Base de dados : LILACS
Pesquisa : B01.050.500.644.080.643 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 69 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 7 ir para página                  

  1 / 69 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1122148
Autor: Dantas Neto, Maximiano Pinheiro; Maggioni, Rodrigo; Nogueira, Luiz Fagner Ferreira; Forte, Jamille Martins; Feijó, Rubens Galdino; Sabry, Rachel Costa.
Título: Perkinsus sp. infecting three important mollusks from Jaguaribe River estuary, Ceará, Brazil / Perkinsus sp. infectando três importantes moluscos do estuário do Rio Jaguaribe, Ceará, Brasil
Fonte: Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. (Online);57(1):e158316, 2020. ilus.
Idioma: en.
Projeto: CNPq/FUNCAP.
Resumo: This work investigated the occurrence of Perkinsus sp. in clam Anomalocardia brasiliana, oyster Crassostrea sp. and mussel Mytella falcata from the Jaguaribe River estuary, northeastern Brazil. The collection of clam (N = 300), oysters (N = 300) and mussels (N = 300) were carried out in the estuary of the Jaguaribe River, Ceará, in March and April (rainy season) and October (dry season) in 2017. The mollusks were measured in their major axis, open, and had their tissues submitted to tissue incubation techniques in Ray's fluid thioglycollate medium (RFTM), histology, real-time polymerase chain reaction (qPCR), PCR and sequencing. The RFTM assays showed Perkinsus sp. infecting the three mollusks investigated. The prevalence of infected clams was 1.33% in both sampling periods, oysters ranged from 2.66 (rainy season) to 8% (dry period), and mussels from 0% (dry period) to 51.33% (rainy season). The intensity of infection was very light to light in clams, very soft to severe in oysters and very soft to moderate in mussels. Histological analyses showed cells of Perkinsus sp. infecting the gills and connective tissue around the digestive gland of some individuals. The qPCR generated amplicons in all positive samples in RFTM, confirming the presence of Perkinsus sp., while the sequencing evidenced high similarity (99%) with the species P. beihaiensis. In conclusion, the results obtained contribute to increasing knowledge about the occurrence of Perkinsus sp. in bivalve mollusks from northeastern Brazil.(AU)

Foi investigada a ocorrência da infecção pelo protozoário Perkinsus sp. em berbigões Anomalocardia brasiliana, ostras Crassostrea sp. e mexilhões Mytella falcata do estuário do Rio Jaguaribe, Nordeste do Brasil. As colheitas dos berbigões (N = 300), ostras (N = 300) e mexilhões (N = 300) foram realizadas no estuário do Rio Jaguaribe, Ceará, nos meses de março e abril (período chuvoso) e outubro (período seco) de 2017. Os moluscos foram medidos em seu maior eixo, abertos e os seus tecidos foram submetidos às técnicas de incubação de tecidos em meio fluido de tioglicolato de Ray (RFTM), histologia, reação em cadeia da polimerase em tempo real (qPCR), PCR e sequenciamento. Os ensaios de RFTM evidenciaram Perkinsus sp. infectando os três moluscos investigados. A prevalência de berbigões infectados foi de 1,33% em ambos os períodos de amostragem, a de ostras variou de 2,66 (período chuvoso) a 8% (período seco) e a de mexilhões de 0% (período seco) a 51,33% (período chuvoso). A intensidade de infecção apresentou-se muito leve a leve em berbigões, muito leve à severa nas ostras e muito leve à moderada nos mexilhões. As análises histológicas mostraram células de Perkinsus sp. infectando as brânquias e tecido conjuntivo em torno da glândula digestiva de alguns indivíduos. A qPCR gerou amplicons em todas as amostras positivas em RFTM, confirmando a presença de Perkinsus sp., enquanto o sequenciamento mostrou alta similaridade (99%) com a espécie P. beihaiensis. Em conclusão, os resultados do presente estudo contribuem para ampliar o conhecimento sobre a ocorrência de Perkinsus sp. em moluscos bivalves do Nordeste do Brasil.(AU)
Descritores: Ostreidae
Parasitos
Bivalves
Alveolados
Moluscos
-Estuários
Estação Chuvosa
Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  2 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-563609
Autor: Ramos, Roberta Juliano; Pereira, Murilo Anderson; Miotto, Leticia Adélia; Faria, Luiz Fernando Bleyer de; Silveira Junior, Nelson; Vieira, Cleide Rosana Werneck.
Título: Microrganismos indicadores de qualidade higiênico-sanitária em ostras(Crassostrea gigas) e águas salinas de fazendas marinhas localizadas na Baía Sul da Ilha de Santa Catarina, Brasil / Hygienic sanitary indicator microorganisms in oysters (Crassostrea gigas) and saline waters from sea farms in the Baía Sul of the Santa Catarina's Island, Brazil
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;69(1):29-37, jan.-mar. 2010. mapas, graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Esta investigação teve como objetivo efetuar o monitoramento da qualidade higiênico-sanitária em ostras (Crassostrea gigas) e águas salinas de fazendas marinhas da Baía Sul da Ilha de Santa Catarina, por meio de microrganismos indicadores, durante o período de um ano. As amostras de ostras e águas salinas foram submetidas a ensaios microbiológicos para enumeração de coliformes a 35°C, coliformes a 45°C e Escherichia coli. Foram avaliados os parâmetros físico químicos de temperatura, salinidade, turbidez e pH nas águas e pH nas ostras. Foram observadas correlações positivas entre as contagens de coliformes a 35°C, coliformes a 45°C e E. coli nas amostras de águas salinas e de carne das ostras; e diferenças estatisticas significativas foram verificadas entre as contagens de coliformes a 45°C nas amostras de águas salina provenientes da região E. Os parâmetros físico-químicos apresentaram pouca ou nenhuma correlação estatística com as contagens bacteriológicas. Considerando-se a Baía Sul em toda sua extensão, observou se a influência do índice pluviométrico sobre as contagens bacteriológicas obtidas nas águas e nas ostras. As contagens de coliformes a 45°C observadas nas águas salinas estavam de acordo com os parâmetros descritos na legislação brasileira, contudo, ressalta-se a importância da implantação de saneamento básico em regiões de cultivo de moluscos bivalves, assim como o constante monitoramento bacteriológico de indicadores de qualidade nas águas e nos moluscos.

This investigation was conducted for one year in order to monitor the hygienic sanitary conditions of oysters(Crassostrea gigas) and saline waters from sea farms at the South Bay of Santa Catarina Island, by means ofmicroorganism indicators. Oysters and saline waters samples were assayed by bacteria counting techniquefor coliforms at 35°C, coliforms at 45°C and Escherichia coli. Physical and chemical parameters were assessedin water samples (pH, salinity, turbidity and temperature) and oyster samples (pH). Positive correlations oncoliform counts at 35°C and at 45°C, and E. coli were observed within saline waters and samples of oyster meat.Statistically significant differences on coliforms counting at 45ºC were observed among saline water samplescollected from the region E. Physical-chemical parameters showed somewhat no statistical correlation with microorganism counting. Nonetheless, the influence of rainfall indices in the Great Florianopolis region over the bacteriological counting in saline waters and oysters could be observed. The coliforms counting at 45°C in saline water samples complied with the parameters established by the Brazilian legislation, although the basicsanitation at bivalve shellfish growing sites and a regular bacteriological quality monitoring by using specificindicators are demanded for the culturing water and for growing oysters.
Descritores: Coliformes
Escherichia coli
Indicadores e Reagentes
Ostreidae
Águas Salinas
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação


  3 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-341458
Autor: Machado, Ingrid C; Maio, Franca D. de; Kira, Carmen S; Carvalho, Maria de Fátima H.
Título: Estudo da ocorrência dos metais pesados Pb, Cd, Hg, Cu e Zn na ostra de mangue Crassostrea brasiliana do estuário de Cananéia-SP,Brasil / Pb, Cd, Hg, Cu and Zn in mangrove oyster Crassostrea brasiliana Cananéeia estuary, Säo Paulo - Brazil
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;61(1):13-18, 2002. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Foram avaliados os níveis de contaminaçäo pelos metais pesados Cd, Hg, Pb, Cu e Zn da ostra Crassostrea brasiliana do estuário de Cananéia-SP. Foram feitas amostragens do molusco no período de dezembro de 1996 a setembro de 1997, a partir de lotes destinados à venda, perfazendo um total de 69 amostras. As medianas obtidas para o mercúrio, chumbo, cádmio, cobre e zinco, na base úmida, rspectivamente: 0,02;0,08;11;2,6 e 393 mg/kg, encontram-se abaixo dos limites máximos preconizados pela legislaçäo brasileira, exceto para o zinco. Constatou-se que o consumo do produto em questäo näo apresenta riscos aparentes à saúde, no tocante a este parâmetro específico de qualidade
Descritores: Ostreidae
Brasil
Metais Pesados
Moluscos
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação


  4 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Ristori, Christiane Asturiano
Texto completo
Id: lil-450822
Autor: Ristori, Christiane Asturiano; Rowlands, Ruth Estela Gravato; Jakabi, Miyoko; Gelli, Dilma Scala; Scola, Mônica C. G; Gaspari, Elizabeth N. de.
Título: Detecção de Vibrio cholerae O1 em ostras utizando anticorpo monoclonal em ensaio de aglutinação / Use of monoclonal antibody for detecting Vibrio cholerae O1 in oysters by means of agglutination test
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;65(2):127-132, maio-ago. 2006. ilus, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O V. cholerae sorogrupo O1 é o agente etiológico da cólera pandêmica, sendo considerado dentre os víbrios patogênicos ao homem, o mais importante. Os sintomas das infecções por esta bactéria variam de diarréia branda a doença grave podendo até levar a óbito. Dentre os alimentos marinhos, as ostras representam uma das principais vias na transmissão de cólera. Os métodos convencionais para detecção do V. cholerae O1 são laboriosos e demorados havendo, portando, a necessidade de implantar métodos rápidos, sensíveis, específicos, simples e de baixo custo. O objetivo deste estudo foi avaliar a técnica de aglutinação de partículas de látex sensibilizadas com anticorpo monoclonal (AcMo) na detecção de V. cholerae O1 em ostras, contaminadas laboratorialmente. A técnica de aglutinação com látex sensibilizado detectou 1,2x102 UFC da bactéria (diluição 1/32). As amostras de ostras utilizadas para contaminação originalmente não continham V. cholerae, mas outras bactérias foram detectadas, tais como: Proteus mirabilis, Pseudomonas spp. e outros víbrios. O presente estudo demonstrou que a detecção de V. cholerae em alimentos foi reduzida para 18 horas, considerando que pela metodologia convencional a análise é finalizada, em média, em 7 dias. O AcMo produzido apresentou uma sensibilidade eespecificidade de 100% para V. cholerae.
Descritores: Anticorpos Monoclonais
Ostreidae
Testes de Aglutinação/métodos
Vibrio cholerae O1
-Microesferas
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação


  5 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Lamardo, Leda C. A
Id: lil-65678
Autor: Lamardo, Leda C. A; Gelli, Dilma Scala; Sabino, Myrna.
Título: Pesquisa de toxina paralisante dos moluscos em pescado / Search for paralytic shellfish poison in fish
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;46(1/2):87-90, jun.-dez. 1986.
Idioma: pt.
Resumo: A toxina paralisante dos moluscos foi pesquisada em amostras de ostras, mariscos e peixes, colhidas em diferentes praias do litoral paulista. Foram empregados dois procedimentos analíticos: o químico e o bioensaio. Em decorrência do aparecimento de manchas avermelhadas nas águas e mortalidade de peixes na regiäo, no período de agosto a setembro de 1983, suspeitou-se do fenômeno de "maré vermelha". A toxina näo foi detectada em nenhuma das amostras, pelos dois métodos empregados, que permitem segurança dos resultados, considerando que os testes foram realizados com o padräo de saxitoxina
Descritores: Ostreidae
Saxitoxina/análise
Frutos do Mar
Toxinas Biológicas/análise
Peixes
Moluscos/análise
-Espectrofotometria
Bioensaio
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-1066562
Autor: Gelli, Dilma Scala(edt); Tachibana, Takako(edt); Silva, Theodosio M. P(edt).
Título: Ocorrência de vibrio Parahaemolyticus em ostras e outros produtos marinhos no litoral de São Paulo, Brasil: revisão e considerações finais sobre o risco potencial para a saúde pública
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;35/36(Único):9-16, 1976. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Foi pesquisada a incidência de Vibrio Parahaemolyticus em 101 amostras, sendo 12 de peixes, 5 de mariscos, 6 de camarões, 70 de ostras e 8 de água do mar (região costeira), encontrando-se 75 amostras positivas, assim distribuidas: 5 de peixes, 2 de mariscos, 3 de camarões, 6 de água do mar e 39 ostras; 40 cepas, que foram sorotipadas pela Food and Drug Adminstration, Department of Health, Education and Welfare, dos Estados Unidos, eram não hemolíticas e, dentre elas, encontraram-se 17 tipos sorológicos diferentes. Os resultados são discutidos com base na revisão da literatura pertinente á disseminação e patogenicidade desse microorganismo...
Descritores: Ostreidae
Vibrio parahaemolyticus
Responsável: BR76.1 - Biblioteca


  7 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1048612
Autor: Horodesky, Aline; Westphal, Gisela Geraldine Castilho; Cozer, Nathieli; Rossi, Vitor Gomes; Ostrensky, Antonio.
Título: Effects of salinity on the survival and histology of oysters crassostrea gasar (adanson, 1757) / Efeitos da salinidade na sobrevivência e histologia de ostras Crassostrea gasar (Adanson, 1757)
Fonte: Biosci. j. (Online);35(2):586-597, mar./apr. 2019. tab, graf, ilus.
Idioma: en.
Resumo: Water salinity is among the most important factors influencing the distribution, abundance, growth, and survival of Crassostrea gasar, an important aquaculture resource grown in estuarine environments in diverse regions of the world. The goal of the present work was to evaluate the effects of different salinities on survival and the tissues ofC. gasar under laboratory conditions. Two experiments were performed using adult oysters from five marine farms located in the bay of Guaratuba, Brazil. In Experiment 1, the daily survival rates were evaluated after the oysters were submitted to gradual acclimatization at salinities ranging from 0 to 65 gL-1 and maintained in the laboratory without feeding for up to 365 days. In Experiment 2, the oysters were exposed to salinity from 0 to 50 gL-1 for up to 30 days without feeding and possible histological alterations caused by salinity were assessed. Three tolerance ranges of C. gasar to salinity were identified: "Optimal" (between 4 and 40 gL-1), "Tolerable" (between 2.1 and 3.9 and between 41 and 50 gL-1) and "Intolerable" (less than 2 and greater than 50 gL-1). No evidence of histological alterations was observed in oysters exposed to the different salinities.

A salinidade da água está entre os fatores de maior influência na distribuição, abundância, crescimento e sobrevivência de Crassostrea gasar, um importante recurso aquícola cultivado em ambientes estuarinos em diversas regiões do mundo. O objetivo desse trabalho foi avaliar os efeitos da salinidade sobre a sobrevivência e nos tecidos de C. gasar exposta a diferentes salinidades, em condições laboratoriais. Foram realizados dois experimentos com ostras adultas provenientes de cinco fazendas marinhas localizadas na baía de Guaratuba, Brasil. No experimento 1, que foi realizado com o propósito de avaliar as taxas diárias de sobrevivência, as ostras foram submetidas à aclimatação gradual a salinidades variando de 0 a 65 gL-1 e mantidas em laboratório, sem alimentação, por até 365 dias. No experimento 2, as ostras foram expostas a salinidades de 0 a 50 gL-1 por até 30 dias, sem alimentação, para avaliação de possíveis alterações histológicas provocadas pela salinidade. Foram identificadas três faixas de tolerância de C. gasar à salinidade: Ótima (entre 4 e 40 gL-1), Tolerável (entre 2,1 e 3,9 e entre 41 e 50 gL-1) e Intolerável (menor que 2 e maior que 50 gL-1). Não foram encontradas evidências de alterações histológicas em função da exposição das ostras às diferentes salinidades.
Descritores: Ostreidae
Estuários
Crassostrea
Salinidade
Histologia
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  8 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-875395
Autor: Pinto, Thiago Ramos; Boehs, Guisla; Pessoa, Wallace Felipe Blohem; Luz, Mariane dos Santos Aguiar; Costa, Helena.
Título: Detection of Perkinsus marinus in the oyster Crassostrea rhizophorae in southern Bahia by proteomic analysis / Detecção de Perkinsus marinus na ostra Crassostrea rhizophorae do sul da Bahia por análise proteômica
Fonte: Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. (Online);53(4):1-4, 2016.
Idioma: en.
Projeto: FAPESB.
Resumo: This study reports the presence of the pathogen Perkinsus marinus, notifiable to the World Organization for Animal Health (Office International des Èpizooties = OIE) in the oyster Crassostrea rhizophorae in southern Bahia via proteomic analysis. We analyzed Crassostrea brasiliana from a long-line cultivation system and C. rhizophorae from an adjacent mangrove in Porto do Campo, Camamu Bay, Bahia, Brazil. The collections (n = 100) were performed in October 2012. In the laboratory, the oysters were measured and opened to remove the meat, which was steeped in dry ice. For extraction of proteins, adaptation of a protocol used for mussels was used, after which separation in the first dimension was taken by isoelectric focusing (IEF). The peptides were transferred to a Mass Spectrometer. The obtained spectra were analyzed with the ProteinLynx Global Server 4.2 software tool and also by MASCOT (Matrix Science) and compared to the databases of the SWISSPROT and NCBI, respectively. The identification was evidenced by beta-tubulin, Perkinsus marinus ATCC 50983 and protein homology code in the database NCBI = gi | 294889481. This is the first record of P. marinus in Bahia and the fourth in Brazil.(AU)

Este estudo relata a presença do patógeno Perkinsus marinus, de notificação obrigatória à Organização Internacional de Epizootias (OIE) na ostra Crassostrea rhizophorae no sul da Bahia, via análise proteômica. Foram analisadas as ostras Crassostrea brasiliana de um cultivo em espinhel e C. rhizophorae de um manguezal adjacente, na localidade de Porto do Campo, Baía de Camamu, Bahia. As coletas (n = 100) foram efetuadas em outubro de 2012. Em laboratório, as ostras foram medidas e abertas para a retirada da carne, que foi macerada em gelo seco. Para a extração das proteínas, foi adotada a adaptação de um protocolo utilizado para mexilhões, após o que foi realizada a separação na primeira dimensão, por focalização isoelétrica (IEF). Os peptídeos foram transferidos para um Espectrômetro de Massas. Os espectros obtidos foram analisados no software ProteinLynx Global Server 4.2 e também pela ferramenta MASCOT (Matrix Science) e comparados com os bancos de dados do SWISSPROT e do NCBI, respectivamente. A identificação foi evidenciada por meio da beta-tubulina, homologia Perkinsus marinus ATCC 50983 e código da proteína no banco de dados NCBI = gi|294889481. Este é o primeiro registro de P. marinus na Bahia e o quarto no Brasil.(AU)
Descritores: Crassostrea/parasitologia
Proteômica
Infecções Protozoárias em Animais/diagnóstico
-Espectrometria de Massas/veterinária
Ostreidae/parasitologia
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  9 / 69 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-837430
Autor: Costa Sobrinho, Paulo de Souza.
Título: Avaliação quantitativa do risco de doença, causada por Vibrio arahaemolyticus, associado ao consumo de ostras (Crassostrea brasiliana) cruas cultivadas e comercializadas no Estado de São Paulo / Quantitative risk assessment of illness, caused by Vibrio parahaemolyticus, associated with the consumption of raw oysters (Crassostrea brasiliana) farmed and commercialized in the State of São Paulo.
Fonte: São Paulo; s.n; 2007. 116 p. tab, graf, ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Vibrio parahaemolyticus (Vp) é uma bactéria naturalmente presente em regiões estuarinas, sendo a principal causa de gastrenterite de origem bacteriana associada a pescados, principalmente ostras cruas. Nesta pesquisa, foi desenvolvida uma avaliação quantitativa de risco para avaliar a probabilidade de Vp causar doença após o consumo de ostra crua, produzida e comercializada no Estado de São Paulo. O estudo incluiu a identificação e caracterização do perigo, a avaliação da exposição e a caracterização do risco. Um modelo matemático foi desenvolvido. Este modelo leva em consideração o comportamento de Vp em ostras na cadeia produtiva, em cada estação do ano, além da relação entre a dose de Vp ingerida e a probabilidade de desenvolver a doença. A avaliação da exposição foi desenvolvida em três etapas: cultivo, pós-coleta e consumo. Na etapa de cultivo foram considerados os fatores que influenciam a prevalência e o número de Vp em ostras no momento da coleta. Na etapa pós-coleta, foram descritas as práticas da indústria e foram considerados os fatores associados ao processamento, transporte e manipulação. Já na etapa de consumo foram considerados os fatores como a quantidade de ostras consumidas por porção, o peso médio por ostra consumida e a população de Vp patogênico no momento do consumo. O resultado do modelo quantitativo da avaliação da exposição foi, então, integrado ao modelo dose-resposta, Beta-Poisson, para se obter uma estimativa do risco. Esta estimativa expressa o impacto da exposição humana a Vp, sobre a saúde pública, associada ao consumo de ostras. A simulação de Monte Carlo foi utilizada para avaliar o efeito da variabilidade e incerteza das variáveis do modelo sobre a estimativa do risco. O modelo prediz uma probabilidade de ocorrência de doença de 4,6x10-4, por porção de ostra, consumida ao longo do ano. As variáveis que possuem maior influência sobre o risco de ocorrência de doença são a população de Vp em ostras no cultivo, a temperatura de transporte das ostras até o varejo e a porcentagem de Vp patogênico em ostra, no momento do seu consumo. O modelo evidencia que uma das maneiras de reduzir o risco de ocorrência de doença seria intervir nas condições de transporte de ostras até o varejo por meio da sua refrigeração. Com o modelo é possível identificar fatores e simular cenários para avaliar o comportamento de V. parahaemolytícus como um perigo microbiológico, ao longo da cadeia produtiva de ostra até o momento do seu consumo. Também é possível avaliar o impacto de medidas de intervenção na cadeia produtiva. As suposições adotadas limitam a aplicabilidade do modelo. Portanto, é necessário que o modelo seja validado, particularmente com relação ao número de casos de doença causados por Vp, cujos dados de vigilância epidemiológica inexistem no Brasil

Vibrio parahaemolyticus (Vp) is naturally present in estuarine regions and is the main cause of gastroenteritis associated with the consumption of bivalve molluscan shellfish, specially raw oysters. In this research, a quantitative risk assessment was developed to evaluate the probability of Vp causing disease after consumption of raw oyster, produced and commercialized in the state of Sao Paulo. The study included the identification and characterization of the hazard, exposure assessment and risk characterization. A mathematical model was developed. This model takes into account the behavior of Vp in oysters in the productive chain, for each season of the year, besides the relationship between the number of cells of Vp ingested and the probability of developing the disease. The exposure assessment was done in three steps: farming, after harvesting and consumption. At the farming step, the factors that influence the prevalence and the population of Vp at the time of harvesting were considered. At the after harvesting step, the factors associated with transportation, handling and processing were considered. At the consumption step, factors related to the amount of oysters and the average weight per oyster consumed and the density of pathogenic Vp at the time of consumption were considered. Then, the quantitative model of exposure assessment was integrated to the dose-response model, BetaPoisson, in order to obtain a risk estimate. This calculation expresses the impact of the human exposure to Vp associated with the consumption of oysters on public health. The Monte Carlo simulation was used to evaluate the effect of variability and uncertainty of variables of the model in the risk estimation. The model predicts a probability of occurrence of the disease of 4,6x10-4 per serving of oyster consumed during one year. The variables showing the greatest influence on the risk of occurrence of disease are the density of Vp in oyster in the farming step, the temperature during transportation of oysters to the retail market and the percentage of pathogenic Vp strains in oysters,' at the moment of consumption. The model indicates that the use of refrigeration during transportation of oysters to retail could reduce the risk of disease. The model allows the identification of factors and the simulation of scenarios in order to evaluate the behavior of V. parahaemolyticus, as a microbiologícal hazard, in the productive chain of oyster to the consumption. It is also possible to evaluate the impact of intervention measures in the productive chain. The assumptions Iimit the application of the model. Therefore, it is necessary to validate the model, particularly in relation to the number of cases of dísease caused by V. parahaemolyticus of which the data on epidemiologic surveillance do not exist in Brazil
Descritores: Ostreidae/metabolismo
Vibrio parahaemolyticus/metabolismo
Vibrio parahaemolyticus/patogenicidade
-Estudos de Avaliação como Assunto/métodos
Contaminação de Alimentos/análise
Gastroenterite/patologia
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Fase I
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas
BR40.1; T 664.07, C838a. 30100013023


  10 / 69 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-833165
Autor: Ribeiro, Eliane Braga; Bastos, Luciana da Silva; Almeida, Zafira da Silva de; Carvalho Neta, Raimunda Nonata Fortes; Costa, Francisca Neide.
Título: Perfil socioeconômico dos marisqueiros e condições higiênicas adotadas na cadeia produtiva de ostra (mollusca, bivalvia) / Socio economic profile of shellfish collector and hygienic conditions in the production chain of oysters (mollusca, bivalvia) / Perfil socioeconómico de marisqueros y condiciones higiénicas adoptadas en la cadena productiva de ostra (mollusca, bivalvia)
Fonte: Arq. ciênc. vet. zool. UNIPAR;19(4):209-214, out.-dez. 2016. graf.
Idioma: pt.
Resumo: O consumo de ostras na forma in natura exige muito cuidado e práticas higiênicas e sanitárias corretas pelos marisqueiros e demais manipuladores desse alimento durante o processo de beneficiamento à comercialização, para que não haja contaminação por microrganismos patogênicos e deteriorantes. O presente estudo teve como objetivo avaliar o perfil socioeconômico de marisqueiros e as condições higiênicas e sanitárias praticadas na cadeia produtiva de ostras do gênero Crassostrea desde a extração até a comercialização. No período de janeiro a abril de 2014, por meio da técnica de amostragem "Bola de Neve" foram selecionados 40 marisqueiros na Ilha de São Luís - MA, os quais foram entrevistados utilizando-se questionário semiestruturado. De acordo com os resultados, a maioria dos marisqueiros, possui ensino fundamental incompleto, faixa etária entre 21 e 30 anos e encontram-se em união estável ou casados. Parte das ostras são extraídas em bancos naturais na área de estudo, enquanto outra parte é proveniente de atravessadores oriundos de outros municípios maranhenses.Após a aquisição, pode demorar até três dias para serem comercializadas. Concluiu-se que as condições higiênicos sanitárias adotadas na atividade de extração de ostras até a comercialização são insatisfatórias, indicando falta de boas práticas em todas as etapas ao longo do processo de produção, o que pode representar riscos à saúde da população apreciadora do consumo in natura desse bivalve. Além disso, indica a necessidade de fiscalização dessa atividade, já que os organismos são transportados de forma inadequada e passam muito tempo até chegar ao consumidor final.

Consumption of fresh oysters requires very careful and correct hygienic and sanitary practices by shellfish collectors and other food handlers during the handling process to marketing, in order to avoid contamination by pathogenic microorganisms or deterioration. This study aimed to evaluate the socio-economic profile of shellfish collectors and the hygienic conditions applied in the production chain of Crassostrea oysters from extraction to marketing. In the period from January to April 2014, through a snowball sampling technique, a total of 40 shellfish collector were selected in Ilha de São Luís ­ MA. These collectors were interviewed using a semi-structured questionnaire. According to the results, most shellfish collector had not completed elementary school, aged between 21 and 30 years and married or co-habiting. Part of the oysters is extracted from natural stocks in the study area, while other oysters come from middlemen who bring them from other cities in Maranhão. After acquisition, they can take up to three days to be marketed. Therefore, it was concluded that although it is an important source of income, hygienic and sanitary conditions adopted in the oyster extraction activity are unsatisfactory, indicating a lack of good practices throughout the production process, which can pose risks to the population who consume this bivalve fresh. It also shows the need for supervision of the activity, since the organisms are improperly transported, spending much time until reaching the end consumer.

El consumo de ostras en la forma fresca, in natura, requiere gran cuidado y prácticas higiénicas sanitarias correctas por los marisqueros y otros manipuladores de ese alimento durante el proceso de beneficiación a la comercialización, para que no haya contaminación por microorganismos patógenos y de deterioración. Este estudio tuvo como objetivo evaluar el perfil socioeconómico de marisqueros y las condiciones higiénicas sanitarias practicadas en la cadena productiva de ostras del género Crassostrea, desde la extracción hasta la comercialización. En el período de enero a abril de 2014, a través de la técnica de muestreo "Bola de Nieve" se seleccionaron 40 marisqueros en la Isla de São Luís - MA, que fueron entrevistados mediante cuestionario semiestructurado. De acuerdo con los resultados, la mayoría de los marisqueros tiene enseñanza primaria incompleta, con edades comprendidas entre 21 y 30 años y se encuentran en unión estable o casados. Parte de las ostras son extraídas en bancos naturales en el área del estudio, mientras otra parte proviene de los intermediarios de otros municipios de Maranhão. Después de la adquisición, puede tardar hasta tres días para que sean comercializadas. Se concluye que las condiciones higiénicas sanitarias adoptadas en la actividad de extracción de ostras hasta la comercialización son insatisfactorias, indicando falta de buenas prácticas en todo el proceso de producción, lo que puede plantear riesgos a la salud de la población aficionada al consumo in natura de ese bivalvo. Además, indica la necesidad de supervisar esta actividad, ya que los organismos son transportados inadecuadamente y pasan mucho tiempo para llegar al consumidor final.
Descritores: Indústria Pesqueira
Abastecimento de Alimentos/economia
Abastecimento de Alimentos
-Abastecimento de Alimentos/estatística & dados numéricos
Ostreidae
Fatores Socioeconômicos
Responsável: BR1532.9 - CEDIC - Coordenadoria de Editoração e Divulgação Científica



página 1 de 7 ir para página                  
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde