Base de dados : LILACS
Pesquisa : B03.510.024.400.800 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 147 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 15 ir para página                         

  1 / 147 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1147043
Autor: Barbosa, Isabelly Ribeiro; Rodrigues, Denes Santos; Ferreira, Luiz Henrique Alves; Borges, Leonardo Luiz; Ribeiro, Andrea Alves.
Título: Associação entre Vaginose Bacteriana e Anormalidades Citológicas nos Exames Citopatológicos Analisados em um Laboratório Escola de Goiânia-GO / Association Between Bacterial Vaginosis and Cytological Abnormalities in Cytopathological Exams Analyzed in a Laboratory School of Goiânia-GO / Asociación entre Vaginosis Bacteriana y Anormalidades Citológicas en Exámenes Citopatológicos Analizados en una Escuela de Laboratorio de Goiânia-GO
Fonte: Rev. bras. cancerol;67(1):e-081080, 2021.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: A Gardnerella vaginalis facilita a infecção pelo papilomavírus humano (HPV). Objetivo: Verificar a associação entre anormalidades citológicas e presença de Gardnerella vaginalis nos esfregaços cervicovaginais encaminhados ao Laboratório Clínico da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (LAC/PUC Goiás) estratificadas por faixa etária. Método: Estudo transversal realizado no LAC/PUC Goiás entre janeiro de 2013 a dezembro de 2015. Para análises estatísticas, a variável idade foi categorizada em ≤39 anos e >40 anos, utilizando o programa IBM SPSS Statistics (Version 2.0, 2011®) para o teste de qui-quadrado (X²), com intervalo de confiança de 95% e valor p<0,05. Resultados: Foram analisados 4.558 exames citopatológicos, a maioria com presença de Lactobacillus spp. (46,97%). A prevalência dos agentes patogênicos foi a Gardnerella vaginalis (79,6%), seguida de Candida spp. (16,8%), Trichomonas vaginalis (2,2%), Herpes simplex (0,4 %) e Chlamydia trachomatis (0,1%). As anormalidades citológicas foram observadas em 9,1%, sendo atypical squamous cells of undetermined significance (ASC-US) 2,57%, low grade squamous intraepithelial lesion (LSIL) 1,78%, atypical squamous cells of undetermined significance cannot exclude high grade squamous intraepithelial lesion (ASC-H) 3,52%, high grade squamous intraepithelial lesion (HSIL) 1,08%, atypical endocervical cells, favor neoplastic (AGC-NEO) 0,22% e carcinoma 0,02%. Houve uma associação significante entre anormalidades citológicas graves e mulheres ≥40 anos, OR 3,01 (IC 95% 2,0-4,58) (p<0,0001). Mulheres ≤40 anos mostraram significância à presença de Gardnerella vaginalis (p<0,0004). Conclusão: Uma elevada prevalência de Gardnerella vaginalis foi encontrada associada com as anormalidades citológicas, principalmente em mulheres sexualmente ativas.

Introduction:Gardnerella vaginalis facilitates human papillomavirus (HPV) infection. Objective: To verify the association between cytological abnormalities and the presence of Gardnerella vaginalis in cervicovaginal smears sent to the Clinical Laboratory of the Pontifical Catholic University of Goiás (LAC/PUC Goiás) stratified by age range. Method: Cross-sectional study carried out at LAC/PUC Goiás from January 2013 to December 2015. For statistical analysis, the variable age was categorized as ≤39 years and >40 years, using the IBM SPSS Statistics program (Version 2.0, 2011®) for the chi-square test (X²), with a 95% confidence interval and p<0.05. Results:4,558 cytopathological exams were analyzed, most of them with the presence of Lactobacillus spp (46.97%). The prevalence of pathogens was Gardnerella vaginalis (79.6%), followed by Candida spp. (16.8%), Trichomonas vaginalis (2.2%), Herpes simplex (0.4%) and Chlamydia trachomatis (0.1%). Cytological abnormalities were observed in 9.1%, being atypical squamous cells of undetermined significance (ASC-US) 2.57%, low grade squamous intraepithelial lesion (LSIL) 1.78%, atypical squamous cells of undetermined significance cannot exclude high intraepithelial lesion (ASC-H) 3.52%, high grade squamous intraepithelial lesion (HSIL) 1.08%, atypical endocervical cells, neoplastic favor (AGC-NEO) 0.22% and carcinoma 0.02%. There was a significant association between severe cytological abnormalities and women >40 years old OR 3.01 (95% CI 2.0-4.58) (p<0.0001). Women ≤40 years old showed the presence of Gardnerella vaginalis (p<0.0004). Conclusion:A high prevalence of Gardnerella vaginalis was found and its association with cytological abnormalities, especially in sexually active women.

Introducción:Gardnerella vaginalis facilita la infección por el virus del papiloma humano (VPH). Objetivo: Verificar la asociación entre anormalidades citológicas y la presencia de Gardnerella vaginalis en frotis cervicovaginales enviadas al Laboratorio Clínico de la Pontificia Universidad Católica de Goiás (LAC/PUC Goiás) estratificadas por grupo de edad. Método: Estudio transversal realizado en LAC/PUC Goiás desde enero de 2013 hasta diciembre de 2015. Para el análisis estadístico, la edad variable se clasificó como ≤39 años y >40 años, utilizando el programa IBM SPSS Statistics (Versión 2.0, 2011®) para la prueba de chi-cuadrado (X²), con un intervalo de confianza del 95% y p <0,05. Resultados: Se analizaron 4.558 exámenes citopatológicos. La prevalencia de Lactobacillusspp. con 46,97%. Los patógenos como Gardnerella vaginalis fueron 79,6%, Candidaspp. 16,8%, Trichomonas vaginalis 2,2%, Herpes simplex 0,4%, y Chlamydia trachomatis 0,1%. Se observaron anormalidades citológicas en 9,1%, con células escamosas atípicas de significado indeterminado (ASC-US) 2,57%, lesión intraepitelial escamosa de bajo grado (LSIL) 1,78%, células escamosas atípicas de significación indeterminada no pueden excluir lesión intraepitelial (ASC-H) 3,52%, lesión intraepitelial escamosa de alto grado (HSIL) 1,08%, células endocervicales atípicas, favor neoplásico (AGC-NEO) 0,22% y carcinoma 0,02%. Hubo una asociación significativa entre anormalidades citológicas severas y mujeres >40 años OR 3,01 (IC 95% 2,0-4,58) (p<0,0001). Las mujeres ≤40 años mostraron la presencia de Gardnerella vaginalis (p<0,0004). Conclusión: Se encontró una alta prevalencia de Gardnerella vaginalis y su asociación con anomalías citológicas, especialmente en mujeres sexualmente activas.
Descritores: Esfregaço Vaginal
Gardnerella vaginalis/isolamento & purificação
Vaginose Bacteriana/patologia
Infecções por Bactérias Gram-Positivas/patologia
Teste de Papanicolaou
-Estudos Transversais
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Responsável: BR440.1 - Biblioteca Geraldo Matos de Sá . Hospital do Câncer I


  2 / 147 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-124268
Autor: Riveron Rodríguez, Caridad; Tizón González, Olga; Copo Jorge, José A; Díaz Alfonso, Oscar M.
Título: Empleo del método directo para el diagnóstico de vaginitis por gardnella vaginalis / Use of the direct method for diagnosing gardnella vaginalis vaginitia
Fonte: Rev. cuba. enferm;8(1):36-42, ene.-jun. 1992. tab.
Idioma: es.
Resumo: Se estudió un total de 200 pacientes divididos en 2 grupos de 100, designadas con los números 1 y 2, a quienes se les practicó examen de la secreción vaginal por el método directo, con el objetivo de valorar su utilidad para el diagnóstico presuntivo de Gardnerella vaginalis, y relacionamos estos estudios con los síntomas aportados por las pacientes (leucorrea y fetidez) que predominaron en el grupo 1 y dolor bajo vientre que predominó en el grupo 2, así como la proporción de gérmenes aislados y la asociación con este síntoma para definir el papel del microorganismo en la producción de la mal llamada vaginitis inespecífica; se obtuvo el 100 % de láminas positivas en el grupo 1 y 55 % en el grupo 2, en los cuales se realizó el tratamiento adecuado a la pareja y la confirmación posterior de los resultados que fueron efectivos en el 96,7 % de los casos. No se pudo establecer relación entre dispositivo intrauterino y la presencia del germen, pues es posible que no se tuviera en cuente la existencia del mismo al insertar el DIU
Descritores: Vaginite/diagnóstico
Gardnerella vaginalis/isolamento & purificação
Diagnóstico de Enfermagem
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: CU1 - INFOMED - Centro Nacional de Información de Ciencias Médicas


  3 / 147 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-933141
Autor: Padovani, Pérola.
Título: Detecção de Gardnerella vaginalis pelo método de papanicolaou por duas técnicas de coleta cervical.
Fonte: São Paulo; s.n; 2005. 54 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a São Paulo (Estado). Secretaria da Saúde. Coordenadoria de Controle de Doenças. Programa de Pós-Graduação em Ciências para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Foi realizado um estudo da freqüência de isolamento de Gardnerella vaginalis em amostras de 3.963 resultados de exames de colpocitologia oncótica, em mulheres clientes da UBS Dr Humberto Pascale da cidade de São Paulo.Foram selecionados 3.775 exames que atenderam aoscritérios pré-estabelecidos:- exclusão de coletas cujo material foi insuficiente ou inadequado. - exclusão de clientes gestantes nos dois grupos. - exclusão de mulheres com antecedente de cirurgia do colo do útero. A realização da coleta de colpocitologia oncótica proporcionou a comparação entre dois grupos. No grupo I a coleta foi feita apenas utilizando a espátula de Ayre (coleta dupla), no grupo II a coleta tríplice utilizou também a escova endocervical complementando a técnica anterior e a comparação entre usuárias de DIU nos dois grupos. Na análise estatística do qui-quadrado houve diferença significante entre os casos da faixa etária entre 31 a 40 anos no grupo II com o uso da escova endocervical. Houve um número pouco significante de casos positivos para Gardnerella vaginalis entre usuárias de DIU na faixa etária entre 31 a 40 anos
Descritores: Gardnerella vaginalis
Dispositivos Intrauterinos
Descarga Vaginal
Esfregaço Vaginal
Vaginose Bacteriana
Limites: Masculino
Feminino
Responsável: BR91.2 - Centro de Documentação
BR91.2; W4, P124d, 2005


  4 / 147 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Medeiros, Francisco das Chagas
Texto completo
Id: biblio-1119254
Autor: Oliveira, Muse Santiago de; Medeiros, Francisco das Chagas; Junior, José Eleutério.
Título: Infertility and vaginal microbiome: review study / Infertilidade e microbioma vaginal: estudo de revisão
Fonte: DST j. bras. doenças sex. transm;31(1):24-29, 31-03-2019.
Idioma: en.
Resumo: Introduction: Infertility is an important public health problem and has many causal factors. Previous findings, based mainly on culture techniques, suggest an association between infertility and changes in the vaginal microbiome. The metagenomic approach allowed the discovery of new bacterial species, previously unidentified in the female genital tract, permitting a deeper knowledge of the role of vaginal microbiome in female reproductive health. Objective: To evaluate the association of changes in the vaginal microbiota with infertility, and its repercussions on the outcome of assisted reproduction techniques after a decade of the Human Microbiome Project. Methods: A systematic search was carried out in the MEDLINE database between September and November 2018, by selecting 14 studies, associating vaginal microbiome with infertility, or with results of assisted reproduction techniques. Results: The findings showed a higher prevalence of bacterial vaginosis, and increased microbial diversity in the vagina of infertile women. Regarding the success of assisted reproduction techniques, most studies did not show any significant association between bacterial vaginosis and reduction in pregnancy rates. Conclusion: Further studies are needed to better understand the influence of the balance of vaginal microorganism species on female reproductive health, addressing the microbiome composition in contexts beyond in vitro fertilization techniques.

Introdução: A infertilidade é um importante problema de saúde pública e possui muitos fatores causais. Achados prévios, baseados principalmente em técnicas de cultura, sugerem uma associação entre infertilidade e alterações do microbioma vaginal. A abordagem metagenômica permitiu a descoberta de novas espécies bacterianas, anteriormente não identificadas, no trato genital feminino, possibilitando um conhecimento mais aprofundado do papel do microbioma vaginal na saúde reprodutiva feminina. Objetivo: Avaliar a associação das alterações da microbiota vaginal com a infertilidade e suas repercussões no resultado das técnicas de reprodução assistida após uma década do Projeto Microbioma Humano. Métodos: Foi realizada uma busca sistemática na base de dados MEDLINE, entre setembro e novembro de 2018, e selecionados 14 estudos que associavam o microbioma vaginal com a infertilidade ou com resultados de técnicas de reprodução assistida. Resultados: Os achados evidenciaram uma maior prevalência de vaginose bacteriana e um aumento da diversidade microbiana na vagina de mulheres inférteis. Com relação ao sucesso das técnicas de reprodução assistida, a maioria dos estudos não evidenciou uma associação significante entre a vaginose bacteriana e a redução nas taxas de gravidez. Conclusão: São necessários novos estudos para melhor compreender a influência do equilíbrio das espécies de microrganismos vaginais na saúde reprodutiva feminina, abordando a composição do microbioma em contextos além das técnicas de fertilização in vitro.
Descritores: Gardnerella vaginalis
Vaginose Bacteriana
Infertilidade
-Vagina
Fertilização In Vitro
Microbiota
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR2499


  5 / 147 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-118929
Autor: Soihet, Samoel.
Título: Candidiasis vaginal: diagnóstico y tratamiento en la práctica ginecológica / Candidiasis, vaginal: diagnosis and treatment in the practice
Fonte: Ginecol. & obstet;35(7):42-4, mar. 1989.
Idioma: es.
Resumo: El tratamiento efectivo de las Candidiasis vaginal se ha convertido en un problema social y terapéutico, porque es una enfermedad muy molesta aunque no compromete la vida, compromete la felicidad de la vida conyugal. El uso de los conazoles en cualquiera de sus formas en el presente, es una solución. Pero el problema de las recurrencias frustran severamente los resultados, por lo que es necesario controlar, tratar los factores predisponentes para el fracaso o la recurrencia. Se debe tener en cuenta que el factor sexual en la que está envuelta la pareja, deberá ser considerado en la terapéutica paralela, así como todos los cuidados para evitar la infectación. Con el avance de la farmacología anti fungicida, deberemos considerar que mientras no consiga la forma de crear defensa en la vagina contra la Candida, ésta seguirá invadiéndola. Por lo tanto, es buena técnica de utilizar de manera profiláctica tratamiento local, de preferencia, o en el futuro, la dosis única oral para prevenir reinfecciones
Descritores: Vulvovaginite/terapia
Candidíase Vulvovaginal/diagnóstico
-Trichomonas vaginalis/isolamento & purificação
Trichomonas vaginalis/análise
Trichomonas vaginalis/microbiologia
Trichomonas vaginalis/patogenicidade
Vulvovaginite/etiologia
Vulvovaginite/prevenção & controle
Candidíase Vulvovaginal/patologia
Candidíase Vulvovaginal/terapia
Gardnerella vaginalis/isolamento & purificação
Gardnerella vaginalis/análise
Gardnerella vaginalis/patogenicidade
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: PE1.1 - Oficina Universitária de Biblioteca


  6 / 147 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-289868
Autor: Sousa, Eulina Pires de; Ribeiro, Maria Luiza Miranda Magalhäes.
Título: Doenças sexualmente transmissíveis / Sexually trransmitted diseases
Fonte: In: Souza, Marcia de. Assistência de enfermagem em infectologia. Säo Paulo, Atheneu, 2000. p.131-46, tab.
Idioma: pt.
Descritores: Enfermagem
Infectologia
Diagnóstico de Enfermagem
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Transmissíveis
-Proctite
Escabiose
Condiloma Acuminado
Gonorreia
Herpes Genital
Tracoma
Gardnerella vaginalis
Infecções por Citomegalovirus
Granuloma Inguinal
Molusco Contagioso
Candidíase
Infestações por Piolhos
Linfogranuloma Venéreo
Sífilis
Sífilis Congênita
Tricomoníase
Limites: Humanos
Responsável: BR31.1 - SIDC - Serviço de Informação e Documentação Científica
BR31.1; WY153, So89a, 2000


  7 / 147 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Barros, Sônia Maria Oliveira de
Id: lil-427131
Autor: Barros, Sonia Maria Oliveira de.
Título: Vulvovaginites na gestação: prevalência, atualização e assistência de enfermagem obstétrica / Vulvovaginitis during pregnancy: prevalence, updating and obstetric nursing assistance
Fonte: Acta paul. enferm;8(4):38-46, maio-dez. 1995. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Este trabalho é um estudo transversal retrospectivo no qual foram analisados 400 prontuários ativos de gestantes atendidas por enfermeira obstetra no Serviço Pré-Natal do Amparo Maternal, São Paulo, Brasil. Os objetivos foram: conhecer os agentes etiológicos mais frequentemente encontrados pelo método Papanicolau, fazer a revisão bibliográfica sobre o tema e contribuir para a assistência de enfermagem neste serviço. A análise citológica revelou a presença de microorganismos em 54,3 por cento da população total sob estudo, e Cândida albicans (32,7 por cento), Gardnerella vaginalis (29,9 por cento) e Trichomonas vaginalis (25,8 por cento) mostraram ser os agentes mais comumente observados no trato genital feminino. Foram significantes os seguintes achados: início da atividade sexual no período da adolescência e início tardio da assistência pré-natal. O método Papanicolau mostrou-se simples e eficaz no diagnóstico das vulvovaginites neste serviço.
Descritores: Complicações na Gravidez
Cuidado Pré-Natal
Enfermagem Obstétrica
Vulvovaginite
-Candida albicans
Esfregaço Vaginal
Gardnerella vaginalis
Trichomonas vaginalis
Limites: Gravidez
Feminino
Humanos
Responsável: BR21.1 - Biblioteca J Baeta Vianna- Campus Saúde UFMG


  8 / 147 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1046455
Autor: Silva, José Irnaldo da; Rodrigues, Evelyn Gabryelle dos Anjos; Barros, Jackson Matheus Rodrigues; Silva, Ruan Carlos Gomes da; Peres, Adrya Lúcia.
Título: Fatores de risco associados ao desenvolvimento de alterações cervicouterinas em mulheres que realizam exame citopatológico / Risk factors associated to the development of changes in the cervix of uterus in women undergoing a cytopathological examination
Fonte: Arch. Health Sci. (Online);25(2):38-41, 20/07/2018.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: O câncer de colo do útero ainda é um sério problema de saúde pública em nosso país. Aparece em terceiro lugar entre os tipos de câncer mais comum entre as mulheres. Vários são os fatores envolvidos na etiologia desse câncer e suas lesões precursoras. Objetivo: Verificar os principais cofatores associados às alterações cervicouterinas. Casuística e Métodos: Trata-se de um estudo analítico e documental, realizado em um laboratório do município de Surubim-PE, incluindo resultados de exames citopatológicos do período de janeiro de 2014 a dezembro de 2015. Os dados foram avaliados pelo programa PRISM versão 7.0, por meio do teste Qui-quadrado, com intervalo de confiança 95% e razão de prevalência (RP). Resultados: Foram incluídos 1.200 resultados de exames de mulheres na faixa etária entre 14 e 78 anos. Quarenta e três por cento das mulheres pertenciam à faixa etária entre 31 e 47 anos e 86,6% haviam realizado seu último exame citopatológico a menos de três anos. A faixa etária entre 14 e 30 anos esteve associada a um maior risco para o desenvolvimento das anormalidades cervicais (p< 0,001 e OR 2,9). Mulheres que realizaram o exame citopatológico a menos de três anos apresentaram uma maior associação com a presença de lesões intraepiteliais escamosas de baixo grau (LSIL) e atipias escamosas (p < 0,0001 e OR 11,3). A lesão intraepitelial escamosa de baixo grau foi a anormalidade cervical de maior frequência, correspondendo a 46,3%. Mulheres com presença de Gardnerella vaginalis e/ou Mobiluncus spp. apresentaram associação com a presença de anormalidades cervicais (p< 0,0001). Conclusão: Mulheres abaixo de 30 anos, que realizaram exame citopatológico a menos de três anos ou apresentam Gardnerella vaginalis e/ou Mobiluncus spp.devem ser acompanhadas quanto aos possíveis riscos associados ao desenvolvimentode alterações cervicouterinas.

Introduction: Cervical cancer is still a serious public health problem in our country. It appears third among the most common types of cancer among women. Several are the factors involved in the etiology of this cancer and its precursor lesions. Objective: Verify the main cofactors associated with the changes in the cervix of the uterus. Patients and Methods:This is an analytical and documentary study, carried out in a laboratory in the municipality of Surubim-PE, including results of cytopathological exams from January 2014 to December 2015. Data were evaluated using the software PRISM version 7.0, by the Chi-square test, with 95% confidence interval and prevalence ratio (PR). Results: We included 1,200 tests results of women in the age between 14 and 78 years. Forty-three percent of the women were in the age group from 31 to 47 years and 86.6% had performed their last cytopathological examination less than three years. The age group ranging from 14 to 30 years was associated with a higher risk for the development of cervical abnormalities (p< 0.001 and OR 2.9). Women who underwent cytopathological examination less than three years presented a greater association with the presence of low squamous intraepithelial lesions (LSIL) and squamous atypia (p< 0.0001 and OR 11.3). The low-grade squamous intraepithelial lesion was the most frequent cervical abnormality, corresponding to 46.3%. Conclusion: Women under 30 years, who performed cytopathological examination at less than three years or present Gardnerella vaginalis and / or Mobiluncus spp. should be accompanied for the possible risks associated with the development of the changes in the cervix of uterus.
Descritores: Papillomaviridae
Patologia/estatística & dados numéricos
Neoplasias do Colo do Útero/epidemiologia
Gardnerella vaginalis/patogenicidade
Lesões Intraepiteliais Escamosas Cervicais/epidemiologia
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR13.3 - Biblioteca das Faculdades de Odontologia e Nutrição


  9 / 147 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1017953
Autor: Medina, Dorita; Laspina, Florentina; Norma, Fariña; Alborno, Rose Marie; Amarilla, María Anguela.
Título: Prevalencia de Streptococcus B hemolíticos en pacientes de alto riesgo para enfermedades de transmisión sexual / Prevalence of B-hemolytic Streptococcus in high risk patients for sexually transmited disease.
Fonte: Asunción; EFACIM; 1994. 61-65 p.
Idioma: es.
Resumo: Two hundred and fourteen prostitutes from Asunción were examined in order to determine the prevalence of cervical infection by Streptococcus B-hemolytic. The range of age was 18 to 28 years, and 21 percent of them showed Streptococcus infection, and only 30 percent of the isolate resulted sensible to penicillin. In 10 percent of the patients any microorganism could be isolate. Other microorganisms isolate were: Gardnere vaginalis: 11 percent, trichomonas vaginalis: 1 percent, Neisseria gonorrheae: 4 percent, Candida spp.: 2 percent, Corynebacterium spp.: 18 percent, Staphylococcus aureus: 1 percent and Escherichia coli: 4 percent. In 80 percent of the samples the absence of lactobacillus was n noticed. Most of the patiens (80 percent) do nout use contraceptives
Descritores: Candida
Corynebacterium
Escherichia coli
Gardnerella vaginalis
Neisseria gonorrhoeae
Staphylococcus aureus
Streptococcus
Trichomonas vaginalis
Responsável: PY2.1 - Centro de Documentación
PY3.1 SR 616.9363 An78a 1992


  10 / 147 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-601297
Autor: Castellano Filho, Didier Silveira; Diniz, Cláudio Galuppo; Silva, Vânia Lúcia da.
Título: Bacterial vaginosis: clinical, epidemiologic and microbiological features / Bacterial vaginosis: clinical, epidemiologic and microbiological features
Fonte: HU rev;36(3), jul.-set. 2010.
Idioma: pt.
Resumo: Bacterial Vaginosis (BV) is a polymicrobial clinical syndrome, whose etiology has not been fully understood. It occurs in approximately 30% of the women in childbearing age and is the result of the shift of protective resident microorganisms as Lactobacillus spp. by opportunistic pathogenic bacteria such as Gardnerella vaginalis. Patients with BV generally present copious, thin, homogeneous, milky, foul-smelling flow. Vaginal pH is > 4.5 and microscopy reveals bacteria-covered epithelial cells, termed “clue cells”. Around 50% of the patients are asymptomatic and the disease is associated with gynecologic complications, such as cervicitis, salpingitis, endometritis, post-operative infections and pelvic inflammatory disease; and obstetric complications, such as premature rupture of the membranes, preterm deliveries, chorioamniotitis and postpartum endometritis. Although the Nugent´s method is accepted as the “gold standard” for diagnosing BV, Amsel criteria are generally used for diagnosis in clinical practice. The Papanicolaou method is a valid diagnostic option, chiefly when it yields a positive result (mean specificity 95% when compared to gold standard). G. vaginalis has been almost universally recovered from women with BV, plays an important role in the pathogenesis of the disease, besides it may be detected in about 50% of healthy women. According to the literature, first-line drugs for BV treatment worldwide are metronidazole and clindamycin. However, regional studies on G. vaginalis drug susceptibility patterns are needed faced the so fast growing antimicrobial resistance phenomenon.
Descritores: Vaginose Bacteriana
-Gardnerella vaginalis
Vaginose Bacteriana/microbiologia
Lactobacillus
Metronidazol
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central



página 1 de 15 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde