Base de dados : LILACS
Pesquisa : C09.218.568.217.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 120 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 12 ir para página                         

  1 / 120 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-828235
Autor: Tootoonchi, Seyed Javad Seyed; Ghiasi, Samad; Shadara, Parvaneh; Samani, Simin Mirakhor; Fouladi, Daniel Fadaei.
Título: Hearing function after betahistine therapy in patients with Ménière's disease / Função auditiva após terapia com beta-histina em pacientes com doença de Ménière
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);82(5):500-506, Sept.-Oct. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT INTRODUCTION: Preventing or reversing hearing loss is challenging in Ménière's disease. Betahistine, as a histamine agonist, has been tried in controlling vertigo in patients with Ménière's disease, but its effectiveness on hearing problems is not known. OBJECTIVE: To examine the effect of betahistine on hearing function in not-previously-treated patients with Ménière's disease and to define possible contributors in this regard. METHODS: A total of 200 not-previously-treated patients with definite unilateral Ménière's disease received betahistine by mouth (initial dose, 16 mg three times a day; maintenance dose, 24-48 mg daily in divided doses). Changes in indicators of hearing status before and six months after treatment were documented. Hearing loss was considered as the mean hearing level >25 dB HL at five frequencies. RESULTS: The mean duration of disease was 3.37 years. Six months after treatment the mean hearing level decreased by 6.35 dB compared to that at the baseline (p < 0.001). Both patients' age and the duration of disease correlated negatively with the improvement in hearing function. Post treatment hearing loss was independently associated with age, the initial hearing level and the chronicity of disease. The corresponding optimal cut-off points for predicating a persistent hearing loss 6 months after treatment were 47 years, 38 dB HL, and 1.4 years, respectively. CONCLUSION: Oral betahistine was significantly effective in preventing/reversing hearing deterioration in patients with Ménière's disease. Age, the hearing level on admission, and the disease duration were independent predictors of hearing status after treatment.

Resumo Introdução: Prevenir ou reverter a perda auditiva é um desafio na doença de Ménière. A betahistina, um agonista de histamina, tem sido testada no controle de vertigem em pacientes com doença de Ménière, mas sua eficácia em problemas de audição ainda não é conhecida. Objetivo: Analisar o efeito da betahistina na função auditiva em pacientes com doença de Ménière não tratados previamente, e definir possíveis contribuintes a esse respeito. Método: Um total de 200 pacientes sem tratamento prévio, e com diagnóstico definido de doença de Ménière unilateral, recebeu beta-histina por via oral (dose inicial de 16 mg três vezes ao dia; dose de manutenção de 24-48 mg por dia, em doses divididas). Alterações dolimiar auditivo antes e após seis meses de tratamento foram documentadas. Considerou-se como perda auditiva uma média do nível de audição > 25 dB NA em cinco frequências. Resultados: A média de duração da doença foi de 3,37 anos. Seis meses após o tratamento, a média do limiar auditivo diminuiu em 6,35 dB, em comparação com o valor da linha de base (p < 0,001). Tanto a idade dos pacientes quanto a duração da doença apresentaram correlação negativa com a melhora da função auditiva. A perda auditiva após o tratamento foi independentemente associada à idade, ao nível inicial de audição e à cronicidade da doença. Os pontos de corte ótimos correspondentes para prever uma perda auditiva persistente seis meses após o tratamento foram 47 anos, 38 dB HL e 1,4 ano, respectivamente. Conclusão: A betahistina oral foi significantemente eficaz na prevenção/reversão da deterioração auditiva em pacientes com doença de Ménière. Idade, nível de audição na admissão e duração da doença foram fatores preditivos independentes da condição auditiva após o tratamento.
Descritores: beta-Histina/uso terapêutico
Agonistas dos Receptores Histamínicos/uso terapêutico
Perda Auditiva/tratamento farmacológico
Doença de Meniere/tratamento farmacológico
-Audiometria
Resultado do Tratamento
Otoscopia
Perda Auditiva/etiologia
Doença de Meniere/complicações
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 120 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-828253
Autor: Celis-Aguilar, Erika; Hinojosa-González, Ramon; Vales-Hidalgo, Olivia; Coutinho-Toledo, Heloisa.
Título: Refractory episodic vertigo: role of intratympanic gentamicin and vestibular evoked myogenic potentials / Vertigem refratária episódica: papel da gentamicina intratimpânica e potencial evocado miogênico vestibular
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);82(6):668-673, Oct.-Dec. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Even today, the treatment of intractable vertigo remains a challenge. Vestibular ablation with intratympanic gentamicin stands as a good alternative in the management of refractory vertigo patients. Objective: To control intractable vertigo through complete saccular and horizontal canal vestibular ablation with intratympanic gentamicin treatment. Methods: Patients with refractory episodic vertigo were included. The inclusion criteria were: unilateral ear disease, moderate to profound sensorineural hearing loss, and failure to other treatments. Included patients underwent 0.5-0.8 mL of gentamicin intratympanic application at a 30 mg/mL concentration. Vestibular ablation was confirmed by the absence of response on cervical vestibular evoked myogenic potentials and no response on caloric tests. Audiometry, electronystagmography with iced water, and vestibular evoked myogenic potentials were performed in all patients. Results: Ten patients were included; nine patients with Meniere's disease and one patient with (late onset) delayed hydrops. Nine patients showed an absent response on vestibular evoked myogenic potentials and no response on caloric tests. The only patient with low amplitude on cervical vestibular evoked myogenic potentials had vertigo recurrence. Vertigo control was achieved in 90% of the patients. One patient developed hearing loss >30 dB. Conclusions: Cervical vestibular evoked myogenic potentials confirmed vestibular ablation in patients treated with intratympanic gentamicin. High-grade vertigo control was due to complete saccular and horizontal canal ablation (no response to iced water in electronystagmography and no response on cervical vestibular evoked myogenic potentials).

Resumo Introdução: Ainda hoje, o controle da vertigem intratável permanece um desafio. A ablação vestibular com gentamicina intratimpânica permanece como uma boa alternativa no tratamento de pacientes com vertigem refratária. Objetivo: Controlar a vertigem intratável por meio de ablação vestibular completa dos canais sacular e horizontal com gentamicina intratimpânica como tratamento. Método: Pacientes com vertigem refratária episódica foram incluídos. Os critérios de inclusão foram doença unilateral da orelha, perda auditiva neurossensorial de moderada a profunda e fracasso com outros tratamentos. Os pacientes incluídos receberam uma aplicação de 0,5-0,8 mL de gentamicina intratimpânica com concentração de 30 mg/mL. A ablação vestibular foi confirmada pela ausência de resposta no teste de potencial evocado miogênico vestibular cervical (PEMVc) e nenhuma resposta nas provas calóricas. Audiometria, eletronistagmografia com água gelada e potencial evocado miogênico vestibular foram realizados em todos os pacientes. Resultados: Ao todo, dez pacientes foram incluídos: nove com doença de Ménière e um com hidropisia tardia. Nove pacientes apresentaram ausência de resposta no teste de potencial evocado miogênico vestibular e nenhuma resposta na prova calórica. O único paciente com baixa amplitude no PEMVc apresentou recorrência da vertigem. O controle da vertigem foi obtido em 90% dos pacientes. Um paciente desenvolveu perda auditiva > 30 dB. Conclusões: O PEMVc confirmou ablação vestibular nos pacientes tratados com gentamicina intratimpânica. O alto grau de controle da vertigem foi devido à ablação completa do sáculo e canal horizontal (sem resposta à água gelada na eletronistagmografia e ausência de resposta no PEMVc).
Descritores: Membrana Timpânica
Gentamicinas/administração & dosagem
Potenciais Evocados Miogênicos Vestibulares/efeitos dos fármacos
Doença de Meniere/tratamento farmacológico
Antibacterianos/administração & dosagem
-Índice de Gravidade de Doença
Testes Calóricos
Estudos Retrospectivos
Resultado do Tratamento
Eletronistagmografia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 120 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889267
Autor: Silva, Tatiana Rocha; Resende, Luciana Macedo de; Santos, Marco Aurélio Rocha.
Título: Combined ocular and cervical vestibular evoked myogenic potential in individuals with vestibular hyporeflexia and in patients with Ménière's disease / Potencial evocado miogênico vestibular ocular e cervical simultâneo em indivíduos com hiporreflexia vestibular e em indivíduos com doença de Ménière
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(3):330-340, May-June 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: The vestibular evoked myogenic potential is a potential of mean latency that measures the muscle response to auditory stimulation. This potential can be generated from the contraction of the sternocleidomastoid muscle and also from the contraction of extraocular muscles in response to high-intensity sounds. This study presents a combined or simultaneous technique of cervical and ocular vestibular evoked myogenic potential in individuals with changes in the vestibular system, for use in otoneurologic diagnosis. Objective: To characterize the records and analyze the results of combined cervical and ocular VEMP in individuals with vestibular hyporeflexia and in those with Ménière's disease. Methods: The study included 120 subjects: 30 subjects with vestibular hyporeflexia, 30 with Ménière's disease, and 60 individuals with normal hearing. Data collection was performed by simultaneously recording the cervical and ocular vestibular evoked myogenic potential. Results: There were differences between the study groups (individuals with vestibular hyporeflexia and individuals with Ménière's disease) and the control group for most of wave parameters in combined cervical and ocular vestibular evoked myogenic potential. For cervical vestibular evoked myogenic potential, it was observed that the prolongation of latency of the P13 and N23 waves was the most frequent finding in the group with vestibular hyporeflexia and in the group with Ménière's disease. For ocular vestibular evoked myogenic potential, prolonged latency of N10 and P15 waves was the most frequent finding in the study groups. Conclusion: Combined cervical and ocular vestibular evoked myogenic potential presented relevant results for individuals with vestibular hyporeflexia and for those with Ménière's disease. There were differences between the study groups and the control group for most of the wave parameters in combined cervical and ocular vestibular evoked myogenic potential.

Resumo Introdução: O potencial evocado miogênico vestibular é um potencial de média latência que avalia a resposta muscular decorrente de estimulação auditiva. Pode ser gerado a partir da contração do músculo esternocleidomastóideo e também a partir da contração de músculos extraoculares em resposta a sons de elevada intensidade. Este estudo apresenta uma técnica combinada ou simultânea de potencial evocado miogênico vestibular cervical e ocular em indivíduos com alterações no sistema vestibular para que possa ser usada no diagnóstico otoneurológico. Objetivo: Caracterizar o registro e analisar os resultados do potencial evocado miogênico vestibular cervical e ocular combinado em indivíduos com hiporreflexia vestibular e em indivíduos com doença de Ménière. Método: Participaram do estudo 120 indivíduos, 30 com hiporreflexia vestibular, 30 com doença de Ménière e 60 com audição dentro dos padrões de normalidade. A coleta de dados foi feita por meio do potencial evocado miogênico vestibular cervical e ocular registrados simultaneamente. Resultados: Houve diferença entre o grupo de estudo (indivíduos com hiporreflexia vestibular e indivíduos com doença de Ménière) e o grupo controle para a maioria dos parâmetros das ondas no potencial evocado miogênico vestibular cervical e ocular combinado. Para o potencial evocado miogênico vestibular cervical observou-se que o prolongamento da latência das ondas P13 e N23 foi a alteração mais encontrada no grupo de indivíduos com hiporreflexia vestibular e no grupo de indivíduos com doença de Ménière. Para o potencial evocado miogênico vestibular ocular o prolongamento da latência das ondas N10 e P15 foi a alteração mais encontrada no grupo de estudo. Conclusão: O potencial evocado miogênico vestibular cervical e ocular combinado apresentou resultados relevantes para os indivíduos com hiporreflexia vestibular e para os indivíduos com doença de Ménière. Houve diferença entre o grupo de estudo e o grupo controle para a maioria dos parâmetros das ondas no potencial evocado miogênico vestibular cervical e ocular combinado.
Descritores: Reflexo Vestíbulo-Ocular/fisiologia
Vértebras Cervicais/fisiopatologia
Reflexo Anormal/fisiologia
Potenciais Evocados Miogênicos Vestibulares/fisiologia
Doença de Meniere/fisiopatologia
-Testes de Função Vestibular
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 120 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889277
Autor: Lamounier, Pauliana; Souza, Thiago Silva Almeida de; Gobbo, Debora Aparecida; Bahmad Jr, Fayez.
Título: Evaluation of vestibular evoked myogenic potentials (VEMP) and electrocochleography for the diagnosis of Ménière's disease / Avaliação dos potenciais evocados miogênicos vestibulares (VEMP) e eletrococleografia no diagnóstico da doença de Ménière
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(4):394-403, July-Aug. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Ménière's disease (MD) is an inner ear disorder characterized by episodic vertigo, tinnitus, ear fullness, and fluctuating hearing. Its diagnosis can be especially difficult in cases where vestibular symptoms are present in isolation (vestibular MD). The definitive diagnosis is made histologically and can only be performed post-mortem, after analysis of the temporal bone. Endolymphatic hydrops is a histopathological finding of the disease and occurs more often in the cochlea and saccule, followed by the utricle and semicircular canals. Vestibular evoked myogenic potentials (VEMP) emerged as the method of assessment of vestibular function in 1994. Until then, there was no unique way of assessing saccular function and the inferior vestibular nerve. Given that the saccule is responsible for most cases of severe hydrops, VEMP appears as a new tool to assist in the diagnosis of MD. Objective: To evaluate the sensitivity and specificity of VEMP and electrocochleography (EcochG) in the diagnosis of definite MD compared with clinical diagnosis. Methods: The study includes 12 patients (24 ears) diagnosed with definite MD defined according to the clinical criteria proposed by the American Academy of Otolaryngology - Head and Neck Surgery (AAO-HNS) in 1995, as well as 12 healthy volunteers allocated to the control group (24 ears). A clinical diagnosis by the AAO-HNS criteria was considered as the gold standard. All patients underwent an otoneurological examination, including pure tone and speech audiometry, VEMP, and extratympanic EcochG. The sensitivity and specificity to detect the presence or absence of disease were calculated, as well as their 95% confidence intervals. The reliability of VEMP and EcochG in both ears was assessed using the kappa index. Results: In both tests and in both ears, the ability to diagnose healthy cases was high, with specificity ranging from 84.6% to 100%. Moreover, the ability of the tests to diagnose the disease varied from low to moderate sensitivity, with values ranging from 37.5% to 63.6%. The agreement of both tests in the right ear, measured by the kappa coefficient, was equal to 0.54 (95% CI: 0.20-0.89), indicating a moderate agreement. In the left ear, that agreement was equal to 0.07 (95% CI: −0.33 to 0.46), indicating a weak correlation between the tests. The sensitivity of the VEMP for the right ear was 63.6% and for the left ear, 62.5%. The sensitivity of EcochG for the right ear was 63.6% and 37.5% for the left ear. Conclusion: The specificity of both tests was high, and the sensitivity of VEMP was higher than that of EcochG.

Resumo Introdução: A doença de Ménière (DM) é uma doença da orelha interna caracterizada por vertigem episódica, zumbido, plenitude aural e audição flutuante. Seu diagnóstico pode ser especialmente difícil nos casos em que os sintomas vestibulares estão presentes isoladamente (DM vestibular). O diagnóstico de certeza é histológico e somente pode ser feito no post mortem, após análise do osso temporal. A hidropisia endolinfática é um achado histopatológico da doença e ocorre mais frequentemente na cóclea e sáculo, seguidos pelo utrículo e canais semicirculares. Os potenciais evocados miogênicos vestibulares (VEMP) surgiram como método de avaliação da função vestibular em 1994. Até então não havia uma maneira exclusiva de avaliação da função sacular e do nervo vestibular inferior e como o sáculo era responsável por grande parte dos casos de hidropisia severa, o VEMP apareceu como uma nova ferramenta para auxiliar no diagnóstico da DM. Objetivo: Avaliar a sensibilidade e especificidade do VEMP e da eletrococleografia (ECochG) no diagnóstico da DM em comparação com o diagnóstico clínico. Método: Foram selecionados 12 pacientes (24 orelhas) com diagnóstico de DM definida de acordo com os critérios clínicos propostos pela American Academy of Otolaryngology-Head and Neck Surgery 1995 (AAO-HNS) e 12 voluntários saudáveis alocados no grupo controle (24 orelhas). Considerou-se o diagnóstico clínico pela AAO-HNS como padrão ouro. Todos os pacientes foram submetidos a exame otoneurológico, incluindo audiometria tonal e vocal, VEMP e eletrococleografia extratimpânica. A sensibilidade e especificidade para detectar a presença ou ausência de doença foram calculadas e os respectivos intervalos de confiança de 95% obtidos. A confiabilidade dos testes de diagnóstico VEMP e eletrococleografia em ambas as orelhas foi avaliada pelo índice kappa. Resultados: Em ambos os testes e em ambas as orelhas, a capacidade para diagnosticar os casos saudáveis é alta, a especificidade varia de 84,6%-100%. Além disso, a capacidade dos testes para o diagnóstico da doença varia de baixa a moderada sensibilidade, com valores de 37,5%-63,6%. A concordância dos dois testes na orelha direita, medida pelo coeficiente de kappa, foi igual a 0,54; 95% IC (0,20-0,89) indicaram uma concordância moderada. Para a orelha esquerda essa concordância foi igual a 0,07 com 95% IC (-0,33-0,46), o que indicou uma concordância fraca entre os testes. A sensibilidade do VEMP para a orelha direita foi de 63,6% e para a orelha esquerda, de 62,5%. A sensibilidade da ECochG para a orelha direita foi de 63,6% e 37,5% para a orelha esquerda. Conclusão: A especificidade de ambos os testes foi alta e a sensibilidade do VEMP foi maior do que a da eletrococleografia.
Descritores: Cóclea/fisiopatologia
Potenciais Evocados Auditivos/fisiologia
Potenciais Evocados Miogênicos Vestibulares/fisiologia
Doença de Meniere/diagnóstico
-Audiometria de Resposta Evocada
Reprodutibilidade dos Testes
Sensibilidade e Especificidade
Eletrodiagnóstico
Doença de Meniere/fisiopatologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 120 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889314
Autor: Petri, Maria; Chirilă, Magdalena; Bolboacă, Sorana D; Cosgarea, Marcel.
Título: Health-related quality of life and disability in patients with acute unilateral peripheral vestibular disorders / Qualidade de vida relacionada à saúde e incapacidade em pacientes com distúrbios vestibulares periféricos unilaterais agudos
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(6):611-618, Nov.-Dec. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Health-related quality of life is used to denote that portion of the quality of life that is influenced by the person's health. Objectives: To compare the health-related quality of life of individuals with vestibular disorders of peripheral origin by analyzing functional, emotional and physical disabilities before and after vestibular treatment. Methods: A prospective, non randomized case-controlled study was conduced in the ENT Department, between January 2015 and December 2015. All patients were submitted to customize a 36 item of health survey on quality of life, short form 36 health survey questionnaire (SF-36) and the Dizziness Handicap Inventory for assessing the disability. Individuals were diagnosed with acute unilateral vestibular peripheral disorders classified in 5 groups: vestibular neuritis, Ménière Disease, Benign Paroxysmal Positional Vertigo, cochlear-vestibular dysfunction (other than Ménière Disease), or other type of acute peripheral vertigo (as vestibular migraine). Results: There was a statistical significant difference for each parameter of Dizziness Handicap Inventory score (the emotional, functional and physical) between the baseline and one month both in men and women, but with any statistical significant difference between 7 days and 14 days. It was found a statistical significant difference for all eight parameters of SF-36 score between the baseline and one month later both in men and women; the exception was the men mental health perception. The correlation between the Dizziness Handicap Inventory and the SF-36 scores according to diagnostics type pointed out that the Spearman's correlation coefficient was moderate correlated with the total scores of these instruments. Conclusion: The Dizziness Handicap Inventory and the SF-36 are useful, proved practical and valid instruments for assessing the impact of dizziness on the quality of life of patients with unilateral peripheral vestibular disorders.

Resumo Introdução: Qualidade de vida relacionada à saúde é usada para designar a parte da qualidade de vida que é influenciada pela saúde do indivíduo. Objetivos: Comparar a qualidade de vida relacionada à saúde de indivíduos com distúrbios vestibulares de origem periférica, analisar incapacidades funcionais, emocionais e físicas antes e após o tratamento vestibular. Método: Um estudo de caso-controle prospectivo, não randomizado, foi conduzido no Departamento de Otorrinolaringologia, entre janeiro de 2015 e dezembro de 2015. Todos os pacientes foram submetidos a uma pesquisa de saúde personalizada de 36 itens sobre qualidade de vida, ao formulário abreviado de avaliação de saúde 36 (SF-36) e ao Dizziness Handicap Inventory para avaliar a incapacidade. Os indivíduos foram diagnosticados com distúrbios vestibulares periféricos unilaterais agudos, classificados em cinco grupos: neurite vestibular, doença de Ménière, vertigem posicional paroxística benigna, disfunção cócleo-vestibular (exceto Doença de Ménière) ou outro tipo de vertigem periférica aguda (como enxaqueca vestibular). Resultados: Houve uma diferença estatisticamente significante para cada parâmetro de escore no Dizziness Handicap Inventory (emocional, funcional e físico) entre a avaliação basal e depois de um mês, tanto em homens quanto em mulheres, mas sem diferença estatística significativa entre sete dias e 14 dias. Foi encontrada uma diferença estatisticamente significante para todos os oito parâmetros do escore no SF-36 entre a avaliação basal e um mês mais tarde, tanto em homens quanto em mulheres; a exceção foi a percepção de saúde mental nos homens. A correlação entre Dizziness Handicap Inventory e o SF-36 de acordo com o tipo de diagnóstico mostrou que o coeficiente de correlação de Spearman foi moderado quando correlacionado com o escore total desses instrumentos. Conclusão: O Dizziness Handicap Inventory e o SF-36 demonstraram ser instrumentos úteis, práticos e válidos para avaliar o impacto da tontura na qualidade de vida de pacientes com distúrbios vestibulares periféricos unilaterais.
Descritores: Qualidade de Vida
Vertigem/fisiopatologia
Neuronite Vestibular/fisiopatologia
Avaliação da Deficiência
-Valores de Referência
Fatores de Tempo
Índice de Gravidade de Doença
Estudos de Casos e Controles
Fatores Sexuais
Vertigem/diagnóstico
Vertigem/terapia
Estudos Prospectivos
Inquéritos e Questionários
Reprodutibilidade dos Testes
Análise de Variância
Estatísticas não Paramétricas
Neuronite Vestibular/diagnóstico
Neuronite Vestibular/terapia
Tontura/diagnóstico
Tontura/fisiopatologia
Tontura/terapia
Doença de Meniere/diagnóstico
Doença de Meniere/fisiopatologia
Doença de Meniere/terapia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 120 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1055509
Autor: Azevedo, Yaná Jinkings de; Ledesma, Alleluia Lima Losno; Pereira, Larissa Vilela; Oliveira, Carlos Augusto; Bahmad Junior, Fayez.
Título: Vestibular implant: does it really work? A systematic review / Implante vestibular: ele realmente funciona? Uma revisão sistemática
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);85(6):788-798, Nov.-Dec. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: People with vestibular loss present a deficit in the vestibular system, which is primarily responsible for promoting postural control, gaze stabilization, and spatial orientation while the head moves. There is no effective treatment for a bilateral loss of vestibular function. Recently, a vestibular implant was developed for people with bilateral loss of vestibular function to improve this function and, consequently, the quality of life of these patients. Objective: To identify in the scientific literature evidence that vestibular implants in people with vestibular deficit improves vestibular function. Methods: One hundred and forty six articles were found from five databases and 323 articles from the gray literature mentioning the relationship between vestibular implant and vestibular function in humans. The PICOS strategy (Population, Intervention, Comparison and Outcome) was used to define the eligibility criteria. The studies that met the inclusion criteria for this second step were included in a qualitative synthesis, and each type of study was analyzed according to the bias risk assessment of the Joanna Briggs Institute through the critical assessment checklist Joanna Briggs institute for quasi-experimental studies and the Joanna Briggs institute critical assessment checklist for case reports. Results: Of the 21 articles included in reading the full text, 10 studies were selected for the qualitative analysis in the present systematic review. All ten articles analyzed through the critical assessment checklist Joanna Briggs institute showed a low risk of bias. The total number of samples in the evaluated articles was 18 patients with vestibular implants. Conclusions: Taken together, these findings support the feasibility of vestibular implant for restoration of the vestibulo-ocular reflex in a broad frequency range and illustrate new challenges for the development of this technology.

Resumo Introdução: Pessoas com perda vestibular apresentam um déficit no sistema vestibular, o qual é o principal responsável pelo controle postural, pela estabilização do olhar e orientação espacial enquanto a cabeça se movimenta. Não há tratamento efetivo para uma perda vestibular bilateral. Recentemente, foi desenvolvido um implante vestibular para pessoas com perda vestibular bilateral para melhorar essa função e, consequentemente, a qualidade de vida desses pacientes. Objetivo: Identificar na literatura científica evidências de que o implante vestibular melhora a função vestibular de pessoas com déficit vestibular. Método: Cento e quarenta e seis artigos foram encontrados em cinco bases de dados e 323 arti-gos da literatura cinzenta, mencionando a relação entre implante vestibular e função vestibular em humanos. A estratégia PICOS (População, Intervenção, Comparação e Desfechos) foi uti-lizada para definir os critérios de elegibilidade. Os estudos que preencheram os critérios de inclusão para esta segunda etapa foram incluídos em uma síntese qualitativa, e cada tipo de estudo foi analisado de acordo com a avaliação de risco de viés do Joanna Briggs Institute através da critical appraisal checklist for quasi-experimental studies e da critical appraisa lchecklist for case reports. Resultados: Dos 21 artigos incluídos cujos textos completos foram lidos, 10 foram selecionados para a análise qualitativa na presente revisão sistemática. Todos os dez artigos analisados ??através da critical appraisal checklist mostraram um baixo risco de viés. O número total de amostras nos artigos avaliados foi de 18 pacientes com implantes vestibulares. Conclusões: Em conjunto, esses achados apoiam a viabilidade do implante vestibular para a restauração do reflexo vestíbulo-ocular em uma ampla faixa de frequências e ilustram novos desafios para o desenvolvimento desta tecnologia.
Descritores: Doenças Vestibulares/cirurgia
Vestíbulo do Labirinto/fisiologia
Implante Coclear
-Qualidade de Vida
Testes de Função Vestibular
Doenças Vestibulares/fisiopatologia
Distribuição por Sexo
Distribuição por Idade
Potenciais Evocados
Doença de Meniere/fisiopatologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 120 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1132565
Autor: Li, Xuanyi; Wu, Qianru; Sha, Yan; Dai, Chunfu; Zhang, Ru.
Título: Gadolinium-enhanced MRI reveals dynamic development of endolymphatic hydrops in Ménières disease / Ressonância magnética com gadolínio revela o desenvolvimento dinâmico da hidropsia endolinfática na doença de Ménière
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);86(2):165-173, March-Apr. 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: National Natural Science Foundation of China.
Resumo: Abstract Introduction: Meniere's disease is associated with impaired hearing, tinnitus, vertigo, and aural fullness. Many anatomical studies have suggested idiopathic endolymphatic hydrops as the pathological basis of Meniere's disease, which now can be visualized by using gadolinium -enhanced magnetic resonance imaging of the inner ear. Objective: To investigate the development of endolymphatic hydrops in Meniere's disease by monitoring the vestibules and cochleae of affected patients. Methods: Inner ears of 178 patients with definite unilateral Meniere's disease diagnosis were visualized by 3-dimensional fluid-attenuated inversion recovery and three-dimensional real inversion recovery magnetic resonance imaging following bilateral gadolinium intratympanic injection. The scans were used to evaluate the presence and degree of endolymphatic hydrops in the vestibules and cochlear structures, including the cochlear apical turn, the cochlear middle turn, and the cochlear basal turn. The correlation of endolymphatic hydrops occurrence between the various parts of the inner ear was determined. Results: Symptomatic endolymphatic hydrops was detected on the affected side in all patients, whereas asymptomatic endolymphatic hydrops was detected on the unaffected contra-lateral side in 32 patients (18.0%). On the affected side, the cochlear apical turn and the cochlear middle turn demonstrated significantly higher rates of endolymphatic hydrops than the cochlear basal turn and the vestibule. The severity of endolymphatic hydrops gradually decreased from the cochlear apical turn to the cochlear basal turn. On the contra lateral side, the incidence and degree of the detected asymptomatic endolymphatic hydrops were significantly greater in the cochleae than in the vestibules (p < 0.05), with no significant difference detected between the cochlear turns. Conclusion: Progression of endolymphatic hydrops appears to be directional, initiated in the cochlea. The order of endolymphatic hydrops severity gradually decreases from the cochlear apical turn to the cochlear basal turn and then to the vestibule. Endolymphatic hydrops in the vestibule is associated with symptomatic Meniere's disease.

Resumo Introdução: A doença de Ménière está associada a deficiência auditiva, zumbido, vertigem e plenitude auricular. Muitos estudos anatômicos sugerem hidropsia endolinfática idiopática como a base patológica da doença, que agora pode ser visualizada através de estudo por imagem da orelha interna por ressonância magnética com gadolínio. Objetivo: Investigar o desenvolvimento da hidropsia endolinfática na doença de Ménière com monitoramento dos vestíbulos e das cócleas dos pacientes afetados. Métodos: Orelhas internas de 178 pacientes com diagnóstico definitivo de doença de Ménière unilateral foram visualizados através de imagem de recuperação de inversão atenuada por fluidos em ressonância magnética tridimensional, 3-D FLAIR, e por inversão real após injeção intratimpânica bilateral de gadolínio. Os exames foram usados para avaliar a presença e o grau de hidropsia endolinfática nos vestíbulos e nas estruturas cocleares, inclusive o giro coclear apical, o giro coclear médio e o giro coclear basal. A correlação da ocorrência de hidropsia endolinfática entre as várias partes da orelha interna foi determinada. Resultados: Hidropsia endolinfática sintomática foi detectada no lado afetado em todos os pacientes, enquanto hidropsia endolinfática assintomática foi detectada no lado contralateral não afetado em 32 pacientes (18,0%). No lado afetado, o giro apical da cóclea e o giro coclear médio demonstraram taxas significativamente mais altas de hidropsia endolinfática do que o giro basal e o vestíbulo. A gravidade da hidropsia endolinfática diminuiu gradualmente do giro apical da cóclea para o giro basal. No lado contralateral, a incidência e o grau da hidropsia endolinfática assintomática detectada foram significantemente maiores nas cócleas do que nos vestíbulos (p < 0,05), sem diferença significante entre os giros cocleares. Conclusões: A progressão da hidropsia endolinfática parece ser direcional, iniciando-se na cóclea. A sua ordem da gravidade diminui gradualmente do giro apical da cóclea para o giro basal e, em seguida, para o vestíbulo. A hidropsia endolinfática no vestíbulo está associada à doença de Ménière sintomática.
Descritores: Hidropisia Endolinfática/etiologia
Hidropisia Endolinfática/diagnóstico por imagem
Gadolínio/administração & dosagem
Doença de Meniere/complicações
Doença de Meniere/diagnóstico por imagem
-Imagem por Ressonância Magnética
Imageamento Tridimensional
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 120 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1132631
Autor: Grigol, Thaís Alvares de Abreu e Silva; Lopes, Karen de Carvalho; Ganança, Fernando Freitas.
Título: Cervical vestibular evoked myogenic potentials and video head impulse test in Ménière disease / Potencial evocado miogênico vestibular cervical e teste de impulso cefálico por vídeo na doença de Ménière
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);86(5):534-544, Sept.-Oct. 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Ménière's disease is among the most frequent causes of vestibular disorders. Although it is a clinical diagnosis, a better understanding of the pathophysiology and clinical course of the disease through tests would allow improvement in the prognosis and more effective treatments. Objectives: To describe the results of the cervical vestibular evoked myogenic and video head impulse test in patients with a defined diagnosis of Ménière's disease and to correlate them with disease duration. Methods: The sample consisted of 50 participants, of whom 29 comprised the study group and 21 the control group. The individuals were submitted to a questionnaire, otoscopy, audiometry and vestibular function assessment through the cervical vestibular evoked myogenic potential and video head impulse test. Results: For the video head impulse test, lateral canal gain values below 0.77 were considered abnormal and for the vertical channels, below 0.61. The percentages of normality were 82.76% for lateral, 89.65% for posterior and 91.37% for anterior canals. For the cervical vestibular evoked myogenic potential, the upper limits of normal for latencies were defined as 18.07 ms for p13 and 28.47 ms for n23; and in the SG, 19.57% showed prolongation of latency of p13 and 4.35% of wave n23, whereas 18.96% did not show biphasic potential. Conclusions: For the video head impulse test, a decreased gain of the vestibulo-ocular reflex for the lateral canal was observed, with a higher incidence of overt type corrective saccades compared to the control group. For the cervical vestibular evoked myogenic potential, there was a significant difference between the groups for the inter-amplitude parameter, including for asymptomatic ears. There was no correlation between the results of the tests and disease duration.

Resumo Introdução: A doença de Ménière está entre as causas mais frequentes de vestibulopatias. Apesar de o diagnóstico ser clínico, compreender melhor a fisiopatologia e o curso clínico da doença por meio dos exames vestibulares permite melhores prognósticos e tratamentos. Objetivos: Descrever resultados do potencial evocado miogênico vestibular cervical e teste de impulso cefálico por vídeo em pacientes com diagnóstico de doença de Ménière definida e correlacionar com o tempo de doença. Método: A amostra foi constituída por 50 participantes, dos quais 29 compuseram o grupo de estudo e 21 formaram o grupo controle. Os indivíduos foram submetidos a um questionário clínico, otoscopia, avaliação audiológica e avaliação da função vestibular por meio do potencial evocado miogênico vestibular cervical e teste de impulso cefálico por vídeo. Resultados: Para teste de impulso cefálico por vídeo foram considerados alterados os valores de ganho para canal lateral abaixo de 0,77 e para os canais verticais abaixo de 0,61; e os percentuais de normalidade para o grupo de estudo foram 82,76% para lateral; 89,65% para posterior e 91,37% anterior. No potencial evocado miogênico vestibular cervical, os limites superiores das latências foram definidos 18,07 ms para p13 e 28,47 ms para n23; no grupo de estudo 19,57% apresentaram prolongamento da latência da p13 e 4,35% da onda n23 e 18,96% não apresentaram o potencial bifásico. Conclusões: No teste de impulso cefálico por vídeo observou-se ganho do reflexo vestíbulo ocular diminuído para os canais laterais, com maior ocorrência de sacadas corretivas do tipo overt. Para o potencial evocado miogênico vestibular cervical observou-se diferença significante entre os grupos para o parâmetro interamplitude, inclusive para orelhas assintomáticas. Não foi evidenciada correlação dos resultados dos exames com o tempo de doença.
Descritores: Potenciais Evocados Miogênicos Vestibulares
Doença de Meniere
-Reflexo Vestíbulo-Ocular
Vestíbulo do Labirinto
Teste do Impulso da Cabeça
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 120 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1050614
Autor: Rays, Marina S; Kasai, Guilherme Koiti dos Santos; Camarnado, Claudia Sampaio; Saes, Sandra Oliveira.
Título: Comparação da efetividade de diferentes propostas de reabilitação vestibular / Comparison of the effectiveness of different vestibular rehabilitation proposals
Fonte: Rev. Salusvita (Online);37(3):479-494, 2018.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: muitos dos pacientes que chegam para avaliação ou tratamento dos transtornos do equilíbrio queixam-se de tontura; não sabendo diferenciá-los e, na maioria das vezes, tendo a falsa ideia de que apresentam um quadro de "labirintite", o qual não tem cura, buscam apenas uma medicação para aliviar seus sintomas. Objetivo: comparar a efetividade de 3 propostas de Reabilitação Vestibular (RV): protocolo de Cawthorne-Cooksey, protocolo Italiano e personalizado. Métodos: participaram 105 indivíduos entre 30 e 59 anos, submetidos ao diagnóstico otoneurológico e separados em 3 grupos com médias de idades semelhantes. O grupo 1 foi composto por 30 participantes tratados com o protocolo de Cawthorne-Cooksey; o grupo 2 por 45 pacientes e foi usado o protocolo Italiano, e o grupo 3 por 30 indivíduos tratados com a proposta personalizada. A efetividade da RV foi avaliada pelo escore do Dizziness Handicap Inventory ­ DHI, adaptado para português, no pré-tratamento, momento da alta ou, no máximo, após 12 sessões de RV. Resultados e Discussão: as principais queixas foram de tonturas e desequilíbrio. Todos os pacientes foram diagnosticados com Síndrome Vestibular Periférica Irritativa ou Deficitária. Todos tiveram desaparecimento ou diminuição de seus sinais e sintomas, sendo que apenas um não atingiu a diminuição preconizada pelo DHI. Quanto às escalas emocional, física e funcional mensuradas pelo DHI, não houve diferença na pontuação em nenhum dos grupos e nem na comparação entre as três escalas no momento pós, caracterizando que a melhora ocorreu proporcionalmente nos três aspectos. Conclusão: o estudo não evidenciou diferença significativa entre as propostas de RV utilizadas.

Introduction: many of the patients who come for evaluation or treatment of balance disorders complain of dizziness; not knowing how to differentiate them, and most of the time they have the false idea that they have a "labyrinthitis" picture, which has no cure, they seek only a medication to relieve their symptoms. Objective: to evaluate the effectiveness of different proposals of VR: protocol of Cawthorne- Cooksey, Italian and customized protocol. Method: for this study, 105 individual between 30 and 59 years were submitted to the otoneurological diagnostic and divided in three groups with similar age average. Group 1 consisted of 30 participants treated with the Cawthorne-Cooksey protocol; group 2, by 45 participants, treated with the Italian protocol and group 3, by 30 participants, treated through the Individualized proposal. The effectiveness of VR was evaluated by the Dizziness Handicap Inventory - DHI score, adapted to Portuguese, at pre-treatment, discharge or at most after twelve rehabilitation sessions. The main complaints were vertigo and instability. All patients had a diagnosis of Peripheral Irritative or Deficient Vestibular Syndrome. Results and Discussion: all of them presented disappearance or decrease of their signs and symptoms, and only one of which didn`t reach the reduction recommended by DHI. As for the emotional, physical and functional scales measured by DHI, there was no difference in the scores in any of the groups nor in the comparison between the three scales at the post-moment, characterizing that the improvement occurred proportionally in all three aspects. Conclusion: the study did not show a significant difference between the VR proposals used.
Descritores: Reabilitação
-Doença de Meniere
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR36.1 - Biblioteca


  10 / 120 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-605819
Autor: Arias Mena, Jairo; Blanco Sarmiento, Pedro.
Título: Evaluación de evolución clínica en pacientes con enfermedad de Meniere intervenidos con descompresión de saco endolinfático en el Centro Médico Imbanaco, Cali, Valle / Clinical assessment of Meniere's disease patients with endolymphatic sac decompression surgery at the Imbanaco Medical Center, Cali, Valle
Fonte: Acta otorrinolaringol. cir. cabeza cuello;38(4):409-414, dec. 2010.
Idioma: es.
Resumo: Evaluar eficacia del procedimiento quirúrgico de descompresión del saco endolinfático (DSE) en mejoramiento de calidad de vida de los pacientes con enfermedad de Meniere intervenidos con DSE utilizando como criterios principales la evaluación de la audición y del vértigo en pacientesatendidos en el Centro Médico Imbanaco entre 2003 y 2007. Materiales y métodos: Estudio de intervención retrospectivo, comparativa (antes-después) en 30 pacientes operados de DSE, se evaluó audición y calidad de vida desde el aspecto de la funcionalidad. Resultados: Mejoría en la calidad de vida de los pacientes operados en los cuales la media de la encuesta del nivel funcional fue de 1.63 mientras que la prequirúrgica fue de 4.06 (p=0.00). No se presentaron cambios significativos en la audición siendo la media de la prequirúrgica de 40.6 y la post de 42.1.

Objective: To evaluate the efficacy of the surgical decompression of the endolymphatic sac (ESD) for the improvement of the quality of life of patients with Meniere's disease using the patient's vertigo control and hearing assessment as the main criteria in patients that have been operated on. Materials and methods: We performed a retrospective interventional study, comparative (beforeafter) in 30 patients with ESD at the Imbanaco Medical Center between 2003 and 2007. The quality of life and hearing preservation was assessed from the aspect of functionality. Results: Improvement in the quality of life was evident in patients who were operated on. The average functional level at the survey was 1.63 after the surgical intervention while the preoperative average was 4.06 (p=0.00). There were no significant changes in the hearing level being the preoperative mean of 40.6 and thepostoperative 42.1.
Descritores: Doença de Meniere/diagnóstico
Doença de Meniere/reabilitação
Doença de Meniere/terapia
Responsável: CO361.9



página 1 de 12 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde