Base de dados : LILACS
Pesquisa : A08 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 367 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 37 ir para página                         

  1 / 367 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-987264
Autor: Rubín, Diego; Guzmán, Gabriela; Navas, Sabrina; Quintana, Cristina; Samayoa, Johanna.
Título: Escape viral de VIH en sistema nervioso central / Viral escape of HIV in the central nervous system
Fonte: Rev. med. interna Guatem;20(supl. 1):39-45, 2016. tab.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: El escape viral es una complicación del tratamiento Antirerroviral, que significa una recaída clínica y/o virológica, no detectable si se toma en cuenta solamente el concepto de carga viral baja o indetectable en plasma, definiéndose como: carga viral (CV) en Líquido Céfalorraquideo (LCR) mayor a 50 copias/mm3 y, menor CV sanguínea en pacientes con antirretrovirales/6 meses. Incidencia: 37 casos/1000 personas año. Tratamiento: antiretrovirales de alta penetrancia a sistema nervioso central (SNC) valorando inmunoglubulinas, demostrando buenos resultados. Diseño: Reporte de caso Objetivo: Reportar caso de Escape Viral en SNC, tratado conidovudina/Inmunoglubulinas intravenosa a dosis altas. Reporte de Caso: Paciente consulta por cefalea de 1 mes y, alteración conductual. Consultó a Hospital Roosevelt, ingresa 12 días, descartando infección en SNC, y patologías psiquiátricas. Egreso: 6 de julio de 2015. Persiste alteración conductual, tornándose violento el 8 de julio de 2015, consultando.Antecedente, VIH positivo (2011), mala adherencia, esquema actual: Lopinavir/Ritonavir, Abacavir y Lamivudina. TAC, Resonancia Magnética Nuclear y Angio-RMN cerebrales normales, CV sanguínea: 431 copias/ml; linfocitos TCD4 459 cels/mm3. Punción Lumbar (PL) sin proceso infeccioso, CV: 600,000 copias/ml, se sospecha Escape Viral en SNC, se inicia tratamiento con Zidovudina intravenosa, 2mg/kg por 48 horas. PL control: CV 300,000 copias/ml. Inició Inmunoglubulinas a 0.4g/kg/día por 5 días, PL: CV 6,000 copias/ml. Evaluado por psicología y egresado. Resultados: El caso ilustra adecuada respuesta al tratamiento con antiretrovirales de alta penetración a SNC, mejorando considerablemente con Inmunoglobulinas. Conclusiones: Escape viral, debe considerarse en pacientes, con adecuado control virológico/ inmunológico, sin infección de SNC ni neoplasia, CV mayor a 50 copias/ml en LCR. Manejo: antiretrovirales de alta penetrancia a SNC, elección: Zidovudina, evaluando CV en LCR, sin respuesta adecuada, inmunoglobulinas.
Descritores: Comportamento
HIV/efeitos dos fármacos
Antirretrovirais/uso terapêutico
Sistema Nervoso
-Viroses/complicações
Guatemala
Limites: Seres Humanos
Masculino
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: GT5.1 - Biblioteca y Centro de Documentación Dr. Julio de León Méndez


  2 / 367 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-153346
Autor: Linden, Rafael.
Título: Dinâmica de populaçöes celulares no sistema nervoso em desenvolvimento / Dynamic of cell populations in the development of the nervous system.
Fonte: Rio de Janeiro; UFRJ; 1988. 65 p. ilus, graf.
Idioma: pt.
Descritores: Sistema Nervoso/fisiologia
Neurônios/fisiologia
-Degeneração Neural
Limites: Seres Humanos
Animais
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.1/2622.00; BR14.1; CCS 616.8 L744


  3 / 367 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-233894
Autor: Vieira, Marcus Fraga; Kohn, André Fábio.
Título: O cerebelo e a teoria de controle na coordenaçäo de movimentos / Cerebellum and the control theory in coodination of movement
Fonte: In: Schiabel, Homero; Slaets, Annie France Frère; Costa, Luciano da Fontoura; Baffa Filho, Oswaldo; Marques, Paulo Mazzoncini de Azevedo. Anais do III Fórum Nacional de Ciência e Tecnologia em Saúde. Säo Carlos, s.n, 1996. p.612-612, ilus.
Idioma: pt.
Conferência: Apresentado em: Fórum Nacional de Ciência e Tecnologia em Saúde, 3 e Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica, 15 e Congresso Brasileiro de Físicos em Medicina , 6 e Congresso Brasileiro de Informática em Saúde, 5 e Encontro Brasileiro de Proteçäo Radiológica, Campos do Jordäo, 13-17 out. 1996.
Resumo: O grande esforço no sentido de organizar em uma base teórica sólida o enorme volume de dados a respeito do funcionamento cerebelar, tem levado à elaboração de inúmeros modelos teóricos. Sob o ponto de vista da teoria de controle, o cerebelo tem sido descrito quer como um dispositivo de controle adaptativo quer como um conjunto de geradores de padrões ajustáveis na coordenação de movimentos. Aspectos importantes destas abordagens são discutidos.
Descritores: Desempenho Psicomotor/fisiologia
Cerebelo
Córtex Cerebral
-Sistema Nervoso
Células de Purkinje
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.1/3012.86


  4 / 367 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-233882
Autor: Costa, Luciano da F; Cesar Junior, Roberto M.
Título: Energia de dobramento multi-escala: novas perspectivas em neuromorfometria / Multiscale bending energy: new perspective in neuromorphometry
Fonte: In: Schiabel, Homero; Slaets, Annie France Frère; Costa, Luciano da Fontoura; Baffa Filho, Oswaldo; Marques, Paulo Mazzoncini de Azevedo. Anais do III Fórum Nacional de Ciência e Tecnologia em Saúde. Säo Carlos, s.n, 1996. p.588-588, ilus, graf.
Idioma: pt.
Conferência: Apresentado em: Fórum Nacional de Ciência e Tecnologia em Saúde, 3 e Congresso Brasileiro de Engenharia Biomédica, 15 e Congresso Brasileiro de Físicos em Medicina , 6 e Congresso Brasileiro de Informática em Saúde, 5 e Encontro Brasileiro de Proteçäo Radiológica, Campos do Jordäo, 13-17 out. 1996.
Resumo: Este trabalho apresenta os resultados referentes à aplicação de um novo descritor multi-escala de formas, chamado Energia de Dobramento (ED), para problemas de neuromorfometria. O descritor é introduzido, e resultados demonstrando: (1) a capacidade de discriminação da complexidade da forma das células neurais e (2) invariância à transformações geométricas, são apresentados.
Descritores: Sistema Nervoso
Mamíferos
Modelos Neurológicos
Neurônios
-Primatas
Canais Iônicos
Distribuição Normal
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.1/3012.74


  5 / 367 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-789007
Autor: Babicsak, Viviam R; Cardoso, Guilherme S; Tsunemi, Miriam H; Vulcano, Luiz C.
Título: Computed tomographic features of the feline brain change with advancing age? / O aspecto tomográfico do encéfalo de felinos altera com o avanço da idade?
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;35(supl.1):33-38, dez. 2015. tab, graf, ilus.
Idioma: en.
Projeto: FAPESP.
Resumo: A better understanding of normal or expected encephalic changes with increasing age in cats is needed as a growing number of these animals is attended in veterinary clinics, and imaging data referring to normal age-associated changes are extremely scarce in the literature. The objective of this study was to identify age-related changes in feline brain using CT imaging. Fifteen non-brachycephalic healthy cats with age between 1 to 6 years (adult group) and others over 12 years (geriatric group) were submitted to CT scan of the brain. Statistically significant differences were found between the groups for the ability to identify the left lateral ventricle and for falx cerebri calcification, both identified in a greater number of cats of the geriatric group. A significantly higher mean width of the third ventricle was also detected in geriatric animals. There were no statistically significant differences between lateral ventricular dimensions and encephalic parenchymal attenuation on pre and post-contrast CT phases. The results of the present study show an increase in the incidence of falx cerebri calcification and a third ventricular dilatation with advancing age in cats. Future researches using MRI scanners and a greater quantity of cats are needed in order to identify supplementary age-related changes.(AU)

Uma melhor compreensão das alterações encefálicas normais ou esperadas com o aumento da idade em gatos é necessária no presente momento, uma vez que tem havido um número crescente desses animais nas clínicas veterinárias, e dados de imagem referentes às alterações normais associadas à idade são extremamente escassos na literatura. O objetivo deste estudo foi a identificação de alterações relacionadas à idade no encéfalo de gatos através da tomografia computadorizada. Quinze gatos saudáveis não braquicefálicos com idade entre 1 e 6 anos (grupo adulto) e mais de 12 anos (grupo geriátrico) foram submetidos à tomografia encefálica. Diferenças estatísticas significativas foram encontradas entre os grupos para a identificação do ventrículo lateral esquerdo e calcificação da foice cerebral, ambos visualizados em um número maior de gatos do grupo geriátrico. A média de largura do terceiro ventrículo também foi significativamente maior nos animais geriátricos. Não foram encontradas diferenças estatísticas significativas entre a mensuração dos ventrículos laterais e a atenuação do parênquima encefálico nas fases tomográficas pré e pós-contraste. Os resultados do presente estudo demonstram aumento da incidência de calcificação da foice cerebral e dilatação do terceiro ventrículo de acordo com o avanço da idade em gatos. Pesquisas futuras utilizando ressonância magnética e uma maior quantidade de gatos são necessárias a fim de se identificar alterações complementares relacionadas à idade.(AU)
Descritores: Encéfalo/anatomia & histologia
Encéfalo/diagnóstico por imagem
Envelhecimento/fisiologia
-Tomografia Computadorizada por Raios X/veterinária
Sistema Nervoso/anatomia & histologia
Limites: Animais
Gatos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  6 / 367 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-895398
Autor: Riet-Correa, Franklin; Medeiros, Rosane M. T; Pfister, James A; Mendonça, Fabio S.
Título: Toxic plants affecting the nervous system of ruminants and horses in Brazil / Plantas tóxicas que afetam o sistema nervoso de ruminantes e equinos no Brasil
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;37(12):1357-1368, dez. 2017.
Idioma: en.
Projeto: CNPq.
Resumo: This review updates information about neurotoxic plants affecting ruminants and equidae in Brazil. Currently in the country, there are at least 131 toxic plants belonging to 79 genera. Thirty one of these poisonous plants affect the nervous system. Swainsonine-containing plants (Ipomoea spp., Turbina cordata and Sida carpinifolia) cause numerous outbreaks of poisoning, mainly in goats, but cattle and horses are occasionally affected. The poisoning by Ipomoea asarifolia, a tremorgenic plant, is very common in sheep, goats and cattle in the Northeastern region and in the Marajo island. Poisoning by the pods of Prosopis juliflora are frequent in cattle in Northeastern Brazil; occasionally this poisoning affects goats and more rarely sheep. Some poisonings by plants, such as Hybanthus calceolaria, Ipomoea marcellia and Talisia esculenta in ruminants and Indigofera lespedezioides in horses were recently described and needs to be accurately investigated about its occurrence and importance. Other plants poisonings causing nervous signs in ruminants and equidae are less important, but should be considered for the differential diagnosis of neurologic diseases.(AU)

Esta revisão tem por objetivo atualizar as informações sobre plantas neurotóxicas que afetam ruminantes e equinos no Brasil. Atualmente sabe-se que existe no país pelo menos 131 plantas tóxicas pertencentes a 79 gêneros. Trinta e uma espécies afetam o sistema nervoso. As plantas quem contém swainsonina (Ipomoea spp., Turbina cordata and Sida carpinifolia) causam numerosos surtos de intoxicação, principalmente em caprinos, mas bovinos e cavalos são ocasionalmente afetados. A intoxicação por Ipomoea asarifolia, uma planta tremorgênica, é muito comum em ovinos, caprinos e bovinos na região Nordeste e na ilha de Marajó. A intoxicação pelas vagens de Prosopis juliflora é frequente em bovinos no Nordeste do Brasil; ocasionalmente são afetados caprinos e mais raramente ovinos. Algumas intoxicações por plantas, como Hybanthus calceolaria, Ipomoea marcellia e Talisia esculenta em ruminantes e Indigofera lespedezioides em equinos foram recentemente descritas e precisam ser investigadas com precisão sobre sua ocorrência e importância. Outras intoxicações por plantas que causam sinais nervosos em ruminantes e equídeos são menos importantes, todavia devem ser consideradas para o diagnóstico diferencial de doenças neurológicas.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/fisiopatologia
Intoxicação por Plantas/veterinária
Plantas Tóxicas
Ruminantes
Agentes Neurotóxicos/análise
Cavalos
Sistema Nervoso
-Brasil
Limites: Animais
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  7 / 367 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-681464
Autor: Gomes, Marleide da Mota.
Título: Classificações e critérios diagnósticos em neurologia / Classifications and diagnostic criteria in neurology.
Fonte: Rio de Janeiro; MOTA; 1999. 291 p.
Idioma: pt.
Descritores: Classificação Internacional de Doenças
Neurologia
Sistema Nervoso
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.1/3515.00; BR599.1; 616.8, G633c, REF. 10001014447


  8 / 367 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Milani, Carlo
Id: lil-556293
Autor: Rodrigues, Luciano Miller Reis; Valesin Filho, Edgar Santiago; Ueno, Fabrício Hidetoshi; Fujiki, Edison Noboru; Milani, Carlo.
Título: Análise evolutiva da dor e função neurológica de pacientes submetidos à descompressão medular por lesão vertebral metastática / Pain and neurological function analysis of patients submitted to decompression and stabilization due to metastatic vertebral lesion
Fonte: RBM rev. bras. med;67(supl.5), abr. 2010.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: Avaliar a evolução da dor e função neurológica em pacientes com lesão metastática em coluna vertebral operados por abordagem posterior. Material e método: Foram avaliados 32 pacientes (17 do gênero feminino e 15 do masculino), idade média de 56,46 anos, com diagnóstico de metástase em coluna vertebral. Os critérios para indicação cirúrgica foram a presença de alteração neurológica progressiva (6 pacientes - 18,75%) dor incapacitante (23 pacientes - 71,87%) ou, ainda, pacientes que sofriam destas condições combinadas (3 pacientes - 9,37%). Foi aplicado o questionário VAS para avaliação de dor e escala de Frankel modificada para avaliação de função neurológica no período pré-operatório, um e seis meses após a cirurgia. Resultado: Foi observada uma variação estatística significante na análise comparativa entre os valores de escala de dor (VAS), com valores finais médios de 5,29 pontos e iniciais de 8,48 pontos. Na avaliação da função neurológica observamos diferenças na análise do nível neurológico através de escala Frankel nos diversos momentos de observação, entretanto não foi possível comprovar estatisticamente quais as principais variações quando comparadas individualmente nesta evolução. Na avaliação inicial, um mês após o procedimento, dos 29 pacientes avaliados, 17 (58,62%) mantiveram o mesmo nível neurológico pré-operatório 7 pacientes (24,13%) apresentaram melhora em ao menos um nível na escala Frankel e em 5 pacientes (17,24%) foi observada piora de ao menos um nível na escala Frankel.
Descritores: Descompressão/métodos
Medição da Dor/enfermagem
Medição da Dor/psicologia
Metástase Neoplásica/patologia
Metástase Neoplásica/radioterapia
Metástase Neoplásica/terapia
Sistema Nervoso/fisiopatologia
Traumatismos da Coluna Vertebral/etiologia
Traumatismos da Coluna Vertebral/terapia
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudos de Avaliação
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  9 / 367 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-601011
Autor: Tosqui, Priscilla; Colombo, Marcio Francisco.
Título: Neuroglobin and cytoglobin: two new members of globin family
Fonte: Rev. bras. hematol. hemoter;33(4):307-311, 2011.
Idioma: en.
Resumo: The globin family has long been defined by myoglobin and hemoglobin, proteins with the functions of oxygen storage and transportation, respectively. Recently, two new members of this family were discovered: neuroglobin present in neurons and retinal cells and cytoglobin found in various types of tissue. The increased expression of these proteins in hypoxic conditions first suggested a role in oxygen supply. However structural and functional differences, such as the hexacoordinated heme, a high autoxidation rate and different concentrations between different cellular types, have dismissed this hypothesis. The protective role of these globins has already been established. In vitro and in vivo studies have demonstrated increased survival of neurons under stress in the presence of neuroglobin and increased resistance to neurodegenerative diseases. However the mechanism remains unknown. Functions, including detoxification of nitric oxide, free radical scavenging and as an antioxidant and signaling of apoptosis, have also been suggested for neuroglobin and an antifibrotic function for cytoglobin.
Descritores: Globinas
FUMARATESABDOMEN, ACUTE
AMERICAN NURSES' ASSOCIATIONACCIDENT PRONENESS
Hipóxia
Sistema Nervoso
Responsável: BR408.1 - Biblioteca da Faculdade de Medicina - BFM


  10 / 367 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-965177
Autor: Santos, Lázaro Antônio dos; Silva, Frederico Ozanan Carneiro e; Ribeiro, Lucas de Assis; Borges, Tania Ribeiro Junqueira; Silva, Daniela Cristina Oliveira; Lizardo, Frederico Balbino; Sousa, Gilmar da Cunha; Barros, Roseâmely Angélica de Carvalho.
Título: Origin and distribution of the brachial plexus in wild boar (Sus scrofa Linnaeus, 1758) / Origem e distribuição do plexo braquial de javali (Sus scrofa Linnaeus, 1758)
Fonte: Biosci. j. (Online);31(6):1816-1825, nov./dec. 2015.
Idioma: en.
Resumo: The origin and distribution of the brachial plexus in wild boar (Sus scrofa), a mammal belonging to the Suidae family were studied. Twelve specimens of wild boar, which were fixed in 10% formalin solution through different points of subcutaneous, intravenous, intramuscular, and intracavitary injections, following by immersing the specimens in the same solution were used. In present study, the brachial plexus of wild boar was a set of nerve fibers formed by the ventral branches from the fifth (C5) to eighth (C8) cervical and the first (T1) thoracic spinal nerves. The subclavian nerve was originated from C5, while the suprascapular nerve had its origin from C5 to C7. The cranial and caudal subscapular nerves were predominantly originated from C6 and C7, as well was the axillary nerve. The origin of the cranial and caudal pectoral nerves was from C7-C8 and C8-T1, respectively. The musculocutaneous nerve was mostly originated from C6 and C7, while the median and radial nerves had origin from C7 to T1. The origin of the ulnar, thoracodorsal, and lateral thoracic nerves was mostly from C8 and T1, while the long thoracic nerve was predominantly originated from C7 and C8. All nerves were responsible for the innervation of scapular girdle structures, arm, forearm, thorax and abdomen. In conclusion, the origin and distribution of the brachial plexus nerves in wild boar (Sus scrofa) are similar to domestic swine rather than to other wild species described in the literature.

O javali (Sus scrofa) é um mamífero que pertencem família Suidae. Estudou-se a origem e distribuição do plexo braquial de javali. Utilizou-se 12 exemplares destes animais, que foram fixados em solução aquosa de formaldeído a 10% mediante diferentes pontos de injeção subcutânea, intravenosas, intramuscular e intracavitária, seguindo-se a imersão dos espécimes em recipientes contendo a mesma solução. O plexo braquial de javali é um conjunto de nervos formados por fibras dos ramos ventrais do quinto ao oitavo nervos espinhais cervicais e do primeiro nervo espinhal torácico. O nervo subclávio originou-se de C5, subescapulares cranial e caudal de C6 a C7, supraescapular de C5 a C7, peitorais cranial e caudal de C7 a C8, axilar de C7 a C8, musculocutâneo de C6 a C7, mediano de C7 a T1, radial de C7 a T1, ulnar de C8 a T1, toracodorsal de C8 a T1, torácico lateral de C8 a T1, torácico longo de C7 a C8 e subclávio de C5, os quais foram responsáveis pela inervação de estruturas do cíngulo escapular, braço, antebraço, tórax e abdome. Em conclusão, a origem e distribuição dos nervos do plexo braquial de javali (Sus scrofa) são mais similares aos suínos domésticos do que com outras espécimes silvestres descritas na literatura.
Descritores: Suínos
Plexo Braquial
Sus scrofa
Sistema Nervoso
Limites: Animais
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central



página 1 de 37 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde