Base de dados : LILACS
Pesquisa : C10.900.300.284.500.550 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 128 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 13 ir para página                         

  1 / 128 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1024890
Autor: Costa, Verônica Cristine Rodrigues; Streit Junior, Rosalvo; Araújo, Juliana da Luz; Queiroz, Elisa Vasconcelos de; Krier, Felipe Carneiro; Parreira, Diderot Rodrigues; Durães, Rodrigo Tamietti.
Título: Acessos cirúrgicos combinados para tratamento de fraturas em assoalho orbital e lâmina papirácea: relato de caso / Combined surgical accesses for treatment of fractures in the orbital floor and lamina papyracea: case repor
Fonte: Medicina (Ribeiräo Preto);52(1), jan.-mar.,2019.
Idioma: pt.
Resumo: A região orbitária é bastante suscetível a traumas, visto que apresenta uma posição exposta, além de ser composta por ossos frágeis. Quando indicada, é preciso intervenção cirúrgica para preservar a função visual e harmonia facial do paciente. Os acessos transconjuntival e transcaruncular são descritos na literatura como formas seguras, rápidas, funcionais e esteticamente benéficas para a abordagem ao assoalho orbitário e lâmina papirácea. Sobre os materiais biocompatíveis utilizados, a placa de titânio é inabsorvível e permite fixação interna rígida, moldada às curvaturas naturais dos ossos, com baixo risco de infecção. As folhas de polietileno poroso são polímeros inertes e não absorvíveis que facilitam o crescimento de tecido e reduzem as chances de rejeição. Nesse relato de caso, evidencia-se paciente masculino, 28 anos, vítima de traumatismo facial após prática esportiva que apresentou fratura de assoalho e parede medial orbitária direita, com indicação de reconstrução orbitária com acessos transconjuntival e transcaruncular para fixação de placa de titânio em assoalho da órbita direita e de folhas de polietileno poroso em lâmina papirácea à direita, respectivamente (AU)

The orbital region is quite susceptible to trauma, since it has an exposed position, besides being com-posed of fragile bones. When indicated, surgical intervention is required to preserve the patient's visual function and facial harmony. Transconjunctival and transcaruncular accesses are described in the literatu-re as safe, fast, functional and with esthetic benefits for the approach to the orbital floor and papyraceous lamina. Among the biocompatible materials used, the titanium plate does not undergo resorption and allows rigid internal fixation, being shaped to the natural curvatures of the bones, with low risk of infec-tion. Porous polyethylene sheets are inert and nonabsorbable polymers that facilitate tissue growth an reduce the chances of rejection. In this case report, a 28-year-old male patient, a victim of facial trauma after sports practice presented a fracture of the floor and the right orbital medial wall, and orbital recons-truction was indicated with transconjunctival and transcaruncular accesses for fixation of titanium plate in the floor of the right orbit and porous polyethylene sheets in papyracea leaf on the right, respectively (AU)
Descritores: Fraturas Orbitárias
Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos
Limites: Seres Humanos
Masculino
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  2 / 128 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: lil-770988
Autor: Morales Navarro, Denia; Rodríguez Robaina, Geisa.
Título: Deformidad facial postraumática asociada a complicación por silastic orbitario 35 años después de implantado / Post-traumatic facial deformity associated with a complication caused by orbital silastic 35 years after implantation
Fonte: Rev. cuba. estomatol;52(4):0-0, oct.-dic. 2015. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Las alteraciones esqueléticas del macizo facial sin tratamiento quirúrgico o con un manejo inadecuado, pueden resultar en deformidad secundaria importante con implicaciones estéticas y funcionales que deben ser consideradas para su tratamiento. El objetivo de esta presentación fue caracterizar el caso de deformidad facial postraumática asociada a complicación por silastic orbitario, 35 años después de implantado este. Se trata de un paciente masculino de 67 años que refirió haber sido tratado al presentar enrojecimiento de un ojo y secreciones. Refiere que hace 35 años fue intervenido quirúrgicamente por fractura en la zona del ojo izquierdo, que le colocaron silastic, y que no había tenido problemas hasta el momento en esa área. En el examen físico facial se detectó asimetría facial: ligero enoftalmo del ojo izquierdo, con desnivel pupilar, disminución de la apertura palpebral, rasgo antimongoloide, con eritema de la conjuntiva, quémosis, y abundantes secreciones. Se comprobó limitación del movimiento súpero-externo. Se corrobora la presencia de una fístula en el fondo de saco del párpado inferior. Se diagnostica como deformidad facial postraumática complicada por reacción a cuerpo extraño (al silastic). Fue intervenido quirúrgicamente y se realizó la exéresis del material, y la reconstrucción de la antomía ausente en la zona con malla de titanio. Se obtuvo excelentes resultados. Las lesiones postraumáticas de la cara se asocian generalmente con grandes secuelas funcionales y estéticas. Si se añaden las complicaciones por el empleo de implantes de biomateriales, la determinación de la conducta terapéutica puede ser un reto(AU)

Skeletal facial alterations not treated surgically or inappropriately handled may result in considerable secondary deformity with esthetic and functional implications which should be considered for treatment. The purpose of the study was to characterize a case of post-traumatic facial deformity associated with a complication caused by orbital silastic 35 years after implantation. A male 67-year-old patient reported having been treated for redness of one eye and secretion. Thirty-five years before he had been operated on for a fracture in the area of the left eye. Silastic had been implanted and he had not had any problems until now. Physical examination revealed facial asymmetry: slight enophthalmos of the left eye with pupillary unevenness, reduced palpebral opening, antimongoloid feature, conjunctival erythema, chemosis and abundant secretion. Upper-outer movement was limited. A fistula was found in the bottom of the lower palpebral sac. It is diagnosed as post-traumatic facial deformity complicated by reaction to foreign body (silastic). Surgery was performed to remove the material and reconstruct the missing anatomy in the area with titanium mesh. Excellent results were obtained. Post-traumatic facial lesions are generally associated with large functional and esthetic sequelae. When complications are added due to the use of biomaterial implants, determination of the appropriate therapeutic management can be a challenge(AU)
Descritores: Fraturas Orbitárias/cirurgia
Telas Cirúrgicas/estatística & dados numéricos
Materiais Biocompatíveis/efeitos adversos
Reação a Corpo Estranho/cirurgia
Reação a Corpo Estranho/complicações
Limites: Seres Humanos
Masculino
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  3 / 128 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-901061
Autor: Morales Navarro, Denia.
Título: Fracturas orbitarias / Orbital fractures
Fonte: Rev. cuba. estomatol;54(4):1-16, oct.-dic. 2017.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: las fracturas de la órbita son comunes y difíciles de manejar. Objetivo: realizar una revisión bibliográfica sobre las consideraciones anatómicas, fisiopatología, diagnóstico, tratamiento y complicaciones de las fracturas orbitarias. Métodos: se realizó una revisión bibliográfica en septiembre de 2016. Se evaluaron revistas de impacto de Web of Sciencies (35 revistas). Se consultaron las bases de datos MEDLINE, PubMed y SciELO con los descriptores: orbital fracture, treatment, epidemiology. Se incluyeron artículos en idioma inglés y español de los últimos 5 años. Se obtuvieron 127 artículos. El estudio se circunscribió a 47. Análisis e integración de la información: la órbita presenta debilidad anatómica en el piso y la pared medial que provoca una mayor afectación por fracturas. Existen varias teorías que justifican su aparición. El diagnóstico se basa en los hallazgos clínicos, incluidos los oftalmológicos, y medios auxiliares de diagnóstico; lo cual permite escoger la modalidad terapéutica y evitar complicaciones. Conclusiones: basados en el dominio de la anatomía y los métodos diagnósticos, la gestión de estas lesiones ha cambiado poco en los últimos años. Sin embargo, los avances en las imágenes orbitales, la introducción de sistemas de navegación intraoperatoria, mejores indicaciones quirúrgicas y diseños de implantes han llevado a una reevaluación del enfoque terapéutico de las fracturas orbitarias(AU)

Introduction: fractures of the orbit are common and difficult to manage. Objective: to carry out a bibliographic review on anatomical considerations, physiopathology, diagnosis, treatment and complications of orbital fractures. Methods: abibliographic review was carried out in September 2016. Journals of impact in the Web of Sciences (35 journals) were evaluated. The databases MedLine, PubMed and ScieELO were consulted with the descriptors: orbital fracture, treatment, and epidemiology. Articles in English and Spanish language of the last 5 years were included. 127 articles were obtained. The study was circumscribed to 47. Analysis and integration of information: the orbit presents anatomical weakness in the floor and the medial wall, which causes greater affectation due to fractures. There are several theories that justify its onset. The diagnosis is based on clinical findings, including ophthalmological findings, and diagnostic aids, which allows choosing the therapeutic modality and avoiding complications. Conclusions: based on the mastery of anatomic and diagnostic methods, the management of these lesions has changed little in recent years. However, advances in orbital imaging, the introduction of intraoperative navigation systems, better surgical indications and implant designs have led to a reassessment of the therapeutic approach to orbital fractures(AU)
Descritores: Fraturas Orbitárias/diagnóstico
Fraturas Orbitárias/terapia
Literatura de Revisão como Assunto
-Bases de Dados Bibliográficas/estatística & dados numéricos
Técnicas de Diagnóstico Oftalmológico/efeitos adversos
Fraturas Orbitárias/fisiopatologia
Limites: Seres Humanos
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  4 / 128 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-873974
Autor: Silva, Elvidio de Paula e; de Toledo, Orlando Ayrton.
Título: Tissue repair after orbital reconstruction using polypropylene mesh implants: A histological study in dogs / Reparo tecidual após reconstrução de órbita com implante de malha de polipropileno: um estudo histológico em cães
Fonte: Rev. odonto ciênc;24(4):396-400, Oct.-Dec. 2009. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: Purpose: This experimental study aimed to assess the histological outcomes of orbit reconstruction with a polypropylene mesh implant in an animal model using dogs. Methods: The right and left orbits of 12 dogs were fractured in order to simulate orbital fractures similar to those occurring in humans as a result of trauma. The orbits were reconstructed with a polypropylene mesh positioned approximately 10 mm beyond the bone defect borders. The 24 orbits were divided into four groups of six: one group was given one polypropylene mesh layer; another group received two layers; a third group was given three polypropylene mesh layers; and the fourth group did not receive any implant (control group). The dogs were divided into clusters of four animals and were euthanized 15, 30, or 60 days after the surgery. The orbit medial wall was removed, and samples were subjected to histological polypropylene mesh analysis by optical microscopy. Data were analyzed using a non-parametric test with a 5% level of significance. Results: It was found that the polypropylene mesh caused a mild to moderate tissular reaction. Conclusion: The implant was well tolerated even with two or three overlapping layers.

Objetivo: Trata-se de estudo experimental em que se reconstruíram os continentes orbitais de 12 cães com implante de tela de polipropileno. Metodologia: Os continentes orbitais foram fraturados simulando as fraturas orbitais que ocorrem em humanos devido ao trauma e reconstruídas com tela de polipropileno cortadas com extensão de cerca de 10mm além da margem do defeito ósseo. Utilizaram-se uma, duas ou três camadas de tela de polipropileno nas órbitas teste e algumas órbitas, somente fraturadas, serviram como controle. Os cães foram sacrificados nos tempos de 15, 30 e 60 dias de pós-operatório; os tecidos das órbitas teste e controle foram removidos e preparados para análise histológica em microscopia óptica. Os resultados obtidos pela análise histológica foram submetidos a análise estatística não paramétrica com 5% de significância. Resultados: A tela de polipropileno causou reação tecidual de leve a moderada nos tecidos. Conclusão: O implante foi bem tolerado, mesmo quando a tela foi superposta em duas ou três camadas.
Descritores: Fraturas Orbitárias/cirurgia
Implantes Orbitários
Telas Cirúrgicas
Limites: Animais
Cães
Tipo de Publ: Estudos de Avaliação
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica


  5 / 128 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-873858
Autor: Queiroz, Eliane dos Anjos; Sobrinho, Josias de Andrade.
Título: Fraturas naso-órbito-etmoidais: estudo epidemiológico descritivo / Nasal-orbital-ethmoidal fractures: a descriptive epidemiological study
Fonte: Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent;61(1):11-14, jan.-fev. 2007. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A fratura naso-órbito-etmoidal (NOE) é um tipo raro de fratura, de difícil tratamento e com resultados estéticos e funcionais diretamente relacionados ao momento e ao tipo de cirurgia instituída. Suas principais características clínicas são: liquorréia, telecanto traumático, oftalmoplegia, enoftalmo, diplopia, ptose palpebral, crepitação dos segmentos ósseos fraturados, epistaxe, assimetria facial e deformidade do dorso nasal. Realizou-se um estudo retrospectivo em que foram avaliados os prontuários de 42 pacientes portadores de fraturas naso-órbito-etmoidais, atendidos e tratados no Setor de Cirurgia Bucomaxilofacial da Santa Casa de São Paulo, no período de janeiro de 1987 a março de 2002. A metodologia e os resultados são discutidos, com ênfase às características demográfico-sociais. As conclusões são: o grupo de risco para as fraturas NOE é composto por indivíduos do gênero masculino, da raça branca, da faixa etária dos 21 aos 40 anos, envolvidos em acidentes automobilísticos; as características clínicas mais comuns são o telecanto traumático e o enoftalmo, e a principal lesão associada é o traumatismo craniano

Naso-orbito-ethmoid fracture is a rare kind of fracture, with complex treatment and with aesthetic and functional results directly related to the moment and type of utilized surgery. Its main clinical characteristics are: cerebrospinal rhinohrea, traumatic telechantus, ophthalmoplegy, enophtalmus, diplopy, upper eyelid ptosis, fractured bone segments crepitation, epistaxis, facial assimetry and root nasal deformity. Fourty-two files were retrospectively evaluated on patients with naso-orbito-ethmoid fractures, received and treated at the Oral and Maxillofacial Surgery Sector at São Paulo Santa Casa, within the period from January 1987 to March 2002.The methodology and results are discussed, with emphase on the demographic-social characteristics. The conclusions are: the risk group for NOE fractures is composed by white men, among 21- 40 years old, involved in traffic accidents: the most common clinic characteristics are traumatic telecanthus and enophtalm and the main associated lesion is the cranial traumatism
Descritores: Fraturas Orbitárias/etiologia
Traumatismos Faciais/epidemiologia
-Osso Etmoide
Osso Nasal
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Meia-Idade
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica


  6 / 128 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-873422
Autor: Viana, Claudio Valente; Sousa, Eliane Marques Duarte de; Santos, Jean Nunes dos.
Título: Análise clínico-histológica do N-Butil-2-Cianoacrilato na síntese de fraturas zigomáticas em coelhos / Clinical and Histological Analysis of N-Butil-2-Cyanocrylate in the Synthesis
Fonte: Rev. cir. traumatol. buco-maxilo-fac;7(2):69-82, abr.-jun. 2007. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo objetivou avaliar, clínica, macro e microscopicamente, a eficácia do n-butil-2-cianoacrilato, na reparação tecidual óssea de fraturas zigomáticas em coelhos, comparando-o com o meio clássico de fixação interna não-rígida com fio de aço inoxidável flexível. Utilizaram-se 15 coelhos mestiços de ambos os sexos, com idadevariando entre 8 e 10 meses e peso entre 2,5 e 3,0 Kg. , divididos aleatoriamente, em três grupos iguais. Os grupos foram submetidos à etapa cirúrgica, que consistiu na realização de fraturas zigomáticas bilaterais, quando,no lado direito (experimental), foi utilizado o n-butil-2-cianoacrilato e, no esquerdo (controle), o meio convencional de fixação. Em seguida, os grupos foram submetidos à avaliação clínica, macroscópica e microscópica da área das fraturas aos 3, 21 e 42 dias pós-cirúrgicos. Como resultado, observou-se clinicamente que, aos 3 dias, não foram percebidas alterações, exceto a presença de edema no grupo-controle. Macroscopicamente, notou-se a ausência de cápsula, e as fraturas apresentavam-se contidas e sem mobilidade, em ambos os lados. Microscopicamente foi identificada uma leve atividade inflamatória em ambos os lados. Aos 21 dias, observou-se macroscopicamente a presença de cápsula e uma redução do volume do adesivo utilizado no lado experimental. Microscopicamente, percebeu-se intensa atividade óssea e vascular em ambos os lados. Aos 42 dias, observou-se macroscopicamente a ausência de cápsula, estando as fraturas contidas e sem mobilidade, em ambos os lados. Além disso, no lado experimental, notou-se que o material adesivo estava quase que totalmente reabsorvido e integrado ao osso nessa fase. Microscopicamente, foi identificada intensa atividade de mineralização óssea em ambos os lados. Esses achados corroboram com dados da literatura e permite sugerir a viabilidade do emprego do n-butil-2-cianoacrilato em fraturas ósseas da face
Descritores: Osso e Ossos
Cianoacrilatos/uso terapêutico
Consolidação da Fratura
Fraturas Orbitárias
Fraturas Zigomáticas
Limites: Coelhos
Responsável: BR310.1 - Biblioteca Professor Guilherme Simões Gomes


  7 / 128 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-873367
Autor: Pinto, João Gabriel Souza; Ciprandi, Maria teresa Ortiz; Aguiar, Rogério Coelho de; Lima, Paulo Valério Presser; Hernandez, Pedro Antonio Gonzalez; Júnior, Aurelício Novaes Silva.
Título: Enxerto autógeno x biomateriais no tratamento de fraturas e deformidades faciais - uma revisão de conceitos atuais / Autogenous bone graft x biomaterials in the treatment of facial fractures and deformities - a review of current concepts
Fonte: RFO UPF;12(3):79-84, set.-dez. 2007. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O tratamento de condições traumáticas e pós-traumáticas envolvendo o esqueleto facial, tais como não união ou perdas ósseas significativas, constitui um desafio ao cirurgião bucomaxilofacial. Algumas das conseqüências dessas condições são a enoftalmia, mal-oclusão, assiemtrias faciais e outras seqüelas diversas. O osso autógeno é considerado um material ideal contra o qual todos os outros biomateriais ou substitutos ósseos são avaliados no tratamento dessas condições. Entretanto, em virtude de sua quantidade limitada, associada à morbidade do sítio doador, alguns pacientes podem apresentar problemas que contra-indicam sua remoção. Por esse motivo, é importante ter várias opções disponíveis para aumentar, expandir ou substituir o osso autógeno. Assim, o objetivo deste artigo é demonstrar a utilidade do enxerto ósseo autógeno para reconstrução das seqüelas das fraturas faciais, comparando sua utilização com substitutos ósseos atualmente disponíveis. Para isso, tópicos da literatura disponível sobre os diversos tipos de biomateriais existentes para a realização desse tipo de enxerto são abordados.
Descritores: Materiais Biocompatíveis
Transplante Ósseo
Fraturas Orbitárias
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR337.1 - Biblioteca


  8 / 128 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Silva, Josimário Joäo da
Texto completo
Id: biblio-872926
Autor: Silva, Josimário João da; Rocha Neto, Adelgício; Pereira, Anderson Marciano; Correia, Valdomiro; Lira, Andreza de Azevedo.
Título: Fratura tardia de seio frontal: relato de caso clínico / Late frontal sinus fracture: a case report
Fonte: Rev. cir. traumatol. buco-maxilo-fac;5(3):51-56, jul.-set. 2005. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A integridade anatômica do seio frontal tem grande importância para o paciente não só apenas do ponto de vista estético mas também funcional. Isso devido à íntima relação que esse seio mantém com a fossa craniana anterior, a qual aloja o lobo frontal do cérebro e a região naso-órbito-etmoidal. A tábua anterior do seio é, sem dúvida, a porção mais envolvida nas soluções de continuidade óssea do frontal, em que a fratura de uma ou mais de suas paredes pode resultar numa desarmonia facial bastante evidente, cujo tratamento indevido desta fratura pode gerar o aparecimento de seqüelas, algumas vezes desastrosas, com importante repercussão social. O presente artigo expõe um caso de fratura tardia de parede anterior do seio fronta em um paciente do gênero masculino, com 31 anos de idade, vítima de acidente ciclístico, submetido à reconstrução do defeito ósseo com cimento ortopédico.
Descritores: Fraturas Orbitárias/cirurgia
Seio Frontal/cirurgia
Limites: Seres Humanos
Masculino
Responsável: BR310.1 - Biblioteca Professor Guilherme Simões Gomes


  9 / 128 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-872925
Autor: Oliveira, Rogério Belle de; Silveira, Roger Lanes; Machado, Rosilene Andrea; Nascimento, Mirella Marques Mercês do.
Título: Utilização de diferentes materiais de reconstrução em fraturas do assoalho de órbita: relato de seis casos / Use of different reconstruction materials in fractures of the floor of the orbit: a report of six cases
Fonte: Rev. cir. traumatol. buco-maxilo-fac;5(3):43, jul.-set. 2005. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Fraturas do complexo zigomaticomaxilar são relativamente comuns, sendo que o deslocamento do osso zigomático pode gerar alterações funcionais significantes, como prejuízos oculares, visto que esse osso é constituinte de parte do assoalho e da parede lateral da órbita. Entretanto as fraturas tipo ôblow-outö são caracterizadas pelo envolvimento de paredes orbitárias, principalmente inferior e medial, sem fratura ou deslocamento dos ossos adjacentes. Diferentes materiais têm sido utilizados para a recomposição dos assoalhos orbitários, como tela de titânio, osso autógeno de diferentes regiões do corpo e tela bioabsorvível, permitindo o reposicionamento do globo ocular à sua posição anatômica de origem. O objetivo deste trabalho é descrever diferentes abordagens para lesões em assoalho de órbita e discutir as alternativas de tratamento destas fraturas.
Descritores: Transplante Ósseo
Fraturas Orbitárias/cirurgia
Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos/métodos
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR310.1 - Biblioteca Professor Guilherme Simões Gomes


  10 / 128 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-872924
Autor: Bourguignon Filho, Aguimar de Matos; Costa, Aline Tempel; Ibrahim, Danilo; Blaya, Diego Segatto; Viegas, Vinícius Nery; Oliveira, Marília Gerhardt de.
Título: Fraturas orbitárias blowout: tratamento com telas de titânio / Blowout orbital fractures: treatment with titanium mesh
Fonte: Rev. cir. traumatol. buco-maxilo-fac;5(3):35-42, jul.-set. 2005. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: As fraturas orbitárias blowout são aquelas que acometem exclusivamente o assoalho e/ou a parede medial da órbita. O diagnóstico destas fraturas baseia-se em exame físico e em exames imaginológicos. No exame físico, sinais e sintomas, como equimose periorbitária, limitação de movimentos oculares, diplopia e enoftalmia,podem estar presentes. A tomografia computadorizada é o exame mais eficiente para o diagnóstico dessas fraturas. O tratamento deve ser realizado através da reconstrução das paredes orbitárias fraturadas combiomateriais autógenos, homógenos, heterógenos ou materiais aloplásticos. Neste trabalho, serão apresentados dois casos clínicos de fraturas blowout, tratadas com telas de titânio. Esses materiais mostraram-se eficientes, apresentando bons resultados em relação à capacidade de reconstrução do assoalho orbitário e de suporte ao conteúdo do globo ocular.
Descritores: Fraturas Orbitárias/terapia
Órbita/lesões
Titânio/uso terapêutico
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR310.1 - Biblioteca Professor Guilherme Simões Gomes



página 1 de 13 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde