Base de dados : LILACS
Pesquisa : C11.768.328 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 18 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 18 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-827976
Autor: Aydın, Rukiye; Karahan, Eyyup; Kaya, Mahmut; Ozturk, Taylan; Cabuk, Kubra Serefoglu; Kocak, Nilufer; Kaynak, Suleyman.
Título: Evaluation of inner segment/outer segment junctions in different types of epiretinal membranes / Avaliação da junção segmento interno/segmento externo em diferentes graus de membranas epirretinianas
Fonte: Arq. bras. oftalmol;79(5):319-322, Sept.-Oct. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: This study was conducted to evaluate the relationships of inner/outer segment (IS/OS) junction disruption, macular thickness, and epiretinal membrane (ERM) grade with best-corrected visual acuity (BCVA), as well as the relationship between IS/OS junction disruption and ERM grade. Methods: Fifty-four eyes of 54 patients with different grades of ERM were retrospectively reviewed. Patients were classified into three groups by ERM grade according to retinal striae and vessel distortion: grade/group 1, visible membranes without retinal striae or vessel distortion; grade/group 2, mild to moderate macular striae or vessel straightening; and grade/group 3, moderate to severe striae and vascular straightening. Correlations of BCVA with age, central retinal thickness, ERM grade, and IS/OS disruption as well as of IS/OS disruption, central macular thickness, and BCVA with ERM grade were evaluated. Results: Twenty-nine (53.7%) eyes exhibited IS/OS junction disruption. Groups 1 and 2 differed significantly with respect to BCVA (p=0.038), but groups 2 and 3 did not (p=0.070). Central macular thickness was significantly greater in group 2 than in group 1 (p=0.031) and in group 3 than in group 2 (p=0.033). Groups 1 and 2 differed significantly in terms of IS/OS disruption (p=0.000), but groups 2 and 3 did not (p=0.310). Conclusions: The IS/OS junction appears to be disrupted during the early stages of ERM. Grade 3 ERM is associated with a significantly higher incidence of IS/OS disruption.

RESUMO Objetivo: Este estudo foi realizado para avaliar a relação entre a interrupção da junção segmento interno/segmento externo (IS/OS), espessura macular e grau de membrana epirretiniana (ERM), com a melhor acuidade visual corrigida (BCVA), e a relação entre a interrupção da junção IS/OS com a severidade da ERM. Métodos: Cinquenta e quatro olhos de 54 pacientes com diferentes graus de ERM foram avaliados retrospectivamente. ERMs foram classificadas, de acordo com as estrias de retina e a distorção dos vasos, em 3 grupos: grupo 1 foram membranas visíveis sem estrias retinianas ou distorção dos vasos, grupo 2 membranas com estrias maculares discretas a moderadas ou retificação dos vasos, e grupo 3 membranas com estrias moderadas a graves e retificação vascular. A correlação da BCVA com a idade, espessura central da retina, severidade da ERM e interrupção da junção IS/OS foram avaliadas. A relação de interrupção da junção IS/OS, a espessura macular central e acuidade visual com a severidade da ERM também foram avaliadas. Resultados: Vinte e nove olhos (53,7%) apresentavam interrupção da junção IS/OS. A BCVA foi diferente entre ERMs grupo 1 e grupo 2 (p=0,038), a diferença entre o grupos 2 e 3 não foi estatisticamente significativa (p=0,070). A espessura macular central foi estatisticamente maior no grupo 2, quando comparado ao grupo 1 (p=0,031) e maior no grupo 3 quando comparado ao grupo 2 (p=0,033). A diferença entre o grupo 1 e grupo 2 em relação à interrupção da junção IS/OS foi estatisticamente significativa (p=0,000), ao passo que a diferença entre o grupo 2 e do grupo 3 não foi estatisticamente significativa (p=0,310). Conclusões: As junções IS/OS parecem estar interrompidas nos estágios iniciais da ERM. O grau 3 de ERM têm uma maior incidência significativa de interrupção da junção IS/OS.
Descritores: Membrana Epirretiniana/patologia
Segmento Interno das Células Fotorreceptoras da Retina/patologia
Segmento Externo das Células Fotorreceptoras da Retina/patologia
Macula Lutea/patologia
-Índice de Gravidade de Doença
Acuidade Visual
Modelos Lineares
Estudos Retrospectivos
Fatores Etários
Membrana Epirretiniana/diagnóstico por imagem
Tomografia de Coerência Óptica/métodos
Macula Lutea/diagnóstico por imagem
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-838748
Autor: Ercalik, Nimet Yesim; Imamoglu, Serhat; Kumral, Esra Turkseven; Yenerel, Nursal Melda; Bardak, Handan; Bardak, Yavuz.
Título: Influence of the epiretinal membrane on ranibizumab therapy outcomes in patients with diabetic macular edema / Influência da membrana epirretiniana sobre os resultados da terapia de ranibizumab em edema macular diabético
Fonte: Arq. bras. oftalmol;79(6):373-375, Nov.-Dec. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To investigate the influence of the epiretinal membrane (ERM) on intravitreal ranibizumab (IVR) therapy for diabetic macular edema (DME). Methods: This retrospective study included 56 eyes of 48 patients with DME divided into two groups: the DME with ERM (study) and only DME (control) groups. Changes in the central macular thickness (CMT) and best-corrected visual acuity (BCVA) were evaluated. Results: In the study group, although the CMT was significantly reduced following the first injection (p<0.001), BCVA did not improve significantly (p=0.296). However, after the first injection, the control group exhibited both a significant decrease in CMT (p<0.001) and improvement in BCVA (p<0.001). However, the improvement in BCVA in the control group was not significantly different from the outcome of the study group. Conclusions: We observed a negative short-term influence of the ERM on IVR treatment for DME.

RESUMO Objetivo: Investigar a influência da membrana epirretiniana (ERM) na terapia intravítrea com ranibizumab (IVR) para o edema macular diabético (DME). Métodos: Este estudo retrospectivo consistiu de 56 olhos de 48 pacientes com DME que foram divididos em dois grupos: o grupo DME com ERM (estudo) e o grupo só DME (controle). Foram avaliadas alterações na espessura central de macular (CMT) e melhor acuidade visual corrigida (BCVA). Resultados: No grupo de estudo, embora a CMT tenha sido significativamente reduzida após a 1ª injeção (p<0,001), a acuidade visual não melhorou significativamente (p=0,296). Após a 1ª injeção, o grupo controle apresentou diminuição significativa no CMT (p<0,001) e melhora na acuidade visual (p<0,001). No grupo controle, embora a mudança de CMT tenha sido significativa (p<0,001), a melhora da acuidade visual não foi significativa quando comparada com o grupo de estudo. Conclusões: No curto prazo, observou-se uma influência negativa da ERM sobre o IVR em DME.
Descritores: Acuidade Visual/fisiologia
Edema Macular/tratamento farmacológico
Membrana Epirretiniana/fisiopatologia
Inibidores da Angiogênese/administração & dosagem
Retinopatia Diabética/tratamento farmacológico
Ranibizumab/administração & dosagem
-Estudos de Casos e Controles
Estudos Retrospectivos
Injeções Intravítreas
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1038701
Autor: Cunha, Leonardo Provetti; Costa-Cunha, Luciana Virgínia Ferreira; Costa, Carolina Ferreira; Monteiro, Mário Luiz Ribeiro.
Título: Ultrastructural changes detected using swept-source optical coherence tomography in severe vitreopapillary traction: a case report / Alterações ultraestruturais detectadas pela tomografia de coerência óptica de fonte de varredura em tração vitreopapilar grave: relato de caso
Fonte: Arq. bras. oftalmol;82(6):517-521, Nov.-Dec. 2019. graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Vitreopapillary traction is an uncommon condition characterized by strong adhesion and the traction of the posterior hyaloid onto the optic disc and peripapillary retina, leading to optic disc elevation and visual loss. An 85-year-old man presented with a 6-month history of slow, progressive visual loss in the left eye along with optic disc edema. Swept-source optical coherence tomography B-scans revealed circumpapillary anterior-posterior persistent traction of dense vitreous strands onto the optic disc. Visual field examination demonstrated mild, generalized, diffuse sensitivity loss and blind-spot enlargement. A 25-gauge posterior vitrectomy was performed with posterior hyaloid separation from the optic disc, resulting in significant anatomical and visual improvement. In conclusion, swept-source optical coherence tomography aids in understanding the mechanism underlying visual loss in vitreopapillary traction. Moreover, posterior vitrectomy can effectively promote anatomical and visual improvements in these cases.

RESUMO A tração vitreopapilar é uma condição incomum caracterizada por forte adesão e tração da hialoide posterior no disco óptico e retina peripapilar, levando à elevação do disco óptico e à perda visual. Um homem de 85 anos apresentou uma história de 6 meses de perda visual lenta e progressiva no olho esquerdo, juntamente com edema do disco óptico. A tomografia de coerência óptica por fonte de varredura revelou tração persistente ântero-posterior peripapilar com traves vítreas densas sobre o disco óptico. Exame de campo visual demonstrou perda de sensibilidade difusa, generalizada, leve e aumento do ponto cego. Uma vitrectomia posterior de calibre 25 foi realizada com separação hialóide posterior do disco óptico, resultando em melhora anatômica e visual significativa. Em conclusão, a tomografia de coerência óptica por fonte de varredura auxilia na compreensão do mecanismo subjacente à perda visual na síndrome de tração vitreopapilar. Além disso, a vitrectomia posterior pode efetivamente promover melhorias visuais e anatômicas nesses casos.
Descritores: Corpo Vítreo/patologia
Corpo Vítreo/diagnóstico por imagem
Papiledema/patologia
Papiledema/diagnóstico por imagem
Tomografia de Coerência Óptica/métodos
-Índice de Gravidade de Doença
Acuidade Visual
Aderências Teciduais
Papiledema/terapia
Cegueira/etiologia
Resultado do Tratamento
Membrana Epirretiniana/patologia
Membrana Epirretiniana/diagnóstico por imagem
Limites: Humanos
Masculino
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Carta
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1048425
Autor: Giambruni, Juan Martín.
Título: Desarrollo de membrana epirretinal en pacientes con glaucoma que utilizan análogos de las prostaglandinas / Epiretinal membrane development in glaucoma patients who use prostaglandin analogues
Fonte: Rev. Hosp. Ital. B. Aires (2004);39(3):103-104, sept. 2019.
Idioma: es.
Descritores: Membrana Epirretiniana/induzido quimicamente
-Prostaglandinas Sintéticas/administração & dosagem
Prostaglandinas Sintéticas/efeitos adversos
Glaucoma/tratamento farmacológico
Estudos Retrospectivos
Administração Tópica
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Comentário
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  5 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-771903
Autor: Martins, Maíra de França; Volpatto, Edio; Emery, Paula; Serracarbassa, Pedro Duraes.
Título: A study of the vitreoretinal interface in patients with age-related macular degeneration / Estudo da interface vitreorretiniana em pacientes com degeneração macular relacionada à idade
Fonte: Arq. bras. oftalmol;79(1):4-8, Jan.-Feb. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To assess whether hyaloid adhesion is more prevalent in patients with age-related macular degeneration (AMD) than in control patients and to evaluate whether it is more prevalent in exudative AMD than in non-exudative AMD. Methods: This was a cross-sectional, controlled analytical study. Patients from the Ophthalmology Department of the Public Service Hospital of the State of São Paulo were included if they were diagnosed with AMD that was confirmed by fundus biomicroscopy and fluorescein angiography. Patients were divided into three groups: patients without a vitreoretinal disease (controls), patients with exudative AMD, and patients with non-exudative AMD. For the optimal study of the vitreoretinal interface, all patients were subjected to spectral-domain optical coherence tomography (SD-OCT; Cirrus HD-OCT, version 4000; Carl Zeiss Meditec) and ultrasonography (UltraScan®, Alcon). Results with p values of ≤0.05 were considered statistically significant. Results: We assessed 75 eyes of 23 patients with AMD (14 women and nine men) and 15 the control patients (11 women and four men). In total, 33 eyes had AMD that was consistent with the inclusion criteria, of which 11 had the non-exudative form (non-atrophic) and 22 had the exudative form (11 active and 11 disciform scars). Adherence was observed in eight eyes in the control group (26.67%), in seven eyes with exudative AMD (31.82%), and in five eyes with non-exudative AMD (45.45%). Conclusion: Patients with exudative and non-exudative forms of AMD did not present with higher vitreoretinal adhesion than control patients as assessed by SD-OCT and ultrasound. Moreover, patients with exudative AMD (neovascular membrane and disciform scar) did not reveal a higher adherence than those with non-exudative AMD when evaluated by the same methods.

RESUMO Objetivo: Avaliar se a adesão hialoidea é mais prevalente em pacientes com degeneração macular relacionada a idade (DMRI) (exsudativa e não exsudativa) comparado ao grupo controle e avaliar se a prevalência é maior na forma exsudativa comparada a forma não exsudativa. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, analítico, de grupo controle, com os pacientes atendidos no Departamento de Retina do Serviço de Oftalmologia do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo (HSPE), que tiveram o diagnóstico de DMRI confirmado após a biomicroscopia de fundo e angiofluoresceinografia. Os pacientes foram divididos em três grupos, um composto por pacientes sem doenças vitreorretinianas (30 olhos), outro pacientes com DMRI exsudativa (22 olhos) e o terceiro grupo por pacientes com DMRI não exsudativa (11 olhos). Para melhor estudo da interface vitreorretiniana, todos os pacientes foram submetidos aos exames de SD-TCO (Cirrus HD-TCO, versão 4000; Carl Zeeis Meditec) e ultrassonografia (UltraScan®, Alcon). Foram considerados significativos os resultados com valor de p≤0,05. Resultados: Foram avaliados 75 olhos de 23 pacientes com DMRI e 15 no grupo controle, sendo que apenas 33 olhos que apresentavam DMRI obedeciam aos critérios de inclusão, sendo 11 pertencentes à forma seca (nenhuma forma atrófica) e 22 à forma exsudativa (11 de forma ativa e 11 disciforme). A adesão foi encontrada em oito olhos no grupo controle (26,67%), em sete olhos com DMRI exsudativa (31,82%) e em cinco olhos no grupo DMRI não exsudativa (45,45%). Conclusão: Neste estudo, pacientes com DMRI (formas exsudativa e não exsudativa) não apresentaram maior adesão vitreorretiniana quando comparados ao grupo controle, ao serem avaliados através SD-TCO (Cirrus HD-TCO, versão 4000; Carl Zeeis Meditec) e ultrassonografia (UltraScan®, Alcon). Neste estudo, pacientes com DMRI exsudativa (ativa e disciforme) não apresentaram maior adesão quando comparados à forma seca, ao serem avaliados pelos mesmos métodos.
Descritores: Degeneração Macular/patologia
Retina/patologia
Corpo Vítreo/patologia
-Fatores Etários
Análise de Variância
Estudos de Casos e Controles
Estudos Transversais
Membrana Epirretiniana/patologia
Degeneração Macular/fisiopatologia
Degeneração Macular
Fatores de Risco
Retina/fisiopatologia
Aderências Teciduais
Tomografia de Coerência Óptica
Corpo Vítreo/fisiopatologia
Limites: Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-741166
Autor: Germano, Renato Antunes Schiave; Zacharias, Leandro Cabral; Takahashi, Walter Yukiko.
Título: Recurrent myopic foveoschisis: resolution after internal limiting membrane removal / Isquise miópica recorrente: resolução após remoção da membrana limitante interna
Fonte: Arq. bras. oftalmol;78(1):44-46, Jan-Feb/2015. graf.
Idioma: en.
Resumo: We report a case of a 66-year-old man with a history of high myopia and who was referred for acute decreased visual acuity of the right eye. Fundus examination and optical coherence tomography (OCT) showed a mild epiretinal membrane (ERM) and splitting of retinal layers. Pars plana vitrectomy was performed with intravitreous triamcinolone injection, posterior hyaloid and ERM peeling, and 12% perfluoropropane (C3F8) gas tamponade. After remaining asymptomatic for 17 months, the patient reported a new episode of sudden decreased visual acuity in his right eye, and OCT showed recurrent myopic foveoschisis (MF). He underwent vitrectomy and internal limiting membrane (ILM) peeling. Six months later, the patient’s best corrected visual acuity had improved to 20/25. Optical coherence tomography showed a remarkably improved macular anatomy, with residual traction along the inferotemporal arcade, which was attributed to the vessel stiffness itself. We conclude that removing the internal limiting membrane is a challenging maneuver in myopic foveoschisis, even with staining approaches. Although myopic foveoschisis may be resolved without peeling the internal limiting membrane, its removal should be considered if the condition recurs.

Relatamos caso de um homem de 66 anos, com antecedente de alta miopia, que referiu baixa de acuidade visual aguda no olho direito. O mapeamento de retina e o exame de tomografia de coerência óptica (OCT) mostraram discreta membrana epirretiniana (ERM) e isquise retiniana. Foi realizada vitrectomia via pars plana com injeção intravítrea de triancinolona, retirada da hialóide posterior, peeling da membrana epirretiniana e tamponamento com gás perfluorpropano (C3F8) a 12%. O paciente permaneceu assintomático por 17 meses, quando queixou-se de novo episódio de baixa de acuidade visual súbita no olho direito e o tomografia de coerência óptica mostrou recorrência da isquise miópica. Ele foi submetido a nova vitrectomia com peeling da membrana limitante interna (ILM). Após 6 meses, a acuidade visual corrigida era de 20/25. A tomografia de coerência óptica mostrou melhora importante da anatomia macular, com área de tração residual observada na arcada inferotemporal, que foi atribuída à rigidez do próprio vaso. A retirada da membrana limitante interna é uma manobra desafiadora em olhos alto míopes, mesmo estando corada. A resolução da isquise miópica pode ser atingida sem o peeling da membrana limitante interna, mas sua remoção deve ser considerada em casos de recorrência.
Descritores: Membrana Epirretiniana/cirurgia
Miopia Degenerativa/cirurgia
Miopia/cirurgia
-Injeções Intravítreas
Miopia Degenerativa/diagnóstico
Miopia Degenerativa/tratamento farmacológico
Miopia/diagnóstico
Miopia/tratamento farmacológico
Recidiva
Tomografia de Coerência Óptica
Resultado do Tratamento
Triancinolona/uso terapêutico
Acuidade Visual
Vitrectomia/métodos
Limites: Idoso
Humanos
Masculino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-728657
Autor: Gomes, Flávia Cid; Felix, João Paulo Fernandes; Nascimento, Maurício Abujamra; Lira, Rodrigo Pessoa Cavalcanti.
Título: Epiretinal membrane formation associated with idiopathic macular telangiectasia: case report / Formação de membrana epirretiniana associada a telangectasia macular idiopática: relato de caso
Fonte: Arq. bras. oftalmol;77(4):264-266, Jul-Aug/2014. graf.
Idioma: en.
Resumo: A 46-year-old woman complained of blurred and distorted vision in both eyes. Ophthalmic examination showed that visual acuity was 20/200 for the right eye and counting fingers left eye. Fundoscopy revealed perimacular hemorrhages, aneurismal dilatation of the vessels in the posterior pole, and a white and elevated lesion adjacent to vascular changes. We report a case of idiopathic macular telangiectasia and epiretinal membrane that occurs concomitantly. To our knowledge, this is the first report that describes an association between idiopathic macular telangiectasia and epiretinal membrane formation.

Paciente feminina de 46 anos apresentando queixa de embaçamento visual e visão distorcida em ambos os olhos. Ao exame oftalmológico, sua acuidade visual era 20/200 no olho direito e conta dedos a 5 metros no olho esquerdo. A fundoscopia revelou hemorragias perimaculares, dilatação aneurismática dos vasos no polo posterior e uma lesão elevada e esbranquiçada ao lado das alterações vasculares. Relatamos um caso de telangectasia macular idiopática e membrana epirretiniana que ocorreram concomitantemente. Até o momento, não existem relatos de associação entre telangiectasia macular e membrana epirretiniana.
Descritores: Membrana Epirretiniana/etiologia
Telangiectasia Retiniana/complicações
-Membrana Epirretiniana/diagnóstico
Macula Lutea/patologia
Oftalmoscópios
Telangiectasia Retiniana/diagnóstico
Tomografia de Coerência Óptica
Acuidade Visual
Limites: Feminino
Humanos
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-722559
Autor: Tramontin, M. H; Montiani-Ferreira, F; Froes, T. R.
Título: Ecobiometria ocular de cães glaucomatosos / Ocular echobiometry in glaucomatosus dogs
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;66(4):1080-1088, 08/2014. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Foram estudados olhos glaucomatosos de cães referidos no serviço de diagnóstico por imagem. Os pacientes foram submetidos à ultrassonografia em modo B de alta resolução para realização de biometria ocular, por meio da qual foram realizadas as seguintes medidas: espessura central da córnea, profundidade da câmara anterior, espessura da lente e profundidade da câmara vítrea. Para tal, foi realizada contenção física e instilado colírio anestésico. Foram aferidas a PIO e a paquimetria da córnea e, em seguida, foi realizada a ultrassonografia em modo B nos dois olhos. Além da diferença óbvia de PIO, maior nos bulbos glaucomatosos, os resultados mostraram-se estatisticamente significativos em dois parâmetros: aumento da profundidade da câmara vítrea nos casos de glaucoma crônico (1,24±0,26cm; P=0,01) quando se comparou aos olhos controle e aumento da espessura da córnea também nos casos de glaucoma agudo (0,987±0,28cm; P=0,027), quando se comparou aos olhos controle e aos olhos com glaucoma crônico. Observou-se que a câmara vítrea é a estrutura intraocular que mais contribui no processo de expansão de volume do bulbo (buftalmia) durante o glaucoma...

Dogs with glaucomatous eyes referred to the Diagnostic Image Service at the Veterinary Hospital in the Federal University of Parana were studied using B-mode ultrasonography. Patients were submitted to a high resolution B-mode ultrasonography examination in order to perform ocular echobiometry. The following measurements were performed: central corneal thickness, anterior chamber depth, lens thickness and vitreous chamber depth. Physical restraint was performed and anesthetic eye drops were used. Corneal pachymetry and IOP were evaluated first and then B-mode ultrasonography was carried out in both eyes. Besides an obvious difference in IOP, which is higher in glaucomatous eyes, vitreous chamber depth significantly increases in cases of chronic glaucomatous eyes (1.24±0.26cm P=0.01), when compared to control eyes; and corneal thickness also increases in cases of acute glaucoma (0.987±0.28cm P=0.027), when compared to control eyes and to chronic glaucomatous eyeballs as well. Vitreous chamber is the intraocular structure that most contributes to the process of volume expansion of the globe (buphthalmos)...
Descritores: Biometria
Córnea
Cães/anatomia & histologia
Glaucoma
Glaucoma/veterinária
Pressão Intraocular
Cristalino
-Túnica Conjuntiva
Diagnóstico por Imagem/veterinária
Membrana Epirretiniana
Limites: Animais
Masculino
Feminino
Cães
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  9 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-497766
Autor: Biccas Neto, Laurentino.
Título: A tomografia de coerência óptica nas doenças adquiridas da interface vítreo-macular / The optical coherence tomography in diseases after macular vitreous interface
Fonte: Rev. bras. oftalmol;65(2):124-130, mar.-abr. 2006. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A tomografia de coerência óptica (TCO) é um novo recurso diagnóstico que revolucionou a retinologia, desafiando conceitos e criando novos paradigmas de tratamento e de conduta. Neste artigo, revisam-se aspectos importantes desta tecnologia aplicada às doenças adquiridas da interface vítreo-macular, somando-se aos relatos da literatura aexperiência pessoal do autor (LBN).

Optical coherence tomography is a new and powerful diagnostic tool that has challenged traditional concepts in retinal diseases, bringing up new paradigms in diagnosis and treatment. This article revises paramount aspects of this technology applied to the study of acquired maculopathies, enriched with the author's (LBN) personal experience.
Descritores: Permeabilidade Capilar
Membrana Epirretiniana
Fóvea Central
Edema Macular
Miopia
Tomografia de Coerência Óptica
Corpo Vítreo
Descolamento do Vítreo
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.2 - Biblioteca Central


  10 / 18 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Abujamra, Suel
Texto completo
Id: lil-474097
Autor: Saraceno, Janaína Jamile Ferreira; Mateus, Ismênia Machado; Machado, Tâmara Lopes; Gonçalves, Fernando Pistarini; Negretto, Alan Diego; Nakashima, Yoshitaka; Gomes, André Marcelo Vieira; Abujamra, Suel.
Título: Estudo da morfologia macular após a remoção da membrana epirretiniana idiopática utilizando a tomografia de coerência óptica (OCT): um estudo piloto / Study on macular morphology after removal of the idiopathic epiretinal membrane using the optical coherence tomography (OCT): a pilot study
Fonte: Arq. bras. oftalmol;70(6):935-938, nov.-dez. 2007. tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: Descrever a relação entre os resultados visuais e a morfologia macular através da tomografia de coerência óptica (OCT) em pacientes submetidos à remoção da membrana epirretiniana idiopática. MÉTODOS: Dez olhos de 10 pacientes com diagnóstico de membrana epirretiniana idiopática foram incluídos neste estudo. Todos os olhos foram submetidos à vitrectomia posterior via pars plana pelo mesmo cirurgião, durante o período de fevereiro de 2002 a março de 2004. A acuidade visual corrigida usando a tabela de Snellen, bem como a retinografia, a angiofluoresceinografia, a biomicroscopia de fundo e a tomografia de coerência óptica pré e pós-operatórios foram obtidos de todos os pacientes em todas as visitas. No estudo da tomografia de coerência óptica foram avaliadas três características em cada imagem: presença de depressão foveal, presença de edema macular cistóide e média da espessura central macular. RESULTADOS: A idade média dos pacientes foi de 63,3 anos (57 a 78). Cinco pacientes eram do sexo masculino e 5, do sexo feminino. A acuidade visual pré-operatória variou de 20/80 a conta dedos a 1 metro. A acuidade visual melhorou pelo menos duas linhas de visão em 8 olhos (80 por cento) e a metamorfopsia melhorou também na mesma proporção (80 por cento). Quatro pacientes não apresentavam metamorfopsia com a tabela de Amsler, e os demais apresentavam melhora parcial. À tomografia de coerência óptica todos os olhos mantiveram o aumento da espessura central, variando de 232 a 605 µ (média= 351,9 µ). Três olhos mantiveram o edema macular cistóide. Quatro olhos apresentaram acuidade visual final melhor ou igual a 20/30. Neste grupo a média de espessura central foi de 277 µ (265 a 285 µ). A recuperação do contorno foveal foi observada em dois destes olhos. Nos quatro pacientes não havia edema macular cistóide residual. CONCLUSÃO: A tomografia de coerência óptica é uma ferramenta capaz de avaliar as alterações estruturais antes e depois da cirurgia...

PURPOSE: To describe the relation between visual results and macular morphology through optical coherence tomography (OCT) in patients submitted to removal of the idiopathic epiretinal membranes. METHODS: Ten eyes of ten patients with diagnosis of idiopathic epiretinal membranes underwent standard 20-G pars plana vitrectomy. Posterior hyaloid attachments were identified and dealt with. Idiopathic epiretinal membranes were removed in all cases. Corrected visual acuity, retinography, fluorescein angiography, fundus biomicroscopy and the optical coherence tomography in the pre- and postoperative periods were performed in all patients. In OCT, three characteristics were considered in each image: presence of foveal depression, presence of cystoid macular edema and mean central macular thickness. RESULTS: Pre-operative visual acuity varied from 20/80 to counting fingers. The mean age was 63 years, ranging from 57 to 78 years. Five patients were male and five female. Preoperative visual acuity (VA) varied from 20/80 to CD to 1 meter. An improvement in VA of at least two lines was noted in all cases and metamorphopsia in eight eyes (80 percent). Four patients did not present metamorphopsia according to Amsler grid test, and the remaining presented partial improvement. On optical coherence tomography all eyes maintained increased central thickness, ranging from 232 to 605 µ (mean of 351.9 µ). Three eyes maintained cystoid macular edema. Four eyes presented final VA better or equal to 20/30. In this group the mean central thickness was of 277 µ. Foveal contour was recovered in two of these eyes. Four patients had no residual cystoid macular edema. CONCLUSIONS: Optical coherence tomography is a tool that evaluates the structural changes before and after surgery to remove idiopathic epiretinal membranes. Although the foveal area architecture stays irregular six months after surgery, the visual outcomes are very promising. Other prognostics factors...
Descritores: Membrana Epirretiniana/cirurgia
Macula Lutea/patologia
-Fóvea Central/patologia
Edema Macular/patologia
Projetos Piloto
Tomografia de Coerência Óptica
Resultado do Tratamento
Vitrectomia
Acuidade Visual/fisiologia
Limites: Idoso
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde