Base de dados : LILACS
Pesquisa : B01.050.150.900.649.313.750 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 56 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 6 ir para página                

  1 / 56 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1024505
Autor: Sonia Júnior de, Paulo; Mattos, Karine de; Carvalho, Natan da Cruz de; Santos, André Luiz Quagliatto.
Título: Topografia da intumescência lombar e do cone medular em Lycalopex gymnocercus (G. Fischer, 1814)* / Topography of the lumbar intumescense and medullary conus in Lycalopex gymnocercus (G. Fischer, 1814)
Fonte: Rev. bras. ciênc. vet;21(4):173-177, out.-dez.2014. il..
Idioma: pt.
Resumo: Objetivou-se com este estudo descrever a topografia da intumescência lombar e do cone medular da medula espinhal do graxaim-do-campo (Lycalopex gymnocercus) a fim de estabelecer uma base anatômica para procedimentos de anestesia epidural nesta espécie, bem como fornecer dados para estudos comparativos em neuroanatomia animal. Para tal, foram utilizados cinco espécimes, quatro machos e uma fêmea, recolhidos mortos em rodovias da mesorregião sudoeste do Rio Grande do Sul, Brasil, e então fixados e conservados em solução de formaldeído. As macrodissecções e exames radiográficos digitais permitiram observar que a intumescência lombar mediu, em média, 31,40 ± 5,09 mm e ocupou o espaço sobre as vértebras L4 e L5 (80%; n =4) e entre L5 e L6 (20%; n = 1), sendo relativamente pequena se comparada a outras espécies carnívoras. O cone medular revelou dimensões alongadas típicas de canídeos de menor porte. Seu comprimento médio foi 68,28 ± 8,36mm e sua esqueletopia demonstrou base sobre a vértebra L5 e ápice sobre a S3 em quatro indivíduos; em um único espécime a base situou-se sobre L6 e o ápice sobre Cd1. O comprimento do cone medular teve forte correlação positiva com o comprimento rostrossacral (r = 0,8324). Os achados sugerem que a introdução da agulha para fins de anestesia epidural no Lycalopex gymnocercus seja mais segura no espaço sacrocaudal. P

The aim of this study was to describe the topography of the lumbar intumescence and medullary conus in the spinal cord of the pampas fox (Lycalopex gymnocercus), in order to establish anatomical basis for epidural anesthesia procedures in this species, as well as to give data for neuroanatomical comparative studies in animals. For this purpose, five specimens, four males and one female, collected dead from road kills at the southwest region of Rio Grande do Sul, Brazil, were embalmed and conserved in formaldehyde solution. Macrodissections and digital radiographs revealed that lumbar intumescence has an average length of 31.40 ± 5,09 mm, lies over L4 and L5 vertebrae and appears relatively shorter in comparison to other carnivore species. The medullary conus has an elongated dimension which seemed to be typical for smaller canids and an average length of 68.28 ± 8,36 mm. Its skeletopy exhibited a basis over L5 and an apices over S3 vertebrae in four specimens; in one individual the basis was over L6 and the apices over Cd1. The findings suggest that needle puncture for epidural anesthesia in Lycalopex gymnocercus is safer if done at the sacrocaudal space.
Descritores: Anatomia Veterinária
Anestesia Epidural
-Carnívoros
Animais Selvagens
Limites: Animais
Responsável: BR409.1 - Biblioteca


  2 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1021130
Autor: Souza,Júnior, Paulo de Souza; Mattos, Karine de; Carvalho, Natan da Cruz de; Santos, André Luiz Quagliatto.
Título: Topografia da intumescência lombar e do cone medular em Lycalopex gymnocercus (G. Fischer, 1814) / Topography of the lumbar intumescense and medullary conus in Lycalopex gymnocercus (G. Fischer, 1814) P
Fonte: Rev. bras. ciênc. vet;21(4):173-177, out.-dez.2014. il..
Idioma: pt.
Resumo: Objetivou-se com este estudo descrever a topografia da intumescência lombar e do cone medular da medula espinhal do graxaim-do-campo (Lycalopex gymnocercus) a fim de estabelecer uma base anatômica para procedimentos de anestesia epidural nesta espécie, bem como fornecer dados para estudos comparativos em neuroanatomia animal. Para tal, foram utilizados cinco espécimes, quatro machos e uma fêmea, recolhidos mortos em rodovias da mesorregião sudoeste do Rio Grande do Sul, Brasil, e então fixados e conservados em solução de formaldeído. As macrodissecções e exames radiográficos digitais permitiram observar que a intumescência lombar mediu, em média, 31,40 ± 5,09 mm e ocupou o espaço sobre as vértebras L4 e L5 (80%; n =4) e entre L5 e L6 (20%; n = 1), sendo relativamente pequena se comparada a outras espécies carnívoras. O cone medular revelou dimensões alongadas típicas de canídeos de menor porte. Seu comprimento médio foi 68,28 ± 8,36mm e sua esqueletopia demonstrou base sobre a vértebra L5 e ápice sobre a S3 em quatro indivíduos; em um único espécime a base situou-se sobre L6 e o ápice sobre Cd1. O comprimento do cone medular teve forte correlação positiva com o comprimento rostrossacral (r = 0,8324). Os achados sugerem que a introdução da agulha para fins de anestesia epidural no Lycalopex gymnocercus seja mais segura no espaço sacrocaudal.

The aim of this study was to describe the topography of the lumbar intumescence and medullary conus in the spinal cord of the pampas fox (Lycalopex gymnocercus), in order to establish anatomical basis for epidural anesthesia procedures in this species, as well as to give data for neuroanatomical comparative studies in animals. For this purpose, five specimens, four males and one female, collected dead from road kills at the southwest region of Rio Grande do Sul, Brazil, were embalmed and conserved in formaldehyde solution. Macrodissections and digital radiographs revealed that lumbar intumescence has an average length of 31.40 ± 5,09 mm, lies over L4 and L5 vertebrae and appears relatively shorter in comparison to other carnivore species. The medullary conus has an elongated dimension which seemed to be typical for smaller canids and an average length of 68.28 ± 8,36 mm. Its skeletopy exhibited a basis over L5 and an apices over S3 vertebrae in four specimens; in one individual the basis was over L6 and the apices over Cd1. The findings suggest that needle puncture for epidural anesthesia in Lycalopex gymnocercus is safer if done at the sacrocaudal space. Keywords: animal anatomy, epidural anesthesia, pampas fox, wild carnivores.
Descritores: Anatomia Veterinária
Anestesia Epidural
Animais Selvagens
-Carnívoros
Limites: Animais
Responsável: BR409.1 - Biblioteca


  3 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-965512
Autor: Ferreira, Cristiano Corrêa; Souza Junior, Paulo de; Santos, André Luiz Quagliatto; Mendes, Douglas Ramos; Fontes, Juliana de Abreu.
Título: 3D scanner and cad software application in animal osteometry / Aplicação do scanner 3D e software cad em osteometria animal
Fonte: Biosci. j. (Online);32(3):705-712, may/june 2016. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: The research of the structure of wild animal anatomy is important and can be used to help with species conservation. The objective of this study was to describe the methodology used to digitally scan bone structure of these animals. Thus, all the steps used to perform the scapula scan of an adult specimen of Cerdocyon thous was thoroughly described as a way to illustrate the process that is being developed for the study of skeletons. A scapula was chosen to be digitalized because it is a plane bone of the forelimb and is fundamental to unite the limb to the animal's trunk. Advanced morphometric analysis of osteometry was depicted by creating three-dimensional physical models of bone structures utilizing the 3D Model Uniscan, a computational engineering tool that enables accurate results of the bone structure in the model. The equipment works by reading the points of the piece through the reflection of the laser in the lenses and sensors. These points are computed and positioned by VXelements software which is responsible for the capture of the targets, which in turn, generates a triangular surface mesh in real time which reproduces the 3D surface of the bone instantaneously. Finally, these sets of acquired data can be converted into various file formats compatible with CAD software, such as Solidworks which allows the dimensions to be extracted at different points of the object. This way of characterization and modeling allows the analysis of the structures' dimensions to be more informative and real. The obtained results of such analyzes have application in the studies of ecomorphology and evolution.

O detalhamento da anatomia de animais silvestres é importante, uma vez que pode ser usado a favor da conservação. Objetivou-se, com este trabalho, descrever a metodologia para realizar a digitalização da estrutura óssea desses animais. Assim, foram descritas todas as etapas utilizadas para efetuar a digitalização da escápula de um espécime adulto de Cerdocyon thous como uma forma de exemplificar o processo que está sendo desenvolvido para o estudo de esqueletos. Além disso, escolheu-se digitalizar a escápula, pois se trata de um osso plano do membro torácico, fundamental para unir o membro ao tronco do animal. As análises morfométricas avançadas de osteometria foram realizadas por meio da criação de modelos tridimensionais de estruturas ósseas, através de modelos físicos reais, com o uso do equipamento SCANNER 3D Modelo Uniscan, uma ferramenta de engenharia computacional que possibilita obter resultados precisos da estrutura óssea do modelo. O equipamento funciona por meio da leitura dos pontos da peça pela reflexão do laser nas lentes e sensores. Estes pontos são computados e posicionados pelo software VXelements que é responsável pela captação de alvos que, por sua vez, geram uma malha de superfície triangular em tempo real, o qual reproduz a superfície 3D instantânea do osso. Ao final, estes conjuntos de dados adquiridos podem ser convertidos em diversos formatos de arquivo compatíveis com softwares CAD como, por exemplo, o Solidworks que permite que as dimensões sejam extraídas em diferentes pontos do objeto. Sendo assim, esta forma de caracterização e modelagem permite tornar a análise da dimensão mais elucidativa e real. Os resultados obtidos nessas análises têm aplicação em estudos de ecomorfologia e evolução.
Descritores: Osso e Ossos
Carnívoros
Projeto Auxiliado por Computador
Animais Selvagens/anatomia & histologia
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  4 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-948224
Autor: Guimarães, Flávio de Rezende; Cardoso, Julio Roquete; Saddi, Thelma Michella; Araújo, Luciana Batalha de Miranda; Araújo, Eugênio Gonçalves de.
Título: Aspectos anatômicos dos músculos mediais da coxa do Quati (Nasua nasua, Linnaeus 1766) / Anatomical aspects of the medial thigh muscles of coati (Nasua nasua, Linnaeus 1766)
Fonte: Biosci. j. (Online);30(6):1853-1863, nov./dec. 2014.
Idioma: pt.
Resumo: Quatis (Nasua Spp.) são animais pertencentes à família Procyonidae da ordem Carnivora. Presentes em todos os biomas brasileiros, o Nasua nasua está distribuído na América do Sul, desde o norte da Colômbia até o norte da Argentina, sendo comuns na maioria das florestas neotropicais desta região. Onívoros, alimentam-se principalmente de frutos, tanto no solo quanto em árvores, o que os tornam importantes dispersores de sementes. Seus hábitos arbóreos exigem mais força e mobilidade de seus membros pélvicos do que nos canídeos, dos quais divergiram evolutivamente, mas ainda compartilham a mesma subordem. Neste sentido, este estudo analisou os aspectos anatômicos dos músculos que integram o grupo medial da coxa dos quatis, os quais tiveram seus aspectos gerais, localização, forma, origem, inserção, sintopia e ações avaliados. Para a realização desta pesquisa foram utilizados cinco animais adultos (duas fêmeas e três machos) cedidos pelo IBAMA-GO (Licença: 98/2011), os quais foram fixados com solução de formaldeído a 10% e dissecados depois de um período mínimo de 72 horas. Os músculos que compõem o grupo medial da coxa dos quatis são o m. grácil, m. pectíneo, m. adutor magno, m. adutor curto, m. adutor longo e o m. obturador externo. Todos os músculos apresentam particularidades quanto à origem e/ou inserção. O músculo grácil é bem largo e não contribui para a formação do tendão calcanear comum. O músculo pectíneo insere-se na metade da face caudal do fêmur. Os três músculos adutores encontram-se presentes e dispostos como três lâminas sucessivas e crescentes, no sentido craniocaudal, estando o músculo adutor curto interposto entre o m. adutor longo cranialmente e o m. adutor magno caudalmente. Suas inserções dispõem-se longitudinalmente e paralelas na face caudal do fêmur, crescendo em extensão, da medial (m. adutor longo) para a lateral (m. adutor magno). As habilidades adquiridas pelos quatis na medida em que se afastaram evolutivamente dos canídeos, passando a ter hábitos também arbóreos, foram acompanhadas por adaptações anatômicas no grupo muscular em questão, com várias delas assemelhando-se mais ao padrão verificado nos gatos do que propriamente nos cães. As adaptações caracterizaram-se principalmente por alterações nas origens e/ou inserções, tamanho e, no caso dos músculos adutores, também na quantidade e arranjo dos mesmos.

The coati (Nasua nasua) is a mammal of the Carnivora order and Procyonidae family. This species is present in all Brazilian biomes and is distributed throughout South America, from northern Colombia to northern Argentina, being most common in neotropical forests of this region. Omnivores, they feed mostly on fruits, both on the ground as in trees, which make them important seed dispersers. Their arboreal habits require more strength and mobility of their pelvic limbs than in canids, which they evolutionarily diverged from, but still share the same Suborder. Thus, this study examined the anatomical aspects of the muscles that integrate the medial group of the thigh of coatis, which had its general aspects, location, shape, origin, insertion, syntopy and actions evaluated. Five adult animals (two females and three males) provided by IBAMA-GO (License: 98/2011) were used in this research. They were fixed with 10% formaldehyde solution and dissected after a minimum period of 72 hours. The muscles which comprise the medial group of the thigh of coatis are the gracilis, pectineus, magnus, brevis and longus adductors and external obturator. All muscles show particularities regarding the origin and/or insertion. The gracilis muscle is very broad and does not contribute to the formation of the common calcaneal tendon. The pectineus muscle is inserted on the half of the caudal surface of the femur. The three individual adductors are arranged like three layers that increase craniocaudally, being the adductor brevis positioned between the longus cranially and the magnus caudally. Their insertions are arranged longitudinally and parallel throughout the caudal surface of the femur, increasing in extension from the medial (adductor longus) toward the lateral (adductor magnus). The abilities acquired by coatis in that diverged from canids, such as the arboreal habits, have been accompanied by anatomical adaptations in this muscle group, with several of them resembling more the pattern found in cats than in dogs. The adaptations are mainly characterized by changes in the origins and/or insertions, size, and in the case of adductor muscles, also in their pattern of individualization and arrangement.
Descritores: Coxa da Perna/anatomia & histologia
Carnívoros
Procyonidae
Animais Selvagens
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  5 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-976467
Autor: Taques, Isis I. G. G; Morgado, Thaís O; Braga, Ísis A; Paz, Regina C. R; Corrêa, Sandra H. R; Fritzen, Juliana T. T; Alfieri, Amauri A; Aguiar, Daniel M.
Título: Antibodies against canine distemper virus, parvovirus and Ehrlichia spp. in wild captive carnivores in midwestern Brazil / Anticorpos contra o vírus da cinomose canina, parvovírus e Ehrlichia spp. em carnívoros selvagens cativos no centro-oeste do Brasil
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;38(8):1681-1684, Aug. 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: The occurrence of antibodies against canine distemper virus (CDV), parvovirus and Ehrlichia spp. in wild captive carnivores was evaluated in a zoological park in midwestern Brazil. Serum samples were collected between 2007 and 2014 from 45 carnivores. Antibodies were evaluated by virus neutralization assay for CDV, hemagglutination inhibition test for parvovirus, indirect immunofluorescent and Enzyme-linked immunosorbent assay for Ehrlichia spp. Antibodies against CDV and parvovirus were detected in 75% of Canidae and Felidae. Procyonidae were negative for CDV, although one Mustelidae was positive. TwoCanidae presented antibodies reactive to E. canis antigens. The high antibodies rates to CDV and parvovirus suggest the contact with both pathogens, however since no clinical history of disease are registered in the Zoo-UFMT, we can presume that carnivores have responded satisfactorily against the antigens. The low serological rates observed against Ehrlichia spp. may be resulted to the low occurrence of ticks among carnivores.(AU)

A ocorrência de anticorpos contra o vírus da cinomose canina (CDV), parvovírus e Ehrlichia spp. em carnívoros selvagens em cativeiro foi avaliada em um parque zoológico do centro oeste do Brasil. As amostras de soro foram coletadas entre 2007 e 2014 de 45 carnívoros. Os anticorpos foram avaliados por ensaio de neutralização de vírus para CDV, teste de inibição de hemaglutinação para parvovírus, imunofluorescência indireta e ensaio imunoenzimático ligado à enzima para Ehrlichia spp. Anticorpos contra CDV e parvovírus foram detectados em 75% de canídeos e felídeos. Procionídeos foram negativos para CDV, embora um mustelídeo fora positivo. Dois canídeos apresentaram anticorpos reativos aos antígenos de E. canis. As altas taxas de anticorpos para CDV e parvovírus sugerem o contato com ambos os patógenos, entretanto desde que nenhuma história clínica de doença está registrada no Zoo-UFMT, podemos presumir que os carnívoros têm respondido satisfatoriamente contra os antígenos. As baixas taxas serológicas observadas contra Ehrlichia spp. pode ser resultado da baixa ocorrência de carrapatos entre os carnívoros.(AU)
Descritores: Carnívoros/imunologia
Parvovirus/patogenicidade
Cinomose/imunologia
Ehrlichia/patogenicidade
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  6 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-967549
Autor: Dias, Douglas de Matos; Ribeiro, Adauto de Souza; Bocchiglieri, Adriana; Pereira, Taiguã Corrêa.
Título: Diversidade de carnívoros (Mammalia: carnivora) da serra dos macacos, Tobias Barreto, Sergipe / Diversity of carnivores (Mammalia: carnivora) in the serra dos macacos, Sergipe
Fonte: Biosci. j. (Online);30(4):1192-1204, july/aug. 2014. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: A redução dos habitats dos carnívoros que necessitam de grandes áreas de vida tem ameaçado seriamente muitas espécies em todo o planeta, cujas causas estão relacionadas, quase sempre, às atividades antrópicas. Nesse sentido, esforços de pesquisa de campo são imprescindíveis, de modo a contribuir com informações sobre ocorrência e estado de conservação das espécies. Este estudo teve como objetivo inventariar a fauna de carnívoros da Serra dos Macacos em Tobias Barreto/SE. Entre outubro de 2010 e agosto de 2011, os carnívoros foram registrados através de 20 armadilhas de pegadas de 1m² cada, dispostas ao longo de quatro transectos. Cada transecto era composto por cinco armadilhas equidistantes 20 m, que permaneciam iscadas durante duas noites consecutivas por campanha. A busca direta por vestígios ocorreu percorrendo-se aleatoriamente trilhas e estradas, cujos percursos variaram entre 1200 m e 12 km e entrevistas foram realizadas com 30 moradores locais. Foram registradas oito espécies de carnívoros: Cerdocyon thous, Procyon cancrivorus, Conepatus semistriatus, Galictis cuja, Eira barbara, Leopardus pardalis, Puma yagouaroundi e Leopardus spp. No total foram obtidos 42 registros de carnívoros, sendo 14 pelas armadilhas de pegada e 28 pela busca por vestígios, resultando em cinco espécies registradas por ambos os métodos e estimada 5,9 ± 0,9 pelo Jackknife 1. Não houve diferença no número de registros entre as estações seca e chuvosa (t = -1,1767; p = 0,4532). As três espécies mais abundantes (P. cancrivorus, C. thous e C. semistriatus) corresponderam a cerca de 88% dos registros obtidos, enquanto os felinos foram menos abundantes. Acredita-se que os fragmentos florestais da Serra dos Macacos sejam mantenedores da diversidade observada, proporcionando abrigo e outros recursos, mas que estão seriamente ameaçados devido à ação antrópica.

The worldwide anthropogenic reduction of the habitat available to carnivores that depend on large home ranges has seriously threatened many species. In this context, reliable data on the occurrence and abundance of species are vital to conservation efforts. This study inventoried the carnivore fauna of the Serra dos Macacos in Tobias Barreto, Sergipe (Brazil). Between October 2010 and August 2011, carnivores were recorded using 20 track plots each measuring 1m², arranged along four transects. Each transect was composed of five traps 20 m apart, which were baited on two consecutive nights during each field campaign. Vestiges were also identified during active searches of existing trails and roads with lengths ranging from 1200 m to 12 km and additional information was collected in interviews with 30 local residents. Eight carnivore species were recorded: Cerdocyon thous, Procyon cancrivorus, Conepatus semistriatus, Galictis cuja, Eira barbara, Leopardus pardalis, Puma yagouaroundi and Leopardus sp. A total 42 records were obtained, 14 in the track plots and 28 in the active search for vestiges, with five species being recorded by each method and a total of estimated 5.9±0.9 being estimated by the Jackknife 1. There was no difference in the number of records between the dry and rainy seasons (t = -1,1767; p = 0,4532). The three most abundant species (P. cancrivorus, C. thous, and C. semistriatus) corresponded to approximately 88% of the records, while the felines were less abundant. It is believed that the forest fragments at Serra dos Macacos contribute to the maintenance of local diversity carnivore diversity by providing shelter and other resources, although these habitats are seriously threatened by ongoing human activities.
Descritores: Carnívoros
Ecossistema
Conservação dos Recursos Naturais
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  7 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-947470
Autor: Souza, Daiane Rodrigues; Ferreira, Lorraine Silva; Pereira, Dayane Kelly Sabec; Helrigle, Carla; Pereira, kleber Fernando.
Título: Topografia do cone medular de Procyon cancrivorus / Topography of medullar conus Procyon cancrivorus
Fonte: Biosci. j. (Online);30(3):823-829, may/june 2014. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Procyon cancrivorus é um animal adaptado em vários biomas, desde florestas tropicais até regiões semiáridas, tendo médio porte, farta pelagem, cauda longa, com anéis escuros e máscara facial, pertencente ao filo Chordata, classe Mammalia, ordem Carnívora e agrupado a família Procyonidae. O cone medular é uma leve dilatação situada no final da medula espinal, onde partem vários nervos espinais em desnível com os espaços intervertebrais, chamado de cauda equina, região importante para procedimentos de técnicas anestésicas regionais. O objetivo do presente estudo foi descrever a topografia do cone medular de Procyon cancrivorus, subsidiando a realização de técnicas anestésicas nesta espécie de carnívoro silvestre. Utilizamos dois animais procedentes de coleta em rodovias (mortos por acidente), submetidos à fixação em solução aquosa a 20% de formaldeído. As dissecações foram feitas para observação da intumescência lombar, cone medular e cauda equina e a documentação fotográfica. Observou-se que a coluna vertebral do Procyon apresenta divisão em 7 cervicais, 13 torácicas, 7 lombares e 3 sacrais. Retirou as vértebras, visualizou a medula espinal e verificou a localização da intumescência lombar entre a vértebra L3 e L4 com comprimento de 1,8 cm, o cone medular tem sua base na L4 e ápice na L7, com comprimento variando entre 5,1 cm e 5,6 cm e a cauda eqüina entre L7 e S3. A disponibilização deste estudo tem importante papel que serve de base para a prática das anestesias epidurais, e sobre a topografia do cone medular em Procyon cancrivorus.

The Procyon cancrivorus is an animal adapted in various biomes, from tropical forests to semiarid regions, and midrange, abundant coat, long tail with dark rings and a face mask, belonging to the phylum Chordata, class Mammalia, Carnivora order and grouped family Procyonidae. The conus is a slight dilation located at the end of the spinal cord, from where multiple spinal nerves sunken with the intervertebral spaces, called cauda equina region important for this procedure regional anesthetic techniques. The aim of this study was to describe the topography of the conus of Procyon cancrivorus, supporting the achievement of anesthetic techniques in this kind of wild carnivore. We used two animals from collecting on highways (killed by accident), underwent fixation in 20% aqueous solution of formaldehyde. The dissections were made to observe the lumbar intumescence, conus and cauda equina and photographic documentation on Sony 200 10.2 mpx camera. We observed that the backbone of Procyon shows division into seven cervical, 13 thoracic, 7 lumbar sacral and 3. We removed the vertebrae, the spinal cord visualize and verify the location of swelling lumbar vertebra between the L3 and L4 length of 1.8 cm, the conus has its basis in the L4 and L7 in the apex, and with length ranging between 5.1 cm and 5.6 cm and the cauda equina between L7 and S3. The release of this study has an important role that underpins the practice of epidural anesthesia, and the topography of the conus in Procyon cancrivorus.
Descritores: Medula Espinal
Carnívoros
Procyonidae
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  8 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-981802
Autor: Pedrassani, Daniela; Worm, Mayana; Drechmer, Jéssica; Santos, Margareth Cristina Iazzetti.
Título: Lesser Grison (Galictis cuja Molina, 1782) as host of Dioctophyme renale Goeze, 1782 / Furão Pequeno (Galictis cuja Molina, 1782) como hospedeiro de Dioctophyme renale Goeze, 1782
Fonte: Arq. Inst. Biol;84:e0312016, 2017. ilus.
Idioma: en.
Resumo: The Dioctophyme renale is a helminth parasite of the kidney usually seen in domestic and wild carnivores and rarely in human beings. This is a report about the parasitism of D. renale found in the kidney of two roadkill lesser grisons (Galictis cuja) in the North of the state of Santa Catarina, Brazil. The report of this parasitism in this species is important to complement the records about this native carnivore as a contributor in the epidemiologic chain while host/disseminator of this helminth with zoonotic potential.(AU)

O Dioctophyme renale é um helminto parasita renal observado normalmente em carnívoros domésticos e silvestres e excepcionalmente em seres humanos. Relata-se o parasitismo por D. renale em rim de dois furões pequenos (Galictis cuja) encontrados mortos por atropelamento no Norte do estado de Santa Catarina, Brasil. Relatar esse parasitismo nessa espécie é importante, para que se possam somar dados relativos a participação deste carnívoro nativo na cadeia epidemiológica como hospedeiro/ veiculador desse helminto com potencial zoonótico.(AU)
Descritores: Parasitos
Dioctophymatoidea
Mustelidae
Animais Selvagens
-Carnívoros
Limites: Animais
Responsável: BR1942.1 - NID - Biblioteca - Núcleo de Informação e Documentação


  9 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-859578
Autor: Pereira, Kleber Fernando; Souza, Daiane Rodrigues de; Ferreira, Lorraine Silva; Chela, Pâmela Rosa; Helrigle, Carla; Araújo, Eugênio Gonçalves de.
Título: Morphological aspects of the salivary glands of Crab-eating racoon (Procyon cancrivorus) / Aspectos morfológicos das glândulas salivares do Mão-pelada (Procyon cancrivorus)
Fonte: Acta sci., Biol. sci;35(1):99-103, Jan.-Mar. 2013. ilus.
Idioma: en.
Resumo: Procyon cancrivorus is a wild mammal from the Procyonidae family, being one of the least studied Brazilian carnivores. The aim of this study was to describe the morphological aspects of the salivary glands of Procyon cancrivorus, and to compare with literature data on the morphology of domestic animals and wilds animals, such as coatis and possums. Three adult animals were collected on highways (roadkilled), fixed 10% formaldehyde aqueous solution and submitted to desiccation. The salivary glands of the crab-eating raccoon are formed by the parotid, mandibular, sublingual and zygomatic glands. The parotid gland shows irregularly triangular shape with its respective duct. The mandible gland shows rounded outline surrounded by a fibrous capsule with its respective duct. The sublingual gland is divided into two parts: the caudal part, located in the occiptomandibular region of the digastric muscle and the rostral part between the tunica mucosa of the mouth and the mylohyoid muscle with its respective duct. The zygomatic gland is small and rounded, located in the rostral part of the pterygopalatine fossa with its respective duct. The morphology of the salivary glands of crab-eating raccoon presents great similarity in shape and arrangement with the glands of dog, cat, coatis and possum.

O Procyon cancrivorus é um mamífero silvestre da família Procyonidae, sendo um dos carnívoros brasileiros menos estudados. O objetivo deste estudo foi descrever os aspectos morfológicos das glândulas salivares do Procyon cancrivorus, e comparar com dados literários sobre a morfologia de animais domésticos e silvestres, como gambás e quatis. Foram utilizados três animais adultos, procedentes de coleta em rodovias (mortos por acidente), fixados em solução aquosa 10% de formaldeído e submetidos à dissecação. As glândulas salivares do mão-pelada são formadas pelas glândulas parótida, mandibular, sublingual e zigomática. A glândula parótida apresenta formato irregularmente triangular com seu respectivo ducto. Na mandibular observa-se contorno arredondado circundada por uma cápsula fibrosa com seu respectivo ducto. A sublingual se divide em duas partes: uma parte caudal que se situa na região occiptomandibular do músculo digástrico e a parte rostral situa-se entre a túnica mucosa da boca e o músculo milo-hióideo com seu respectivo ducto. A glândula zigomática é pequena e arredondada, situada na parte rostral da fossa pterigopalatina com seu respectivo ducto. Observando a morfologia das glândulas salivares do mão-pelada podemos dizer que possuem grande similaridade em forma e disposição com as glândulas de cão, gato, quati e gambá.
Descritores: Anatomia
Carnívoros
Procyonidae
Glândulas Salivares
Responsável: BR513.1 - Biblioteca Central


  10 / 56 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-779803
Autor: Paranaíba, J. F. F. S.; Lima, F. C.; Pereira, D. K. S.; Araújo, E. G.; Pereira, K. F..
Título: Morfo-histologia dos pulmões e árvore bronquial de Procyon cancrivorus (Carnivora: Procyonidae) / Morphohistology of the lungs and bronchial tree of the Procyon cancrivorus (Carnivora: Procyonidae)
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;68(2):353-360, mar.-abr. 2016. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Nenhuma característica dos seres vivos é tão primordial quanto a respiração, e os pulmões são os principais órgãos do sistema respiratório. Este estudo tem por objetivo descrever os aspectos macroscópicos da traqueia, dos brônquios e dos lobos pulmonares bem como os aspectos microscópicos dos brônquios pulmonares do mão-pelada e compará-los com dados da literatura de estudos realizados com mamíferos silvestres e domésticos. Utilizaram-se três exemplares de Procyon cancrivorus, que foram fixados em solução aquosa de formaldeído a 10%. Os pulmões e a traqueia foram dissecados e fotografados com câmera fotográfica digital (Câmera Sony a200, 10.2mpx). Para a identificação das características microscópicas, foram coletados fragmentos de cada brônquio seguindo as técnicas de rotina histológica. O pulmão do Procyon cancrivorus se divide em quatro lobos direito e dois lobos esquerdo e a traqueia apresenta cerca de 31 a 34 anéis. Os brônquios extrapulmonares se dividem em direito e esquerdo; o direito se subdivide em brônquios lobares cranial, médio, acessório e caudal, e o esquerdo em lobares cranial e caudal, com seus respectivos brônquios segmentares. Microscopicamente, os brônquios apresentam um epitélio prismático pseudoestratificado ciliado com células caliciformes e feixes de fibras de musculatura lisa, placas de cartilagem hialina e fibras elásticas. O conhecimento da morfologia desses órgãos nas espécies silvestres auxilia em estudos descritivos e/ou comparativos entre espécies.

No characteristic of living beings is as primal as breathing, and the lungs are the main organs in the respiratory system. This study aims to describe the macroscopic aspects of the trachea, bronchus and lung lobes and microscopic aspects of the bronchi of raccoon lungs and compare with data from the literature studies performed with wild and domestic mammals. We used three samples of Procyon cancrivorus, which were fixed in aqueous 10% formaldehyde, lungs and trachea were dissected and photographed with a digital camera (Sony a200 Camera, 10.2mpx). For the identification of microscopic characteristics, fragments were collected from each bronchus following routine histological techniques. The Procyon cancrivorus lung is divided into four lobes, with two right and left lobes. The trachea has about 31-34 rings. The extrapulmonary bronchi divides into left and right, where the right is divided into lobar bronchi cranial, middle, accessory and caudal lobes and the left in cranial and caudal, with their respective segmental bronchi. Microscopically the bronchial epithelium has prismatic pseudo-ciliated and goblet cells with bundles of smooth muscle fibers, plates of hyaline cartilage and elastic fibers. Knowledge of the morphology of these organs in wild species helps us in descriptive studies and / or comparisons between species.
Descritores: Brônquios/anatomia & histologia
Guaxinins/anatomia & histologia
Histologia
Pulmão/anatomia & histologia
Traqueia
-Animais Selvagens
Carnívoros/anatomia & histologia
Procyonidae/anatomia & histologia
Sistema Respiratório/anatomia & histologia
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice



página 1 de 6 ir para página                
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde