Base de dados : LILACS
Pesquisa : A02.835.232.087.319 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 18 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 18 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-877748
Autor: Silva, Jefferson Braga; Rodriguez Muñiz, Alan; Ferdinando, Márcio Pereira Lima; Ramos, Renato Franz Matta.
Título: Trauma complexo da mão parte II: lesão óssea, amputação e reimplante, perda de substância dos dedos, lesão da polpa digital e lesão ungueal / Complex trauma of the hand, part II: bone injury, amputation and replantation, loss of fi nger substance, digital pulp injury and nail injury
Fonte: Rev. AMRIGS;58(4):291-301, out.-dez. 2014. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O trauma da mão representa uma das lesões que com maior frequência pode deixar sequelas funcionais importantes. A idade mais afetada é a economicamente ativa. Valorizamos o conhecimento adequado do primeiro atendimento e do manejo das lesões mais frequentes na mão traumatizada. Nesta segunda parte, serão abordados os fundamentos e conceitos considerados como essenciais na lesão óssea, amputações e reimplantes, perda de substância na mão, lesão da polpa digital e do complexo ungueal. Procuramos orientar a conduta dos médicos nas diversas situações clínico-cirúrgicas para diminuir o grau de complicações e sequelas (AU)

Hand trauma is one of the injuries that can most often leave important functional sequelae. The most affected age group is economically active people. We appreciate proper knowledge of the initial treatment and management of the most common injuries in the traumatized hand. In this second part we address the fundamentals and concepts considered essential in bone injury, amputation and replantation, loss of substance in the hand, and injuries of digital pulp and ungual complex. We aim to guide the conduct of physicians in different clinical and surgical situations to reduce the degree of complications and sequelae (AU)
Descritores: Amputação Traumática/cirurgia
Traumatismos dos Dedos/terapia
Fraturas Ósseas/cirurgia
Traumatismos da Mão/cirurgia
Reimplante
-Osso e Ossos/cirurgia
Transplante Ósseo
Falanges dos Dedos da Mão/transplante
Dedos/cirurgia
Fratura-Luxação/terapia
Ossos da Mão/transplante
Lesões dos Tecidos Moles
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR18.1 - Biblioteca FAMED/HCPA


  2 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-873329
Autor: Cericato, Graziela Oro; Siviero, Daniela; Woitchunas, Fábio Eduardo; Damian, Melissa Feres.
Título: As vértebras cervicais como instrumento para determinação da idade óssea / Cervical vertebrae as an instrument for establishment of bone age
Fonte: RFO UPF;12(1):42-46, 30/04/2007. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: A avaliação da região de mão e punho em radiografias carpais (RC) é a metodologia mais utilizada para determinar a idade ósea (IO). Contudo , a fim de diminuir a dose de radiação e o custo dos exames, sugere-se a sua substituição pela análise das vértebras cervicais (VC) em telerradiografias laterais (TRL). Assim, objetivou-se avaliar a validade de um método que estima a IO utilizando as VC, correlacionando-o à idade cronológica (IC) do paciente. A hipótese nula (Ho) testada foi a de que não há diferença entre a IO estimada por este método e a IC. Para tanto, utilizou-se uma amostra de 170 TRL de arquivo de pacientes de ambos os sexos, com IC entre 60 e 124 meses. A IO foi estimada por meio de uma fórmula matemática, na qual as variáveis são mensurações realizadas no corpo da VC 3 e 4, de acordo com o método testado. Adicionalmente, avaliaram-se a confiabilidade e a reprodutibilidade deste método de estimativa da IO. A aplicação do teste de Pearson revelou ausência de correlação entre IO estimada e IC para a amostra total e, principalmente, para os indivíduos do sexo masculino. No entanto, na amostra feminina, a correlação, mesmo que muito fraca, foi significativa. Além disso, os testes inter e intra-avaliadores revelaram correlações positivas e de valores altos, indicando que o método é fidedigno e possibilita reprodução. Diante destes resultados, conclui-se que o método de estimativa da IO testado foi reproduzível e confiável, contudo não mostrou correlação consistente com a IC, especialmente em pacientes do sexo masculino, rejeitando parcialmente Ho. Por isso, sugere-se a realização de estudos adicionais, que modifiquem os padrões da fórmula original, antes de invalidar o método em questão
Descritores: Assistência Odontológica para Crianças
Ossos da Mão
Punho
Radiologia
Estatura-Idade
Vértebras Cervicais
Limites: Criança
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR337.1 - Biblioteca


  3 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-864133
Autor: Santos, Luis Roque de Araujo dos(aut).
Título: Análise comparativa entre três métodos de estimativa da idade óssea em indivíduos com síndrome de Down, por meio de radiografias de mão e punho / Comparative analysis of three methods for the estimation of osseous age in subjects with down syndrome using wrist and hand radiographs.
Fonte: São José dos Campos; s.n; 2007. 99 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Estadual Paulista. Faculdade de odontologia de São José dos campos para obtenção do grau de Doutor.
Descritores: Determinação da Idade pelo Esqueleto
Desenvolvimento Ósseo
Síndrome de Down
Ossos da Mão
Radiografia
Punho
-Processamento de Imagem Assistida por Computador
Responsável: BR243.1 - Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação
BR243.1; tD622, S59a


  4 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-778720
Autor: Dias, Levindo Tadeu Freitas de Figueiredo; Figueiredo, Silvana Maria Braga Ferreira; Monção, Carolline Santos Aguiar; Ribeiro, Jeniffer Araújo; Lopes, Isis Gabriella Antunes; Monção, Carlos Rafael Lima.
Título: Acrometástase de Carcinoma de Células Escamosas do Esôfago: Relato de Caso / Acrometastasis of Squamous Cell Carcinoma of the Esophagus: Case Report
Fonte: Rev. bras. cancerol;60(4):345-349, out.-dez.2014. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Neoplasias metastáticas para as mãos são raras, representando aproximadamente 0,1 % de todo oenvolvimento ósseo metastático e mais excepcionalmente de tumores gastrointestinais, como o carcinoma de esôfago.Objetivo: Relatar um caso atípico de neoplasia de esôfago de células escamosas com acrometástase para mão. Relatode caso: Homem, 48 anos, com quadro clínico de disfagia progressiva. Submetido à endoscopia digestiva alta querevelou lesão ulcerada de bordas elevadas, medindo aproximadamente 12 mm no seu maior diâmetro, com biópsia,que confirmou carcinoma de células escamosas pouco diferenciado e invasor, Grau III. Realizada esofagectomia apósquimioterapia e radioterapia neoadjuvante. Após dois anos do procedimento cirúrgico, paciente evolui com edema,eritema leve e dor local em punho e mão esquerda, restringindo movimentos dos primeiro e terceiro quirodáctilos.Radiografia com extensas lesões osteolíticas, cintilografia óssea com atividade óssea aumentada. Biópsia local confirmoucarcinoma de células escamosas metastático em partes moles, de foco primário do esôfago. Conclusão: Metástaseóssea de extremidade no carcinoma de esôfago é rara. Com aumento da longevidade dos pacientes oncológicos, novaspropedêuticas devem ser discutidas na detecção precoce das metástases óssea...
Descritores: Neoplasias Ósseas
Neoplasias Esofágicas
Metástase Neoplásica
Ossos da Mão/patologia
Tomografia por Emissão de Pósitrons
Cintilografia
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Responsável: BR440.3 - Biblioteca do Hospital do Câncer III


  5 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-729314
Autor: Borges, Rangel Lima; Almeida, Luciano Pacheco de.
Título: Estudo comparativo entre dois métodos simplificados de avaliação dos estágios do surto de crescimento da puberdade / Comparative study of two simplified evaluation methods of the stages of pubertal growth spurt
Fonte: Ortho Sci., Orthod. sci. pract;5(20):505-511, 2012. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo objetivou avaliar e comparar dois dos métodos mais utilizados para a determinação da maturação esquelética humana, a saber, a radiografia de mão e punho e análise das vértebras cervicais da telerradiografia em norma lateral. Foram avaliadas tais radiografias cefalométricas e mão e punho de 34 pacientes, de ambos os gêneros, na faixa etária de 7 a 17 anos, do acervo do curso de especialização em Ortodontia e Ortopedia Facial da ABO-SE. As radiografias foram analisadas apenas por um examinador, em dois tempos, com intervalo de 30 dias. A determinação do estágio de maturação esquelética pela avaliação das vértebras cervicais foi realizada pelo método utilizado por Baccetti et al.2 (2005), modificado a partir do estudo de Lamparski7 (1975) e classificado de acordo com os resultados encontrados nos estudos de Lara8 (2008). Entretanto, para a análise da radiografia carpal, utilizou-se o método proposto por Sakima & Toledo. As classificações obtidas com os dois métodos foram comparadas utilizando o teste estatístico de Kappa. Ambos foram considerados como métodos válidos e úteis, porém a classificação simplificada adotada no presente estudo do estágio de maturação esquelética em relação ao surto de crescimento mostrou-se ainda impreciso, necessitando de mais estudos

This study aimed to evaluate and compare the two methods used for the determination of human skeletal maturation, namely the hand and wrist etermination and analysis of cervical vertebrae in lateral cephalograms. These cephalograms and hand and wrist radiography of 34 patients, both genders and aged 7-17 years, from the collection of the specialization course in Orthodontics and Facial Orthopedics ABO-SE, were analyzed. The analysis was performed by only one examiner on two occasions with an interval of 30 days. Determination of skeletal maturation stage through cervical vertebrae was performed by the method used by Baccetti et al.2 (2005), modified from Lamparski´s study7 (1975) and classified according to the results found in Lara´s studies8 (2008). For the analysis of carpal radiographs, we used the method proposed by Toledo & Sakima. The classifications obtained with both methods were compared using the Kappa statistical test. Both methods were considered valid and useful, but the simplified classification adopted in this study of the stage of skeletal maturation in relation to the growth spurt is still uncertain requiring further studies.
Descritores: Determinação da Idade pelo Esqueleto
Ossos da Mão
Ossos do Carpo
Vértebras Cervicais
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR243.1 - Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


  6 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-725422
Autor: Carinhena, Glauber; Siqueira, Danilo Furquim; Sannomiya, Eduardo Kazuo.
Título: Skeletal maturation in individuals with Down's syndrome: Comparison between PGS curve, cervical vertebrae and bones of the hand and wrist
Fonte: Dental press j. orthod. (Impr.);19(4):58-65, Jul-Aug/2014. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: INTRODUCTION: This study was conducted with the aim of adapting the methods developed by Martins and Sakima to assess skeletal maturation by cervical vertebrae in the pubertal growth spurt (PGS) curve. It also aimed to test the reliability and agreement between those methods and the method of hand and wrist radiograph when compared two by two and all together. METHODS: The sample comprised 72 radiographs, with 36 lateral radiographs of the head and 36 hand-wrist radiographs of 36 subjects with Down's syndrome (DS), 13 female and 23 male, aged between 8 years and 6 months and 18 years and 7 months, with an average age of 13 years and 10 months. RESULTS AND CONCLUSIONS: Results revealed that adapting the methods developed by Martins and Sakima to assess skeletal maturation by cervical vertebrae in the curve of PGS is practical and useful in determining the stage of growth and development of individuals. The stages of maturation evaluated by cervical vertebrae and ossification centers observed in radiographs of the hand and wrist were considered reliable, with excellent level of agreement between the methods by Hassel and Farman as well as Baccetti, Franchi and McNamara Jr and Martins and Sakima. Additionally, results revealed an agreement that ranged between reasonable to good for the three methods used to assess the skeletal maturation, showing statistical significance. .

INTRODUÇÃO: esse estudo foi realizado com o propósito de adaptar os métodos para avaliação da maturação óssea por meio das vértebras cervicais na curva do Surto de Crescimento Puberal (SCP)de Martins e Sakima, assim como testar a confiabilidade e a concordância existente entre eles e o método para a radiografia de mão e punho, quando comparados 2 a 2, e entre todos, conjuntamente. MÉTODOS: a amostra constou de 72 radiografias, sendo 36 telerradiografias em norma lateral da cabeça e 36 radiografias de mão e punho, de 36 indivíduos com Síndrome de Down (SD), sendo 13 do sexo feminino e 23 do masculino, na faixa etária entre oito anos e seis meses até 18 anos e sete meses, com média de 13 anos e dez meses. CONCLUSÃO: de acordo com os resultados obtidos, concluímos que as adaptações dos métodos para a avaliação da maturação óssea por meio das vértebras cervicais na curva de SPC de Martins e Sakima resultaram em uma ferramenta prática e útil na determinação do estágio de crescimento e desenvolvimento dos indivíduos. Os estágios de maturação avaliados por meio das vértebras cervicais e os centros de ossificação observados nas radiografias de mão e punho foram considerados confiáveis, com excelente grau de concordância entre os métodos de diversos outros autores, e uma concordância de razoável a boa entre os três métodos para avaliação da maturação óssea quando comparados conjuntamente, sendo estatisticamente significativa. .
Descritores: Desenvolvimento Ósseo/fisiologia
Ossos do Carpo/crescimento & desenvolvimento
Vértebras Cervicais/crescimento & desenvolvimento
Síndrome de Down/fisiopatologia
Ossos da Mão/crescimento & desenvolvimento
Puberdade/fisiologia
-Determinação da Idade pelo Esqueleto/métodos
Determinação da Idade pelo Esqueleto/estatística & dados numéricos
Ossos do Carpo
Cefalometria/métodos
Vértebras Cervicais
Síndrome de Down
Ossos da Mão
Osteogênese/fisiologia
Reprodutibilidade dos Testes
Limites: Adolescente
Criança
Feminino
Humanos
Masculino
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-715518
Autor: Haddad, Natalie; Oliveira Filho, Jayme de; Nasser, Kassila da Rosa; Corbett, Ana Maria França; Tebet, Ana Carolina Franco; Reis, Mariana Lacerda Junqueira.
Título: Musculoskeletal and cutaneous sarcoidosis: exuberant case report
Fonte: An. bras. dermatol;89(4):660-662, Jul-Aug/2014. graf.
Idioma: en.
Resumo: Sarcoidosis is a multisystem granulomatous disease of unknown cause. The osteoarticular involvement in sarcoidosis is rare and is often associated with cutaneous and long-standing chronic multisystem disease. More common in black women, osseous sarcoidosis is difficult to diagnose, with an incidence of 3 to 13%. The most characteristic radiological clinical picture evidences rounded, well-defined cysts, with no periosteal reaction and without peripheral sclerosis. The small bones of hands and feet are the most frequently involved sites. This report aims to demonstrate a rare case of osteoarticular sarcoidosis with characteristic clinical presentation, and highlight the importance of detecting osteoarticular involvement in this pathology.
Descritores: Doença Granulomatosa Crônica/patologia
Doenças Musculoesqueléticas/patologia
Sarcoidose/patologia
Dermatopatias/patologia
-Doença Granulomatosa Crônica
Ossos da Mão/patologia
Ossos da Mão
Doenças Musculoesqueléticas
Sarcoidose
Dermatopatias
Telangiectasia/patologia
Limites: Idoso de 80 Anos ou mais
Feminino
Humanos
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-618259
Autor: Chia, Chang Yung; Nassif, Tomaz.
Título: Reimplante e revascularização da ponta do dedo: revisão de literatura e relato de caso de amputação da ponta do dedo mínimo na criança de um ano de idade / Fingertip replantation and revascularization: literature review and a case report of fingertip amputation of the fifth finger of a one-year-old child
Fonte: Rev. bras. cir. plást;26(4):714-717, out.-dez. 2011. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A falange distal é funcionalmente importante e deve ser reimplantada em casos de acidente. A técnica de eleição é microcirúrgica, porém a anastomose da veia pode ser extremamente difícil ou impossível, principalmente em crianças pequenas. Este artigo reporta um caso de reimplante microcirúrgico da falange distal do dedo mínimo em uma criança de sexo masculino, de um ano de idade, que sofreu amputação da falange distal do dedo mínimo tipo "guilhotina", na porta residencial. A falange foi reimplantada 8 horas após a amputação, com anastomose de uma artéria e uma veia extremamente finas. A região apresentou congestão, que durou mais de uma semana, porém sem necrose, não necessitando condutas coadjuvantes. Neste artigo, que também faz revisão bibliográfica da conduta no retorno venoso difícil em crianças dessa faixa etária, várias técnicas foram revistas e apresentadas na solução de retorno venoso difícil, assim como os fatores que influenciam a sobrevivência da parte amputada, porém não há um estudo específico de conduta para essa faixa etária. A criança, provavelmente, tem melhor recuperação ou readaptação funcional, porém a parte amputada tem as mesmas chances de sobrevivência no reimplante, e algumas técnicas possivelmente não sejam aplicáveis. A literatura é escassa, sendo necessária a realização de um estudo para determinar uma conduta prática e eficiente especificamente para essa faixa etária.

The distal phalanx has important functions and must be replanted in case of accidental amputation. Microsurgery is the preferred technique; however, the necessary vein anastomosis can be very difficult or even impossible, especially in small children. This paper reports a case of microsurgical replantation of the distal phalanx of the fifth finger of a one-year-old male child who suffered a crush-type amputation of the fifth fingertip in a house door. The fingertip was replanted eight hours after the amputation, with anastomosis of a very thin artery and vein. The region exhibited congestion, which persisted for more than one week without necrosis; no other procedure was required after the replantation. This paper presents a literature review of the difficulty of restoring venous return in children. Several techniques for restoring venous return in difficult cases, as well as determinants of survival of the amputated part, are reviewed and presented; however, there are no specific studies on procedures for the age group in question. Children probably have better functional recovery or adaptation than do adults, but the amputated part has the same chance of survival, and some of the techniques used in adults are not applicable in children. The literature on this topic is scant, and a study on the most practical and efficient method for fingertip replantation in small children is warranted.
Descritores: Anastomose Arteriovenosa/cirurgia
Falanges dos Dedos da Mão/cirurgia
Ossos da Mão/cirurgia
Reimplante/métodos
Procedimentos Cirúrgicos Operatórios
-Métodos
Microcirurgia
Pacientes
Limites: Humanos
Masculino
Criança
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Revisão
Responsável: BR32.1 - Serviço de Biblioteca e Informação Biomédica


  9 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-596985
Autor: Tuma, Carlos Eduardo da Silva Nossa; Oliveira Junior, Wilson Maia de; Tuma, Geraldo José da Silva Nossa; Garbui, Ivana Uglik; Silva, Nelson Padilha da; Nouer, Paulo Roberto Aranha.
Título: Avaliação da idade óssea em crianças de 9 a 12 anos de idade na cidade de Manaus-AM / Evaluation of the bone age in 9-12 years old children in Manaus-AM city
Fonte: Dental press j. orthod. (Impr.);16(3):63-69, maio-jun. 2011. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: o presente estudo teve como objetivo avaliar a idade óssea pelo método de Greulich & Pyle (1959) e o período do crescimento puberal, de acordo com o trabalho de Martins (1979). MÉTODOS: utilizaram-se radiografias de mão e punho de 201 crianças amazonenses, sendo 103 do sexo masculino e 98 do feminino, com idades cronológicas de 9 a 12 anos. Para análise estatística, utilizou-se o teste de qui-quadrado com nível de significância em 5 por cento (p<0,05). RESULTADOS E CONCLUSÕES: as crianças do sexo feminino, em relação às do sexo masculino, encontravam-se mais adiantadas em todas as fases do crescimento esquelético, para as idades estudadas, estando 50 por cento das meninas no pico do crescimento puberal, enquanto apenas 11,6 por cento dos meninos estavam na mesma fase. As idades do início e pico do surto de crescimento puberal foram mais precoces nas meninas (10,1±0,7 e 11,1±0,8 anos, respectivamente) do que nos meninos (11,4±0,7 e 12,3±0,4 anos, respectivamente). As meninas apresentaram uma maior porcentagem de maturação precoce do que os meninos (41,8 por cento e 5,8 por cento, respectivamente); enquanto a maturação tardia foi mais prevalente nos meninos (38,8 por cento) do que nas meninas (11,2 por cento). A idade óssea média dos meninos foi de 10,4±1,7 anos e das meninas, 11,7±1,8 anos, para o grupo estudado.

OBJECTIVE: This study evaluated the bone age using the Greulich & Pyle method (1959) and pubertal growth according to the study conducted by Martins (1979). METHODS: Hand and wrist radiographs of 201 children (103 boys) aged 9 to 12 years living in Amazonas were analyzed. A chi-square test was used for statistical analysis at a level of significance of 5 percent (p<0.05). RESULTS AND CONCLUSIONS: Girls were at more advanced stages in all phases of skeletal growth than boys for the ages under study; 50 percent of the girls had reached pubertal growth peak, whereas only 11.6 percent of the boys were in the same stage. The beginning and the peak of the pubertal growth spurt occurred earlier among girls (10.1 ± 0.7 and 11.1 ± 0.8 years) than among boys (11.4 ± 0.7 and 12.3 ± 0.4 years). Early maturation was more frequent among girls than among boys (41.8 percent vs. 5.8 percent), and late maturation was more prevalent among boys (38.8 percent vs. 11.2 percent). Mean bone age in the group of boys was 10.4 ± 1.7 years, and in the group of girls, 11.7 ± 1.8 years.
Descritores: Determinação da Idade pelo Esqueleto
Puberdade
Maturidade Sexual
-Ossos da Mão
Ossos do Carpo
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Responsável: BR22.1 - CBC - Coordenadoria de Biblioteca Central


  10 / 18 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-573167
Autor: Warmeling, Daiany; Rodrigues, Karina Marcos; Zastrow, Michella Dinah; Thiesen, Guilherme.
Título: Comparative study of two skeletal maturation evaluation indexes / Estudo comparativo de dois índices de estimativa da maturação esquelética
Fonte: Rev. odonto ciênc;25(2):188-193, 2010. ilus, tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Purpose: The present work consists of a comparative study of two indexes of skeletal maturation: the carpal index (SMI) and the vertebral index (CVMI) and verification of the reliability of the vertebral index in the determination of the stages of the skeletal maturation. Methods: Radiographies from the dental records of treated patients from Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) were used. The sample was composed of 158 radiographies comprising seventy-nine carpal and seventy-nine lateral cephalometric radiographies of patients of both genders between six and eighteen of age. The carpal radiographies were analyzed using Martins' method and the lateral cephalometric, according to Baccetti, Franchi and McNamara Jr. Results: The Spearman's correlation test results showed a significant correlation coefficient of 0.616 between SMI and CVMI and the Pearson's test, of 0.698 for both genders (P<0.0001). The correlation between the indexes and the chronological age was 0.775 for SMI using Spearman's test, and 0.974 using Pearson's correlation test. For the CVMI, Spearman's correlation was 0.563 and Pearson's was 0.717, showing that there is a statistically significant correlation. Conclusion: The SMI is the safest and most trustworthy method to evaluate the skeletal maturation, although the CVMI can be used as a substitute method when there is conversance with the morphologic alterations of the vertebrae and when the carpal radiography is not available in the patient's orthodontic records.

Objetivo: Comparar o índice de maturação esquelética carpal (IMC) e o índice vertebral (IMV) e verificar a confiabilidade do IMV na determinação desta maturação. Metodologia: Utilizou-se radiografias dos prontuários da disciplina de Ortodontia da UNISUL. A amostra foi composta por 158 radiografias, sendo 79 carpais e 79 cefalométricas em norma lateral, de pacientes com idades variando entre 6 e 18 anos, de ambos os sexos. Para a determinação do IMC utilizou-se o método de Martins e para o IMV, o de Baccetti, Franchi e McNamara Jr. Resultados: Os testes de correlação de Spearman e Pearson mostraram um índice entre IMC e IMV de 0,616 e 0,698, respectivamente, correlação estatisticamente significante para ambos os sexos (P<0,0001). A correlação de Spearman e de Pearson entre o IMC e a idade cronológica foi de 0,775 e 0,974, respectivamente. Já entre o IMV e a idade cronológica foi de 0,563 e 0,717, respectivamente, uma correlação também estatisticamente significante. Conclusão: O IMC é o método mais seguro e confiável de avaliação da maturação esquelética, porém o IMV pode ser usado como método substituto quando houver familiaridade com as alterações morfológicas das vértebras e quando a radiografia carpal não estiver disponível na documentação ortodôntica.
Descritores: Determinação da Idade pelo Esqueleto
Ossos da Mão
Vértebras Cervicais
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR541.1 - Biblioteca



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde