Base de dados : LILACS
Pesquisa : B01.050.150.900.649.313.984.235 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 166 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 17 ir para página                         

  1 / 166 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-876983
Autor: Carneiro, V. C; Lessa, D. A. B; Guttmann, P. M; Magalhaes, H; Aquino, M. H. C; Cunha, L. E. R; Arais, L. R; Cerqueira, A. M. F.
Título: Virulence, resistance, and genetic relatedness of Escherichia coli and Klebsiella sp. isolated from mule foals / Virulência, resistência e relação genética de Escherichia coli e Klebsiella sp. isoladas de potros de muar
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);69(5):1073-1082, set.-out. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Respiratory diseases are common in young horses but little is known about such infections in mule foals. This study aimed to characterize Escherichia coli and Klebsiella sp. isolated from tracheal wash (TW) and fecal samples (FS) of mule foals, with or without cytological evidence of respiratory disease. Strains were analyzed against 13 antimicrobials, for presence of Extended spectrum beta-lactamase (ESBL), and virulence genes. Phylogrouping and Randomic (RAPD)-PCR profiles were used to evaluate their genetic relatedness. E. coli strains from TW and FS showed greatest resistance to tetracycline, while Klebsiella strains were mainly resistant to ampicillin; multidrug resistance and ESBL production were also detected. The blaCTX gene prevailed among the E. coli isolates, while the blaSHV gene was more frequently found in K. pneumoniae. The fimH gene was detected in most of the isolates and multiple virulence factors were identified in three E. coli isolates. Most of the E. coli isolates belonged to the B1 phylogroup, but B2 strains displayed more virulence genes. The RAPD assay revealed genetic diversity among strains and was able to distinguish FS isolates from TW isolates. Knowledge of the bacteria associated with the respiratory tract of mule foals is important in the treatment of sick animals.(AU)

Doenças respiratórias são comuns em potros de equinos, porém pouco se sabe sobre tais infecções em potros de muar. Este estudo buscou caracterizar Escherichia coli e Klebsiella sp. isolados de lavados traqueais (TW) e amostras fecais (FS) de potros de muar com e sem evidências citológicas de doença respiratória. As amostras bacterianas foram testadas contra 13 antimicrobianos, para a presença de genes de resistência estendida às betalactamases (ESBL) e de virulência. Filogrupagem e perfis de PCR randômicos (RAPD) foram usados para avaliar sua relação genética. As amostras de E. coli de TW e FS mostraram maior resistência à tetraciclina, enquanto as amostras de Klebsiella foram mais resistentes à ampicilina; multirresistência e produção de ESBL também foram detectadas. O gene blaCTX foi mais frequente entre E. coli, enquanto o gene blaSHV foi mais encontrado entre K. pneumoniae. O gene fimH foi detectado na maioria dos isolados de E. coli, enquanto múltiplos genes de virulência foram identificados em três isolados de E. coli. A maioria dos isolados de E. coli pertenceu ao filogrupo B1, porém somente isolados do filogrupo B2 apresentaram mais genes de virulência. Os ensaios de RAPD demonstraram a diversidade genética entre as amostras e distinguiram amostras TW e FS. O conhecimento de bactérias associadas a infecções de trato respiratório de potros de muar é importante no tratamento de animais doentes.(AU)
Descritores: Equidae/microbiologia
Escherichia coli/patogenicidade
Escherichia coli/genética
Resistência Microbiana a Medicamentos
Klebsiella/patogenicidade
Klebsiella/genética
-Virulência
Doenças Respiratórias/veterinária
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  2 / 166 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-875121
Autor: Lara, Maria do Carmo Custódio de Souza Hunold; Villalobos, Eliana Monteforte Cassaro; Cunha, Elenice Maria Sequetin; Oliveira, José Victor de; Castro, Vanessa; Nassar, Alessandra Figueiredo de Castro; Silva, Lília Márcia Paulin; Okuda, Liria Hiromi; Romaldini, Adriana Hellmeister de Campos Nogueira; Cunha, Mariana Sequetin; Marques, Eduardo Carvalho; Mori, Enio.
Título: Occurrence of viral diseases in donkeys (Equus asinus) in São Paulo State, Brazil / Ocorrência de enfermidades virais em asininos (Equus asinus) no estado de São Paulo, Brasil
Fonte: Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. (Online);54(2):154-158, 2017.
Idioma: en.
Resumo: Among the diseases that affect equines, viral diseases play an important role from a health and economic point of view, especially influenza, viral arteritis, herpes infections and vesicular stomatitis. In the Brazilian literature, there is little or no account of the occurrence of infectious diseases in donkeys. Given the importance of donkeys in different activities and the lack of information on infections that may occur in these animals, the aim of this study was to determine the frequency of anti-equine herpesvirus (EHV), anti-equine arteritis virus (EAV), anti-vesicular stomatitis, and anti-equine influenza (H3N8) antibodies in the serum of 85 donkeys bred in some regions of the state of São Paulo. We found the following antibody frequencies: 50.6% (43/85) antibodies against influenza virus subtype H3N8, 47% (40/85) anti-EHV, and 20% (17/85) anti-EAV. The donkeys were not seropositive for vesicular stomatitis. The results suggested that the agents EHV, EAV, and equine influenza subtype H3N8 circulate among donkeys in some regions of the state of São Paulo, Brazil, reinforcing the importance of establishing a routine diagnosis and epidemiological study of this species.(AU)

Dentre as doenças que acometem os equídeos, as enfermidades virais assumem um papel importante do ponto de vista sanitário e econômico, especialmente a influenza, arterite viral, as infecções herpéticas e a estomatite vesicular. Na literatura nacional, existe pouco ou nenhum relato sobre a ocorrência de enfermidades infecciosas nos asininos. Tendo em vista a importância dos asininos para diferentes atividades e a falta de informações sobre as doenças que acometem esses animais, este trabalho teve como objetivo estudar a frequência de anticorpos anti-EHV, antivírus da arterite equina, anti-estomatite vesicular e anti-influenza equina (H3N8) em 85 soros de jumentos criados no estado de São Paulo. Estimou-se que 50,6% apresentavam anticorpos contra o subtipo H3N8 do vírus da influenza; 47% (40/85) apresentavam anticorpos contra o EHV e 20% apresentavam anticorpos contra o vírus da arterite. Os jumentos não foram soro reagentes contra a estomatite vesicular. Os resultados obtidos sugerem que os agentes EHV, vírus da arterite equina e influenza equina subtipo H3N8, circulam entre os jumentos do estado de São Paulo, caracterizando a importância do estabelecimento de uma rotina diagnóstica e estudos epidemiológicos na espécie.(AU)
Descritores: Equidae/virologia
Herpesvirus Equídeo 1/imunologia
Estomatite Vesicular/imunologia
Vírus da Arterite Equina/imunologia
Vírus da Influenza A Subtipo H3N8/imunologia
Doenças Transmissíveis/epidemiologia
-Testes Sorológicos/veterinária
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  3 / 166 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Vicente, W. R. R
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-874984
Autor: Teixeira, P. P. M; Silva, M. A. M; Coutinho, L. N; Barros, F. F. P. C; Coelho, C. M. M; Mariano, R. S. G; Vrisman, D. P; Borges, L. P. B; Taira, A. R; Bonato, D. V; Tironi, S. M. T; Vicente, W. R. R.
Título: ADAPT(tm) trocar use for laparoscopic procedures in equidea / Utilização do trocater AdaptTM para procedimentos laparoscópicos em equídeos
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;68(1):243-246, jan.-fev. 2016. ilus.
Idioma: en.
Resumo: O objetivo deste trabalho é descrever o uso do trocater modelo Adapt(tm) no acesso laparoscópico em animais da família dos equídeos. O procedimento cirúrgico foi realizado em 15 equídeos (quatro jumentas, seis cavalos e cinco éguas), com peso médio de 320kg (290kg e 450kg, pesos máximo e mínimo, respectivamente). Os pacientes foram mantidos em posição quadrupedal, sob sedação e bloqueio local. Primeiramente, realizou-se o preparo asséptico, e o acesso foi feito pelo flanco direito ou pelo esquerdo, dependendo da estrutura a ser visualizada. Em todos os procedimentos, foi utilizado o trocater modelo Seal AdaptTM Ports (Teleflex Medical Introduces TautTM, USA), com diâmetro de 12mm. Inicialmente se fez uma incisão de pele de aproximadamente 15mm para inserção da ponta do trocater. Este foi inserido na ferida cirúrgica, realizando-se movimentos de 180º em sentido horário e anti-horário, até atingir a cavidade abdominal. Após esta etapa, o obturador do trocater foi retirado, e a ótica inserida para confirmar o acesso à cavidade abdominal. A síntese das camadas superficiais da muscular foi realizada com fio nylon nº 0, em um padrão Sultan, e posteriormente a dermorrafia, também com nylon nº 0, no padrão de Wolf. O equipamento apresentou eficiência nos procedimentos de dissecação das camadas subcutânea, musculares e peritônio, não ocorrendo significativa hemorragia nessas camadas. Em um paciente muar, ocorreu afastamento do peritônio parietal, e em alguns casos (40%) ocorreu pequeno enfisema subcutâneo no pós-cirúrgico. Todos os pacientes apresentaram boa cicatrização da ferida cirúrgica. O trocater modelo AdaptTM mostrou-se eficiente na abordagem laparoscópica em equinos, apresentando segurança em se estabelecer o acesso e versatilidade no emprego de diversos instrumentais.(AU)
Descritores: Laparoscopia/instrumentação
Cirurgia Vídeoassistida/veterinária
Equidae/cirurgia
-Instrumentos Cirúrgicos/veterinária
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  4 / 166 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-871463
Autor: Rosa, Ademir Cassiano da.
Título: A farmacocinética e os efeitos sedativos e comportamentais dos cloridratos de xilazina e de detomidina, administrados por diferentes vias, em asininos Nordestinos (Equus asinus) / Pharmacokinetics, sedative and behavioral effects os xylazine and detomidine chloride administered by different routes in northwestern dontkeys (Equus asinus) Botucatu.
Fonte: Botucatu; s.n; 2014. 117 p.
Idioma: pt; en.
Tese: Apresentada a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Faculdade de Medicina de Botucatu para obtenção do grau de Doutor.
Descritores: Equidae
Xilazina/farmacocinética
Responsável: BR33.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação
BR33.1


  5 / 166 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-842055
Autor: Nogueira, Márcia F; Oliveira, Jacqueline M; Santos, Carlos J. S; Petzold, Hildeberto V; Aguiar, Daniel M; Juliano, Raquel S; Reis, Jenner K. P; Abreu, Urbano G. P.
Título: Equine infectious anaemia in equids of Southern Pantanal, Brazil: seroprevalence and evaluation of the adoption of a control programme / Anemia infecciosa equina em equídeos do Pantanal Sul, Brasil: soroprevalência e avaliação da adoção de um programa de controle
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;37(3):227-233, Mar. 2017. tab, graf, mapas.
Idioma: en.
Projeto: FUNDECT; . Embrapa Pantanal.
Resumo: The working equid population in Corumbá, Southern Pantanal, is very large and has a crucial role in the main economic activity of the State of Mato Grosso do Sul, the beef cattle industry. The aim of the present study was to estimate the prevalence of equine infectious anaemia (EIA) in working equids of ranches in the municipality of Corumbá, by the official agar gel immunodiffusion (AGID) test, and evaluate the adoption of the Programme for the Prevention and Control of Equine Infectious Anaemia proposed by Embrapa Pantanal and official entities in the 1990s. From September to November 2009, forty ranches distributed through the area of the municipality were visited, and serum samples were obtained from 721 equines and 232 mules. According to previous publications and the present data, it was concluded that the prevalence of EIA in this population has increased from 18.17% to 38.60%, which represents at this time approximately 13,000 infected animals. There was no significant difference between the apparent prevalence of equines and mules. It was also verified that the control programme was not known by the greater part of the interviewed ranch owners, managers and foremen and, in their perception, EIA is not a primary threat to address. Among the studied variables, the serologic testing practice significantly reduced the risk for the presence of EIA seropositivity, as well as the separation of riding equipment and segregation of seropositives.(AU)

A população de equídeos de serviço em Corumbá, Pantanal Sul, é muito numerosa e tem um papel crucial na principal atividade econômica do estado de Mato Grosso do Sul, a pecuária de corte extensiva. O objetivo deste trabalho foi estimar a prevalência atual da anemia infecciosa equina (AIE) em equídeos de serviço em fazendas do município de Corumbá, pelo teste oficial de imunodifusão em gel de ágar (IDGA), e avaliar a adoção do Programa de Prevenção e Controle da Anemia Infecciosa Equina proposto pela Embrapa Pantanal e entidades oficiais nos anos 1990. De setembro a novembro de 2009, quarenta fazendas distribuídas na área do município foram visitadas, e amostras de soro obtidas de 721 equinos e 232 muares. De acordo com publicações anteriores e os dados obtidos neste trabalho, concluiu-se que a prevalência da AIE nesta população aumentou de 18.17% para 38,60%, o que representa atualmente cerca de 13.000 animais infectados. Não houve diferença significativa entre as prevalências aparentes de equinos e muares. Verificou-se, também, que o programa de controle era desconhecido pela maior parte dos produtores, gerentes e capatazes entrevistados e, na percepção dos mesmos, a AIE não é uma ameaça importante a ser enfrentada. Dentre as variáveis estudadas, a prática da realização de testes sorológicos reduziu significantemente o risco para a presença de soropositividade para AIE, assim como a separação dos equipamentos de montaria e a segregação dos soropositivos.(AU)
Descritores: Anemia Infecciosa Equina/epidemiologia
Equidae/virologia
Anemia Infecciosa Equina/prevenção & controle
-Imunodifusão/veterinária
Vírus da Anemia Infecciosa Equina/isolamento & purificação
Desenvolvimento de Programas
Limites: Animais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 166 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-842032
Autor: Dognani, Romerson; Pierre, Elzira J; Silva, Maria do Carmo P; Patrício, Maria A. C; Costa, Silvano C. da; Prado, Jair R. do; Lisbôa, Júlio A. N.
Título: Epidemiologia descritiva da raiva dos herbívoros notificados no estado do Paraná entre 1977 e 2012 / Epidemiology of rabies in large animals of Parana, Brazil, from 1977 to 2012
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;36(12):1145-1154, Dec. 2016. tab, graf, mapas.
Idioma: pt.
Resumo: Realizou-se estudo epidemiológico descritivo da raiva dos herbívoros no estado do Paraná entre os anos de 1977 e 2012. Os casos confirmados de raiva e o total de amostras de encéfalo encaminhadas para o diagnóstico foram distribuídos por espécie, por ano, por meses, por mesorregião geográfica e por municípios, aplicando-se o teste de Qui-quadrado para verificar se havia associação com esses fatores. Modelo probabilístico foi ajustado à série histórica para verificação de padrões cíclico ou sazonal. Comprovou-se que a raiva é uma doença endêmica no PR, com ocorrência variável entre os anos, sem padrão sazonal e com ciclicidade aparente a cada 18 anos, acometendo, sobretudo, bovinos (86,9%) e equídeos (11,3%). Verificou-se grande difusão no estado (47,6% dos municípios), e a maior expansão geográfica aconteceu na última década. As áreas de ocorrência maior foram as mesorregiões Centro Oriental e de Curitiba, seguidas por Norte Pioneiro e Oeste. O número de casos de raiva por município se correlacionou, ainda que fracamente, com o número de abrigos de Desmodus rotundus (r=0,469; p<0,0001). Sugere-se que a imunização anual de bovinos e equídeos passe a ser adotada nas áreas de maior ocorrência (mesorregiões Centro Oriental e de Curitiba) e encorajada nas de ocorrência intermediária (mesorregiões Norte Pioneiro e Oeste).(AU)

A descriptive epidemiological survey of rabies in herbivorous reared in the state of Parana, Brazil, was carried out from 1977 to 2012. The positive cases and the total number of brain samples processed for diagnostic purposes were distributed according to species, year, month, geographical region and municipality. Chi-square test was used to verify if rabies was associated to these factors. Probabilistic model was applied to historical series in order to verify cyclic and seasonal patterns. In Parana, rabies is an endemic disease with variable yearly occurrence, without seasonal pattern and with a possible cyclic pattern every 18 years. Cattle (86.9%) and equides (11.3%) were mainly affected. Rabies was registered in 47.6% of all municipalities, indicating a great spread of this disease in Parana, mainly during the last decade. Middlewest and Curitiba regions, followed by Pioneer North and West regions, were the areas of most occurrence. The number of cases per municipality was weakly correlated with the number of shelters for Desmodus rotundus (r=0.469; p<0.0001). Therefore, we suggest that annual immunization of cattle and equides should be applied in the high occurrence areas (Middlewest and Curitiba regions) and encouraged in intermediate occurrence areas (Pioneer North and West regions).(AU)
Descritores: Lyssavirus
Infecções por Rhabdoviridae/epidemiologia
Doenças Endêmicas/veterinária
Encefalite/epidemiologia
Equidae
-Vacinação em Massa/veterinária
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 166 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-834164
Autor: Módolo, T. J. C; Munerato, M. S; Bueno, G. M; Pereira, G. T; Marques, J. A.
Título: Evaluation of intranasal oxygen supplementation in mules anesthetized with the combination of ketamine, butorphanol, and guaifenesin / Avaliação da suplementação intranasal de oxigênio em muares anestesiados com a associação de cetamina, butorfanol e éter gliceril guaiacólico
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;69(1):130-138, jan.-fev. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Hypoxemia is a major complication of field anesthesia and no studies regarding this occurrence in mules has been done. Thus, the aim of this study was to evaluate intranasal oxygen supplementation (IOS) in mules (Equus caballus x Equus asinus) anesthetized with ketamine/butorphanol/guaifenesin combination. For this, we used six male, adult mules (322±29kg) which underwent premedication (MPA) with 0.2mg/kg of midazolam intramuscularly after 15 minutes, 0.02mg/kg detomidine IV 5 minutes after, induction IV with combination of ketamine (2mg/mL), butorphanol (22.5mg/mL), and guaifenesin (50mg/mL) (K/B/G) until lateral decumbency. Maintenance was done with the same anesthetic combination. The animals were submitted twice to the protocol described above, 20 days apart, forming two groups. CG: MPA, induction (0.92±0.24mL/kg (mean±SD)), and maintenance (2.2±0.2mL/kg/h) without SIO; TG: MPA, induction (0.98±0.17mL/kg), and maintenance (2.3±0.4mL/kg/h) with IOS flow 40mL/kg/h. During anesthesia arterial blood was collected every 20 minutes (T0, T20, T40, and T60) for blood gas analysis. Data analyzed by ANOVA followed by the Bonferroni test. P<0.05 was considered significant. Hypoxemia of the animals in the CG in periods (59±5; 55±5; 53±7; 49±8) with lower averages than the TG (160±4, 115±34, 92±25, 81±19) was observed, demonstrating that IOS increases PaO2 avoiding the occurrence of hypoxemia.(AU)

A hipoxemia é uma das principais complicações da anestesia a campo, e em muares não existem estudos a respeito dessa ocorrência. Assim, objetivou-se avaliar a suplementação intranasal de oxigênio (SIO) em muares (Equus caballus x Equus asinus) anestesiados com cetamina/butorfanol/guaifenesina associados. Para isso, foram utilizados seis muares, macho e adultos (322±29kg), submetidos à medicação pré-anestésica (MPA) com 0,2mg/kg de midazolam por via intramuscular, após 15 minutos, 0,02mg/kg de detomidina por via intravenosa, após cinco minutos, indução com administração intravenosa da associação de cetamina (2mg/mL), butorfanol (22,5 µg/mL) e guaifenesina (50mg/mL) em solução de glicose a 5% (C/B/G) até o animal assumir o decúbito lateral. A manutenção foi realizada com a mesma associação anestésica. Os animais foram submetidos duas vezes ao protocolo descrito anteriormente, com intervalo de 20 dias, formando dois grupos experimentais. GC -MPA, indução (0,92±0,24mL/kg (média±DP)) e manutenção (2,2±0,2mL/kg/h) sem SIO; GT - MPA, indução (0,98±0,17mL/kg) e manutenção (2,3±0,4mL/kg/h) com SIO, fluxo de 40mL/kg/h. Durante a anestesia, foi colhido sangue arterial a cada 20 minutos (T0, T20, T40 e T60) para hemogasometria. Os dados foram analisados pela ANOVA, seguidos pelo teste de Bonferroni. Valores de P<0,05 foram considerados significativos. Foi observada hipoxemia (PaO2<60mmHg) dos animais no GC nos tempos avaliados (T0= 59±5; T20= 55±5; T40= 53±7; T60= 49±8), com médias menores que as do GT, (160±4; 115±34; 92±25; 81±19, respectivamente), o que demonstrou que a suplementação intranasal de oxigênio aumenta a PaO2, evitando a ocorrência de hipoxemia.
Descritores: Equidae
Anóxia/sangue
Ketamina/administração & dosagem
Butorfanol/administração & dosagem
Guaifenesina/administração & dosagem
Anestésicos Combinados/administração & dosagem
-Gasometria/veterinária
Anestesia Intravenosa/veterinária
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  8 / 166 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-834079
Autor: Carvalho, L. E; Silva Filho, J. M; Palhares, M. S; Sales, A. L. R; Gonczarowska, A. T; Oliveira, H. N; Resende, M. C; Neves, M. G; Madison, R. J.
Título: Physical characteristics and fertility of fractionated donkey semen cooled at 5°C / Características físicas e fertilidade do sêmen asinino fracionado e resfriado a 5ºC
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;69(1):29-38, jan.-fev. 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: The aim of this study was to evaluate the effect of two different extenders (Skimmed Milk Glucose - SMG or Lactose - Egg Yolk - LEY) on physical characteristics and fertility of fractionated donkey semen cooled at 5°C. For this, four Pêga donkeys were used as semen donors. The sperm rich fraction of the ejaculate was diluted preparing insemination doses containing 400 x 106 motile spermatozoa in a volume of 22 mL, cooled to 5°C and stored up to 48 hours in a container proposed by Palhares (1997). Sperm motility and vigor were assessed in fresh semen, after first semen dilution, before insemination, at 24 and 48 hours after storage. For the fertility evaluation, 44 mares were inseminated with semen stored for a period between 12 and 24 hours. The mares were inseminated on fixed days (Mondays, Wednesdays, and Fridays) after the detection of a follicle greater than a 30mm diameter in one of the ovaries through ovulation. Pregnancy diagnosis was performed on day 12 post-ovulation, using transrectal ultrasonography. Semen diluted in SMG showed superior sperm motility than LEY, at the Pre-AI evaluation (P<0.05). At 48 hours of storage, all donkeys had motility values between 45 and 53% for semen diluted in SMG, while only one donkey showed motility greater than 30% in the LEY treatment. The pregnancy rate/cycle for mares inseminated with semen diluted in SMG was superior than that obtained using LEY (56.52% vs 4.76%, respectively).(AU)

Objetivou-se com o presente experimento avaliar o efeito de dois diferentes diluidores (leite em pó desnatado glicose - SMG ou lactose gema de ovo - LEY) sobre as características físicas e a fertilidade do sêmen asinino coletado de forma fracionada e resfriado a 5ºC. Para isso, quatro jumentos da raça Pêga foram utilizados como doadores de sêmen. A fração espermática rica do ejaculado foi diluída preparando-se doses inseminantes contendo 400 x 106 espermatozoides móveis em um volume de 22 mL, resfriadas a 5ºC e armazenadas por até 48 horas em contêiner proposto por Palhares (1997). A motilidade e o vigor espermáticos foram avaliados no sêmen fresco, após a pré-diluição, antes das inseminações, às 24 e 48 horas de armazenamento. Para avaliação de fertilidade, 44 éguas foram inseminadas com sêmen armazenado por um período entre 12 e 24 horas, em dias fixos (segundas, quartas e sextas-feiras), após a detecção de um folículo de diâmetro maior ou igual a 30mm em um dos ovários, até a ovulação. O diagnóstico de gestação foi realizado a partir de 12 dias após a ovulação, por meio de ultrassonografia transretal. O sêmen diluído em SMG apresentou motilidade espermática superior à do LEY, já a partir do tempo pré-IA. Às 48 horas de armazenamento, todos os jumentos apresentaram valores de motilidade entre 45% e 53%, quando o sêmen foi diluído em SMG, enquanto apenas um jumento apresentou motilidade superior a 30% no tratamento utilizando LEY. A taxa de concepção/ciclo das éguas inseminadas também foi superior para o sêmen diluído em SMG em relação ao diluído em LEY (56,52% versus 4,76%, respectivamente).(AU)
Descritores: Equidae
Análise do Sêmen/veterinária
Criopreservação/métodos
Criopreservação/veterinária
Fertilidade
-Inseminação Artificial/veterinária
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  9 / 166 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-792487
Autor: Carvalho, L. E; Silva Filho, J. M; Palhares, M. S; Sales, A. L. R; Gonczarowska, A. T; Oliveira, H. N; Resende, M; Rossi, R.
Título: Physical and morphological characteristics of the first three jets of Pêga jackasses sperm-rich fraction / Características físicas e morfológicas dos três primeiros jatos da fração rica do ejaculado de jumentos da raça Pêga
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;68(4):845-852, jul.-ago. 2016. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: The first three jets of the sperm-rich fraction of Pêga jackasses were collected and assessed separately. Five fertile Pêga jackasses were used as semen donors and underwent fractionated semen collection, using an open model artificial vagina. The first three jets of the semen were collected separately and assessed for volume, sperm motility, vigor, concentration/mL of semen, and sperm morphology. These characteristics were compared between first, second and third jets and between jackasses. It was observed that the jet volume differed (P<0.05) between jackasses, although it was similar (P>0.05) between first, second and third jets. Sperm motility did not differ (P>0.05) between jets and jackasses. Vigor was similar (P>0.05) between jets of the same jackass, and only the first jet differed (P<0.05) between jackasses. The first, second and third jets of the sperm-rich fraction had decreased sperm concentrations (P<0.05) of 955.56, 725.56 and 280.56x 106 sperm/mL of semen, respectively. Sperm morphology differed between the first three jets only for the incidence of mid-piece defect, higher in the third one (4.26%), compared to the first (3.36%) and second (3.38%) ones. When comparing the morphological characteristics of the sperm-rich fraction between five jackasses, regardless of the jet, there were differences in the percentage of normal sperm, proximal cytoplasmic droplet, mid-piece and head defects.(AU)

Objetivou-se, no presente experimento, caracterizar os três primeiros jatos da fração rica do ejaculado de jumentos da raça Pêga. Para tal, cinco jumentos foram submetidos à coleta fracionada do sêmen, utilizando-se vagina artificial modelo aberta. Os três primeiros jatos da fração rica do ejaculado foram coletados separadamente e avaliados quanto ao volume, à motilidade e ao vigor espermáticos, à concentração espermática/mL de sêmen e à morfologia espermática. Comparações foram realizadas entre jatos e entre jumentos. Observou-se que o volume do jato diferiu (P<0,05) entre os jumentos, embora fosse similar (P>0,05) entre os jatos. A motilidade espermática não diferiu (P>0,05) entre jatos nem entre jumentos. O vigor espermático foi similar (P>0,05) entre os jatos de um mesmo jumento, e apenas o vigor do jato 1 diferiu (P<0,05) entre os jumentos. Independentemente do jumento, a fração rica do ejaculado foi composta por três jatos apresentando concentrações espermáticas decrescentes (P<0,05), com 955,56; 725,56 e 280,56 x 106 espermatozoides/mL de sêmen. A morfologia espermática diferiu entre os três jatos avaliados apenas para a incidência de defeitos de peça intermediária, sendo maior no jato três (4,26%), em relação aos jatos um (3,36%) e dois (3,38%). Comparando-se as características morfológicas do sêmen entre os cinco jumentos avaliados, independentemente do jato, observaram-se diferenças entre os reprodutores quanto ao percentual de espermatozoides normais, com gota citoplasmática proximal, com defeitos de peça intermediária e de cabeça.(AU)
Descritores: Equidae
Manejo de Espécimes/veterinária
Análise do Sêmen/veterinária
Limites: Animais
Masculino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 166 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-792481
Autor: Souza, A. F; Kunz, J. R; Laus, R; Moreira, M. A; Muller, T. R; Fonteque, J. H.
Título: Biometrics of hoof balance in equids / Biometria do equilíbrio podal de equídeos
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;68(4):825-831, jul.-ago. 2016. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: Differences in hoof balance between horses, mules and donkeys were identified in order to form more specific considerations for proper management of the animals. Measurements of the natural dimensions of hooves in sixty animals were used: 20 horses from the Crioulo breed, 20 mules and 20 donkeys from the Pêga breed. Liveweight was estimated using the correlation equations in each species by heart girth. Using a caliper rule, tape measure and hoof gauge, measurements of the length and width of the frog, hoof height, angle of heel, medial and lateral dorsal length, angle of the toe and crown circumference of the hooves of forelimbs and hindlimb were taken. Within each group the hooves of the hindlimbs exhibited narrower measurements than the hooves of the forelimbs and no difference was observed between the hoof angle of both members of groups. The conformation of the hooves of donkeys is shown to be substantially different from that observed in horses, the mules being in an intermediate condition, being smaller, angled and robust frog and proportionally more developed. Similarly, the hooves of donkeys provide greater support area compared to mules and horses, in descending order, even being dimensionally smaller. We conclude that the hooves of horses, mules and donkeys, have specific patterns of geometric balance that must be taken into consideration at the time of trimming and imbalance inferences.(AU)

O objetivo deste trabalho foi determinar o equilíbrio dos cascos de equídeos. Foram utilizados 60 animais, sendo estes: 20 equinos da raça Crioula, 20 muares e 20 asininos da raça Pêga. O peso vivo foi estimado por meio de equações de correlação com o perímetro torácico específico a cada espécie. Utilizando-se paquímetro, fita métrica e podogoniômetro, foram mensurados comprimento e largura da ranilha e do casco, altura e ângulo dos talões medial e lateral, comprimento dorsal e ângulo da pinça e perímetro da banda coronária dos cascos dos membros torácicos e pélvicos. Dentro de cada grupo, observou-se que os cascos dos membros pélvicos exibem-se mais estreitos que os cascos dos membros torácicos, e não houve diferença entre o ângulo das pinças de ambos os grupos de membros. A conformação dos cascos dos asininos mostra-se substancialmente divergente do observado nos equinos, estando os muares numa condição intermediária, sendo aqueles menores, mais angulados e com ranilha robusta e proporcionalmente mais desenvolvida. Da mesma forma, os cascos dos asininos proporcionam maior área de apoio em relação aos muares e equinos, em ordem decrescente, mesmo sendo dimensionalmente menores. Conclui-se que os cascos de equinos, muares e asininos apresentam padrões de equilíbrio geométrico específicos, que devem ser levados em consideração no momento do casqueamento e na inferência de desequilíbrios.(AU)
Descritores: Equidae/anatomia & histologia
Casco e Garras/anatomia & histologia
Biometria
-Pesos e Medidas Corporais/veterinária
Limites: Animais
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 17 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde