Base de dados : LILACS
Pesquisa : B04.820.650.589.530.400 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 26 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 3 ir para página          

  1 / 26 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-502528
Autor: Tenório, Ligia Zacchi; Silva, Flávia Helena da; Han, Sang Won.
Título: A potencialidade dos lentivetores na terapia gênica / The potentiality of lentivectors in gene therapy
Fonte: Rev. Soc. Bras. Clín. Méd;6(6):260-267, nov.-dez. 2008. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Os lentivírus, bem como os oncovírus e os spumavírus, pertencem à família Retroviridae. Essa família possui genoma composto por duas fitas simples de RNA e enzima transcriptase reversa. Os vírus de imunodeficiência humana (HIV), felina (FIV) e simiana (SIV) são os representantes mais bem conhecidos dos lentivírus, devido aos seus efeitos patológicos. O genoma dos lentivírus apresenta uma organização mais complexa do que dos oncovírus e muitos dos seus processos moleculares já estão descritos OU já são conhecidos. Além disso, são capazes de infectar inclusive células quiescentes, características essa que se opõe ao tropismo dos oncovírus. Essas propriedades levaram ao desenvolvimento de vetores lentivirais para terapia gênica e a perspectiva do emprego terapêutico dos mesmos na clínica – por exemplo, para síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA). Uma série de modificações de engenharia genética no lentivetor baseado em HIV levou ao desenvolvimento do primeiro protocolo clínico de terapia gênica lentiviral contra a SIDA, nos EUA. Atualmente, existem vários protocolos clínicos com lentivetores em andamento, seguindo a tendência de empregá-los também em outras doenças.(AU)

Lentivirus, oncovirus and spumavirus belong to the Retroviridae family. The genome of this family is composed of two single strands of RNA and reverse transcriptase enzyme. The human, feline and simian immunodeficiency virus (HIV, FIV, SIV) are well known lentivirus in our society due to their pathological effects. The Lentiviral genome is more complex than the oncovira and much of its molecular mechanisms are already known. In addition, they are able to infect also quiescent cells, in opposition to oncovirus tropism. These properties lead to the development of gene therapy lentiviral vectors and to their possible therapeutic use at clinical level – acquired immunodeficiency syndrome (AIDS), for example. After intense genetic engineering, a HIV based lentivector was first used in a clinical trial in a gene therapy protocol for AIDS, in USA. Currently, there are several clinical trials in progress using lenviral vectors, following the tendency of evaluating their potential to treat many other diseases.(AU)
Descritores: Terapia Genética
Lentivirus/patogenicidade
-Retroviridae/patogenicidade
HIV/patogenicidade
Spumavirus/patogenicidade
Vírus da Imunodeficiência Felina/patogenicidade
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Tanuri, A
Texto completo
Id: biblio-1011258
Autor: Medeiros, S. O; Silva, B. J. A; Carneiro, A. L; Ferreira Júnior, O. C; Tanuri, A.
Título: Avaliação de dois testes sorológicos comerciais para diagnóstico das infecções pelo FIV e pelo FeLV / Evaluation of two point-of-care tests to diagnosis of FIV and FeLV infections
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);71(2):447-454, mar.-abr. 2019. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: FIV e FeLV são retrovírus associados principalmente com neoplasias. Dois testes rápidos são disponibilizados no Brasil para o diagnóstico dessas infecções: um kit de imunocromatografia de fluxo bidirecional (SNAP® Combo IDEXX) e um kit de imunocromatografia de fluxo lateral unidirecional (ALERE/BIONOTE Anigen Rapid). O objetivo deste estudo foi comparar o teste SNAP® com o teste ALERE. Amostras de sangue de 178 gatos foram testadas utilizando-se ambos os kits. A reação em cadeia de polimerase em tempo real (qPCR) foi empregada como método confirmatório para todos os resultados. O teste SNAP® apresentou sensibilidade e especificidade de 100% para FIV; a sensibilidade e a especificidade do teste ALERE foram de 96,15% e 98,68%, respectivamente. A sensibilidade e a especificidade para o FeLV foram de 93,02% e 96,30% para o teste SNAP® e de 90,70% e 97,78% para o teste ALERE. Ainda em relação ao FeLV, três amostras com resultado positivo na qPCR obtiveram resultado falso-negativo em ambos os testes. Não houve diferença estatisticamente significante entre os métodos. Considerando a qPCR como padrão-ouro, o teste SNAP® apresentou maior sensibilidade e especificidade para o FIV, e o teste ALERE apresentou maior especificidade para o FeLV. Os resultados mostraram uma boa correlação entre os testes.(AU)

FIV and FeLV are Retrovirus associated mainly with feline neoplasms. Two point-of-care tests are commercially available in Brazil for diagnosis of these infections: a bidirectional flow immunochromatography kit (IDEXX SNAP ® Combo) and a lateral unidirectional flow immunochromatography kit (ALERE/BIONOTE Anigen Rapid). The aim of this study was to compare SNAP ® and ALERE tests. Blood samples obtained from 178 cats were evaluated using both tests. Quantitative real-time polymerase chain reaction (qPCR) was used as confirmatory test for all samples. The sensitivity and specificity of SNAP ® test was 100% for FIV, and for ALERE test was 96.15% and 98.68%, respectively. The sensitivity and specificity for FeLV was 93.02% and 96.30% for SNAP ® test and 90.70% and 97.78% for ALERE test. Three samples with a qPCR positive result for FeLV obtained a false negative result in both SNAP ® and ALERE tests. There was no statistically significant difference between the two methods. Considering qPCR as gold standard method, the SNAP® test showed higher sensitivity and specificity for FIV, and the ALERE test presented higher specificity for FeLV. The results showed good agreement among the tests.(AU)
Descritores: Infecções Tumorais por Vírus/diagnóstico
Infecções Tumorais por Vírus/veterinária
Testes Sorológicos/veterinária
Doenças do Gato/diagnóstico
Infecções por Lentivirus/diagnóstico
Leucemia Felina/diagnóstico
Infecções por Retroviridae/diagnóstico
Infecções por Retroviridae/veterinária
-Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária
Cromatografia de Afinidade/veterinária
Gammaretrovirus
Vírus da Imunodeficiência Felina
Limites: Animais
Gatos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  3 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-895389
Autor: Costa, Fernanda V. A. da; Valle, Stella de F; Machado, Gustavo; Corbellini, Luís G; Coelho, Elisa M; Rosa, Rafael B; González, Félix H. D.
Título: Hematological findings and factors associated with feline leukemia virus (FeLV) and feline immunodeficiency virus (FIV) positivity in cats from southern Brazil / Achados hematológicos e fatores associados a positividade pelo vírus da leucemia felina (felv) e vírus da imunodeficiência felina em gatos do sul do Brasil
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;37(12):1531-1536, dez. 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: Using a retrospective study, 493 cats tested for FeLV and FIV were selected for analysis of the association between hematologic findings and positivity at immunoassay test. Individual and hematologic variables were assessed considering the influence of results using univariate and multivariate logistic regression analysis. Out 153 of the 493 cats were positive for FeLV (31%), 50 were positive for FIV (10.1%) and 22 were positive for both FIV and FeLV (4.4%). Multivariate analysis detected significant associations between FeLV infection and age below 1 year (p=0.01), age from 1 to 10 years (p=0.03), and crossbreed (p=0.04). Male cats were more likely to be FIV-positive (p=0.002). Regarding hematological changes, FeLV-positive cats have higher odds to anemia, leukopenia and lymphopenia than FeLV-negative cats. FIV-positive cats are more likely to have anemia than negative. Identification of associated factors related to animal status and correlation of hematological disorders with infection by retroviruses in cats could be useful for detecting these retroviral diseases in cats.(AU)

Através de um estudo retrospectivo, 493 gatos testados para FeLV e FIV foram selecionados para análise da associação entre as alterações hematológicas e a positividade no teste imunoenzimático. Variáveis individuais e hematológicas foram consideradas para verificar a influência dos resultados utilizando análise de regressão logística univariada e multivariada. Um total de 153 de 493 gatos avaliados foram positivos para o FeLV (31%), 50 foram positivos para o FIV (10,1%) e 22 foram positivos para FIV e FeLV (4,4%). Análise multivariada detectou uma associação significativa entre a infecção pelo FeLV e a idade abaixo de 1 ano (P=0,01), idade entre 1 a 10 anos (P=0,03) e raça mista (P=0,04). Gatos machos foram mais predispostos a serem positivos para FIV (P=0,002). Com base nas alterações hematológicas, gatos positivos para o FeLV tem maior odds para apresentar anemia, leucopenia e linfopenia que os negativos. Gatos positivos para FIV possuem maiores chances de apresentarem anemia que os gatos negativos. A identificação dos fatores associados à infecção relacionados ao perfil do animal e a correlação com os distúrbios hematológicos com a infecção, pode ser útil para detecção das doenças retrovirais em gatos.(AU)
Descritores: Infecções por Lentivirus/epidemiologia
Vírus da Imunodeficiência Felina/isolamento & purificação
Vírus da Leucemia Felina/isolamento & purificação
Infecções por Retroviridae/epidemiologia
-Leucemia/veterinária
Estudos Retrospectivos
Técnicas Imunoenzimáticas/veterinária
Leucopenia/veterinária
Linfopenia/veterinária
Limites: Animais
Gatos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  4 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1007804
Autor: Rocha, Mariana Araújo; Sousa Filho, Reginaldo Pereira; Sampaio, Keytyanne Oliveira; Cunha, Marina Gabriela Monteiro Carvalho Mori da.
Título: Seroprevalence of feline immunodeficiency virus and feline leukemia virus in domestic cats of Fortaleza, Ceará / Soroprevalência do vírus da imunodeficiência felina e do vírus da leucemia felina em gatos domésticos de Fortaleza, Ceará
Fonte: Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. (Online);56(1):e146687, jun. 2019. tab.
Idioma: en.
Resumo: Feline Immunodeficiency Virus (FIV) and Feline Leukemia Virus (FeLV) are important etiologic agents of immunosuppressive diseases in felines. The objective of the present study was to determine the prevalence of these retroviruses in domestic cats in Fortaleza, Ceará and the epidemiological factors associated with these infections. Between 2015 and 2016, 138 blood samples were collected and tested for FIV and FeLV by the enzyme immunoadsorption assay (ELISA). Parameters such as breed, gender, age, reproductive status, multi-cat environment, outdoor access and clinical manifestations were evaluated. The results showed that 12.32% were positive for FIV, 5.80% for FeLV and 1.45% for co-infection (FIV/FeLV). FIV+ animals were mostly mixed breed, neutered male adult cats, with indoor lifestyle and living in a multi-cat household. The most common clinical manifestation observed was disorders of the oral cavity. Factors found to increase the risk for FeLV seropositivity include mixed breed, young, spayed female cats, indoor lifestyle living in a multi-cat household were the most common epidemiological factors observed. The most common clinical manifestation was anorexia and apathy. The prevalence of these viruses were relatively high, compared with other region of Brazil. This study demonstrated that mixed breed, castrated, multi-cat environment and indoor lifestyle animals are of greater relevance for FIV and FeLV infection diseases. Factors related to cat demographics and health such as age, sex and type of household are important predictors for seropositive status to FeLV or FIV in Fortaleza. High prevalence of FeLV or FIV observed in our study is of concern, in view of the immunosuppressive potential of the two pathogens.(AU)

O Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV) e o Vírus da Leucemia Felina (FeLV) são importantes agentes etiológicos de doenças imunossupressoras em felinos. O objetivo do presente estudo foi determinar a prevalência desses retrovírus em gatos domésticos em Fortaleza, Ceará e os fatores epidemiológicos associados a essas infecções. Entre 2015 e 2016, foram coletadas 138 amostras de sangue e testadas para FIV e FeLV pelo ensaio de imunoadsorção enzimática (ELISA). Parâmetros como raça, gênero, idade, estado reprodutivo, ambiente com vários gatos, acesso ao ar livre e manifestações clínicas foram avaliados. Os resultados mostraram que 12,32% foram positivos para o FIV, 5,80% para o FeLV e 1,45% para a co-infecção (FIV/FeLV). Os animais FIV+ eram na sua maioria gatos machos castrados, adultos, de raça mista, com estilo de vida dentro de casa e vivendo em um ambiente com vários gatos. A manifestação clínica mais comum observada foi distúrbios da cavidade oral. Os fatores encontrados que aumentam o risco de soropositividade para FeLV incluem gatas fêmeas castradas, jovens, de raça mista, com estilo de vida dentro de casa e vivendo em um ambiente com vários gatos, foram os fatores epidemiológicos mais comuns observados. A manifestação clínica mais comum foi anorexia e apatia. A prevalência desses vírus foi relativamente alta em comparação com outras regiões do Brasil. Este estudo demonstrou que os animais de raça mista, castrados, vivendo em um ambiente com vários gatos e estilo de vida dentro de casa são de maior relevância para as doenças infecciosas por FIV e FeLV. Fatores relacionados à demografia e à saúde do gato, como idade, sexo e tipo de domicílio, são importantes preditores do estado soropositivo para FeLV ou FIV em Fortaleza. A alta prevalência de FeLV ou FIV observada em nosso estudo é preocupante, tendo em vista o potencial imunossupressor dos dois patógenos.(AU)
Descritores: Gatos/imunologia
Estudos Soroepidemiológicos
Vírus da Imunodeficiência Felina/patogenicidade
-Retroviridae
Limites: Animais
Gatos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  5 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-895442
Autor: Poffo, Daniella; Almeida, Arleana B. P. F; Nakazato, Luciano; Dutra, Valéria; Correa, Sandra H. R; Mendonça, Adriane J; Sousa, Valéria R. F.
Título: Feline immunodeficiency virus (FIV), feline leukaemia virus (FeLV) and Leishmania sp. in domestic cats in the Midwest of Brazil / Infecção por Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV), vírus da leucemia felina (FeLV) e Leishmania sp. em gatos domésticos no Centro-Oeste do Brasil
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;37(5):491-494, maio 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: This search aimed to investigate FIV and FeLV infections in domestic cats, analysing the epidemiological profile of the disease as well as additional infection with Leishmania sp. We evaluated 88 domestic cats for the presence of FIV, FeLV and Leishmania sp. infection. Eleven (12.5%) cats were positive for FIV infection, four (4.5%) were positive for FeLV, and two were co-infected. However, none was infected with Leishmania sp. The prevalence for FIV infection was higher than FeLV, and those observed in other regions, but no factor was associated with the infection by FIV and FeLV in this study.(AU)

Esta pesquisa teve o objetivo de investigar a infecção em gatos domésticos por FIV e FeLV, analisando o perfil epidemiológico destas doenças, assim como a infecção por Leishmania sp. Oitenta e oito gatos domésticos foram avaliados pesquisando a infecção por FIV, FeLV e Leishmania sp. Onze (12,5%) gatos foram positivos para infecção por FIV, quatro (4,5%) para FeLV, e dois gatos apresentaram co-infecção pelos dois vírus. Entretanto, nenhum gato doméstico apresentou infecção por Leishmania sp. A prevalência da infecção para FIV foi maior que a observada para FeLV, e que a observada em outras regiões, mas nenhum fator teve associação à infecção neste estudo.(AU)
Descritores: Síndrome de Imunodeficiência Adquirida Felina/epidemiologia
Vírus da Imunodeficiência Felina/isolamento & purificação
Vírus da Leucemia Felina/isolamento & purificação
Leishmaniose Visceral/veterinária
-Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária
Limites: Animais
Gatos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  6 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-989368
Autor: Almeida, T. M; Sousa Filho, R. P; Rodrigues, I. L; Cruz, R. O; Rodrigues, A. P. R; Silva, I. N. G.
Título: Linfoma leucemizado em felino coinfectado com os vírus da imunodeficiência felina e da leucemia felina: relato de caso / Lymphoma in leukemic phase in feline coinfected with feline immunodeficiency virus and feline leukemia virus: case report
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);71(1):219-224, jan.-fev. 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O presente trabalho teve por objetivo relatar um caso de linfoma leucemizado em um felino coinfectado com os vírus da imunodeficiência felina (FIV) e o da leucemia felina (FeLV). Foram realizados exames de hemograma, contagem de reticulócitos, mielograma, bioquímica, teste de imunocromatografia para FIV e FeLV, imunofluorescência indireta (IFA) para FeLV, radiografia torácica e citologia renal. Esse último exame revelou um linfoma extranodal. Foi determinante para a conclusão diagnóstica a associação dos sinais clínicos corroborados com a infiltração de elevada quantidade de células linfoblásticas na medula óssea, exibindo critérios citomorfológicos de malignidade, como mitoses atípicas, relacionadas à presença de corpúsculos linfoglandulares e material hematopoiético inter-relacionado. O linfoma é uma neoplasia relativamente comum em felinos, entretanto, a apresentação leucemizada é rara, podendo representar um desafio diagnóstico clínico, o que torna fundamental a inclusão da citologia medular na prática clínica dessa espécie.(AU)

The present study aimed to report a case of lymphoma in leukemic phase in feline coinfected with feline immunodeficiency virus (FIV) and feline leukemia virus (FeLV). Blood counts, reticulocyte counts, bone marrow avaluation, biochemistry, immunochromatography assay for FIV and FeLV, indirect immunofluorescence (IFA) for FeLV, thoracic radiography and renal citology were performed. This last examination revealed extranodal lymphoma. The association of the clinical signs with the infiltration of a high number of lymphoblastic cells in the bone marrow with cytomorphological criteria of malignancy, atypical mitoses, lymphoglandular corpuscles and hematopoietic material were determinant for the diagnostic conclusion. Lymphoma is a relatively common neoplasm in felines, however the leukemic phase is rare and may represent a clinical diagnostic challenge, making it essential to include bone marrow cytology in the clinical practice of this species.(AU)
Descritores: Gatos/anormalidades
Gatos/sangue
Vírus da Imunodeficiência Felina/classificação
Linfoma
Limites: Animais
Gatos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  7 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-969215
Autor: Sousa Filho, Reginaldo Pereira de; Sampaio, Keytyanne de Oliveira; Cagnini, Didier Quevedo; Montenegro, Assis Rubens; Rocha, Mariana Araújo; Evangelista, Janaina Serra Azul Monteiro; Cunha, Marina Gabriela Monteiro Carvalho Mori da.
Título: Correlation of feline immunodeficiency virus status and the severity of feline chronic gingivostomatitis / Correlação do status sorológico para FIV e a gravidade da gengivoestomatite crônica felina
Fonte: Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. (Online);55(3):e143345, Outubro 25, 2018. ilus, tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Feline chronic gingivostomatitis (FCGS) is a challenge for the veterinary practitioner since its etiology and treatments are still undefined. The present paper investigated the role of the feline immunodeficiency virus (FIV) in the severity of the FCGS. Oral mucosal biopsies obtained from 19 cats with FCGS were divided into two groups according to their FIV serology status. Later, the clinical lesion score was correlated with the histopathological grade of FCGS lesions and the degree of immunostaining in both groups. Most of the animals had significant histological changes; however, no correlation with FIV immunostaining intensity was observed. It was concluded that the presence of FIV infection or the animal's seropositivity status does not seem to interfere with the severity of clinical signs nor the degree of histopathological changes when compared to the seronegative group.(AU)

A gengivoestomatite crônica felina (FCGS) é um desafio para o veterinário, uma vez que a sua etiologia e tratamentos permanecem indefinidos. O presente trabalho investigou o papel do vírus da imunodeficiência felina (FIV) na gravidade do FCGS. Biópsias da mucosa oral de 19 gatos com FCGS foram divididas em dois grupos de acordo com o status sorológico de FIV. Mais tarde, o escore de lesão clínica foi correlacionado com o grau histopatológico das lesões FCGS e o grau de imunocoloração em ambos os grupos. A maioria dos animais apresentou alterações histológicas significativas, porém não foi observada correlação com a intensidade de imunocoloração para FIV. Concluiu-se que a presença de infecção por FIV ou o estado soropositivo dos animais não parece interferir com a gravidade dos sinais clínicos nem com o grau de alterações histopatológicas quando comparado ao grupo soronegativo.(AU)
Descritores: Testes Sorológicos/veterinária
Vírus da Imunodeficiência Felina/patogenicidade
Gengivite Ulcerativa Necrosante/veterinária
Glossite/veterinária
Limites: Animais
Gatos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  8 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-842056
Autor: Silva, Bianca P. L. da; Knackfuss, Fabiana B; Labarthe, Norma; Mendes-de-Almeida, Flavya.
Título: Effect of a synthetic analogue of the feline facial pheromone on salivary cortisol levels in the domestic cat / Efeito do análogo sintético do feromônio facial felino sobre o nível de cortisol salivar de gatos domésticos
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;37(3):287-290, Mar. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: This study aimed to evaluate the ability of a saliva collection device (Salivette®) to measure cortisol levels in saliva samples of domestic cats and to assess the effect of a synthetic analogue of the feline facial pheromone fraction F3 (Feliway®) on cortisol levels. A total of 28 domestic cats from a private high-quality sanctuary were sampled before exposure to the facial pheromone and after 35 days of exposure. Two pheromone devices were placed in the area where the animals ate to guarantee the exposure of all cats. The collecting device yielded a sufficient volume of saliva (≥0.20mL) to allow cortisol measurement. Cortisol measurements ranged from 0.02g/dL to 0.16µg/dL, with a difference between before (42.1%) and after (62.6%) exposure to the pheromone (F=3.2351; p≤0.0002). No difference in cortisol levels was observed between before (x =0.078µg/dL) and after (x =0.066µg/dL) (t=1.79; p=0.08) exposure. However, salivary cortisol levels decreased in 75% (21/28) of the cats after exposure (x 2=12.07; p=0.0005), suggesting that the animals have different susceptibilities to the pheromone or that they spent different lengths of time in the area where the pheromone devices were installed.(AU)

O presente estudo avaliou o uso de um dispositivo de coleta salivar (Salivette®) para mensurar o cortisol salivar de gatos domésticos e avaliar o efeito do análogo sintético do feromônio facial felino - fração F3 (Feliway®) sobre seus níveis de cortisol. Um total de 28 gatos domésticos mantidos em gatil particular tiveram amostras de saliva coletadas antes da exposição ao feromônio facial felino e após 35 dias de exposição. Dois difusores de feromônio foram instalados na área onde os animais se alimentavam, a fim de garantir que todos os gatos fossem expostos. Os dispositivos de coleta salivar permitiram a coleta de volume salivar suficiente (≥0,20 mL) para a mensuração do cortisol. Os níveis de cortisol salivar variaram de 0,02g/dL a 0,16ug/dL, com coeficiente de variação de 42,1% antes e de 62,6% após à exposição ao feromônio (F=3.2351; p≤ 0.0002). Não foi verificada diferença entre os níveis de cortisol salivar nas amostras obtidas antes (x =0,078µg/dL) e após (x =0,066µg/dL) (t=1,79; p=0,08) à exposição. Entretanto, os níveis de cortisol salivar diminuíram em 75% (21/28) dos gatos expostos ao feromônio (x 2=12,07; p=0,0005), sugerindo que os animais apresentam susceptibilidade diferente ao feromônio facial sintético ou que passaram períodos de tempo distintos na área onde os difusores foram instalados.(AU)
Descritores: Comportamento Animal
Hidrocortisona/análise
Feromônios/análise
Saliva/química
Estresse Psicológico
-Vírus da Imunodeficiência Felina
Limites: Animais
Gatos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Machado, Rosangela Zacarias
Texto completo
Id: lil-789918
Autor: Seki, Meire Christina; André, Marcos Rogério; Carrasco, Adriano de Oliveira Torres; Machado, Rosangela Zacarias; Pinto, Aramis Augusto.
Título: Detection of Chlamydophila felis and Feline Herpesvirus Type-1 in non-domestic felids in Brazil / Detecção de Chlamydophila felis e Herpesvirus felino tipo 1 em felídeo não doméstico no Brasil
Fonte: Braz. j. vet. res. anim. sci;53(2):169-176, 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: Little is known about the occurrence of feline upper respiratory tract disease agents, namely Feline Herpesvirus type 1 (FHV-1) and Chlamydophila felis, and co-infection of these agents with Feline Immunodeficiency virus (FIV) and Feline Leukemia Virus (FeLV) in non-domestic felids in Brazil. Between 2009 and 2010, 72 conjunctival swab and serum samples were collected from eight non-domestic felid species (Leopardus pardalis, Leopardus tigrinus, Panthera leo, Panthera tigris, Puma concolor, Puma yagouaroundi, Oncifelis colocolo, and Panthera onca) maintained in captivity in Brazilian zoos. DNA extracted from conjunctival swabs were used in PCR assays for the detection of Chlamydophila sp, FHV-1, and retrovirus DNA, respectively. Antibodies to FIV and FeLV antigen were detected in non-domestic felid serum samples using a commercial ELISA kit. Antibodies to FIV were found only in five (6.9%) felids. No sampled non-domestic felid was positive for FeLV antigen detection. One (1.3%) out of 72 non-domestic felid conjunctival swab samples was positive for Chlamydophilasp. and Feline Herpesvirus-1 in PCR. This felid was an ocelot and was negative for FIV and FeLV. The results of this survey showed the occurrence of co-infection with C. felis and FHV-1 in an ocelot (Leopardus pardalis) in Brazil...

Poucos trabalhos descrevem a ocorrência dos agentes do complexo respiratório felino, Herpesvírus Felino tipo 1 (FHV-1) e Chlamydophila felis, e a coinfecção com o vírus da imunodeficiência felina (FIV) e leucemia viral felina (FeLV) em felinos não domésticos no Brasil. Entre 2009 e 2010, 72 amostras de swab de conjuntiva e de soro foram coletados de oito espécies de felinos não domésticos (Leopardus pardalis, Leopardus tigrinus, Panthera leo, Panthera tigris, Puma concolor, Puma yagouaroundi, Oncifelis colocolo, and Panthera onca) mantidos em cativeiro em zoológicos brasileiros. O DNA foi extraído das amostras de swab de conjuntiva para detecção de Chlamydophila sp e FHV-1 pela PCR. Anticorpos para FIV e antígeno para FeLV foram determinados pelo kit comercial de ELISA. Anticorpos para FIV foram detectados em cinco felídeos (6,9%). Nenhuma amostra foi positiva para a presença de antígeno de FeLV. Um (1,3%) dos 72 felinos não domésticos apresentou fragmentos de DNA de Chlamydophila sp e FHV-1 pela PCR. Este felino era uma jaguatirica que não apresentou anticorpos para FIV e nem antígeno para FelV. Estes resultados demonstram a ocorrência de coinfecção de C. felis e FHV-1 em uma jaguatirica (Leopardus pardalis) no Brasil...
Descritores: Chlamydophila/isolamento & purificação
Felidae/microbiologia
Herpesviridae/isolamento & purificação
Panthera/microbiologia
Puma/microbiologia
Vírus da Imunodeficiência Felina/isolamento & purificação
-Animais Selvagens/microbiologia
Ensaio de Imunoadsorção Enzimática/veterinária
Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  10 / 26 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-762495
Autor: Barros, Renata Simões.
Título: Ocorrência de anticorpos anti-toxoplasma gondii associada a fatores de risco em gatos com esporotricose oriundos da região metropolitana do Rio de Janeiro / Occurrence of anti-toxoplasma gondii antibodies associated with risk factors in cats with sporotrichosis in the metropolitan Rio de Janeiro.
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2013. 38 p. tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundação Oswaldo Cruz. Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: A toxoplasmose é uma zoonose causada pelo protozoário Toxoplasma gondii que acomete várias espécies de vertebrados, inclusive o ser humano. Os gatos, assim como os outros felinos, têm papel de suma importância na epidemiologia da infecção, pois são os hospedeiros definitivos do T. gondii...

Toxoplasmosis is a zoonotic disease caused by the Toxoplasma gondii protozoan that affects several species of vertebrates, including humans. Cats, as well as other felines, are important in the epidemiology of the infection because they are the definite hosts of T. gondii...
Descritores: Vírus da Imunodeficiência Felina
Vírus da Leucemia Felina
Esporotricose
Toxoplasmose/transmissão
Limites: Gatos
Responsável: BR15.1 - Biblioteca de Ciências Biomédicas
BR15.1



página 1 de 3 ir para página          
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde