Base de dados : LILACS
Pesquisa : A08.675.542 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 188 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 19 ir para página                         

  1 / 188 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Wagner, Mário Bernardes
Texto completo
Id: biblio-1131618
Autor: Francisconi, Carolina Lampert Monte; Wagner, Mário Bernardes; Ribeiro, Roberto Vanin Pinto; Freitas, André Moraes.
Título: Effects of axial length on retinal nerve fiber layer and macular ganglion cell-inner plexiform layer measured by spectral-domain OCT / Efeito do comprimento axial ocular na espessura da camada de fibras nervosas da retina e da camada de células ganglionares-plexiforme interna avaliadas por OCT espectral
Fonte: Arq. bras. oftalmol;83(4):269-276, July-Aug. 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To evaluate the influence of ocular axial length on circumpapillary retinal nerve fiber layer and ganglion cell-inner plexiform layer thickness in healthy eyes after correcting for ocular magnification effect. Methods: In this cross-sectional study, we evaluated 120 eyes from 60 volunteer participants (myopes, emmetropes, and hyperopes). The thickness of the circumpapillary retinal nerve fiber layer and ganglion cell-inner plexiform layer were measured using the spectral optical coherence tomography (OCT)-Cirrus HD-OCT and correlated with ocular axial length. Adjustment for ocular magnification was performed by applying Littmann's formula. Results: Before the adjustment for ocular magnification, age-adjusted mixed models analysis demonstrated a significant negative correlation between axial length and average circumpapillary retinal nerve fiber layer thickness (r=-0.43, p<0.001), inferior circumpapillary retinal nerve fiber layer thickness (r=-0.46, p<0.001), superior circumpapillary retinal nerve fiber layer thickness (r=-0.31, p<0.05), nasal circumpapillary retinal nerve fiber layer thickness (r=-0.35, p<0.001), and average ganglion cell-inner plexiform layer thickness (r=-0.35, p<0.05). However, after correcting for magnification effect, the results were considerably different, revealing only a positive correlation between axial length and temporal retinal nerve fiber layer thickness (r=0.42, p<0.001). Additionally, we demonstrated a positive correlation between axial length and average ganglion cell-inner plexiform layer thickness (r=0.48, p<0.001). All other correlations were not found to be statistically significant. Conclusions: Before adjustment for ocular magnification, axial length was negatively correlated with circumpapillary retinal nerve fiber layer and ganglion cell-inner plexiform layer thickness measured by Cirrus-OCT. We attributed this effect to ocular magnification associated with greater axial lengths, which was corrected with the Littman's formula. Further studies are required to investigate the impact of ocular magnification correction on the diagnostic accuracy of Cirrus-OCT.

RESUMO Objetivo: Avaliar a influência do comprimento axial ocular na espessura da camada de fibras nervosas da retina peripapilar e na espessura da camada de células ganglionares-plexiforme interna em olhos saudáveis após correção para efeito de magnificação ocular. Métodos: Neste estudo transversal, avaliamos 120 olhos de 60 participantes voluntários (míopes, emétropes e hipermétropes). A espessura da camada de fibras nervosas da retina peripapilar e da camada de células ganglionares-plexiforme interna foram medidas usando a tomografia de coerência óptica espectral (OCT)-Cirrus HD-OCT e correlacionada com o comprimento axial ocular. O ajuste para a magnificação ocular foi realizado aplicando a fórmula de Littmann. Resultados: Antes do ajuste para magnificação ocular, a análise de modelos mistos ajustada por idade demonstrou uma correlação negativa significante entre o comprimento axial e a espessura média da camada de fibras nervosas da retina peripapilar (r=-0,43; p<0,001), espessura da camada de fibras nervosas da retina peripapilar inferior (r=-0,46; p <0,001), espessura da camada de fibras nervosas da retina peripapilar superior (r=-0,31; p<0,05), espessura da camada de fibras nervosas da retina peripapilar nasal (r=-0,35; p<0,001) e espessura média das células ganglionares-plexiforme interna (r=-0,35; p<0,05). No entanto, após a correção do efeito de magnificação, os resultados foram consideravelmente diferentes, revelando apenas uma correlação positiva entre o comprimento axial e a espessura temporal da camada de fibras nervosas da retina(r=0,42; p<0,001). Além disso, demonstramos uma correlação positiva entre o comprimento axial e a espessura média das células ganglionares-plexiforme interna (r=0,48; p<0,001). Todas as outras correlações não foram consideradas estatisticamente significativas. Conclusão: Antes do ajuste para o efeito de magnificação ocular, o comprimento axial estava negativamente correlacionado com a espessura da camada de fibras nervosas da retina peripapilar e das células ganglionares-plexiforme interna medido pelo Cirrus-OCT. Atribuimos esse efeito à magnificação ocular associada a comprimentos axiais maiores, o que foi corrigido com a fórmula de Littman. Mais estudos são necessários para investigaro impactoda correçãoda magnificação ocular na acurácia diagnóstica do Cirrus-OCT.
Descritores: Tomografia de Coerência Óptica
-Células Ganglionares da Retina
Glaucoma
Estudos Transversais
Fibras Nervosas
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 188 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1131623
Autor: Pekel, Evre; Altisink, Selda Ayça; Pekel, Gökhan.
Título: Inner retinal thickness and optic disc measurements in obese children and adolescents / Espessura retiniana interna e medidas do disco óptico na obesidade pediátrica
Fonte: Arq. bras. oftalmol;83(5):383-388, Sept.-Oct. 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: This study aimed to evaluate optic nerve head parameters and inner retinal layer thicknesses in obese children and adolescents. Methods: Forty-one eyes of 41 pediatric obese participants and 41 eyes of 41 age- and sex-matched healthy controls were included in this study. Body mass index was calculated, based on sex and age, using body weight and height measurements. Blood lipid values (i.e., cholesterol, low-density lipoprotein, high-density lipoprotein, and triglyceride) were measured in obese participants. Optical coherence tomography was used to examine optic nerve head parameters, including rim area, disc area, cup-to-disc ratio, and cup volume, as well as the thicknesses of retinal nerve fiber layers and macular ganglion cell-inner plexiform layers. Results: Optic disc parameters were similar in obese and healthy children (p>0.05). The percentage of binocular retinal nerve fiber layer thickness symmetry was significantly different between obese and control groups (p=0.003). Compared to the control group, participants in the obese group exhibited thinner retinal nerve fiber layers in the superior quadrants (p=0.04) and thinner ganglion cell-inner plexiform layers in the superior-temporal sectors (p=0.04). There were no statistically significant correlations between the ocular parameters and lipid blood test values assessed in this study (p>0.05). Body mass index was significantly negatively correlated with the mean retinal nerve fiber layer thickness (r=-0.33, p=0.03) in the obese group. There was no significant correlation between intraocular pressure and body mass index (r=0.05, p=0.74). Conclusion: Compared to healthy children, obese children had greater binocular retinal nerve fiber layer thickness asymmetry and thinner retinal nerve fiber and ganglion cell-inner plexiform layers in several sectors. Blood lipid levels were not associated with retinal thickness or optic disc parameters in obese children.

RESUMO Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar os parâmetros da cabeça do nervo óptico e a espessura da camada interna da retina em crianças e adolescentes obesos. Métodos: Quarenta e um olhos de 41 participantes pediátricos obesos e 41 olhos de 41 controles saudáveis pareados por idade e sexo foram incluídos neste estudo. O índice de massa corporal foi calculado com base no sexo e na idade, utilizando medidas de peso e estatura corporal. Os valores de lipídios no sangue (colesterol, lipoproteína de baixa e alta densidade e triglicérides) foram medidos nos participantes obesos. A tomografia de coerência óptica foi usada para examinar os parâmetros da cabeça do nervo óptico, incluindo a área da borda, área do disco, razão escavação/disco, volume da escavação, espessura s camadas de fibra nervosa da retina e as camadas plexiformes internas das células ganglionares da mácula. Resultados: Os parâmetros do disco óptico foram semelhantes em crianças obesas e saudáveis (p>0,05). A porcentagem da simetria da espessura da camada de fibras nervosas da retina binocular foi significativamente diferente entre os grupos obesos e controle (p=0,003). Comparados ao grupo controle, os participantes do grupo obeso exibiram camadas mais finas de fibras nervosas da retina nos quadrantes superiores (p=0,04) e camadas plexiformes mais finas da célula ganglionar interna nos setores temporal superior (p=0,04). Não houve correlação significante entre os parâmetros oculares e os valores dos exames de sangue lipídico avaliados neste estudo (p>0,05). O índice de massa corporal foi significativamente correlacionado negativamente com a espessura média da camada de fibras nervosas da retina (r=-0,33, p=0,03) no grupo obeso. Não houve correlação significativa entre a pressão intraocular e o índice de massa corporal (r=0,05, p=0,74). Conclusão: Comparadas às crianças saudáveis, as crianças obe sas apresentaram maior assimetria binocular na espessura da ca mada de fibras nervosas da retina e fibras nervosas da retina mais finas e camadas plexiformes internas das células ganglionares em vários setores. Os níveis de lipídios no sangue não foram associados à espessura da retina ou aos parâmetros do disco óptico em crianças obesas.
Descritores: Disco Óptico
Obesidade
-Disco Óptico/anatomia & histologia
Disco Óptico/diagnóstico por imagem
Retina
Células Ganglionares da Retina
Tomografia de Coerência Óptica
Fibras Nervosas
Obesidade/complicações
Limites: Humanos
Adolescente
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 188 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1153076
Autor: Örnek, Kemal; Temel, Emine; Aşıkgarip, Nazife; Kocamış, Özkan.
Título: Localized retinal nerve fiber layer defect in patients with COVID-19 / Defeito localizado da camada de fibra nervosa da retina em pacientes com COVID-19
Fonte: Arq. bras. oftalmol;83(6):562-563, Nov.-Dec. 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Descritores: Retina/patologia
Infecções por Coronavirus/fisiopatologia
Fibras Nervosas/patologia
-Retina/diagnóstico por imagem
Estudos de Casos e Controles
Tomografia de Coerência Óptica
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 188 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Laks, Jerson
Texto completo
Id: lil-779354
Autor: Engelhardt, Eliasz; Moreira, Denise Madeira; Alves, Gilberto de Sousa; Sudo, Felipe Kenji; Laks, Jerson.
Título: The cingulum: from real to virtual dissection / O cíngulo: da dissecção real para a virtual
Fonte: Rev. bras. neurol;52(1):38-39, jan.-mar. 2016. ilus.
Idioma: en.
Descritores: Dissecação/métodos
Cérebro/diagnóstico por imagem
Giro do Cíngulo
Sistema Límbico/anatomia & histologia
-Imagem de Tensor de Difusão
Neuroimagem/métodos
Fibras Nervosas
Limites: Humanos
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  5 / 188 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Tufik, Sérgio
Texto completo
Id: lil-777122
Autor: Azevedo, Eduardo; Silva, Andressa; Martins, Raquel; Andersen, Monica L; Tufik, Sergio; Manzano, Gilberto M.
Título: Activation of C-fiber nociceptors by low-power diode laser / Ativação por laser de diodo de baixa potência de nociceptores relacionados a fibras C
Fonte: Arq. neuropsiquiatr;74(3):223-227, Mar. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective The evaluation of selective activation of C-fibers to record evoked potentials using the association of low-power diode laser (810 nm), tiny-area stimulation and skin-blackening. Method Laser-evoked potentials (LEPs) were obtained from 20 healthy young subjects. An aluminum plate with one thin hole was attached to the laser probe to provide tiny-area stimulation of the hand dorsum and the stimulated area was covered with black ink. Results The mean intensity used for eliciting the ultra-late laser-evoked potential (ULEP) was 70 ± 32 mW. All subjects showed a clear biphasic potential that comprised a negative peak (806 ± 61 ms) and a positive deflection (1033 ± 60 ms), corresponding to the ULEP related to C-fiber activation. Conclusion C-fiber-evoked responses can be obtained using a very low-power diode laser when stimulation is applied to tiny areas of darkened skin. This strategy offers a non-invasive and easy methodology that minimizes damage to the tissue.

RESUMO Objetivo Avaliação da ativação de fibras C para o registro de potenciais evocados utilizando-se laser de baixa potência, áreas pequenas de estimulação e escurecimento da pele. Método Potenciais evocados foram obtidos de 20 sujeitos. Uma placa de alumínio com uma pequena abertura foi acoplada à ponteira do laser para estimular área escurecida do dorso da mão. Resultados A intensidade média utilizada para estimulação foi de 70 ± 32 mW. Todos os sujeitos apresentaram respostas claras compreendendo dois picos um negativo (806 ± 61 ms) seguido por outro positivo (1033 ± 60 ms), correspondendo ao potencial evocado tardio por estimulação de fibras C. Conclusão Respostas de fibras C podem ser obtidas utilizando-se laser de baixa potência quando a estimulação é aplicada a pequenas áreas de pele escurecida. Esta estratégia oferece uma metodologia não invasiva que minimiza danos teciduais.
Descritores: Nociceptores/efeitos dos fármacos
Potenciais Somatossensoriais Evocados/efeitos da radiação
Lasers Semicondutores
Fibras Nervosas/efeitos da radiação
-Tempo de Reação
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 188 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Laks, Jerson
Texto completo
Id: biblio-1598
Autor: Engelhardt, Eliasz; Moreira, Denise Madeira; Sudo, Felipe Kenji; Alves, Gilberto Sousa; Silva, Júlio César Vasconcelos da; Laks, Jerson.
Título: The uncinate fascicle: from real to virtual dissection / O fascículo uncinado: da dissecção real para a virtual
Fonte: Rev. bras. neurol;52(2):48-49, abr.-jun. 2016. ilus.
Idioma: en.
Descritores: Dissecação/métodos
Cérebro/diagnóstico por imagem
Imagem de Tensor de Difusão/métodos
Neuroimagem/métodos
Fibras Nervosas
-Lobo Temporal/anatomia & histologia
Lobo Frontal/anatomia & histologia
Limites: Humanos
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  7 / 188 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Laks, Jerson
Texto completo
Id: biblio-831709
Autor: Engelhardt, Eliasz; Moreira, Denise Madeira; Sudo, Felipe Kenji; Alves, Gilberto Sousa; Silva , Júlio César Vasconcelos da; Laks, Jerson.
Título: The fornix: from real to virtual dissection / O fornix: da dissecção real para a virtual
Fonte: Rev. bras. neurol;52(4):40-41, out.-dez. 2016. ilus.
Idioma: en.
Resumo: []
Descritores: Fórnice
Dissecação/métodos
Cérebro/diagnóstico por imagem
Neuroimagem
-Imagem de Tensor de Difusão/métodos
Fibras Nervosas
Limites: Humanos
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  8 / 188 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-967839
Autor: Engelhardt, Eliasz.
Título: A via motora cruzada: a descoberta da decussação piramidal / The crossed motor pathway: the pyramidal decussation discovery
Fonte: Rev. bras. neurol;54(4):38-39, out.-dez. 2018. ilus.
Idioma: pt.
Descritores: Tratos Piramidais/anatomia & histologia
Vias Eferentes
Traumatismos Craniocerebrais
Hemiplegia
Fibras Nervosas
-Tratos Piramidais/lesões
Cabeça/inervação
Limites: Humanos
Animais
Cães
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  9 / 188 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-782804
Autor: Colak, Hatice Nur; Kantarcı, Feride Aylin; Tatar, Mehmet Gurkan; Eryilmaz, Mehmet; Uslu, Hasim; Goker, Hasan; Yildirim, Aydin; Gurler, Bulent.
Título: Retinal nerve fiber layer, ganglion cell complex, and choroidal thicknesses in migraine / Espessuras da camada de fibras nervosas retinianas, complexo de células ganglionares e coroide na enxaqueca
Fonte: Arq. bras. oftalmol;79(2):78-81, Mar.-Apr. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To evaluate the thicknesses of the peripapillary retinal nerve fiber layer (RNFL), ganglion cell complex (GCL), and choroid layer using spectral domain optical coherence tomography (SD-OCT) for investigating the effects of vascular changes on the eye and optic nerve in patients who have migraine with aura. Methods: Forty-five patients who had migraine with aura (migraine group) and 45 healthy individuals (control group) were enrolled in the study. Age, gender, duration after migraine diagnosis, intraocular pressure, and axial length measurements were recorded in each case. RNFL, GCL, and choroid layer thicknesses were measured using SD-OCT in all participants. Results: The mean age was 36.1 ± 6.7 (20-45) years in the migraine group and 35.7 ± 8.6 (19-45) years in the control group. There was no significant difference in the RNFL thicknesses of the temporal and nasal quadrants (p >0.05). The RNFL thicknesses of the superior and inferior quadrants were significantly lower in the migraine group compared with those in the control group (p =0.001, p <0.01, respectively). Measurements for the superior and inferior GCL were not significantly different between the groups (p >0.05). Subfoveal, temporal, and nasal choroidal thickness measurements at 500 µm, 1000 µm, and 1500 µm were significantly lower in the migraine group than in the control group (p =0.001; p <0.01, respectively). Conclusions: Compared with the controls, the RNFL and choroid layer were determined to be thinner in patients who had chronic migraine with aura.

RESUMO Objetivo: Avaliar as espessuras de camada peripapilar de fibras nervosas retinianas (RNFL), complexo de células ganglionares (GCL) e da coroide utilizando a tomografia de coerência óptica de domínio espectral (SD-OCT), a fim de investigar os efeitos das alterações vasculares no olho e nervo óptico em pacientes que apresentam enxaqueca com aura. Métodos: Quarenta e cinco pacientes que apresentavam enxaqueca com aura (grupo enxaqueca) e 45 indivíduos saudáveis (grupo controle) foram incluídos no estudo. Idade, sexo, duração da enxaqueca, pressão intraocular e medidas de comprimento axial foram registrados em cada caso. Medidas da RNFL, GCL e espessuras da coroide foram obtidas com SD-OCT em todos os participantes. Resultados: A média da idade foi de 36,1 ± 6,7 (20-45) anos no grupo enxaqueca e 35,7 ± 8,6 (19-45) anos no grupo controle. Não houve diferença significativa em espessuras RNFL nos quadrantes temporal e nasal (p>0,05). A espessura da RNFL nos quadrantes superiores e inferiores foram significativamente menores no grupo de enxaqueca em comparação ao grupo controle (p=0,001; p<0,01). Medidas da GCL superior e inferior não mostraram diferença significativa entre os grupos (p>0,05). Espessuras subfoveais, temporais e nasais da coroide (CT) a 500 µm, 1000 µm e 1500 µm foram significativamente menores no grupo de enxaqueca em relação ao grupo controle (p=0,001; p<0,01). Conclusões: Comparados aos controles, as espessuras da RNFL e coroide foram mais finas em pacientes que apresentavam enxaqueca crônica com aura.
Descritores: Retina/diagnóstico por imagem
Células Ganglionares da Retina/patologia
Corioide/diagnóstico por imagem
Enxaqueca com Aura/diagnóstico por imagem
Fibras Nervosas/patologia
-Disco Óptico/fisiopatologia
Disco Óptico/diagnóstico por imagem
Retina/fisiopatologia
Estudos Transversais
Corioide/fisiopatologia
Enxaqueca com Aura/fisiopatologia
Tomografia de Coerência Óptica
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 188 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-782793
Autor: Bulut, Mehmet; Yaman, Aylin; Erol, Muhammet Kazim; Kurtuluş, Fatma; Toslak, Devrim; Coban, Deniz Turgut; Başar, Ebru Kaya.
Título: Cognitive performance of primary open-angle glaucoma and normal-tension glaucoma patients / Desempenho cognitivo em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e glaucoma de pressão normal
Fonte: Arq. bras. oftalmol;79(2):100-104, Mar.-Apr. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To assess cognitive performance differences among primary open-angle glaucoma (POAG) patients, normal-tension glaucoma (NTG) patients, and healthy control (C) subjects. Methods: A total of 60 participants (20 POAG, 20 NTG, and 20 C subjects) were included in this study. A detailed ophthalmologic examination was performed on all participants. A spectral domain-optical coherence tomography (SD-OCT) system was used to measure the ganglion cell-inner plexiform layer (GC-IPL) and retinal nerve fiber layer (RNFL) thicknesses. To assess the cognitive performance of all participants, detailed neurological examinations, including the mini-mental state examination (MMSE), were performed by the same neurologist. Results: There were no significant differences among the groups in terms of age (p =0.348) or gender (p =0.935). The mean RNFL thicknesses were significantly different among the groups (85.2 ± 14.7, 76.8 ± 10.3, and 91.4 ± 7.7 µm in the POAG, NTG, and C subjects, respectively; p <0.001). The mean GC-IPL thicknesses were 77.5 ± 9.7 µm in the POAG group, 73.4 ± 7.8 µm in the NTG group, and 78.8 ± 3.8 µm in the C group. Differences among the groups were not statistically significant (p =0.085). MMSE scores were 26.1 ± 1.4, 25.7 ± 2.3, and 28.8 ± 0.9 in the POAG, NTG, and C groups, respectively. There were significant differences among the three groups (p <0.001). Specifically, there were significant differences between the NTG and C groups (p <0.001), and between the POAG and C groups (p =0.001). There was no significant difference between the POAG and NTG groups (p =0.595). Conclusions: There appear to be similar risk factors in glaucoma and neurodegenerative disorders that cause deterioration in cognitive performance. Comparing the low MMSE scores of the POAG and NTG patients with the scores of healthy C participants supports our hypothesis. Consequently, it is recommended that a neurologist should also examine glaucoma patients.

RESUMO Objetivos: Avaliar as diferenças de desempenho cognitivo entre pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto (POAG), glaucoma de pressão normal (NTG) e controle de indivíduos saudáveis (C). Métodos: Um total de 60 pessoas (20 POAG, 20 NTG e 20 indivíduos saudáveis) foram incluídos neste estudo. Um exame oftalmológico detalhado foi realizado em todos os participantes. Um sistema de tomografia de coerência óptica de domínio espectral (SD-OCT) foi utilizado para medir as espessuras da camada de células ganglionares plexiforme interna (GC-IPL) e da camada de fibras nervosas da retina (RNFL). Para avaliar o desempenho cognitivo de todos os participantes, foi realizado pelo mesmo neurologista um exame neurológico detalhado, incluindo mini-exame do estado mental (MMSE). Resultados: Não houve diferenças significativas entre os grupos em termos de idade (p=0,348) e sexo (p=0,935). Espessuras médias da RNFL foram significativamente diferentes, sendo 85,2 ± 14,7, 76,8 ± 10,3 e 91,4 ± 7,7 µm nos grupos POAG, NTG e controles, respectivamente (p<0,001). As espessuras médias da GC-IPL observadas foram 77.5 ± 9.7 μm no grupo POAG, 73,4 ± 7,8 µm no grupo NTG e 78,8 ± 3,8 µm nos controlos. As diferenças entre os grupos não foram estatisticamente significantes (p=0,085). Graduações do MMSE foram 26,1 ± 1,4, 25,7 ± 2,3 e 28,8 ± 0,9 nos grupos POAG, NTG e controles, respectivamente. Houve diferenças significativas entre os três grupos (p<0,001). Houve diferença significativa entre NTG e saudáveis (p<0,001). Houve diferença significativa entre POAG e saudáveis (p=0,001). Não houve diferença significativa entre o POAG e NTG (p=0,595). Conclusões: Parecem haver fatores de risco semelhantes no glaucoma e nos distúrbios neurodegenerativos que causam deterioração no desempenho cognitivo. Comparando a baixa graduação do MMSE de pacientes com POAG e NTG com controles saudáveis referenda nossa hipótese. Consequentemente recomenda-se que um neurologista também examine os pacientes de glaucoma.
Descritores: Glaucoma de Ângulo Aberto
Cognição
Glaucoma de Baixa Tensão
Entrevista Psiquiátrica Padronizada/estatística & dados numéricos
-Retina/anatomia & histologia
Retina/fisiopatologia
Células Ganglionares da Retina/fisiologia
Estudos de Casos e Controles
Demência/diagnóstico
Demência/fisiopatologia
Tomografia de Coerência Óptica/métodos
Fibras Nervosas/fisiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 19 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde