Base de dados : LILACS
Pesquisa : A09.371.060.217.271 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 36 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 4 ir para página            

  1 / 36 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1131624
Autor: Genc, Selim; Esen, Fehim; Guler, Emre; Çakir, Hanefi.
Título: A theoretical model for graft punch size calculations to prevent Descemets membrane folds following deep anterior lamellar keratoplasty / Modelo teórico para cálculos do tamanho de punção de enxerto para evitar dobras na membrana de Descemet após ceratoplastia lamelar anterior profunda
Fonte: Arq. bras. oftalmol;83(5):366-371, Sept.-Oct. 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: The length of Descemet's membrane and donor graft sizes in deep anterior lamellar keratoplasty do not match in very steep corneas, which can lead to Descemet's membrane folds. The aim of this study is to establish a theoretical model for graft size calculations for deep anterior lamellar keratoplasty and evaluate its efficacy for preventing Descemet's membrane folds. Methods: We calculated the arc diameter of the recipient bed by using the cosine formula and developed a table to aid surgeons in donor punch size selection. To test the usefulness of this formula, we evaluated the development of Descemet's membrane folds in keratoconus patients with very steep corneas (K >60 D). In group 1, deep anterior lamellar keratoplasty surgeries were performed using graft sizes that were determined based on our model (n=31). In group 2, graft sizes were determined based on the empirical judgment of the surgeon without any formal calculation (n=30). Results: Our theoretical calculations demonstrated that the diameter of donor punch sizes needed to prevent Descemet's membrane fold increases when the cornea is steeper, or the trephine size is larger. We tested the efficacy of this model on the clinical outcome of deep anterior lamellar keratoplasty. The mean age (28.9 ± 10.1 years vs. 32.8 ± 8.3 years, p=0.11) and preoperative K1 (59.2 ± 9.3 D vs. 58.1 ± 9.4 D, p=0.67), K2 (66.2 ± 6.0 D vs. 65.7 ± 7.4 D, p=0.81), and Km values (62.1 ± 7.7 D vs. 61.8 ± 8.1 D, p=0.88) were similar between the two groups. Three patients developed Descemet's membrane folds in group 2, and none of the patients developed Descemet's membrane folds in group 1. These results supported our theo retical calculations. Conclusion: Adjustment of donor graft size based on the calculated arc diameter of the recipient bed reduced the development of Descemet's membrane folds after deep anterior lamellar keratoplasty in steep corneas.

RESUMO Objetivo: O comprimento da membrana de Descemet e o tamanho do enxerto doador na ceratoplastia lamelar anterior profunda não coincidem em córneas muito íngremes, o que pode levar às dobras da membrana de Descemet. O objetivo deste estudo é estabelecer um modelo teórico para cálculo do tamanho do enxerto para ceratoplastia lamelar anterior profunda e avaliar a sua eficácia na prevenção de dobras da membrana de Descemet. Métodos: Calculamos o diâmetro do arco do leito receptor usando a fórmula do cosseno e desenvolvemos uma tabela para auxiliar os cirurgiões na seleção do tamanho da punção no doador. Para testar a utilidade dessa fórmula, avaliamos o desenvolvimento das dobras da membrana de Descemet em pacientes com ceratocone com córneas muito íngremes (K>60D). No grupo 1, foram realizadas cirurgias de ceratoplastia lamelar anterior profunda, utilizando tamanhos de enxerto que foram determinados com base em nosso modelo (n=31). No grupo 2, os tamanhos dos enxertos foram determinados com base no julgamento empírico do cirurgião sem qualquer cálculo formal (n=30). Resultados: Nossos cálculos teóricos demonstraram que o diâmetro dos tamanhos da punção do doador necessários para evitar as dobras na membrana de Descemet aumenta quando a córnea é mais íngreme ou o tamanho da trefina é maior. Testamos a eficácia deste modelo no resultado clínico da ceratoplastia lamelar anterior profunda. A média de idade (28,9 ± 10,1 anos vs. 32,8 ± 8,3 anos, p=0,11) e K1 pré-operatório (59,2 ± 9,3 D vs. 58,1 ± 9,4 D, p=0,67), K2 (66,2 ± 6,0 D vs. 65,7 ± 7,4) D, p=0,81) e Km (62,1 ± 7,7 D vs. 61,8 ± 8,1 D, p=0,88) foram semelhantes entre os dois grupos. Três pacientes desenvolve ram dobras na membrana de Descemet no grupo 2, e nenhum dos pacientes desenvolveu dobras na membrana de Descemet no grupo 1. Estes resultados apoiam nossos cálculos teóricos. Conclusão: O ajuste do tamanho do enxerto doador com base no diâmetro do arco calculado do leito receptor reduziu o desenvolvimento das dobras na membrana de Descemet após ceratoplastia lamelar anterior profunda em córneas íngremes.
Descritores: Transplante de Córnea
Lâmina Limitante Posterior
Ceratocone
-Acuidade Visual
Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
Ceratocone/cirurgia
Modelos Teóricos
Limites: Humanos
Adolescente
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1131637
Autor: Maranhão, Lucio V. L; Ramalho, Natália Regnis L; Pinto, Wanessa M. P; Dantas, Paulo Elias Correa; Ventura, Camila V.
Título: Descemets membrane endothelial keratoplasty for acute corneal hydrops: a case report / Ceratoplastia endotelial com membrana de descemet para hidrópsia corneana aguda: relato de caso
Fonte: Arq. bras. oftalmol;83(5):430-433, Sept.-Oct. 2020. graf.
Idioma: en.
Projeto: Fundação Altino Ventura.
Resumo: ABSTRACT Here, we describe the result of a Descemet's membrane endothelial keratoplasty for acute corneal hydrops in a 45-year-old female with keratoconus, who presented with severe visual loss in her OS. The patient's best-corrected visual acuity was 20/80 in the right eye and hand motion in the OS. Slit-lamp examination revealed an extensive tear of the Descemet's membrane and stromal corneal edema in the OS. We opted for Descemet membrane endothelial keratoplasty. Twelve months postoperatively, the patient had a best-corrected visual acuity of 20/50 in the OS.

RESUMO Trata-se de uma paciente do sexo feminino, de 45 anos, portadora de ceratocone, submetida a uma ceratoplastia endotelial com membrana Descemet após apresentar um quadro de perda de visão severa devido a uma hidrópsia corneana aguda no olho esquerdo. Inicialmente, a acuidade visual corrigida da paciente era de 20/80 no olho direito e de movimento de mãos no olho esquerdo. Após exame de biomicroscopia que detectou uma extensa rotura da membrana de Descemet e edema estromal, optamos por tratar esse caso com o ceratoplastia endotelial com membrana Descemet. Doze meses após o procedimento cirúrgico, percebeu-se uma melhora do edema corneano, não havia sinais de rejeição do botão óptico e a acuidade visual corrigida da paciente era de 20/50 no olho afetado.
Descritores: Edema da Córnea
Transplante de Córnea
Lâmina Limitante Posterior
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior
-Endotélio Corneano
Acuidade Visual
Edema da Córnea/cirurgia
Edema da Córnea/etiologia
Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
Edema
Limites: Humanos
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1251317
Autor: Pereira, Samuel Montenegro; Ferreira, Juliana de Lucena Martins; Araújo, Marilia Cavalcante; Correia, Antônio Lucas Oliveira; Monte, Fernando Queiroz.
Título: Múltiplas camadas na membrana de descemet / Multiple layers on the Descemet membrane
Fonte: Rev. bras. oftalmol;80(1):63-66, jan.-fev. 2021. graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Relato de caso não descrito na literatura oftalmológica nacional de múltiplas camadas da membrana de Descemet. Mulher de 59 anos, pseudofácica, com diagnóstico de ceratopatia bolhosa, foi submetida à ceratoplastia penetrante em olho direito, sendo encontrado achado incomum de multiplicidade de camadas da membrana de Descemet, variáveis em forma e espessura, além de corpos ovoides com coloração de metamina de prata de Gocott-Gomori (GMS) negativa. Como a membrana de Descemet tem no seu desenvolvimento um período fetal e outro pós-natal que frequentemente é bem identificável nos cortes histológicos em adultos. No caso apresentado, em que outras camadas estão presentes, há evidência de corpos esféricos que poderiam significar que a potencialidade de produzir outras camadas pode permanecer na fase adulta mais tardia.

ABSTRACT To relate a case not described previously in the national multilateral ophthalmological literature of Descemet's membrane. A 59-year-old pseudophakic woman diagnosed with bullous keratopathy underwent penetrating keratoplasty with an unusual finding of multiple layers of Descemet's membrane, which were variable in shape and thickness. In addition, ovoid bodies with negative Gocott-Gomori (GMS) color were present. Discussion and Conclusion: As Descemet's membrane has a fetal and a postnatal period in its development, it is frequently and well identifiable in histological sections in adults. In the case presented, in which other layers are present, there is evidence of spherical bodies that could mean that the potential to produce other layers may remain into later adulthood.
Descritores: Edema da Córnea/diagnóstico
Ceratoplastia Penetrante/métodos
Lâmina Limitante Posterior/anormalidades
-Epidemiologia Descritiva
Diagnóstico Diferencial
Microscopia/métodos
Limites: Humanos
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.2 - Biblioteca Central


  4 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1153077
Autor: Karadag, Remzi.
Título: Trocar-assisted, flanged haptics, sutureless intrascleral fixated intraocular lens implantation combined with Descemet membrane endothelial keratoplasty / Implante de lente intraocular assistida com trocarte, com háptico flangeado e fixação intraescleral sem sutura, combinada com ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet
Fonte: Arq. bras. oftalmol;83(6):547-551, Nov.-Dec. 2020. graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT This article reports a combined technique of sutureless intrascleral fixated intraocular lens implantation and Descemet membrane endothelial keratoplasty in a patient with anterior pseudophakic bullous keratopathy. Two scleral tunnels were created, corneal incisions were made, and a foldable intraocular lens was cut and removed from the anterior chamber. After performing anterior vitrectomy, a 3-piece foldable intraocular lens was implanted into the anterior chamber. One of the intraocular lens haptics was grasped with a forceps and pulled out from the scleral tunnel. Then, the end of the haptic was cauterized. Similar maneuvers were applied for the other haptic. Next, an 8-mm-diameter donor tissue was prepared, and the recipient endothelial tissue was peeled and removed from the center of the recipient cornea. The prepared donor tissue was injected into the anterior chamber. After proper opening and placement of the donor tissue, an air bubble was injected below the tissue. There were no postoperative complications during the 1-month follow-up.

RESUMO Relato de uma técnica que combina o implante de uma lente intraocular com fixação intraescleral sem sutura e uma ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet em paciente com ceratopatia bolhosa pseudofácica anterior. Foram criados dois túneis esclerais. Foram feitas incisões na córnea e a lente intraocular dobrável foi cortada e removida da câmara anterior. Foi então efetuada uma vitrectomia anterior e uma lente intraocular dobrável de 3 peças foi implantada na câmara anterior. Um dos hápticos da lente intraocular foi pinçado com um fórceps e puxado para fora do túnel escleral. A extremidade do háptico foi cauterizada. Manobras semelhantes foram feitas no outro háptico. Foi preparado um tecido de doador com 8 mm de diâmetro e o tecido endotelial da área receptora foi removido do centro da córnea. O tecido preparado do doador foi injetado na câmara anterior. Após abertura e posicionamento adequados do tecido do doador, foi injetada uma bolha de ar abaixo do tecido. Não foi observada nenhuma complicação pós-operatória durante um mês de acompanhamento.
Descritores: Transplante de Córnea
Lentes Intraoculares
-Esclera/cirurgia
Instrumentos Cirúrgicos
Implante de Lente Intraocular
Lâmina Limitante Posterior
Limites: Humanos
Feminino
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1248960
Autor: Koçluk, Yusuf; Kasimm, Burcu; Sukgen, Emine Alyamaç.
Título: Use of viscoelastic substance for preventing Descemet's membrane rupture in deep anterior lamellar keratoplasty / Uso de substância viscoelástica na prevenção da ruptura da membrana de Descemet na ceratoplastia lamelar anterior profunda
Fonte: Arq. bras. oftalmol;84(3):230-234, May-June 2021. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: This study aimed to investigate the effect of using a viscoelastic substance in Descemet's membrane rupture in "double bubble" deep anterior lamellar keratoplasty. Methods: The medical records and videos of surgeries of 40 patients who underwent surgery between January 2014 and July 2015 were retrospectively evaluated. The patients were divided into two groups: 20 patients whose perforation of the posterior stromal wall was performed without administration of any viscoelastic substance (group 1) and 20 patients whose perforation of the posterior stromal wall was performed with administration of viscoelastic substance onto the posterior stroma (group 2). The Descemet's membrane perforation rate was compared between groups. Results: Perforation of the Descemet's membrane was observed in 12 (60.0%) patients in group 1 and only three (15.0%) patients in group 2. This difference was statistically significant (p=0.003). Only one (5%) patient in group 2 had macroperforation during the procedure, and the surgery was converted to penetrating keratoplasty. Eleven (55.0%) patients in group 1 had macroperforation of Descemet's membrane, and surgeries were converted to penetrating keratoplasty. This difference between the groups was statistically significant (p=0.001). Conclusions: Administering a viscoelastic substance onto the posterior stromal side just before puncture is an effective method to decrease the risk of Descemet's membrane perforation in deep anterior lamellar keratoplasty.(AU)

RESUMO Objetivo: Investigar o efeito do uso de uma substância viscoelástica na ruptura da membrana de Descemet em casos de ceratoplastia lamelar anterior profunda em "bolha dupla". Métodos: Foram avaliados retrospectivamente prontuários e vídeos de cirurgias de 40 pacientes operados entre janeiro de 2014 e julho de 2015. Os pacientes foram divididos em dois grupos: 20 pacientes nos quais a parede posterior do estroma foi puncionada sem a colocação de nenhuma substância viscoelástica (grupo 1) e 20 pacientes nos quais uma substância viscoelástica foi aplicada sobre o estroma posterior ao ser puncionada a parede posterior do estroma (grupo 2). A taxa de perfuração da membrana de Descemet foi comparada entre os grupos. Resultados: Observou-se perfuração da membrana de Descemet em 12 casos (60,0%) no grupo 1 e em apenas 3 casos (15,0%) no grupo 2. Essa diferença foi estatisticamente significativa (p=0,003). Apenas um caso (5%) no grupo 2 teve macroperfuração durante o procedimento, sendo a cirurgia então convertida em uma ceratoplastia penetrante. Onze casos (55,0%) no grupo 1 tiveram macroperfuração da membrana de Descemet e essas cirurgias foram convertidas em ceratoplastias penetrantes. Essa diferença entre os grupos foi estatisticamente significativa (p=0,001). Conclusões: A aplicação de substância viscoelástica sobre o lado posterior do estroma logo antes da punção é um método eficaz para diminuir o risco de perfuração da membrana de Descemet na ceratoplastia lamelar anterior profunda.(AU)
Descritores: Transplante de Córnea/instrumentação
Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
Substâncias Viscoelásticas
-Substância Própria
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-827964
Autor: Botsford, Benjamin; Vedana, Gustavo; Cope, Leslie; Yiu, Samuel C; Jun, Albert S.
Título: Comparison of 20% sulfur hexafluoride with air for intraocular tamponade in Descemet membrane endothelial keratoplasty (DMEK) / Comparação de hexafluoreto de enxofre a 20% com ar para tamponamento intraocular na ceratoplastia endotelial de membrana Descemet (DMEK)
Fonte: Arq. bras. oftalmol;79(5):299-302, Sept.-Oct. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To compare the effect of 20% sulfur hexafluoride (SF6) with that of air on graft detachment rates for intraocular tamponade in Descemet membrane endothelial keratoplasty (DMEK). Methods: Forty-two eyes of patients who underwent DMEK by a single surgeon (A.S.J.) at Wilmer Eye Institute between January 2012 and 2014 were identified; 21 received air for intraocular tamponade and the next consecutive 21 received SF6. The main outcome measure was the graft detachment rate; univariate and multivariate analyses were performed. Results: The graft detachment rate was 67% in the air group and 19% in the SF6 group (p<0.05). No complete graft detachments occurred, and all partial detachments underwent intervention with injection of intraocular air. The percentages of eyes with 20/25 or better vision were not different between the groups (67% vs. 71%). Univariate analysis showed significantly higher detachment rates with air tamponade (OR, 8.50; p<0.005) and larger donor graft size (OR, 14.96; p<0.05). Multivariate analysis with gas but not graft size included showed that gas was an independent statistically significant predictor of outcome (OR, 6.65; p<0.05). When graft size was included as a covariate, gas was no longer a statistically significant predictor of detachment but maintained OR of 7.81 (p=0.063) similar to the results of univariate and multivariate analyses without graft size. Conclusion: In comparison with air, graft detachment rates for intraocular tamponade in DMEK were significantly reduced by 20% SF6.

RESUMO Objetivo: Comparar as taxas de descolamento do botão endotelial com o uso de gás hexafluoreto de enxofre a 20% (SF6) em relação ao ar para o tamponamento intraocular na ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet (DMEK). Métodos: Quarenta e dois olhos foram operados com a técnica de DMEK por um único cirurgião (A.S.J.) no Wilmer Eye Institute entre janeiro de 2012 a 2014. Os primeiros 21 olhos receberam ar para o tamponamento intraocular após o enxerto do botão endotelial e os 21 olhos seguintes receberam SF6. O desfecho primário medido foi a taxa de descolamento do botão endotelial por análise univariada e multivariada. Resultados: A taxa de descolamento do botão endotelial foi de 67% no grupo que recebeu ar vs 19% no grupo que recebeu SF6 (p<0,05). Não houve nenhum descolamento total de botão e todos os parciais foram tratados com injeção de ar intraocular. Não houve diferença estatística significativa entre os grupos em relação a AV de 20/25 ou melhor (67% vs 71%). A análise univariada demonstrou maior taxa de descolamento com o tamponamento por ar intraocular (OR 8,50, p<0,005) e com botões doadores maiores (OR 14,96, p<0,05). Na análise multivariada, incluindo gás, mas não o tamanho do botão doador, o tipo de gás usado permaneceu sendo um fator preditivo independente e estatisticamente significativo para o desfecho primário, com OR de 6,65 (p<0,05). Porém, quando o tamanho do botão doador foi incluso como covariável, o gás perdeu a sua significância como preditor de descolamento, mantendo o OR de 7,81 (p=0,063), semelhante as análises univariada e multivariada excluindo o tamanho do botão doador. Conclusão: O uso de gás hexafluoreto de enxofre a 20% (SF6) para o tamponamento intraocular reduz a taxa de descolamento do botão endotelial quando comparado ao uso de ar no DMEK.
Descritores: Hexafluoreto de Enxofre/administração & dosagem
Endotélio Corneano/transplante
Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
Ar
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
Tamponamento Interno/métodos
-Período Pós-Operatório
Fatores de Tempo
Acuidade Visual/fisiologia
Análise Multivariada
Estudos Retrospectivos
Seguimentos
Resultado do Tratamento
Rejeição de Enxerto
Sobrevivência de Enxerto
Pressão Intraocular
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-838754
Autor: Prazeres, Tatiana Moura Bastos; Muller, Rodrigo; Rayes, Tatiana; Hirai, Flavio Eduardo; Sousa, Luciene Barbosa de.
Título: Visual outcomes after deep anterior lamellar keratoplasty using donor corneas without removal of Descemet membrane and endothelium / Resultados visuais após transplante lamelar anterior profundo utilizando botão corneano sem remoção da membrana de Descemet e endotélio
Fonte: Arq. bras. oftalmol;79(6):366-368, Nov.-Dec. 2016. graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: The optical quality of the interface after deep anterior lamellar keratoplasty (DALK) using the big-bubble technique has been shown to be excellent, leading to results comparable to penetrating keratoplasty. However, there is little in the literature with respect to the controversy surrounding the preparation of the donor cornea. The purpose of this study was to evaluate visual acuity (VA) in patients with keratoconus who underwent DALK without removal of the donor graft endothelium. Methods: The records of 90 patients who underwent DALK without the removal of the Descemet membrane (DM) and endothelium were retrospectively reviewed. Data collected included uncorrected VA (UCVA) and spectacle-corrected VA (SCVA) at 7, 30, 180 days, and 1 year postoperatively. Contact lens-corrected visual acuity (CLVA) was evaluated after 1 year of the procedure. Results: UCVA was significantly better than preoperative values at 7 days (p<0.001), 30 days (p<0.001), 180 days (p<0.001), and 1 year (p<0.001) after surgery. The 1-year postoperative mean SCVA and CLVA also improved when compared with preoperative SCVA (p<0.001 for both). Conclusions: DALK utilizing donor corneas with attached Descemet membrane and endothelium results in satisfactory VA in patients with keratoconus.

RESUMO Objetivos: A qualidade óptica da interface após ceratoplastia lamelar anterior profunda (DALK) utilizando a técnica de "Big Bubble" mostrou-se ser excelente, levando a resultados comparáveis aos da ceratoplastia penetrante. No entanto, há poucos dados na literatura com respeito à controvérsia em torno da preparação da córnea doadora. O objetivo deste estudo foi avaliar a acuidade visual (VA) em pacientes com ceratocone submetidos DALK sem a remoção da membrana de descemet e endotélio do tecido doador. Métodos: Os prontuários de 90 pacientes que foram submetidos a DALK sem a remoção da membrana Descemet (DM) e do endotélio foram avaliados retrospectivamente. Os dados coletados incluíram VA sem correção (UCVA) e VA corrigida por óculos (SCVA) aos 7, 30, 180 dias, e 1 ano de pós-operatório. A acuidade visual corrigida por lente de contato (CLVA) foi avaliada após 1 ano do procedimento. Resultados: UCVA no pós-operatório melhorou após 7 dias (p<0,001); 30 dias (p<0,001); 180 dias (p<0,001); e após 1 ano (p<0,001). Ocorreu melhora da SCVA pré-operatória quando comparada com a SCVA e CLVA após 1 ano (p<0,001 para ambos). Conclusão: Transplante lamelar anterior utilizando córneas doadas com membrana de Descemet e endotélio demonstrou resultados visuais satisfatórios em pacientes com ceratocone.
Descritores: Doadores de Tecidos
Endotélio Corneano/transplante
Acuidade Visual/fisiologia
Ceratoplastia Penetrante/métodos
Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
Ceratocone/cirurgia
-Período Pós-Operatório
Fatores de Tempo
Estudos Retrospectivos
Resultado do Tratamento
Período Pré-Operatório
Tratamentos com Preservação do Órgão/métodos
Rejeição de Enxerto
Limites: Humanos
Masculino
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-888176
Autor: Müller, Eduardo Gayger; Gomes, José Álvaro Pereira; Nosé, Walton; Nosé, Ricardo Menon.
Título: Persistence of granular corneal dystrophy type-1 deposits in the predescemetic layer after big-bubble deep anterior lamellar keratoplasty / Persistência de depósitos da distrofia corneal granular tipo-1 na camada pre-Descemet após transplante lamelar anterior profundo
Fonte: Arq. bras. oftalmol;81(1):66-69, Jan.-Feb. 2018. graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT We report intraoperative finding of Granular Corneal Dystrophy Type-1 (GCD1) deposits after stromal pneumodissection in deep anterior lamellar keratoplasty (DALK) in a 61-year-old female. Pneumodissection was performed from the center to the periphery of the cornea, characterizing a big bubble type 1 technique which dissects the deep stroma from the predescemetic layer. After stromal removal, persistence of whitish deposits inside the predescemetic layer was noted. During post-operative evaluation, anterior biomicroscopy and anterior segment optical coherence tomography showed granular opacities between the patient's Descemet's membrane and the donor cornea, suggesting possible involvement of the predescemetic layer in GCD1. This may require the surgeon's attention to choose between DALK keratoplasty or penetrating keratoplasty.

RESUMO Relatamos o achado intraoperatório de persistência dos depósitos de Distrofia Granular Tipo 1 (GCD1) após pneumodissecção estromal no transplante de córnea lamelar anterior profundo (DALK) em uma mulher de 61 anos. A pneumodissecção começou a partir do centro para a periferia da córnea, caracterizando uma big bubble tipo 1, que disseca o estroma profundo da camada pré-Descemet. Após a remoção do estroma, notamos a persistência de depósitos esbranquiçados no interior da camada pré-Descemet. Na avaliação pós-operatória, a biomicroscopia anterior e a tomografia de coerência óptica do segmento anterior evidenciaram opacidades granulares entre a membrana de Descemet e a córnea doadora, sugerindo o possível envolvimento da camada pré-Descemet na GCD1, o que pode chamar atenção do cirurgião para decidir entre manter o DALK ou converter para transplante penetrante.
Descritores: Distrofias Hereditárias da Córnea/cirurgia
Transplante de Córnea/métodos
Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
-Distrofias Hereditárias da Córnea/patologia
Distrofias Hereditárias da Córnea/diagnóstico por imagem
Resultado do Tratamento
Substância Própria/cirurgia
Substância Própria/patologia
Substância Própria/diagnóstico por imagem
Tomografia de Coerência Óptica
Lâmina Limitante Posterior/patologia
Lâmina Limitante Posterior/diagnóstico por imagem
Microscopia com Lâmpada de Fenda
Limites: Humanos
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Carta
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-950428
Autor: Grupchev, Dimitar Ivanov; Radeva, Mladena Nikolaeva; Georgieva, Miglena; Grupcheva, Christina N.
Título: In vivo confocal microstructural analysis of corneas presenting Kayser-Fleischer rings in patients with Wilson's disease / Análise microestrutural confocal in vivo de córneas apresentando anel de Kayser-Fleischer em pacientes com doença de Wilson
Fonte: Arq. bras. oftalmol;81(2):137-143, Mar.-Apr. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To evaluate microstructural differences between corneas with and without Kayser-Fleischer rings in age-matched subjects with Wilson's disease with neurological symptoms, using confocal laser scanning microscopy. Methods: The study included 12 subjects with Wilson's disease with neurological symptoms. Twelve corneas presented clinically with classic Kayser-Fleischer rings, visible on slit lamp examination; the other 12 served as controls. The subjects underwent a comprehensive clinical examination. Microstructural analysis using confocal laser scanning microscopy evaluated increased corneal thickness, decreased number of cells, increased debris or specific deposits, and unusual microstructures. Results: Clinically, the subjects with Kayser-Fleischer rings had similar corneal findings and normal intraocular pressure; two had typical sunflower cataracts and decreased visual acuity. The control eyes all presented normal visual acuity, intraocular pressure, and corneal appearance. The microstructural analysis demonstrated similar findings in all the affected corneas. Compared with the control corneas, there were fewer keratocytes in the anterior stroma (17.380 vs. 22.380/mm3). Round, "hollow" dark areas were observed between the keratocytes; these were universal and similar in appearance in all affected corneas and all cornea layers. In the peripheral posterior stroma, there were dust-like, bright, granular deposits that tended to increase in number and density toward Descemet's membrane, masking the peripheral endothelium. The control corneas presented a normal microstructure apart from dust-like granular deposits in the periphery. Conclusions: In vivo confocal microscopy is a useful tool for evaluating the corneal microstructure when a Kayser-Fleischer ring is clinically present. The ring consists of granular, bright particles that increase in density toward Descemet's membrane, and is associated with a decreased number of keratocytes and peculiar dark, round areas in all stromal layers, probably a sign of corneal damage. When the ring is not visible in subjects with Wilson's disease, changes to the corneal microstructure are insignificant.

RESUMO Objetivo: Avaliar, ao nível microestrutural, através de microscopia confocal in vivo a lazer, 12 córneas com anel de Kayser-Fleischer visível ao exame da lâmpada de fenda e compará-las com 12 córneas clinicamente normais de indivíduos com idades correspondentes aos pacientes com doença de Wilson e sintomas neurológicos. Métodos: O estudo incluiu 12 indivíduos com doença de Wilson e sintomas neurológicos (24 córneas). Doze córneas apresentavam clinicamente o anel clássico de Kayser-Fleischer e as outras 12 serviram como controle. Todos os pacientes foram submetidos a um exame clínico abrangente e a uma análise microestrutural subsequente utilizando microscopia confocal in vivo de varredura a laser. Os principais resultados observados foram: aumento da espessura da córnea, diminuição do número de células, aumento de resíduos/depósitos específicos e microestrutura atípica. Resultados: Clinicamente, todos os indivíduos com anel de Kayser-Fleischer (12 olhos) apresentaram achados similares da córnea e pressão intraocular normal. Dois indivíduos também apresentaram uma catarata de girassol típica e diminuição da acuidade visual. Todos os olhos do grupo controle apresentaram acuidade visual, pressão intraocular e aparência corneana normais. A microscopia confocal in vivo com varredura a laser revelou achados semelhantes em todas as córneas afetadas. O número de ceratócitos no estroma anterior era menor, 17.380/mm3 (22.380/mm3 no grupo controle), e entre eles foram identificadas áreas escuras arredondadas "vazias". Essas zonas escuras eram generalizadas e similares em todas as córneas examinadas e em todas as camadas da córnea. No estroma posterior periférico, havia presença de depósitos granulares brilhantes e com aparência de pó que tendiam a aumentar em número e densidade no sentido da membrana de Descemet, mascarando o endotélio periférico. As córneas controle apresentaram estrutura normal, com exceção de depósitos granulares com aparência de pó na periferia. Conclusões: A microscopia confocal in vivo é uma ferramenta útil para a avaliação da microestrutura da córnea quando o anel de Kayser-Fleischer está clinicamente presente. O anel é constituído de partículas granulares brilhantes com densidade aumentada no sentido da membrana de Descemet. Sua presença está associada com uma diminuição do número de ceratócitos e com áreas circulares escuras "peculiares" em todas as camadas estromais, que representam, provavelmente, um sinal de dano da córnea. Quando o anel não está clinicamente visível, a estrutura da córnea in vivo encontra-se insignificantemente alterada.
Descritores: Microscopia Confocal/métodos
Doenças da Córnea/patologia
Doenças da Córnea/diagnóstico por imagem
Degeneração Hepatolenticular/patologia
Degeneração Hepatolenticular/diagnóstico por imagem
-Valores de Referência
Estudos Prospectivos
Cobre/metabolismo
Lâmina Limitante Posterior/patologia
Lâmina Limitante Posterior/ultraestrutura
Lâmina Limitante Posterior/diagnóstico por imagem
Paquimetria Corneana
Pressão Intraocular
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 36 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-950433
Autor: Pereira, Nicolas Cesário; Forseto, Adriana dos Santos; Santos, Myrna Serapião dos; Grottone, Gustavo; Santos, Albert; Gomes, José Álvaro Pereira.
Título: Descemet's membrane endothelial keratoplasty with a simplified technique and low complication rate: the samba technique / Ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet com técnica simplificada e baixa taxa de complicação: a técnica de samba
Fonte: Arq. bras. oftalmol;81(2):130-136, Mar.-Apr. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: We report a simplified Descemet's membrane endothelial keratoplasty (DMEK) technique that involves safe and effective preparation and introduction, correct orientation, and easy unfolding of the donor graft inside the recipient anterior chamber. Methods: In this retrospective study, we assessed the surgical outcomes of 26 eyes of 23 consecutive patients (mean age, 61.2 ± 11.4 yr; range, 39-82 yr) with Fuchs endothelial corneal dystrophy (n=19) or bullous keratopathy (n=7) who underwent the Samba technique, a simplified DMEK method, at the Sorocaba Ophthalmology Hospital, Sorocaba Eye Bank, Sorocaba, Brazil, between August 2011 and July 2012. Results: Of the 26 operated eyes, only two (7.7%) experienced partial graft detachment requiring rebubbling, and in those eyes, the graft was reattached successfully with one air bubble. There were no cases of primary graft failure, tissue loss, or pupillary block. All patients with good visual potential achieved a best-corrected visual acuity of 20/30 or better at 6 months, and 82.6% achieved a best-corrected visual acuity of 20/30 or better 1 month postoperatively. Conclusion: In this retrospective study, the Samba technique, a simplified DMEK procedure, was safe and effective, with an acceptably low rebubbling rate and no incidence of primary graft failure or pupillary block. Moreover, rapid and nearly complete visual recovery was achieved. This simplified DMEK technique can be adopted by corneal surgeons worldwide as a primary treatment for endothelial dysfunction with a less steep learning curve and low rate of postoperative complications.

RESUMO Objetivo: Relatar uma técnica simplificada de ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet (DMEK) que envolve a preparação e a introdução seguras e eficazes, a orientação correta e o fácil desdobramento do enxerto doador dentro da câmara anterior receptora. Métodos: Neste estudo retrospectivo, foram revisados e avaliados os resultados cirúrgicos de 26 olhos de 23 pacientes consecutivos (idade média: 61,2 ± 11,4 anos, intervalo: 39 a 82 anos) com distrofia corneana endotelial de Fuchs (n=19) ou ceratopatia bolhosa (N=7) submetidos à técnica "Samba", método de DMEK simplificado, no Hospital Oftalmológico de Sorocaba, Banco de Olhos de Sorocaba, Sorocaba, Brasil, entre agosto de 2011 e julho de 2012. Resultados: Dos 26 olhos operados, apenas 2 olhos (7,7%) apresentaram descolamento parcial do enxerto que necessitou de nova injeção de ar na câmara anterior "re-bubble", e nesses olhos o enxerto foi posicionado com sucesso com o procedimento de "re-bubble". Nenhum dos 26 olhos apresentaram falência primária do enxerto ou perda de tecido, ou bloqueio pupilar. Todos os pacientes com bom potencial visual obtiveram a acuidade visual melhor corrigida de 20/30 ou melhor e 82,6% tinham acuidade visual melhor corrigida de 20/30 ou melhor com 1 mês de cirurgia. Conclusão: Neste estudo retrospectivo, a técnica de Samba, um procedimento de DMEK simplificado, mostrou-se segura e eficaz, com uma taxa de "re-bubble" aceitavelmente baixa e nenhuma incidência de falência primária ou complicação com bloqueio pupilar. Além disso, a recuperação visual rápida e completa foi rapidamente alcançada. Esta técnica DMEK simplificada pode ser adotada por cirurgiões de córnea em todo o mundo como um tratamento primário para disfunção endotelial com uma curva de aprendizado rápida e baixa taxa de complicações pós-operatórias.
Descritores: Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
Câmara Anterior/transplante
-Complicações Pós-Operatórias
Doadores de Tecidos
Endotélio Corneano/transplante
Contagem de Células
Distrofia Endotelial de Fuchs/cirurgia
Reprodutibilidade dos Testes
Estudos Retrospectivos
Resultado do Tratamento
Doenças da Córnea/cirurgia
Células Endoteliais
Limites: Humanos
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 4 ir para página            
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde