Base de dados : LILACS
Pesquisa : A08.800.800.720.450 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 65 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 7 ir para página                  

  1 / 65 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1154517
Autor: Mass-Lindenbaum, Marcelo; Calderón-Pollak, D; Goldman, H. B; Pizarro-Berdichevsky, Javier.
Título: Sacral neuromodulation - when and for who
Fonte: Int. braz. j. urol;47(3):647-656, May-June 2021.
Idioma: en.
Descritores: Terapia por Estimulação Elétrica
Bexiga Urinária Hiperativa/terapia
-Sacro
Plexo Lombossacral
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Editorial
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1055195
Autor: Padilha, Igor G; Fischer, Thais; Pacheco, Felipe T; Da Rocha, Antônio José.
Título: Brachial and sacral plexus neurolymphomatosis - unusual regions for disease relapses / Neurolinfomatose nos plexos braquial e sacral - uma apresentação clínica atípica para recidiva
Fonte: Arq. neuropsiquiatr;77(11):832-833, Nov. 2019. graf.
Idioma: en.
Descritores: Neuropatias do Plexo Braquial/diagnóstico por imagem
Neurolinfomatose/diagnóstico por imagem
Plexo Lombossacral/diagnóstico por imagem
-Recidiva
Imageamento por Ressonância Magnética
Neuropatias do Plexo Braquial/patologia
Neuroimagem/métodos
Tomografia por Emissão de Pósitrons combinada à Tomografia Computadorizada
Neurolinfomatose/patologia
Plexo Lombossacral/patologia
Limites: Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-843361
Autor: Carvalho, Rita; Segura, Elena; Loureiro, Maria do Céu; Assunção, José Pedro.
Título: Quadratus lumborum block in chronic pain after abdominal hernia repair: case report / Bloqueio do quadrado lombar em dor crônica pós-hernioplastia abdominal: relato de caso
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(1):107-109, Jan.-Feb. 2017. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives: The quadratus lumborum blockade was described by R. Blanco in its two approaches (I and II). The local anesthetic deposition in this location can provide blockade to T6-L1 dermatomes. We performed this fascia blockade guided by ultrasound for treating a chronic neuropathic pain in the abdominal wall. Case report: Male patient, 61 years old, 83 kg, with a history of thrombocytopenia due to alcoholic cirrhosis, among others; had chronic pain in the abdominal wall after multiple abdominal hernia repairs in the last year and a half, with poor response to treatment with neuromodulators and opioids. On clinical examination, he revealed a neuropathic pain, with prevalence of allodynia to touch, covering the entire anterior abdominal wall, from T7 to T12 dermatomes. We opted for a quadratus lumborum block type II, guided by ultrasound, with administration of 0.2% ropivacaine (25 mL) and depot (vial) methylprednisolone (20 mg) on each side. The procedure gave immediate relief of symptoms and, after six months, the patient still had a significant reduction in allodynia without compromising the quality of life. Conclusions: We consider that performing the quadratus lumborum block type II was an important analgesic option in the treatment of a patient with chronic pain after abdominal hernia repair, emphasizing the effects of local anesthetic spread to the thoracic paravertebral space. The technique has proven to be safe and well tolerated. The publication of more clinical cases reporting the effectiveness of this blockade for chronic pain is desirable.

Resumo Justificativa e objetivos: O bloqueio da fáscia do músculo quadrado lombar foi descrito por R. Blanco nas suas duas abordagens (I e II). A deposição de anestésico local nessa localização pode conferir bloqueio dos dermátomos T6-L1. Os autores fizeram esse bloqueio de fáscia, guiado por ultrassom, para tratamento de uma dor crônica neuropática da parede abdominal. Relato de caso: Paciente do gênero masculino, 61 anos, 83 kg, com antecedentes de trombocitopenia por hepatopatia alcoólica, entre outros, apresentava dor crônica da parede abdominal após hernioplastias abdominais múltiplas havia um ano e meio, com má resposta ao tratamento com neuromoduladores e opioides. No exame clínico, apresentava uma dor neuropática, com predomínio de alodinia ao toque, que abrangia toda a parede abdominal anterior, desde os dermátomos T7 a T12. Optou-se pela realização de um bloqueio do quadrado lombar tipo II bilateral, guiado por ultrassom, com administração de 25 mL de ropivacaína 0,2% e 20 mg de metilprednisolona depot (ampola) em cada um dos lados. O procedimento conferiu alívio imediato da sintomatologia e, após seis meses, o paciente mantinha redução significativa da alodinia, sem compromisso da qualidade de vida. Conclusões: Os autores consideram que a realização do bloqueio do quadrado lombar tipo II foi uma opção analgésica relevante no tratamento de um paciente com dor crônica pós-hernioplastia abdominal e salientaram os efeitos da dispersão do anestésico local até o espaço paravertebral torácico. A técnica mostrou ser segura e bem tolerada. É desejável a publicação de mais casos clínicos que reproduzam a eficácia desse bloqueio no contexto de dor crônica.
Descritores: Hérnia Abdominal/cirurgia
Dor Crônica/prevenção & controle
Herniorrafia/métodos
Bloqueio Nervoso/métodos
-Ultrassonografia de Intervenção
Músculo Esquelético/inervação
Plexo Lombossacral
Pessoa de Meia-Idade
Neuralgia/prevenção & controle
Limites: Humanos
Masculino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-897796
Autor: Barreto Junior, Elton Pereira de Sá; Nascimento, Jedson dos Santos; Castro, Anita Perpetua Carvalho Rocha de.
Título: Neurolitic block of the lumbar sympathetic chain improves chronic pain in a patient with critical lower limb ischemia / Bloqueio neurolítico da cadeia simpática lombar melhora dor crônica em paciente portadora de isquemia crítica de membro inferior
Fonte: Rev. bras. anestesiol;68(1):100-103, Jan.-Feb. 2018.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives Sympathectomy is one of the therapies used in the treatment of chronic obstructive arterial disease (COAD). Although not considered as first-line strategy, it should be considered in the management of pain difficult to control. This clinical case describes the evolution of a patient with inoperable COAD who responded properly to the lumbar sympathetic block. Case report A female patient, afro-descendant, 69 years old, ASA II, admitted to the algology service due to refractory ischemic pain in the lower limbs. The patient had undergone several surgical procedures and conservative treatments without success. Vascular surgery considered the case as out of therapeutic possibility, unless limb amputation. At that time, sympathectomy was indicated. After admission to the operating room, the patient was monitored, positioned and sedated. The blockade was performed with the aid of radioscopy, bilaterally, at L2-L3-L4 right and L3 left levels. On the right side, at each level cited, 3 mL of absolute alcohol with 0.25% bupivacaine were injected without vasoconstrictor, and on the left side only local anesthetic. The procedure was performed uneventfully. The patient was discharged with complete remission of the pain. Conclusion Neurolitic block of the lumbar sympathetic chain is an effective and safe treatment option for pain control in patients with critical limb ischemia patients in whom the only possible intervention would be limb amputation.

Resumo Justificativa/objetivos A simpatectomia é uma das terapêuticas usadas no tratamento dadoença arterial obstrutiva crônica (DAOP). Embora não seja considerada como estratégia de primeira linha, deve ser lembrada no manejo dos quadros de dor de difícil controle. Este caso clínico descreve a evolução de uma paciente portadora de DAOP inoperável que respondeu adequadamente ao bloqueio simpático lombar. Relato de caso Paciente do sexo feminino, parda, 69 anos, estado físico II, acompanhada no serviço de algologia devido a dor isquêmica refratária em membros inferiores. A paciente já havia sido submetida a diversas abordagens cirúrgicas e tratamentos conservadores, sem sucesso. A cirurgia vascular considerou o caso como fora de possibilidade terapêutica, a não ser amputação do membro. Nesse momento, foi indicada simpatectomia. Após admissão no centro cirúrgico, a paciente foi monitorada, posicionada e sedada. O bloqueio foi feito com auxílio da radioscopia, bilateralmente, nos níveis L2-L3-L4 à direita e L3 à esquerda. Do lado direito, em cada nível citado, foram injetados 3 mL de álcool absoluto com bupivacaína 0,25% sem vasoconstritor e do lado esquerdo somente o anestésico local. O procedimento foi feito sem intercorrências. A paciente recebeu alta com completa remissão da dor. Conclusão O bloqueio neurolítico da cadeia simpática lombar é uma opção de tratamento eficaz e segura para controle da dor em pacientes portadores de isquemia crítica, nos quais a única intervenção possível seria a amputação do membro.
Descritores: Bloqueio Nervoso Autônomo/métodos
Dor Crônica/cirurgia
Manejo da Dor/métodos
-Estado Terminal
Extremidade Inferior/irrigação sanguínea
Dor Crônica/etiologia
Isquemia/complicações
Plexo Lombossacral
Limites: Humanos
Feminino
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-967323
Autor: Herrera, Gustavo Cavinato; Silva, Frederico Ozanam Carneiro e; Santos, Lázaro Antônio dos; Menezes, Lorena Tannus; Moraes, Flávio Machado de.
Título: Origin and distribution of femoral nerves in swine (Sus scrofa domesticus) fetuses from crosses of Dan Bred and AGPIC-337 lines / Origem e distribuição dos nervos femorais em fetos suínos (Sus scrofa domesticus - linneaus, 1758) do cruzamento das linhagens Dan Bred e AGPIC337
Fonte: Biosci. j. (Online);34(5):1334-1338, sept./oct. 2018.
Idioma: en.
Resumo: The objective of this work was to assess the origin and distribution of femoral nerves in 30 swine fetuses from crosses of Dan Bred and AGPIC-337 lines. Thirty animals­fifteen males and fifteen females­from the collection of the Faculty of Veterinary Medicine's Animal Anatomy Laboratory of the Federal University of Uberlândia, Uberlândia MG, Brazil, were used. The animals were fixed by injecting a 10% aqueous formaldehyde solution into the descending aorta artery and thoracic, abdominal, pelvic and intramuscular cavities. The specimens were then submerged in a solution with the same concentration. These animals have five to seven lumbar vertebrae. The number of lumbar vertebrae was six in 96.67% and seven in 3.33% of the animals. The femoral nerve originated from the L4 and L5 (66.67%), L5 and L6 (26.67%) and L3 and L4 (6.66%) lumbar vertebrae. It sent branches to the psoas major, psoas minor, iliac, pectineus, and quadriceps femoris muscles in all animals, to the sartorius in 43.33% and to the gracilis in 6.66% of animals. No marked differences were found in the characteristics of origin and distribution of the femoral nerve between the swine fetuses from crosses of Dan Bred and AGPIC-337 lines and the animals described in the literature.

Objetivou-se estudar a origem e distribuição dos nervos femorais em 30 fetos suínos oriundos do cruzamento das linhagens Dan Bred e AGPIC337. Foram utilizados 30 animais, quinze machos e quinze fêmeas, pertencente ao acervo do laboratório de Anatomia Animal da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia. A fixação dos animais se deu por meio de injeção de solução aquosa de formaldeído a 10% na artéria aorta parte descendente, cavidades torácica, abdominal, pélvica e intramusculares, em seguida, os espécimes foram submersos em solução contendo a mesma concentração. Esses animais possuem cinco a sete vértebras lombares. Em 96,67% dos animais o número de vértebras lombares foi seis e em 3,33% sete. O nervo femoral originou-se de L4 e L5 (66,67%), L5 e L6 (26,67%) e L3 e L4 (6,66%). Emitiu ramos para os músculos psoas maior, psoas menor, ilíaco, pectíneo, quadríceps femoral em 100% dos casos, 43,33% para o sartório e 6,66% para o grácil. Nota-se que não foram observadas diferenças marcantes nas características tanto na origem como na distribuição do nervo femoral entre os fetos de suínos oriundos do cruzamento das linhagens Dan Bred e AGPIC337 e os animais da literatura consultada
Descritores: Suínos
Sistema Nervoso Periférico
Sus scrofa
Feto
Anatomia
Plexo Lombossacral
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  6 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-964103
Autor: Gomes, Andréa Regina Abrantes; Silva, Frederico Ozanam Carneiro e; Vasconcelos, Roanne Yasmin Gonçalves; Santos, Lázaro Antônio; Santos, André Luiz Quagliatto.
Título: Origens e distribuições do nervo obturatório em fetos de javalis (Sus scrofa scrofa Linnaeu ­ 1758) / Origins and distribution of the obturatorius nerve in wild boars fetuses (Sus scrofa scrofa Linnaeu ­ 1758)
Fonte: Biosci. j. (Online);31(2):527-531, mar./abr. 2015.
Idioma: pt.
Resumo: A criação de javalis vem crescendo no Brasil devido à procura de um produto de qualidade e com propriedades nutricionais. Analisou-se a origem e distribuição dos nervos obturatórios em 19 fetos de javalis (Sus scrofa scrofa) visando fornecer dados morfológicos para anatomia comparativa e áreas afins. A fixação destes animais em solução aquosa de formaldeído a 10% ocorreu mediante diferentes pontos de injeções subcutâneas, intramusculares e intracavitárias, bem como por imersão dos referidos exemplares em recipientes com a mesma solução por um período mínimo de 48 horas. Foi observado que o referido nervo originou-se dos ramos ventrais de L4 a L6. Distribui-se para os músculos obturatório externo, grácil, adutor e pectíneo. Pode-se afirmar que tanto a origem como a distribuição do nervo obturatório em javalis se assemelha aos padrões evidenciados em suínos domésticos.

The creation of wild boars is increasing in Brazil due to demand for a quality product and excellent nutritional properties. This study analyzed the origin and distribution of the obturatorius nerve in 19 fetuses of wild boar (Sus scrofa scrofa) in order to provide morphological data for comparative anatomy and areas related. The introduction of these animals in aqueous formaldehyde 10% was by different points of subcutaneous, intramuscular and intracavitary injections, as well as by immersion of those specimens, in containers of the same solution for a minimum of 48 hours. It was noted that the nerve was originated from the ventral branches of L4, L5 and L6. Concerning to distribution, the nerve dispatched ventral branches to the external obturator, gracilis, adductor and pectineus muscles. It can be stated that both the origin and distribution of the obturatorius nerve in wild boars is similar to the patterns evidenced in domestic swine.
Descritores: Suínos
Sus scrofa
Feto
Plexo Lombossacral
Neuroanatomia
Nervo Obturador
Limites: Animais
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  7 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-965513
Autor: Araújo Júnior, Hélio Noberto de; Oliveira, Gleidson Benevides de; Costa, Herson da Silva; Santos, Amilton César dos; Viana, Diego Carvalho; Paula, Valéria Veras de; Moura, Carlos Eduardo Bezerra de; Oliveira, Moacir Franco de.
Título: Lumbosacral plexus of the mongolian gerbil(Meriones unguiculatus Milne-Edwards, 1867) / Plexo lombossacral do gerbil (Meriones unguiculatus Milne-Edwards, 1867)
Fonte: Biosci. j. (Online);32(3):713-720, may/june 2016. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: The Mongolian gerbil, belonging to the Muridae family, is characterized as an economic asset in the pet market due to its easy management. Current research analyzes and describes the origin of the nerves that make up the lumbosacral plexus in the species, foregrounding comparative anatomy, especially among wild rodents. The experiment, approved by the Committee of Institutional Bioethics, involved 15 animals which had been used in other studies and were donated to the Laboratory of Applied Animal Morphophysiology of the Federal Rural University of the Semi-Arid, Mossoró, Rio Grande do Norte, Brazil. The animals were fixed in a water solution of formaldehyde 10%. After 72 hours, they were dissected, the abdominal cavity was opened and eviscerated, and the psoas minor, psoas major and the quadratus lumborum muscles were removed to inspect the nerves that form the lumbosacral plexus. Results were given in percentages and grouped in tables. The lumbosacral plexus of the Mongolian gerbil frequently derived from the ventral roots of the last thorax nerves, from the seven lumbar nerves and from the four sacral nerves (Type II ­ T12-S4). The nerves of the gerbil´s lumbosacral plexus are the iliohypogastricus, ilioinguinalis, cutaneus femoris lateralis, genitofemoralis, femoralis, obturatorius, ischiadicus, gluteus cranialis, pudendus, gluteus caudalis and rectales caudales nerves. Information on the origin of the nerves of the gerbil´s lumbosacral plexus and their description is relevant for clinical and surgical studies, and for the application of techniques or anesthetic drugs.

O esquilo da Mongólia é um roedor pertencente à família Muridae, caracterizado por seu interesse econômico no mercado pet e por ser de fácil manejo. Esta pesquisa analisa e descreve a origem dos nervos que formam o plexo lombossacral da espécie. No experimento foram utilizados 15 animais, provenientes de outros estudos aprovados pelo Comitê de Bioética Institucional, que foram doados ao Laboratório de Morfofisiologia Animal Aplicada da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, Rio Grande do Norte. Os animais foram fixados em solução aquosa de formaldeído a 10%. Após 72 horas, os animais foram dissecados, realizando-se a abertura da cavidade abdominal, depois, eviscerados e em seguida, os músculos psoas maior, psoas menor e quadrado lombar foram removidos para visualização dos nervos que formam o plexo lombossacral. Os resultados foram expressos em percentagens e agrupados em tabelas. O plexo lombossacral do gerbil originou-se mais frequentemente das raízes ventrais do último nervo torácico, dos sete nervos lombares e dos quatro nervos sacrais (Tipo II ­ T12-S4). Os nervos que formaram o plexo lombossacral do gerbil foram: ílio-hipogástrico, ílioinguinal, cutâneo femoral lateral, genitofemoral, femoral, obturatório, isquiático, glúteo cranial, pudendo, glúteo caudal, e nervo retal caudal. O conhecimento sobre a origem e os nervos do plexo lombossacral no gerbil mostra-se útil para estudos clínico-cirúrgicos e aplicação de técnicas ou fármacos anestésicos.
Descritores: Gerbillinae
Plexo Lombossacral
Muridae
Sistema Nervoso
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  8 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-946997
Autor: Cruz, Viviane Souza; Cardoso, Júlio Roquete; Araújo, Luciana Batalha de Miranda; Souza, Paulo Roberto de; Borges, Naida Cristina; Araújo, Eugênio Gonçalves de.
Título: Aspectos anatômicos do plexo lombossacral de Myrmecophaga tridactyla (Linnaeus, 1758) / Anatomical aspects of the lumbossacral plexus of the Myrmecophaga tridactyla (Linnaeus, 1758)
Fonte: Biosci. j. (Online);30(1):235-244, jan./feb. 2014. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivou-se descrever a origem e arquitetura do plexo lombossacral, bem como a composição de seus nervos na espécie M. tridactyla. Para tanto, foram analisados 12 plexos de seis cadáveres adultos e de ambos os sexos, fornecidos pelo IBAMA-GO (licença 99/2011). Os ramos ventrais dos nervos espinhais, suas comunicações e os nervos derivados do plexo foram evidenciados após dissecação da face ventral das regiões torácica caudal, lombar e sacral. Às radiografias verificaram-se 15 ou 16 vértebras torácicas, duas ou três lombares e quatro ou cinco sacrais. O plexo lombossacral constituiu-se por: T16, L1, L2, S1-S5, Cc1 (33,3%), T15, L1-L3, S1-S5 (16,6%), T15, L1, L2, S1-S5, Cc1 (16,6%), L1-L3, S1-S5 (16,6%), T15, L1-L3, S1-S4, Cc1 (8,3%) e L1-L3, S1-S4 (8,3%). Os nervos derivados do plexo com suas formações mais freqüentes foram: genitofemoral (T15, L1, L2 e T16, L1), cutâneo femoral lateral (T15, L1, L2 e T16, L1), femoral (T16, L1, L2), obturador (L1-L3), isquiático (L3, S1-S3), glúteo cranial (L2, S1), glúteo caudal (L2, S1- S3 e L3, S1, S2), pudendo (S4-S5) e retal caudal (S5 e S4, S5, Cc1). O nervo cutâneo femoral caudal originou-se do nervo isquiático. O plexo lombossacral do M. tridactyla assemelha-se em geral ao dos demais mamíferos, porém apresenta como particularidade o envolvimento de ramos torácicos e coccígeos na composição de seus nervos e uma maior variação anatômica em sua formação, que pode ser atribuída principalmente à variação numérica de vértebras torácicas, lombares e sacrais nesta espécie.

This study aimed to describe the origin and architecture of the lumbosacral plexus, as well as the composition of their nerves in the species M. tridactyla. For this purpose, 12 plexuses from six adult animals of both sexes, provided by IBAMA-GO (License 99/2011, CEUA-UFG Protocol 015/11) were analyzed. The ventral rami of the spinal nerves, their communications and the nerves arising from the plexus were detected after the dissection of the ventral face of the thoracic caudal, lumbar and sacral regions. The radiographs showed 15 or 16 thoracic, two or three lumbar and four or five sacral vertebrae. The lumbosacral plexus of M. tridactyla consisted of: T16, L1, L2, S1-S5, Cc1 (33.3%); T15, L1- L3, S1-S5 (16.6%); T15, L1, L2, S1-S5, Cc1 (16.6%); L1-L3, S1-S5 (16.6%); T15, L1-L3, S1-S4, Cc1 (8.3%); and L1-L3, S1-S4 (8.3%). The nerves that derived from the plexus with their most common arrangement were: genitofemoral (T15, L1, L2; and T16, L1); lateral femoral cutaneous nerve (T15, L1, L2; and T16, L1); femoral (T16, L1, L2); obturator (L1- L3); sciatic (L3, S1-S3); cranial gluteal (L2, S1, S2); caudal gluteal (L2, S1-S3; and L3, S1, S2); pudendal (S4, S5); and rectal caudal (S5 and S4, S5, Cc1). The caudal femoral cutaneous nerve originated from the sciatic nerve. In general, the lumbosacral plexus of M. tridactyla resembles that of other mammals; however, it shows some peculiarities, such as the involvement of thoracic and coccygeal rami in its nerve composition and a greater anatomical variation in its formation, which can be mainly related to the numerical variation of thoracic, lumbar and sacral vertebrae in this species.
Descritores: Cingulados/anatomia & histologia
Plexo Lombossacral
Sistema Nervoso
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  9 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Borelli, Vicente
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-946702
Autor: Brito, Thalita Rocha; Vasconcelos, Bruno Gomes; Iglesias, Luciana Pedrosa; Santos, Amilton Cesar dos; Viana, Diego Carvalho; Borelli, Vicente; Silva, Frederico Ozanam Carneiro e.
Título: Origem e distribuição do nervo retal caudal em equinos sem raça definida / Origin and distribution of the caudal rectal nerve in mixed breed horses
Fonte: Biosci. j. (Online);30(5):1496-1501, sept./oct. 2014. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivou-se estudar a origem e distribuição do nervo retal caudal em 30 fetos de equinos sem raça definida provenientes do Frigorífico Pomar, Araguari-MG. Para isso, injetou-se formaldeído a 10% por meio de canulação da aorta descendente torácica e, posteriormente, o material foi mantido submerso na referida solução, por um período mínimo de 48 horas antes do início da dissecação. Para observação da origem do nervo citado, foram realizadas: uma incisão longitudinal ao longo da linha mediana ventral, desde a cartilagem xifóide do processo xifóide do osso esterno, até a borda caudal da sínfise pélvica; e duas outras incisões verticais, uma em cada antímero, até alcançar a linha mediana dorsal. Dessa forma, desarticulou-se a sínfise pélvica até atingir a cavidade pélvica, da qual foram retirados todos os órgãos. Para análise da distribuição dos ramos musculares, realizou-se uma incisão na pele do terço médio da perna e outra vertical na pele da face medial da coxa, estendendo-a da raiz do membro pélvico até a primeira incisão. Em sequência foram contornados a raiz da cauda, o ânus e os órgãos genitais externos, rebatendo-se então a pele e as fáscias das regiões glútea, coxa e perna. Os dados obtidos foram analisados através do teste de Tukey (p<0,05). O nervo originou-se dos ramos ventrais dos nervos espinhais sacrais 3º (S3), 4º (S4) e 5º (S5); e distribuiu nos músculos: coccígeo, levantador do ânus, sacrocaudal medial ventral e esfíncter externo do ânus. Não houve diferença significativa entre a frequência dos ramos musculares e os antímeros, independente do número de ramos musculares (p=0,97).

The objective was to study the origin and distribution of the caudal rectal nerve in 30 fetuses of mixed breed horses from Frigorífico Pomar, Araguari/MG, Brazil. Formaldehyde at 10% were injected into the thoracic descending aorta and, subsequently, the material was kept immersed in this solution, for at least 48 hours before dissection. To find the origin of the mentioned nerve, we made: a longitudinal incision along the ventral midline, from xiphoid cartilage of the xiphoid process of the sternum bone to the caudal pelvic symphysis; and two vertical incisions, one at each antimere until reaching the dorsal midline. Therefore, we disarticulated the pelvic symphysis until the pelvic cavity, from which all organs were removed. To analyze the distribution of muscular branches, we made a incision in the skin of the middle leg and a vertical incision in skin of the medial thigh, extending it from the root of the pelvic limb to the first incision. In the following we circumvented the root of the tail, anus and genitalia, the hitting up the skin and fascia of the gluteal redion, thigh and leg. Data obtained were analyzed using the Tukey test (p<0.05). The nerve originated from the ventral branches 3rd, 4th and 5th sacral spinal nerves (S3, S4 and S5, respectively); and distributed into the coccygeus, levator ani, medial ventral sacrocaudal and external anal sphincter muscles. There wasn't no significant difference between the frequency of muscular branches and antimeres, independently of the number of muscular branches (p=0.97).
Descritores: Cavalos/anatomia & histologia
Plexo Lombossacral
-Nervos Espinhais
Responsável: BR396.4


  10 / 65 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-914608
Autor: Gomes, Andréa Regina Abrantes; Silva, Frederico Ozanam Carneiro e; Iglesias, Luciana Pedrosa; Ribeiro, Lucas Assis; Souza, Tharlianne Alici Martins de; Furlan, Nicole Latanza.
Título: Origens e ramificações do nervo femoral em javalis (Sus scrofa scrofa Linnaeu, 1758) / Origins and ramifications of the femoral nerve in wild boars (Sus scrofa scrofa Linnaeu, 1758)
Fonte: Biosci. j. (Online);29(3):727-731, may/june 2013. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Neste estudo foram analisadas a origem e distribuição dos nervos femorais em 25 fetos de javalis (Sus scrofa scrofa). A fixação destes animais em solução aquosa de formaldeído a 10% ocorreu mediante diferentes pontos de injeções subcutâneas, intramusculares e intracavitárias, bem como por imersão dos referidos exemplares em recipientes com a mesma solução por um período mínimo de 48 horas, a fim de preparar o material para posterior dissecação. Foi observado que a origem das raízes do nervo originaram-se de L3 a S1. No tocante a quantidade de vértebras lombar, variou de cinco a sete, sendo cinco em oito casos (32%), seis em 12 exemplares (48%) e sete em cinco animais (20%). Com relação a sua distribuição, os nervos femorais emitiram de dois a cinco ramos para os músculos ilíacos direito e de dois a quatro para o esquerdo, o psoas maior direito recebeu de dois a cinco, e seu antimero esquerdo, de dois a sete, o sartório direito, por sua vez, foi inervado por dois ramos em um caso e o quadríceps femoral apresentou variação de sete a 16, em ambos os antímeros.

We analyzed the origin and distribution of the femoral nerve in 25 fetuses of wild boar (Sus scrofa scrofa). The introduction of these animals in aqueous formaldehyde 10% was by different points of subcutaneous, intramuscular and intracavitary injections, as well as by immersion of those specimens, in containers of the same solution for a minimum of 48 hours, to prepare the material for further dissection. It was observed that the origin of the nerve roots were derived from S1 to L3. Regarding the amount of lumbar vertebrae varied from five to seven, five in eight cases (32%), six in twelve specimens (48%) and seven in five animals (20%). In relation to their distribution, the femoral nerves emitted 2-5 branches to the right iliac muscle and 2-4 to the left, the right psoas major received 2-5, and its left antimer, 2-7, the right sartorius was innervated by two branches and in 1 case and the femoral quadriceps presented variation of 7-16 branches, in both antimers.
Descritores: Nervo Femoral
Neuroanatomia
Sus scrofa
Plexo Lombossacral
Responsável: BR396.4



página 1 de 7 ir para página                  
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde