Base de dados : LILACS
Pesquisa : C11.297.249 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 1 [refinar]
Mostrando: 1 .. 1   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 1 LILACS  
             
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1038702
Autor: Dervenis, Panagiotis; Dervenis, Nikolaos; Chiras, Dimitrios.
Título: In-the-bag toric intraocular lens implantation in the case of an anterior capsule tear: a case series / Implantação de lentes intraoculares tóricas no saco capsular em casos de ruptura da cápsula anterior: uma série de casos
Fonte: Arq. bras. oftalmol;82(6):460-462, Nov.-Dec. 2019. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To analyze the outcomes of in-the-­bag toric intraocular lens implantation for anterior capsular tears during phacoemulsification. Methods: The cohort of this re­trospective, consecutive, interventional case series included eight patients. One patient was excluded as the tear was used to enlarge the rhexis. The mean preoperative astigmatism was -1.67D (± 0.98) and the mean preoperative unaided logMAR visual acuity was 0.62 (± 0.76). The mean angle between the anterior capsule tear and the closest intraocular lens haptic was 51.25° (range, 30°-90°). Results: The final unaided logMAR visual acuity was 0.16 (± 0.21) and the final cylinder was -1.1 D (± 0.59). The mean follow-up duration was about 2 ± 1.2 months. In this case series, no lens had to be explanted or rotated postoperatively. Placement of a toric intraocular lens in the presence anterior capsule tear was safe in all patients. An angle of at least 30° remained between the tear and the intraocular lens haptic. Conclusion: Placement of toric intraocular lens in the presence of an anterior capsule tear may be safe, at least in cases with a 30° angle between the anterior capsule tear and the intraocular lens haptic.

RESUMO Objetivo: Analisar os resultados do implante de lentes intraoculares tóricas para rupturas capsulares anterio­res durante a facoemulsificação. Métodos: A coorte desta série re­trospectiva, consecutiva e intervencional de casos que inclui 8 pacientes. Um paciente foi excluído quando a lágrima foi usada para aumentar a rexe. O astigmatismo pré-operatório médio foi de -1,67 D (± 0,98) e a média da acuidade visual logMAR sem intervenção pré-operatória foi de 0,62 (± 0,76). A média do ângulo entre a ruptura da cápsula anterior e o háptico mais próximo da lente intraocular foi de 51,25° (variação, 30°-90°). Resultados: A acuidade visual logMAR final sem ajuda foi de 0,16 (± 0,21) e o cilindro final foi de -1,1 D (± 0,59). O tempo médio de acompanhamento foi de aproximadamente 2 ± 1,2 meses. Nesta série de casos, nenhuma lente teve que ser removida ou rotacionada no pós-operatório. A colocação de uma lente intraocular tórica na presença de uma ruptura da cápsula anterior mostrou-se segura em todos os pacientes. Um ângulo de pelo menos 30° permaneceu entre a ruptura e o háptico da lente intraocular. Conclusão: A colocação de lente intraocular tórica na presença de uma ruptura da cápsula anterior pode ser segura, pelo menos em casos com um ângulo de 30° entre a ruptura da cápsula anterior e o háptico da lente intraocular.
Descritores: Facoemulsificação/efeitos adversos
Implante de Lente Intraocular/métodos
Ruptura da Cápsula Anterior do Olho/cirurgia
Ruptura da Cápsula Anterior do Olho/etiologia
Lentes Intraoculares
-Refração Ocular
Fatores de Tempo
Acuidade Visual
Reprodutibilidade dos Testes
Estudos Retrospectivos
Resultado do Tratamento
Ruptura da Cápsula Anterior do Olho/fisiopatologia
Limites: Humanos
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde