Base de dados : LILACS
Pesquisa : A02.633.567.175.750 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 9 [refinar]
Mostrando: 1 .. 9   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 9 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-977420
Autor: Yayik, Ahmet Murat; Ahiskalioglu, Ali; Çelik, Erkan Cem; Ay, Aysenur; Ozenoglu, Atila.
Título: Continuous erector spinae plane block for postoperative analgesia of multiple rib fracture surgery: case report / Bloqueio do plano do eretor da espinha para analgesia pós-operatória de cirurgia de fratura de múltiplas costelas: relato de caso
Fonte: Rev. bras. anestesiol;69(1):91-94, Jan.-Feb. 2019. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: The erector spinae plane block is a newly described and effective interfascial plane block for thoracic and abdominal surgery. This case report describes a patient with multiple rib fractures undergoing ultrasound-guided continuous erector spinae plane block for analgesia. Case report: A 37-year-old male patient was taken for surgical fixation of multiple rib fractures. At the end of the surgery, using ultrasound-guided longitudinal parasagittal orientation 3 cm to the lateral aspect of the T5 spinous process and an in-plane technique, 20 mL 0.25% bupivacaine was administered between the erector spinae muscle and the transverse process, and a catheter was then inserted in the same plane. Before the end of surgery, 1 g paracetamol and 50 mg dexketoprofen were administered. Postoperative analgesia was applied with patient controlled analgesia method using 0.25% bupivacaine via the catheter. The patient's Visual Analogue Scale score at rest in the first 24 h was 0. The patient was monitored for 3 days with Visual Analogue Scale < 4, and the catheter was removed on postoperative day 4. No opioid requirement other than paracetamol and dexketoprofen occurred during this time. No postoperative complications were recorded. Discussion: The erector spinae plane block is an alternative to paravertebral, intercostal, epidural or other regional techniques. It may be a suitable technique in anesthesia and algology practice due to providing analgesia in the postoperative period with a catheter in the erector spinae plane.

Resumo Introdução: O bloqueio do plano do eretor da espinha é um bloqueio do plano interfacial recentemente descrito e eficaz para cirurgia torácica e abdominal. Neste relato descrevemos o caso de um paciente com fratura de múltiplas costelas, submetido ao bloqueio contínuo do plano do eretor da espinha guiado por ultrassom para analgesia. Relato de caso: Paciente do sexo masculino, 37 anos, encaminhado para fixação cirúrgica de fratura de múltiplas costelas. Ao final da cirurgia, usando a orientação parassagital longitudinal guiada por ultrassom 3 cm em relação à face lateral do processo espinhoso T5 e a técnica no plano, 20 ml de bupivacaína a 0,25% foram administrados entre o músculo eretor da espinha e o processo transverso, e um cateter foi então inserido no mesmo plano. Antes do final da cirurgia, 1 g de paracetamol e 50 mg de dexcetoprofeno foram administrados. A analgesia pós-operatória foi aplicada com o método de analgesia controlada pelo paciente, com bupivacaína a 0,25% via cateter. Na Escala Visual Analógica, o escore do paciente em repouso nas primeiras 24 h foi zero. O paciente foi monitorado por três dias com a Escala Visual Analógica < 4, e o cateter foi removido no quarto dia de pós-operatório. Exceto por paracetamol e dexcetoprofeno, não houve necessidade de outro agente opioide durante esse tempo. Não houve registro de complicação pós-operatória. Discussão: O bloqueio do plano do eretor da espinha é uma alternativa às técnicas paravertebrais, intercostais, epidurais ou outras técnicas regionais. Pode ser uma técnica adequada na prática de anestesia e algologia devido ao fornecimento de analgesia no período pós-operatório mediante um cateter no plano do eretor da espinha.
Descritores: Dor Pós-Operatória/terapia
Fraturas das Costelas/cirurgia
Manejo da Dor/métodos
Fraturas Múltiplas/cirurgia
Analgesia/métodos
Bloqueio Nervoso/métodos
-Músculos Paraespinais
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1013412
Autor: Altıparmak, Başak; Korkmaz Toker, Melike; Uysal, Ali İhsan; Gümüş Demirbilek, Semra.
Título: Ultrasound guided erector spinae plane block for postoperative analgesia after augmentation mammoplasty: case series / Bloqueio do plano eretor da espinha guiado por ultrassom para analgesia pós-operatória em mamoplastia de aumento: série de casos
Fonte: Rev. bras. anestesiol;69(3):307-310, May-June 2019. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Augmentation mammoplasty is the third most frequently performed esthetic surgical procedure worldwide. Breast augmentation with prosthetic implants requires the insertion of an implant under breast tissue, which causes severe pain due to tissue extension and surgical trauma to separated tissues. In this case series, we present the successful pain management of six patients with ultrasound-guided Erector Spinae Plane block after augmentation mammoplasty. In the operating room, all patients received standard monitoring. While the patients were sitting, the anesthesiologist performed bilateral ultrasound-guided erector spinae plane block at the level of T5. Bupivacaine (0.25%, 20 mL) was injected deep to the erector spinae muscle. Then, induction of anesthesia was performed with propofol, fentanyl, and rocuronium bromide. All patients received intravenous dexketoprofen trometamol for analgesia. The mean operation time was 72.5±6 min and none of the patients received additional fentanyl. The mean pain scores of the patients were 1, 2, 2, and 2 at the postoperative 5th, 30th, 60th and 120th minutes, respectively. At the postoperative 24th hour, the mean Numerical Rating Scale score was 1. The mean intravenous tramadol consumption was 70.8±15.3 mg in the first 24 h. None of the patients had any complications related to erector spinae plane block.

Resumo A mamoplastia de aumento é o terceiro procedimento cirúrgico estético mais feito em todo o mundo. A cirurgia com implantes protéticos requer a inserção de um implante sob o tecido mamário, o que causa dor intensa devido à extensão do tecido e trauma cirúrgico aos tecidos separados. Nesta série de casos, apresentamos o manejo bem-sucedido da dor em seis pacientes com bloqueio do plano eretor da espinha guiado por ultrassom (US-ESP) após mamoplastia de aumento. Na sala de cirurgia, todas as pacientes receberam monitoramento padrão. Enquanto as pacientes estavam sentadas, o anestesiologista fez o bloqueio US-ESP bilateral no nível de T5. Bupivacaína (0,25%, 20 mL) foi injetada entre os músculos romboide maior e eretor da espinha. Em seguida, a indução anestésica foi feita com propofol, fentanil e rocurônio. Todas as pacientes receberam dexcetoprofeno trometamol por via venosa para analgesia. O tempo médio de operação foi de 72,5 ± 6 minutos e nenhuma das pacientes recebeu fentanil adicional. Os escores médios de dor das pacientes foram 1, 2, 2 e 2 no 5°, 30°, 60° e 120° minutos de pós-operatório, respectivamente. No 24° dia de pós-operatório, o escore médio da Escala de Avaliação Numérica (NRS) foi 1. O consumo médio de tramadol foi de 40 ± 33,4 mg nas primeiras 24 horas. Nenhuma das pacientes apresentou complicações relacionadas ao bloqueio US-ESP.
Descritores: Dor Pós-Operatória/prevenção & controle
Implante Mamário/métodos
Bloqueio Nervoso/métodos
-Tramadol/administração & dosagem
Bupivacaína/administração & dosagem
Ultrassonografia de Intervenção/métodos
Músculos Paraespinais
Analgésicos Opioides/administração & dosagem
Anestésicos Locais/administração & dosagem
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-977415
Autor: Cassai, Alessandro De; Tonetti, Tommaso; Galligioni, Helmut; Ori, Carlo.
Título: Erector spinae plane block as a multiple catheter technique for open esophagectomy: a case report / Bloqueio do plano do eretor da espinha com técnica de múltiplos cateteres para esofagectomia aberta: relato de caso
Fonte: Rev. bras. anestesiol;69(1):95-98, Jan.-Feb. 2019. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objective: Erector spinae plane block is a valid technique to provide simultaneously analgesia for combined thoracic and abdominal surgery. Case report: A patient underwent open esophagectomy followed by reconstructive esophagogastroplasty but refused thoracic epidural analgesia; a multi-modal analgesia with a multiple erector spinae plane block was then planned. Three erector spinae plane catheters (T5 and T10 on the right side and T9 on the left side) for continuous analgesia were placed before surgery. During the first 48 h pain was never reported in the thoracic area but the patient reported multiple times to feel a pain well localized in epigastrium, but never localized in any other abdominal quadrant. Discussion: Erector spinae plane block is a valid technique to provide analgesia simultaneously for combined thoracic and abdominal surgery and could be a valid alternative strategy if the use of epidural analgesia is contraindicated.

Resumo Justificativa e objetivo: O bloqueio do plano do eretor da espinha é uma técnica válida para fornecer analgesia em cirurgias combinadas, torácica e abdominal, de modo simultâneo. Relato de caso: Um paciente foi submetido à esofagectomia aberta seguida de esofagogastroplastia reconstrutiva, mas recusou analgesia peridural torácica; uma analgesia multimodal com o bloqueio dos múltiplos segmentos do eretor da espinha foi então planejada. Três cateteres foram colocados no plano do eretor da espinha (T5 e T10 no lado direito e T9 no lado esquerdo) para analgesia contínua antes da cirurgia. Durante as primeiras 48 horas, não houve queixa de dor na área torácica, mas várias vezes o paciente relatou sentir uma dor bem localizada no epigástrio, mas nunca localizada em qualquer outro quadrante abdominal. Discussão: O bloqueio do plano do eretor da espinha é uma técnica válida para fornecer analgesia de modo simultâneo em cirurgias combinadas - torácica e abdominal - e pode ser uma estratégia opcional também válida nos casos em que o uso de analgesia peridural for contraindicado.
Descritores: Dor Pós-Operatória/prevenção & controle
Esofagectomia/métodos
Analgesia/métodos
Bloqueio Nervoso/métodos
-Cateteres
Músculos Paraespinais
Bloqueio Nervoso/instrumentação
Limites: Humanos
Masculino
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1057462
Autor: Lin, Cheng; Gill, Rajwinder; Kumar, Kamal.
Título: Bilateral lower thoracic erector spinae plane block in open abdominal gynecologic oncology surgery: a cases series / Bloqueio bilateral do plano eretor da espinha torácica inferior em cirurgia oncológica ginecológica aberta por via abdominal: série de casos
Fonte: Rev. bras. anestesiol;69(5):517-520, Sept.-Oct. 2019. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objective and background: Erector spinae plane block is a novel analgesic truncal block that has been popularized due to its ease of performance and perceived safety. Erector spinae plane block has been postulated to target the ventral rami and rami communicates of spinal nerves, thus providing somatic and visceral analgesia. In this case series, we describe our experience of bilateral erector spinae plane block placed at the low thoracic level in open gynecologic oncology surgery in three patients. Method: Under ultrasound guidance, erector spinae plane blocks were done, preoperatively, at the 8th thoracic transverse process bilaterally. Numeric rating scale for pain and opioid consumption of the first 48 postoperative hours were recorded. Results: Pain scores ranged from 0 to 4 among the three patients and 48 h opioid consumption in oral morphine equivalents of 4, 6 and 18 mg. No adverse events were recorded up to patient discharge from the hospital. Conclusions: Erector spinae plane block provided effective analgesia in our case series. While its true mechanism of action remains obscure, the available case reports show encouraging analgesic results with no adverse events recorded. Formal prospective randomized trials are underway to provide further evidence on its efficacy, failure rate and safety.

Resumo Justificativa e objetivo: O bloqueio do plano do músculo eretor da espinha é um novo bloqueio troncular analgésico popularizado devido à sua facilidade de aplicação e segurança percebida. O bloqueio do plano do músculo eretor da espinha foi postulado para atingir os ramos ventrais e os ramos comunicantes dos nervos espinhais, proporcionando analgesia somática e visceral. Nesta casuística, descrevemos nossa experiência com o bloqueio do plano do músculo eretor da espinha bilateral depositado no nível torácico inferior em cirurgia oncológica ginecológica aberta em três pacientes. Método: Os bloqueios do plano do músculo eretor da espinha guiados por ultrassom foram administrados no pré-operatório, entre o 8° e o 10° processo transverso do tórax bilateralmente. Os valores de uma escala de classificação numérica para dor e consumo de opioides nas primeiras 48 horas de pós-operatório foram registrados. Resultados: Os escores de dor variaram de 0-4 entre as três pacientes e o consumo de opioide em 48 horas equivaleu à morfina oral (4, 6 e 18 mg). Nenhum evento adverso foi registrado até a alta hospitalar das pacientes. Conclusões: O bloqueio do plano do músculo eretor da espinha proporcionou analgesia efetiva em nossa casuística. Embora o mecanismo de ação verdadeiro permaneça obscuro, os relatos de casos disponíveis mostram resultados analgésicos encorajadores, sem eventos adversos registrados. Ensaios prospectivos randômicos formais estão em andamento para fornecer mais evidências sobre sua eficácia, taxa de falha e segurança.
Descritores: Salpingo-Ooforectomia
Histerectomia
Bloqueio Nervoso/métodos
-Músculos Paraespinais
Limites: Humanos
Feminino
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Marziale, Maria Helena Palucci
Texto completo
Id: lil-714840
Autor: Petersen, Rafael de Souza; Marziale, Maria Helena Palucci.
Título: Low back pain characterized by muscle resistance and occupational factors associated with nursing / Lombalgia caracterizada pela resistência da musculatura e fatores ocupacionais associados à enfermagem / Lumbalgia caracterizada por la resistencia de la musculatura y factores ocupacionales asociados a la enfermería
Fonte: Rev. latinoam. enferm. (Online);22(3):386-393, May-Jun/2014. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: to identify the occupational factors associated with low back pain using a surveillance tool and to characterize the low back pain by the resistance of the extensor muscles of the vertebral column among nursing professionals at an Intensive Care Unit. METHODS: Cross-sectional study. The workers answered a questionnaire about occupational factors and participated in a resistance test of the extensor muscles of the vertebral column. Associations were established through Student's T-test or Mann-Whitney's U-test and correlations using Pearson's test. RESULTS: Out of 48 participants, 32 (67%) suffered from low pain. For the resistance test, the subjects suffering from low back pain endured less time in comparison with asymptomatic subjects, but without significant differences (p=0.147). The duration of the pain episode showed a significant negative correlation (p=0.016) with the results of the resistance test though. The main factors identified as causes of low back pain were biomechanical and postural elements, conditions of the muscle structure and physical and organizational conditions. CONCLUSIONS: the main occupational factors associated with the low back pain were the posture and the characteristics of the physical and organizational conditions. In addition, the extensor muscles of the column showed a trend towards lesser resistance for workers in pain. This evidence is important when considering prevention and treatment strategies. .

OBJETIVO: identificar os fatores ocupacionais associados à lombalgia, por meio de uma ferramenta de vigilância, e caracterizar lombalgia pela resistência dos músculos extensores lombares, entre profissionais de enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva. MÉTODOS: estudo transversal. As profissionais responderam questionário abordando fatores ocupacionais e realizaram um teste de resistência dos músculos extensores da coluna. Associações foram verificadas pelo teste t de Student ou teste de Mann-Whitney e as correlações pelo teste de Pearson. RESULTADOS: dos 48 participantes, 32 (67%) tinham lombalgia. Para o teste de resistência, os sujeitos lombálgicos permaneceram menos tempo em comparação com os sujeitos assintomáticos, mas não houve diferenças significantes (p=0,147). Contudo, a duração do episódio lombar mostrou correlação negativa significante (p=0,016) com os resultados do teste de resistência. Os principais fatores identificados como causador de lombalgia foram elementos biomecânicos e posturais, condições da estrutura muscular, e condições físicas e organizacionais. CONCLUSÕES: os principais fatores ocupacionais associados à lombalgia foram postura e características de condições físicas e organizacionais. Além disso, os extensores da coluna mostraram tendência a apresentar menor resistência entre as profissionais com dor, sendo essa evidência importante quando estratégias de prevenção e tratamento são consideradas. .

OBJETIVO: identificar los factores ocupacionales asociados a la lumbalgia mediante una herramienta de vigilancia y caracterizar lumbalgia por la resistencia de los músculos extensores lumbares entre profesionales de enfermería en Unidad de Terapia Intensiva. MÉTODOS: estudio trasversal. Las profesionales respondieron a un cuestionario sobre factores ocupacionales y participaron en un test de resistencia de los músculos extensores de la columna. Asociaciones fueron verificadas mediante el test T de Student o test de Mann-Whitney (U) y las correlaciones mediante el test de Pearson. RESULTADOS: de los 48 participantes, 32 (67%) sufrían de lumbalgia. Para el test de resistencia, los sujetos con lumbalgia siguieron menos tiempo comparados con los sujetos asintomáticos, pero sin diferencias significantes (p=0.147). Sin embargo, la duración del episodio lumbar mostró una correlación negativa significante (p=0.016) con los resultados del test de resistencia. Los principales factores identificados como causador de lumbalgia fueron elementos biomecánicos y posturales, condiciones de la estructura muscular, y condiciones físicas y organizacionales. CONCLUSIONES: el principal factor ocupacional asociado a la lumbalgia fueron postura y características de condiciones físicas y organizacionales. Además, los extensores de la columna mostraron una tendencia a mostrar menor resistencia entre las profesionales con dolor, siendo esta evidencia importante cuando estrategias de prevención y tratamiento son consideradas. .
Descritores: Dor Lombar/fisiopatologia
Dor Lombar/epidemiologia
Músculos Paraespinais/fisiopatologia
-Exame Físico
Estudos Transversais
Fatores de Risco
Dor Lombar/etiologia
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-886903
Autor: AYUSO, DOLORES; GONZÁLEZ, ANA; PEÑA, FRANCISCO; IZQUIERDO, MERCEDES.
Título: Changes in adipose cells of Longissimus dorsi muscle in Iberian pigs raised under extensive conditions
Fonte: An. acad. bras. ciênc;90(1):247-253, Mar. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Twenty-four Iberian castrated male pigs were used to characterize and evaluate the effect of the duration of "Montanera" in the adipocytes size and its relation with the backfat thickness and intramuscular fat. The animals were fed under extensive conditions during 30, 60 and 90 days in the "Dehesa" before slaughtered. Carcass weight, percentage of intramuscular fat, thickness of backfat and its three layers and adipocytes size of the intramuscular fat were obtained. The group which expended 90 days on fattening obtained the highest adipocytes, with an area higher by a 50% than those that only expended 30 days. The differences in diameter and perimeter adipocyte were not as marked as area. A significant positive correlation between the diameter, area and perimeter of adipocyte with the backfat thickness were found. The fat cells in Iberian pig hypertrophy during the "montanera stage", being this increase significant from month to month in this period of fattening. Also, this adipocyte increase is correlated with the animal weight. The correlation between adipocyte size and inner layer of backfat shows that the inner layer obtained in live pig by ultrasound techniques could be a good marker of fat infiltration in pigs fattening in "montanera" system.
Descritores: Composição Corporal/fisiologia
Tecido Adiposo/fisiologia
Adipócitos/fisiologia
Músculos Paraespinais/anatomia & histologia
-Suínos
Fatores de Tempo
Peso Corporal
Tecido Adiposo/diagnóstico por imagem
Adipócitos/citologia
Crescimento Celular
Dieta/veterinária
Ração Animal
Limites: Animais
Masculino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-795022
Autor: Dorta, Haron Silva.
Título: Relationship between the ischiotibial and paravertebral muscles and low back pain / Relação entre os músculos isquiotibiais e paravertebrais com a lombalgia / Relación entre los músculos isquiotibiales y paravertebrales con la lumbalgia
Fonte: Coluna/Columna;15(3):241-243, July-Sept. 2016.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Low back pain or lumbago is a painful condition that affects an increasing number of people around the world and has numerous causal factors. Among these factors, the most distinctive are muscle imbalances, weakness of paravertebral muscles and shortening of ischiotibial muscles. The role of these muscle groups is still controversial and not fully explained in the literature. Thus, a survey was conducted in the SciELO, LILACS, MEDLINE, and PubMed databases in the last decade (2003-2013), using as keywords: hamstrings, low back pain, lumbago, and paravertebral. The works found confirm that, according to the methodology, weakness in paravertebral muscles is of great importance to the development of low back pain as well as the shortening of the ischiotibial muscles, which are directly related to this factor.

RESUMO A dor lombar ou lombalgia é um quadro álgico que acomete um número cada vez maior de pessoas em todo o mundo e tem inúmeros fatores causais. Entre esses fatores, os que mais se destacam são desequilíbrios musculares, fraqueza dos paravertebrais e encurtamentos de isquiotibiais. O papel desses grupos musculares ainda é controverso e não está totalmente esclarecido na literatura. Desta maneira, foi realizada uma pesquisa nas bases de dados SciELO, LILACS, MEDLINE e PUBMED na última década (2003 a 2013), utilizando-se como descritores: isquiotibiais, lombalgia, dor lombar e paravertebrais. Os trabalhos encontrados confirmam que, de acordo com a metodologia empregada, a fraqueza dos músculos paravertebrais é de grande relevância para o desenvolvimento das dores lombares, assim como os encurtamentos dos isquiotibiais, que estão diretamente relacionados a esse fator.

RESUMEN El dolor lumbar o lumbago es una condición dolorosa que afecta a un número creciente de personas en todo el mundo y tiene numerosos factores causales. Entre estos factores, los que se destacan son los desequilibrios musculares, debilidad de los músculos paravertebrales y el acortamiento de los músculos isquiotibiales. El papel de estos grupos musculares aún es controvertido y no se explican completamente en la bibliografía. Por lo tanto, se realizó una encuesta en las bases de datos SciELO, LILACS, MEDLINE y PubMed en la última década (2003-2013), utilizando como descriptores: isquiotibiales, dolor de la región lumbar, lumbago y paravertebrales Los trabajos encontrados confirman que, de acuerdo con la metodología empleada, la debilidad de los músculos paravertebrales es de gran importancia para el desarrollo de dolor lumbar, así como el acortamiento de los isquiotibiales, los cuales están directamente relacionados con este factor.
Descritores: Músculos Isquiossurais/anatomia & histologia
-Dor Lombar
Músculos do Dorso
Músculos Paraespinais
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  8 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-838946
Autor: Frigo, Letícia Fernandez; Cielo, Carla Aparecida; Lima, Joziane Padilha de Moraes; Braz, Melissa Medeiros.
Título: Centro de força corporal, tempos máximos de fonação e pressão sonora de um grupo de mulheres saudáveis / Body power center, maximum phonation time and sound pressure of healthy women
Fonte: Audiol., Commun. res;22:e1685, 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Introdução O recrutamento muscular é essencial para a manutenção do sistema respiratório e, em condições fisiopatológicas, reduz sua força muscular, levando à diminuição das pressões respiratórias e pressão aérea subglótica. Objetivo: Verificar e correlacionar a ativação da musculatura que compõe o centro de força corporal, os tempos máximos de fonação e a pressão sonora de mulheres adultas. Métodos Coleta do tempo máximo de fonação de /a/ e pressão sonora modal; avaliação da ativação do músculo transverso do abdome, multífido, assoalho pélvico e da pressão expiratória máxima de dez mulheres de 19 a 28 anos, sem queixas vocais e sem afecções laríngeas diagnosticadas por otorrinolaringologista. Foi aplicado o teste de Spearman. Resultados Cem por cento de ativação satisfatória do transverso do abdome; correlação positiva não significativa entre a pressão sonora, o tempo máximo de fonação e os valores de pressão expiratória máxima; maioria das mulheres com tempo máximo de fonação de /a/ discretamente abaixo do esperado e pressão sonora com valores dentro do esperado; ativação satisfatória do multífido, musculatura do assoalho pélvico e escala de Oxford, com correlação positiva, mas não significativa. Conclusão Neste grupo de mulheres adultas sem queixas vocais e sem afecções laríngeas, não foi verificada correlação entre a ativação da musculatura que compõe o centro de força corporal, os tempos máximos de fonação e a pressão sonora. No entanto, a maioria das mulheres apresentou ativação muscular satisfatória e, ao mesmo tempo, valores discretamente abaixo da normalidade para tempo máximo de fonação e normais, para pressão sonora.

ABSTRACT Introduction Muscle recruitment is essential for the maintenance of the respiratory system, which under pathophysiological conditions reduces its muscular strength, leading to a decrease in respiratory pressures and subglot air pressure. Purpose To investigate the correlation among muscle activation that makes up the center of physical force, the maximum phonation time and the sound pressure of adult women. Methods Collection of maximum phonation time of /a/ and modal sound pressure; assessment of muscle activation transversus, multifidus, pelvic floor and maximal expiratory pressure of ten women (19-28 years old) without vocal complaints and without laryngeal disorders diagnosed by otolaryngologist. The Spearman test was applied. Results A hundred per cent satisfactory activation of the transversus belly, no significant positive correlation among sound pressure, maximum phonation time and the maximal expiratory pressure values; majority of women with maximum phonation time of /a/ slightly below expectations and sound pressure values within the expected activation and satisfactory the multifidus, perineal muscles and Oxford scale, with positive correlation, but not significant. Conclusion Among adult women without vocal complaints and no laryngeal disorders studied, no correlation was found among the activation of the muscles that make up the center of physical force, maximum phonation time and the sound pressure, although most women has made satisfactory muscle activation and while slightly below normal values for maximum phonation time and normal sound pressure.
Descritores: Pressões Respiratórias Máximas
Força Muscular/fisiologia
Fonação/fisiologia
-Músculos Abdominais
Músculos Paraespinais
Diafragma da Pelve
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 9 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-797889
Autor: Wu, H; Zhao, DX; Jiang, R; Zhou, XY.
Título: Surgical treatment of Denis type B thoracolumbar burst fracture with neurological deficiency by paraspinal approach
Fonte: Braz. j. med. biol. res = Rev. bras. pesqui. méd. biol;49(11):e5599, 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: We aimed to describe the surgical technique and clinical outcomes of paraspinal-approach reduction and fixation (PARF) in a group of patients with Denis type B thoracolumbar burst fracture (TLBF) with neurological deficiencies. A total of 62 patients with Denis B TLBF with neurological deficiencies were included in this study between January 2009 and December 2011. Clinical evaluations including the Frankel scale, pain visual analog scale (VAS) and radiological assessment (CT scans for fragment reduction and X-ray for the Cobb angle, adjacent superior and inferior intervertebral disc height, and vertebral canal diameter) were performed preoperatively and at 3 days, 6 months, and 1 and 2 years postoperatively. All patients underwent successful PARF, and were followed-up for at least 2 years. Average surgical time, blood loss and incision length were recorded. The sagittal vertebral canal diameter was significantly enlarged. The canal stenosis index was also improved. Kyphosis was corrected and remained at 8.6±1.4o (P>0.05) 1 year postoperatively. Adjacent disc heights remained constant. Average Frankel grades were significantly improved at the end of follow-up. All 62 patients were neurologically assessed. Pain scores decreased at 6 months postoperatively, compared to before surgery (P<0.05). PARF provided excellent reduction for traumatic segmental kyphosis, and resulted in significant spinal canal clearance, which restored and maintained the vertebral body height of patients with Denis B TLBF with neurological deficits.
Descritores: Fixação Interna de Fraturas/métodos
Vértebras Lombares/lesões
Músculos Paraespinais/lesões
Fraturas da Coluna Vertebral/cirurgia
Vértebras Torácicas/lesões
-Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde