Base de dados : LILACS
Pesquisa : B01.650.940.800.575.912.250.300.188 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 4 [refinar]
Mostrando: 1 .. 4   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 4 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-912571
Autor: Leão, Evelynne Urzêdo; Santos, Gil Rodrigues dos; Sarmento, Renato Almeida; Reis, Marcelo Rodrigues dos; Chagas Júnior, Aloísio Freitas.
Título: Crescimento micelial e produção de conídios de Ascochyta cucumis em diferentes meios de cultura e regimes de luz / Mycelial growth and conidial production of Ascochyta cucumis in different culture media and light regimen
Fonte: Biosci. j. (Online);28(2):325-331, mar./apr. 2012. tab, ilus, graf.
Idioma: pt.
Resumo: A planta da melancia pode ser infectada por diversos patógenos que podem provocar perdas na produtividade e qualidade dos frutos. Entre estes, o fungo Ascochyta cucumis, que é o agente causal do crestamento gomoso do caule em plantas de melancia pode ser considerado um grande problema. Para estudos de laboratório e de campo é importante ter um crescimento e esporulação abundante do patógeno em estudo. No entanto, estudos sobre a esporulacao de A. cucumis em diferentes meios de cultura são escassos na literatura nacional e internacional. O objetivo deste trabalho foi estudar a influência de diferentes meios de cultura e do regime de luz no crescimento micelial e produção de conídios de A. cucumis. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 7 x 3, com cinco repetições. Os meios testados foram: BDA; BDA modificado; V8 modificado; aveia; cenoura; folha de melancia e folha de melancia+CaCO3. Todos os meios foram submetidos à luz contínua, fotoperíodo 12 hr e escuro contínuo. Os meios que mais favoreceram o crescimento micelial foram folha de melancia + CaCO3, folha de melancia e BDA modificado, respectivamente, sob regime de luz contínua. Maior produção média de conídios foi obtida nos meios folha de melancia e folha de melancia+CaCO3. O meio folha de melancia+CaCO3 foi o que mais favoreceu a produção de conídios mesmo em diferentes regimes de luz.

Watermelon plants can be infected by different pathogens that can cause losses in yield and fruit quality. Among these, the fungus Ascochyta cucumis, which is the causal agent of gummy stem blight in watermelon plants can be considered the major problem. To laboratory and field studies it is important to have an abundant growth and sporulation of the studied pathogen. However, studies on the sporulation of A. cucumis at different culture media are scarce in the national and international literature. Thus, the objective of this work was to study the effect of different culture media and the light regimens on the mycelial growth and conidial production of A. cucumis. The experiments were performed in a completely randomized design in a factorial 3 x 7, with five replicates. The media tested were the following: BDA, modified BDA, modified V8, oatmeal, carrot, watermelon leaf and watermelon leaf + CaCO3. All media were submitted to continuous light, 12 hr photoperiod and continuous darkness. The media that most favored the mycelial growth were the watermelon leaf + CaCO3, watermelon leaf and modified BDA under continuous light regimen. Increased average production of conidia was afforded by watermelon leaf media and watermelon leaf + CaCO3 media. The watermelon leaf + CaCO3 media was the one that most favored the production of conidia, even at different levels of light regimens.
Descritores: Esporos Fúngicos
Citrullus
Fungos
Noxas
-Cucumis
Responsável: BR396.4


  2 / 4 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Brackmann, Auri
Steffens, Cristiano André
Texto completo
Id: lil-432530
Autor: Brackmann, Auri; Eisermann, Ana Cristina; Giehl, Ricardo Fabiano Hettwer; Fagan, Evandro Binotto; Medeiros, Sandro Luis Petter; Steffens, Cristiano André.
Título: Qualidade de melões ( Cucumis melo L. var. cantalupensis Naud. ), híbrido Torreon, produzidos em hidroponia e armazenados em embalagens de polietileno / Quality of Torreon hybrid melon fruits ( Cucumis melo L. var. cantalupensis Naud. ) grown in hydroponic system and stored in polyethylene packaging
Fonte: Ciênc. rural;36(4):1143-1149, jul.-ago. 2006. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Este experimento teve por objetivos avaliar a permeabilidade de filmes de polietileno de diferentes espessuras e densidades ao O2 e ao CO2, a composição gasosa (O2, CO2 e etileno) formada no interior das embalagens e a qualidade físico-química de melões (Cucumis melo L. var. cantalupensis Naud.), híbrido Torreon, produzidos no sistema hidropônico "Nutrient Film Technique" (NFT) e armazenados em embalagens de polietileno. Os tratamentos avaliados foram: (1) armazenamento refrigerado (sem uso de filme); (2) polietileno de baixa densidade (PEBD) de 40µm; (3) PEBD de 60µm; (4) PEBD de 90µm; (5) polietileno de média densidade (PEMD) de 40µm; (6) PEMD de 60µm. Os frutos permaneceram armazenados durante 25 dias a 3,8±0,2ºC e por mais dois dias a 20ºC. Os filmes de PEBD de 60 e 90µm e o PEMD de 60µm apresentaram menor permeabilidade ao CO2, mantendo as maiores concentrações de CO2 nas embalagens. O filme de PEBD de 90µm apresentou menor permeabilidade ao O2. A menor concentração de etileno foi obtida com o uso de PEBD de 40µm. O uso de filmes reduziu drasticamente a perda de massa dos frutos, quando comparados aos frutos não embalados. Os frutos acondicionados na embalagem de PEBD de 40µm mantiveram uma maior firmeza da polpa após o período de armazenamento, não diferindo estatisticamente dos frutos armazenados em PEMD de 40µm. Já a incidência de podridões foi significativamente menor nos frutos armazenados em PEMD de 60µm. De modo geral, os filmes avaliados mantêm semelhante a qualidade físico-química de melões híbrido Torreon produzidos hidroponicamente no sistema NFT.
Descritores: Dióxido de Carbono
Cucumis
Gestão da Qualidade
Hidroponia
Oxigênio
Permeabilidade
Polietileno
Responsável: BR409.1 - Biblioteca


  3 / 4 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-423183
Autor: Porto Filho, Francisco de Queiroz; Medeiros, José Francismar de; Sousa Neto, Eduardo Rodrigues de; Gheyi, Hans Raj; Matos, José de Arimatea de.
Título: Viabilidade da irrigação do meloeiro com águas salinas em diferentes fases fenológicas / Feasibility of irrigation of musk melon with salinity water in different phenological stages
Fonte: Ciênc. rural;36(2):453-459, mar.-abr. 2006. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Com o objetivo de estudar os efeitos da aplicação de águas de irrigação de diferentes salinidades no rendimento do melão irrigado por gotejamento e de associar a produção obtida com o custo da água utilizada, desenvolveu-se este trabalho em Mossoró-RN. Aguas de diferentes salinidades (S1=0,6, S2=1,9, S3=3,2 e S4=4,5dS m-1), utilizadas de forma incremental em três estádios de desenvolvimento ou sem variar durante o ciclo da cultura, formaram dez tratamentos arranjados em blocos inteiramente casualizados com quatro repetições. O uso de águas salinas por longos períodos afetou a produção de melão. Substituições tardias na salinidade da água tenderam a não exercer efeito significativo sobre a produção do meloeiro. O tratamento irrigado com a água de menor salinidade durante todo ciclo apresentou, simultaneamente, o maior custo com água de irrigação e o maior lucro na produção de melão.
Descritores: Cucumis
Cucumis melo
Águas Salinas
Irrigação Terapêutica
Responsável: BR409.1 - Biblioteca


  4 / 4 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-417663
Autor: Streck, Nereu Augusto; Tibola, Tiago; Lago, Isabel; Buriol, Galileo Adeli; Heldwein, Arno Bernardo; Schneider, Flavio Miguel; Zago, Vivairo.
Título: Estimativa do plastocrono em meloeiro (Cucumis melo L) cultivado em estufa plástica em diferentes épocas do ano / Estimating the plastochron in muskmelon (Cucumis melo L) grown inside plastic greenhouse at different planting dates
Fonte: Ciênc. rural;35(6):1275-1280, nov.-dez. 2005. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O meloeiro (Cucumis melo L.) é uma hortaliça de alto valor econômico. A emissão de nós é um componente importante em modelos matemáticos de simulação do crescimento e desenvolvimento de culturas de hábito de crescimento decumbente como o meloeiro e outras cucurbitáceas. A emissão de nós pode ser calculada utilizando-se o conceito do plastocrono, que é o intervalo de tempo entre o aparecimento de nós sucessivos em uma haste de dicotiledôneas. Quando a soma térmica é usada como medida de tempo fisiológico em plantas, o plastocrono tem como unidades °C dia nó-1. Estudos anteriores mostraram que o plastocrono em meloeiro varia com o genótipo e a época de cultivo. Este trabalho teve por objetivo estimar o plastocrono em meloeiro transplantado em diferentes épocas de cultivo no interior de estufa plástica. Foram realizadas 12 épocas de semeadura e transplante no interior de uma estufa plástica de 10m X 25m, coberta com polietileno transparente de baixa densidade, localizada no Campo Experimental do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria, RS. O híbrido utilizado foi o HY-MARK (grupo Cantaloupe). Em 12 plantas etiquetadas por época de transplante, contou-se o número de nós visíveis (NN) na haste principal da planta duas vezes por semana. A soma térmica diária (STd, °C dia) foi calculada levando-se em conta as temperaturas cardinais de aparecimento de nós em meloeiro (10, 34 e 45°C). A soma térmica acumulada (STa, °C dia), a partir da data de transplante das plântulas, foi calculada somando-se a STd. O plastocrono foi calculado como sendo o inverso do coeficiente angular da regressão linear entre NN e STa para cada época. O plastocrono calculado variou entre as épocas de cultivo de 13,4 a 21,8°C dia nó-1, com um valor médio de 18,6 (±2,3)°C dia nó-1. Esta diferença de plastocrono entre as épocas de cultivo pode representar vários dias do calendário civil se o interesse é predizer eventos associados ao NN na planta de meloeiro, como por exemplo a data de abertura da primeria flor masculina e da primeria flor hermafrodita.
Descritores: Cucumis
Plantas
Temperatura
Responsável: BR409.1 - Biblioteca



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde