Base de dados : BBO
Pesquisa : D09.301.915.361 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 2 [refinar]
Mostrando: 1 .. 2   no formato [Longo]

página 1 de 1

  1 / 2 BBO  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-491408
Autor: E'Gues, Miguel Antônio Menezes; Paula, Márcio de; Goissis, Gilberto.
Título: Compósito de colágeno com silicato e hidroxiapatita como material para endodontia: preparação e caracterização / Collagen composite with silicate and hydroxyapatite as endodontic material: preparation and characterization
Fonte: Rev. odonto ciênc;23(2), abr.-jun. 2008. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: Este trabalho teve por objetivo preparar e caracterizar um novo compósito de colágeno com silicato e hidroxiapatita que possa vir a ser utilizado como material endodôntico em capeamento pulpar direto e em pulpotomia. Metodologia: Os materiais utilizados como matéria-prima foram colágeno do tipo I na forma aniônica, silicato (cimento Portland Branco) e hidroxiapatita sintetizada. Estes materiais foram misturados em proporções variadas de modo a obter um material compósito na forma de pasta. Os materiais obtidos foram caracterizados por técnicas de calorimetria exploratória diferencial, termogravimetria, microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectrometria de dispersão de energia de Raios-X e espectroscopia na região do infravermelho.Resultados: A presença de colágeno no compósito foi demonstrada por transições térmicas típicas daquelas encontradas para o colágeno do tipo I (-48ºC), independentemente da proporção utilizada, e também por imagens de MEV, onde as fibras colagênicas também puderam ser observadas interligando as partículas de silicato. A composição química de todos compósitos de colágeno foi praticamente idêntica à do silicato utilizado.Conclusão: Os resultados mostraram que a estrutura da matriz de colágeno nos compósitos testados não foi alterada. Esta é uma característica importante para a utilização em endodontia do material compósito proposto, objetivando uma reparação tecidual de forma 'mais natural'.

Purpose: This study aimed to prepare and characterize a new collagen composite with silicate and hydroxyapatite as a potential endodontic material for pulp capping and pulpotomy. Methods: Anionic type I collagen was mixed with silicate (White Portland cement) and hydroxyapatite in several proportions. The materials were characterized by standard differential scanning calorimetry, thermogravimetry, scanning electron microscopy (SEM), energy dispersion x-ray, and infrared spectrometry. Results: The presence of collagen in the composite was observed by means of typical thermal transitions for collagen type I (-48ºC), independently from the proportion used. SEM images showed collagen fibers interconnecting silicate particles. The chemical composition of all collagen composites was essentially the same as that of the original silicate. Conclusion: These results showed that the collagen matrix structure of the tested composite was not altered, which is an important feature for a 'more natural' tissue repair in Endodontics.
Responsável: BR541.1 - Biblioteca


  2 / 2 BBO  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-490663
Autor: Pereira, Carlos Umberto; Santa Rosa, Hesmoney Ramos de; Pereira, José Carlos; Anjos, Edvaldo Dória; Carvalho, Ricardo Wathson Feitosa de.
Título: Doença de Paget do complexo crânio - maxilo - facial: revisão crítica da literatura / Paget's Disease of the craniomaxillofacial complex: a critical literature review
Fonte: Rev. cir. traumatol. buco-maxilo-fac;8(2):15-24, abr.-jun. 2008. tab, mapas.
Idioma: pt.
Resumo: As lesões fibro-ósseas fazem parte de um grupo heterogêneo composto por lesões de desenvolvimento, processos displásicos e reativos bem como neoplasias. A doença de Paget é uma alteração esquelético idiopática crônica que consiste na alteração da atividade osteoclástica de um ou mais grupos de ossos, que desencadeia uma formação óssea desordenada, gerando a hipertrofia óssea, sendo mais freqüente nos ossos do crânio e coluna vertebral. Possui maior prevalência em indivíduos da terceira idade, de etiologia ainda desconhecida, sendo descoberta incidentalmente, por exames radiológicos, devido ao aumento da taxa de hidroxiprolina na urina ou o achado de níveis séricos de fosfatase alcalina elevados. O espectro clínico da doença de Paget é muito variável, dependendo dos locais acometidos, do grau das deformidades e da intensidade da atividade metabólica. Pacientes com dor ou deformidades ósseas devem ser investigados quanto à possibilidade de doença de Paget devido a sua pouca especificidade. Neste trabalho, os autores produziram a revista de literatura, enfocando os aspectos clínicos, imaginológicos, laboratoriais, histopatológicos e tratamento da doença de Paget, enfatizando a divulgação desta afecção que, rotineiramente, se apresenta com sinais subclínicos.
Responsável: BR310.1 - Biblioteca Professor Guilherme Simões Gomes



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde