Base de dados : LILACS
Pesquisa : A08.800.800.720.800.350 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 34 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 4 ir para página            

  1 / 34 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-888293
Autor: Foroni, Luciano; Siqueira, Mário Gilberto; Martins, Roberto Sérgio; Oliveira, Gabriela Pintar.
Título: The intercostobrachial nerve as a sensory donor for hand reinnervation in brachial plexus reconstruction is a feasible technique and may be useful for restoring sensation / O uso do nervo intercostobraquial como doador na restauração cirúrgica da sensibilidade da mão em lesões do plexo braquial é uma técnica anatomicamente viável e pode ser útil para a recuperação sensitiva
Fonte: Arq. neuropsiquiatr;75(7):439-445, July 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective Few donors are available for restoration of sensibility in patients with complete brachial plexus injuries. The objective of our study was to evaluate the anatomical feasibility of using the intercostobrachial nerve (ICBN) as an axon donor to the lateral cord contribution to the median nerve (LCMN). Methods Thirty cadavers were dissected. Data of the ICBN and the LCMN were collected, including diameters, branches and distances. Results The diameters of the ICBN and the LCMN at their point of coaptation were 2.7mm and 3.7mm, respectively. The ICBN originated as a single trunk in 93.3% of the specimens and bifurcated in 73.3%. The distance between the ICBN origin and its point of coaptation to the LCMN was 54mm. All ICBNs had enough extension to reach the LCMN. Conclusion Transfer of the ICBN to the LCMN is anatomically feasible and may be useful for restoring sensation in patients with complete brachial plexus injuries.

RESUMO Objetivo Poucos doadores estão disponíveis para a restauração da sensibilidade em pacientes com lesões completas do plexo braquial (LCPB). O objetivo deste estudo foi avaliar a viabilidade anatômica do uso do nervo intercostobraquial (NICB) como doador de axônios para a contribuição do cordão lateral para o nervo mediano (CLNM). Métodos Trinta cadáveres foram dissecados. Os dados do NICB e do CLNM foram coletados: diâmetros, ramos e distâncias. Resultados Os diâmetros do NICB e da CLNM no ponto de coaptação foram 2,7mm e 3,7mm, respectivamente. O NICB originou-se como um único tronco em 93,3% dos espécimes e bifurcou-se em 73,3%. A distância entre a origem do NICB e seu ponto de coaptação com a CLNM foi de 54mm. Todos os NICBs tiveram extensão suficiente para alcançar a CLNM. Conclusão A transferência do NICB para a CLNM é anatomicamente viável e pode ser útil para restaurar a sensibilidade em pacientes com LCPB.
Descritores: Plexo Braquial/lesões
Transferência de Nervo/métodos
Nervos Intercostais/transplante
-Sensação
Plexo Braquial/cirurgia
Cadáver
Estudos de Viabilidade
Nervos Intercostais/anatomia & histologia
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 34 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-888274
Autor: Foroni, Luciano; Siqueira, Mário Gilberto; Martins, Roberto Sérgio; Heise, Carlos Otto; Sterman Neto, Hugo; Imamura, Adriana Yoriko.
Título: Good sensory recovery of the hand in brachial plexus surgery using the intercostobrachial nerve as the donor / Boa recuperação da sensibilidade da mão usando o nervo intercostobraquial como doador em cirurgia do plexo braquial
Fonte: Arq. neuropsiquiatr;75(11):796-800, Nov. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: Restoration of the sensitivity to sensory stimuli in complete brachial plexus injury is very important. The objective of our study was to evaluate sensory recovery in brachial plexus surgery using the intercostobrachial nerve (ICBN) as the donor. Methods: Eleven patients underwent sensory reconstruction using the ICBN as a donor to the lateral cord contribution to the median nerve, with a mean follow-up period of 41 months. A protocol evaluation was performed. Results: Four patients perceived the 1-green filament. The 2-blue, 3-purple and 4-red filaments were perceptible in one, two and three patients, respectively. According to Highet's scale, sensation recovered to S3 in two patients, to S2+ in two patients, to S2 in six patients, and S0 in one patient. Conclusion: The procedure using the ICBN as a sensory donor restores good intensity of sensation and shows good results in location of perception in patients with complete brachial plexus avulsion.

RESUMO Objetivo: A restauração da sensibilidade em pacientes com lesão completa do plexo braquial é muito importante. O objetivo desse estudo foi avaliar a recuperação sensitiva em cirurgia do plexo braquial utilizando o nervo intercostobraquial (NICB) como doador. Métodos: Onze pacientes foram submetidos a reconstrução sensitiva usando o NICB como doador para a contribuição lateral do nervo mediano, com tempo de acompanhamento pós-operatório médio de 41 meses. Um protocolo de avaliação foi realizado. Resultados: Quatro pacientes perceberam o filamento 1-verde. Os filamentos 2-azul, 3-roxo e 4-vermelho foram percebidos por um, dois e três pacientes, respectivamente. Um paciente não apresentou recuperação sensitiva. Dois pacientes obtiveram recuperação S3, dois S2+, seis S2 e um S0, pela escala de Highet. Conclusão: O procedimento usando o NICB como doador promove boa intensidade de recuperação sensitiva e bons resultados são obtidos quanto ao local de percepção em pacientes com avulsão completa do plexo braquial.
Descritores: Plexo Braquial/cirurgia
Plexo Braquial/lesões
Transferência de Nervo/métodos
Mãos/cirurgia
Nervos Intercostais/transplante
-Estudos Prospectivos
Seguimentos
Resultado do Tratamento
Recuperação de Função Fisiológica
Mãos/fisiologia
Regeneração Nervosa
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 34 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1136230
Autor: Zheng, Yongfeng; Wang, Hong; Ma, Xiaodong; Cheng, Zheng; Cao, Weibao; Shao, Donghua.
Título: Comparison of the effect of ultrasound-guided thoracic paravertebral nerve block and intercostal nerve block for video-assisted thoracic surgery under spontaneous-ventilating anesthesia
Fonte: Rev Assoc Med Bras (1992);66(4):452-457, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Social Development Project of Zhenjiang.
Resumo: SUMMARY OBJECTIVE The aim of the current study was to compare the efficacy of two different techniques for blocking chest nerves during video-assisted thoracic surgery (VATS) under spontaneous-ventilating anesthesia. METHODS One hundred patients were recruited in this study and divided into two groups. The first, P group, underwent the TPVB approach; the second, I group, underwent the ICNB approach. Then, the rate of clinical efficacy, duration of the block procedure, and its complications were recorded for comparison of the effect of the two approaches. RESULTS No difference was found in the clinical effect of chest nerve blocks between the two groups. Two patients in the ICNB group were converted to general anesthesia due to severe mediastinal flutter (grade three). The number of patients who had grade one mediastinal flutter in the TPVB group was significantly higher than in the ICNB group. Vascular puncture was detected in four patients in the ICNB group and in one patient in the TPVB group. No other complications were observed. CONCLUSIONS No difference was found regarding the clinical efficacy in the two groups. However, ultrasound-guided TPVB was superior to ultrasound-guided ICBN during VATS for pulmonary lobectomy under spontaneous-ventilating anesthesia. Additionally, vascular puncture should receive more attention.

RESUMO OBJETIVO O objetivo do presente estudo é comparar a eficácia de duas técnicas diferentes para o bloqueio nervoso torácico durante cirurgia torácica vídeo-assistida (CTVA) e anestesia com ventilação espontânea. METODOLOGIA Cem pacientes foram incluídos no estudo e divididos em dois grupos. Em um (grupo P), foi utilizada a abordagem de BPVT e no outro (grupo I), a abordagem de BIC. Então, a taxa de eficácia clínica, duração do procedimento de bloqueio e suas complicações foram registradas para a comparação do efeito das duas abordagens. RESULTADOS Nenhuma diferença foi observada no efeito clínico do bloqueio nervoso torácico entre os dois grupos. Dois pacientes no grupo de BIC foram convertidos para anestesia geral devido a fibrilação mediastinal grave (grau três). O número de pacientes com fibrilação mediastinal de grau um no grupo de BPVT foi significativamente maior do que no grupo de BIC. Perfuração vascular foi detectada em quatro pacientes do grupo de BIC e em um do grupo de BPVT. Não foram observadas outras complicações. CONCLUSÃO Não houve diferença de eficácia clínica entre os dois grupos. No entanto, BPVT guiado por ultrassom foi superior ao BIC guiado por ultrassom durante CTVA para lobectomia pulmonar com anestesia em ventilação espontânea. Além disso, deve-se prestar mais atenção quanto à perfuração vascular.
Descritores: Ultrassonografia de Intervenção
Cirurgia Torácica Vídeoassistida
Bloqueio Nervoso
-Dor Pós-Operatória
Nervos Intercostais
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 34 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1136261
Autor: Lei, Daoyun; Sha, Yeqin; He, Lianping.
Título: Is ultrasound-guided thoracic paravertebral nerve block better than intercostal nerve block for video-assisted thoracic surgery under spontaneous-ventilating anesthesia?
Fonte: Rev Assoc Med Bras (1992);66(5):568-568, 2020.
Idioma: en.
Descritores: Vértebras Torácicas/diagnóstico por imagem
Músculos Intercostais/diagnóstico por imagem
Ultrassonografia de Intervenção/métodos
Cirurgia Torácica Vídeoassistida/métodos
Anestesia por Condução/métodos
Raquianestesia/métodos
Bloqueio Nervoso/métodos
-Dor Pós-Operatória
Nervos Intercostais
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 34 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1136318
Autor: Liu, Xuesong; Zheng, Biyou; Huang, Chenhong; Wu, Qiongya; Zhan, Leyun.
Título: Comment on Comparison of the effect of ultrasound-guided thoracic paravertebral nerve block and intercostal nerve block for video-assisted thoracic surgery under spontaneous-ventilating anesthesia
Fonte: Rev Assoc Med Bras (1992);66(7):1009-1009, 2020.
Idioma: en.
Descritores: Anestesia por Condução
Bloqueio Nervoso
-Ultrassonografia de Intervenção
Cirurgia Torácica Vídeoassistida
Nervos Intercostais
Tipo de Publ: Comentário
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 34 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-794815
Autor: Gacio, Mercedes Fernández; Lousame, Ana Maria Agrelo; Pereira, Susana; Castro, Clara; Santos, Juliana.
Título: Paravertebral block for management of acute postoperative pain and intercostobrachial neuralgia in major breast surgery / Bloqueio paravertebral no controle da dor aguda pós-operatória e dor neuropática do nervo intercostobraquial em cirurgia mamária de grande porte
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(5):475-484, Sept.-Oct. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: Several locoregional techniques have been described for the management of acute and chronic pain after breast surgery. The optimal technique should be easy to perform, reproducible, with little discomfort to the patient, little complications, allowing good control of acute pain and a decreased incidence of chronic pain, namely intercostobrachial neuralgia for being the most frequent entity. Objectives: The aim of this study was to evaluate the paravertebral block with preoperative single needle prick for major breast surgery and assess initially the control of postoperative nausea and vomiting (PONV) and acute pain in the first 24 h and secondly the incidence of neuropathic pain in the intercostobrachial nerve region six months after surgery. Methods: The study included 80 female patients, ASA I-II, aged 18-70 years, undergoing major breast surgery, under general anesthesia, stratified into 2 groups: general anesthesia (inhalation anesthesia with opioids, according to hemodynamic response) and paravertebral (paravertebral block with single needle prick in T4 with 0.5% ropivacaine + adrenaline 3 µg mL−1 with a volume of 0.3 mL kg−1 preoperatively and subsequent induction and maintenance with general inhalational anesthesia). In the early postoperative period, patient-controlled analgesia (PCA) was placed with morphine set for bolus on demand for 24 h. Intraoperative fentanyl, postoperative morphine consumption, technique-related complications, pain at rest and during movement were recorded at 0 h, 1 h, 6 h and 24 h, as well as episodes of PONV. All variables identified as factors contributing to pain chronicity age, type of surgery, anxiety according to the Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS), preoperative pain, monitoring at home; body mass index (BMI) and adjuvant chemotherapy/radiation therapy were analyzed, checking the homogeneity of the samples. Six months after surgery, the incidence of neuropathic pain in the intercostobrachial nerve was assessed using the DN4 scale. Results: The Visual Analog Scale (VAS) values of paravertebral group at rest were lower throughout the 24 h of study 0 h 1.90 (±2.59) versus 0.88 (±1.5) 1 h 2.23 (±2.2) versus 1.53 (±1.8) 6 h 1.15 (±1.3) versus 0.35 (±0.8); 24 h 0.55 (±0.9) versus 0.25 (±0.8) with statistical significance at 0 h and 6 h. Regarding movement, paravertebral group had VAS values lower and statistically significant in all four time points: 0 h 2.95 (±3.1) versus 1.55 (±2.1); 1 h 3.90 (±2.7) versus 2.43 (±1.9) 6 h 2.75 (±2.2) versus 1.68 (±1.5); 24 h 2.43 (±2.4) versus 1.00 (±1.4). The paravertebral group consumed less postoperative fentanyl (2.38 ± 0.81 µg kg−1 versus 3.51 ± 0.81 µg kg−1) and morphine (3.5 mg ± 3.4 versus 7 mg ± 6.4) with statistically significant difference. Chronic pain evaluation of at 6 months of paravertebral group found fewer cases of neuropathic pain in the intercostobrachial nerve region (3 cases versus 7 cases), although not statistically significant. Conclusions: Single-injection paravertebral block allows proper control of acute pain with less intraoperative and postoperative consumption of opioids but apparently it cannot prevent pain chronicity. Further studies are needed to clarify the role of paravertebral block in pain chronicity in major breast surgery.

Resumo Justificativa: Estão descritas várias técnicas locorregionais para a abordagem da dor aguda e dor crônica após cirurgia de mama. O ideal seria uma técnica fácil de fazer, reprodutível, com pouco desconforto para as doentes, com poucas complicações e que permitirá um bom controle da dor aguda e uma diminuição da incidência de dor crônica, notadamente dor neuropática do intercostobraquial, por ser a entidade mais frequente. Objetivos: Estudar a aplicação de bloqueio paravertebral com picada única no pré-operatório de cirurgia mamária de grande porte. Avaliar numa primeira fase o controle de dor aguda e náuseas-vômitos no pós-operatório (NVPO) nas primeiras 24 horas e numa segunda fase a incidência de dor neuropática na região do nervo intercostobraquial seis meses após a cirurgia. Métodos: Foram incluídas 80 doentes do sexo feminino, ASA I-II, entre 18 e 70 anos, submetidas a cirurgia mamária de grande porte sob anestesia geral, estratificadas em dois grupos: anestesia geral (anestesia geral inalatória com opioides segundo resposta hemodinâmica) e paravertebral (bloqueio paravertebral com picada única em T4 com ropivacaína 0,5% + adrenalina 3 µg/mL com um volume de 0,3 mL/kg pré-operatoriamente e posterior indução e manutenção com anestesia geral inalatória). No pós-operatório imediato foi colocada PCA (Patient-controlled analgesia) de morfina programada com bolus a demanda durante 24 horas. Foram registados fentanil intraoperatório, consumo de morfina pós-operatória, complicações relacionadas com as técnicas, dor em repouso e ao movimento a 0, 1 h, 6 h e 24 h, assim como os episódios de NVPO. Foram analisadas todas as variáveis identificadas como fatores de cronificação da dor idade, tipo de cirurgia, ansiedade segundo escala de HADS (Hospital Anxiety and Depression scale), dor pré-operatória; acompanhamento no domicílio; índice de massa corporal (IMC), tratamentos adjuvantes de quimioterapia/radioterapia e foi verificada a homogeneidade das amostras. Aos seis meses da cirurgia foi avaliada, segundo escala DN4, a incidência de dor neuropática na área do nervo intercostobraquial. Resultados: O grupo paravertebral teve valores de VAS (Escala Visual Analógica) em repouso mais baixos ao longo das 24 horas de estudo 0 h 1,90 (± 2,59) versus 0,88 (± 1,5); 1 h 2,23 (± 2,2) versus 1,53 (± 1,8); 6 h 1,15 (± 1,3) versus 0,35 (± 0,8); 24 h 0,55 (± 0,9) versus 0,25 (± 0,8) com significado estatístico às 0 e às 6 horas. Em relação ao movimento o grupo paravertebral teve valores de VAS mais baixos e com significância estatística nos quatro momentos de avaliação: 0 h 2,95 (± 3,1) versus 1,55 (± 2,1); 1 h 3,90 (± 2,7) versus 2,43 (± 1,9) 6 h 2,75 (± 2,2) versus 1,68 (± 1,5); 24 h 2,43 (± 2,4) versus 1,00 (± 1,4). O grupo paravertebral consumiu menos fentanil (2,38 ± 0,81 µg/Kg versus 3,51 ± 0,81 µg/Kg) e menos morfina no pós-operatório (3,5 mg ± 3,4 versus 7 mg ± 6,4), com diferença estatisticamente significativa. Na avaliação de dor crônica aos seis meses no grupo paravertebral houve menos casos de dor neuropática na região do nervo intercostobraquial (três versus sete) embora sem significância estatística. Conclusões: O bloqueio paravertebral com picada única permite um adequado controle da dor aguda com menor consumo de opioides intraopreatórios e pós-operatórios, mas aparentemente não consegue evitar a cronificação da dor. Mais estudos são necessários para esclarecer o papel do bloqueio paravertebral na cronificação da dor em cirurgia mamária de grande porte.
Descritores: Dor Pós-Operatória/tratamento farmacológico
Plexo Braquial
Mama/cirurgia
Manejo da Dor/métodos
Nervos Intercostais
Bloqueio Nervoso
Neuralgia/tratamento farmacológico
-Doença Aguda
Doença Crônica
Estudos Prospectivos
Náusea e Vômito Pós-Operatórios/tratamento farmacológico
Anestesia Geral
Pessoa de Meia-Idade
Neuralgia/etiologia
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 34 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-897782
Autor: Torre, Patricia Alfaro de la; Jones J, Jerry Wayne; Álvarez, Servando López; Garcia, Paula Diéguez; Miguel, Francisco Javier Garcia de; Rubio, Eva Maria Monzon; Boeris, Federico Carol; Sacramento, Monir Kabiri; Duany, Osmany; Pérez, Mario Fajardo; Gordon, Borja de la Quintana.
Título: Axillary local anesthetic spread after the thoracic interfacial ultrasound block - a cadaveric and radiological evaluation / Dispersão axilar de anestésico local após bloqueio interfascial torácico guiado por ultrassom - estudo radiológico e em cadáver
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(6):555-564, Nov.-Dec. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background Oral opioid analgesics have been used for management of peri- and postoperative analgesia in patients undergoing axillary dissection. The axillary region is a difficult zone to block and does not have a specific regional anesthesia technique published that offers its adequate blockade. Methods After institutional review board approval, anatomic and radiological studies were conducted to determine the deposition and spread of methylene blue and local anesthetic injected respectively into the axilla via the thoracic inter-fascial plane. Magnetic Resonance Imaging studies were then conducted in 15 of 34 patients scheduled for unilateral breast surgery that entailed any of the following: axillary clearance, sentinel node biopsy, axillary node biopsy, or supernumerary breasts, to ascertain the deposition and time course of spread of solution within the thoracic interfascial plane in vivo. Results Radiological and cadaveric studies showed that the injection of local anesthetic and methylene blue via the thoracic inter-fascial plane, using ultrasound guide technique, results in reliable deposition into the axilla. In patients, the injection of the local anesthetic produced a reliable axillary sensory block. This finding was supported by Magnetic Resonance Imaging studies that showed hyper-intense signals in the axillary region. Conclusions These findings define the anatomic characteristics of the thoracic interfascial plane nerve block in the axillary region, and underline the clinical potential of this novel nerve block.

Resumo Justificativa Os analgésicos orais à base de opioides têm sido usados para o manejo da analgesia nos períodos peri e pós-operatório de pacientes submetidos à linfadenectomia axilar. A região axilar é uma zona difícil de bloquear e não há registro de uma técnica de anestesia regional específica que ofereça o seu bloqueio adequado. Métodos Após a aprovação do Conselho de Ética institucional, estudos anatômicos e radiológicos foram feitos para determinar a deposição e disseminação de azul de metileno e anestésico local, respectivamente injetados na axila via plano interfascial torácico. Exames de ressonância magnética foram então feitos em 15 de 34 pacientes programados para cirurgia de mama unilateral que envolveria qualquer um dos seguintes procedimentos: esvaziamento axilar, biópsia de linfonodo sentinela, biópsia de linfonodo axilar ou mamas supranumerárias, para verificar a deposição e o tempo de propagação da solução dentro do plano interfascial torácico in vivo. Resultados Estudos radiológicos e em cadáveres mostraram que a injeção de anestésico local e azul de metileno via plano interfascial torácico com a técnica guiada por ultrassom resulta em deposição confiável na axila. Nos pacientes, a injeção de anestésico local produziu um bloqueio sensitivo axilar confiável. Esse achado foi corroborado por estudos de ressonância magnética que mostraram sinais hiperintensos na região axilar. Conclusões Esses achados definem as características anatômicas do bloqueio da região axilar e destacam o potencial clínico desses novos bloqueios.
Descritores: Anestesia Local/métodos
Anestésicos Locais/administração & dosagem
Anestésicos Locais/farmacocinética
Bloqueio Nervoso/métodos
-Axila
Cadáver
Músculos Intercostais/diagnóstico por imagem
Ultrassonografia
Nervos Intercostais/diagnóstico por imagem
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 34 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-908135
Autor: Riolfi, Nazareno; Barbón, Cristian.
Título: Injerto costal en rinoplastia. Recaudos anatómicos para la recolección de cartílago costal / Costal graft in rhinoplasty. Anatomical collections for thecollection of costal cartilage / Enxerto costal na rinoplastia. Coleções anatômicas para a cartilagem colheitacostela
Fonte: Rev. Fed. Argent. Soc. Otorrinolaringol;24(1):10-18, 2017. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: la finalidad es ponderar el conocimiento anatómico indispensable de la pared torácica para la recolección segura de cartílago costal en rinoplastia. Materiales y métodos: Se dividió en dos fases. Esta presentación corresponde a la Fase I, de tipo descriptiva observacional. La Fase II (actualmente en curso) tiene un diseño prospectivo y experimental para una futura presentación. Primera instancia: recolección de información bibliográfica, de no más de 5 años de antigüedad en bases de datos médicos y textos específicos. Segunda instancia: representación del acto quirúrgico en 3 especímenes cadavéricos humanos. En cada espécimen se realizaron 4 abordajes (2 submamarios y 2 subcostales inferiores) se hizo hincapié en la descripción de aquellas estructuras anatómicas importantes para respetar en el abordaje de la pared torácica. Resultados: Fue posible recrear las diferentes técnicas de abordaje de la pared costal. Se pudo constatar que la ubicación del paquete vasculonervioso dentro del surco costal fue constante inter especímenes e intra espécimen. La relación entre el pericondrio interno, la fascia endotorácica y la hoja parietal de la pleura resultó ser un sistema fibroadhesivo complejo y variable. Coincidimos con la bibliografía acerca de que la técnica se dificulta cuando se realiza la recolección a nivel costal más proximal. Conclusiones: Creemos que el conocimiento de la anatomía torácica es indispensable para realizar una correcta técnica de disección y posterior recolección de cartílago costal; esto disminuiría las complicaciones y la morbilidad en el sitio dador. El neumotórax y el dolor neuropático provienen del daño de estructuras anatómicas constantes.

Introduction: the purpose is to weight the anatomical knowl edge essential to the chestwall for the safe collection of costal cartilage in rhinoplasty. Materials and methods: It is divided in to two phases. This presentation corresponds to Phase I, of an observational descriptive type. Phase II (currently underway) has a prospective and experimental design for future presentation. First instance: collection of bibliographic information, not more than 5 years old in medical databases and specific texts. Second instance: representation of the surgical act in 3 human cadaveric specimens. In each specimen, 4 approaches (2 sub mamarios and 2 lower subcostals) were performed, emphasizing the description of those anatomical structures important to respect in the thoracic wall approach. Results: It was possible to recreate the different techniques of approaching the costal wall. It was observed that the location of the vasculo nervioso package with in the costal groove was constant between specimens and intra specimen. The relationship between the internal perichondrium, the endothoracic fascia and the parietal leaf of the pleura turned out to be a complex and variable fibro adhesive system. We agree with the bibliography that the technique is difficult twhen the collection is carried out at the most proximal costal level. Conclusions: We believe that knowl edge of the thoracic anatomy is essential to perform a correct technique of dissection and later collection of costal cartilage, this would reduce complications and morbidity in the donor site. Pneumothorax and neuropathic painarise from the damage of constant anatomical structures.

Introdução: o objetivo é avaliar o conhecimento anatômico essencial da parede torácica para a recolha de cartilagem costal em rinoplastia. Materiais e métodos: dividido em duas fases. Esta apresentação corresponde à Fase I, observacional descritivo. Fase II (em curso) tem um desenho prospectivo e experimental para uma apresentação futuro. Primeira instância: recolha de informação bibliográfica, não mais de 5 anos de idade em bancos de dados médicos e textos específicos. Segunda instância: a representação da cirurgia em 3 espécimes de cadá- veres humanos. Em cada espécime 4 abordagens (2 submamária e 2 inferior subcostal) enfatizou a descrição dessas estruturas anatômicas importantes a respeitar no tratamento da parede torácica foram realizadas. Resultados: Foi possível recriar as diferentes técnicas de abordagem parede torácica. Verificou-se que a localização do feixe neurovascular no sulco costal foi constante espécimes inter e intra espécime. A relação entre o pericôndrio interno, a fáscia e a folha intratorácica pleura parietal provou ser um sistema de fibro adhesive complexa e variável. Estamos de acordó com a literatura que a técnica é difícil quando a coleção é composta nível costal mais proximal. Conclusão: Acreditamos que o conhecimento da anatomia torácica é essencial para uma correta técnica de dissecção e subsequenterecolha de cartilagem costal, este iria diminuir as complicações e morbidade no sítiodoador. Pneumotórax e dorneuropática vem de danos causados por estrutura sanatômicas constantes.
Descritores: Cartilagem Costal/anatomia & histologia
Cartilagem Costal/cirurgia
Cartilagem Costal/transplante
-Autoenxertos/fisiopatologia
Nervos Intercostais/anatomia & histologia
Complicações Pós-Operatórias
Pneumotórax/prevenção & controle
Rinoplastia
Transplante Autólogo
Limites: Masculino
Feminino
Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Revisão
Responsável: AR635.1 - FCVyS - Servicio de Información y Documentación


  9 / 34 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-732559
Autor: Lyra, Roberto de Menezes.
Título: Preserving the intercostal nerves as a goal in thoracotomy / O objetivo da preservação dos nervos intercostais na toracotomia
Fonte: J. bras. pneumol;40(6):675-676, Nov-Dec/2014. graf.
Idioma: en.
Descritores: Dor Aguda/prevenção & controle
Nervos Intercostais/cirurgia
Dor Pós-Operatória/prevenção & controle
Toracotomia/efeitos adversos
Toracotomia/métodos
Limites: Humanos
Masculino
Tipo de Publ: Comentário
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 34 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-721463
Autor: Leandro, Juliana Duarte; Rodrigues, Olavo Ribeiro; Slaets, Annie France Frere; Schmidt Jr, Aurelino F.; Yaekashi, Milton L..
Título: Comparison between two thoracotomy closure techniques: postoperative pain and pulmonary function / Comparação entre duas técnicas de fechamento de toracotomia: dor pós-operatória e função pulmonar
Fonte: J. bras. pneumol;40(4):389-396, Jul-Aug/2014. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: To compare two thoracotomy closure techniques (pericostal and transcostal suture) in terms of postoperative pain and pulmonary function. METHODS: This was a prospective, randomized, double-blind study carried out in the Department of Thoracic Surgery of the Luzia de Pinho Melo Hospital das Clínicas and at the University of Mogi das Cruzes, both located in the city of Mogi das Cruzes, Brazil. We included 30 patients (18-75 years of age) undergoing posterolateral or anterolateral thoracotomy. The patients were randomized into two groups by the type of thoracotomy closure: pericostal suture (PS; n = 16) and transcostal suture (TS; n = 14). Pain intensity during the immediate and late postoperative periods was assessed by a visual analogic scale and the McGill Pain Questionnaire. Spirometry variables (FEV1, FVC, FEV1/FVC ratio, and PEF) were determined in the preoperative period and on postoperative days 21 and 60. RESULTS: Pain intensity was significantly greater in the PS group than in the TS group. Between the preoperative and postoperative periods, there were decreases in the spirometry variables studied. Those decreases were significant in the PS group but not in the TS group. CONCLUSIONS: The patients in the TS group experienced less immediate and late post-thoracotomy pain than did those in the PS group, as well as showing smaller reductions in the spirometry parameters. Therefore, transcostal suture is recommended over pericostal suture as the thoracotomy closure technique of choice. .

OBJETIVO: Comparar duas técnicas de fechamento de toracotomias (sutura pericostal e transcostal) em relação à dor pós-operatória e função pulmonar. MÉTODOS: Estudo prospectivo, randomizado e duplo-cego realizado no Serviço de Cirurgia Torácica do Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo e na Universidade de Mogi das Cruzes, na cidade de Mogi das Cruzes, Brasil. Foram incluídos no estudo 30 pacientes submetidos a toracotomias posterolaterais ou anterolaterais, com idade entre 18 e 75 anos. Os pacientes foram randomizados em dois grupos em função do tipo de fechamento da toracotomia: sutura pericostal (SP; n = 16) e sutura transcostal (ST; n = 14). A intensidade da dor no pós-operatório imediato e tardio foi avaliada por uma escala visual analógica e questionário de dor McGill. Foram avaliadas variáveis espirométricas (VEF1, CVF, relação VEF1/CVF e PFE) no pré-operatório e nos 21º e 60º dias pós-operatórios. RESULTADOS: A intensidade da dor foi significativamente maior no grupo SP que no grupo ST. No grupo SP, houve reduções significativas nas variáveis espirométricas estudadas entre o período pré-operatório e pós-operatório. Essas reduções não foram significativas no grupo ST. CONCLUSÕES: Os pacientes no grupo ST apresentaram menor intensidade de dor pós-toracotomia, tanto imediata como tardia, e menor redução nos parâmetros espirométricos que os no grupo SP. Dessa forma, a técnica de fechamento de toracotomia por sutura transcostal é recomendada por apresentar vantagens sobre a técnica pericostal tradicional. .
Descritores: Pulmão/fisiologia
Dor Pós-Operatória/prevenção & controle
Técnicas de Sutura
Toracotomia
Técnicas de Fechamento de Ferimentos
-Brasil
Método Duplo-Cego
Nervos Intercostais
Medidas de Volume Pulmonar
Medição da Dor
Estudos Prospectivos
Dor Pós-Operatória/diagnóstico
Dor Pós-Operatória/etiologia
Espirometria
Limites: Adolescente
Adulto
Idoso
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 4 ir para página            
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde