Base de dados : LILACS
Pesquisa : B04.265.270 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 48 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 5 ir para página              

  1 / 48 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-723314
Autor: Braga, Wornei Silva Miranda.
Título: Infecção pelos vírus das hepatites B e D entre grupos indígenas da Amazônia Brasileira: aspectos epidemiológicos / Hepatitis B and D virus infection within amerindians ethnic groups in the Brazilian Amazon: epidemiological aspects
Fonte: Rev. Soc. Bras. Med. Trop;37(supl.2):9-13, 2004. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Entre populações autóctones da América, estudos relatam altos índices de infecção e doença pelos vírus das hepatites B e D. Esta é uma revisão do que já foi descrito entre indígenas da Amazônia brasileira. Em alguns grupos a prevalência do AgHBs é muito baixa, enquanto que outros da mesma região, apresentam padrão de elevada endemicidade, presente inclusive entre menores de 10 anos. O VHD só foi encontrado entre etnias no estado do Amazonas. É descrito a importância da transmissão horizontal familiar, e do contato sexual entre adultos jovens. Fatores socioculturais, genéticos, ecológicos, e a formação histórica desses povos, são apontados como determinantes deste padrão. Entretanto, a origem do VHB e VHD na Amazônia é ainda obscura. Populações indígenas com sua memória genética são, na verdade, o experimento ao vivo, o que demanda investigação abrangente, avaliando a influência dos aspectos históricos, ecológicos, médicos e antropológicos envolvidos, utilizando inclusive técnicas modernas de biologia molecular.

Several studies describe very high prevalence rates of infection and disease of hepatitis B and D within Native American population. This is a review of what has been described among Amerindians of Brazilian Amazon. Some groups show low prevalence rates of HBsAg, whereas, others of the same region reveal high endemic pattern, even among individuals less then 10 years of age. HDV is only found in groups of Amazonas province. Transmission may occur by interfamilial dissemination or sexual contact among young adults. Socio-cultural, genetic, and ecological factors are described as determinants of this unique pattern. Nevertheless, the origin of these two viruses is yet to be disclosed. Amerindians population and their genetic memory are a live experiment, which demands a broad investigation, weighting with modern tools, as molecular biology, the influence of historical, genetic, medical and anthropological factors.
Descritores: Hepatite B/epidemiologia
Hepatite D/epidemiologia
Índios Sul-Americanos
-Biomarcadores/sangue
Brasil/epidemiologia
Anticorpos Anti-Hepatite/sangue
Anticorpos Anti-Hepatite B/sangue
Antígenos de Superfície da Hepatite B/sangue
Vírus da Hepatite B/imunologia
Hepatite B/transmissão
Hepatite D/transmissão
Vírus Delta da Hepatite/imunologia
Prevalência
Limites: Adolescente
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Criança
Pré-Escolar
Seres Humanos
Lactente
Recém-Nascido
Meia-Idade
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 48 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-695563
Autor: Marques, Vanessa Alves.
Título: Prevalência de anticorpos anti-vírus da hepatite D (HDV) em pacientes com hepatite B no Rio de Janeiro e caracterização molecular do genoma completo do HDV / Prevalence of antibodies to hepatitis D virus (HDV) in patients with hepatitis B in Rio de Janeiro and molecular characterization of the complete genome of HDV.
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2013. xvi,92 p. ilus, mapas, graf, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Instituto Oswaldo Cruz para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: O vírus da hepatite D (Hepatitis D Virus ou HDV) é um vírus defectivo que necessita da presença do vírus da hepatite B (HBV) para completar seu ciclo infeccioso. A infecção pelo HDV está associada a uma forma mais grave de hepatite e com aumento do risco de progressão para complicações, tais como, cirrose e carcinoma hepatocelular. No Brasil, a Bacia Amazônica é uma área endêmica para a infecção pelo HDV, no entanto, poucos dados foram avaliados em outras regiões do país. Este estudo avaliou a prevalência de HDV em pacientes com infecção aguda ou crônica pelo HBV, acompanhados no Ambulatório Hepatites Virais, Rio de Janeiro, Brasil, entre 2006 e 2011. Um total de 368 amostras de soro de pacientes positivos para o antígeno de superfície do vírus da hepatite B (HBsAg) foi testado para a presença de anticorpos anti-HD utilizando o ensaio comercial ETI-AB-DELTAK-2, de acordo com as instruções do fabricante. Amostras com resultados reagentes ou indeterminados foram retestadas em duplicata, para confirmação ou não do resultado. Amostras anti-HD positivos foram testadas por PCR para amplificar um fragmento da região genômica do antígeno delta (HDAg). As amostras positivas para HDV RNA foram submetidas ao sequenciamento de nucleotídico, a fim de identificar o genótipo do HDV. As sequências obtidas foram alinhadas utilizando o programa Clustal X e a análise filogenética foi realizada usando o programa MEGA v.5. A carga viral do HBV foi quantificada por meio do ensaio comercial COBAS ® TaqMan ® HBV e o genótipo do HBV foi determinado pelo ensaio INNO-LIPA. Nossa população de estudo consistiu de 243 homens e 125 mulheres, com média de idade de 43 anos (1-82 anos), sendo 138 e 230 pacientes com infecção aguda e crônica pelo HBV, respectivamente. Cinco pacientes foram positivos para anticorpos anti-HD (infecção aguda pelo HBV, n = 1; infecção crônica pelo HBV, n = 4) e um dos pacientes com infecção crônica pelo HBV apresentou amostras com HDV RNA detectável. A análise filogenética mostrou que a sequência do HDV se agrupou com o genótipo 3. Dos quatro pacientes que tiveram HBV DNA detectado, três apresentaram baixos níveis de HBV DNA. Em relação ao genótipo de HBV, o genótipo A foi mais prevalente (n = 4). A fim de caracterizar a variabilidade genética de todo o genoma de HDV, o genoma completo foi sequenciado e as sequências de aminoácidos deduzidas foram inferidas utilizando o programa MEGA v.5. O genoma da amostra identificado no presente estudo é constituído por 1673 nucleotídeos e mostrou apenas 88,7% de similaridade com as sequências de genótipo 3 caracterizadas até o momento. A região LHDAg (large HDAg) da amostra brasileira contém múltiplas substituições de aminoácidos, que são conservadas em todas as sequências completas de genótipo 3, cujo significado ainda não foi estabelecido. Este trabalho constitui o primeiro estudo sobre a caracterização da variabilidade genética do genoma completo do HDV no Brasil. Em conclusão, apesar da soroprevalência de HDV ser considerada baixa em nossa coorte, este resultado destacou a importância da investigação infecção pelo HDV em áreas não endêmicas.
Descritores: Genoma
Hepatite D
Vírus Delta da Hepatite
Responsável: BR15.1 - Biblioteca de Ciências Biomédicas
BR15.1


  3 / 48 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Castilho, Marcia da Costa
Texto completo
Id: lil-661068
Autor: Braga, Wornei Silva Miranda; Castilho, Márcia da Costa; Borges, Fabiane Giovanella; Leão, Jorge Roberto Di Tommaso; Martinho, Ana Cristina de Souza; Rodrigues, Ivo Seixas; Azevedo, Eliete Pereira de; Barros Júnior, Gildo Maia de; Paraná, Raymundo.
Título: Hepatitis D virus infection in the Western Brazilian Amazon - far from a vanishing disease / Infecção pelo vírus da hepatite D na Amazônia brasileira - longe de uma doença em declínio
Fonte: Rev. Soc. Bras. Med. Trop;45(6):691-695, Nov.-Dec. 2012. mapas, tab.
Idioma: en.
Resumo: INTRODUCTION: A decline in hepatitis D virus (HDV) occurrence was described in Europe and Asia. We estimated HDV prevalence in the Brazilian Amazon following hepatitis B vaccination. METHODS: This is a cross-sectional survey of HDV measured by total antibodies to HDV (anti-HD T). RESULTS: HDV prevalence was 41.9% whiting HBsAg carries and was associated with age (PR = 1.96; 95% CI 1.12-3.42; p = 0.01), hepatitis B virus (HBV) infection (PR = 4.38; 95% CI 3.12-6.13; p < 0.001), and clinical hepatitis (PR =1.44; 95% CI 1.03-2.00; p = 0.03). Risk factors were related to HDV biology, clinical or demographic aspects such as underlying HBV infection, clinical hepatitis and age. CONCLUSIONS: Our study demonstrated that HDV infection continues to be an important health issue in the Brazilian Amazon and that the implementation of the HBV vaccination in rural Lábrea had little or no impact on the spread of HDV. This shows that HDV has not yet disappeared from HBV hyperendemic areas and reminding that it is far from being a vanishing disease in the Amazon basin.

INTRODUÇÃO: É descrito declínio na ocorrência do vírus da hepatite D (VHD) na Europa e Ásia. Estimamos a prevalência de infecção pelo VHD na Amazônia Ocidental, após a introdução da vacinação contra hepatite B. MÉTODOS: Este é um estudo de corte transversal da prevalência do VHD medido pela ocorrência de anticorpos totais (anti-HD T). RESULTADOS: A prevalência do VHD encontrada foi 41,9% entre os portadores do HBsAg, e esteve associado à idade (RP = 1,96; IC 95% 1,12-3,42; p = 0,01), infecção pelo HBV (RP = 4,38; IC 95% 3,12-6,13; p < 0,001) e história clínica de hepatite (RP =1,44; IC 95% 1,03-2,00; p = 0,03). Fatores de risco mostraram-se associados à biologia do HDV, aspectos clínicos e demográficos como infecção prévia pelo VHB e idade. CONCLUSÕES: O estudo demonstra que a infecção pelo VHD continua sendo um importante problema de saúde pública na região, e que a implantação da vacinação contra o VHB na área rural de Lábrea teve um impacto pouco significativo no controle do VHD, percebe-se que este ainda não desapareceu de áreas hiperendêmicas do VHB, e está longe de poder ser classificado como uma doença em declínio na bacia Amazônica.
Descritores: Anticorpos Anti-Hepatite/sangue
Hepatite D/epidemiologia
Vírus Delta da Hepatite/imunologia
Imunoglobulina G/sangue
-Brasil/epidemiologia
Vacinas contra Hepatite B/administração & dosagem
Hepatite B/epidemiologia
Hepatite B/prevenção & controle
Hepatite D/diagnóstico
Prevalência
Fatores de Risco
População Rural/estatística & dados numéricos
Limites: Adolescente
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Criança
Pré-Escolar
Feminino
Seres Humanos
Lactente
Masculino
Meia-Idade
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 48 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-620002
Autor: Alvarado-Mora, Monica Viviana.
Título: Estudos sobre infecções pelos vírus da hepatite B (HBV), hepatite C (HCV), hepatite delta (HDV) e vírus GB-C (GBV-C) em diferentes regiões da América do Sul / Studies on viral infections by hepatitis B virus (HBV), hepatitis C virus (HCV), hepatitis delta virus (HDV) and GB virus C (GBV-C) in different regions of South America.
Fonte: São Paulo; s.n; 2011. 162 p. ilus, mapas, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: As hepatites virais estão entre as mais importantes pandemias mundiais da atualidade. Existem várias causas de hepatite, entre elas, o vírus da hepatite B (HBV), o vírus da hepatite C (HCV) e o vírus da Hepatite Delta (HDV). Da mesma forma, o vírus GB-C (GBV-C) é importante na coinfecção com outros vírus, como o HIV. Nesse estudo, várias regiões da América do Sul foram analisadas. Na Colômbia, os estados do Amazonas e Magdalena foram encontradas como regiões hiperendêmicas para HBV. O genótipo F3 (75%) foi o mais prevalente. Determinou-se que o subgenótipo F3 é o mais antigo dos subgenótipos F. No estado de Chocó, encontrou-se o subgenótipo A1 (52,1%) como o mais prevalente. Surpreendentemente, nesse mesmo estado foram encontrados nove casos autóctones de infecção pelo genótipo E (39,1%). Para o HCV, em Bogotá, encontrou-se o subtipo 1b (82,8%) como o mais prevalente. Da mesma forma, estimou-se que esse subtipo foi introduzido por volta de 1950 e se propagou exponencialmente entre 1970 a 1990. O HDV foi identificado em casos de hepatite fulminante do estado de Amazonas, todos classificados como genótipo 3. Se determinou que o HDV/3 se espalhou exponencialmente a partir de 1950 a 1970 na América do Sul e depois desta época, esta infecção deixou de aumentar, provavelmente devido a introdução de vacinação contra o HBV. GBV-C foi procurado em doadores de sangue colombianos infectados com HCV e/ou HBV de Bogotá e em povos indígenas com infecção pelo HBV no Amazonas. A análise filogenética revelou a presença do genótipo 2a como o mais prevalente entre os doadores de sangue e o 3 nos povos indígenas estudados. A presença do genótipo 3 na população indígena foi previamente relatada na região de Santa Marta, na Colômbia e nos povos indígenas da Venezuela e da Bolívia. No Chile, foi realizado um estudo com 21 pacientes cronicamente infectados pelo HBV sem tratamento antiviral prévio...

Viral hepatitis are among the major pandemics in the world nowadays. There are many causes of hepatitis, including hepatitis B virus (HBV), hepatitis C virus (HCV) and hepatitis delta virus (HDV). Similarly, GB virus C (GBV-C) is a relevant agent in co-infection with HIV. In this study, several regions of South America were studied. In Colombia, the states of Amazonas and Magdalena were identified as highly endemic areas for HBV. Genotype F3 (75%) was the most prevalent. It was determined that subgenotype F3 is the oldest among all F subgenotypes. In the state of Chocó, subgenotype A1 (52.1%) was the most prevalent. Surprisingly, nine indigenous cases of infection by genotype E (39.1%) were found in this state. For HCV, in Bogotá, subtype 1b (82.8%) was the most frequent. Likewise, it was estimated that this subtype was introduced around 1950 and spread exponentially from 1970 to 1990. HDV has been identified in cases of fulminant hepatitis in the state of Amazonas, all of them classified as genotype 3. It was determined that the HDV/3 spread exponentially from 1950 to 1970 in South America and after this time, this infection stopped to increase, probably due to introduction of vaccination against HBV. GBV-C was sought in Colombian blood donors infected with HCV and/or HBV in Bogotá and indigenous peoples with HBV infection in the Amazon. The phylogenetic analysis revealed the presence of genotype 3 as the most prevalent among blood donors and in three studied indigenous people. The presence of genotype 3 in the indigenous population has been previously reported in the region of Santa Marta, Colombia, and in the indigenous peoples of Venezuela and Bolivia. In Chile, a study was carried out with 21 patients chronically infected with HBV without any prior antiviral treatment...
Descritores: Doadores de Sangue
Epidemiologia
Vírus GB C
Vírus Delta da Hepatite
Hepatite B/virologia
Hepatite C/virologia
Grupos Populacionais
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação
BR66.1; W4.DB8, A469es, FM-2, 2011


  5 / 48 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-601739
Autor: Delfino, C. M; Blejar, J. L; Eirin, M. E; Castillo, A. I; Gentile, E. A; Berini, C. A; Salamone, H. J; Mathet, V. L; Biglione, M. M.
Título: HBV-HDV en donantes de sangre: prevalencia y análisis molecular / Hepatitis B virus and Hepatitis D virus in blood donors: prevalence and molecular analysis in an Argentinean population
Fonte: Prensa méd. argent;97(2):111-115, abr. 2010.
Idioma: es.
Resumo: The aim of this report was to determine retrospectively the prevalence of hepatitis viruses infection by both HBV and HDV, and to identify the genotype in a population of blood donors. From 42,055 sample of donors, the authors study the hepatitis B virus and hepatitis D virus prevalence and molecular analysis in an Argentinean population. The results obtained are detailed in the article.
Descritores: Análise Química do Sangue
Doadores de Sangue
Genótipo
Vírus da Hepatite B
Vírus Delta da Hepatite
Estudos Soroepidemiológicos
Testes Sorológicos
Análise Virológica
Limites: Seres Humanos
Responsável: AR392.1 - Biblioteca


  6 / 48 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-599275
Autor: Jaramillo Aristizábal, María Clara; García Rendón, María Valentina; Restrepo Gutiérrez, Juan Carlos.
Título: Serología en hepatitis virales / Serology in viral hepatitis
Fonte: Iatreia;24(1):76-86, mar. 2011. tab.
Idioma: es.
Resumo: Las infecciones por los virus de las hepatitis A (VHA), B (VHB), C (VHC), D (VHD) y E (VHE) producen cuadros clínicos y bioquímicos similares, por lo que es necesario recurrir a pruebas de laboratorio diferentes a las de función hepática para identificar con certeza los agentes etiológicos; entre ellas se encuentran: las serológicas, con la que se pueden detectar antígenos virales y los correspondientes anticuerpos, y las moleculares que permiten detectar el genoma viral. Para diagnosticar la existencia de una infección actual por cualquiera de estos virus basta con las pruebas serológicas, excepto en el caso de la infección por VHC para la que es necesario detectar el genoma viral. Las pruebas moleculares son de gran utilidad para el seguimiento y la toma de decisiones terapéuticas en los pacientes con infección crónica por VHB o VHC. El presente artículo es una revisión de las pruebas de laboratorio disponibles para el diagnóstico de cada una de las hepatitis virales.

Infections due to hepatitis viruses A (HAV), B (HBV), C (HCV), D (HDV), and E (HEV) result in similar clinical and biochemical manifestations. Consequently, in order to identify with certainty the etiologic agents of hepatitis, it is necessary to carry out laboratory tests different from those used to assess liver function. Two kinds of tests are available for that purpose, namely: serological and molecular. The former are useful to detect viral antigens and the corresponding antibodies. The latter allow the detection of viral genomes. In order to diagnose current infections with any such viruses, except HCV, serological tests are sufficient. For HCV it is necessary to detect the viral genome. Molecular tests are very useful for follow-up purposes, and to fundament therapeutic decisions in patients with either HBC or HCV chronic infections. This article presents a review of the tests available to diagnose the different agents of viral hepatitis.
Descritores: Hepatite
Hepatite A
Hepatite B
Hepatite C
Hepatite D
Hepatite E
Infecção/transmissão
Sorologia
Carga Viral
Vírus
-Vírus Delta da Hepatite
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CO56.1 - Biblioteca


  7 / 48 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-502564
Autor: Anon.
Título: Guías del laboratorio para screening, diagnóstico y monitoreo de la injuria hepática / Guides laboratory for screening, diagnosis and monitoring of liver injury
Fonte: Acta bioquím. clín. latinoam;39(4):477-483, dic. 2005. graf, tab.
Idioma: es.
Descritores: Hepatovirus/isolamento & purificação
Testes de Função Hepática
Vírus da Hepatite B/isolamento & purificação
Vírus Delta da Hepatite/isolamento & purificação
Vírus da Hepatite E/isolamento & purificação
-Hepatite B/diagnóstico
Hepatite C/diagnóstico
Hepatite D/diagnóstico
Biomarcadores
Testes de Função Hepática/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia
Responsável: AR144.1 - CIBCHACO - Centro de Información Biomedica del Chaco


  8 / 48 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-493546
Autor: Gayotto, Luiz Carlos da Costa.
Título: Lesões hepáticas devidas as vírus das hepatites B, delta e não A, não B: comparação de variáveis histopatológicas e sua relação com marcadores virais séricos e teciduais / Hepatic lesions due to the viruses of hepatitis B (HBV), hepatitis delta (HDV) and non-A, non-B (nAnB): through the comparison of several histopathological variables and their relationship with viral markers in serum and in liver tissue.
Fonte: São Paulo; s.n; 1985. 400 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina para obtenção do grau de Professor Livre Docente.
Resumo: O objetivo do presente trabalho foi estudar lesões hepáticas devidas aos vírus das hepatites B, deita e nAnB através da comparação de variáveis histopatológi cas, e sua relação com marcadores virais séricos e teciduais. O material foi constituido por 240 b hepáticas, das quais 150 provenientes de pacientes com hepatites crônicas causadas pelo vírus B (HVB) e O de hepatites não A, não B (HnAnB) . Este último gru sra composto por 25 casos da forma pôs-transfusional e 65 casos classificados como esporádicos. Entre as HYB 17 pertenciam a sub.-grupos etiológicos, nos quais associação com esquistossomose, alcoolismo e imunossupressão. Entretanto, em 104 casos (69,3 por cento) não havia qualquer outra especificação diagnóstica, sendo incuidos além destes, 29 portadores assintomáticos do VHB (19,3 por cento). Os diagnósticos clínicopatológicos foram: fígados normais (FN) em 2,9 por cento, hepatite aguda prolongada crônica lobular (HAP) em 12,5 por cento, hepatite crônica persistente (HCP) em 19,6 por cento, hepatite crônica ativa (HCA) em 26,7 por cento, hepatite crônica ativa com transformação nodular ou em cirrotização (HCAN) em 14,5 por cento e cirrose hepática (CIR) em 23,8 por cento dos casos. Esta caracterização se fez a partir de um protocolo clínicopatológico, no qual constavam outros dados importantes como marcadores sorolôgicos.
Descritores: Hepatite B
Vírus da Hepatite B
Vírus Delta da Hepatite
Hepatite Crônica
Fígado
Responsável: BR344.1 - Biblioteca de Ciências Biomédicas Eurydice Pires de SantAnna
BR344.1; 616.36-002, G288l


  9 / 48 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Soares, Manoel do Carmo Pereira
Texto completo
Id: lil-465154
Autor: Nunes, Heloisa Marceliano; Monteiro, Maria Rita de Cassia Costa; Soares, Manoel do Carmo Pereira.
Título: Prevalência dos marcadores sorológicos dos vírus das hepatites B e D na área indígena Apyterewa, do grupo Parakanã, Pará, Brasil / Prevalence of hepatitis B and D serological markers in the Parakanã, Apyterewa Indian Reservation, Pará State, Brazil
Fonte: Cad. saúde pública = Rep. public health;23(11):2756-2764, nov. 2007. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Com o objetivo de estudar a prevalência dos vírus das hepatites B (HBV) e D (HDV), nas aldeias Apyterewa e Xingu, do grupo Parakanã, e avaliar o impacto da vacinação contra a hepatite B, iniciada nessas aldeias em 1995, foram coletadas, em 2004, 258 amostras de soro para análise dos marcadores sorológicos das hepatites B e D, por técnicas imunoenzimáticas; cujos resultados revelaram padrão de endemicidade moderada com prevalência total de infecção pelo HBV de 55,7 por cento, com 5,4 por cento de portadores do vírus, na aldeia Apyterewa, e de 49,5 por cento, com 1,1 por cento de portadores, na Xingu; 31,4 por cento de anti-HBs+ como marcador isolado nas duas aldeias, e não foi detectada sorologia positiva para o HDV entre portadores do HBV. Caracterizamos, em base laboratorial, a presença de portadores crônicos do HBV, ausência de portadores do HDV e emergência de perfil vacinal entre os susceptíveis, confirmando a efetividade e a necessidade de manter a vacinação, principalmente no primeiro ano de vida, e, ainda, a necessidade de desenvolver vigilância epidemiológica efetiva para detecção precoce da infecção pelo HDV, entre os portadores do HBV.

In order to study the prevalence of hepatitis B (HBV) and D (HDV) viruses in the Parakanã Indians and to evaluate the impact of hepatitis B vaccination beginning there in 1995, 258 serum samples were analyzed in the year 2004 for hepatitis B and D serological markers using immunoenzymatic techniques; the results showed a moderate endemic pattern, with a total prevalence of HBV infection of 55.7 percent and 5.4 percent of virus carriers in the Apyterewa village and 49.5 percent with 1.1 percent of HBV carriers in the Xingu village; 31.4 percent of anti-HBs+ as an isolated marker in both villages and no detection of positive serological tests for HDV among HBV carriers. The laboratory analysis thus showed the presence of chronic HBV carriers, absence of HDV carriers, and an emerging vaccine profile among susceptibles, confirming the effectiveness and need to maintain vaccination, especially in the first year of life, and the need to implement effective epidemiological surveillance for early detection of HDV infection among HBV carriers.
Descritores: Anticorpos Anti-Hepatite B/sangue
Antígenos de Superfície da Hepatite B/sangue
Vírus da Hepatite B
Hepatite B/diagnóstico
Índios Sul-Americanos
Saúde de Populações Indígenas
Vírus Delta da Hepatite/imunologia
-Fatores Etários
Brasil/epidemiologia
Estudos Epidemiológicos
Biomarcadores
Prevalência
Vacinas contra Hepatite B/uso terapêutico
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adulto
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  10 / 48 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Id: lil-441851
Autor: Muzzillo, Dominique A.
Título: Marcadores Sorológicos para Hepatites Virais e seus significados clínicos / Serologic markers for clinical Viral hepatitis and its meanings.
Fonte: São Paulo; Schering-Plough; s.d. [20] p. tab.
Idioma: pt.
Descritores: Vírus GB C
Hepacivirus
Hepatite A
Vírus da Hepatite A
Vírus da Hepatite B
Vírus Delta da Hepatite
Vírus da Hepatite E
Testes Sorológicos
Vírus de Hepatite
Responsável: BR1310.1 - Núcleo de Biblioteca
BR1310.1; F0591



página 1 de 5 ir para página              
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde