Base de dados : LILACS
Pesquisa : C08.618.085.852.850 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 578 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 58 ir para página                         

  1 / 578 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Tufik, Sérgio
Texto completo
Id: lil-794985
Autor: Oliveira, Pedro Wey Barbosa de; Gregorio, Luciano Lobato; Silva, Rogério Santos; Bittencourt, Lia Rita Azevedo; Tufik, Sergio; Gregório, Luis Carlos.
Título: Orofacial-cervical alterations in individuals with upper airway resistance syndrome / Alteração cérvico-orofacial em indivíduos com síndrome da resistência de via aérea superior
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);82(4):377-384, July-Aug. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT INTRODUCTION: Studies that assess the upper airways in sleep-related breathing disorders have been performed only in patients with obstructive sleep apnea syndrome who seek medical attention. Therefore, in addition to the need for population studies, there are no data on the orofacial-cervical physical examination in subjects with upper airway resistance syndrome. OBJECTIVES: To compare the orofacial-cervical examination between volunteers with upper airway resistance syndrome and without sleep-related breathing disorders. METHODS: Through questionnaires, physical measurements, polysomnography, and otorhinolaryngological evaluation, this study compared the orofacial-cervical physical examination, through a systematic analysis of the facial skeleton, mouth, throat, and nose, between volunteers with upper airway resistance syndrome and volunteers without sleep-related breathing disorders in a representative sample of the adult population of the city of São Paulo. RESULTS: There were 1042 volunteers evaluated; 49 subjects (5%) were excluded as they did not undergo otorhinolaryngological evaluation, 381 (36%) had apnea-hypopnea index > 5 events/hour, and 131 (13%) had oxyhemoglobin saturation < 90%. Among the remaining 481 subjects (46%), 30 (3%) met the criteria for the upper airway resistance syndrome definition and 53 (5%) met the control group criteria. At the clinical evaluation of nasal symptoms, the upper airway resistance syndrome group had more oropharyngeal dryness (17% vs. 29.6%; p = 0.025) and septal deviation grades 1-3 (49.1% vs. 57.7%; p = 0.025) when compared to controls. In the logistic regression model, it was found that individuals from the upper airway resistance syndrome group had 15.6-fold higher chance of having nose alterations, 11.2-fold higher chance of being hypertensive, and 7.6-fold higher chance of complaining of oropharyngeal dryness when compared to the control group. CONCLUSION: Systematic evaluation of the facial skeleton, mouth, throat, and nose, between volunteers with upper airway resistance syndrome and volunteers without sleep-related breathing disorders, showed that the presence of upper airway resistance syndrome is mainly associated with nasal alterations and oropharyngeal dryness, in addition to the risk of hypertension, regardless of gender and obesity.

Resumo Introdução: Estudos que avaliam a via aérea superior (VAS) nos distúrbios respiratórios relacionados ao sono (DRRS) foram realizadas somente em pacientes com Síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) que procuram o atendimento médico. Portanto, além da necessidade de estudos populacionais, não há dados sobre o exame físico cérvico-orofacial em indivíduos com Síndrome de Resistência das Vias Aéreas Superiores (SRVAS). Objetivos: Comparar o exame cérvico orofacial entre voluntário com SRVAS e sem DRRS. Método: Através de questionários, medidas físicas, polissonografia e avaliação otorrino-laringológica comparou-se o exame físico cérvico orofacial, através de uma análise sistemática do esqueleto facial, boca, faringe e nariz, entre voluntários com SRVAS e voluntários sem DRRS em uma amostra representativa da população adulta da cidade de São Paulo. Resultados: Avaliamos 1042 voluntários. Foram excluídos: 49 indivíduos (5%) que não realizaram avaliação otorrinolaringológica; 381 (36%) apresentaram índice de apneia e hipopnéia (IAH) > 5 eventos/hora e 131 (13%) apresentaram saturação da oxihemoglobina < 90%. Entre os 481 voluntários restantes (46%), 30 (3%) preenchiam os critérios estabelecidos para a definição de SRVAS e 53 (5%) que preenchiam os critérios do grupo controle. Na avaliação clínica dos sintomas nasais, o grupo SRVAS apresentou mais ressecamento orofaríngeo (17% vs. 29,6%; p = 0,025), desvio septal grau 1 a 3 (49,1% vs. 57,7%; p = 0,025), comparado ao controle. No modelo de regressão logística observamos que indivíduos do grupo SRVAS apresentaram uma razão de chance 15,6 vezes maior de apresentarem nariz alterado; 11,2 vezes maior de serem hipertensos e 7,6 vezes maior de se queixarem de ressecamento orofaríngeo quando comparados ao grupo controle. Conclusão: A avaliação sistemática do esqueleto facial, boca, faringe e nariz, entre voluntários com SRVAS e voluntários sem DRRS, mostrou que a presença de SRVAS está principalmente associada à alterações nasais e ressecamento orofaríngeo, além do risco de hipertensão arterial, independentemente do gênero e obesidade.
Descritores: Orofaringe/patologia
Exame Físico
Apneia Obstrutiva do Sono/etiologia
Face/patologia
-Orofaringe/fisiopatologia
Fatores Socioeconômicos
Estudos de Casos e Controles
Polissonografia
Apneia Obstrutiva do Sono/fisiopatologia
Boca/anatomia & histologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 578 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-828225
Autor: Ghiciuc, Cristina Mihaela; Dima-Cozma, Lucia Corina; Bercea, Raluca Mihaela; Lupusoru, Catalina Elena; Mihaescu, Traian; Cozma, Sebastian; Patacchioli, Francesca Romana.
Título: Imbalance in the diurnal salivary testosterone/cortisol ratio in men with severe obstructive sleep apnea: an observational study / Desequilíbrio na proporção salivar diurna de testosterona/cortisol em homens com apneia obstrutiva do sono grave: um estudo observacional
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);82(5):529-535, Sept.-Oct. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: The Managing Authority for Sectoral Operational Program Human Resources Development.
Resumo: ABSTRACT INTRODUCTION: The complex relationship between sleep disorders and hormones could lead to alterations in the production of cortisol and testosterone in obstructive sleep apnea (OSA) patients. OBJECTIVE: The purpose of this study was to determine the diurnal trajectories of salivary free-testosterone, free-cortisol and their ratio (T/C). METHODS: Ten subjects newly diagnosed with OSA, based on nocturnal polysomnography evaluation and excessive daytime sleepiness, and seven matched controls were consecutively recruited. Cortisol and testosterone were measured in salivary samples collected upon awakening, at noon and in the evening. The psychometric evaluation of anxiety/depression and referred sexual function disturbances was performed to evaluate the presence of neuropsychological comorbidities. RESULTS AND CONCLUSION: The main finding was that OSA subjects displayed hypocortisolism upon awakening and a significant reduction in testosterone concentration in the evening in comparison with the control group, which has maintained the physiological testosterone and cortisol diurnal fluctuation, with higher hormone concentrations in the morning and lower concentrations in the evening. The use of data from multiple diurnal measurements rather than a single point allowed the detection of T/C ratio changes of opposite signs at the beginning and end of the day: the OSA subjects had a higher T/C ratio than the controls in the morning, while their T/C ratio was significantly lower than that of the controls in the evening. The imbalances in the anabolic-catabolic diurnal equilibrium suggest that OSA is associated with a dysregulation of the hypothalamic-pituitary-adrenal and hypothalamic-pituitary-gonadal axes, potentially an underlying cause of some of the neuropsychological comorbidities observed in OSA patients.

Resumo Introdução: A relação complexa entre os distúrbios do sono e os hormônios pode levar a alterações na produção de cortisol e testosterona em pacientes com Apneia obstrutiva do sono (AOS). Objetivo: O objetivo deste estudo foi determinar as curvas diurnas de testosterona e cortisol livres na saliva e sua proporção (razão T/C). Método: Dez indivíduos recém-diagnosticados com AOS com base na avaliação por polissonografia noturna e sonolência diurna excessiva e sete controles pareados foram recrutados, consecutivamente. Cortisol e testosterona foram medidos em amostras de saliva coletadas ao acordar, ao meio-dia e à noite. A avaliação psicométrica dos distúrbios de ansiedade/depressão e função sexual mencionados foi realizada para detectar a presença de comorbidades neuropsicológicas. Resultados: O achado principal foi que os indivíduos com AOS apresentam hipocortisolismo ao acordar e uma redução significante na concentração de testosterona à noite, em comparação com o grupo controle, que manteve a variação fisiológica diurna de testosterona e cortisol com concentrações hormonais mais elevadas pela manhã e concentrações mais baixas durante a noite. O uso de dados de várias mensurações diurnas, em vez de uma única mensuração, permitiu detectar as alterações na razão T/C de sinais opostos no início e no final do dia: os indivíduos com AOS apresentaram razão T/C maior que os controles na parte da manhã, enquanto que a razão T/C foi significantemente inferior à dos controles durante a noite. Conclusão: Os desequilíbrios no balanço anabólico-catabólico diurno sugerem que a AOS está associada a uma desregulação dos eixos hipotálamo-hipófise-adrenal e hipotálamo-hipófise-gonadal, potencialmente a causa subjacente de algumas das comorbidades neuropsicológicas observadas em pacientes com AOS.
Descritores: Saliva/química
Testosterona/metabolismo
Hidrocortisona/metabolismo
Apneia Obstrutiva do Sono/metabolismo
-Ansiedade/fisiopatologia
Ansiedade/metabolismo
Sistema Hipófise-Suprarrenal/fisiopatologia
Sistema Hipófise-Suprarrenal/metabolismo
Índice de Gravidade de Doença
Estudos de Casos e Controles
Estudos Prospectivos
Ritmo Circadiano
Polissonografia
Apneia Obstrutiva do Sono/fisiopatologia
Depressão/fisiopatologia
Depressão/metabolismo
Sistema Hipotálamo-Hipofisário/fisiopatologia
Sistema Hipotálamo-Hipofisário/metabolismo
Disfunção Erétil/fisiopatologia
Disfunção Erétil/metabolismo
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 578 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-839406
Autor: Corrêa, Camila de Castro; Cavalheiro, Maria Gabriela; Maximino, Luciana Paula; Weber, Silke Anna Theresa.
Título: Obstructive sleep apnea and oral language disorders / Apneia obstrutiva do sono e alterações da linguagem oral
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(1):98-104, Jan.-Feb. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction Children and adolescents with obstructive sleep apnea (OSA) may have consequences, such as daytime sleepiness and learning, memory, and attention disorders, that may interfere in oral language. Objective To verify, based on the literature, whether OSA in children was correlated to oral language disorders. Methods A literature review was carried out in the Lilacs, PubMed, Scopus, and Web of Science databases using the descriptors “Child Language” AND “Obstructive Sleep Apnea”. Articles that did not discuss the topic and included children with other comorbidities rather than OSA were excluded. Results In total, no articles were found at Lilacs, 37 at PubMed, 47 at Scopus, and 38 at Web of Science databases. Based on the inclusion and exclusion criteria, six studies were selected, all published from 2004 to 2014. Four articles demonstrated an association between primary snoring/OSA and receptive language and four articles showed an association with expressive language. It is noteworthy that the articles used different tools and considered different levels of language. Conclusion The late diagnosis and treatment of obstructive sleep apnea is associated with a delay in verbal skill acquisition. The professionals who work with children should be alert, as most of the phonetic sounds are acquired during ages 3–7 years, which is also the peak age for hypertrophy of the tonsils and childhood OSA.

Resumo Introdução Crianças e adolescentes com Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) podem apresentar sonolência diurna, alterações de aprendizado, memória e atenção, que podem interferir na linguagem oral. Objetivo Verificar, com base na literatura, se a AOS apresenta correlação com alterações da linguagem oral. Método Foi feita revisão bibliográfica nas bases de dados Lilacs, Pubmed, Scopus e Web of Science, a partir das palavras-chaves “Linguagem Infantil” AND “Apneia do Sono Tipo Obstrutiva”. Os artigos que não se relacionavam ao tema foram excluídos, bem como estudos com crianças que apresentassem outras comorbidades, além da AOS. Resultados Foram localizados 37 artigos na Pubmed, 47 na Scopus e 38 na Web of Science e nenhum na Lilacs. A partir dos critérios de inclusão e exclusão, foram selecionados seis estudos, publicados de 2004 a 2014. Dos artigos incluídos, observou-se em quatro artigos a relação do grupo com ronco primário/SAOS com a Linguagem Receptiva e em quatro artigos a relação dessa população com a Linguagem Expressiva. Ressalta-se que os artigos usaram instrumentos diferentes e consideraram níveis diversificados da Linguagem. Conclusão O diagnóstico e o tratamento tardio de AOS resultam em alterações significantes na qualidade da aquisição verbal. Torna-se imprescindível a atenção dos profissionais que atuam com a população infantil para esse aspecto, uma vez que grande parte dos sons da fala são adquiridos entre 3–7 anos, que corresponde ao período de pico de ocorrência de hipertrofia adenoamigdaliana e AOS na infância.
Descritores: Apneia Obstrutiva do Sono/complicações
Transtornos do Desenvolvimento da Linguagem/etiologia
Limites: Humanos
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 578 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889265
Autor: Koo, Soo Kweon; Ahn, Gun Young; Choi, Jang Won; Kim, Young Jun; Jung, Sung Hoon; Moon, Ji Seung; Lee, Young Il.
Título: Obstructive sleep apnea in postmenopausal women: a comparative study using drug induced sleep endoscopy / Apneia obstrutiva do sono em mulheres na pós-menopausa: estudo comparativo usando endoscopia do sono induzido por fármaco
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(3):285-291, May-June 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: The key to successful treatment of OSAS is to individually tailor such treatment. Thus, it is very important to determine the severity of OSAS, its pattern, and the extent of collapse, by gender, age, and BMI. Objective: The objective of the study was to understand the characteristics of obstructive sleep apnea in postmenopausal women by comparing postmenopausal and premenopausal subjects, and men, using DISE. We hope that our work will help the medical community to consult on, diagnose, and treat OSAS more effectively. Methods: A total of 273 patients (195 males and 78 females) diagnosed with OSAS were enrolled. Female patients were divided into pre-menopausal (n = 41) and post-menopausal patients (n = 37). The group of post-menopausal female patients was matched with a group of male patients with similar age and body mass index (BMI). DISE findings were compared between pre-menopausal female patients and post-menopausal female patients, and also between post-menopausal female patients and male patients matched for age and BMI. Results: Upon PSG examination, post-menopausal patients (who had a significantly higher BMI than did pre-menopausal patients; 25.6 kg/m2 vs. 23.5 kg/m2; p = 0.019) tended to have a higher AHI and a lower lowest SaO2, but the differences did not attain statistical significance. With DISE analysis, post-menopausal female patients showed higher values in all obstruction sites, with significantly higher value in lateral diameter of retropalatal (1.49 vs. 0.90; p = 0.001) and retrolingual levels (1.14 vs. 0.61; p = 0.003) compared to pre-menopausal females patients. Post-menopausal female patients showed significantly more retrolingual collapse (antero-posterior, AP, p ≤ 0.0001, and lateral diameter, p = 0.042) in the lower BMI group (BMI < 25) and more concentric retropalatal collapse (lateral diameter, p = 0.017 and tonsillar obstruction, p = 0.003) in higher BMI group (BMI ≥ 25) than BMI and age matched male patients. Conclusion: Post-menopausal female patients showed a different pattern of airway obstruction compared to pre-menopausal female patients and male patients matched for age and BMI based on DISE findings.

Resumo Introdução: A chave para o sucesso do tratamento da síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) é adaptar individualmente esse tratamento. Assim, é muito importante determinar a gravidade da SAOS, seu padrão e a medida do colapso, por sexo, idade e IMC. Objetivo: O objetivo do estudo foi compreender as características da apneia obstrutiva do sono em mulheres na pós-menopausa, comparando estas características entre mulheres na pós-menopausa e pré-menopausa, e homens, utilizando endoscopia do sono induzido por fármacos (DISE). Esperamos que o nosso estudo ajude a comunidade médica a diagnosticar e tratar a SAOS de maneira mais eficaz. Método: Foram recrutados 273 pacientes (195 do sexo masculino e 78 do feminino) com diagnóstico de SAOS. As pacientes do sexo feminino foram divididas em pacientes na pré-menopausa (n = 41) e na pós-menopausa (n = 37). O grupo de pacientes do sexo feminino na pós-menopausa foi pareada com um grupo de pacientes do sexo masculino com idade e Índice de Massa Corporal (IMC) semelhantes. Os achados da DISE foram comparados entre as pacientes do sexo feminino na pré-menopausa e as pacientes do sexo feminino pós-menopausa e também entre pacientes do sexo feminino na pós-menopausa e pacientes do sexo masculino pareados por idade e IMC. Resultados: Ao exame de PSG, as pacientes na pós-menopausa (que tinham um IMC significativamente maior do que as pacientes na pré-menopausa; 25,6 vs. 23,5 kg/m2; p = 0,019) tenderam a ter um IAH superior e uma saturação arterial de oxigênio (SaO2) mínima menor, mas as diferenças não atingiram significância estatística. Na análise do DISE, pacientes do sexo feminino pós-menopausa apresentaram valores mais elevados em todos os locais de obstrução, com um valor significativamente maior de diâmetro lateral dos níveis retropalatal (1,49 vs. 0,90; p = 0,001) e retrolingual (1,14 vs. 0,61; p = 0,003) em comparação com pacientes do sexo feminino na pré-menopausa. As pacientes do sexo feminino na pós-menopausa apresentaram colapso significativamente mais retrolingual (anteroposterior, AP, p ≤ 0,0001 e diâmetro lateral, p = 0,042) no grupo de IMC menor (IMC < 25) e colapso retropalatal mais concêntrico (diâmetro lateral, p = 0,017 e obstrução tonsilar, p = 0,003) no grupo de maior IMC (IMC ≥ 25) do que pacientes do sexo masculino pareados por IMC e idade. Conclusão: Com base nos achados do DISE, as pacientes do sexo feminino na pós-menopausa apresentaram um padrão diferente de obstrução das vias respiratórias em comparação com pacientes do sexo feminino na pré-menopausa e com os pacientes do sexo masculino pareados por idade e IMC.
Descritores: Midazolam/administração & dosagem
Pós-Menopausa/fisiologia
Apneia Obstrutiva do Sono/diagnóstico
Endoscopia/métodos
Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem
-Índice de Gravidade de Doença
Índice de Massa Corporal
Estudos Retrospectivos
Polissonografia
Apneia Obstrutiva do Sono/fisiopatologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 578 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889271
Autor: Yegïn, Yakup; Çelik, Mustafa; Kaya, Kamïl Hakan; Koç, Arzu Karaman; Kayhan, Fatma Tülin.
Título: Comparison of drug-induced sleep endoscopy and Müller's maneuver in diagnosing obstructive sleep apnea using the VOTE classification system / Comparação entre endoscopia com sono induzido por fármacos e manobra de Müller no diagnóstico de apneia obstrutiva do sono usando o sistema de classificação VOTE
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(4):445-450, July-Aug. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Knowledge of the site of obstruction and the pattern of airway collapse is essential for determining correct surgical and medical management of patients with Obstructive Sleep Apnea Syndrome (OSAS). To this end, several diagnostic tests and procedures have been developed. Objective: To determine whether drug-induced sleep endoscopy (DISE) or Müller's maneuver (MM) would be more successful at identifying the site of obstruction and the pattern of upper airway collapse in patients with OSAS. Methods: The study included 63 patients (52 male and 11 female) who were diagnosed with OSAS at our clinic. Ages ranged from 30 to 66 years old and the average age was 48.5 years. All patients underwent DISE and MM and the results of these examinations were characterized according to the region/degree of obstruction as well as the VOTE classification. The results of each test were analyzed per upper airway level and compared using statistical analysis (Cohen's kappa statistic test). Results: There was statistically significant concordance between the results from DISE and MM for procedures involving the anteroposterior (73%), lateral (92.1%), and concentric (74.6%) configuration of the velum. Results from the lateral part of the oropharynx were also in concordance between the tests (58.7%). Results from the lateral configuration of the epiglottis were in concordance between the tests (87.3%). There was no statistically significant concordance between the two examinations for procedures involving the anteroposterior of the tongue (23.8%) and epiglottis (42.9%). Conclusion: We suggest that DISE has several advantages including safety, ease of use, and reliability, which outweigh MM in terms of the ability to diagnose sites of obstruction and the pattern of upper airway collapse. Also, MM can provide some knowledge of the pattern of pharyngeal collapse. Furthermore, we also recommend using the VOTE classification in combination with DISE.

Resumo Introdução: O conhecimento do local da obstrução e do padrão de colapso das vias respiratórias é essencial para determinar o tratamento cirúrgico e clínico corretos de pacientes com Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS). Para este fim, vários testes e procedimentos de diagnóstico foram desenvolvidos. Objetivo: Determinar se a Endoscopia de Sono Induzido por Fármacos (DISE) ou Manobra de Müller (MM) seria mais bem-sucedida na identificação do local de obstrução e do padrão de colapso das vias respiratórias superiores em pacientes com SAOS. Método: O estudo incluiu 63 pacientes (52 do sexo masculino e 11 do sexo feminino) que foram diagnosticados com SAOS em nossa clínica. As idades variaram de 30 a 66 anos e a idade média foi de 48,5 anos. Todos os pacientes foram submetidos a DISE e MM e os resultados destes exames foram caracterizados de acordo com a região/grau de obstrução, bem como a classificação VOTE. Os resultados de cada teste foram analisados de acordo com o nível das vias respiratórias superiores e comparados por análise estatística (teste estatístico kappa de Cohen). Resultados: Houve concordância estatisticamente significativa entre os resultados da DISE e MM para os procedimentos que envolvem configuração anteroposterior (73%), lateral (92,1%) e concêntrica (74,6%) do véu palatino. Os resultados da parte lateral da orofaringe também estavam em concordância entre os testes (58,7%). Os resultados da configuração lateral da epiglote estavam em concordância entre os testes (87,3%). Não houve concordância estatisticamente significativa entre os dois exames para os procedimentos que envolvem a parte anteroposterior da língua (23,8%) e epiglote (42,9%). Conclusão: Sugere-se que a DISE apresenta várias vantagens, como segurança, facilidade de uso e confiabilidade, que superam a MM em termos da capacidade de diagnosticar locais de obstrução e o padrão de colapso da via respiratória superior. O MM pode também fornecer algum conhecimento sobre o padrão de colapso da faringe. Além disso, recomendamos o uso da classificação VOTE em combinação com DISE.
Descritores: Polissonografia/métodos
Apneia Obstrutiva do Sono/diagnóstico
Endoscopia/métodos
-Índice de Gravidade de Doença
Estudos Retrospectivos
Sensibilidade e Especificidade
Anestésicos Intravenosos/administração & dosagem
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 578 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889276
Autor: Pelosi, Lucas B; Silveira, Mariana L C; Eckeli, Alan L; Chayamiti, Emilia M P C; Almeida, Leila A; Sander, Heidi H; Küpper, Daniel S; Valera, Fabiana C P.
Título: The importance of clinical monitoring for compliance with Continuous Positive Airway Pressure / A importância do seguimento clínico para adesão ao CPAP
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(4):439-444, July-Aug. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Obstructive sleep apnea syndrome is currently a public health problem of great importance. When misdiagnosed or improperly treated, it can lead to serious consequences on patients' quality of life. The gold standard treatment for cases of obstructive sleep apnea syndrome, especially in mild to severe and symptomatic cases, is continuous positive airway pressure therapy. Compliance with continuous positive airway pressure therapy is directly dependent on the active participation of the patient, which can be influenced by several factors. Objective: The objective of this study is to describe the factors related to compliance with continuous positive airway pressure therapy, and to analyze which associated factors directly influence the efficiency of the treatment. Methods: Patients who received continuous positive airway pressure therapy through the Municipal Health Department of the city of Ribeirão Preto were recruited. A structured questionnaire was administered to the patients. Compliance with continuous positive airway pressure therapy was assessed by average hours of continuous positive airway pressure therapy usage per night. Patients with good compliance (patients using continuous positive airway pressure therapy ≥4 h/night) were compared to those with poor compliance (patients using <4 h/night). Results: 138 patients were analyzed: 77 (55.8%) were considered compliant while 61 (44.2%) were non-compliant. The comparison between the two groups showed that regular monitoring by a specialist considerably improved compliance with continuous positive airway pressure therapy (odds ratio, OR = 2.62). Conclusion: Compliance with continuous positive airway pressure therapy is related to educational components, which can be enhanced with continuous and individualized care to patients with obstructive sleep apnea syndrome.

Resumo Introdução: Síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) é, atualmente, um problema de saúde pública de suma importância. Quando mal diagnosticada ou tratada inadequadamente, pode levar a sérias consequências na qualidade de vida do paciente. O tratamento padrão-ouro para casos de SAOS, principalmente nos casos moderados a grave e sintomáticos, é o CPAP (Continuous Positive Airway Pressure). A adesão ao CPAP depende diretamente da participação ativa do paciente, que pode ser influenciada por vários fatores. Objetivo: O objetivo deste estudo é descrever os fatores relacionados à adesão ao CPAP e analisar quais fatores associados influenciam diretamente na eficiência do tratamento. Método: Foram recrutados pacientes que receberam CPAP pela Secretaria Municipal de Saúde de Ribeirão Preto. Um questionário estruturado foi aplicado ao paciente. A adesão ao CPAP foi avaliada pela média de horas de uso do CPAP por noite. Pacientes com boa adesão (pacientes em uso de CPAP ≥4 horas/noite) foram comparados aos com má adesão (pacientes em uso < 4 horas/noite). Resultados: No estudo, 138 pacientes foram analisados: 77 (55,8%) foram considerados aderentes e 61 (44,2%) foram não aderentes. A comparação entre os dois grupos demonstrou que o seguimento regular com especialista melhorou consideravelmente a adesão ao CPAP (odds ratio, OR = 2,62). Conclusão: A adesão ao CPAP está relacionada a componentes educacionais, que podem ser aprimorados com assistência contínua e individualizada ao paciente com SAOS.
Descritores: Cooperação do Paciente
Apneia Obstrutiva do Sono/terapia
Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas
-Índice de Gravidade de Doença
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 578 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-951839
Autor: Bilal, Nagihan; Dikmen, Nursel; Bozkus, Fulsen; Sungur, Aylin; Sarica, Selman; Orhan, Israfil; Samur, Anil.
Título: Obstructive sleep apnea is associated with increased QT corrected interval dispersion: the effects of continuous positive airway pressure / Apneia obstrutiva do sono está associada a maior dispersão do intervalo QT corrigido: efeitos da pressão positiva contínua nas vias aéreas
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);84(3):298-304, May-June 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Severe obstructive sleep apnea is associated with increased QT corrected interval dispersion and continuous positive airway pressure is thought to improve this arrhythmogenic marker. Objective: The aim of the study was to determine the decrease of ratio of cardiovascular risk in patients with obstructive sleep apnea. Methods: The study included 65 patients with severe obstructive sleep apnea who had an apnea-hypopnea index score of >30. Each patient underwent 12-channel electrocardiogram monitoring and polysomnography. Patients with an apnea-hypopnea index score of <5 were used as the control group. The control group also underwent electrocardiogram monitoring and polysomnography testing. The QT corrected interval dispersion levels of both groups were calculated. Three months after continuous positive airway pressure treatment, electrocardiogram recordings were obtained from the 65 patients with severe obstructive sleep apnea again, and their QT corrected interval dispersion values were calculated. Results: There were 44 male and 21 female patients with severe obstructive sleep apnea syndrome. The age, gender, body mass index, initial saturation, minimum saturation, average saturation, and desaturation index were determined in both groups. The QT corrected intervals of the obstructive sleep apnea patients (62.48 ± 16.29 ms) were significantly higher (p = 0.001) than those of the control group (29.72 ± 6.30 ms). There were statistically significant differences between the QT corrected values before and after the continuous positive airway pressure treatment, with pretreatment QT corrected intervals of 62.48 ± 16.29 ms and 3-month post-treatment values of 41.42 ± 16.96 ms (p = 0.001). There was a positive and significant correlation between QT corrected interval dispersion periods and the apnea-hypopnea index and hypopnea index in obstructive sleep apnea patients (p = 0.001; r = 0.71; p = 0.001; r = 0.679, respectively). Conclusion: Continuous positive airway pressure treatment reduced the QT corrected interval dispersion in patients with severe obstructive sleep apnea. In addition, shortening the QT corrected interval dispersion periods in patients with severe obstructive sleep apnea may reduce their risk of arrhythmias and cardiovascular disease.

Resumo Introdução: A apneia obstrutiva do sono grave está associada a uma maior dispersão do intervalo QT corrigido e acredita-se que a pressão positiva contínua nas vias aéreas melhore esse marcador arritmogênico. Objetivo: Determinar a diminuição da razão de risco cardiovascular em pacientes com apneia obstrutiva do sono. Método: O estudo incluiu 65 pacientes com apneia obstrutiva do sono grave que apresentavam índice de apneia-hipopneia > 30. Cada paciente foi submetido à monitoração por eletrocardiograma de 12 derivações e polissonografia. Os pacientes com escore de índice de apneia-hipopneia < 5 foram utilizados como o grupo de controle. O grupo de controle também foi submetido à monitoração por eletrocardiograma e teste de polissonografia. Os níveis de dispersão do intervalo QT corrigido dos dois grupos foram calculados. Três meses após o tratamento com pressão positiva contínua nas vias aéreas, os registros de eletrocardiograma foram novamente obtidos dos 65 pacientes com apneia obstrutiva do sono grave e seus valores de dispersão do intervalo QT corrigido foram calculados. Resultados: Havia 44 pacientes do sexo masculino e 21 do feminino com síndrome de apneia obstrutiva do sono grave. Idade, sexo, índice de massa corporal, saturação inicial, saturação mínima, saturação média e índice de dessaturação foram determinados em ambos os grupos. Os intervalos QT corrigido dos pacientes com apneia obstrutiva do sono (62,48 ± 16,29 ms) foram significativamente maiores (p = 0,001) do que os do grupo controle (29,72 ± 6,30 ms). Houve diferenças estatisticamente significativas entre os valores de QT corrigido antes e após o tratamento com pressão positiva contínua nas vias aéreas, com intervalos QT corrigido pré-tratamento de 62,48 ± 16,29 ms e três meses pós-tratamento, de 41,42 ± 16,96 ms (p = 0,001). Houve uma correlação positiva e significativa entre os períodos de dispersão do intervalo QT corrigido e o índice de apneia-hipopneia e índice de hipopneia em pacientes com apneia obstrutiva do sono (p = 0,001; r = 0,71; p = 0,001; r = 0,679, respectivamente). Conclusão: O tratamento com pressão positiva contínua nas vias aéreas reduziu a dispersão do intervalo QT corrigido em pacientes com apneia obstrutiva do sono grave. Além disso, o encurtamento de dispersão do intervalo QT corrigido em pacientes com apneia obstrutiva do sono grave pode reduzir o risco de arritmias e doenças cardiovasculares.
Descritores: Síndrome do QT Longo/prevenção & controle
Apneia Obstrutiva do Sono/terapia
Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas/métodos
-Índice de Gravidade de Doença
Síndrome do QT Longo/etiologia
Índice de Massa Corporal
Estudos de Casos e Controles
Estudos Prospectivos
Estudos Longitudinais
Resultado do Tratamento
Polissonografia
Apneia Obstrutiva do Sono/complicações
Eletrocardiografia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 578 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-763137
Autor: Xará, Daniela; Mendonça, Júlia; Pereira, Helder; Santos, Alice; Abelha, Fernando José.
Título: Adverse respiratory events after general anesthesia in patients at high risk of obstructive sleep apnea syndrome / Eventos respiratórios adversos após anestesia geral em pacientes com alto risco de síndrome da apneia obstrutiva do sono
Fonte: Rev. bras. anestesiol;65(5):359-366, Sept.-Oct. 2015. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACTINTRODUCTION: Patients with STOP-BANG score >3 have a high risk of Obstructive sleep apnea. The aim of this study was to evaluate early postoperative respiratory complications in adults with STOP-BANG score >3 after general anesthesia.METHODS: This is a prospective double cohort study matching 59 pairs of adult patients with STOP-BANG score >3 (high risk of obstructive sleep apnea) and patients with STOP-BANG score <3 (low risk of obstructive sleep apnea), similar with respect to gender, age and type of surgery, admitted after elective surgery in the Post-Anaesthesia Care Unit in May 2011. Primary outcome was the development of adverse respiratory events. Demographics data, perioperative variables, and postoperative length of stay in the Post-Anesthesia Care Unit and in hospital were recorded. The Mann-Whitney test, the chi-square test and the Fisher exact test were used for comparisons.RESULTS: Subjects in both pairs of study subjects had a median age of 56 years, including 25% males, and 59% were submitted to intra-abdominal surgery. High risk of obstructive sleep apnea patients had a higher median body mass index (31 versus 24 kg/m2, p < 0.001) and had more frequently co-morbidities, including hypertension (58% versus 24%, p < 0.001), dyslipidemia (46% versus 17%, p < 0.001) and insulin-treated diabetes mellitus (17% versus 2%, p = 0.004). These patients were submitted more frequently to bariatric surgery (20% versus 2%, p = 0.002). Patients with high risk of obstructive sleep apnea had more frequently adverse respiratory events (39% versus 10%, p < 0.001), mild to moderate desaturation (15% versus 0%, p = 0.001) and inability to breathe deeply (34% versus 9%, p = 0.001).CONCLUSION: After general anesthesia high risk of obstructive sleep apnea patients had an increased incidence of postoperative respiratory complications.

RESUMOJUSTIFICATIVA E OBJETIVO: Os pacientes com escore STOP-BANG > 3 possuem alto risco de desenvolver apneia obstrutiva do sono. O objetivo deste estudo foi avaliar as complicações respiratórias no pós-operatório imediato em adultos com escore STOP-BANG > 3 após anestesia geral.MÉTODOS: Estudo prospectivo de dupla-coorte, comparando 59 pares de pacientes adultos com escore STOP-BANG > 3 (alto risco de apneia obstrutiva do sono) e pacientes com escore STOP-BANG < 3 (baixo risco de apneia obstrutiva do sono), similares no que diz respeito ao gênero, idade e tipo de cirurgia, admitidos após a cirurgia eletiva em sala de recuperação pós-anestésica (SRPA) em maio de 2011. O desfecho primário foi o desenvolvimento de eventos respiratórios adversos. Dados demográficos, variáveis no perioperatório e tempos de permanência na SRPA e no hospital após a cirurgia foram registrados. Os testes de Mann-Whitney, qui-quadrado e exato de Fisher foram usados para comparação.RESULTADOS: Os indivíduos de ambos os grupos de pacientes do estudo tinham uma média de idade de 56 anos, 25% eram do sexo masculino e 59% foram submetidos à cirurgia intra-abdominal. Os pacientes com alto risco de apneia obstrutiva do sono apresentavam uma mediana maior do índice de massa corporal (31 versus 24 kg/m2, p < 0,001) e comorbidades mais frequentes, como hipertensão (58% vs. 24%, p < 0,001), dislipidemia (46% vs. 17%, p < 0,001) e diabetes melito dependente de insulina (17% vs. 2%, p = 0,004). Esses pacientes foram submetidos com mais frequência à cirurgia bariátrica (20% vs. 2%, p = 0,002). Os pacientes com alto risco de apneia obstrutiva do sono apresentaram mais eventos respiratórios adversos (39% vs. 10%, p < 0,001), dessaturação de leve a moderada (15% vs. 0%, p = 0,001) e incapacidade de respirar profundamente (34% vs. 9%, p = 0,001).CONCLUSÕES: Após a anestesia geral, os pacientes com alto risco de apneia obstrutiva do sono apresentaram um aumento da incidência de complicações respiratórias no período pós-operatório.
Descritores: Complicações Pós-Operatórias/etiologia
Doenças Respiratórias/etiologia
Apneia Obstrutiva do Sono/complicações
Anestesia Geral/efeitos adversos
-Risco
Estudos Prospectivos
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 578 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-787617
Autor: Subramanyam, Rajeev; Fleck, Robert; McAuliffe, John; Radhakrishnan, Rupa; Jung, Dorothy; Patino, Mario; Mahmoud, Mohamed.
Título: Upper airway morphology in Down Syndrome patients under dexmedetomidine sedation / Morfologia das vias aéreas superiores em pacientes com síndrome de Down sob sedação com dexmedetomidina
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(4):388-394tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives: Children with Down Syndrome are vulnerable to significant upper airway obstruction due to relative macroglossia and dynamic airway collapse. The objective of this study was to compare the upper airway dimensions of children with Down Syndrome and obstructive sleep apnea with normal airway under dexmedetomidine sedation. Methods: IRB approval was obtained. In this retrospective study, clinically indicated dynamic sagittal midline magnetic resonance images of the upper airway were obtained under low (1 mcg/kg/h) and high (3 mcg/kg/h) dose dexmedetomidine. Airway anteroposterior diameters and sectional areas were measured as minimum and maximum dimensions by two independent observers at soft palate (nasopharyngeal airway) and at base of the tongue (retroglossal airway). Results and conclusions: Minimum anteroposterior diameter and minimum sectional area at nasopharynx and retroglossal airway were significantly reduced in Down Syndrome compared to normal airway at both low and high dose dexmedetomidine. However, there were no significant differences between low and high dose dexmedetomidine in both Down Syndrome and normal airway. The mean apnea hypopnea index in Down Syndrome was 16 ± 11. Under dexmedetomidine sedation, children with Down Syndrome and obstructive sleep apnea when compared to normal airway children show significant reductions in airway dimensions most pronounced at the narrowest points in the nasopharyngeal and retroglossal airways.

Resumo Justificativa e objetivos: As crianças com síndrome de Down (SD) são vulneráveis à obstrução significativa das vias aéreas superiores devido à macroglossia relativa e ao colapso dinâmico das vias aéreas. O objetivo deste estudo foi comparar as dimensões das vias aéreas superiores de crianças com SD e apneia obstrutiva do sono (AOS) com vias aéreas normais (VAN) sob sedação com dexmedetomidina (DEX). Métodos: Aprovação IRB foi obtida. Neste estudo retrospectivo, imagens clinicamente indicadas de ressonância magnética da dinâmica das vias aéreas superiores em plano sagital na linha média foram obtidas sob dose baixa (1 mcg/kg/h) e dose alta (3 mcg/kg/h) de DEX. Os diâmetros anteroposteriores das vias aéreas e as áreas seccionais foram medidas como dimensões mínimas e máximas por dois observadores independentes, no palato mole (região nasofaríngea) e na base da língua (região retroglossal). Resultados e conclusões: O diâmetro mínimo anteroposterior e a área seccional mínima das regiões nasofaríngea e retroglossal estavam significativamente reduzidos na SD em comparação com VAN, tanto com a dose baixa quanto com a dose alta de DEX. Contudo, não houve diferenças significativas entre as doses baixa e alta de DEX em SD e VAN. A média do índice de apneia e hipopneia na SD foi de 16 ± 11. Sob sedação com DEX, as crianças com SD e AOS, quando comparadas com as crianças com VAN, apresentaram reduções significativas nas dimensões das vias aéreas, mais pronunciadas nos pontos mais estreitos das regiões nasofaríngea e retroglossal.
Descritores: Pesos e Medidas Corporais
Nasofaringe/fisiopatologia
Nasofaringe/diagnóstico por imagem
Síndrome de Down/complicações
Dexmedetomidina
Hipnóticos e Sedativos
-Imagem por Ressonância Magnética
Estudos Retrospectivos
Estudos de Coortes
Apneia Obstrutiva do Sono/fisiopatologia
Obstrução das Vias Respiratórias/complicações
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 578 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-974371
Autor: Denadai, Rafael; Sabbag, Anelise; Amaral, Cassio Eduardo Raposo; Pereira Filho, João Carlos; Nagae, Mirian Hideko; Amaral, Cesar Augusto Raposo.
Título: Buccinator myomucosal flap for the treatment of velopharyngeal insufficiency in patients with cleft palate and/or lip / Buccinator myomucosal flap for the treatment of velopharyngeal insufficiency in patients with cleft palate and/or lip
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);84(6):697-707, Nov.-Dec. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: The interpretation of the speech results obtained with the buccinator myomucosal flap in the treatment of velopharyngeal insufficiency in patients with cleft palate has been limited by the restriction in the number of patients and the time of postoperative follow-up. Objective: To evaluate the effect of the buccinator myomucosal flap on speech hypernasality in the treatment of patients with cleft palate and velopharyngeal insufficiency. Methods: Patients with repaired cleft palate (± lip) who were submitted to surgical correction of velopharyngeal insufficiency using the bilateral buccinator myomucosal flap were assessed. Hypernasality (scores 0 [absent], 1 [mild], 2 [moderate], or 3 [severe]) was analyzed by three evaluators by measuring the audiovisual records collected in early and late preoperative and postoperative periods (3 and 12 months, respectively). The values were considered significant for a 95% Confidence Interval (p < 0.05). Results: Thirty-seven patients with cleft palate (± lip) showing moderate (16.2%) or severe (83.8%) hypernasality in the preoperative period were included. Analyses of the late postoperative period showed that hypernasality (0.5 ± 0.7) was significantly (p < 0.05) lower than the hypernasality of the preoperative and recent postoperative periods (2.8 ± 0.4 and 1.7 ± 0.9, respectively). Conclusion: The buccinator myomucosal flap is effective in reducing/eliminating hypernasality in patients with cleft palate (± lip) and velopharyngeal insufficiency.

Resumo: Introdução: A interpretação dos resultados de fala obtidos com o retalho miomucoso do músculo bucinador no tratamento da insuficiência velofaríngea em pacientes fissurados tem sido limitada pela restrição do número de pacientes e do tempo de seguimento pós-operatório. Objetivo: Avaliar o efeito do retalho miomucoso do músculo bucinador sobre a hipernasalidade da fala no tratamento de pacientes fissurados com insuficiência velofaríngea. Método: Foram avaliados pacientes com fissura palatina (± lábio) reparada, com retalho miomucoso do músculo bucinador bilateral para a correção cirúrgica da insuficiência velofaríngea. A hipernasalidade (escores 0 [ausente], 1 [leve], 2 [moderada] ou 3 [severa]) foi analisada por três avaliadores por meio da mensuração dos registros audiovisuais coletados nos períodos pré-operatório e pós-operatórios recente e tardio (3 e 12 meses, respectivamente). Os valores foram considerados significativos para um intervalo de confiança de 95% (p < 0,05). Resultado: Foram incluídos 37 pacientes fissurados com hipernasalidade moderada (16,2%) ou severa (83,8%) no período pré-operatório. As análises do período pós-operatório tardio revelaram que a hipernasalidade (0,5 ± 0,7) foi significativamente (p < 0,05) menor do que a hipernasalidade dos períodos pré-operatório e pós-operatório recente (2,8 ± 0,4 e 1,7 ± 0,9; respectivamente). Conclusão: O retalho miomucoso do músculo bucinador é eficaz na redução/eliminação da hipernasalidade nos pacientes fissurados com insuficiência velofaríngea.
Descritores: Retalhos Cirúrgicos/cirurgia
Insuficiência Velofaríngea/cirurgia
Fenda Labial/cirurgia
Fissura Palatina/cirurgia
Músculos Faciais/cirurgia
-Período Pós-Operatório
Distúrbios da Fala/classificação
Distúrbios da Fala/reabilitação
Estudos Prospectivos
Resultado do Tratamento
Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos/métodos
Apneia Obstrutiva do Sono/classificação
Período Pré-Operatório
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Ensaio Clínico
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 58 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde