Base de dados : LILACS
Pesquisa : A02.835.583.378 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 9 [refinar]
Mostrando: 1 .. 9   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 9 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Trevisani, Virginia Fernandes Moça
Id: lil-592463
Autor: Ferrari, Sabrina Canhada; Gouveia, Maria Cecília Kishima de; Santos, Fânia Cristina dos; Trevisani, Virgínia Fernandes Moça.
Título: Alterações plantares em pacientes com artrite reumatoide / Foot alterations in rheumatoid arthritis patients
Fonte: RBM rev. bras. med;68(6), jun. 2011.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: Identificar as alterações plantares em pacientes reumáticos. Métodos: Foram avaliados 45 pacientes com diagnóstico de artrite reumatoide, com idade igual ou acima de 20 anos, do sexo masculino ou feminino. Os pacientes foram avaliados individualmente, quando foram coletados dados sociodemográficos (idade, gênero, raça e estado civil) e realizado o exame físico dos pés. Resultados: Dos 45 pacientes avaliados, 24,4% não apresentaram acometimentos nos pés, 15,6% apresentaram lesões de pele, 24,4% lesões nas unhas, 11,1% lesões vasculares e 24,4% deformidades de dedos. Foi observado que 60% apresentaram pé plano, seguido pelo pé cavo com 31,1%, pé equino 8,9% e 42,2% não apresentaram comprometimento nos pés, sendo considerados normais. Pacientes com pés valgos foram 28,9%, 22,2% com pés dolorosos e 6,6% com pés varos. Na avaliação dos calçados, 39 dos 45 pacientes estavam usando sapatos inadequados, ou seja, 89% dos pacientes. Houve uma maior frequência de pacientes sem dor (19%), utilizando-se a EVA (0 mm) seguida de dores quantificadas em 20 mm (16%) e EM 100 mm (16%). Conclusão: Através de uma avaliação simples foi possível observar as principais alterações que acometem os pés reumatoides, levando à dor e incapacidade. Com esse estudo foi descoberta a importância de se realizar uma avaliação detalhada nos pés e calçados, a fim de melhorar a qualidade de vida desses pacientes. Futuros estudos são necessários para determinar um calçado adequado que possa reduzir as alterações plantares e aliviar a dor nos pés reumatoides.
Descritores: Articulações do Pé/fisiologia
Artrite Reumatoide/fisiopatologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  2 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-667234
Autor: Ceccaldi, Alain.
Título: Prática de reabilitação do pé / Rehabilitation practice foot.
Fonte: São Paulo; Roca; 1985. 93 p. ilus.
Idioma: pt.
Descritores: Articulações do Pé
Reabilitação
Limites: Humanos
Responsável: BR75.1 - Biblioteca
BR75.1; 615.8, C323p. 283


  3 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-546492
Autor: Souza, Thales Rezende de; Pinto, Rafael Zambelli de Almeida; Fonseca, Sérgio Teixeira da.
Título: Eficácia do uso de palmilhas biomecânicas para a correção cinemática do padrão de pronação excessiva da articulação subtalar / Efficacy of using biomechanical insoles to correct the excessive subtalar pronation pattern
Fonte: Fisioter. Bras;9(4):275-282, jul.-ago. 2008.
Idioma: pt.
Resumo: A presença do padrão de pronação excessiva da articulação subtalar (PPEAS) tem sido relacionada com o desenvolvimento de patologias ortopédicas nos membros inferiores. As palmilhas biomecânicas são frequentemente utilizadas com o objetivo de corrigir esse padrão. Entretanto, não existe um consenso sobre a eficácia dessas palmilhas para esse fim. O objetivo do estudo foi realizar uma revisão sistemática da literatura sobre a eficácia de palmilhas biomecânicas para corrigir parâmetros cinemáticos do PPEAS. Para a avaliação da qualidade das evidências utilizou-se a escala PEDro. 86 por cento das modificações cinemáticas alcançadas com o uso das palmilhas, nos estudos incluídos, foram a favor da correção do PPEAS e apenas 14 por cento pioraram esse padrão. Isso sugere que as palmilhas são eficazes para corrigir algumas das disfunções relacionadas ao PPEAS e quea correção desse padrão pode depender da associação do uso dessas órteses com a modificação de outras disfunções apresentadas porum paciente.

The presence of excessive subtalar pronation pattern (ESPP)has been related to the development of orthopedic pathologies inthe lower limbs. Biomechanical insoles are frequently used in anattempt to correct this pattern. However, there is no consensus aboutthe insoles' effi cacy for this purpose. Th e aim of this study was tosystematically review the literature about the biomechanical insoles efficacy in correcting the kinematics parameters of the ESPP. The PEDro scale was used to assess the quality of the evidence. 86 percent of the kinematic changes achieved with the use of insoles were in favorof the correction of the ESPP and only 14 percent worsened this pattern. This suggests that the use of biomechanical insoles is efficacious for correcting some of the dysfunctions related to ESPP and this correction might depend on the association with therapeutic modifications of other dysfunctions shown by the patient.
Descritores: Transtornos da Articulação
Articulações do Pé
Articulações
Extremidade Inferior
Procedimentos Ortopédicos
Aparelhos Ortopédicos
Articulação Talocalcânea
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  4 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-531304
Autor: Ceballos, G; Belandria, U; Aliso, K; Ramírez, P; Contreras, I.
Título: Lesiones de lisfranc: reporte de dos casos / Lisfranc Injury: report of two cases
Fonte: Col. med. estado Táchira;17(4):34-36, oct.-dic. 2008. ilus.
Idioma: es.
Resumo: La Luxo-fracturas de Lisfranc tarsometatarsianas son poco frecuentes. 1 Se presenta caso 1: femenina de 34 años de edad, posterior a caída de aprox, 3 mts, con tumefacción y deformidad en medio pie Izquierdo. RX: luxación de tarsometatarsina homolateral. Caso 2, masculino de 24 años de edad, recibió traumatismo contuso en pie Izquierdo presentó tumefacción y deformidad en área tarsal media RX: luxo-fractura tarsometatarsina divergente, fractura de II-V metatarso; se realizó reducción abierta y fijación percutánea con alambres de Kirschner, sin complicaciones, coincidiendo el mismo mes de presentación, poco usual en la práctica médica, con evolución satisfactoria.
Descritores: Articulação Metatarsofalângica/lesões
Articulações do Pé/cirurgia
Articulações do Pé/lesões
Fios Ortopédicos
Equimose/patologia
-Ferimentos e Lesões/patologia
Ossos do Tarso/lesões
Luxações Articulares/cirurgia
Traumatismos do Pé/patologia
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Feminino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: VE1.1 - Biblioteca Humberto Garcia Arocha


  5 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-496569
Autor: Cavalcanti, Fernado S; Cavalcanti, Sérgio V; Duarte, Ângela L. B. P; Marques, Cláudia D. L.
Título: Cisto epidermóide nos pés: relato de caso / Epidermoid cyst on the foot: case report
Fonte: Rev. Soc. Bras. Clín. Méd;6(5):197-198, 2008. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Tumores benignos são responsáveis pela maioria das lesões tumorais nos pés. Neuroma de Morton, fasciite plantar e nódulos reumatóides respondem por 60% a 70% de todas estas doenças. Usualmente, mono-artrite na face plantar dos pés de caráter mecânico induz em mulheres jovens aos diagnósticos referidos. O cisto epidermóide, apesar de ser uma lesão benigna, não é lembrado no diagnóstico dife­rencial de nódulos dolorosos nos pés. O conhecimento dos achados patológicos destas lesões extra-articulares nos pés ajuda na interpretação da ressonância magnética (RM)
Descritores: Articulações do Pé/patologia
Cisto Epidérmico/diagnóstico
Cisto Epidérmico/terapia
-Imagem por Ressonância Magnética
Limites: Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  6 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Barbieri, Cláudio Henrique
Shimano, Antonio Carlos
Texto completo
Texto completo
Id: lil-482454
Autor: Yoneda, Alexandre; Mazzer, Nilton; Barbieri, Cláudio Henrique; Shimano, Antonio Carlos.
Título: Propriedades mecânicas de um sistema de osteossíntese de estabilidade relativa / Mechanicals properties of an osteosynthesis system of relative stability
Fonte: Acta ortop. bras;16(1):49-53, 2008. graf, tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: Neste trabalho foram estudadas as propriedades mecânicas de um novo sistema de osteossíntese metálica (SPS® - Sistema Pengo de Síntese) por meio de ensaios mecânicos de flexão e torção. Os SPS® foram montados e fixados em bastões cilíndricos de madeira. Para os ensaios mecânicos foram adotados nove grupos de modelos em função dos três comprimentos de placas e das três distâncias de montagem entre as placas. Os ensaios de flexão foram realizados com o SPS® na posição lateral em relação ao eixo de movimentação da máquina de ensaios. Para os ensaios de torção não se adotou nenhuma posição específica do SPS®. Os resultados das propriedades de rigidez e da deflexão do SPS®, nos ensaios mecânicos de flexão e torção, tiveram a interferência das variantes números de furos nas placas e o espaço entre as placas, ou seja, quanto maior o número de furos nas placas e menor o espaço entre elas maior a rigidez e menor a deflexão. Conclui-se que a rigidez e a deflexão variaram proporcionalmente ao número de furos nas placas e ao espaço entre elas.

In this study, the mechanical properties of a new metallic system for bone synthesis (SPS® - Synthesis Pengo System) were investigated by means of flexion and torsion mechanical tests. The SPS® systems were assembled in cylindrical wood sticks using stainless steel cortical bolts. Nine groups of models were adopted for tests according to the three plate lengths and the three assembly distances. Flexion tests were performed with the SPS® systems positioned laterally to the assay machine's dislocation axis. For the torsion tests, the SPS® systems were placed in no specific position. The SPS® stiffness and deflection results obtained with the flexion and torsion mechanical tests were dependent on the number of holes on the plates and on the distance between the plates mounted in the wood stick, that is, the higher the number of holes and the shorter the distance between plates, the higher the stiffness and the lower the deflection. It can be concluded that stiffness and deflection changed proportionally to the number of the holes in the plates and the distance between them.
Descritores: Artrodese
Placas Ósseas
Articulações do Pé
Fixação de Fratura
Fixação Interna de Fraturas
-Fenômenos Biomecânicos/métodos
Cadáver
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR734.1 - Biblioteca Central Cesar Lattes - BCCL


  7 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-482453
Autor: Fernandes, Túlio Diniz; Santos, Alexandre Leme Godoy dos; Corsato, Marcos de Andrade; Sakaki, Marcos Hideyo; Ortiz, Rafael Trevisan; Prado, Marcelo Pires.
Título: Estabilização da artrodese da articulação tarsometatársica: estudo biomecânico / Stabilization of tarsometatarsal joint arthrodesis: a biomechanical study
Fonte: Acta ortop. bras;16(1):45-48, 2008. ilus, graf, tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: INTRODUÇAO: As artrodeses tarsometatársicas sao opçao terapeutica efetiva no tratamento das osteoartroses sintomaticas da articulacao de Lisfranc. Os métodos de estabilizaçao disponíveis sao: Fios de Kirschner, Parafusos Corticais, Placas e parafusos e Agrafe. A estabilidade oferecida e a técnica cirúrgica utilizada para cada material é discutida na literatura. OBJETIVO: Comparar a força de compressão e a estabilidade biomecânica da fixação da articulação tarsometatársica com Parafusos Corticais e com Agrafe. CASUISTICA E MÉTODO: Selecionados 10 cadáveres frescos, do genero masculino, idade variando de 35 a 49 anos, foram submetidas a dissecçao do cúboide e do 4º metatarso bilateralmente, decorticadas as superfícies articulares e realizada fixação com parafuso cortical - Cortical Screw 3.5mm Impol, e Agrafe - Uni-clip® Staple 2.0 NewDeal. RESULTADOS: Os 20 ensaios biomecânicos foram completados. A analise estatística dos métodos agrafe vs parafuso cortical, em relação a energia acumulada até atingir o pico de força do ensaio p= 0.047, e a energia acumulada até o final do ensaio p= 0.047 apresentaram diferença significativa. CONCLUSÃO: Os picos de carga suportados pelas estabilizaçoes com agrafe e com parafuso cortical decrescem, significativamente, com a idade. Observa-se valores de força superiores para o agrafe em ossos osteoporóticos. A energia acumulada na area de trabalho dos graficos nos ensaios com o agrafe, mostram-se estatisticamente superiores aos valores para os Parafusos Corticais.

INTRODUCTION: Tarsometatarsal arthrodeses are an effective therapeutic alternative for treating symptomatic osteoarthroses of the Lisfranc joint. Stabilization methods available include: Kirschner's wires, cortical screws, plates and screws and staples. The stability provided and the surgical technique employed with each material is discussed in literature. PURPOSE: To compare compression forces and biomechanical stability of tarsometatarsal joint fixation with cortical screws and staples. CASE SERIES AND METHOD: Ten fresh male cadavers with ages ranging from 35 to 49 years were selected and submitted to bilateral dissection of the cuboidal and 4th metatarsal bones, with joint surfaces decortification and fixation with cortical screw - Cortical Screw 3.5mm Impol, and Uni-clip® Staple 2.0 NewDeal. RESULTS: All the 20 biomechanical assays were completed. The statistical analysis of the methods using staples vs. cortical screw concerning accrued energy until reaching the assay's peak force p= 0.047, and the accrued energy until the completion of the assay p= 0.047 showed a significant difference. CONCLUSION: Load peaks supported by staples and cortical screws are significantly reduced with age. Superior force values are found for staples in osteoporotic bones. The accrued energy on graphs' work areas in assays with staples is shown to be statistically superior to cortical screws' values.
Descritores: Artrodese/métodos
Articulações do Pé
Fixadores Internos
Articulações Tarsianas
-Fenômenos Biomecânicos/métodos
Parafusos Ósseos
Osteoporose
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Responsável: BR734.1 - Biblioteca Central Cesar Lattes - BCCL


  8 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-443370
Autor: Vargas B., William Alex.
Título: Dolor de extremidades inferiores / Lower extremity pain
Fonte: Rev. chil. reumatol;21(4):211-212, 2005.
Idioma: es.
Descritores: Dor/diagnóstico
Dor/etiologia
Dor/terapia
Extremidade Inferior
-Articulação do Tornozelo
Articulações do Pé
Fasciíte Plantar/diagnóstico
Fasciíte Plantar/terapia
Articulação do Quadril
Tendinopatia
Limites: Humanos
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  9 / 9 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-416422
Autor: Ferreira, Ricardo Cardenuto; Costa, Marco Túlio; Frizzo, Gastão Guilherme; Rojas, José Bosco Mendoza; Lima, Luciano Régis de; Yoo, Yong Soo; Fonseca Filho, Fernando Ferreira da.
Título: Análise do resultado clínico-funcional do tratamento das fraturas-luxações da articulação de Lisfranc / Analysis of clinical and functional results from the treatment of Lisfranc joint fracture-dislocations
Fonte: Rev. bras. ortop;40(7):379-396, jul. 2005. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: Analisar o resultado clínico-funcional do tratamento das fraturas-Iuxações agudas da articulação tarsometatarsal (Lisfranc) e estabelecer os fatores prognósticos, a médio prazo, destas lesões. Material e métodos: Vinte e um pacientes (21 pés), todos vítimas de traumatismos no médio pé com fratura-Iuxação de Lisfranc, foram reavaliados após tempo médio de seguimento de 71 meses. Doze pacientes eram do sexo masculino (57 por cento) e nove do feminino (43 por cento). A média de idade, no momento do trauma, foi de 26 anos (variando de cinco a 48 anos). Os traumas causados por alta energia foram os mais freqüentes, ocorrendo em cerca de 86 por cento dos casos. A redução aberta, seguida da fixação interna, foi empregada em 17 pés (81 por cento) e o tratamento incruento, em quatro (19 por cento). Imobilização com bota gessada foi utilizada durante 12 semanas e, em seguida, iniciou-se fisioterapia. Resultados: A pontuação média, segundo a escala AOFAS para médio pé, foi de 83 pontos (variando de 53 a 100). A dor residual foi o sintoma mais freqüente, presente em 12 dos 21 pés (58 por cento), com intensidade leve em seis dos pés (29 por cento) e moderada ou grave nos outros seis pés (29 por cento). Os resultados considerados insatisfatórios foram associados às fraturas expostas, à fratura das duas colunas do pé, às fraturas desviadas do cubóide e a seqüela de síndrome compartimental. A influência negativa da lesão de Lisfranc nas demais articulações foi evidenciada pela redução significativa na amplitude de movimento (perda de 20 por cento no tornozelo, 22 por cento na subtalar, 8 por cento na tarsometatarsal, 37 por cento na metatarsofalangiana do hálux e 18 por cento na interfalângica do hálux). Conclusões: O resultado clínico-funcional do tratamento das fraturasluxações de Lisfranc, a médio prazo, foi satisfatório em 72 por cento dos casos avaliados. Os fatores de mau prognóstico, associados aos resultados insatisfatórios, foram: fraturas expostas, síndrome compartimental, esmagamento do osso cubóide e as fraturas envolvendo as duas colunas do pé. Após fratura-Iuxação de Lisfranc, espera-se significativa redução da amplitude de movimento nas demais articulações do tornozelo e nas demais articulações do pé
Descritores: Articulações Tarsianas/lesões
Articulações do Pé/fisiopatologia
Articulações do Pé/lesões
Luxações Articulares/reabilitação
Luxações Articulares/terapia
-Articulações Tarsianas/fisiopatologia
Fraturas Ósseas/terapia
Estudos Retrospectivos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde