Base de dados : LILACS
Pesquisa : B01.650.940.800.575.912.250.157.200.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 8 [refinar]
Mostrando: 1 .. 8   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 8 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Venezuela
Texto completo
Id: lil-752724
Autor: Mejía-Garibay, Beatriz; Guerrero-Beltrán, José Ángel; Palou, Enrique; López-Malo, Aurelio.
Título: Características físicas y antioxidantes de semillas y productos de mostaza negra (Brassica nigra) y amarilla (Brassica alba) / Physical and antioxidant characteristics of black (Brassica nigra) and yellow mustard (Brassica alba) seeds and their products
Fonte: Arch. latinoam. nutr;65(2):128-135, June 2015. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: En este trabajo se evaluaron la composición, algunas características físicas (densidad, índice de refracción y color), capacidad antioxidante (DPPH) y perfil de ácidos grasos de semillas de mostaza negra (Brassica nigra) y amarilla (Brassica alba), sus aceites y residuos de la extracción del aceite. La densidad de los aceites de mostaza negra y amarilla fue de 0,912 ± 0,01 y 0,916 ± 0,01 g/mL, respectivamente; y el índice de refracción fue de 1,4611 ± 0,01 y 1,4617 ± 0,01, respectivamente, no mostrando diferencias significativas (p>0,05) entre las dos mostazas. Los parámetros de color del aceite de semilla de mostaza negra y amarilla tienden hacia los tonos amarillos-verdosos y tonos amarillos-rojizos, respectivamente; respecto a la actividad antioxidante, se observó una variación desde 25 mg equivalentes de Trolox/100 g en el aceite de semilla de mostaza amarilla hasta 1,366 mg equivalentes de Trolox/100 g en la pasta residual de mostaza negra. El perfil de ácidos grasos de la semillas de mostaza negra muestran que el ácido graso predominante es el oleico (22,96%), seguido por linoleico (6,63%) y linolénico (3,22%), mientras que para la semilla de mostaza amarilla es el erúcico (6,87%), seguido por oleico (5,08%) y linoléico (1,87%).

The composition, some physical properties (density, refraction index, and color), antioxidant capacity (DPPH), and fatty acid profile of seeds of black (Brassica nigra) or yellow mustard (Brassica alba) were evaluated, as well as for their oils and residues from oil extraction. Density of the black and yellow mustard oils were 0.912 ± 0.01 and 0.916 ± 0.01 g/mL, respectively; their refraction indexes were 1.4611 ± 0.01 and 1.4617 ± 0.01, respectively; being not significantly different (p>0.05) between two mustards. Color parameters of the black and yellow mustard oils presented greenish-yellow tones and reddish-yellow tones, respectively; regarding antioxidant activities, these ranged from 25 mg equivalents of Trolox/100 g in the yellow mustard oil to 1,366 mg equivalents of Trolox/100 g in the residues from oil extraction of black seed mustard. The fatty acid profile of the black mustard seed revealed that its predominant fatty acid is oleic (22.96%), followed by linoleic (6.63%) and linolenic (3.22%), whereas for yellow mustard seed the major fatty acid is erucic (6.87%), followed by oleic (5.08%) and linoleic (1.87%) acids.
Descritores: Antioxidantes/análise
Mostardeira/química
Sementes/química
-Cor
Ácidos Graxos/análise
Óleos Vegetais/química
Refratometria
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: VE1.1 - Biblioteca Humberto Garcia Arocha


  2 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-699781
Autor: Imandi, Sarat Babu; Karanam, Sita Kumari; Garapati, Hanumantha Rao.
Título: Use of Plackett-Burman design for rapid screening of nitrogen and carbon sources for the production of lipase in solid state fermentation by Yarrowia lipolytica from mustard oil cake (Brassica napus)
Fonte: Braz. j. microbiol;44(3):915-921, July-Sept. 2013. graf, tab.
Idioma: en.
Resumo: Mustard oil cake (Brassica napus), the residue obtained after extraction of mustard oil from mustard oil seeds, was investigated for the production of lipase under solid state fermentation (SSF) using the marine yeast Yarrowia lipolytica NCIM 3589. Process parameters such as incubation time, biomass concentration, initial moisture content, carbon source concentration and nitrogen source concentration of the medium were optimized. Screening of ten nitrogen and five carbon sources has been accomplished with the help of Plackett-Burman design. The highest lipase activity of 57.89 units per gram of dry fermented substrate (U/gds) was observed with the substrate of mustard oil cake in four days of fermentation.
Descritores: Brassica napus/metabolismo
Brassica napus/microbiologia
Carbono/metabolismo
Lipase/metabolismo
Nitrogênio/metabolismo
Yarrowia/enzimologia
Yarrowia/crescimento & desenvolvimento
-Biomassa
Meios de Cultura/química
Interpretação Estatística de Dados
Fermentação
Mostardeira
Óleos Vegetais/isolamento & purificação
Fatores de Tempo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-449381
Autor: Chandra, Shikha; Choure, Kamlesh; Dubey, Ramesh C; Maheshwari, Dinesh K.
Título: Rhizosphere competent Mesorhizobiumloti MP6 induces root hair curling, inhibits Sclerotinia sclerotiorum and enhances growth of Indian mustard (Brassica campestris)
Fonte: Braz. j. microbiol;38(1):124-130, Jan.-Mar. 2007. graf, tab, ilus.
Idioma: en.
Projeto: Technology Mission on Oil seeds, Pulses & Maize; . Council of Scientific & Industrial Research, New Delhi.
Resumo: The bacterial strain Mesorhizobium loti MP6, isolated from root nodules of Mimosa pudica induced growth and yield of Brassica campestris. The isolate MP6 secreted hydroxamate type siderophore in Chrom-Azurol Siderophore (CAS) agar medium. Production of hydrocyanic acid (HCN), indole acetic acid (IAA) and phosphate solubilizing ability was also recorded under normal growth conditions. Root hair curling was observed through simple glass-slide technique. In vitro study showed a significant increase in population of M. loti MP6 in rhizosphere due to root exudates of B. campestris. In dual culture technique the strain showed a strong antagonistic effect against Sclerotinia sclerotiorum, a white rot pathogen of Brassica campestris. The growth of S. sclerotiorum was inhibited by 75 percent after prolonged incubation. Efficient root colonization of mustard seedlings was confirmed by using a streptomycin-resistant marker M. loti MP6strep+. The M. loti MP6 coated seeds proved enhanced seed germination, early vegetative growth and grain yield as compared to control. Also, a drastic decline (99 percent) in the incidence of white rot was observed due to application of M. loti MP6.

A cepa bacteriana Mesorhizobium loti MP6 isolada de nódulos de raiz de Mimosa pudica induziu o crescimento e o rendimento de Brassica campestris. A cepa MP6 secretou sideróforo do tipo hidroxamato em meio sólido Chrom-Azurol Siderophore (CAS). Em condições normais de crescimento, a cepa foi também capaz de produzir de ácido cianídrico (HCN) e acido indolacético (AIA) e solubilizar fosfato. O encurvamento do pelo da raiz foi observado usando a simples técnica de lâmina e lamínula. Estudos in vitro mostraram um aumento significativo na população de M. loti MP6 na rizosfera devido aos exsudatos de B. campestris. Empregando-se técnica de co-cultura, a cepa mostrou um grande efeito antagônico contra o fungo Sclerotinia sclerotiorum, o patógeno da podridão branca de Brassica campestris. Após incubação prolongada, o crescimento de S. sclerotiorum foi inibido em 75 por cento. Uma eficiente colonização de sementes de mostarda foi confirmada pelo emprego da linhagem M. loti MP6strep+ que contém um marcador de resistência à estreptomicina. As sementes cobertas com M. loti MP6 apresentaram aumento da sua germinação,crescimento vegetativo rápido e melhor rendimento quando comparadas ao controle. Além disso, foi observado um drástico declínio na incidência da podridão branca decorrente da aplicação de M. loti MP6.
Descritores: Ascomicetos
Técnicas In Vitro
Mostardeira/crescimento & desenvolvimento
Controle Biológico de Vetores
Sideróforos/análise
-Ágar
Métodos
Amostragem
Sementes
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR32.1 - Serviço de Biblioteca e Informação Biomédica


  4 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-425832
Autor: Rossetto, Maria Rosecler Miranda.
Título: Teores de benzilglicosinolato, benzilisotiocianato e expressão da mirosinase durante o desenvolvimento e amadurecimento do mamão papaia (Carica papaya L., var. Sunrise Solo) / Benzylglucosinolate levels benzylisothiocyanates and expression of the myrosinase during the development and ripening of the papaya (Carica papaya L., var. sunrise soil).
Fonte: São Paulo; s.n; 2005. 115 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O sistema glicosinolato-microsinase faz parte do mecanismo de defesa das plantas, quando o tecido é danificado, os glicosinolatos são degradados pela mirosinase e os compostos tóxicos são liberados. No mamão, o principal composto liberado pela enzima é o benzilisotiocianato (BITC), a partir da degradação de benzilglicosinolato (BG). Altos teores de BG e BITC, presentes no início da formação do fruto, diminuem durante o seu desenvolvimento. A semente, é o tecido que mais acumula estes compostos, seguido da casca e da polpa e estes teores parecem ser afetados pelo 1-MCP, mas não pelo etileno. Além disso, foi observado neste trabalho, que mesmo a mais baixa atividade de mirosinase parece ter sido suficiente para liberar o BITC, que nestas quantidades, poderia exercer ação contra as moscas-das-frutas e outros microorganismos...
Descritores: Drosophila
Enzimas
Frutas
Expressão Gênica
Biologia Molecular
-Arabidopsis
Cromatografia Líquida de Alta Pressão/métodos
Mostardeira
Reação em Cadeia da Polimerase/métodos
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas
BR40.1; 641.34651, R829t


  5 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Veiga, Maria Cecília Ferraz de Arruda
Id: lil-412406
Autor: Arsati, Franco; Veiga, Maria Cecília Ferraz de Arruda.
Título: Os antiinflamatórios dexametasona, meloxicam e indometacina não inibem a inflamação nerogênica induzida pelo óleo de mostarda na atm dos ratos / Daxamethason, meloxicam and indomethacin do not inhibit the neurogenic inflammation imduced by the mustard oil in the tmj of rats
Fonte: Rev. odonto ciênc;19(45):275-280, jul.-set. 2004. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A inflamação neurogênica pode estar envolvida no desenvolvimento das desordens da articulaçao têmporo-mandibular (ATM). O óleo de mostarda (OM) tem sido muito utilizado para o estudo da inflamação neurogênica. Entretanto, na região da ATM, ainda não é totalmente conhecido o mecanismo inflamatório do OM. Investigar se, na ATM, o OM induz um processo inflamatório de caráter neurogênico e se as prostaglandinas participam dessa inflamação. Ratos machos (Wistar), anestesiados, receberam OM (0,25 por cento - grupo I; 0,5 por cento - grupo II e 2,5 por cento - grupo III) ou óleo mineral (grupo IV - controle) na ATM direta. Ratos adicionais foram tratados com win 51,708 (grupos V, VI e VII), meloxicam (grupo VIII), dexametasona(grupo IX), indometacina (grupo X), solução salina (grupos XI, XII, XIII e XIV - controles) e, na sequência, o OM (0,25 por cento) foi aplicado na ATM direita. A inflamaçaõ da ATM foi averiguada pelo extravasamento plasmático de proteínas (EP) ligadas ao corante azul de Evans. A aplicação do OM (0,25 por cento, 0,5 por cento e 2,5 por cento) na ATM induziu EP significativamente maior (p < 0,05 por cento) que o grupo controle. O win 51,708 reduziu significativamente (p < 0,05 por cento) EP induzido pelo OM a 0,25 por cento em relação ao grupo controle. Entretanto, os antiinflamatórios dexametasona, meloxican e indometacina foram ineficazes em inibir esse EP. A inflamação induzida pelo OM na ATM é decorrente de um mecanismo neurogênico e as prostaglandinas não são essenciais para o desenvolvimento do EP associado com esse modelo de inflamação
Descritores: Anti-Inflamatórios
Inflamação Neurogênica/induzido quimicamente
Inflamação Neurogênica/tratamento farmacológico
Mostardeira/efeitos adversos
-Transtornos da Articulação Temporomandibular
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR541.1 - Biblioteca


  6 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-356361
Autor: Moreira, Ana Vládia Bandeira; Mancini Filho, Jorge.
Título: Atividade antioxidante das especiarias mostarda, canela e erva-doce em sistemas aquoso e lipídico / Antioxidant activity of mustard, cinnamon and anise in lipidic and aqueous systems
Fonte: Nutrire Rev. Soc. Bras. Aliment. Nutr;25:31-46, jun. 2003. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo refere-se ao comportamento antioxidante dos compostos fenólicos presentes em extratos das especiarias canela, erva-doce e mostarda testados em sistema aquoso e lipídico com o objetivo de observar a influência de cada sistema na avaliação da atividade antioxidante. Os extratos obtidos de forma seqüencial foram: etéreo, alcoólico e aquoso da canela, erva-doce e mostarda, os quais foram utilizados nos dois sistemas modelos. No modelo aquoso a atividade antioxidante foi medida através do método ß-caroteno/ácido linoléico, onde foi verificado que 200ppm do extrato aquoso da mostarda apresentou a melhor proteção contra a oxidação com média de 70 por cento...
Descritores: Antioxidantes
Cinnamomum zeylanicum
Mostardeira
Extratos Vegetais
Especiarias
-Cromatografia Gasosa
Cromatografia em Camada Delgada
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas


  7 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Castro, Maria Fernanda P. P. M. de
Id: lil-147914
Autor: Pacheco, Ivania Athie; Castro, Maria Fernanda P. P. M. de.
Título: Utilizaçäo de óleos no controle de insetos em gräos armazenados / Utilization of oils for the control of insects stored grains
Fonte: Colet. Inst. Tecnol. Alimentos;23(2):138-44, jul.-dez. 1993.
Idioma: pt.
Resumo: Na presente revisäo realizou-se um levantamento de informaçöes sobre a utilizaçäo de diferentes tipos óleos, tais como os óleos de amendoim, soja, coco, milho, algodäo, dendê, mostarda, gergelim, babaçu, mamona, entre outros, em mistura aos gräos armazenados para controle de insetos-praga, principalmente de bruquídeos em leguminosas e curculionídeos em cereais. Säo fornecidos dados sobre a eficiência dos óleos e das doses aplicadas, bem como um relato dos prováveis mecanismos de controle envolvidos. Diversos fatores parecem influir na eficiência dos óleos no controle dos insetos, tais como tipo de gräo tratado, tipo de óleo quanto à origem e processamento utilizado (bruto ou refinado), dose utilizada, temperatura e umidade ambientes, espécie de inseto a ser controlado e período de proteçäo requerido
Descritores: Azadirachta
Cocos
Conservação de Alimentos/métodos
Óleo de Sementes de Algodão
Grão Comestível/microbiologia
Helianthus
Controle de Insetos
Mostardeira
Óleos Vegetais/análise
Oryza
Ricina
Óleo de Gergelim
-Conservação de Alimentos/economia
Controle de Insetos/economia
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR734.1 - Biblioteca Central Cesar Lattes - BCCL


  8 / 8 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-18866
Autor: Durante, Franca; Badolato, Elza Schwartz Gastaldo; Almeida, Maria Eliza Wohlers de.
Título: Determinacao de acido erucico em mostarda de mesa. / Determination of erucic acid in prepared mustards
Fonte: Rev. Inst. Adolfo Lutz;43(1/2):33-40, 1983.
Idioma: pt.
Resumo: O acido erucico, substancia de toxicidade ja verificada em animais de laboratorio, esta presente no oleo de semente de mostarda; este fato levou os autores a pesquisarem sua presenca em mostarda de mesa.A tecnica de cromatografia em fase gasosa foi utilizada para determinar o perfil cromatografico do oleo de semente de mostarda, extraido de 15 amostras de semente de mostarda, 22 amostras de mostarda de mesa de origem nacional e 11 amostras de mostarda de mesa de origem europeia. Foram identificados os seguintes acidos graxos: palmitico, palmitoleico, estearico, oleico, linoleico, linolenico, gadoleico, behenico e erucico. Foi encontrado um alto teor de acido erucico, variando de 15,6 a 38,0% em relacao aos acidos graxos totais.O perfil cromatografico permitiu a identificacao rapida do oleo de mostarda como tambem possibilitou a deteccao da adulteracao de mostarda de mesa
Descritores: Ácidos Graxos Insaturados
Análise de Alimentos
Mostardeira
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde