Base de dados : LILACS
Pesquisa : A02.633.567.175 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 5 [refinar]
Mostrando: 1 .. 5   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 5 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Cardoso, Jefferson Rosa
Texto completo
Id: biblio-899441
Autor: Cezarino, Raíssa Sudré; Cardoso, Jefferson Rosa; Rodrigues, Kedma Neves; Magalhães, Yasmin Santana; Souza, Talita Yokoy de; Mota, Lícia Maria Henrique da; Bonini-Rocha, Ana Clara; McVeigh, Joseph; Martins, Wagner Rodrigues.
Título: Chronic low back pain in patients with systemic lupus erythematosus: prevalence and predictors of back muscle strength and its correlation with disability / Lombalgia crônica em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico: prevalência e preditores da força muscular de extensão de tronco e sua correlação com a incapacidade
Fonte: Rev. bras. reumatol;57(5):438-444, Sept.-Oct. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objective: To determine the prevalence of Chronic Low Back Pain and predictors of Back Muscle Strength in patients with Systemic Lupus Erythematosus. Methods: Cross-sectional study. Ninety-six ambulatory patients with lupus were selected by non-probability sampling and interviewed and tested during medical consultation. The outcomes measurements were: Point prevalence of chronic low back pain, Oswestry Disability Index, Tampa Scale of Kinesiophobia, Fatigue Severity Scale and maximal voluntary isometric contractions of handgrip and of the back muscles. Correlation coefficient and multiple linear regression were used in statistical analysis. Results: Of the 96 individuals interviewed, 25 had chronic low back pain, indicating a point prevalence of 26% (92% women). The correlation between the Oswestry Index and maximal voluntary isometric contraction of the back muscles was r = −0.4, 95% CI [−0.68; −0.01] and between the maximal voluntary isometric contraction of handgrip and of the back muscles was r = 0.72, 95% CI [0.51; 0.88]. The regression model presented the highest value of R 2 being observed when maximal voluntary isometric contraction of the back muscles was tested with five independent variables (63%). In this model handgrip strength was the only predictive variable (β = 0.61, p = 0.001). Conclusions: The prevalence of chronic low back pain in individuals with systemic lupus erythematosus was 26%. The maximal voluntary isometric contraction of the back muscles was 63% predicted by five variables of interest, however, only the handgrip strength was a statistically significant predictive variable. The maximal voluntary isometric contraction of the back muscles presented a linear relation directly proportional to handgrip and inversely proportional to Oswestry Index i.e. stronger back muscles are associated with lower disability scores.

Resumo Objetivo: Determinar a prevalência de lombalgia crônica (LBC) e os preditores de força muscular nas costas (FMC) em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico (LES). Métodos: Estudo transversal. Selecionaram-se 96 pacientes ambulatoriais com LES por amostragem não probabilística, entrevistados e testados durante consultas médicas. As medidas de desfecho foram: prevalência ocasional de LBC, Índice de Incapacidade de Oswestry, Escala Tampa para Cinesiofobia, Escala de Gravidade da Fadiga e contrações isométricas voluntárias máximas (CIVM) de preensão manual e dos músculos das costas. Usaram-se o coeficiente de correlação e a regressão linear múltipla na análise estatística. Resultados: Dos 96 indivíduos entrevistados, 25 apresentavam LBC, o que indicou uma prevalência circunstancial de 26% (92% mulheres). A correlação entre o Índice de Incapacidade de Oswestry e a contração isométrica voluntária máxima dos músculos das costas foi de r = -0,4, IC 95% [-0,68; -0,01] e entre a CIVM de preensão manual e dos músculos das costas foi de r = 0,72, IC 95% [0,51; 0,88]. O modelo de regressão apresentou o maior valor de R2 observado quando a CIVM dos músculos das costas foi testada com cinco variáveis independentes (63%). Nesse modelo, a força de preensão manual foi a única variável preditiva (ß = 0,61, p = 0,001). Conclusões: A prevalência de LBC em indivíduos com LES foi de 26%. A CIVM dos músculos das costas foi 63% prevista por cinco variáveis de interesse. No entanto, apenas a força de preensão manual foi uma variável preditiva estatisticamente significativa. A CIVM dos músculos das costas apresentou uma relação linear diretamente proporcional à força de preensão manual e inversamente proporcional ao Índice de Incapacidade de Oswestry (ou seja, músculos das costas mais fortes estão associados a menores pontuações de incapacidade).
Descritores: Dor Lombar/etiologia
Força Muscular
Dor Crônica/etiologia
Músculos do Dorso/fisiopatologia
Lúpus Eritematoso Sistêmico/complicações
-Modelos Lineares
Prevalência
Estudos Transversais
Fatores de Risco
Dor Lombar/diagnóstico
Dor Lombar/fisiopatologia
Dor Lombar/epidemiologia
Dor Crônica/diagnóstico
Dor Crônica/fisiopatologia
Dor Crônica/epidemiologia
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 5 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Almeida, Elia Claudia de Souza
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-965606
Autor: Silva, Manoel Pereira da; Reis, Luis Carlos dos; Almeida, Élia Cláudia de Souza; Duque, Ana Cristina da Rocha; Perez-Bóscollo, Adriana Cartafina; Etchebehere, Renata Margarida.
Título: Avaliação histológica do músculo grande dorsal submetido à expansão tecidual pós-infiltração com toxina botulínica: estudo experimental em ratas / Histological evaluation of latissimus dorsi muscle subjected to tissue expansion after infiltration with botulinum toxin: an experimental study in rats
Fonte: Rev. bras. cir. plást;33(3):399-403, jul.-set. 2018. ilus.
Idioma: en; pt.
Resumo: Os autores descrevem as alterações histológicas no músculo grande dorsal submetido à expansão após relaxamento com toxina botulínica e as possíveis correlações dos achados com os benefícios práticos como, por exemplo, aumento da complacência muscular e melhor acomodação da prótese. Foi empregado o modelo experimental, com dez ratas com peso médio de 300 g, mesma faixa etária, da cepa Wistar (Rattus norvegicus) e o músculo grande dorsal. Biópsias musculares foram feitas antes e após as expansões, no músculo normal, no grupo controle (apenas com expansores) e no grupo com expansores e toxina botulínica. Expansores de 3 centímetros cúbicos eram posicionados abaixo do músculo e expandidos com 0,3 mililitros de soro fisiológico semanalmente, por 10 semanas. Os cortes histológicos foram corados segundo as técnicas de Hematoxilina-eosina, para avaliação geral, e tricrômio de Masson para avaliação do tecido conjuntivo. As fibras musculares submetidas à expansão sob a ação da toxina botulínica apresentaram focos de fibrose e proliferação de vasos sanguíneos menos intensos que no grupo sem toxina botulínica e a diminuição do número de fibras musculares e a atrofia eram menores que no grupo que não utilizou a toxina. Os achados nos permitem presumir que a expansão muscular associada ao relaxamento com toxina botulínica preserva as características da musculatura esquelética, oferecendo melhor acomodação e proteção da prótese e facilitando a dinâmica da expansão, além de diminuir a dor.

The authors describe histological changes in the latissimus dorsi muscle submitted to expansion after relaxation with botulinum toxin. The possible practical benefits include increased muscle compliance and better accommodation of a prosthesis. The experimental model involved 10 Wistar rats (Rattus norvegicus) of the same age, with average weight of 300 g. Muscle biopsies before and after expansion were performed in normal muscle, in a control group (with expanders alone), and in a group with expanders and botulinum toxin. Expanders measuring 3 cm3 were positioned below the muscle and expanded with 0.3 ml of saline weekly, for 10 weeks. Histological sections were stained using hematoxylin-eosin for general evaluation and Masson's trichrome for evaluation of connective tissue. The muscle fibers submitted to expansion under the action of botulinum toxin showed less fibrosis and less intense proliferation of blood vessels than in the group without botulinum toxin, and the atrophy and reduction in the number of muscle fibers were less prominent than in the group that did not receive botulinum toxin. The findings suggest that muscle expansion associated with botulinum toxin relaxation preserves skeletal muscle characteristics by providing better accommodation and protection for a prosthesis and facilitating expansion dynamics; this method may also reduce pain.
Descritores: Expansão de Tecido/métodos
Técnicas Histológicas/métodos
Músculos do Dorso/anatomia & histologia
Músculos do Dorso/cirurgia
-Infiltração
Ratos Wistar
Toxinas Botulínicas Tipo A
Limites: Humanos
Animais
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR32.1 - Serviço de Biblioteca e Informação Biomédica


  3 / 5 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-795022
Autor: Dorta, Haron Silva.
Título: Relationship between the ischiotibial and paravertebral muscles and low back pain / Relação entre os músculos isquiotibiais e paravertebrais com a lombalgia / Relación entre los músculos isquiotibiales y paravertebrales con la lumbalgia
Fonte: Coluna/Columna;15(3):241-243, July-Sept. 2016.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Low back pain or lumbago is a painful condition that affects an increasing number of people around the world and has numerous causal factors. Among these factors, the most distinctive are muscle imbalances, weakness of paravertebral muscles and shortening of ischiotibial muscles. The role of these muscle groups is still controversial and not fully explained in the literature. Thus, a survey was conducted in the SciELO, LILACS, MEDLINE, and PubMed databases in the last decade (2003-2013), using as keywords: hamstrings, low back pain, lumbago, and paravertebral. The works found confirm that, according to the methodology, weakness in paravertebral muscles is of great importance to the development of low back pain as well as the shortening of the ischiotibial muscles, which are directly related to this factor.

RESUMO A dor lombar ou lombalgia é um quadro álgico que acomete um número cada vez maior de pessoas em todo o mundo e tem inúmeros fatores causais. Entre esses fatores, os que mais se destacam são desequilíbrios musculares, fraqueza dos paravertebrais e encurtamentos de isquiotibiais. O papel desses grupos musculares ainda é controverso e não está totalmente esclarecido na literatura. Desta maneira, foi realizada uma pesquisa nas bases de dados SciELO, LILACS, MEDLINE e PUBMED na última década (2003 a 2013), utilizando-se como descritores: isquiotibiais, lombalgia, dor lombar e paravertebrais. Os trabalhos encontrados confirmam que, de acordo com a metodologia empregada, a fraqueza dos músculos paravertebrais é de grande relevância para o desenvolvimento das dores lombares, assim como os encurtamentos dos isquiotibiais, que estão diretamente relacionados a esse fator.

RESUMEN El dolor lumbar o lumbago es una condición dolorosa que afecta a un número creciente de personas en todo el mundo y tiene numerosos factores causales. Entre estos factores, los que se destacan son los desequilibrios musculares, debilidad de los músculos paravertebrales y el acortamiento de los músculos isquiotibiales. El papel de estos grupos musculares aún es controvertido y no se explican completamente en la bibliografía. Por lo tanto, se realizó una encuesta en las bases de datos SciELO, LILACS, MEDLINE y PubMed en la última década (2003-2013), utilizando como descriptores: isquiotibiales, dolor de la región lumbar, lumbago y paravertebrales Los trabajos encontrados confirman que, de acuerdo con la metodología empleada, la debilidad de los músculos paravertebrales es de gran importancia para el desarrollo de dolor lumbar, así como el acortamiento de los isquiotibiales, los cuales están directamente relacionados con este factor.
Descritores: Músculos Isquiossurais/anatomia & histologia
-Dor Lombar
Músculos do Dorso
Músculos Paraespinais
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  4 / 5 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-909206
Autor: Leonardi, Niltiane da Veiga; Kohl, Leandro de Moraes; Silva, Lincoln da; Orsolin, Emanueli Broch; Sturmer, Giovani; Borges Júnior, Noé Gomes; Carvalho, Themis Goretti Moreira Leal de.
Título: Perfil da musculatura extensora lombar de trabalhadores rurais na atividade leiteira / Lumbar extensor muscle profile of rural milk production workers
Fonte: Rev. bras. med. trab;16(2):128-135, abr.-jun-2018.
Idioma: en; pt.
Resumo: Introdução: A atividade leiteira é um sistema de trabalho que envolve diversas tarefas, que vão desde o manejo com o gado, alimentação, ordenha, até o consumo do produto final. A dinamometria isométrica de extensão lombar tem sido descrita como um bom instrumento de avaliação e acompanhamento laboral, sobretudo de populações que exercem muita força para desempenhar suas atividades. Objetivo: Avaliar a força isométrica de extensão lombar de produtores rurais na atividade leiteira. Métodos: A amostra contou com 47 trabalhadores rurais que exercem atividade leiteira cadastrados na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural do Rio Grande do Sul, que foram avaliados por meio de questionário sociodemográfico e testaram a força muscular de extensão lombar por meio de um sistema de dinamometria isométrica. Resultados: Participaram do estudo 20 homens com idade média de 50,45±9,44 anos e 27 mulheres com idade média de 46,15±7,56 anos. Quanto à força isométrica de extensão lombar, o grupo masculino alcançou 1169±289,96 N e o grupo feminino 571,34±190,36 N. Conclusão: Podemos concluir que o perfil da musculatura extensora lombar de trabalhadores rurais na atividade leiteira alcança valores superiores em indivíduos do gênero masculino, o que pode ser atribuído ao fato de homens apresentarem maiores níveis de massa corporal e consequentemente gerarem maior força

Background: Milk production is a work system that comprises several tasks from cattle handling, feeding and milking to product consumption. Isometric lumbar extension dynamometry is considered a satisfactory instrument for occupational evaluation and monitoring, especially for populations of workers whose activities demand high levels of strength. Objective: To investigate isometric lumbar extension strength among rural milk production workers. Methods: The sample comprised 47 rural milk production workers affiliated with the Technical Assistance and Rural Outreach Company/Southern Credit and Rural Assistance Company (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural ­ EMATER/ASCAR), Rio Grande do Sul, Brazil. The participants were analyzed based on a sociodemographic questionnaire and lumbar extensor muscle strength testing by means of an isometric dynamometry system. Results: Participants were 20 men with average age 50.45±9.44 years old and 27 women with average age 46.15±7.56 years old. The isometric lumbar extension strength was 1,169±289.96 N for the men and 571.34±190.36 N for the women. Conclusion: The lumbar extensor muscle profile of rural milk production workers was characterized by higher values for the men, which might be attributed to the fact that men exhibit higher body mass levels, and consequently produce greater force
Descritores: Trabalhadores Rurais
Indústria de Laticínios
Dinamômetro de Força Muscular
Músculos do Dorso
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 5 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-776945
Autor: Menchon, J; Demichelli, A; Sanchez Carpio, C.
Título: Ensayo acerca del músculo subescapular: morfología, función y exploración clínica / Essay about subscapularis muscule: morphology, function and clinical examination
Fonte: Rev. arg. morfol;3(1):23-27, 2014. ilus.
Idioma: es.
Resumo: El músculo subescapular es de forma triangular aplanada,situado profundamente en la cara anterior de la escápula,en la fosa subescapular, se inserta en el labioanterior del borde medial de la escápula por delante delserrato anterior; en toda la superficie anterior de la caraanterior del hueso. Es el más grande de los cuatro músculosdel manguito rotador. Clásicamente se analiza lafunción del subescapular así como las demás estructurasdel hombro de una forma muy simplificada, en gestosfuncionales las exigencias y la complejidad son elevadas.El músculo subescapular es una estructura blanda,esta condición determina que el dolor percibido anteuna lesión sea referido, es decir que existe una discrepanciaentre el sitio donde se percibe el dolor y el sitio dela lesión. La lesión en él puede ser difícil de localizar acausa de esto y debido a que suele estar asociada a lade otras estructuras del manguito rotador, aunque hayvarias estrategias semiológicas para identificarlo comoestructura afectada. El músculo subescapular es unaestructura estabilizadora clave en la función normal delhombro...

The subscapularis muscle has a triangular flattenislocated deep in the front of the scapula, in the subscapularfossa, is inserted into the anterior lip of the medial borderof the scapula ahead serratus anterior, across the anteriorsurface of the anterior bone.The subscapularismuscle is the biggest of the four muscles of the rotatorcuff. Traditionally, it is analysed as regards the function ofthe subscapularis, as well as the others structures of theshoulder in a very simplify way in functional gestures therequirement and the complexity are high. The subscapularis muscle is a soft structure, this conditiondetermines that the perceived pain before an injury bereferred to, that is to say, there is divergence between theplace where the pain is perceived and the place wherethe damage is. The injury in it can be difficult to pinpointas a result of this, because of this, the injure can beassociated to other structures to the rotator cuff; eventhough, there are some semiological strategies to identifythe structures involved. The subscapularis muscle is akey stabilising structure in the normal function of the shoulder...
Descritores: Músculos do Dorso
Escápula/anatomia & histologia
Escápula/patologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: AR32.1 - Biblioteca Prof. Dr. J. M. Allende



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde