Base de dados : LILACS
Pesquisa : C04.557.227.190 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 3 [refinar]
Mostrando: 1 .. 3   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 3 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1024357
Autor: Bergamini, Mariana Lobo.
Título: Análise da concentração de células dendríticas, linfócitos T reguladores e mastócitos em lesões periapicais crônicas / Analysis of Dendritic Cells, T Regulatory Lymphocytes and Mastocytes Concentration in Chronic Apical Periodontitis.
Fonte: São Paulo; s.n; 20180000. 68 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Odontologia para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: As lesões periapicais crônicas estão entre as mais frequentes do complexo maxilofacial, porém o perfil inflamatório dessas lesões é pouco compreendido, tanto do ponto de vista da caracterização celular como da expressão de citocinas. Cistos e granulomas periapicais compõem dois terços dessas lesões inflamatórias em região de mandíbula, onde são mais frequentes. O presente estudo propôs-se a estudar e avaliar a expressão imuno-histoquímica de CD1a+ (marcador de células dendríticas imaturas) e de FoxP3+ (marcador de linfócitos T reguladores) e verificar a presença de mastócitos em granulomas periapicais, cistos radiculares e residuais. Foram selecionados 73 casos, sendo 30 de granulomas periapicais, 29 de cistos radiculares e 14 de cistos residuais, dos arquivos do Serviço de Patologia Cirúrgica Oral e Maxilofacial do Departamento de Estomatologia da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo. Todos os grupos foram submetidos a análise morfológica, para classificação do infiltrado inflamatório e espessura epitelial, análise imuno-histoquímica, para detecção e contagem de células dendríticas e linfócitos T reguladores e coloração com azul de toluidina para contagem de mastócitos nas lesões periapicais crônicas. A análise morfológica revelou que a presença de infiltrado inflamatório grau I foi mais comum nos cistos periapicais. A gradação II e III foi mais comumente encontrada em cistos radiculares e granulomas periapicais. A avaliação da espessura epitelial mostrou que os epitélios atrófico e hipertrófico se apresentaram majoritariamente em cistos radiculares. Não houve diferenças estatisticamente significantes em relação ao infiltrado inflamatório e espessura epitelial nas lesões periapicais crônicas estudadas (p>0,05). A avaliação da contagem do número de células dendríticas (CD1a+) apresentou um valor médio maior em cistos radiculares (8,16 células/0,2mm2) (p<0,001) e o número médio de linfócitos T reguladores (FoxP3+) também foi maior em cistos radiculares (5,910 células/0,2mm2) (p<0,05). Na avaliação do número de mastócitos, os cistos radiculares apresentaram maior número médio dessas células do que as outras lesões periapicais (12.68 células/0,2mm2) (p<0,001). A avaliação da correlação entre infiltrado inflamatório e imunomarcação mostrou que houve diferença estatisticamente significante na correlação entre infiltrado inflamatório e células CD1a+ em granulomas periapicais (p<0,001). A medida que a gradação do infiltrado inflamatório aumentou, o número células CD1a+ diminuiu. E a correlação entre espessura epitelial e imunomarcação das células mostrou que a presença de epitélio hipertrófico em cistos radiculares apresentou maior densidade de células CD1a+. Não houve correlação estatisticamente significante da presença de linfócitos Treg e a gradação do infiltrado inflamatório nem da espessura epitelial. Todos esses resultados foram estatisticamente significativos (p<0,05). A concentração de células dendríticas imaturas e linfócitos T reguladores desempenham um papel importante no controle do microambiente inflamatório nos granulomas periapicais e cistos radiculares, respectivamente. A presença de mastócitos nos cistos radiculares pode estar associada à progressão, expansão da lesão e reabsorção óssea.
Descritores: Imuno-Histoquímica
Fator de Células-Tronco
Sarcoma de Células Dendríticas Foliculares
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica


  2 / 3 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Westphal, Fernando Luiz
Texto completo
Id: lil-570655
Autor: Westphal, Fernando Luiz; Lima, Luís Carlos de; Santana, Luiz Carlos Lopes; Netto, José Corrêa Lima; Amaral, Vanise Campos Gomes; Silva, Márcia dos Santos da.
Título: Doença de Castleman associada a sarcoma de células dendríticas foliculares e miastenia gravis / Castleman's disease associated with follicular dendritic cell sarcoma and myasthenia gravis
Fonte: J. bras. pneumol;36(6):819-823, nov.-dez. 2010. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A doença de Castleman é um distúrbio linfoproliferativo atípico, de etiologia desconhecida, que pode estar associada a uma série de condições clínicas, inclusive doenças de caráter autoimune e neoplasias malignas. No presente relato, uma paciente de 72 anos foi encaminhada ao serviço de cirurgia torácica do Hospital Universitário Getúlio Vargas, localizado na cidade de Manaus (AM) para a ressecção de um tumor de mediastino posterior. Três meses antes, havia sido internada em UTI com um quadro de dispneia intensa, ocasião na qual foi diagnosticada miastenia gravis. Após a ressecção da massa mediastinal, a análise histopatológica revelou doença de Castleman hialino-vascular complicada por sarcoma de células dendríticas foliculares. Até o momento da redação deste estudo, a paciente utilizava um anticolinesterásico e corticoides para o controle da miastenia gravis.

Castleman's disease is an atypical lymphoproliferative disorder of unknown etiology, which might be associated with various clinical conditions, including autoimmune diseases and malignant neoplasms. We report the case of a 72-year-old female patient who was referred to the thoracic surgery department of Getúlio Vargas University Hospital, in the city of Manaus, Brazil, for the resection of a posterior mediastinal tumor. Three months prior, the patient had been admitted to the ICU with signs of severe dyspnea, at which time she was diagnosed with myasthenia gravis. After the resection of the mediastinal tumor, the histopathological examination revealed hyaline vascular-type Castleman's disease, complicated by follicular dendritic cell sarcoma. At this writing, the patient was being treated with an anticholinesterase agent and corticosteroids for the control of myasthenia gravis.
Descritores: Sarcoma de Células Dendríticas Foliculares/complicações
Hiperplasia do Linfonodo Gigante/complicações
Miastenia Gravis/diagnóstico
-Diagnóstico Diferencial
Sarcoma de Células Dendríticas Foliculares/patologia
Hiperplasia do Linfonodo Gigante/classificação
Limites: Idoso
Feminino
Humanos
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 3 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-567673
Autor: Jorge-Buys, Diego Leonardo; Lastra-Camacho, Gustavo; Campos-Martínez, Jesús; Romero-Guadarrama, Mónica; Ortiz-Hidalgo, Carlos.
Título: Sarcoma de células dendríticas foliculares de localización ganglionar y extraganglionar: estudio clinicopatológico e inmunohistoquímico de cinco casos / Follicular dendritic cell sarcoma: an unusual tumor with nodal and extranodal presentation: clinicopathological and immunohistochemical study of five cases
Fonte: Cir. & cir;76(2):145-152, mar.-abr. 2008. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Dendritic cells (DC) are an essential component of the nonlymphoid, nonphagocytic immunoaccessory reticulum cells of the peripheral lymphoid tissue. Follicular dendritic cells (FDC) are one type of DC in the lymphoid follicle associated with B lymphocytes. They play an important role in the uptake and presentation of antigen generation and regulation of immune complexes. FDC can be recognized histologically by their oval to triangular nucleus, delicate basophilic nuclear membrane, almost empty nucleoplasm, small but distinct central nucleolus, and indistinct cellular outline; some cells can be binucleated or multinucleated. Ultrastructurally, they possess delicate interwoven cell processes connected by desmosomes. Immunohistochemically, they can be highlighted by staining with CD21, CD35, R4/23, Ki-M4, CNA.42 and CD68 (Kp-1) (l-4). FDC sarcoma is rare. FDC sarcomas affected predominantly lymph nodes with occasional extranodal involvement. Many cases of FDC sarcomas are probably misdiagnosed as other tumors such as large cell lymphoma, sarcomatoid carcinomas, fusocellular sarcomas or melanomas. We present five cases of FDC sarcomas and discuss the salient clinical, pathological and immunohistochemical features of these tumors.
Descritores: Sarcoma de Células Dendríticas Foliculares/patologia
-Imuno-Histoquímica
Linfonodos/patologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto Jovem
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde