Base de dados : LILACS
Pesquisa : 176633 [Identificador único]
Referências encontradas : 1 [refinar]
Mostrando: 1 .. 1   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 1 LILACS  
             
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Araújo, Dimas Augusto Carvalho de
Andrade, Amaury Teixeira Leite
experimentalDocumentos relacionados
Id: 176633
Autor: Araújo, Dimas Augusto Carvalho de; Zimmermmann, Juliana Barroso; Oliveira, Luiz Carlos Navarro de; Andrade, Amaury Teixeira Leite.
Título: Gestaçäo de alto-risco: prevalência de patologias e complicaçöes materno-fetais / High-risk pregnancy: patologies prevalence and fetal-maternal complications
Fonte: J. bras. ginecol;106(8):315-20, ago. 1996. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivando-se descrever a prevalência de patologias presentes nas gestantes de alto risco e as principais complicações materno-fetais foi realizado um estudo retrospectivo com prontuários de 75 gestantes atendidas pelo Ambulatório de Gestação de Alto-Risco do Serviço de Obstetrícia da Universidade Federal de Juiz de Fora - Maternidade Therezinha de Jesus - de janeiro de 1993 a dezembro de 1995. A média de idade destas pacientes foi de 29.89 +- 6,64 anos e as principais patologias responsáveis pelo acompanhamento pré-natal de alto risco foram: hipertensão arterial crônica 28,00 por cento, doença hipertensiva específica da gestação (DHEG) 13,33 por cento, endocrinopatias 9,33 por cento, cardiopatias 8,00 por cento, doenças neuropsíquicas 8,00 por cento, doenças infecciosas 6,66 por cento, pneumopatias 2,66 por cento, anemias 2,66 por cento e outras 21,36 por cento. As principais complicações do pré-natal foram: infecções urinárias 13,33 por cento, infecções genitais 12,00 por cento, abortamento 9,33 por cento, crescimento intra-uterino retardado (CIUR) e oligohidramnia 7,35, óbito fetal 6,66 por cento, crise hipertensiva 5,88 por cento, polidramnia 4,41 por cento, infecções respiratórias 4,41, trabalho de parto prematuro 2,94 por cento, síndromes hemorrágicas do terceiro trimestre 1,47 por cento e outras 32,22 por cento. A via de parto mais utilizado foi a abdominal em 77,94 por cento e 92,65 por cento das pacientes não apresentaram complicações pós-parto. Os resultados perinatais foram considerados satisfatórios, baseados na média do índice de Apgar, peso e idade gestacional (AU)
Descritores: Gravidez de Alto Risco
Complicações na Gravidez
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde