Base de dados : LILACS
Pesquisa : B01.650.660 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 232 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 24 ir para página                         

  1 / 232 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-965771
Autor: González, Yenny; Recalde, Luciano.
Título: Plantas tóxicas de Asunción y Gran Asunción / Toxic plants of Asunción and Gran Asunción
Fonte: Rojasiana;7(2):79-89, 2006.
Idioma: es.
Descritores: Plantas Tóxicas/classificação
Magnoliopsida/envenenamento
-Paraguai
Magnoliopsida/classificação
Responsável: PY37.1 - Biblioteca


  2 / 232 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-736034
Autor: Medeiros, Marcia A; Riet-Correa, Franklin; Dantas, Francelícia P. M; Santos, José R. S; Medeiros, Rosane M. T.
Título: Efeitos teratogênicos de Prosopis juliflora em ratos e análise da toxicidade das vagens / Teratogenic effects of Prosopis juliflora in rats and analysis of the toxicity of the pods
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;34(11):1089-1093, nov. 2014. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para o Controle das Intoxicações por Plantas; . CNPq.
Resumo: Objetivou-se com este estudo determinar os possíveis efeitos teratogênicos de Prosopis juliflora, verificar se existe perda da toxicidade entre vagens armazenadas e recém-coletadas e determinar se existe diferença de toxicidade entre as vagens coletadas em diferentes localidades. Trinta ratas prenhes da linhagem Wistar foram separadas, aleatoriamente, em cinco grupos: um controle (G1) e quatro experimentais (G2, G3, G4 e G5). Os animais dos grupos G2 e G3 foram alimentados com ração contendo 70% de vagens de P. juliflora recém-coletadas em dois municípios diferentes. Os grupos G4 e G5 foram alimentados com ração preparada com vagens das mesmas procedências, porém armazenadas por um período de 6 meses. O grupo controle recebeu ração sem vagens de P. juliflora. No grupo controle o número de malformações por ninhada (1,16 ± 0,98) foi significativamente menor do que os dos grupos experimentais (14,00 ± 2,96, 6,16 ± 2,22, 7,66 ± 2,94 e 4,66 ± 1,63 para os grupos G2, G3, G4 e G5, respectivamente) indicando que a planta é teratogênica. Não foram observadas diferenças significativas na frequência de malformações e no número de fetos nascidos entre os grupos que receberam vagens de diferentes localidades. No entanto, o número de malformações nos grupos que receberam as vagens recém-colhidas (65,80 ± 21,20 a, 67,59 ± 18,10 a), foi significativamente maior que o observado nas ratas que receberam as vagens após o armazenamento (35,74±10,10b, 21,85±5,13c) sugerindo que o efeito teratogênico da planta diminui durante o armazenamento. Conclui-se que as vagens de P. juliflora são teratogênicas para ratas Wistar e que a fetoxicidade das mesmas diminui com o armazenamento.(AU)

The objective of this study was to determine the possible teratogenic effects of Prosopis juliflora, check if there is a loss in toxicity between pods stored and newly collected and determine whether there are differences in toxicity between the pods collected in different localities. Thirty pregnant female Wistar rats were randomly separated into five groups: a control (G1) and four experimental (G2, G3, G4 and G5), each with six animals. The animals in groups G2 and G3 were fed diets containing 70% of pods of P. juliflora newly collected in two different municipalities. The groups G4 and G5 were fed beans prepared with the same origins, but stored for a period of 6 months. The control group received the same diet without pods of P. juliflora. In the control group the number of defects per litter (1.16 ± 0.98) was significantly lower than the experimental groups (14.00 ± 2.96, 6.16 ± 2.22, 7.66 ± 2.94 and 4.66 ± 1.63 for G2, G3, G4 and G5, respectively) indicating that the plant is teratogenic. No significant differences were observed in the frequency of malformations and number of fetuses born between groups receiving pods from different locations. However, the number of defects in the groups who received the freshly harvested pods was significantly different from the number observed in rats that received the beans after storage, suggesting that the teratogenic effect of the plant decreases during storage. We conclude that the pods of P. juliflora are teratogenic for Wistar rats and that the teratogenicity decreases with storage.(AU)
Descritores: Ratos Wistar/embriologia
Prosopis/toxicidade
Teratogênese/efeitos dos fármacos
-Intoxicação por Plantas/veterinária
Plantas Tóxicas/efeitos adversos
Limites: Animais
Feminino
Ratos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  3 / 232 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1040745
Autor: Melo, Gleice K. A; Silva, Westerlly J; Pupin, Rayane C; Heckler, Rubiane F; Nonato, Lucimara M; Ítavo, Camila C. B. F; Ferreira, Valquíria B. N; Lemos, Ricardo A. A.
Título: Comparison of two collection methods to determine protodioscin concentrations in Brachiaria spp. and to monitor Brachiaria spp. poisoning / Comparação entre dois métodos de coleta para determinar as concentrações de protodioscina em Brachiaria spp. e monitorar a intoxicação por Brachiaria spp
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;39(9):710-714, Sept. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: CNPq.
Resumo: The objective of this study was to evaluate the methods of collecting Brachiaria spp. (Simulated Grazing vs. Total Collection) for the determination of protodioscin concentrations and to monitor the intoxication in sheep susceptible and resistant to poisoning by Brachiaria spp. The collection of Brachiaria spp. was done through two different methods. The first one consisted in throwing a metallic square at 10 random picket points. The second was performed simulating, with the hands, the grazing behavior of sheep. The leaf blades obtained by the two methods were conditioned in a forced ventilation oven. The extraction and quantification of protodioscin from the dry milled plant material was done by reverse-phase high-performance liquid chromatography (HPLC). The collections were carried out at three stages of the life of experimental lamb (suckling, rearing, and finishing). The lambs were divided into resistant and susceptible to intoxication by Brachiaria spp. The criterion for a lamb to be considered sensitive was to present some clinical signs at some stage of its life. No significant differences were observed between the general averages of the two collections when the evaluation was done in the whole period. However, a significant difference was found at the onset of the clinical signs. The concentrations of protodioscin in this period were higher in Brachiaria spp. collected by the simulating grazing method. Both methodologies were efficient to determine the level of protodioscin in the pastures of Brachiaria spp. However, during the periods when the outbreaks occurred, the simulated grazing method was more reliable.(AU)

Objetivou-se avaliar dois métodos de coleta de Brachiaria spp. (Pastejo Simulado vs Coleta Total) para determinação das concentrações de protodioscina e efetuar o monitoramento da intoxicação em rebanhos sensíveis e resistentes à intoxicação por Brachiaria spp. Foram realizadas coletas de Brachiaria spp. através de duas metodologias. A primeira consistiu em fazer o lançamento de um quadrado metálico em 10 pontos aleatórios do piquete. A segunda foi realizada simulando com as mãos o comportamento de pastejo dos ovinos. As lâminas foliares obtidas pelas duas metodologias foram acondicionadas em estufa de ventilação forçada. O material seco e moído foi encaminhado para extração e quantificação da protodioscina por cromatografia líquida de alto desempenho (HPLC) de fase reversa. As coletas foram realizadas em três fases de vida dos cordeiros (cria, recria e terminação). Os cordeiros foram divididos em resistentes e sensíveis a intoxicação por Brachiaria spp. O critério para o ovino ser considerado sensível foi apresentar algum sinal clínico da intoxicação em alguma fase de sua vida. Não foram observadas diferenças significativas entre a média geral das duas coletas quando a avaliação foi feita no período total. Porém, foi observada diferença significativa no período de aparecimento dos casos. As concentrações de protodioscina neste período foram superiores pelo método do pastejo simulado. Ambas as metodologias mostraram-se eficientes para determinação da concentração da protodioscina nas pastagens de Brachiaria spp. No entanto, nos períodos em que ocorreram os surtos, o método do pastejo simulado foi mais fidedigno.(AU)
Descritores: Plantas Tóxicas
Saponinas/toxicidade
Fármacos Fotossensibilizantes
Brachiaria/toxicidade
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  4 / 232 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Correa, Franklin Riet
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1040709
Autor: Brito, Luiz B; Silva Filho, Givaldo B; Chaves, Hisadora A. S; Nascimento, Ana L. O; Braga, Thaiza C; Pfister, James; Correa, Franklin Riet; Mendonça, Fábio S.
Título: Spontaneous and experimental poisoning by Merremia macrocalyx (Convolvulaceae) in cattle / Intoxicação espontânea e experimental por Merremia macrocalyx (Convolvulaceae) em bovinos na Zona da Mata de Pernambuco
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;39(7):447-453, July 2019. tab, ilus.
Idioma: en.
Projeto: FACEPE; . CNPq.
Resumo: The aim of this work was to describe the epidemiological, clinical and pathological aspects of spontaneous poisoning by Merremia macrocalyx in cattle in the Pernambuco state, northeastern Brazil, and to experimentally replicate the poisoning by this plant. To determine the occurrence of poisonings, 30 farms were visited in six municipalities at the Forest Zone of Pernambuco. The plant was found in nine farms, in which history of plant poisoning in cattle, and occasionally in sheep were also reported. Three outbreaks of spontaneous poisonings in cattle were studied. To replicate the disease experimentally, two steers received a single dose of 60g/kg and two steers received 80g/kg of the fresh leaves of M. macrocalyx in the trough for spontaneous ingestion. Two steers were also used as a control group. The main clinical signs observed in spontaneous cases consisted of restlessness, bloat, polyuria, diarrhea, and death within 48 to 72 hours after the onset of clinical signs. Cattle experimentally poisoned presented similar clinical signs to those observed in spontaneous cases. Gross lesions consisted of dryness and impaction of the rumen, omasum and reticulum contents. Abomasal content was fluid, the mucosa was hyperemic, with swollen folds and multiple ulcers. Similar lesions were observed in duodenum mucosae. Histologically, lesions observed in the abomasum and duodenum mucosa consisted of necrosis, hemorrhage and inflammatory infiltration of neutrophils and lymphocytes. The wide distribution and palatability of this plant, associated with the high sensitivity of the bovine species verified in this experiment, highlight the importance of this plant in spontaneous cases of poisoning in cattle.(AU)

O objetivo deste trabalho é descrever os aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos da intoxicação espontânea por Merremia macrocalyx em bovinos de Pernambuco, nordeste do Brasil e reproduzir experimentalmente a intoxicação por esta planta. Para determinar a ocorrência das intoxicações, foram visitadas 30 propriedades em seis municípios na Zona da Mata de Pernambuco. A planta foi encontrada em nove fazendas onde também haviam históricos de intoxicações em bovinos e ocasionalmente em ovinos. Três surtos de intoxicações espontâneas em bovinos foram estudados e para reproduzir experimentalmente a doença, dois novilhos receberam doses únicas de 60g/kg e dois novilhos receberam 80g/kg de folhas frescas de M. Macrocalyx para consumo espontâneo no cocho. Dois novilhos foram utilizados como grupo controle. Os principais sinais clínicos observados na intoxicação espontânea consistiram em agitação, timpanismo, poliúria, diarreia e morte dentro de 48 a 72 horas após a observação dos primeiros sinais clínicos. Os bovinos intoxicados experimentalmente apresentaram sinais clínicos semelhantes aos observados nos casos espontâneos. À necropsia as lesões consistiam em compactação e ressecamento dos conteúdos do rúmen, omaso e retículo. O conteúdo do abomaso estava fluido, notava-se hiperemia das mucosas, as pregas estavam edemaciadas e continham múltiplas úlceras. Lesões semelhantes também foram observadas na mucosa do duodeno. Histologicamente, as lesões observadas na mucosa do abomaso e do duodeno consistiam em necrose, hemorragia e infiltrado inflamatório neutrofílico e linfocítico. A ampla distribuição de Merremia macrocalyx na região estudada e a boa palatabilidade associada à alta sensibilidade da espécie bovina verificada neste experimento, reforça a importância desta planta em casos espontâneos de intoxicação em bovinos.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/veterinária
Convolvulaceae/toxicidade
Orelha Média/patologia
-Plantas Tóxicas
Brasil/epidemiologia
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  5 / 232 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-976456
Autor: Queiroz, Gustavo R; Oliveira, Rodrigo A. M. de; Flaiban, Karina K. M. C; Santis, Giovana W. Di; Bracarense, Ana Paula F. R. L; Headley, Selwyn A; Alfieri, Amauri A; Lisbôa, Júlio A. N.
Título: Diagnóstico diferencial das doenças neurológicas dos bovinos no estado do Paraná / Differential diagnosis of neurologic diseases of cattle in the state of Paraná
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;38(7):1264-1277, July 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Projeto: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; . CNPq.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi identificar as doenças neurológicas que acometeram bovinos no estado do Paraná entre os anos de 2009 e 2015. A investigação aconteceu, preferencialmente, nas propriedades rurais onde os casos ocorreram. Foram registradas as informações sobre a evolução das doenças nos bovinos afetados do rebanho, e os prováveis fatores de risco foram identificados. Todos os procedimentos de exame físico geral e neurológico foram realizados sistematicamente para a caracterização da síndrome neurológica presente. Amostras de sangue e de líquor foram colhidas para a realização de exames laboratoriais. De acordo com o tempo de evolução e com a gravidade dos sinais clínicos observados, os bovinos doentes eram mantidos vivos para acompanhamento da evolução ou da resposta ao tratamento, ou eram submetidos à eutanásia seguida de necropsia. Fragmentos do sistema nervoso e dos demais órgãos foram colhidos para exame histopatológico. O exame de imunofluorescência direta e a prova biológica em camundongos foram realizados em todos os bovinos que morreram, com a finalidade de confirmar ou descartar o diagnóstico de raiva. Métodos laboratoriais específicos das rotinas de virologia, bacteriologia e toxicologia foram empregados, como complementares, para o estabelecimento do diagnóstico diferencial. Foram investigados 236 bovinos com doença neurológica, sendo 85 casos de ocorrência individual e 151 casos distribuídos por surtos que ocorreram em 79 rebanhos. As encefalopatias (180/236; 76,2%) predominaram sobre as mielopatias (27/236; 11,4%). As doenças inflamatórias determinadas por infecções (98/236; 41,5%) e as doenças tóxicas (91/236; 38,6%) foram as principais, enquanto as causas degenerativas (10/236; 4,2%), metabólicas (9/236; 3,8%), físicas (9/236; 3,8%), neoplásicas (4/236; 1,7%), e os defeitos congênitos (1/236; 0,4%) ocorreram menos frequentemente. Os casos inconclusivos somaram 5,9% (14/236). A meningoencefalite por BoHV-5 e a raiva foram as doenças de frequência maior e podem ser consideradas as mais importantes. Dentre as causas tóxicas, as intoxicações por plantas se destacaram (63/91; 69,2%) e foram responsáveis por 26,6% de todos os casos. Destacaram-se ainda a polioencefalomalácia, a meningoencefalite trombótica por Histophilus somni e o botulismo. Essas informações contribuem para que os médicos veterinários adotem condutas mais efetivas de diagnóstico e de prevenção, e são valiosas para o sistema oficial de vigilância epidemiológica do estado.(AU)

The aim of this study was to identify the neurological diseases that affected cattle in Paraná state between the years 2009 and 2015. The investigation took place, preferably, in the farms where cases occurred. Information on the evolution of the diseases in the affected cattle of the herd was recorded, and the probable risk factors were identified. All general and neurological examination procedures were performed systematically for the characterization of the neurological syndrome in each case. Samples of blood and CSF for laboratory exams were also collected. According to the evolution features and the severity of the observed clinical signs, the diseased cattle were kept alive to follow the progress of the disease, or were submitted to euthanasia followed by necropsy. Fragments of tissues from nervous system and other organs were collected for histopathological examination. Direct immunofluorescence test and biological test were performed on all the cattle that died, in order to confirm or rule out the diagnosis of rabies. Specific virology, bacteriology and toxicology laboratory methods were used as complementary exams in order to establish differential diagnosis. A total of 236 cattle with neurological disease were investigated, 85 cases of individual occurrence and 151 cases distributed by outbreaks that occurred in 79 herds. Encephalopathies (180/236, 76.2%) predominated over mielopathies (27/236, 11.4%). Inflammatory diseases caused by infections (98/236, 41.5%) and the toxic diseases (91/236, 38.6%) were the main causes, while degenerative (10/236, 4.2%), metabolic (9/236; 3.8%), physical (9/236, 3.8%), neoplastic (4/236, 1.7%), and congenital defects (1/236, 0.4%) occurred less often. The inconclusive cases were 5.9% (14/236). BoHV-5 meningoencephalitis and rabies were diseases of higher frequency and may be considered the most important. Among the toxic causes, plant poisonings were highlighted (63/91, 69.2%) and were responsible for 26.6% of all cases. Polioencephalomalacia, thrombotic meningoencephalitis caused by Histophilus somni and botulism were also highlighted. This information helps veterinarians to adopt more effective diagnostic and preventive approaches and is valuable to the state's official epidemiological surveillance system.(AU)
Descritores: Bovinos/anormalidades
Manifestações Neurológicas
-Plantas Tóxicas
Diagnóstico Diferencial
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 232 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-976409
Autor: Mendonça, Fábio S; Silva Filho, Givaldo B; Chaves, Hisadora A. S; Aires, Lorena D. A; Braga, Thaiza C; Gardner, Dale R; Cook, Daniel; Buril, Maria T.
Título: Detection of swainsonine and calystegines in Convolvulaceae species from the semiarid region of Pernambuco / Detecção de swainsonina e calisteginas em espécies de Convolvulaceae da região semiárida de Pernambuco
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;38(11):2044-2051, Nov. 2018. tab, ilus.
Idioma: en.
Projeto: CNPq.
Resumo: Numerous plant species worldwide including some Ipomoea (Convolvulaceae) and Sida (Malvaceae) species in Brazil cause lysosomal storage disease in herbivores and are known to contain swainsonine and calystegines as the main toxic compounds. The aim of this work was to determine swainsonine and calystegines concentrations in species of Convolvulaceae from the semiarid region of Pernambuco. Seven municipalities in the Moxotó region were visited and nine species were collected and screened for the presence of swainsonine and calystegines using an HPLC-APCI-MS method. The presence and concentration of these alkaloids within the same and in different species were very variable. Seven species are newly reported here containing swainsonine and/or calystegines. Ipomoea subincana contained just swainsonine. Ipomoea megapotamica, I. rosea and Jacquemontia corymbulosa contained swainsonine and calystegines. Ipomoea sericosepala, I. brasiliana, I. nil, I. bahiensis and I. incarnata contained just calystegines. The discovery of six Ipomoea species and one Jacquemontia species containing toxic polyhydroxy alkaloids reinforces the importance of this group of poisonous plants to ruminants and horses in the semiarid region of Pernambuco. Epidemiological surveys should be conducted to investigate the occurrence of lysosomal storage disease associated to these new species.(AU)

Numerosas espécies de plantas em todo o mundo, incluindo algumas espécies de Ipomoea (Convolvulaceae) e Sida (Malvaceae) no Brasil, causam doença de armazenamento lisossomal em herbívoros e são conhecidas por conterem swainsonina e calisteginas como princípios tóxicos. O objetivo deste trabalho foi determinar a concentração de swainsonina e calisteginas em espécies de Convolvulaceae da região semiárida de Pernambuco. Sete municípios na região do Sertão do Moxotó foram visitados, onde foram coletadas amostras das folhas de nove espécies de Convolvulaceae para avaliação da presença de swainsonina e calisteginas utilizando-se cromatografia líquida com espectrometria de massa. A presença e concentração destes alcaloides nas folhas de plantas da mesma espécie e dentre as espécies foram muito variáveis. Seis novas espécies de Ipomoea e uma espécie de Jacquemontia contendo swainsonina e/ou calisteginas são relatadas neste estudo. Ipomoea subincana continha apenas swainsonina. Ipomoea megapotamica, I. rosea e Jacquemontia corymbulosa continham swainsonina e calisteginas. Ipomoea sericosepala, I. brasiliana, I. nil, I. bahiensis e I. incarnata continham apenas calisteginas. A descoberta de novas espécies de Ipomoea e Jacquemontia contendo alcaloides polihidroxílicos tóxicos reforçam a importância deste grupo de plantas tóxicas para ruminantes e equinos na região semiárida de Pernambuco. Pesquisas epidemiológicas devem ser realizadas para investigar a ocorrência de doença de depósito lisossomal associada a essas novas espécies.(AU)
Descritores: Plantas Tóxicas/envenenamento
Swainsonina/envenenamento
Convolvulaceae/envenenamento
Ipomoea/toxicidade
-Ruminantes
Doenças por Armazenamento dos Lisossomos/veterinária
Cavalos
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  7 / 232 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-955406
Autor: Knupp, Sheila N. R; Borburema, Caio Cesar; Araújo, Valber O; Silva, Thatyana K. F; Riet-Correa, Franklin; Knupp, Leonardo S; Lucena, Ricardo B.
Título: Fotossensibilização primária em bovinos leiteiros causada por Froelichia humboldtiana / Primary photosensitization in dairy cattle caused by Froelichia humboldtiana
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;38(5):811-816, May 2018. graf.
Idioma: pt.
Projeto: CAPES.
Resumo: O presente trabalho foi conduzido com o objetivo de relatar um surto de fotossensibilização causado por Froelichia humboldtiana em bovinos leiteiros no Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Foram examinados animais de uma propriedade rural que apresentavam sintomatologia compatível com fotodermatite. Procedeu-se a coleta de amostras de sangue periférico de cinco bovinos para análise das atividades das enzimas hepáticas gamaglutamiltransferase e aspartatoaminotransferase, além da concentração de bilirrubina total, direta e indireta. Das áreas de pele com lesões de dois animais foram realizadas biópsias. Constatou-se que 15 animais de um rebanho composto por 40 animais apresentaram fotossemsibilização. Os animais tinham histórico de apresentar lesões de fotodermatite aproximadamente 10 dias após pastarem em áreas invadidas por F. humboldtiana. Ao exame clínico dos bovinos leiteiros notou-se que inicialmente apresentavam prurido e hiperemia nas áreas de pele despigmentadas do dorso e úbere, também havia alterações do comportamento. Posteriormente, as áreas hiperêmicas se apresentavam com edema que evoluíam para dermatite ulcerativa, necrotizante e exudativa, com perda de extensas áreas da epiderme. As úlceras eram mais graves nos quatro bovinos que apresentavam automutilação por lambedura. Esses quatro animais foram retirados do pasto e abrigados em local sombreado. Uma semana após, o prurido regrediu e as fissuras da pele passaram a cicatrizar. Porém, as lesões reapareceram logo após os bovinos serem reintroduzidas no pasto infestado por F. humbolditiana. Percebeu-se ainda queda na produção leiteira (redução de 50-60%) das vacas após a instalação de fotodermatite. Porém, os bezerros que ainda eram lactantes e ingeriam o leite nas vacas acometidas por fotossensibilização, não apresentaram sinais de fotodermatite. A histopatologia de biópsias de pele revelou inflamação na derme superficial constituída por mastócitos, linfócitos, e alguns plasmócitos. Na epiderme haviam extensas úlceras, recobertas por crostas, associada a infiltrado neutrofílico. As atividades séricas de AST, GGT e as concentrações de bilirrubina estavam dentro dos valores de referência normais para a espécie bovina. O diagnóstico de fotossensibilização primária associada à ingestão de F. humboldtiana foi baseado na epidemiologia, sinais clínicos, bioquímica sérica, biópsia de pele e reocorrência das lesões após os animais serem reintroduzidos no pasto invadido pela planta. Conclui-se que a F. humboldtiana é uma importante causa de fotossensibilização primária em bovinos leiteiros no semiárido brasileiro e que sua toxina provavelmente não é excretada pelo leite bovino.(AU)

The present study was conducted with the objective to report an outbreak of photosensitization caused by Froelichia humboldtiana in dairy cattle in the State of Rio Grande do Norte, Brazil. Animals from a rural property with symptoms compatible with photodermatitis were examined. Peripheral blood samples from five cattle were collected for the analysis of the activities of hepatic enzymes gammaglutamyltransferase and aspartate aminotransferase, in addition were also analysed the concentration of total, direct and indirect bilirubin. From the areas of skin with lesions of two animals, biopsies were performed. It was verified that 15 animals from a herd composed by 40 animals presented photosensitization. The animals had a history of photodermatitis lesions approximately 10 days after grazing in areas invaded by F. humboldtiana. Clinical examination of dairy cattle showed that they initially had pruritus and hyperemia in the depigmented areas of the dorsum and udder, and there were also behavioral changes. Subsequently, the hyperemic areas presented edema that evolved to ulcerative, necrotizing and exudative dermatitis, with loss of extensive areas of the epidermis. The ulcers were more severe in four bovines that had self-mutilation by licking. These four animals were removed from the pasture and sheltered in a shady location. A week later, the pruritus regressed and the fissures of the skin began to heal. However, the lesions reappeared after the cattle were reintroduced in the grass infested by F. humbolditiana. There was also a decrease in milk production (reduction of 50-60%) of cows after the installation of photodermatitis. However, calves that were still lactating and ingested the milk in photosensitized cows, showed no signs of photodermatitis. Histopathology of skin biopsies revealed inflammation in the superficial dermis consisting of mast cells, lymphocytes, and some plasma cells. In the epidermis there were extensive ulcers, covered by crusts, associated with neutrophilic infiltrate. Serum activities of AST, GGT and bilirubin concentrations were within normal reference values for the bovine species. The diagnosis of primary photosensitization associated with F. humboldtiana ingestion was based on epidemiology, clinical signs, serum biochemistry, skin biopsy and lesion reoccurrence after the animals were reintroduced in the pasture invaded by the plant. It is concluded that F. humboldtiana is an important cause of primary photosensitization in dairy cattle in the Brazilian semi-arid region and that its toxin is probably not excreted by bovine milk.(AU)
Descritores: Transtornos de Fotossensibilidade/veterinária
Plantas Tóxicas/toxicidade
Fármacos Fotossensibilizantes/análise
Amaranthaceae/efeitos adversos
Limites: Animais
Feminino
Bovinos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 232 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-895543
Autor: Stigger, Adriana Lücke; Estima-Silva, Pablo; Coelho, Ana Carolina Barreto; Santos, Bianca Lemos; Marcolongo-Pereira, Clairton; Riet-Correa, Franklin; Bruhn, Fabio Raphael Pascoti; Schild, Ana Lucia.
Título: Controle de Senecio madagascariensis e de Senecio brasiliensis pela utilização de pastejo com ovinos / Control of Senecio madagascariensis and Senecio brasiliensis by the use of sheep
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;38(1):29-36, Jan. 2018. tab, ilus.
Idioma: pt.
Projeto: INCT; . CNPq.
Resumo: Com o objetivo de testar diferentes formas de controle de Senecio madagascariensis foram realizados três experimentos. No primeiro, 40 ovinos foram colocados em uma área de quatro hectares por 90 dias, com infestação média e alta por S. madagascariensis. A área após este período foi dessecada com glifosato (Roundup®) e semeada com Lotus corniculatus L. (cornichão), Trifolium repens (trevo branco), Medicago sativa (alfafa) e Festuca arundinacea Schreb. (festuca) por plantio direto. Os ovinos, após oito meses, retornaram a área por mais 90 dias. O segundo experimento foi realizado com 10 ovinos em pastejo por 30 dias com 60 dias de descanso em três áreas de 0,5 hectares cada uma, com infestação baixa, média e alta por S. madagascariensis. O terceiro experimento foi realizado utilizando-se dessecação, aração e plantio de pastagens (leguminosas e gramíneas) por três vezes consecutivas, sem utilização de ovinos em uma área invadida pela planta. Para o controle de S. brasiliensis e outras espécies do gênero, um quarto experimento foi realizado em uma propriedade rural com histórico de intoxicação por Senecio spp. em bovinos. Foram utilizados 86 ovinos, que permaneceram em uma área de 90 hectares durante um ano. Os resultados destes experimentos demonstraram que os ovinos consomem S. madagascariensis e diminuem a quantidade de planta em áreas infestadas. Por outro lado, evidenciou-se também que S. madagascariensis para ser controlado de forma eficiente necessita de pastejo contínuo com pelo menos quatro ovinos por ha. As práticas como dessecação com herbicidas, aração e plantio de pastagem podem auxiliar na eliminação da planta a longo prazo. Em áreas de infestação por S. brasiliensis a roçagem pode ser uma prática eficiente, principalmente pelo porte alto da planta, pois facilita o consumo pelos ovinos.(AU)

In order to test different technics to control Senecio madagascariensis, three experiments were carried out. In the first, 40 sheep were placed in an area of four hectares for 90 days, with medium/high levels of infestation by the plant. The area after this period was desiccated with glyphosate (Roundup®) and seeded with Lotus corniculatus L., Trifolium repens, Medicago sativa and Festuca arundinacea Schreb. by direct seeding. After eight months, sheep returned to the area for another 90 days. The second experiment was conducted with 10 sheep grazing for 30 days and 60 days' rest, in three areas of 0.5 hectares each, with low, medium and high levels of S. madagascariensis infestation. The third experiment was carried out using drying, plowing and cultivated pasture (legumes and grasses) for three consecutive times without the use of sheep in an area infested by the plant. For the control of S. brasiliensis and other species of the genus, a fourth experiment was performed on a farm with history of intoxication by Senecio spp. in cattle. Eighty-six sheep were used in an area of 90 hectares for a year. The results of these experiments demonstrated that sheep consume and decrease the amount of S. madagascariensis in infested areas. Furthermore, it also indicated that S. madagascariensis to be efficiently controlled requires continuous grazing with at least four sheep per hectare. Practices as drying the pastures with herbicides, tillage and pasture planting can help eliminate the plant in long-term plan. In areas with S. brasiliensis infestation mowing can be an effective practice, mainly due to the high size of the plant, since it facilitates consumption by sheep.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/veterinária
Plantas Tóxicas/envenenamento
Senécio/toxicidade
Ovinos
-Pastagens
Asteraceae/toxicidade
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  9 / 232 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-895501
Autor: Oliveira Neto, Temístocles Soares de; Riet-Correa, Franklin; Barbosa, Francisca Maria Sousa; Nascimento, Harlan Hallamys Lima; Carvalho, Lucas Rannier Ribeiro Antonino; Alves, Alexandre José; Lucena, Ricardo Barbosa.
Título: Intoxicação por Portulaca elatior (Portulacaceae) em bovinos / Portulaca elatior (Portulacaceae) poisoning in cattle
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;37(8):785-789, Aug. 2017. ilus.
Idioma: pt.
Projeto: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia.
Resumo: Descreve-se um surto de intoxicação aguda em bovinos causado pela ingestão de Portulaca elatior na região nordeste do Brasil. O surto resultou da ingestão a partir da administração da planta no cocho pelo criador para os bovinos. Quatro de cinco bovinos foram intoxicados e dois morreram. Os sinais clínicos incluíram dor abdominal, tremores musculares, intensa salivação, timpanismo moderado e desidratação. O curso clínico da doença variou de 10 a 18 horas. Os achados macroscópicos incluíram desidratação, avermelhamento das mucosas dos pré-estômagos, abomaso e intestinos, além de ulceração da mucosa ruminal. Nos dois casos foi notada a presença de fragmentos de Portulaca no interior do rúmen. Os achados histológicos foram de degeneração e necrose das camadas superficiais do epitélio dos pré-estômagos, necrose e inflamação da mucosa intestinal e necrose linfoide. As atividades de AST e GGT estavam dentro dos valores de normalidade. O diagnóstico de intoxicação associado à ingestão de P. elatior foi baseado na epidemiologia, sinais clínicos e lesões. A ausência de informação sobre a toxicidade de P. elatior foi a principal causa para a ocorrência da intoxicação acidental.(AU)

An outbreak of acute poisoning in cattle caused by the ingestion of Portulaca elatior occurred in the northeastern Brazil. The outbreak resulted from ingestion of the plant provided by the farmer. Four out of five cattle were poisoned and two died. Clinical signs included abdominal pain, muscle trembling, intense salivation, mild bloat and dehydration. The course of the disease ranged from 10 to 18 hours. Gross findings included dehydration, reddening of the mucosa of forestomachs, abomasum, and intestine, with ulcerations of the ruminal mucosa. The presence of Portulaca leaves in the rumen was noted in both cases. The main histologic lesions were superficial to full thickness degeneration and necrosis of the stratified epithelium lining the forestomachs, necrosis and inflammation of the intestinal mucosa, and lymphoid necrosis. The serum activities of AST and GGT and serum were within normal ranges. The diagnosis of poisoning associated with ingestion of P. elatior was based on the epidemiology, clinical signs and lesions. The lack of information about the toxicity of P. elatior was the main cause for the accident of poisoning.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/veterinária
Rúmen
Portulacaceae/toxicidade
Necrose/veterinária
-Plantas Tóxicas
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  10 / 232 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-895479
Autor: Caldeira, Flávio H. B; Dias, Geovanny B. G; Arruda, Felipe P. de; Lourenço, Valdecy de M; Bezerra, Kalinne S; Riet-Correa, Franklin; Colodel, Edson Moleta.
Título: Sudden death associated with Niedenzuella stannea (Malpighiaceae) in cattle in the State of Mato Grosso, Brazil: importance and epidemiological aspects / Morte súbita associada a Niedenzuella stannea (Malpighiaceae) em bovinos no Estado de Mato Grosso: importância e investigação epidemiológica
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;37(7):662-666, jul. 2017. ilus.
Idioma: en.
Projeto: FAPEMAT.
Resumo: The aim of this study was to investigate the importance of an acute disease that was characterized by sudden death associated with exercise that affected cattle in the region of the Araguaia River, especially in the municipality of Torixoréu, southeastern Mato Grosso, Brazil. Between August and September 2013, eighty farms in the municipality were visited and the pastures of these farms were inspected. Epidemiological questionnaires were completed from 65 farms. A plant identified as Niedenzuella stannea (N. stannea) of the Malpighiaceae family was attributed to the cause of sudden death in cattle, what causes major economic losses. Sudden death reports have occurred since 1970, when livestock was introduced into the region, and sudden death reports still occur. Outbreaks were reported to occur from May to October, but mainly during the dry season between June and August. N. stannea was identified at 41 farms and was always found in near to rivers. The most effective plant control methods included plowing the pastures and fields followed by manual application of Tordon® (Picloram and 2.4D). The administration of 5g/kg of young leaves which were collected from a farm with a sudden death history in cattle also caused sudden death in a sheep. Thus, it is concluded that the sudden death of cattle in the region of the Araguaia River is caused by the consumption of N. stannea.(AU)

O objetivo deste trabalho é relatar a investigação sobre uma enfermidade de caráter agudo, caracterizada por morte súbita associada ao exercício, que acomete bovinos na região de bacias hidrográficas do Rio Araguaia, especialmente no município de Torixoréu, sudeste do estado de Mato Grosso, Brasil. Entre agosto e setembro de 2013, foram visitadas e inspecionadas as pastagens em 80 propriedades rurais do município, e em 65 aplicado um questionário epidemiológico. Uma planta identificada como Niedenzuella stannea (Malpighiaceae), é incriminada como causadora de morte súbita em bovinos gerando grandes prejuízos econômicos. Relatos de morte súbita datam desde 1970, quando a pecuária começou a ser inserida na região, e ocorrem até os dias atuais. Surtos ocorreram em diferentes meses do ano, variando de maio a outubro, sendo a maior parte concentrada durante o período de seca, especialmente nos meses de junho a agosto. N. stannea foi identificada em 41 propriedades, sendo presente próxima aos leitos de rios. Os métodos de controle da planta relatados como mais eficazes foram o arar da pastagem e roça manual seguida da aplicação de Tordon® (Picloram e 2,4D). A administração para um ovino, de 5g/kg de folhas em brotação de N. stannea, coletadas em uma propriedade com histórico de morte súbita em bovinos, reproduziu o quadro de morte súbita. Conclui-se que as mortes súbitas em bovinos em áreas da bacia hidrográfica do rio Araguaia se devem ao consumo de N. stannea.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/epidemiologia
Plantas Tóxicas
Ovinos
Malpighiaceae/toxicidade
Morte Súbita/veterinária
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice



página 1 de 24 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde