Base de dados : LILACS
Pesquisa : C14.280.945 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 209 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 21 ir para página                         

  1 / 209 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-481341
Autor: Rochitte, Carlos Eduardo; Bacal, Fernando; Santos, Tiago Senra Garcia dos.
Título: Ressonância magnética cardiovascular no diagnóstico da insuficiência cardíaca / Cardiovascular magnetic resonance in the diagnosis of heart failure
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;17(3):215-221, jul.-set. 2007. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A ressonância magnética cardiovascular é um método diagnóstico cuja importância vem crescendo na avaliação de pacientes com insuficiência cardíaca. A ressonância magnética cardiovascular permite avaliação anatômica, funcional, de fluxos, caracterização tecidual, e pesquisa de isquemia e viabilidade miocárdica, auxiliando na investigação da etiologia, no planejamento terapêutico e na definição do prognóstico em pacientes com insuficiência cardíaca. Dentre as várias técnicas utilizadas, destaca-se...
Descritores: Cardiomiopatias/diagnóstico
Infarto do Miocárdio
Insuficiência Cardíaca/diagnóstico
Insuficiência Cardíaca/história
-Disfunção Ventricular/classificação
Ecocardiografia
Limites: Humanos
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  2 / 209 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-677354
Autor: Ramírez, Juan David; Saldarriaga, Clara Inés; Cardona, María Clemencia; Aristizábal, Felipe; Bahamón, Carlos Mauricio; Ocampo, Maribel; Cánchica, Andrés Fernando; Franco, Glorria; González, Natalia.
Título: Síndrome de anemia cardiorrenal Estudio de casos y controles anidado en una cohorte / Cardiorenal anemia syndrome Cohort nested case-control study
Fonte: Acta méd. colomb;38(1):7-11, ene.-mar. 2013. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: la anemia y la disfunción renal son marcadores de severidad en falla cardiaca. Estas tres entidades configuran el síndrome de anemia cardiorrenal. A pesar de la importancia pronóstica de este síndrome los estudios en nuestro medio son escasos y es importante conocer nuestra epidemiología. Objetivo: evaluar las características epidemiológicas de pacientes con síndrome de falla cardiaca y la prevalencia de anemia cardiorrenal. Metodología: estudio retrospectivo que caracterizó 215 pacientes con falla cardiaca y fracción de expulsión menor de 40% y su relación con la presencia de anemia y depuración de creatinina calculada <60 ml/min. Resultados: se incluyeron 215 pacientes, con edad promedio de 66,9 años (± 11.8), el 63.25% eran hombres, la fracción de expulsión promedio fue 23.36 (± 9.2%). El promedio de hemoglobina fue de 13.34 g/dL (± 2.09) y la depuración de creatinina 55.9 ml/min. La comorbilidad más frecuente fue la hipertensión arterial en un 78,1% de los pacientes seguida por la diabetes mellitus que fue del 33%. La prevalencia del síndrome de anemia cardiorrenal fue del 23.25%. Hubo diferencias de significado estadístico con respecto a la edad, la diabetes y la etiología isquémica de la falla cardiaca. No así para la fracción de expulsión, la clase funcional, el consumo de IECAS, ni de ARA II. Conclusion: la prevalencia de anemia cardiorrenal en nuestra población fue del 23.25% similar a lo reportado en la literatura. El síndrome de anemia cardiorrenal es un nuevo blanco terapéutico que debe tenerse en cuenta en el tratamiento de los pacientes. (Acta Med Colomb 2013; 38: 7-11).

Introduction: Anemia and renal dysfunction are markers of severity in heart failure. These three entities form the cardio-renal anemia syndrome. Despite the prognostic importance of this syndrome, studies in our environment are scarce and it is important to know our epidemiology. Objective: evaluate the epidemiological characteristics of patients with heart failure syndrome and prevalence of cardio-renal anemia. Methodology: retrospective study that characterized 215 patients with heart failure and ejection fraction of less than 40% and its relationship to the presence of anemia and calculated creatinine clearance <60ml/min. Results: we included 215 patients with a mean age of 66.9 years (± 11.8). 63.25% were men; mean ejection fraction was 23.36 (± 9.2%). The mean hemoglobin was 13.34 g / dL (± 2.09) and creatinine clearance 55.9 ml / min. The most common comorbidity was arterial hypertension in 78.1% of patients followed by diabetes mellitus in 33%. The prevalence of cardio-renal anemia was 23.25%. There were statistically significant differences with respect to age, diabetes and ischemic etiology of heart failure, but not so for the ejection fraction, functional class, use of ACE inhibitors or ARBs. Conclusion: the prevalence of cardio-renal anemia in our population was 23.25% similar to that reported in the literature. Cardio-renal anemia syndrome is a novel therapeutic target to consider in the treatment of patients. (Acta Med Colomb 2013; 38: 7-11).
Descritores: Insuficiência Cardíaca
-Epidemiologia
Disfunção Ventricular
Insuficiência Renal
Anemia
Limites: Humanos
Masculino
Idoso
Responsável: CO70 - Asociación Colombiana de Medicina Interna


  3 / 209 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-879434
Autor: Silva, Carolina Maria Pinto Domingues Carvalho; Pinto, Giovanni Henrique; Santos, Marília Harumi Higuchi dos.
Título: Quimioterapia e cardiotoxicidade / Chemotherapy and cardiotoxicity
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;27(4):266-273, out.-dez. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A evolução do tratamento oncológico resultou no desenvolvimento de fármacos altamente eficazes. No entanto, os efeitos colaterais da terapia antitumoral ainda são frequentes e, muitas vezes, limitantes. Entre os efeitos adversos possíveis, a cardiotoxicidade representa um grupo importante de manifestações, com impacto negativo a curto e longo prazo na evolução desses pacientes. Esses eventos podem ocorrer na ausência de fatores de risco de doença cardiovascular e sua evolução ainda não está totalmente esclarecida. Curiosamente, podem ser desencadeadas tanto por terapias sistêmicas convencionais quanto por novas terapias relacionadas com alvos moleculares específicos. As definições de cardiotoxicidade ainda são diversas e não há um consenso universal. Em linhas gerais, pode ser entendida como qualquer alteração da homeostase do sistema cardiovascular induzida pelo tratamento do câncer. O dano cardíaco pode apresentar-se por vasta gama de condições clínicas, como por exemplo, alterações metabólicas, hipertensão arterial sistêmica, síndromes coronarianas agudas, tromboembolismo arterial e venoso, arritmias, entre outros. Muitos destes eventos têm prognóstico pior que muitas neoplasias. Assim, o conhecimento dos efeitos adversos cardíacos do tratamento antineoplásico é de suma importância, e a avaliação cardiovascular do paciente com câncer é fundamental. O intuito desta revisão é apresentar de forma prática as drogas oncológicas com maior potencial cardiotóxico e discutir de forma resumida seus principais efeitos cardiovasculares. Serão discutidas brevemente as definições, os mecanismos de agressão cardíaca e as manifestações clínicas principais, além da evolução e manejo inicial

The evolution of oncological treatment has resulted in the development of highly effective drugs. However, the side effects of antineoplastic therapy are still frequent, and often limiting. Among the possible adverse effects, cardiotoxicity represents an important group of manifestations, with negative impact on the clinical development of these patients in the short and long terms. These events can occur in the absence of risk factors for cardiovascular disease, and their clinical course is still not fully clarified. Interestingly, they can be triggered by both conventional systemic therapies and by new therapies with specific molecular targets. There are several definitions of cardiotoxicity, and there is no universal consensus. In general terms, it can be understood as any modification of cardiovascular system homeostasis induced by cancer treatment. Cardiac damage can present as a wide range of clinical conditions, such as metabolic changes, systemic arterial hypertension, acute coronary syndromes, arterial and venous thromboembolism, and arrhythmias, among others. Many of these events have a worse prognosis than many neoplasms. Thus, the knowledge of the adverse cardiac effects of antineoplastic treatment is of paramount importance, and the cardiovascular evaluation of the cancer patient is essential. The purpose of this review is to offer a practical presentation of oncological drugs with greater cardiotoxic potential, and to summarize its main cardiovascular effects. The definitions, mechanisms of cardiac aggression, and main clinical manifestations will be briefly discussed, as well as the clinical course and initial management
Descritores: Tratamento Farmacológico/métodos
Cardiotoxicidade/complicações
-Volume Sistólico
Doenças Cardiovasculares/terapia
Fatores de Risco
Paclitaxel/uso terapêutico
Disfunção Ventricular
Exposição à Radiação/efeitos adversos
Antraciclinas/uso terapêutico
Imunoterapia/métodos
Neoplasias/terapia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  4 / 209 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-879527
Autor: Macedo, Ariane Vieira Scarlatelli.
Título: Cardioproteção durante o tratamento oncológico / Cardioprotection during cancer treatment
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;27(4):313-318, out.-dez. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: O primeiro passo para a prevenção de cardiotoxicidade é avaliar o indivíduo quanto ao risco cardiovascular basal e identificar os pacientes de alto risco. É essencial a abordagem proativa, otimizando o tratamento das doenças cardiovasculares existentes e reduzindo os fatores que contribuem para o aumento do risco cardiovascular. Essa avaliação é um processo contínuo, que deve acontecer durante todo o tratamento. Nos pacientes candidatos a altas doses de antraciclina, algumas estratégias possíveis para mitigar a cardiotoxicidade são o uso de infusão contínua de antraciclina em vez de infusão em bolus, uso de doxorrubicina lipossomal em substituição a doxorrubicina tradicional e uso de dexrazoxano antes da infusão de antracíclico. As evidências atuais ainda não corroboram o uso rotineiro de bloqueadores neuro-hormonais ou estatinas como agentes cardioprotetores em todos os pacientes tratados com quimioterapia potencialmente cardiotóxica

he first step in preventing cardiotoxicity is to evaluate the baseline cardiovascular risk in the individual, and to identify high-risk patients. A proactive approach is essential, optimizing the treatment of existing cardiovascular patients and reducing the factors that contribute to the increase in cardiovascular risk. This evaluation is a continuous process that should occur throughout the treatment. In candidate patients for high-dose anthracycline, some possible strategies to mitigate cardiotoxicity are the use of continuous anthracycline infusion instead of as a bolus, the use of liposomal doxorubicin to replace traditional doxorubicin, and the use of dexrazoxane prior to anthracycline infusion. Current evidence does not support the routine use of neurohormonal blockers or statins as cardioprotective agents in all patients treated with potentially cardiotoxic chemotherapy
Descritores: Doenças Cardiovasculares/complicações
Doenças Cardiovasculares/mortalidade
Tratamento Farmacológico/métodos
Cardiotoxicidade/complicações
Neoplasias/terapia
-Prevenção Primária/métodos
Tabagismo
Exercício Físico
Fatores de Risco
Fatores Etários
Disfunção Ventricular/diagnóstico
Antraciclinas/uso terapêutico
Diabetes Mellitus/diagnóstico
Obesidade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  5 / 209 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-831560
Autor: Pimenta, João; Curimbaba, Jefferson; Valente, Nery.
Título: Abordagem das arritmias na Doença de Chagas Crônica / Approach of arrhythmias in chronic Chagas Disease
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;26(4):253-260, out.-dez.2016.
Idioma: pt.
Resumo: As arritmias na cardiopatia chagásica (CCH) são responsáveis por incapacitação física e morte em indivíduos adultos em faixa etária precoce e produtiva, decorrendo daí a necessidade de sua abordagem criteriosa e, às vezes, mais agressiva para se obter controle completo. As arritmias cardíacas mais encontradas na CCH são as bradiarritmias e as taquicardias. Entre as bradicardias estão as alterações sinoatriais e os bloqueios atrioventriculares, cujo tratamento padrão é o emprego de implante de marcapasso definitivo. Entre as taquiarritmias, encontram-se as supraventriculares ­ extrassístoles atriais, taquicardia atrial ectópica, "flutter" atrial e fibrilação atrial ­ que provocam morbidades como progressão para disfunção ventricular esquerda e fenômenos tromboembólicos, e as ventriculares, cujo desfecho pode ser a morte súbita instantânea. A abordagem deve ser, inicialmente, por meio de eletrocardiograma de 12 derivações, pela gravação ambulatorial (Holter), ecocardiograma, teste ergométrico, e por fim, o estudo eletrofisiológico e a ressonância nuclear magnética. O tratamento farmacológico pode ser conduzido com o uso dos fármacos existentes em nosso mercado, como amiodarona, propafenona e sotalol. O tratamento invasivo, pode consistir em ablação por cateter, embora com resultados ainda abaixo de índices confortadores, devido à possibilidade de recidivas. O uso de cardiodesfibrilador implantável é a última alternativa, que também tem suas limitações

Arrhythmias in Chagas cardiomyopathy (CCM) are responsible for physical disability and death in adults in early and productive age group, from which arises the need for a judicious and sometimes more aggressive approach to achieve the complete control. The arrhythmias most common in CCM are bradyarrhythmias and tachycardias. Among the bradycardias are the sinoatrial changes and atrioventricular blocks, whose standard treatment is the use of permanent pacemaker implantation. Among tachyarrhythmias are the supraventricular ones - atrial extrasystoles, ectopic atrial tachycardia, atrial flutter and atrial fibrillation - causing morbidity and progression of left ventricular dysfunction and thromboembolic events, and the ventricular ones, whose outcome can be the instantaneous sudden death. The approach should be initially through 12-lead electrocardiogram, by ambulatory ECG recording (Holter), echocardiogram, stress testing, and finally the electrophysiological study and magnetic resonance imaging. Pharmacological treatment can be conducted with the use of marketed drugs such as amiodarone, propafenone and sotalol. The invasive treatment may consist of catheter ablation, although the results are still below comforting rates due to the possibility of recurrence. The use of implantable cardioverter defibrillator is the last alternative, which also has its limitations
Descritores: Arritmias Cardíacas/fisiopatologia
Cardiomiopatia Chagásica/reabilitação
Disfunção Ventricular/terapia
-Sotalol/farmacologia
Propafenona/farmacologia
Ecocardiografia
Espectroscopia de Ressonância Magnética
Eletrocardiografia Ambulatorial/métodos
Teste de Esforço
Amiodarona/farmacologia
Limites: Humanos
Adolescente
Adulto
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  6 / 209 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Matsubara, Luiz Shiguero
Texto completo
Id: lil-350414
Autor: Matsubara, Beatriz Bojikan; Ferreira, Ana Lúcia dos Anjos; Matsubara, Luiz Shiguero.
Título: Aspectos anatomopatológicos da disfunção ventricular / Histopathological aspects of ventricular dysfunction
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(3):361-370, May-Jun. 2002. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: A disfunção ventricular está associada a um conjunto de alterações envolvendo miócitos, vasos coronários e interstício, que caracterizam a remodelação miocárdica. Esse processo não ocorre de maneira uniforme e depende de vários fatores, associados à agressão cardíaca e à resposta individual. Esta revisão inclui alguns aspectos anatomopatológicos da remodelação miocárdica, ao mesmotempo que discute os aspectos fisiopatológicos das lesões miocárdicas...
Descritores: Diabetes Mellitus
Hipertrofia
Disfunção Ventricular
Isquemia Miocárdica
Remodelação Ventricular
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  7 / 209 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-350424
Autor: Bocchi, Edmar Alcides; Issa, Victor Sarli; Bacal, Fernando.
Título: Diagnóstico e terapêutica baseados no peptídeo natriurético cerebral / The role of brain natriuretic peptide in the diagnosis and therapy of patients with congestive heart failure
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(3):450-458, May-Jun. 2002. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O peptídeo natriurético cerebral é parte de uma família de peptídeos produzidos pelo coração e outros tecidos que possuem potente efeito natriurético, diurético e vasodilatador. Tais substâncias, em especial o peptídeo natriurético cerebral, vêm sendo relacionadas a mecanismos fisiopatológicos de diferentes condições clínicas, como hemorragia meníngea, hipertensão arterial sistêmica, infarto agudo do miocárdio e insuficiência cardíaca congestiva. Na prática clínica, a determinação da presença ou não de doença cardíaca como causa de sinto-mas (dispnéia) é muitas vezes tarefa difícil, que pode demandar grande quantidade de tempo e recursos. A diferenciação entre insuficiência cardíaca e outras causas de dispnéia pode ser crítica, especialmente em pacientes que procuram serviços de emergência. O peptídeo natriurético cerebral demonstrou ser de grande valor para a avaliação tanto diagnóstica como prognóstica de pacientes com disfunção ventricular com ou sem sintomas. Além disso, vem sendo estudado o papel desse peptídeo para tratamento de pacientes com insuficiência cardíaca,tanto como parâmetro de monitorização terapêutica como potencial droga a ser utilizada...
Descritores: Infarto do Miocárdio
Insuficiência Cardíaca
-Hipertrofia
Disfunção Ventricular
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  8 / 209 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1280372
Autor: Clerc Berestein, Miguel Angel; Herves, Ana Paula.
Título: Foramen oval restrictivo intraútero: causa de hidrops fetal / Intrauterine restrictive oval foramen: cause of fetal hydrops
Fonte: Rev. cuba. pediatr;93(2):e1215fig.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: El cierre prematuro del foramen oval o foramen oval restrictivo intraútero es una entidad clínica rara pero seria, de etiología desconocida. Puede ocasionar diversos defectos cardíacos, hipertensión pulmonar, insuficiencia cardiaca congestiva, hidrops fetal y muerte. El diagnóstico puede realizarse mediante ecocardiografía fetal, aunque en la mayoría de los casos sucede en autopsia posmortem. Objetivo: Describir un caso de hidrops fetal secundario al cierre prematuro del foramen oval intraútero. Presentación del caso: Recién nacido pretérmino de 34 semanas en el que, en ecografía y ecocardiografía prenatal se visualizó un aumento de las cavidades cardíacas asociado a cierre intrauterino de foramen oval e hidrops, hallazgos confirmados al nacimiento. Tras una prolongada estancia en unidad de cuidados intensivos neonatal y tratamiento con inotrópicos y diuréticos, se otorgó el alta hospitalaria con diagnóstico de cardiomiopatía dilatada secundaria a foramen oval restrictivo. Conclusiones: La asociación de cierre prematuro de foramen oval con hidrops fetal ha sido descripta en escasas publicaciones y es frecuente en estas la relación con muerte perinatal y con anomalías extracardíacas. En este caso se describe hidrops secundario al cierre temprano del foramen oval intraútero que condicionó a la dilatación global de cavidades cardíacas y a la disfunción ventricular severa persistentes más allá del periodo neonatal sin otras anomalías asociadas. A pesar de la severidad del compromiso cardiovascular, la evolución clínica fue favorable y permitió el egreso hospitalario. Es importante el reconocimiento temprano mediante ecografía y ecocardiografía fetal de estas entidades para guiar un diagnóstico y tratamiento oportunos(AU)

Introduction: Premature closure of the oval foramen or intrauterine restrictive oval foramen is a rare but serious clinical entity of unknown etiology. It can cause various heart defects, pulmonary hypertension, congestive heart failure, fetal hydrops and death. Diagnosis can be made by fetal echocardiography, although in most cases it occurs in postmortem autopsy. Objective: Describe the presentation of a case of fetal hydrops secondary to premature closure of the intrauterine oval foramen. Case presentation: A 34-week preterm newborn in which, in ultrasound and prenatal echocardiography, an increase in the cardiac chambers associated with intrauterine closure of oval foramen and hydrops was visualized; these findings were confirmed at birth. After a prolonged stay in the neonatal intensive care unit and treatment with inotropic and diuretic drugs, hospital discharge was granted with diagnosis of dilated cardiomyopathy secondary to restrictive oval foramen. Conclusions: The association of premature closure of oval foramen with fetal hydrops has been described in few publications and it is common in these the relation with perinatal death and extracardiac abnormalities. In this case, it is described hydrops secondary to the early closure of the intrauterine oval foramen that conditioned the overall dilation of heart chambers, and persistent severe ventricular dysfunction beyond the neonatal period without other associated abnormalities. Despite the severity of cardiovascular compromising, clinical evolution was favorable and allowed hospital discharge. Early recognition using ultrasound and fetal echocardiography of these entities is important to guide timely diagnosis and treatment(AU)
Descritores: Cardiomiopatia Dilatada
Hidropisia Fetal
Terapia Intensiva Neonatal
Disfunção Ventricular
Forame Oval
Coração
Limites: Humanos
Recém-Nascido
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  9 / 209 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-763796
Autor: Fenelon, Guilherme; Nascimento, Thais Aguiar do; Paola, Angelo de.
Título: Análise crítica dos estudos com os novos anticoagulantes / Critical anlysis of studes on the novel anticoagulantes
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;24(3):40-46, jul.-set.2014.
Idioma: pt.
Resumo: Os eventos tromboembólicos são complicações significativas da fibrilação atrial (FA) e podem ser prevenidos com a anticoagulação oral plena. A varfarina reduz em 64% o risco de tromboembolismo, no entanto, a dificuldade no seu manejo clínico motivou a busca por novos anticoagulantes orais (NOACs). Os NOACs inibem especificamente um único fator na cascata da coagulação, têm meia vida curta, efeito previsível e estável, dispensam monitorização e interagem pouco com alimentos e medicamentos.Os estudos RE-LY, ROCKET-AF, ARISTOTLE e ENGAGE AFTIMI48 compararam a varfarina com a dabigratana, rivaroxabana,apixabana e edoxabana, respectivamente, e evidenciaram que os NOACS são equivalentes (dabigatrana 110 mg, rivaroxabana,edoxabana) ou superiores (dabigatrana 150 mg, apixabana) à varfarina na prevenção de tromboembolismo sistêmico ou AVC em pacientes com FA não valvar. Ademais, apresentam índices de hemorragias intracranianas substancialmente menores do quea varfarina. Já a apixabana foi superior à aspirina na prevençãode AVC, com os mesmos índices de sangramento. Os NOACs não devem ser usados em gestantes, crianças, e em pacientes com estenose mitral significativa, próteses valvares ou função renal muito deprimida. Porém, podem ser usados nos cenários de cardioversão e ablação da FA. Ainda não há estudos comparativos entre os diversos NOACs, nem consenso de quando recomendara troca da varfarina em pacientes com RNI estável. Cerca de 50%dos pacientes com FA e indicação de anticoagulação não recebem terapia anticoagulante. Portanto, com advento dos NOACs, a expectativa é reduzir essa parcela, diminuindo a incidência de fenômenos tromboembólicos na FA.

Thromboembolic events are important complications of atrialfibrillation (AF) and can be prevented by oral anticoagulation.Warfarin reduces by 64% the risk of thromboembolism,however, the difficulties in its clinical management promptedthe search for novel oral anticoagulants (NOACs). The NOACsspecifically inhibit a single factor in the coagulation cascade,have a short half-life, predictable and stable effect, do not requiremonitoring and have minor interactions with food and drugs.The RE-LY, ROCKET-AF, ARISTOTLE and ENGAGE AFTIMI48 trials compared warfarin to dabigatran, rivaroxaban,apixaban and edoxaban, respectively, and showed that NOACSare equivalent (110 mg dabigatran, rivaroxaban, edoxaban) orsuperior (dabigatran 150 mg, apixaban) to warfarin in preventingstroke or systemic embolism in patients with nonvalvular AF.Furthermore, they are associated with substantially lower levelsof intracranial bleeding than warfarin. Apixaban was superiorto aspirin in preventing strokes, with the same rate of bleeding.The NOACs should not be used in pregnant women, children,and patients with significant mitral stenosis, prosthetic valvesor impaired renal function. However, these novel drugs can beused in the scenarios of cardioversion and AF ablation. Thereare no studies comparing individual NOACs or consensus aboutswitching patients on warfarin with stable INR. Approximately50% of patients with AF and recommendation for anticoagulationdo not receive anticoagulant therapy. Therefore, with the adventof NOACs, the expectation is to improve this figure, ultimatelydecreasing the incidence of thromboembolic events in AF.
Descritores: Anticoagulantes/química
Arritmias Cardíacas/epidemiologia
Varfarina/efeitos adversos
-Análise Custo-Benefício/métodos
Disfunção Ventricular/complicações
Eletrofisiologia Cardíaca/métodos
Ensaios Clínicos como Assunto
Insuficiência Cardíaca/complicações
Limites: Humanos
Idoso
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  10 / 209 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-414448
Autor: Garcia, Hector Armando Archer; Almeida Filho, João Nobrega de; Henriques, Luís Miguel Gaspar; Latuf, Sérgio Augusto.
Título: Manifestações clínicas da ruptura da placa vulnerável coronária / Clinical manifestations of vulnerable plaque rupture
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(4):613-622, jul.-ago. 2002. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Nos últimos anos, o conhecimento da fisiopatologia da aterosclerose coronária evoluiu significativamente. Os mecanismos de progressão da aterosclerose e de instabilidade e ruptura da placa são mais bem compreendidos atualmente.A placa aterosclerótica consiste de um núcleo rico em lipídeos, envolto pela capa fibrosa, constituída, principalmente, por tecido conectivo. Objetivamente, placas com tendência à ruptura podem ser caracterizadas como tendo capa fibrótica fina, elevado número de células inflamatórias e relativa escassez de células musculares lisas.As manifestações clínicas advindas dessa situação caracterizam-se pelas síndromes coronárias agudas.Posteriormente são discutidos a fisiopatologia e os quadros clínicos advindos da ruptura da placa aterosclerótica.São descritos, também, detalhes clínicos da morte súbita cardíaca, da angina instável e do infarto agudo do miocárdio, sendo abordados conceitos que possam esclarecer melhor os inúmeros achados clínicos e a diversidade de fatores prognósticos dos pacientes...
Descritores: Angina Instável
Doença da Artéria Coronariana/fisiopatologia
Infarto do Miocárdio
Morte Súbita Cardíaca
-Disfunção Ventricular
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt



página 1 de 21 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde