Base de dados : LILACS
Pesquisa : B01.050.150.900.649.313.998 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 2 [refinar]
Mostrando: 1 .. 2   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 2 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1121282
Autor: ARRAUT, Eduardo Moraes; ARRAUT, José Luis; MARMONTEL, Miriam; MANTOVANI, José Eduardo; NOVO, Evlyn Márcia Leão de Moraes.
Título: Bottlenecks in the migration routes of Amazonian manatees and the threat of hydroelectric dams
Fonte: Acta amaz;47(1):7-18, jan. -mar. 2017.
Idioma: en.
Resumo: Em uma região particular da Amazônia ocidental, peixes-boi amazônicos (Trichechus inunguis) vivem em um ambiente que se torna inóspito para eles durante a água-baixa anual. Para fugir dele, realizam uma migração perigosa para o refúgio enquanto o nível da água desce rapidamente. Nosso objetivo foi compreender melhor o papel da variação da profundidade neste processo migratório. Analisamos os únicos dados de rastreamento de peixes-boi selvagens (n=10 machos), 30 anos de imagens Landsat, 14 anos de hidrógrafa e um modelo batimétrico 3-D. As rotas migratórias possuíam trechos mais rasos, denominados gargalos migratórios, que secaram no final da maioria das vazantes, bloqueando o acesso ao refúgio. Os peixes-boi começaram a migração em tempo justo para atravessar os gargalos mais distantes, sugerindo que a sintonizaram para maximizar o período se alimentando sem comprometer a segurança. Para tal, parecem ter estimado a profundidade nos gargalos. Adicionalmente, um gargalo foi criado em <15 anos, ilustrando o dinamismo do ambiente e o desafio que isto impõe aos peixes-boi. Esses resultados provavelmente valem para boa parte da área de distribuição da espécie. Argumentamos que peixes-boi possuem um mapa cognitivo atualizável do ambiente e são comportamentalmente plásticos. Os planos de construção de barragens hidrelétricas, se concretizados, criariam mais gargalos e regimes de inundação menos previsíveis, dificultando a migração e consequentemente aumentando a mortalidade de peixes-boi. Também particionariam a espécie em populações pequenas, vulneráveis à extinção no curto-prazo. O desfecho seria o segundo colapso da espécie. O crescimento econômico não deve vir às custas da extinção do icônico peixe-boi. (AU)
Descritores: Adaptação Fisiológica
Ecossistema Amazônico
Sirênios
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  2 / 2 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-859169
Autor: Carmo, Talita Laurie Lustosa do; Amaral, Rodrigo de Souza; Rosas, Fernando Cesar Weber; d'Affonsêca Neto, José Anselmo; Reisfeld, Laura; Silva, Vera Maria Ferreira da.
Título: Changes in the blood parameters of the Amazonian manatee (Trichechus inunguis) after long-distance transportation / Alterações nos padrões sanguíneos do peixe-boi da Amazônia (Trichechus inunguis) após transporte de longa distância
Fonte: Acta sci., Biol. sci;35(4):591-594, out.-dez. 2013. tab.
Idioma: en.
Resumo: In this study we report the hematological, biochemical and hormonal parameters in a juvenile male Amazonian manatee measured before transport, immediately after transport, and during adaptation to a new facility. The animal was transported from Manaus, Amazonas State, Brazil, to São Paulo, São Paulo State, Brazil, (2,733 km) within 6 hours. Among all blood parameters analyzed, we observed obvious neutrophilia, lymphopenia, and increases in the neutrophil/lymphocyte ratio and serum glucose and aspartate aminotransferase (AST) levels, but these parameters subsequently returned to normal. These results suggest that transport and changes in the environment are temporary stressful events for Amazonian manatees. We, therefore, recommend monitoring the hematological and biochemical parameters before and after translocation to minimize the effects of handling stressors in this species.

Neste estudo, são relatados os parâmetros hematológicos, bioquímicos e hormonais em um peixe-boi da Amazônia macho jovem, medidos antes do transporte, imediatamente depois, e durante a sua adaptação a um novo recinto. O animal foi transportado de Manaus, Estado do Amazonas, Brasil, para São Paulo, Estado de São Paulo, Brasil, (2.733 km) durante 6h de viagem. Entre os parâmetros sanguíneos analisados, foi observada clara neutrofilia, linfopenia e aumento na relação neutrófilo/linfócito e nos níveis de glicose e aspartato aminotransferase (AST), mas estes parâmetros posteriormente voltaram aos valores normais. Estes resultados sugerem que o transporte e as mudanças no ambiente são eventos estressantes para o peixe-boi da Amazônia. Desta forma, é recomendável o monitoramento dos parâmetros hematológicos e bioquímicos antes e após a translocação para minimizar os efeitos de agentes estressores nesta espécie.
Descritores: Bioquímica
Hematologia
Hidrocortisona
Sirênios
Trichechus inunguis
Responsável: BR513.1 - Biblioteca Central



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde