Base de dados : LILACS
Pesquisa : B01.043 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 6 [refinar]
Mostrando: 1 .. 6   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 6 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1122148
Autor: Dantas Neto, Maximiano Pinheiro; Maggioni, Rodrigo; Nogueira, Luiz Fagner Ferreira; Forte, Jamille Martins; Feijó, Rubens Galdino; Sabry, Rachel Costa.
Título: Perkinsus sp. infecting three important mollusks from Jaguaribe River estuary, Ceará, Brazil / Perkinsus sp. infectando três importantes moluscos do estuário do Rio Jaguaribe, Ceará, Brasil
Fonte: Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. (Online);57(1):e158316, 2020. ilus.
Idioma: en.
Projeto: CNPq/FUNCAP.
Resumo: This work investigated the occurrence of Perkinsus sp. in clam Anomalocardia brasiliana, oyster Crassostrea sp. and mussel Mytella falcata from the Jaguaribe River estuary, northeastern Brazil. The collection of clam (N = 300), oysters (N = 300) and mussels (N = 300) were carried out in the estuary of the Jaguaribe River, Ceará, in March and April (rainy season) and October (dry season) in 2017. The mollusks were measured in their major axis, open, and had their tissues submitted to tissue incubation techniques in Ray's fluid thioglycollate medium (RFTM), histology, real-time polymerase chain reaction (qPCR), PCR and sequencing. The RFTM assays showed Perkinsus sp. infecting the three mollusks investigated. The prevalence of infected clams was 1.33% in both sampling periods, oysters ranged from 2.66 (rainy season) to 8% (dry period), and mussels from 0% (dry period) to 51.33% (rainy season). The intensity of infection was very light to light in clams, very soft to severe in oysters and very soft to moderate in mussels. Histological analyses showed cells of Perkinsus sp. infecting the gills and connective tissue around the digestive gland of some individuals. The qPCR generated amplicons in all positive samples in RFTM, confirming the presence of Perkinsus sp., while the sequencing evidenced high similarity (99%) with the species P. beihaiensis. In conclusion, the results obtained contribute to increasing knowledge about the occurrence of Perkinsus sp. in bivalve mollusks from northeastern Brazil.(AU)

Foi investigada a ocorrência da infecção pelo protozoário Perkinsus sp. em berbigões Anomalocardia brasiliana, ostras Crassostrea sp. e mexilhões Mytella falcata do estuário do Rio Jaguaribe, Nordeste do Brasil. As colheitas dos berbigões (N = 300), ostras (N = 300) e mexilhões (N = 300) foram realizadas no estuário do Rio Jaguaribe, Ceará, nos meses de março e abril (período chuvoso) e outubro (período seco) de 2017. Os moluscos foram medidos em seu maior eixo, abertos e os seus tecidos foram submetidos às técnicas de incubação de tecidos em meio fluido de tioglicolato de Ray (RFTM), histologia, reação em cadeia da polimerase em tempo real (qPCR), PCR e sequenciamento. Os ensaios de RFTM evidenciaram Perkinsus sp. infectando os três moluscos investigados. A prevalência de berbigões infectados foi de 1,33% em ambos os períodos de amostragem, a de ostras variou de 2,66 (período chuvoso) a 8% (período seco) e a de mexilhões de 0% (período seco) a 51,33% (período chuvoso). A intensidade de infecção apresentou-se muito leve a leve em berbigões, muito leve à severa nas ostras e muito leve à moderada nos mexilhões. As análises histológicas mostraram células de Perkinsus sp. infectando as brânquias e tecido conjuntivo em torno da glândula digestiva de alguns indivíduos. A qPCR gerou amplicons em todas as amostras positivas em RFTM, confirmando a presença de Perkinsus sp., enquanto o sequenciamento mostrou alta similaridade (99%) com a espécie P. beihaiensis. Em conclusão, os resultados do presente estudo contribuem para ampliar o conhecimento sobre a ocorrência de Perkinsus sp. em moluscos bivalves do Nordeste do Brasil.(AU)
Descritores: Ostreidae
Parasitos
Bivalves
Alveolados
Moluscos
-Estuários
Estação Chuvosa
Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  2 / 6 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Labruna, Marcelo Bahia
Almeida, Alzira Maria Paiva de
Texto completo
Id: lil-744655
Autor: Rotondano, Tereza Emmanuelle de Farias; Almeida, Herta Karyanne Araújo; Krawczak, Felipe da Silva; Santana, Vanessa Lira; Vidal, Ivana Fernandes; Labruna, Marcelo Bahia; Azevedo, Sérgio Santos de; Almeida, Alzira Maria Paiva de; Melo, Marcia Almeida de.
Título: Survey of Ehrlichia canis, Babesia spp. and Hepatozoon spp. in dogs from a semiarid region of Brazil / Pesquisa de Ehrlichia canis, Babesia spp. e Hepatozoon spp. em cães de uma região semiárida do Brasil
Fonte: Rev. bras. parasitol. vet;24(1):52-58, Jan-Mar/2015. tab.
Idioma: en.
Resumo: This study assessed the occurrence of Ehrlichia spp., Babesia spp. and Hepatozoon spp. infections in 100 tick-harboring dogs from a semiarid region of the State of Paraíba, Northeastern Brazil. Blood samples and ticks were collected from the animals, and a questionnaire was submitted to dog owners to obtain general data. Blood samples were used to perform hemogram, direct blood smear and immunological and molecular hemoparasite detection. The 1,151 ticks collected were identified as Rhipicephalus sanguineus; direct smears revealed E. canis-like morulae in the monocytes of 4% (4/100) of the non-vaccinated female dogs, and 34% and 25% of the dogs tested positive for Ehrlichia canis by indirect immunofluorescence assay (IFA) and polymerase chain reaction (PCR), respectively. Blood smear examination revealed Babesia-suggestive merozoites in the erythrocytes of 2% (2/100) of the animals. Babesia vogeli was detected by PCR in ten animals (10%) and was correlated with young age (p = 0.007) and thrombocytopenia (p = 0.01). None of the animals showed Hepatozoon spp. positivity. These results indicate that E. canis is the main tick-borne canine pathogen in the study area and provide the first report of B. vogeli infection in dogs from Paraiba State.

O presente estudo avaliou a ocorrência de infecção por Ehrlichia spp., Babesia spp. e Hepatozoon spp. em 100 cães, infestados por carrapatos, oriundos de uma região semiárida do Estado da Paraíba, Nordeste do Brasil. Amostras de sangue e de carrapatos foram coletadas dos animais, e um questionário foi submetido aos proprietários dos cães para obter dados gerais. As amostras de sangue foram utilizadas para realização de hemograma, esfregaço sanguíneo e detecção molecular dos hemoparasitos. Os 1.151 carrapatos coletados foram identificados como Rhipicephalus sanguineus; os esfregaços sanguíneos revelaram mórulas sugestivas de E. canis em 4% (4/100) de cães fêmeas não vacinadas, e 34% e 25% dos cães foram positivos para Ehrlichia canis pela imunofluorescência indireta (IFI) e reação em cadeia pela polimerase (PCR), respectivamente. Os esfregaços sanguíneos revelaram merozoítas sugestivas de Babesia em eritrócitos de 2% (2/100) dos animais. Babesia vogeli foi detectada por PCR em dez animais (10%) e foi correlacionada com a idade jovem (p=0,007) e trombocitopenia (p=0,01). Nenhum dos animais apresentou positividade para Hepatozoon spp. Esses resultados indicam que E. canis é o principal patógeno canino transmitido por carrapato, na área estudada, e fornece o primeiro relato de infecção por B. vogeli em cães do Estado da Paraíba.
Descritores: Infecções Protozoárias em Animais/epidemiologia
Babesiose/epidemiologia
Ehrlichiose/veterinária
Ehrlichia canis/imunologia
Doenças do Cão/parasitologia
Doenças do Cão/epidemiologia
Alveolados/imunologia
-Babesia/imunologia
Babesiose/sangue
Brasil/epidemiologia
Anticorpos Antiprotozoários/sangue
Clima
Ehrlichiose/sangue
Ehrlichiose/epidemiologia
Doenças do Cão/sangue
Anticorpos Antibacterianos/sangue
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 6 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-899305
Autor: Scardua, Marcos Paiva; Vianna, Rogério Tubino; Duarte, Sâmia Sousa; Farias, Natanael Dantas; Correia, Maria Luíza Dias; Santos, Helen Taynara Araújo dos; Silva, Patricia Mirella da.
Título: Growth, mortality and susceptibility of oyster Crassostrea spp. to Perkinsus spp. infection during on growing in northeast Brazil / Crescimento, mortalidade e susceptibilidade de ostras Crassostrea spp. à infecção por Perkinsus spp. em cultivo no Nordeste do Brasil
Fonte: Rev. bras. parasitol. vet;26(4):401-410, Oct.-Dec. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: CNPq; . CNPq/MPA; . CAPES.
Resumo: Abstract Crassostrea rhizophorae and C. gasar oysters are cultivated in the northeast region. Perkinsus parasites infect bivalves, and their effects on oysters from tropical regions are poorly understood. This study evaluated the impact of Perkinsus infection on the productive traits of native oysters. Oysters were sampled bimonthly during 7 months, from July 2010 to February 2011, to evaluate growth rate, mortality and shell color patterns (white and dark-gray) (n = 500), and to determine the prevalence and intensity of Perkinsus (n = 152). Perkinsus and Crassostrea species were determined using molecular tools. Results showed that most dark-gray (90%, n = 20) and white (67%, n = 18) oysters were C. gasar and C. rhizophorae, respectively. Oysters showed a high growth rate and moderate cumulative mortality (44%). C. gasar oysters grew better and showed lower mortality and lower incidence of Perkinsus compared to C. rhizophorae. The mean prevalence of Perkinsus was moderate (48%), but the infection intensity was light (2.2). Perkinsosis affected very small oysters (19.4 mm). In conclusion, native oysters, especially C. gasar, have a great potential for culture, mortality is not associated with perkinsosis, and the shell color of oysters can be used to improve selection for spats with better performance.

Resumo Crassostrea rhizophorae e C. gasar são cultivadas na região Nordeste. Parasitas Perkinsus infectam bivalves e seus efeitos em ostras de regiões tropicais são pouco compreendidos. Este estudo avaliou o impacto da infecção por Perkinsus em parâmetros de produção de ostras nativas. Ostras foram coletadas bimestralmente durante 7 meses, de julho de 2010 a fevereiro de 2011, para avaliar crescimento, mortalidade e padrão de coloração da concha (branca e cinza-escura) (n = 500); além da presença e intensidade de Perkinsus (n = 152). Perkinsus e Crassostrea foram identificados por abordagem molecular. Os resultados mostraram que as ostras cinza-escuras (90%, n = 20) e brancas (67%, n = 18) eram C. gasar e C. rhizophorae, respectivamente. As ostras mostraram uma boa taxa de crescimento e mortalidade acumulada moderada (44%). C. gasar cresceu melhor com menor mortalidade e menor incidência de Perkinsus que C. rhizophorae. A prevalência média de Perkinsus foi moderada (48%), mas a intensidade de infecção foi leve (2,2). A perkinsiose afetou ostras pequenas (19,4 mm). Em conclusão, ostras nativas, especialmente C. gasar, têm grande potencial de produção; sem mortalidade associada à perkinsiose; e, a cor da concha pode ser usada para melhorar a seleção de sementes com melhor desempenho.
Descritores: Infecções Protozoárias em Animais/mortalidade
Crassostrea/crescimento & desenvolvimento
Crassostrea/parasitologia
Alveolados/fisiologia
-Brasil
Suscetibilidade a Doenças
Limites: Animais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 6 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-888866
Autor: Luz, M S A; Carvalho, F S; Oliveira, H C; Boehs, G.
Título: Perkinsus beihaiensis (Perkinsozoa) in oysters of Bahia State, Brazil / Perkinsus beihaiensis (Perkinsozoa) em ostras do Estado da Bahia
Fonte: Braz. j. biol;78(2):289-295, May-Aug. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: FAPESB.
Resumo: Abstract This study reports the pathogen Perkinsus beihaiensis in oysters of the genus Crassostrea on the coast of the State of Bahia (Brazil), its prevalence, infection intensity and correlation with salinity. Oysters (n = 240) were collected between October and December 2014 at eight sampling stations between latitudes 13°55'S and 15°42'S. The laboratory procedures included macroscopic analysis, histology, culture in Ray's fluid thioglycollate medium (RFTM), Polymerase Chain Reaction (PCR) and DNA sequencing. PCR and sequencing have been used for the genetic identification of oysters as well. Two species of oysters have been identified: Crassostrea rhizophorae and C. brasiliana. In both oyster species P. beihaiensis was the only Perkinsus species detected. In C. rhizophorae, the average prevalence was 82.8% by histology and 65.2% by RFTM. In C. brasiliana, the prevalences were 70.5% and 35.7%, respectively. The higher prevalence of P. beihaiensis in C. rhizophorae was probably influenced by salinity, with which was positively correlated (r> 0.8). In both oysters, P. beihaiensis was located mainly in the gastric epithelium. The infection was generally mild or moderate, without apparent harm to the hosts, but in cases of severe infection, there was hemocytical reaction and tissue disorganization. The generally high prevalence in the region suggests that oysters should be monitored with respect to this pathogen, especially in growing areas.

Resumo Este estudo relata o patógeno Perkinsus beihaiensis em ostras do gênero Crassostrea no litoral do Estado da Bahia (Brasil), sua prevalência, intensidade de infecção e correlação com a salinidade. As ostras (n = 240) foram coletadas entre outubro e dezembro de 2014 em oito estações amostrais entre as latitudes 13°55'S e 15°42'S. Os procedimentos laboratoriais incluíram análise macroscópica, histologia, cultivo em meio de tioglicolato de Ray (RFTM), reação em cadeia da polimerase (PCR) e sequenciamento de DNA. PCR e sequenciamento foram também utilizados para a identificação genética das ostras. Foram identificadas duas espécies de ostras: Crassostrea rhizophorae e C. brasiliana. Em ambas as espécies, P. beihaiensis foi a única espécie de Perkinsus detectada. Em C. rhizophorae, a prevalência média foi de 82,8% por histologia e de 65,2% por RFTM. Em C. brasiliana, as prevalências foram de 70,5% e 35,7%, respectivamente. A maior prevalência de P. beihaiensis em C. rhizophorae foi provavelmente influenciada pela salinidade, com a qual este apresentou correlação positiva (r>0,8). Em ambas as espécies, P. beihaiensis esteve localizada principalmente no epitélio gástrico. A infecção foi geralmente leve ou moderada, sem danos aparentes aos hospedeiros, mas em casos de infecção severa, houve reação hemocitária e desorganização de tecidos. As prevalências geralmente altas na região sugerem que as ostras devam ser monitoradas com relação a este patógeno, principalmente em áreas de cultivo.
Descritores: Crassostrea/parasitologia
Alveolados/isolamento & purificação
Alveolados/genética
Alveolados/patogenicidade
-Infecções Protozoárias em Animais/parasitologia
Brasil
Reação em Cadeia da Polimerase
Limites: Animais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 6 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-768208
Autor: Dantas-Neto, M. P.; Sabry, R. C.; Ferreira, L. P.; Romão, L. S.; Maggioni, R..
Título: Perkinsus sp. infecting the oyster Crassostrea rhizophorae from estuaries of the septentrional Northeast, Brazil / Perkinsus sp. infectando a ostra Crassostrea rhizophorae de estuários do Nordeste setentrional, Brasil
Fonte: Braz. j. biol;75(4):1030-1034, Nov. 2015. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract The mangrove oyster Crassostrea rhizophorae is an estuarine resource exploited by riverside communities in Northeast Brazil. Despite its socioeconomic importance, studies on the health status of this bivalve are scanty in this region. The purpose of the present study was to investigate the presence of the protozoan Perkinsus sp. in C. rhizophorae collected in August and September 2011 in three estuaries of the septentrional Northeast, Brazil: Jaguaribe (Ceará), Camurupim (Piauí) and Carnaubeiras (Maranhão) (n= 150 specimens/site). The samples were submitted to Ray’s fluid thioglycollate medium (RFTM), PCR and histology assays. The RFTM assay revealed spherical, blue or bluish-black hypnospores of the genus Perkinsus in 50 specimens (Jaguaribe= 17.3%, Camurupim= 5.3%, Carnaubeiras= 10.6%). The intensity of the infection ranged from very light (1-10 cells per slide) to severe (more than 40 cells in each of 10 fields of the slide) for Jaguaribe; very light for Camurupim and very light to moderate (at least 40 cells observed in each of 10 fields of the slide) for Carnaubeiras. When submitted to confirmatory PCR analysis, 6 cases were confirmed (Jaguaribe=3, Camurupim=1, Carnaubeiras=2). The histology confirmed 21 cases of infection in specimens from the three estuaries. Although local collectors have reported no mortality in oyster populations that might be attributed to infection by Perkinsus, health surveillance of oyster populations in the septentrional region of Northeast Brazil is advisable.

Resumo A ostra-do-mangue Crassostrea rhizophorae é um recurso estuarino explorado por comunidades ribeirinhas do Nordeste do Brasil. Apesar de sua importância socioeconômica, estudos sobre o estado de saúde deste bivalve são escassos na região. O objetivo deste estudo foi investigar a presença do protozoário Perkinsus sp. em C. rhizophorae coletada em agosto e setembro de 2011, em três estuários da região setentrional do Nordeste brasileiro: Jaguaribe (Ceará), Camurupim (Piauí) e Carnaubeiras (Maranhão) (n = 150 espécimes/local). As amostras foram submetidas ao meio líquido de tioglicolato de Ray (RFTM), PCR e ensaios histológicos. A análise em RFTM revelou hipnósporos esféricos azuis ou preto-azulados do gênero Perkinsus em 50 espécimes (Jaguaribe= 17,3%, Camurupim= 5,3%, Carnaubeiras= 10,6%). A intensidade de infecção variou de muito leve (1-10 células por lâmina) a severa (mais de 40 células em cada um dos 10 campos da lâmina) para o Rio Jaguaribe; muito leve para o Rio Camurupim e muito leve a moderada (pelo menos 40 células observadas, em cada um dos 10 campos da lâmina) para o Rio Carnaubeiras. Quando submetidos à análise confirmatória por PCR, foram confirmados 6 casos (Jaguaribe= 3, Camurupim= 1, Carnaubeiras= 2). A histologia confirmou 21 casos de infecção em espécimes dos três estuários. Embora os coletores locais não tenham relatado nenhuma mortalidade em populações de ostras que pudesse ser atribuída à infecção por Perkinsus, é aconselhável um monitoramento sobre o estado de saúde de populações de ostras da região.
Descritores: Alveolados/fisiologia
Crassostrea/parasitologia
Interações Hospedeiro-Parasita
-Brasil
Estuários
Reação em Cadeia da Polimerase
Tioglicolatos/química
Limites: Animais
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 6 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Labruna, Marcelo Bahia
Texto completo
Id: lil-604719
Autor: Spolidorio, Mariana Granziera; Torres, Mariana de Medeiros; Campos, Wilma Neres da Silva; Melo, Andréia Lima Tomé; Igarashi, Michelle; Amude, Alexandre Mendes; Labruna, Marcelo Bahia; Aguiar, Daniel Moura.
Título: Molecular detection of Hepatozoon canis and Babesia canis vogeli in domestic dogs from Cuiabá, Brazil / Detecção molecular de Hepatozoon canis e Babesia canis vogeli em cães domésticos de Cuiabá, Brasil
Fonte: Rev. bras. parasitol. vet;20(3):253-255, July-Sept. 2011. tab.
Idioma: en.
Resumo: The objective of this study was to report for the first time infection by Hepatozoon spp. and Babesia spp. in 10 dogs from the city of Cuiabá, State of Mato Grosso, central-western Brazil. A pair of primers that amplifies a 574 bp fragment of the 18S rRNA of Hepatozoon spp., and a pair of primers that amplifies a 551 bp fragment of the gene 18S rRNA for Babesia spp. were used. Six dogs were positive for Babesia spp., and 9 were positive for Hepatozoon spp. Co-infection of Babesia spp. and Hepatozoon spp. was seen in 5 dogs. Sequenced samples revealed 100 percent identity with B. canis vogeli, and H. canis. This is the first molecular detection of H. canis in domestic dogs from Cuiabá. Additionally, it is described for the first time the presence of B. canis vogeli circulating among dogs in Cuiabá.

O objetivo deste estudo foi relatar pela primeira vez a infecção por Hepatozoon spp. e Babesia spp. em cães domésticos provenientes da cidade de Cuiabá, estado de Mato Grosso. Foram utilizados pares de primers que amplificam um fragmento de 574 pb do gene 18S rRNA de Hepatozoon spp., e 551 pb do gene 18S rRNA para Babesia spp. Dos 10 cães amostrados, 6 apresentaram-se positivos para Babesia spp., e 9 foram positivos para Hepatozoon spp. pela PCR. Co-infecção entre Babesia spp. e Hepatozoon spp. ocorreu em 5 cães. As amostras revelaram 100 por cento de identidade com B. canis vogeli, e as amostras que foram positivas para Hepatozoon spp. foram 100 por cento idênticas a H. canis. Esta é a primeira identificação molecular de H. canis em cães domésticos em Cuiabá. Adicionalmente, descrevemos pela primeira vez a presença de B. canis vogeli circulando entre cães em Cuiabá.
Descritores: Alveolados
Babesiose/veterinária
Doenças do Cão/diagnóstico
Doenças do Cão/parasitologia
Infecções Protozoárias em Animais/diagnóstico
-Babesiose/diagnóstico
Técnicas de Diagnóstico Molecular
Limites: Animais
Cães
Feminino
Masculino
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde