Base de dados : LILACS
Pesquisa : C10.597.606 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 104 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 11 ir para página                         

  1 / 104 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-576981
Autor: Silva, Rosa Carla Gomes da; Silva, Abel Avelino de Paiva e; Marques, Paulo Alexandre Oliveira.
Título: Analysis of a health team's records and nurses' perceptions concerning signs and symptoms of delirium / Análise dos registros produzidos pela equipe de saúde e da percepção dos enfermeiros sobre os sinais e sintomas de delirium / Análisis de registros producidos por el equipo de salud y de la percepción de los enfermeros sobre las señales y síntomas de delirio
Fonte: Rev. latinoam. enferm;19(1):81-89, Jan.-Feb. 2011. tab.
Idioma: en.
Resumo: This study investigates the extent of under-diagnosis of acute confusion/delirium by analyzing the records of a health team and the perception of nurses concerning this phenomenon. This quantitative study was developed in a central university hospital in Portugal and used the documentary and interview techniques. The sample obtained through the application of the NeeCham's scale was composed of 111 patients with the diagnosis of acute confusion/delirium hospitalized in the medical and surgical acute care units. A rate of 12.6 percent of under-diagnosis was identified in the records and a rate of 30.6 percent was found taking into account the perception of nurses. No indicators of acute confusion/delirium were found in 8.1 percent of the 111 cases and only 4.5 percent of the patients were diagnosed with acute confusion/delirium. The results indicate there is difficulty in identifying acute confusion/delirium, with implications for the quality of care, suggesting the need to implement training measures directed to health teams.

Esta pesquisa pretendeu conhecer a dimensão do subdiagnóstico da confusão aguda/delirium, ao analisar os registros produzidos pela equipe de saúde e percepção dos enfermeiros sobre esse fenômeno. Foi desenvolvido em um hospital universitário central, de Portugal, delineada dentro do paradigma quantitativo, utilizando a técnica documental e entrevista. A amostra obtida, pela aplicação da Escala de Confusão NeeCham, foi de 111 doentes com diagnóstico de confusão aguda/delirium, internados em unidades de cuidados agudos médicos e cirúrgicos. Identificou-se taxa de subdiagnóstico do fenômeno de 12,6 por cento nos registros e de 30,6 por cento tendo em conta a percepção dos enfermeiros. Em 8,1 por cento, dos 111 casos, não foi identificado qualquer indicador de confusão aguda/delirium. Somente 4,5 por cento dos doentes tinha o fenômeno diagnosticado. Os resultados apontam dificuldade para se identificar a confusão aguda/delirium, com implicações para a qualidade dos cuidados, sugerindo a necessidade de medidas formativas dirigidas às equipes de saúde.

Esta investigación pretendió conocer la dimensión del subdiagnóstico de la confusión aguda/delirio, al analizar los registros producidos por el equipo de salud y percepción de los enfermeros sobre este fenómeno. Fue desarrollado en un hospital universitario central de Portugal. Delineada dentro del paradigma cuantitativo, utilizando la técnica documental y la entrevista. La muestra obtenida, por la aplicación de la Escala de Confusión NeeCham, fue de 111 enfermos con diagnóstico de confusión aguda/delirio, internados en unidades de cuidados agudos médicos y quirúrgicos. Se identificó una tasa de subdiagnóstico del fenómeno de 12,6 por ciento en los registros y de 30,6 por ciento teniendo en cuenta la percepción de los enfermeros. En 8,1 por ciento de los 111 casos, no fue identificado cualquier indicador de confusión aguda/delirio. Solamente, 4,5 por ciento de los enfermos tenían el fenómeno diagnosticado. Los resultados apuntan para la dificultad en identificar la confusión aguda/delirio, con implicaciones para la calidad de los cuidados, sugiriendo la necesidad de adoptar medidas formativas dirigidas a los equipos de salud.
Descritores: Transtornos Neurocognitivos/diagnóstico
Equipe de Assistência ao Paciente
Equipe de Enfermagem
Manifestações Neurocomportamentais
Percepção
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  2 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-682106
Autor: Chagas, Karla Larissa Matoso; Lima, Luisa Helena de Oliveira; Oliveira, Edina Araújo Rodrigues; Luz, Givaneide Oliveira de Andrade.
Título: Diagnósticos de enfermagem em crianças com sinais e sintomas respiratórios: um estudo descritivo / Nursing diagnosis in children with signs and symptoms of asthma: a description study
Fonte: Rev. RENE;12(2), abr.-maio 2011.
Idioma: pt.
Resumo: As doenças respiratórias são muito comuns na infância. A asma merece destaque por ser a principal doença crônica na infância e sua sintomatologia gera sofrimento aos seus portadores e familiares. O estudo teve como objetivo analisar os diagnósticos de Enfermagem presentes em crianças com sinais e sintomas respiratórios no município de Quixadá-CE, Brasil. Pesquisa descritiva, do tipo transversal, realizada com 30 crianças em internamento hospitalar. Os dados foram coletados entre março e abril de 2009. As crianças avaliadas apresentaram 13 diagnósticos de enfermagem, sendo identificadas 41 características definidoras, 23 fatores relacionados e 19 fatores de risco. O diagnóstico de enfermagem mais prevalente foi desobstrução ineficaz das vias aéreas (96,7%), seguido de padrão respiratório ineficaz (80%) e risco de infecção (63,3%). É importante que os enfermeiros que prestam assistência às crianças com doenças respiratórias possam direcionar suas intervenções para os diagnósticos de maior frequência aqui apresentados.
Descritores: Criança
Diagnóstico de Enfermagem
Manifestações Neurocomportamentais
Respiração
Limites: Humanos
Criança
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  3 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Id: biblio-902279
Autor: González López, Irelis; Sierra Benítez, Enrique Marcos; León Pérez, Mairiannys Quianella; Mirabal Battamorde, Yamirka; Vega Somonte, María Victoria; Perovani Cuesta, Félix Lázaro.
Título: Desórdenes conativos en la enfermedad de Alzheimer. Presentación de un caso / Conative disorders in Alzheimer's disease. Case report
Fonte: Rev. medica electron;40(1):183-191, ene.-feb. 2018. ilus.
Idioma: es.
Resumo: RESUMEN Se presenta el caso de una paciente femenina de 76 años, estudiada por demencia tipo Alzheimer con trastornos en la esfera conativa y agresividad. El contexto personal y social del paciente, por las características de su enfermedad, especialmente trastornos de conducta, comportamiento agresivo, agitación, irritabilidad, hiperactividad, desinhibición sexual, deambulación errática y reacciones catastróficas, hacen interesante el conocimiento de esta patología, sus implicaciones y el abordaje terapéutico. Por lo expuesto anteriormente se decide realizar esta investigación con el objetivo de describir los desórdenes conativos en la enfermedad de Alzheimer.

ABSTRACT The case of a 76-years-old female patient, studied for Alzheimer-type dementia with disorders in the conative sphere and aggressiveness is presented. The patient´s personal and social context makes it interesting knowing this pathology, its implications and therapeutic approach due to the nature of the illness, especially the behavior disorder, aggressive behavior, agitation, irritability, hyperactivity, sexual disinhibition, erratic wandering and catastrophic reactions. For all the before said, it was decided to make this research with the aim of describing the conative disorders in Alzheimer's disease.
Descritores: Terapia pela Arte
Tomografia Computadorizada por Raios X
Fatores de Risco
Manifestações Neurocomportamentais
Doença de Alzheimer/diagnóstico
Doença de Alzheimer/tratamento farmacológico
Doença de Alzheimer/epidemiologia
-Psicoterapia
Condições Patológicas, Sinais e Sintomas
Sintomas Comportamentais
Transtorno de Comunicação Social
Transtornos do Desenvolvimento da Linguagem
Musicoterapia
Limites: Humanos
Feminino
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: CU424.1 - Centro Provincial de Información de Ciencias Médicas


  4 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-891031
Autor: Takeda, Juliana Rumy Tsuchihashi; Matos, Tatiane Martins; Souza-Talarico, Juliana Nery de.
Título: Cardiovascular risk factors and cognitive performance in aging / Fatores de risco cardiovascular e desempenho cognitivo no envelhecimento
Fonte: Dement. neuropsychol;11(4):442-448, Oct,-Dec. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: FAPESP.
Resumo: ABSTRACT. Background. Atherosclerosis in cerebral blood vessels, especially those which compose the Circle of Willis, can lead to reduced supply of oxygen and nutrients to different cortical structures, affecting cognitive function. Objective: To analyze whether cardiovascular risk factors negatively influence cognitive performance in adults and elderly. Methods: One hundred twenty-nine participants of both sexes, aged over 50 years, without cognitive or functional impairment were included. Body mass index (BMI), hypertension (HTN), diabetes mellitus (DM), smoking history, plasma levels of total cholesterol, low density lipoproteins (LDL), high density lipoproteins (HDL) and very low density lipoproteins (VLDL) cholesterol, triglycerides, and glucose were the cardiovascular risk factors analyzed. Cognitive assessment was performed using tests of attention, working memory, category fluency and declarative memory. Results: Controlling for age and education, multivariate linear regression models revealed that higher concentrations of triglycerides, as well as total, LDL and VLDL cholesterol, were associated with poorer performance on the digit span and category fluency tests. Higher HDL concentrations were associated with higher scores on category fluency tasks. Furthermore, higher BMI was associated with poorer delayed recall performance. Conclusion: The findings revealed that cardiovascular risk factors may negatively impact cognitive performance in aging.

RESUMO. Introdução: A aterosclerose nos vasos sanguíneos cerebrais, especialmente naqueles que compõem o Círculo de Willis, pode levar à redução da oferta de oxigênio e nutrientes para diferentes estruturas corticais, afetando a função cognitiva. Objetivo: Analisar se fatores de risco cardiovascular influenciam negativamente o desempenho cognitivo em adultos e idosos. Métodos: Foram incluídos cento e vinte e nove participantes de ambos os sexos, com idade superior a 50 anos, sem comprometimento cognitivo ou funcional. Índice de massa corporal (IMC), hipertensão arterial (HAS), diabetes mellitus (DM), história de tabagismo, níveis plasmáticos de colesterol total e lipoproteínas de baixa densidade (LDL), lipoproteínas de alta densidade (HDL) e lipoproteínas de baixa densidade (VLDL), triglicerídeos e glicemia foram os fatores de risco cardiovascular analisados. A avaliação cognitiva foi realizada utilizando testes de atenção, memória operacional, fluência verbal e memória declarativa. Resultados: Controlando para idade e escolaridade, os modelos de regressão linear multivariada revelaram que concentrações mais elevadas de triglicerídeos, bem como colesterol total, LDL e VLDL, estão associadas com pior desempenho nos testes de extensão de dígitos e fluência verbal. Além disso, concentrações maiores de HDL se correlacionaram com pontuações maiores nas tarefas de fluência verbal. IMC maior se associou com menor desempenho na evocação tardia. Conclusão: Os achados revelaram que fatores de risco cardiovascular podem afetar negativamente o desempenho cognitivo durante o envelhecimento.
Descritores: Serviços Preventivos de Saúde
Fatores de Risco
Manifestações Neurocomportamentais
Memória
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  5 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-891004
Autor: Musa, Gada; Henríquez, Fernando; Muñoz-Neira, Carlos; Delgado, Carolina; Lillo, Patricia; Slachevsky, Andrea.
Título: Utility of the Neuropsychiatric Inventory Questionnaire (NPI-Q) in the assessment of a sample of patients with Alzheimer's disease in Chile / Utilidade do questionário de inventário neuropsiquiátrico (npi-q) na avaliação de uma amostra de pacientes com doença de Alzheimer no Chile
Fonte: Dement. neuropsychol;11(2):129-136, Apr.-June 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Conicyt.
Resumo: ABSTRACT. The Neuropsychiatric Inventory Questionnaire (NPI-Q) is an informant-based instrument that measures the presence and severity of 12 Neuropsychiatric Symptoms (NPS) in patients with dementia, as well as informant distress. Objective: To measure the psychometric properties of the NPI-Q and the prevalence of NPS in patients with Alzheimer's disease (AD) in Chile. Methods: 53 patients with AD were assessed. Subjects were divided into two different groups: mild AD (n=26) and moderate AD (n=27). Convergent validity was estimated by correlating the outcomes of the NPI-Q with Neuropsychiatric Inventory (NPI) scores and with a global cognitive efficiency test (Addenbrooke's Cognitive Examination - Revised - ACE-R). Reliability of the NPI-Q was analysed by calculating its internal consistency. Prevalence of NPS was estimated with both the NPI and NPI-Q. Results: Positive and significant correlations were observed between the NPI-Q, the NPI, and the ACE-R (r=0.730; p<0.01 and 0.315; p<0.05 respectively). The instrument displayed an adequate level of reliability (Cronbach's alpha=0.783). The most prevalent NPS were apathy/indifference (62.3%) and dysphoria/depression (58.5%). Conclusion: The NPI-Q exhibited acceptable validity and reliability indicators for patients with AD in Chile, indicating that it is a suitable instrument for the routine assessment of NPS in clinical practice.

RESUMO. O Questionário de Inventário Neuropsiquiátrico (NPI-Q) é um instrumento baseado em informantes que mede a presença e a gravidade de 12 Sintomas Neuropsiquiátricos (NPS) em pacientes com demência, bem como o sofrimento do informante. Objetivo: Avaliar as propriedades psicométricas do NPI-Q e a prevalência de NPS em pacientes com doença de Alzheimer (DA). Métodos: Foram avaliados 53 pacientes com DA. Eles foram divididos em dois grupos diferentes: AD leve (n=26) e AD moderado (n=27). A validade convergente foi estimada correlacionando os resultados do NPI-Q com os escores do Inventário Neuropsiquiátrico (NPI) e um teste de eficiência cognitiva global (Addenbrooke's Cognitive Examination - Revised - ACE-R). A confiabilidade do NPI-Q foi analisada pelo cálculo da sua consistência interna. A prevalência de NPS foi estimada com NPI e NPI-Q. Resultados: Foram observadas correlações positivas e significativas entre NPI-Q, NPI e ACE-R (r=0,730; p<0,01 e 0>315; p<0>05). O instrumento apresentou um nível adequado de confiabilidade (alfa de Cronbach=0J83). Os NPS mais prevalentes foram apatia/indiferença (62,3%) e disforia/depressão (58,5%). Conclusão: O NPI-Q apresenta indicadores de validade e confiabilidade aceitáveis em pacientes com DA, o que indica que é um instrumento adequado para a avaliação rotineira de NPS na prática clínica.
Descritores: Prevalência
Manifestações Neurocomportamentais
Demência
Doença de Alzheimer
Testes de Estado Mental e Demência
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  6 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Caramelli, Paulo
Texto completo
Id: lil-542652
Autor: Novelli, Marcia MPC(org); Caramelli, Paulo.
Título: The influence of neuropsychiatric and functional changes on quality of life in Alzheimer?s disease / A influência das alterações de comportamento e do desempenho funcional sobre a qualidade de vida na doença de Alzheimer
Fonte: Dement. neuropsychol;4(1), mar. 2010.
Idioma: pt.
Resumo: Abstract ­ To investigate the influence of neuropsychiatric manifestations and functional performance on quality of life (QOL) of AD patients and their caregivers/family members. Methods: The QOL-AD scale, Mini-Mental State Examination (MMSE), Geriatric Depression Scale (GDS), Cornell and Beck Scales for Depression, Physical and Instrumental-Self Maintenance scales (AIDL and ADL) and the Neuropsychiatric Inventory (NPI) were applied to 60 patients with probable AD, mild (n=30) or moderate (n=30) dementia, according to NINCDS-ADRDA and DSM-III-R criteria, respectively, and to their caregivers/family members. The total scores on the three QOL-AD versions were correlated with the measures previously mentioned. Results: The QOL-AD patients' version displayed significant correlations with GDS (­0.76 p<0.01), Cornell (­0.53 p<0.01) and NPI (­0.46 p<0.05) in the mild dementia subgroup. The caregivers' version about patients' QOL correlated with GDS (­0.48 p<0.01), Cornell (­0.57 p<0.01), NPI (­0.46 p<0.01) and AIDL (­0.36 p<0.05), while the caregivers' version about their own QOL was significantly correlated with NPI (­0.43 p<0.01), AIDL (­0.35 p<0.05) and Beck Depression (­0.67 p<0.01). In the moderate dementia subgroup, significant correlations were observed with GDS (­0.45 p<0.05) and Cornell (­0.46 p<0.01). For the caregivers' version about patients' QOL, significant correlations emerged with Cornell (­0.68 p<0.01), NPI (­0.67 p<0.01), AIDL (­0.41 p<0.05), ADL (­0.49, p<0.01) and Beck Depression (­0.33 p<0.05). For the caregivers' version about their own QOL, significant correlations with Beck Depression (­0.54 p<0.01) and ADL (­0.38, p<0.05) were found. Conclusion: The symptoms presented in AD affected the QOL in patients and caregivers/family members in both mild and moderate dementia.

Resumo ­ Investigar avaliar a influência das manifestações neuropsiquiátricas e do desempenho funcional sobre a qualidade de vida dos pacientes com DA e de seus cuidadores/familiares. Métodos: A escala QdV-DA, Mini-exame do Estado Mental (MEM), Escala de Depressão Geriátrica (GDS), Inventário de Depressão de Beck e a Escala de Cornell para depressão, Escala de atividades de vida diária (ABVD e AIVD) de Lawton e Brody e o Inventário Neuropsiquiátrico (INP) foram administrados em uma amostra de 60 pacientes com DA provável, segundo os critérios do NINCDS-ADRDA , com gravidade de leve (n=30) a moderado (n-30) segundo os critérios do DMS-III-R. e a seus respectivos cuidadores/familiares. A pontuação total, das três versões da escala, foi correlacionada aos instrumentos previamente mencionados. Resultados: A versão de QV dos pacientes no grupo de demência leve apresentou correlações significativas com o GDS (­0,76 p<0,01), Cornell (­0,53 p<0,01) e INP (­0,46 p<0, 05). A versão do cuidador sobre a QV do paciente se correlacionou com: GDS (­0,48 p<0,01), Cornell (­0,57 p<0,01), INP (­0,62 p<0,01) e AIVD (­0,36 p<0,05) enquanto que a versão do cuidador sobre sua própria QV se correlacionou significativamente com NPI (­0,43 p<0,01), AIVD (­0,35 p<0,05) e GDS (­0,67 p<0,01).No grupo de pacientes moderados foram encontradas correlações significativas com GDS (­0,45 p<0,05) e a Escala de Cornell (­0,46 p<0,01). Para versão do cuidador sobre a QV do paciente as correlações significativas foram com: Cornell (-0,68 p<0,01), INP (-0,67 p<0,01), AIVD (-0,41 p<0,05), ABVD (-0,49 p<0,01), e Inventário de Depressão de Beck (-0,33 p<0,05). Para versão do cuidador sobre sua própria QV foram encontradas correlações significativas com: Inventário de Depressão Beck (-0,54 p<0,01) e ABVD (-0,38 p<0,05). Conclusão: Os sintomas da DA afetam a QV dos pacientes como também dos cuidadores/familiares tanto na fase leve como na fase moderada.
Descritores: Qualidade de Vida
Cuidadores
Manifestações Neurocomportamentais
Doença de Alzheimer
AMERICAN DENTAL ASSOCIATIONACCESSORY NERVE
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  7 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-761045
Autor: Paula, Jonas Jardim de; Paiva, Gabrielle Chequer de Castro; Costa, Danielle de Souza.
Título: Use of a modified version of the switching verbal fluency test for the assessment of cognitive flexibility / Uso de uma versão modificada da fluência verbal alternada para a avaliação da flexibilidade cognitiva
Fonte: Dement. neuropsychol;9(3):258-264, July-Sept. 2015. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: Objective:Verbal fluency tests are widely used for the assessment of executive functions. However, traditional versions of the test depend on several cognitive factors beyond these components. The aim of this study was to evaluate the associations of a modified version of the verbal fluency with specific measures of executive functions.Methods:Sixty adults were evaluated using traditional versions of verbal fluency (animals/fruits) and a modified condition where subjects must switch between animals and fruits. Processing speed, semantic abilities, psychiatric symptoms and executive functions were also assessed.Results:Partial correlations between the verbal fluency tests and measures of executive functions, controlled for demographic, cognitive and psychiatric symptoms, suggest that cognitive flexibility has 9% shared variance with the verbal fluency test - category animals, 2 % with category fruits, 8% with total words in switching condition, and 20% with total correct word-pairs produced in switching condition. The other aspects of executive functions during the task had shared variance of between 1% and 7% with the verbal fluency tasks.Conclusion:The results suggest that correct word-pairs produced in switching verbal fluency may be a more specific measure for evaluating cognitive flexibility compared to other versions of verbal fluency.

Objetivo:Os testes de fluência verbal são comumente adotados para a avaliação cognitiva de pacientes com transtornos mentais ou doenças neurológicas. Embora muitas vezes utilizado na avaliação das funções executivas, sobretudo flexibilidade cognitiva, versões tradicionais do teste dependem de diversos fatores cognitivos além desses componentes. O objetivo do presente estudo é avaliar as associações de uma versão adaptada do teste de fluência verbal com medidas específicas de funções executivas.Métodos:Avaliamos sessenta adultos com versões tradicionais da fluência verbal (animais/frutas) e uma condição modificada onde o sujeito deve alternar entre animais e frutas. Avaliamos também a velocidade de processamento, habilidades semânticas, sintomas psiquiátricos e aos três componentes centrais das funções executivas (controle inibitório, memória de trabalho e flexibilidade cognitiva).Resultados:As correlações parciais entre os testes de fluência verbal e as medidas de funções executivas, controladas por fatores demográficos, cognitivos e pelos sintomas psiquiátricos, sugere que a flexibilidade cognitiva apresenta 9% de variância compartilhada com o teste de fluência verbal categoria animais, 2% com a categoria frutas, 8% com o total de palavras na fluência verbal alternada, e 20% com total de pares corretos produzidos na fluência verbal alternada. Os demais aspectos das funções executivas durante a tarefa apresentaram variância compartilhada entre 1% e 7% com as tarefas de fluência verbal.Conclusão:Os dados sugerem que o total de pares produzidos no teste de fluência verbal alternada pode ser uma medida mais especifica para a avaliação da flexibilidade cognitiva quando comparado a outras versões da fluência verbal.
Descritores: Testes Psicológicos
Manifestações Neurocomportamentais
Função Executiva
Testes Neuropsicológicos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  8 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-670738
Autor: Yi, Dong Seok; Bertoux, Maxime; Mioshi, Eneida; Hodges, John R; Hornberger, Michael.
Título: Fronto-striatal atrophy correlates of neuropsychiatric dysfunction in frontotemporal dementia (FTD) and Alzheimer's disease (AD) / Correlatos de atrofia fronto-estriatal e disfunção neuropsiquiátrica em demência frontotemporal (DFT) e doença de ALZHEIMER (DA)
Fonte: Dement. neuropsychol;7(1), jan.-mar. 2013.
Idioma: en.
Resumo: Behavioural disturbances in frontotemporal dementia (FTD) are thought to reflect mainly atrophy of cortical regions. Recent studies suggest that subcortical brain regions, in particular the striatum, are also significantly affected and this pathology might play a role in the generation of behavioural symptoms. OBJECTIVE: To investigate prefrontal cortical and striatal atrophy contributions to behavioural symptoms in FTD.METHODS: One hundred and eighty-two participants (87 FTD patients, 39 AD patients and 56 controls) were included. Behavioural profiles were established using the Cambridge Behavioural Inventory Revised (CBI-R) and Frontal System Behaviour Scale (FrSBe). Atrophy in prefrontal (VMPFC, DLPFC) and striatal (caudate, putamen) regions was established via a 5-point visual rating scale of the MRI scans. Behavioural scores were correlated with atrophy rating scores. RESULTS: Behavioural and atrophy ratings demonstrated that patients were significantly impaired compared to controls, with bvFTD being most severely affected. Behavioural-anatomical correlations revealed that VMPFC atrophy was closely related to abnormal behaviour and motivation disturbances. Stereotypical behaviours were associated with both VMPFC and striatal atrophy. By contrast, disturbance of eating was found to be related to striatal atrophy only. CONCLUSION: Frontal and striatal atrophy contributed to the behavioural disturbances seen in FTD, with some behaviours related to frontal, striatal or combined fronto-striatal pathology. Consideration of striatal contributions to the generation of behavioural disturbances should be taken into account when assessing patients with potential FTD.

Distúrbios de comportamento na demência frontotemporal (DFT) parecem refletir principalmente atrofia de regiões corticais. Estudos recentes sugerem que regiões cerebrais subcorticais, em particilar o estriado, são também são significativamente afetados e esta patologia pode ter um papel na geração dos sintomas comportamentais. OBJETIVO: Investigar a contribuição da atrofia cortical prefrontal e estriatal para os sintomas da DFT. MÉTODOS: 182 participantes (87 pacienjtes com DFT, 39 pacientes com DA e 56 controles) foram incluídos. Os perfis cognitivos foram estabelecidos usando o Cambridge Behavioural Inventory Revised (CBI-R) e Frontal System Behaviour Scale (FrSBe). Atrofia nas regiões prefrontal (VMPFC, DLPFC) e estriatal (caudado e putamen) foi estabelecida através de uma escala visual de 5 pontos nas imagens de ressonância magnética. Os escores de comportamento foram correlacionados aos escores de atrfoia. RESULTADOS: Os resultados comportamentais e de atrofia demonstraram que os pacientes estavam significativamente mais comprometidos do que os controles, com os pacientes com DFT mais gravemente afetados. As correlações anátomo-comportamentais revelaram que a atrofia do VMPFC foi intimamente relacionada ao comportamento anormal e distúrbios de motivação. Comportamentos estereotipados estiveram associados com atrofia do VMPFC e estriatal. Em contraste, distúrbios da alimentação foram relacionados somente a atrofia estriatal. CONCLUSÃO: A atrofia frontal e estriatal contribuíram para os distúrbios vistos na DFT, com alguns comportamentos relacionados a patologia frontal, estriatal ou combinadas. Considerações quanto à contribuição estriatal na gênese dos distúrbios de comportamento devem ser levados em conta quando se avalia pacientes com DFT em potencial.
Descritores: Manifestações Neurocomportamentais
Demência Frontotemporal
Doença de Alzheimer
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  9 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Laks, Jerson
Texto completo
Id: lil-689529
Autor: Truzzi, Annibal; Valente, Letice; Engelhardt, Eliasz; Laks, Jerson.
Título: The association between caregiver distress and individual neuropsychiatric symptoms of dementia / A associação entre o desgaste do cuidador e os sintomas neuropsiquiátricos individuais da demência
Fonte: Dement. neuropsychol;7(3), set. 2013.
Idioma: en.
Resumo: Neuropsychiatric symptoms (NPS) of dementia constitute one of the most related factors to caregiver burden and patients' early institutionalization. Few studies in Brazil have examined which symptoms are associated with higher levels of caregiver distress. OBJECTIVE: To evaluate the caregiver distress related to individual NPS in familial caregivers of patients with dementia. We also examined which caregiver and patient factors predict caregiver distress associated with NPS. METHODS: One hundred and fifty-nine familial caregiver and dementia outpatient dyads were included. The majority of the patients had a diagnosis of Alzheimer's disease (66.7%). Caregivers were assessed with a sociodemographic questionnaire, Beck Anxiety and Depression Inventories, and the Neuropsychiatric Inventory - Distress Scale. Patients were submitted to the Mini-Mental State Examination, Functional Activities Questionnaire, and the Neuropsychiatric Inventory. Spearman's rank correlation was used to assess the relationships between the continuous variables. Multiple linear regression analyses with backward stepping were performed to assess the ability of caregiver and patient characteristics to predict levels of caregiver distress associated with NPS. RESULTS: Apathy (M=1.9; SD=1.8), agitation (M=1.3; SD=1.8), and aberrant motor behavior (AMB) (M=1.2; SD=1.7) were the most distressful NPS. The frequency/severity of NPS was the strongest factor associated with caregiver distress (rho=0.72; p<0.05). CONCLUSION: The early recognition and management of apathy, agitation and AMB in dementia patients by family members and health professionals may lead to better care and quality of life for both patients and caregivers.

Os sintomas neuropsiquiátricos (SNP) da demência constituem um dos fatores mais relacionados à sobrecarga do cuidador e à institucionalização precoce do paciente. Poucos estudos brasileiros examinaram quais sintomas estão associados ao desgaste do cuidador. OBJETIVO: Avaliar o desgaste referente aos SNP individuais cuidadores familiares dos pacientes com demência. Nós também analisamos quais fatores dos pacientes e dos cuidadores constituem fortes preditores ao desgaste do cuidador. MÉTODOS: Cento e cinquenta cuidadores familiares e pacientes foram incluídos. A maioria dos pacientes possuía um diagnóstico de doença de Alzheimer (66,7%). Os cuidadores foram avaliados através de um questionário sociodemográfico, os Inventários de Ansiedade e Depressão de Beck e o Inventário Neuropsiquiátrico - Desgaste. Os pacientes foram submetidos ao Mini-Exame do Estado Mental, Escala de Atividades Funcionais e ao Inventário Neuropsiquiátrico. A correlação de Spearman foi utilizada para avaliar as relações entre as variáveis contínuas. Análises regressivas lineares múltiplas foram realizadas para analisar, dentre as variáveis dos pacientes e dos cuidadores, os fatores preditores do desgaste do cuidador. RESULTADOS: Apatia (M=1,9; DP=1,8), agitação (M=1,3; DP=1,8) e comportamento aberrante motor (CMA) (M=1,2; DP=1,7) foram os SNP mais desgastantes. A frequência/gravidade dos SNP foi o fator mais fortemente associado ao desgaste do cuidador (rho=0.72; p<0,05). CONCLUSÃO: O reconhecimento precoce e manejo da apatia, agitação e CMA nos pacientes com demência pelos familiares e profissionais de saúde possivelmente levará a uma melhor qualidade vida e cuidado para pacientes e cuidadores.
Descritores: Esgotamento Profissional
Cuidadores
Manifestações Neurocomportamentais
Demência
Doença de Alzheimer
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  10 / 104 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-689526
Autor: Siqueira-Neto, José Ibiapina; Pontes-Neto, Octávio Marques; Vale, Francisco de Assis Carvalho do; Santos, Júnia Vieira dos; Sales, Paulo Marcelo Gondim; Santos, Antônio Carlos.
Título: Neuropsychiatric Symptoms (NPS) in patients with pure Vascular Dementia (VaD) and Mixed Dementia (MD) from a memory outpatient clinic in southeast Brazil / Sintomas Cognitivos e Psicológicos nas Demências (SCPD) em pacientes com demência vascular isolada ou demência mista em ambulatório especializado no sudeste do Brasil
Fonte: Dement. neuropsychol;7(3), set. 2013.
Idioma: en.
Resumo: Vascular Dementia (VaD) and Vascular Cognitive Impairment (VCI) are increasingly common worldwide. Nevertheless, the clinical-neuropsychiatric profile of these patients at presentation is still poorly characterized in developing countries. OBJECTIVE: We aimed to characterize the prevalence of neuropsychiatric symptoms, as well as the clinical and cognitive profile of patients with VaD and VCI in our tertiary University outpatient cognitive clinic. METHODS: We reviewed data on 253 patients diagnosed with VaD or VCI at our center between January 1996 and December 2005, located in an industrial region of the state of Sao Paulo, southeast Brazil. We excluded 19 patients who did not complete the medical investigation or who did not meet the clinical or neuroimaging criteria for vascular dementia. We collected socio-demographic data, educational level, vascular risk factors, behavioral and neuropsychological symptoms and cognitive complaints at presentation. RESULTS: Two hundred and thirty-four cases were included in this analysis. The mean age was 67.77±10.35 years; 72% were males and 82% had less than four years of education (average 2.84±2.96 years). The initial Clinical Dementia Rating score was 2 & 3 in 68%. A total of 185 patients had neuropsychiatric symptoms distributed in main categories as follows: psychosis (52.6%), hallucinations (23.5%), psychomotor agitation (22.5%), depression (17.5%) and apathy (17.5%). Hypertension and previous stroke were the most prevalent risk factors. CONCLUSION: We found a high prevalence of neuropsychiatric symptoms. The clinical-neuropsychiatric profile of patients presenting to cognitive clinics in developing countries may differ greatly to that of more developed nations. These characteristics may have implications for public health strategies.

Demência Vascular (DV) e comprometimento cognitivo vascular (CCV) são diagnósticos cada vez mais relatados em todos os continentes. Entretanto, o perfil dos sintomas comportamentais e psicológicos das demências (SCPD) nos pacientes com DV é ainda pouco descrito e caracterizado, nos países em desenvolvimento. OBJETIVO: Determinar a prevalência dos SCPD, o perfil de manifestações neuropsiquiátricas e cognitivas, nos pacientes com DV no ambulatório de Neurologia Cognitiva e Comportamental (ANCC), do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto (HCRP-FMUSP). MÉTODOS: Revisamos os prontuários de 253 pacientes diagnosticados com DV ou CCV atendidos entre janeiro de 1996 e dezembro de 2005. Excluímos 19 pacientes que não completaram a investigação diagnóstica, não preencheram os critérios clínicos do DSM-IV, e neuroimagem não disponível para análise. Coletamos dados sócio-demográficos, nível de escolaridade, fatores de risco vascular, e SCPD da consulta de admissão. RESULTADOS: 234 pacientes foram incluídos nesta análise. A idade média global foi de 67,77±10,35; com 38% de mulheres; escolaridade de 2,84±2,96 anos; MEEM inicial 13,22±7,00, e 68% de CDR 2 & 3. 79% de pacientes com SCPD foram divididos nas seguintes categorias: psicose (52,6%), alucinações (23,5%), agitação (22,2%), depressão (17,5%) e apatia (17,5%) foram às manifestações mais prevalentes. Hipertensão Arterial e AVC prévio foram os fatores de risco de maior prevalência. CONCLUSÃO: Verificou-se elevada prevalência de SCPD em DV. O perfil destas alterações neuropsiquiátricas na DV mostrou uma tendência na direção de sintomatologia psicótica, devendo ser objeto de mais pesquisas, pois os padrões em nações desenvolvidas podem ser substancialmente diferentes.
Descritores: Demência Vascular
Fatores de Risco
Manifestações Neurocomportamentais
Países em Desenvolvimento
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante



página 1 de 11 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde