Base de dados : LILACS
Pesquisa : A08.675.650.915.750.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 11 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 11 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-866214
Autor: Shinohara, André Luis.
Título: Células satélites e fusos neuromusculares em músculos estriados de ratos desnervados por longo período / Satellite cells and neuromuscular spindles in skeletal muscles in long term denervated rats.
Fonte: Bauru; s.n; 2012. 87 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Odontologia de Bauru para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O músculo estriado esquelético apresenta em sua constituição células satélites (CS) que se encontram em estado quiescente localizadas entre o sarcolema e a lâmina basal das fibras musculares. As CS podem ser ativadas, diferenciando em mioblastos, contribuindo para regeneração e/ou crescimento do tecido muscular. Os Fusos neuromusculares são mecanorreceptores localizados no interior dos músculos esqueléticos considerados a unidade contrátil reguladora, monitorando a velocidade e duração do alongamento do músculo. Está composto de fibras intrafusais (FIF), circundadas por uma bainha de tecido conjuntivo e encontra-se paralelo às fibras extrafusais. A desnervação promove alterações no músculo esquelético, tanto em CS, quanto nos fusos neuromusculares. Este trabalho analisou quantitativamente as FIF e a proliferação de CS em músculos esquelético de ratos desnervados por longo período. Foram utilizados ratos Wistar. Os animais foram divididos em grupos desnervados e controle. Os músculos Sóleo e Extensor longo dos dedos (EDL) foram desnervados experimentalmente. Após os períodos de 0, 12, 16, 19, 30 e 38 semanas, os músculos foram dissecados, removidos e preparados histológicamente. A porcentagem de CS em músculos imediatamente após desnervação aumenta em relação ao músculo normal e depois decresce em ambos os músculos. Durante o progresso do tempo de desnervação ocorreu um aumento no número de FIF, se comparado com o grupo normal. O número de CS diminui significantemente entre os períodos de desnervação, em ambos os grupos. Nos músculos estudados quanto menor a porcentagem de CS maior é o número de FIF e, aumentando o tempo de desnervação, diminui o número de CS. Em relação às FIF, no grupo controle com o aumento do tempo, o número de fibras não se altera...

The skeletal muscle consists of satellite cells (SC) which are in a quiescent state located between the sarcolemma and basal lamina of the muscle fibers. The SC can get activated, differentiating into myoblasts, contributing to regeneration and/or growth of muscle tissue. The neuromuscular spindles are mechanoreceptors located within the skeletal muscle and are considered as contractile regulatory unit, monitoring the speed and duration of muscle stretching. It is composed of Intrafusal muscle fibers (FIF), surrounded by a sheath and is parallel to extrafusal fibers. Denervation cause changes in skeletal muscles both in the CS and neuromuscular spindles. This study analyzed quantitatively the FIF and the proliferation of CS in rat skeletal muscle, denervated for long period. We used Wistar rats to perform this study. The animals were divided into control and denervated groups. The soleus and extensor digitorum longus (EDL) were denervated experimentally. After periods of 0, 12, 16, 19, 30 and 38 weeks, the muscles were dissected, removed and were prepared for histological analysis. The percentage of SC in muscles immediately after denervation, increases in relation to normal muscle and later decreases in both the groups. During the process of denervation, there was an increase in FIF when compared with normal group. The number of SC reduces significantly between the periods of denervation in both the groups. In the muscles studied, the smaller the percentage of SC, higher is the number of FIF and increase in the duration of denervation, reduces the number of SC. As for FIF, with the increase in time in control group, the number of fibres was unaltered...
Descritores: Fusos Musculares/inervação
Músculo Estriado/inervação
-Denervação Muscular/métodos
Ratos Wistar
Fatores de Tempo
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR28.1 - Serviço de Biblioteca e Documentação Professor Doutor Antônio Gabriel Atta


  2 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-673686
Autor: Shinohara, André Luis.
Título: Células satélites e fusos neuromusculares em músculos estriados de ratos desnervados por longo período / Satellite cells and neuromuscular spindles in skeletal muscles in long term denervated rats.
Fonte: Bauru; s.n; 2012. 87 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Odontologia de Bauru para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O músculo estriado esquelético apresenta em sua constituição células satélites (CS) que se encontram em estado quiescente localizadas entre o sarcolema e a lâmina basal das fibras musculares. As CS podem ser ativadas, diferenciando em mioblastos, contribuindo para regeneração e/ou crescimento do tecido muscular. Os Fusos neuromusculares são mecanorreceptores localizados no interior dos músculos esqueléticos considerados a unidade contrátil reguladora, monitorando a velocidade e duração do alongamento do músculo. Está composto de fibras intrafusais (FIF), circundadas por uma bainha de tecido conjuntivo e encontra-se paralelo às fibras extrafusais. A desnervação promove alterações no músculo esquelético, tanto em CS, quanto nos fusos neuromusculares. Este trabalho analisou quantitativamente as FIF e a proliferação de CS em músculos esquelético de ratos desnervados por longo período. Foram utilizados ratos Wistar. Os animais foram divididos em grupos desnervados e controle. Os músculos Sóleo e Extensor longo dos dedos (EDL) foram desnervados experimentalmente. Após os períodos de 0, 12, 16, 19, 30 e 38 semanas, os músculos foram dissecados, removidos e preparados histológicamente. A porcentagem de CS em músculos imediatamente após desnervação aumenta em relação ao músculo normal e depois decresce em ambos os músculos. Durante o progresso do tempo de desnervação ocorreu um aumento no número de FIF, se comparado com o grupo normal. O número de CS diminui significantemente entre os períodos de desnervação, em ambos os grupos. Nos músculos estudados quanto menor a porcentagem de CS maior é o número de FIF e, aumentando o tempo de desnervação, diminui o número de CS. Em relação às FIF, no grupo controle com o aumento do tempo, o número de fibras não se altera...

The skeletal muscle consists of satellite cells (SC) which are in a quiescent state located between the sarcolemma and basal lamina of the muscle fibers. The SC can get activated, differentiating into myoblasts, contributing to regeneration and/or growth of muscle tissue. The neuromuscular spindles are mechanoreceptors located within the skeletal muscle and are considered as contractile regulatory unit, monitoring the speed and duration of muscle stretching. It is composed of Intrafusal muscle fibers (FIF), surrounded by a sheath and is parallel to extrafusal fibers. Denervation cause changes in skeletal muscles both in the CS and neuromuscular spindles. This study analyzed quantitatively the FIF and the proliferation of CS in rat skeletal muscle, denervated for long period. We used Wistar rats to perform this study. The animals were divided into control and denervated groups. The soleus and extensor digitorum longus (EDL) were denervated experimentally. After periods of 0, 12, 16, 19, 30 and 38 weeks, the muscles were dissected, removed and were prepared for histological analysis. The percentage of SC in muscles immediately after denervation, increases in relation to normal muscle and later decreases in both the groups. During the process of denervation, there was an increase in FIF when compared with normal group. The number of SC reduces significantly between the periods of denervation in both the groups. In the muscles studied, the smaller the percentage of SC, higher is the number of FIF and increase in the duration of denervation, reduces the number of SC. As for FIF, with the increase in time in control group, the number of fibres was unaltered...
Descritores: Fusos Musculares/inervação
Músculo Estriado/inervação
-Denervação Muscular/métodos
Ratos Wistar
Fatores de Tempo
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR28.1 - Serviço de Biblioteca e Documentação Professor Doutor Antônio Gabriel Atta


  3 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-576301
Autor: Coelho, Daniel Boari; Duarte, Marcos.
Título: Demanda do sistema nervoso central no controle da postura ereta humana: um modelo em malha aberta e malha fechada / Central nervous system demand on human erect posture control: an open and closed loop model
Fonte: Rev. bras. eng. biomed = Braz. j. biomed. eng;25(3):167-173, dez. 2009. ilus, graf.
Idioma: pt.
Resumo: A maneira como os seres humanos controlam o equilíbrio na postura ereta não é ainda totalmente compreendida e como o sistema nervoso central controla e mantém a postura ereta quieta ainda é alvo de discussão. Nos modelos de controle postural existentes observa-se uma variação contínua do sinal do elemento final de controle, o que certamente pode comprometer a integridade do mesmo e provocar grande demanda de processamento. Visando sua preservação, uma solução seria aumentar o período de comutação, fazendo com que o elemento final de controle atue somente quando o balanço postural afastar-se consideravelmente do sinal de referência. Uma forma de implementar essa solução é empregar controladores que possuam uma zona morta ou intervalo diferencial em torno do valor de referência, definida por um limite superior e um limite inferior. O presente trabalho teve como objetivo investigar se modelos de controladores com intervalo diferencial são adequados para representar o controle da postura ereta. Para tanto, foi implementado um modelo de pêndulo simples para representar a dinâmica do sistema músculo-esquelético humano no plano sagital, com o sistema de controle neural enviando comandos para gerar um torque corretivo que resiste ao desvio da posição do corpo. Implementou-se um modelo de controle por feedback, onde o desvio da posição de referência é percebido e corrigido por um controlador PID que se assemelha a parâmetros neuromusculares, acrescido das características passivas visco-elásticas do músculo. O modelo foi simulado para limites superiores e inferiores de até 0,5º do sinal de referência, onde neste intervalo o sistema age como malha aberta. Observou-se que a opção do controlador com intervalo diferencial piora a qualidade do controle, mas solicita menos o elemento final de controle.

The necessary demand to stabilize the human posture is associated with the way Central Nervous System controls and keeps the quiet erect posture. In existing posture control models, a continuous variation of final element control signal is observed, which will certainly wear the controller. A solution to preserve it would be the increase in commutation period, causing the final control element to act only when postural balance is distantly related to reference signal. A way to implement this solution is to use controllers with a differential gap around the reference signal, defined by a superior and inferior limit. A simple pendulum model is used to represent the dynamics of the human musculo skeletal system on sagittal plane, with neural control system sending instructions in order to produce a corrective torque that stand up to body position deviation. A feedback control model was carried out, where there reference position deviation is perceived and corrected by a PID controller, that resembles neuromuscular parameters, added to passive viscous-elastic properties of the muscle. A model for superior and inferior limits up to 0.5° of reference signal was simulated. In this gap the system acted as an open loop, therefore without the correction of reference signal. It was observed that the option of controller with differential gap worsens the quality of control, but demands less the final element of control.
Descritores: Atividade Motora/fisiologia
Desempenho Psicomotor/fisiologia
Equilíbrio Postural/fisiologia
Fenômenos Fisiológicos do Sistema Nervoso
Postura/fisiologia
-Fenômenos Biomecânicos/fisiologia
Potenciais Somatossensoriais Evocados
Retroalimentação Sensorial
Mecanorreceptores
Modelos Anatômicos
Fusos Musculares
Propriocepção/fisiologia
Amplitude de Movimento Articular
Simulação por Computador
Torque
Responsável: BR1178.1 - BVS ADOLEC BRASIL


  4 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Lauris, José Roberto Pereira
Conti, Paulo Cesar Rodrigues
Texto completo
Id: lil-514038
Autor: Calderon, Patrícia dos Santos; Kogawa, Evelyn Mikaela; Corpas, Lívia dos Santos; Lauris, José Roberto Pereira; Conti, Paulo César Rodrigues.
Título: The influence of gender and bruxism on human minimum interdental threshold ability
Fonte: J. appl. oral sci;17(3):224-228, May-June 2009. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: To evaluate the influence of gender and bruxism on the ability to discriminate minimum interdental threshold. MATERIAL AND METHODS: One hundred and fifteen individuals, representing both genders, bruxers and non-bruxers, with a mean age of 23.64 years, were selected for this study. For group allocation, every individual was subjected to a specific physical examination to detect bruxism (performed by three different examiners). Evaluation of the ability to discriminate minimum interdental threshold was performed using industrialized 0.010 mm-, 0.024 mm-, 0.030 mm-, 0.050 mm-, 0.080 mm- and 0.094 mm-thick aluminum foils that were placed between upper and lower premolars. Data were analyzed statistically by multiple linear regression analysis at 5% significance level. RESULTS: Neither gender nor bruxism influenced the ability to discriminate minimum interdental threshold (p>0.05). CONCLUSIONS: Gender and the presence of bruxism do not play a role in the minimum interdental threshold.
Descritores: Oclusão Dentária
Limiar Sensorial
Bruxismo do Sono/fisiopatologia
Estereognose/fisiologia
-Modelos Lineares
Mecanorreceptores/fisiologia
Fusos Musculares/fisiologia
Valores de Referência
Fatores Sexuais
Inquéritos e Questionários
Adulto Jovem
Limites: Adolescente
Adulto
Feminino
Humanos
Masculino
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-513276
Autor: Costa, Álvaro de Lima.
Título: Tono muscular / Muscle tone
Fonte: Rev. bras. neurol;43(1):25-32, jan.-mar. 2007. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O tono muscular é relativamente fácil de ser examinado e difícil de ser avaliado, pois se trata de matéria de julgamento, e que somente é aprendido por exames repetidos. As alterações do tono podem ocorrer na presença de doenças que envolvam qualquer porção de sistema motor. Nesta revisão o autor faz um apanhado geral sobre a avaliação semiológica do tono muscular e suas diversas formas de apresentação, além de tecer comentários a respeito do mecanismo e modo de atuação do sistema fusimotor.
Descritores: Rigidez Muscular
Espasticidade Muscular
Fusos Musculares
Tono Muscular
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  6 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-491265
Autor: Mesquita, Michelle Guiot; Caetano, Lenita; Pernambuco, Carlos Soares; Silva, Elirez B; Dantas, Estélio H. M.
Título: Análise da excreção urinária de hidroxiprolina e do nível de dor em sujeitos com lombalgia após alongamento na hidrocinesioterapia / Urinary excretion of hydroxyproline analysis and pain in subjects with low back pain after stretching in hydrotherapy
Fonte: Fisioter. Bras;8(2):99-106, mar.-abr. 2007.
Idioma: pt.
Resumo: Hidroxiprolina (HP) e da lombalgia, através de um programa de hidrocinesioterapia, enfatizando o alongamento em água aquecida a 34°C. Participaram do estudo 8 policiais militares do Estado do Rio de Janeiro, do sexo masculino, entre 25 e 45 anos; todos com sintomatologia de lombalgia de causa idiopática e com encaminhamento médico à hidrocinesioterapia. O estudo realizou-se no Centro de Fisiatria e Reabilitação da Polícia Militar do Rio de Janeiro. A piscina onde foi realizada a intervenção media 12 x 6 m, 1,20 de profundidade, com a água a 34°C. A intervenção consistiu de dez sessões de hidrocinesioterapia, duas vezes por semana. Durante cada sessão de 50 minutos, foram realizados os seguintes exercícios: 5 minutos de aquecimento – caminhada; 40 minutos de exercícios específicos – bicicleta em suspensão com flutuador na região axilar; e 5 minutos de alongamento de paravertebrais, bíceps femural, glúteo médio e máximo, tensor da fascia lata, quadrado lombar e tríceps sural. A dor lombar foi mensurada através da escala CR-10 de Borg, antes e após as dez sessões do tratamento, e o nível de HP através do protocolo HPROLI 2h. Os resultados demonstraram que os níveis de HP, antes e depois do tratamento, foram iguais a 53,3 ± 22,6 e 31,6 ± 11,3 mg/d, respectivamente. O teste t de Student apresentou valor para t igual a 3,93, para p = 0,008 demonstrando haver diferença significativa entre HP antes e após a hidrocinesioterapia. Os níveis de dor mensurados, antes e depois do tratamento, foram iguais a 5 ± 2 e 2 ± 1, respectivamente. O teste de Wilcoxon apresentou valor para Z igual a 2,20, para p = 0,03 demonstrando haver diferença significativa entre estes níveis antes e após a hidrocinesioterapia. Conclui-se que o método de alongamento utilizado na hidrocinesioterapia, em pacientes com lombalgia, promoveu redução dos níveis de HP e dor lombar.

The aim of this study was to measure excretion levels of hidroxyproline (HP) in subjects with low back pain through a hydrotherapy program, emphasizing the stretching in warm water 34°C. The subjects of the study were 8 military policemen of the state of Rio de Janeiro, between 25 and 45 years old, all of them with idiopathic low back pain and recommendation to practice hydrotherapy. The intervention was in the Physical Medicine and Rehabilitation Center of Military Policy of Rio de Janeiro. The swimming pool measured 12 x 6 m, with 1,20 of depth and water temperature of 34°C. The intervention consisted of ten sessions of hydrotherapy, twice a week. The exercise program, with 50 minutes each session, was as follows: 5 minutes of walking, 40 minutes of specific exercises – float suspension bicycle in the axillar area and 5 minutes of stretching of paravertebral, biceps femuralis, gluteus maximus and medius, tensor faciae latae muscle, lumbar quadrate and triceps surae. The low back pain was measured by Borg scale CR-10 before the 1st session of the intervention and after the last one, as well as HP level using HPROLI 2h protocol. The results showed that HP levels before and after treatment was 53.3 ± 22.6 and 31.6 ± 11.3 mg/d, respectively. The t Student test showed t 3.93, and for p = 0.008 showing a significant difference between HP levels before and after hydrotherapy. The low back pain before and after treatment was 5 ± 2 and 2 ± 1, respectively. The Wilconxon test showed Z 2,20 and for p = 0,03 and with significant difference between these levels before and after hydrotherapy. One concludes that the stretching method used by hydrotherapy in patients with low back pain promoted reduction in HP levels and low back pain.
Descritores: Hidroxiprolina
Cinesiologia Aplicada
Dor Lombar
Maleabilidade
Água
-Fusos Musculares
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  7 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-468061
Autor: Salvini, Tania Fátima; Coutinho, Eliane Lima; Russo, Thiago Luiz; DeLuca, Camila.
Título: One-minute bouts of passive stretching after immobilization increase sarcomerogenesis in rat soleus muscle
Fonte: Braz. j. morphol. sci = Rev. bras. ciênc. morfol;23(2):271-277, Apr.-June 2006. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: Although the effect of stretching on skeletal muscle has been investigated, the mechanical influence of short bouts of passive stretch, commonly used in rehabilitation therapy to recover skeletal muscle length after immobilization, has not been studied in detail. The hypothesis of this study was that one-minute bouts of muscle stretching applied after immobilization would induce sarcomerogenesis in muscle fibers. To assess this hypothesis, sessions of passive stretching (10 stretches of 1 min each with 30 s rests between stretches) were applied daily or three times a week to the left soleus muscle after immobilization in the shortened position. Eighteen rats were immobilized for four weeks and divided into three groups: 1) after immobilization, the rats remained free for three weeks, 2) the soleus muscle was stretched daily for three weeks, and 3) the soleus muscle was stretched three times a week for three weeks. A control group was run in parallel. The crosssectional area of the soleus muscle fibers and the serial number and length of sarcomeres were measured. Both of the stretch protocols increased the serial number of sarcomeres, but not the cross-sectional area of the muscle fibers. In conclusion, short bouts of passive stretching alter the muscle fiber tropism and induce serial sarcomerogenesis after immobilization.
Descritores: Atrofia Muscular/reabilitação
Imobilização
Fusos Musculares
Músculo Esquelético
Atrofia Muscular
Reflexo de Estiramento
Sarcômeros
-Músculo Esquelético/fisiologia
Ratos Wistar
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR734.1 - Biblioteca Central Cesar Lattes - BCCL


  8 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-447220
Autor: Stefani de Podskubka, Laura.
Título: Progenie / Class III malocclusion
Fonte: Rev. Ateneo Argent. Odontol;45(2):8-16, mayo-ago. 2006. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Se realiza una revisión de las distintas clases de progenies de acuerdo a su etiología y desarrollo. Se incluye una descripción de los posibles tratamientos según los casos. Las maloclusiones Clase III se caracterizan por una posición mesial de la arcada dentaria mandibular respecto a la maxilar, produciendo una mordida cruzada anterior. Con grecuencia estos pacientes presentan una maloclusión dentoesquelética, resultado de una deficiencia maxilar, prognatismo mandibular o una combinación de ambos. Su etiologá es poligénica, donde interactúa la genética y los factores ambientales. Esta maloclusión comrpomete mucho la estética facial, lo que hace que se busque frecuentemente atención temprana
Descritores: Má Oclusão de Angle Classe III/diagnóstico
Má Oclusão de Angle Classe III/etiologia
Má Oclusão de Angle Classe III/terapia
-Cefalometria
Aparelhos de Tração Extrabucal
Doenças Genéticas Inatas/classificação
Má Oclusão de Angle Classe III/cirurgia
Má Oclusão de Angle Classe III/classificação
Fusos Musculares
Doenças Neuromusculares
Prognatismo
Prognóstico
Limites: Adulto
Humanos
Criança
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: AR29.1 - Biblioteca


  9 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Bérzin, F
Id: lil-429720
Autor: Lobato, D. M; Santos, G. M; Coqueiro, K. R. R; Mattiello-Rosa, S. M. G; Terruggi-Junior, A; Bevilacqua-Grossi, D; Mattiello-Sverzut, A. C. M; Berzin, F; Soares, A. B; Monteiro-Pedro, V.
Título: Avaliação propriocepção do joelho em individuos portadores de disfunção femoropatelar / Evaluation of proprioception on the knee among individuals with patellofemoral dysfunctuion
Fonte: Braz. j. phys. ther. (Impr.) = Rev. bras. fisioter;9(1):57-62, jan.-abr. 2005.
Idioma: pt.
Resumo: Avaliar a propriocepcao do joelho de individuos portadores de disfuncao femoropatelar (DFP) e de individuos-controle em dinamometro isocinetico. Metodo: forma selecionados 20 sujeitos do sexo feminino, sendo 10 (22,5 +- 2,3 anos) portadores de DFP unilateral sem sintomatologia dolorosa (grupo DFP) e 10 (21,3 +- 1,7 anos) clinicamente normais (grupo N). As voluntarias, sentadas na cadeira do dinamometro isocinetico e com os olhos vendados, realizaram tres reposicionamentos ativos para tres diferentes angulos-alvo (30, 45 e 60 graus) de flexao do joelho. As variaveis estudads foram o angulo de reposicionamento ativo do joelho e os erros absoluto e relativo em relacao a cada angulo-alvo avaliado. Resultados: o teste t evidenciou que nao houve diferenca significativa na media dos reposicionamentos ativos (P30º=0,33l; P45º=0,39; e P60º=0,96) entre os grupos DFP e controle. Alem disso, a analise de variancia (ANOVA) nao mostrou diferenca significativa, tanto na media do erro absoluto (p=0,66) quanto na media do erro relativo (p=0,81) entre os diferentes angulos-alvo de flexao do joelho. Conclusao: nas condicoes experimentais utilizadas, os dados do presente estudo nao evidenciam deficit proprioceptivo em realacao ao senso de posicao articular entre os grupos DFP e controle
Descritores: Traumatismos do Joelho
Articulação do Joelho
Fusos Musculares
Fisioterapia
Propriocepção
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR351.1 - Biblioteca


  10 / 11 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-404395
Autor: Fonseca, S. T; Ocarino, J. M; Silva, P. L. P.
Título: Ajuste da rigidez muscular via sistema fuso-muscular-gama: implicacoes para o controle da estabilidade articular / Muscle stiffness adjustment through the gamma-spindle system: implications for joint stability control
Fonte: Braz. j. phys. ther. (Impr.) = Rev. bras. fisioter;8(3):187-195, set.-dez. 2004. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Diversos estudos biomecanicos tem investigado a importancia das propriedades mecanicas dos musculares para manutencao da estabilidade articular. A rigidez de um musculo ou articulacao esta relacionada a capacidade dessas estruturas de resistirem a pertubacoes. Inumeros estudos tem demonstrado a importancia de um ajuste dinamico da rigidez para manutencao durante atividades funcionais. Dessa forma, um mecanismo neuromuscular que possibilite o ajuste continuo da rigidez muscular permitiria a adaptacao de um individuo a grande variabilidade de demanda de estabilizacao articular existente nos diversos tipos de atividades de vida diaria e esportiva. Foi objetivo desta revisao discutir a adequacao de um mecanismo de ajuste da rigidez via sistema fuso-muscular-gama para o controle da estabilidade articular. Ha evidencias de esse sistema pode ser responsavel pelo aumento na rigidez muscular e articular, o que resultaria em maior habilidade da articulacao em resistir a pertubacoes. Esse mecanismo de ajuste utiliza informacoes extero e proprioceptivas para garantir adaptacao as inesperadas e variadas demandas do ambiente, protegendo as articulacoes contra pertubacoes. O conhecimento dos mecanismos relacionados ao ajuste da rigidez e do papel desse mecanismo na estabilizacao articular seria relevante para Fisioterapia, uma vez que poderia embasar o desenvolvimento de tecnicas de reabilitacao que tenham por objetivo facilitar este ajuste de forma a melhorar a estabilidade funcional dos pacientes
Descritores: Rigidez Muscular
Fusos Musculares
Amplitude de Movimento Articular
Responsável: BR351.1 - Biblioteca



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde