneira.
Título: Violencia física contra la mujer: una propuesta de abordaje desde un servicio de salud / Violência física contra a mulher: uma proposta de abordagem desde um serviço de saúde / Physical violence against women: an approach proposal from a health service
Fuente: rev. cuid. (Bucaramanga. 2010);8(2):1656-1667, maio-ago. 2017. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: RESUMEN Introducción La violencia física contra la mujer es un problema de salud pública y una necesidad sentida por la comunidad, que exige una respuesta desde los servicios de salud. El objetivo de esta investigación fue desarrollar un modelo de abordaje a partir del servicio de salud que permita la detección, apoyo y seguimiento de estos casos. Materiales y Métodos Se realizó una investigación-acción en un servicio de primer nivel de atención. Participaron personal de salud. Inicialmente se realizó un diagnóstico situacional para evaluar: percepción de violencia física contra la mujer, calidad del servicio y organización funcional ante casos de violencia. Se desarrolló un modelo de abordaje para enfrentar este problema a partir de: formación del personal de salud, reorganización funcional del servicio de salud y diseño de herramientas de detección y seguimiento. Se evaluó la intervención a partir de indicadores operativos y evaluación de su impacto a corto plazo. Resultados Se logró que el personal se capacite y empodere del problema; se introdujeron elementos operativos para la reorganización funcional de la unidad operativa: tamizaje para violencia intrafamiliar, flujograma de atención y hoja de seguimiento. En las tres semanas siguientes a la implementación de estos instrumentos, tres casos de violencia fueron detectados y abordados por el servicio de salud. Discusión y Conclusiones La metodología de investigación-acción permitió que los actores se empoderen del problema de violencia física contra la mujer, diseñen y apliquen herramientas para abordarlo. Es necesaria una evaluación posterior para determinar su impacto.

RESUMO Introdução A violência física contra a mulher é um problema de saúde pública e uma necessidade sentida pela comunidade, que exige uma resposta dos serviços de saúde. O objetivo desta pesquisa foi desenvolver um modelo de abordagem a partir do serviço de saúde que permita a detecção, apoio e seguimento desses casos. Materiais e Métodos Foi realizada uma pesquisa de investigação-ação em um serviço de atendimento de primeiro nível. Participaram pessoal de saúde. Inicialmente foi realizado um diagnóstico da situação para avaliar: a percepção da violência física contra a mulher, qualidade de serviço e organização funcional em casos de violência. Foi desenvolvido um modelo de abordagem para afrontar este problema a partir de: formação de pessoal de saúde, reorganização funcional do serviço de saúde e design de ferramentas de detecção e seguimento. Foi avaliada a intervenção a partir de indicadores operacionais e avaliação do seu impacto em curto prazo. Resultados Conseguiu-se que os funcionários se capacitem e empoderem do problema; foram introduzidos elementos operativos para a reorganização funcional da unidade operativa: rastreio para violência doméstica, fluxograma de atenção e folha de seguimento. Nas três semanas seguintes à implementação desses instrumentos, três casos de violência foram detectados e abordados pelo serviço de saúde. Discussão e Conclusões A metodologia de investigação-ação permitiu que os atores se empoderem do problema de violência física contra a mulher, concebam e apliquem ferramentas para abordá-lo. É necessária uma avaliação posterior para determinar o seu impacto.

ABSTRACT Introduction Physical violence against women is a public health problem and a need felt by the community, which demands an answer from health services. The aim of this research was to develop an approach model from the health service that permits detection, support, and follow up of these cases. Materials and Methods A research-action was conducted in a first-level of care service, with the participation of health staff. Initially, a situational diagnosis was carried out to assess the perception of physical violence against women, quality of service, and functional organization against cases of violence. An approach model was developed to confront this from the formation of the health staff, functional reorganization of the health service, and design of detection and follow-up tools. The intervention was evaluated through operational indicators and assessment of its short-term impact. Results The work managed to train the staff and empower it with the problem; operational elements were introduced for the functional reorganization of the operational unit: screening for intra-family violence, care flow diagram, and follow-up sheet. Within three weeks after implementing these instruments, three cases of violence were detected and addressed by the health service. Discussion and Conclusions The research-action methodology permitted the participants to be empowered with the problem of physical violence against women, as well as to design and apply tools to address it. A subsequent evaluation is necessary to determine its impact.
Responsable: CO304.1 - Biblioteca Arturo Aparicio Jaramillo



página 1 de 254 va a la página                         
   


Refinar la búsqueda
  Base de datos : Formulario avanzado   

    Buscar en el campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPS/OMS - Centro Latinoamericano y del Caribe de Información en Ciencias de la Salud