Base de dados : LILACS
Pesquisa : A01.923.600.600 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 320 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 32 ir para página                         

  1 / 320 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Lopes, Maria Helena Baena de Moräes
Texto completo
Id: biblio-1012004
Autor: Campos, Renata Martins; Lúcio, Adélia Correia; Lopes, Maria Helena Baena de Moraes; Hacad, Claudia Rosenblatt; Perissinotto, Maria Carolina Ramos; Glazer, Howard I; D' Ancona, Carlos Arturo Levi.
Título: Pelvic floor muscle training alone or in combination with oxybutynin in treatment of nonmonosymptomatic enuresis. A randomized controlled trial with 2-year follow up / Exercícios dos músculos do assoalho pélvico exclusivos ou em combinação com oxibutinina no tratamento da enurese não monossintomática. Um estudo randomizado controlado com 2 anos de seguimento
Fonte: Einstein (Säo Paulo);17(3):eAO4602, 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objective To compare the results of the standard urotherapy alone and associated with pelvic floor muscle training alone, and in combination with oxybutynin in treatment of nonmonosymptomatic nocturnal enuresis. Methods A total of 38 children aged 5 to 10 years were randomized into three groups: Group I (n=12) that was submitted to standard urotherapy; Group II (n=15), standard urotherapy associated with pelvic floor muscle training; and Group III (n=11), standard urotherapy associated with pelvic floor muscle training and oxybutynin; the treatment lasted 12 weeks. The assessment tools used were playful bladder diary, and a 48-hour bladder diary, before and after treatment. After 2 years, patients were assessed by telephone using a standardized questionnaire. Results The data of children from the three groups were homogeneous at baseline. After 12-week treatment, all children showed improved symptoms and signs of nonmonosymptomatic nocturnal enuresis, but the differences were not significant among the groups. After 2 years, the three groups showed maintenance of treatment results, but no differences among them. Conclusion All treatment modalities were effective regarding improved enuresis and lower urinary tract symptoms, but the sample was not large enough to show differences among groups.

Resumo Objetivo Comparar os resultados da uroterapia padrão isolada e associada ao treinamento dos músculos do assoalho pélvico isoladamente e em combinação com a oxibutinina no tratamento da enurese noturna não monossintomática. Métodos Trinta e oito crianças entre 5 e 10 anos de idade foram randomizadas em três grupos: Grupo I (n=12) realizou uroterapia padrão; Grupo II (n=15) realizou uroterapia padrão associada ao treinamento muscular do assoalho pélvico; e Grupo III (n=11) realizou uroterapia padrão associada ao treinamento muscular do assoalho pélvico e oxibutinina. O tratamento teve duração de 12 semanas. Os instrumentos de avaliação foram diário miccional lúdico e diário miccional de 48 horas, antes e depois do tratamento. Após 2 anos, os pacientes foram avaliados por telefone, usando um questionário padronizado. Resultados Os dados das crianças dos três grupos eram homogêneos no início do estudo. Após 12 semanas de tratamento, todas as crianças apresentaram melhora em relação aos sinais e sintomas de enurese noturna não monossintomática, mas as diferenças não foram significativas entre os grupos. Depois de 2 anos, os resultados do tratamento se mantiveram nos três grupos, mas não houve diferenças entre os grupos. Conclusão As três modalidades de tratamento foram eficazes na melhora da enurese e dos sintomas do trato urinário inferior, mas o tamanho da amostra não foi grande o suficiente para mostrar diferenças entre os grupos.
Descritores: Incontinência Urinária
Diafragma da Pelve/fisiologia
Terapia por Exercício/métodos
Enurese Noturna/terapia
Agentes Urológicos/uso terapêutico
Ácidos Mandélicos/uso terapêutico
-Incontinência Urinária/fisiopatologia
Brasil
Inquéritos e Questionários
Resultado do Tratamento
Terapia Combinada
Enurese Noturna/fisiopatologia
Força Muscular/fisiologia
Contração Muscular/fisiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 320 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1291284
Autor: Pazmiño Medina, Jorge; Zurita Aguirre, Gabriela; Coello Vergara, Jonathan; Marin Castro, Pedro.
Título: Evisceración de intestino delgado por periné posterior como presentación de hernia interrecto-vaginal: reporte de un caso / Evisceration of the small intestine through the posterior perineum aspresentation of interrecto-vaginal hernia: a case report
Fonte: Rev. colomb. cir;36(4):732-737, 25082021. fig.
Idioma: es.
Resumo: Introducción. El enterocele es causado por un defecto herniario del piso pélvico, siendo el más común la hernia interrecto-vaginal. Se produce por un debilitamiento del piso pélvico, por diversos factores, entre ellos, las cirugías en la región pélvica, el estreñimiento crónico o las patologías que aumentan la presión intraabdominal, el antecedente de prolapso rectal o vaginal, y también, factores congénitos. Presentación de caso. Paciente femenina de 84 años de edad, con antecedentes de un parto eutócico y múltiples procedimientos quirúrgicos, entre ellos histerectomía hace 40 años y rectosigmoidectomía por enfermedad diverticular complicada hace 6 años, quien cuatro meses antes presenta constipación crónica, que empeora en los días previos a su ingreso, con dolor perineal intenso y salida de asas intestinales a nivel de la región perineal, que la obliga a consultar a Urgencias. Al encontrarse con asas intestinales expuestas, con cambios de coloración, es intervenida quirúrgicamente con resultado satisfactorio, postquirúrgico inmediato optimo y seguimiento por consulta externa por 3 meses sin evidencia de recidiva. Discusión. La hernia interrecto-vaginal tiene una incidencia baja y una presentación clínica variada. El único tratamiento es quirúrgico

Introduction. The enterocele is produced by an hernia defect of the pelvic floor, being the most common the interrecto-vaginal hernia. It is produced by weakness of the pelvic floor for multiples factors, among them surgeries of the pelvic region, chronic constipation or pathologies that increase intra-abdominal pressure, a history of rectal or vaginal prolapse, and congenital factors. Case report. A 84-year-old female patient, with a history of eutocic delivery and multiple surgical procedures, including hysterectomy 40 years ago and rectosigmoidectomy for complicated diverticular disease 6 years ago, presented four months earlier with chronic constipation, which worsens in the days before her admission, with intense perineal pain and exit of intestinal loops at the level of the perineal region, which forced her to consult the emergency room. At examination the intestinal loops were found exposed, with color changes, she underwent surgery with satisfactory results, optimal immediate postoperative and outpatient follow-up for 3 months with no evidence of recurrence. Discussion. Interrecto-vaginal hernia has a low incidence and a varied clinical presentation. The only treatment is surgery
Descritores: Períneo
Escavação Retouterina
Hérnia
-Diafragma da Pelve
Intestino Delgado
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: CO113


  3 / 320 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1290536
Autor: Marcondes, Julia Camargo; Rodrigues, Étria; Salerno, Gisela Rosa Franco.
Título: Consciência perineal, presença de sintomas urinários e satisfação sexual na fibromialgia / Perineal consciousness, presence of urinary symptoms and sexual satisfaction in fibromyalgia
Fonte: Fisioter. Bras;22(3):442-455, Jul 15, 2021.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: A fibromialgia é uma síndrome crônica, com etiologia desconhecida, frequente em mulheres e com sintomas que afetam a qualidade de vida. Tem se discutido que essa condição afete inclusive a musculatura do assoalho pélvico. Objetivo: Verificar o conhecimento a respeito do períneo, a presença de sintomas de perdas urinárias e o nível de satisfação sexual em mulheres fibromiálgicas. Métodos: Participaram dessa abordagem 7 fibromiálgicas atendidas semanalmente pela fisioterapia. Para avaliação inicial, utilizamos um Questionário de Consciência Perineal e o Índice de Satisfação Sexual Feminina (FSFI). Durante os dois meses de intervenção, foram realizadas 2 palestras educativas e 8 encontros para a realização de exercícios perineais. Depois da intervenção, o FSFI foi aplicado novamente e os dados foram analisados por estatística simples. Resultados: As participantes demonstraram conhecer a localização das estruturas do sistema urinário, porém 4 das mulheres (57,1%) relataram não saber contrair a musculatura do assoalho pélvico. Todas relataram urgência miccional, raras perdas urinárias ao esforço e insatisfação sexual, antes da intervenção melhorando na reavaliação. Conclusão: As participantes pouco conhecem sobre a musculatura do assoalho pélvico, sua contração adequada e a atuação da fisioterapia nessa condição. A satisfação sexual encontrou-se prejudicada inicialmente apresentando melhora após as intervenções. (AU)

Introduction: Fibromyalgia is a chronic syndrome, with unknown etiology, common in women and with symptoms that affect quality of life. It has been argued that this condition affects even the pelvic floor musculature. Objective: To verify the knowledge about the perineum, the presence of symptoms of urinary loss and the level of sexual satisfaction in fibromyalgia women. Methods: Seven fibromyalgia patients attended weekly by physical therapy participated in this approach. For initial assessment, we used Perineal Awareness Questionnaire and Female Sexual Satisfaction Index (FSFI). During two months of intervention, 2 educational lectures and 8 meetings were held to perform perineal exercises. After intervention, FSFI was applied again, and the data were analyzed using simple statistics. Results: The participants demonstrated to know the location of the structures of the urinary system, however 4 of the women (57.1%) reported not knowing how to contract the pelvic floor muscles. All of them reported urinary urgency, rare urinary losses on exertion and sexual dissatisfaction, before the intervention, improving the reassessment. Conclusion: The participants know little about the musculature of the pelvic floor, its adequate contraction, and the role of physical therapy in this condition. Sexual satisfaction was initially impaired, showing improvement after the interventions. (AU)
Descritores: Fibromialgia
Modalidades de Fisioterapia
-Orgasmo
Qualidade de Vida
Sistema Urinário
Diafragma da Pelve
Estado de Consciência
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  4 / 320 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1290534
Autor: De Carvalho, Karoline Barbosa; Ibiapina, Francisco Tiago Oliveira; Machado, Dionis de Castro Dutra.
Título: Força muscular do assoalho pélvico em mulheres com queixas de disfunção pélvica / Pelvic floor muscle strength in women with pelvic dysfunction complaint
Fonte: Fisioter. Bras;22(3):425-441, Jul 15, 2021.
Idioma: pt.
Resumo: A disfunção do assoalho pélvico envolve condições nosológicas, como incontinência urinária e disfunção sexual, com impacto negativo na qualidade de vida. O presente estudo objetivou avaliar a força muscular do assoalho pélvico de mulheres com disfunção pélvica. Trata-se de desenho analítico transversal realizado com uma amostra de conveniência de 167 mulheres com queixas de disfunções musculares do assoalho pélvico. Foram analisadas características sociodemográficas e clínicas, qualidade de vida relacionada à incontinência e força muscular pélvica. Estatísticas univariadas e bivariadas foram calculadas. A idade média das mulheres foi de 50,2 anos. A maioria foi classificada com impacto muito grave (76,6%) na qualidade de vida relacionada à incontinência, 41 (24,6%) apresentaram contração muscular não sustentada e 7 (4,2%) apresentaram contração. Associações significativas foram identificadas entre força muscular pélvica e idade (p = 0,025), menopausa (p = 0,039) e histerectomia (p = 0,026). A pesquisa permitiu concluir que os fatores de risco responsáveis por problemas no assoalho pélvico podem ser considerados cruciais para avaliar o nível de impacto da incontinência urinária e sua evolução como resultado de intervenções precoces, simples e de baixo custo na atenção primária à saúde. As disfunções do assoalho pélvico afetam negativa e substancialmente a qualidade de vida das mulheres. (AU)

Pelvic floor dysfunction involves nosological conditions, such as urinary incontinence and sexual dysfunction, which have a negative impact on quality of life. This study aimed to evaluate pelvic floor muscle strength of women with pelvic dysfunction. This is an analytical cross-sectional performed design with a convenience sample of 167 women with complaints of pelvic floor muscle dysfunctions. Sociodemographic and clinical characteristics, quality of life related to incontinence and pelvic muscle strength were analyzed. Univariate and bivariate statistics were calculated. The mean age of women was 50.2 years. Most were classified having a very severe impact (76.6%) on incontinencerelated quality of life, 41 (24.6%) presented non-sustained muscle contraction and 7 (4.2%) presented in contraction. Significant associations were identified between pelvic muscle strength and age (p = 0.025), menopause (p = 0.039) and hysterectomy (p = 0.026). This study allowed us to conclude that the risk factors responsible for pelvic floor problems can be considered crucial to assess the level of impact of urinary incontinence and its evolution as a result of early, simple and low cost interventions in primary health care. Pelvic floor dysfunctions affect negatively and substantially the quality of life of women. (AU)
Descritores: Diafragma da Pelve
Força Muscular
-Qualidade de Vida
Incontinência Urinária
Contração Muscular
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  5 / 320 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1284167
Autor: Da Silva, Andreza Tomasi; Da Silva, Yasmin Podlasinski; Furlanetto, Magda Patrícia.
Título: Disfunções do assoalho pélvico em praticantes de Crossfit / Pelvic floor dysfunctions in Crossfit practitioners
Fonte: Fisioter. Bras;22(2):233-248, Maio 25, 2021.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: A incontinência urinária é uma disfunção do assoalho pélvico e acomete mulheres das mais variadas idades. A atividade física tem diversos benefícios, no entanto o assoalho pélvico pode ser a única área do corpo em que seu efeito positivo pode ser questionado. O CrossFit® é um programa de treinamento de alto impacto que envolve exercícios aeróbicos e anaeróbicos. Esta atividade possui um caráter motivacional e desafiador e vem ganhando milhões de adeptos no mundo todo. Objetivo: Revisar os estudos publicados nos últimos 5 anos a respeito das disfunções do assoalho pélvico em atletas praticantes de CrossFit®. Métodos: Revisão integrativa de literatura realizada através de pesquisa nas bases de dados Pubmed, Bireme (Lilacs, Medline, Scielo), Science Direct e PeDro, entre os anos de 2015 a 2020. Resultados: Foram incluídos 6 artigos aplicáveis aos critérios de elegibilidade. A população estudada são mulheres de 16 a 75 anos, praticantes de CrossFit®. Na avaliação metodológica, os estudos foram considerados fracos a moderados e apenas um forte. Conclusão: Como principais achados deste estudo, observou-se uma prevalência significativa de IU em praticantes de CrossFit®; essa disfunção parece estar relacionada a um atraso na ativação da musculatura pélvica quando exigida durante os exercícios. (AU)

Introduction: Urinary Incontinence is a pelvic floor dysfunction and affects women of all ages. Physical activity has several benefits; however, the pelvic floor may be the only area of the body in which its positive effect can be questioned. CrossFit® is a training program of high impact that involves aerobic and anaerobic exercises. This activity has a motivational and challenging character and has been gaining millions of followers worldwide. Objective: To review the studies published in the last 5 years regarding pelvic floor dysfunctions in athletes practicing CrossFit®. Methods: Integrative literature review carried out by searching the Pubmed, Bireme (Lilacs, Medline, Scielo), Science Direct and PeDro databases, between the years 2015 to 2020. Results: 6 articles applicable to the eligibility criteria were included. The studied population are women aged 16 to 75 years practicing CrossFit®. In the methodological evaluation, the studies were considered weak to moderate and only one strong. Conclusion: This study observed a significant prevalence of urinary incontinence in CrossFit® practitioners; this dysfunction seems to be related to a delay in the activation of the pelvic muscles when required during exercises. (AU)
Descritores: Exercício Físico
Distúrbios do Assoalho Pélvico
-Incontinência Urinária
Mulheres
Diafragma da Pelve
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  6 / 320 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1284162
Autor: Lima, Eunice Graziele de Souza; Pisco, Driele Damasceno; De Oliveira, Cláudia; Batista, Patrícia Andrade; Francisco, Rossana Pulcineli Vieira; Tanaka, Clarisse.
Título: Intervenções fisioterapêuticas para os músculos do assoalho pélvico no preparo para o parto: revisão da literatura e proposta de manual de orientação / Physiotherapeutic interventions for the pelvic floor muscles in preparation for childbirth: review of the literature and proposed guidance manual
Fonte: Fisioter. Bras;22(2):216-232, Maio 25, 2021.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: As intervenções fisioterapêuticas podem prevenir e minimizar as disfunções na musculatura do assoalho pélvico durante a gestação. Objetivo: Verificar quais são as intervenções fisioterapêuticas no assoalho pélvico durante a gestação e no preparo para o parto e elaborar um manual com informações mais relevantes encontradas nessa pesquisa. Métodos: Foi realizada uma revisão bibliográfica nas bases de dados: Pubmed, Scielo e PEDro. Foram selecionados 10 artigos relevantes publicados entre o período de 1997 a 2019. Resultados: Os estudos sobre massagem perineal mostraram que houve redução de episiotomia, dor perineal e laceração. Quanto ao treinamento dos músculos do assoalho pélvico, houve aumento significativo da pressão desses músculos, menor taxa de episiotomia e do tempo da segunda fase do trabalho de parto. O Epi-no® mostrou aumento significativo de períneo intacto e taxas mais baixas de episiotomia quando realizados com auxílio do fisioterapeuta. Conclusão: Os estudos mostram que o treinamento da musculatura do assoalho pélvico supervisionado e massagem perineal são eficazes para o preparo para o parto. O treinamento com Epino® no pré parto apontou ser eficaz na redução de laceração e episiotomia intraparto, porém para determinar sua real eficácia, é necessário aumentar o número amostral. (AU)

The physiotherapeutic intervention can prevent and minimize dysfunction in the pelvic muscles floor during pregnancy. Aim: To verify which are the physiotherapeutic interventions in the pelvic floor during pregnancy and on the preparation to delivery, and to elaborate a manual with more relevant information found in this process. Methods: A literature review was performed in the databases: Pubmed, Scielo and PEDro. Nine relevant published articles were selected between 1997 and 2019. Results: The studies about perineal massage showed reductions of episiotomy, less perineal pain and laceration. For the kinesiotherapy, there was a significant increase of muscle pressure, more strength and lower rate of the second phase of labor. An imported increase in intact perineum and lower rates of episiotomy was observed on Epi-no®, when performed by the physiotherapist. Conclusion: Studies show that supervised pelvic musculature floor training and perineal massage are effective to prepare for the childbirth. Epi-no® training in pre-delivery is effective on the intrapartum period regarding laceration reduction and episiotomy, but it is necessary more samples to determine the real efficacy. (AU)
Descritores: Gravidez
Modalidades de Fisioterapia
Diafragma da Pelve
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  7 / 320 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1284160
Autor: Duarte, Natália de Souza; Pereira, Marina Rodrigues Lopes; Da Costa, Hellem Samilles Cardoso; Da Cruz, Bianca Silva; Fernandes, Camila Alcântara; Nunes, Erica Feio Carneiro.
Título: Efeito da fisioterapia nos sintomas de síndrome da bexiga hiperativa decorrente do tratamento do câncer de colo de útero / Effect of physical therapy on symptoms of the hyperactive bladder arising from the treatment of cervical cancer
Fonte: Fisioter. Bras;22(2):205-215, Maio 25, 2021.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: A síndrome da bexiga hiperativa pode afetar as mulheres após o tratamento para câncer de colo do útero, interferindo diretamente a qualidade de vida e funcionalidade. Objetivo: Verificar os efeitos da Fisioterapia nos sintomas da síndrome da bexiga hiperativa em mulheres submetidas ao tratamento de câncer de colo do útero. Métodos: Trata-se de um ensaio clínico não controlado, com mulheres que realizaram o tratamento para câncer de colo do útero. Foi utilizada uma ficha de avaliação para verificar dados ginecológicos/obstétricos, assim como hábitos de vida das pacientes. Os sintomas da síndrome da bexiga hiperativa foram avaliados por meio do Incontinence Questionnaire Overactive Bladder. Para a intervenção fisioterapêutica foi utilizado o protocolo de Treinamento dos Músculos do Assoalho, Eletroestimulação Transcutânea do Nervo Tibial e Terapia Comportamental. Resultados: No pós-tratamento ocorreu decréscimo estatisticamente significativo na mediana dos sintomas da síndrome da bexiga hiperativa e no impacto da qualidade de vida em relação ao pré-tratamento, indicando melhora do quadro. Conclusão: Esta pesquisa concluiu que o protocolo fisioterapêutico utilizado apresentou eficácia na melhora dos sintomas da síndrome da bexiga hiperativa após tratamento para câncer de colo do útero. (AU)

Introduction: A hyperactive bladder syndrome can affect women after treatment for cervical cancer, directly interfering with quality of life and functionality. Objective: To verify the effects of physical therapy on the symptoms of hyperactive bladder syndrome in women undergoing treatment for cervical cancer. Methods: This is an uncontrolled clinical trial, with women who underwent treatment for cervical cancer. An evaluation form was used to check gynecological/obstetric data, as well as the patients' lifestyle. The symptoms of the hyperactive bladder syndrome were obtained through the hyperactive bladder questionnaire. For the physiotherapeutic intervention, the floor muscle training, transcutaneous electrostimulation of the tibial nerve and behavioral therapy protocol was used. Results: In the post-treatment there was a statistically significant decrease in the median of the symptoms of the hyperactive bladder syndrome and no impact on the quality of life in relation to the pre-treatment, an improvement indicated in the condition. Conclusion: This research concluded that the physical therapy protocol used showed improvement of symptoms of overactive bladder syndrome after treatment for cervical cancer. (AU)
Descritores: Neoplasias do Colo do Útero
Modalidades de Fisioterapia
Bexiga Urinária Hiperativa
-Sinais e Sintomas
Incontinência Urinária
Eficácia
Diafragma da Pelve
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  8 / 320 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1283723
Autor: Veiga, Patrícia Brito; Furlanetto, Magda Patrícia.
Título: Perfil eletromiográfico do assoalho pélvico de bailarinas de dança do ventre / Electromiographic profile of the pelvic floor of belly dancers
Fonte: Fisioter. Bras;21(6):592-600, Jan 6, 2021.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: Sabe-se a importância da fisioterapia na recuperação e prevenção das disfunções do assoalho pélvico, e a dança do ventre é reconhecida por atuar nesta musculatura. Objetivo: Investigar a funcionalidade dos músculos do assoalho pélvico a partir de eletromiografia em bailarinas de dança do ventre. Métodos: Foram avaliadas mulheres de 18 a 35 anos de idade, praticantes de dança do ventre há pelo menos dois anos, comparadas a mulheres não praticantes. Foram analisados parâmetros eletromiográficos para as fibras tônicas e fásicas durante a contração e o repouso. Os valores percentuais foram obtidos a partir do pico de contração voluntária máxima. Resultados: Verificou-se significância estatística na ativação muscular das fibras fásicas durante a contração e em repouso das mulheres que praticam dança do ventre mais de duas vezes na semana. Conclusão: Os achados sugerem que a prática regular da dança do ventre apresenta menor ativação de fibras fásicas tanto durante a contração quanto no repouso comparado ao grupo de mulheres não praticantes. Torna-se necessária a associação de programas de treinamento de fibras fásicas a fim de evitar, em longo prazo, prejuízos em relação à força muscular, à agilidade e às funções geniturinárias. (AU)

Introduction: It is known the importance of physical therapy in the recovery and prevention of pelvic floor dysfunctions, and belly dancing is recognized for acting on this musculature. Objective: To investigate the functionality of the pelvic floor muscles using electromyography in belly dancers. Methods: Women aged 18 to 35 years, practicing belly dancing for at least two years, were evaluated, compared to non-practicing women. Electromyographic parameters were analyzed for tonic and phasic fibers during contraction and rest. The percentage values were obtained from the peak of maximum voluntary contraction. Results: There was statistical significance in the muscle activation of the phasic fibers during contraction and at rest for women who practice belly dancing more than twice a week. Conclusion: The findings suggest that the regular practice of belly dancing presents less activation of phasic fibers both during contraction and at rest compared to the group of non-practicing women. The association of phasic fiber training programs is necessary in order to avoid, in the long term, losses in relation to muscle strength, agility and genitourinary functions. (AU)
Descritores: Diafragma da Pelve
Eletromiografia
-Dança
Força Muscular
Limites: Humanos
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  9 / 320 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1283582
Autor: Levandoski, Nathália Torres; Furlanetto, Magda Patrícia.
Título: Physiotherapeutic resources in vaginismus / Recursos fisioterapêuticos no vaginismo
Fonte: Fisioter. Bras;21(5):525-534, Nov 19, 2020.
Idioma: en.
Resumo: Vaginismus consists of involuntary spasms in the external musculature of the vagina, the etiology of which is still unknown, but there are cases of biopsychosocial factors such as sexual abuse, strict sex, education, emotional trauma, religious beliefs, low-quality sexual relations, fear of sex, or even changes of ostemioarticular origin, can lead to this condition, making vaginal penetration impossible during sexual intercourse, gynecological exams or use of tampons. Objective: To highlight as physical therapy practices, their validation for the treatment of vaginismus and to verify the effectiveness of the analyzed practices. Methods: Systematic literature review carried out through digital bibliographic research on scientific articles published in electronic and electronic journals, randomized clinical trials, with no period between the years 2010 to 2020, in the electronic databases PubMed, Bireme and PEDro. Results: There was no great variability in the resources used and the studies showed positive and similar results. Conclusion: Physical therapy proved to be beneficial for cases of vaginismus, with the use of functional electrical stimulation (FES) in an analogue way, pelvic floor muscle relaxation exercises, local desensitization performed with vaginal dilator and massage. However, more research is needed, considering the moderate methodological scores found in the studies analyzed. (AU)

Vaginismo consiste em espasmos involuntários na musculatura do terço externo da vagina, com etiologia ainda desconhecida, mas há evidências de que fatores biopsicossociais como abuso sexual, sexo estrito, educação, trauma emocional, crenças religiosas, relações sexuais de baixa qualidade, medo do sexo, ou mesmo alterações de origem osteomioarticular, podem acarretar nesta condição, impossibilitando a penetração vaginal em relações sexuais, exames ginecológicos ou no uso de absorventes internos. Objetivo: Evidenciar as práticas fisioterapêuticas, sua validação para o tratamento do vaginismo e verificar a eficácia das práticas analisadas. Material e métodos: Revisão sistemática de literatura realizada através de busca bibliográfica digital em artigos científicos publicados em revistas impressas e eletrônicas, ensaios clínicos randomizados, no período compreendido entre os anos de 2010 a março de 2020, nas bases de dados eletrônicas Pubmed, Bireme e Pedro. Resultados: Não houve grande variabilidade dos recursos utilizados e os estudos apresentaram resultados positivos e semelhantes. Conclusão: A fisioterapia mostrou-se benéfica para os casos de vaginismo, com a utilização de estimulação elétrica funcional (FES) de forma analgésica, exercícios de relaxamento da musculatura do assoalho pélvico, dessensibilização local realizada com dilatador vaginal e massagem. No entanto, mais pesquisas são necessárias, tendo em vista os escores metodológicos moderados encontrados nos estudos analisados. (AU)
Descritores: Modalidades de Fisioterapia
Vaginismo
-Reabilitação
Terapia por Estimulação Elétrica
Diafragma da Pelve
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  10 / 320 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1283577
Autor: Pereira, Marina Rodrigues Lopes; Da Costa, Hellem Samilles Cardoso; Duarte, Natália de Souza; Dias, George Alberto da Silva; Rodrigues, Cibele Nazaré Câmara; Latorre, Gustavo Fernando Sutter; Nunes, Erica Feio Carneiro.
Título: Fisioterapia nas complicações ginecológicas decorrentes do tratamento do câncer de colo de útero / Physical therapy in gynecological complications arising from the treatment of cervix cancer
Fonte: Fisioter. Bras;21(5):501-509, Nov 19, 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: O tratamento do Câncer de Colo do Útero (CCU) traz consequências anátomofuncionais para o sistema genital. Objetivo: Verificar o efeito da fisioterapia nas complicações ginecológicas e na qualidade de vida (QV) das mulheres após o tratamento do CCU. Métodos: Ensaio clínico, com 16 mulheres que realizaram tratamento do CCU, alocadas em dois grupos: 10 para o Grupo ambulatorial (GAM) e 6 para o Grupo domiciliar (GDE). A intervenção consistiu em massagem perineal e treinamento dos músculos do assoalho pélvico por seis semanas, porém o GAM realizou o acompanhamento em ambulatório e o GDE em domicílio. Resultados: As complicações ginecológicas mais prevalentes encontradas em ambos os grupos foram a estenose, o ressecamento vaginal, o encurtamento vaginal, o estreitamento vaginal, a dispareunia e a diminuição da libido. Após o protocolo, o GAM apresentou melhora estatisticamente significante para a estenose, para o ressecamento, o encurtamento vaginal, estreitamento vaginal e para a diminuição da libido. Conclusão: Tanto as queixas ginecológicas, quanto a função muscular tiveram melhora estatisticamente significante no GAM e alguns domínios do questionário de função sexual e do questionário de QV apresentaram resultados similares de melhora em ambos os grupos. (AU)

Introduction: The treatment of Cervical Cancer (CC) has anatomofunctional consequences for the genital system. Objective: To verify the effect of physical therapy on gynecological complications and quality of life (QOL) in women after CC treatment. Methods: Clinical trial, with 16 women who underwent CC treatment, divided into two groups: 10 for the outpatient group (GAM) and 6 for the home group (GDE). The intervention consisted of perineal massage and training of the pelvic floor muscles for six weeks, with the GAM performed on an outpatient basis and the GDE at home. Results: The gynecological complications found in both groups were stenosis, vaginal dryness, vaginal shortening, vaginal narrowing, dyspareunia and decreased libido as the most prevalent in both groups. After the protocol, the GAM showed a statistically significant improvement for stenosis, dryness, vaginal shortening, vaginal narrowing and decreased libido. Conclusion: Both gynecological complaints and muscle function had a statistically significant improvement in GAM, while aspects related to some domains of the sexual function questionnaire and regarding the perception of QOL showed similar results in both groups. (AU)
Descritores: Neoplasias do Colo do Útero
Modalidades de Fisioterapia
-Diafragma da Pelve
Saúde Sexual
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG



página 1 de 32 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde