Base de dados : LILACS
Pesquisa : C20.543.480 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 171 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 18 ir para página                         

  1 / 171 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Solé, Dirceu
Texto completo
Id: lil-470785
Autor: Cocco, Renata Rodrigues; Camelo-Nunes, Inês Cristina; Pastorino, Antonio Carlos; Silva, Luciana; Sarni, Roseli Oselka S; Rosário Filho, Nelson Augusto; Solé, Dirceu.
Título: Abordagem laboratorial no diagnóstico da alergia alimentar: [revisão] / Laboratorial approach in the diagnosis of food allergy: [review]
Fonte: Rev. paul. pediatr;25(3):258-265, set. 2007. tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: Revisar os exames laboratoriais disponíveis utilizados no diagnóstico da alergia alimentar mediada ou não por IgE. FONTES DE DADOS: Artigos publicados em base de dados PubMed e Embase (língua inglesa e portuguesa) nos últimos dez anos. As palavras-chave utilizadas como fonte de busca foram "alergia alimentar", "diagnóstico" e "laboratório", isolados e/ou associados. SÍNTESE DOS DADOS: A abordagem diagnóstica das reações alérgicas a alimentos inclui história clínica completa, estudos laboratoriais, dietas de eliminação e desencadeamentos cegos com alimentos. Recentemente, a medida quantitativa de anticorpos IgE específicos a alimentos tem mostrado ser mais preditiva de alergia alimentar sintomática mediada por IgE. Níveis séricos de IgE específica a alimento que excedam os valores diagnósticos indicam que o paciente tem chance maior que 95 por cento de apresentar uma reação alérgica se ingerir o alimento em questão. Estes "valores de decisão" foram definidos para alguns alimentos e resultados inconsistentes são obtidos ao se estudar diferentes populações. Os desencadeamentos com alimento, especialmente o duplo-cego controlado por placebo (DADCCP), representa a maneira mais confiável de estabelecer ou descartar o diagnóstico de hipersensibilidade alimentar. CONCLUSÕES: Número crescente de aquisições tem melhorado o valor preditivo de alguns testes laboratoriais empregados no diagnóstico de alergias alimentares. Entretanto, até hoje, não há teste in vitro ou in vivo que mostre correlação completa com a clínica da alergia alimentar. O DADCCP continua sendo o padrão-ouro no diagnóstico definitivo de alergia alimentar específica. São necessárias, urgentemente, novas abordagens diagnósticas válidadas em pacientes com alergia alimentar confirmada por DADCCP positivo.

OBJCTIVE: Review the available laboratory tests used to assist in the diagnosis of IgE-mediated and non-IgE-mediated food allergy. DATA SOURCES: Papers in English and Portuguese published in PubMed and Embase, in the last ten years. Terms searched were "food allergy", "diagnose" and "laboratory", isolated and/or associated. DATA SYNTHESIS: The diagnostic approach to food allergy reactions includes a good medical history, laboratory studies, elimination diets and blinded food challenges. More recently, the use of a quantitative measurement of food-specific IgE antibodies has been shown to be more predictive of symptomatic IgE-mediated food allergy. Food-specific IgE serum levels exceeding the diagnostic values indicate that the patient is greater than 95 percent likely to experience an allergic reaction if he/she ingests the specific food. Such "decision point values" have been defined just for some foods and inconsistent results were obtained when allergy to the same food was studied in different centers. Food challenges, in particular the double-blind placebo-controlled food challenge (DBPCFC), represent the most reliable way to establish or rule out food hypersensitivity. CONCLUSIONS: A number of recent developments are improving the predictive value of some laboratory tests for the diagnosis of food allergies. However, to date, no in-vitro or in-vivo test shows full correlation with clinical food allergy and the DBPCFC remains the gold standard for the definitive diagnosis of specific food allergies. There is an urgent need for new and fundamentally improved diagnostic approaches, which must be validated in patients with food allergy confirmed by a positive DBPCFC.
Descritores: Alérgenos
Hipersensibilidade Alimentar/diagnóstico
Hipersensibilidade Imediata
Imunoglobulina E
-Técnicas de Laboratório Clínico
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR584.1 - Biblioteca Central BSCAN


  2 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Silva, Lolita Dopico da
Id: lil-462302
Autor: Canuto, Danielle Bueno; Costa, Denise Unis da; Silva, Lolita Dopico da.
Título: Trabalhador de enfermagem alérgico à luva de látex: um estudo sobre outras opções / Allergic nursing worker to the latex glove: a study on other options
Fonte: Rev. enferm. UERJ;15(1):125-129, jan.-mar. 2007.
Idioma: pt.
Resumo: Trata-se de um artigo de atualização que tem por objetivo averiguar a opção de que o profissional de enfermagem dispõe quando ele é alérgico ao látex das luvas. Identificou-se entre trabalhadores de enfermagem alguns grupos em que o risco à alergia é muito elevado e nos quais as manifestações clínicas variam desde dermatite de contato até anafilaxia grave. O diagnóstico precoce pode prevenir as reações de hipersensibilidade, porém a única maneira de evitar o surgimento dos sintomas é não utilizar ou entrar em contato com produtos de látex de borracha natural no ambiente de trabalho. Foi encontrado que existem luvas chamadas sintéticas produzidas em nitrilo e neoprene, cuja matéria prima não é de látex. No entanto, chama-se a atenção para as limitações que as luvas sintéticas apresentam quanto à sua capacidade de proteção, o que justifica a continuidade de pesquisas nessa área.
Descritores: Dermatite Ocupacional
Enfermagem do Trabalho
Hipersensibilidade Imediata
Hipersensibilidade Tardia
Hipersensibilidade ao Látex
Luvas Cirúrgicas/efeitos adversos
Riscos Ocupacionais
Limites: Humanos
Responsável: BR1366.1 - Biblioteca Biomédica B - CB/B (Odontologia e Enfermagem)


  3 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-1037704
Autor: Santos, Elandia Aparecida dos.
Título: Papel da capsaicina de uso tópico em modelo murino de alergia alimentar / Topical use of capsaicin in murine model of food allergy.
Fonte: Belo Horizonte; s.n; 2016. 70 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Enfermagem para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: A alergia alimentar é uma reação de hipersensibilidade imediata mediada por lgE que ocorre com a ingestão de alimentos alergênicos após sensibilização prévia. t: considerada um importante problema de saúde pública mundial, afetando cerca de 7% de crianças e 2% de adultos, com crescente prevalência em países desenvolvidos e em desenvolvimento. Hipoteticamente, agentes anti-inflamatórios poderiam contribuir para o controle de algumas manifestações da alergia. Um candidato a tal efeito e a capsaicina (8-metil-N-6-vanilil-nonenamida), principal componente picante da pimenta, que possui ação analgésica e anti-inflamatória quando aplicada topicamente. Este estudo avaliou o efeito do uso t6pico de capsaicina nas manifestações da alergia alimentar. Para tanto, camundongos BALB/c foram sensibilizados com ovalbumina (OVA) com posterior desafio oral com solução de clara de ovo a 20%. A partir do desafio oral até a eutanásia, animais do grupo capsaicina (ALE-CAP) foram tratados com creme capsaicina a 0,075%, enquanto que animais alérgicos (ALE) foram tratados apenas com o creme base. Os resultados mostram o aumento da concentração sérica de lgE e lgG1 anti-OVA em ambos os grupos, como esperado pelo protocolo de sensibilização. Porém, em relação ao grupo alérgico(ALE), animais do grupo ALE CAP apresentaram um perfil mais favorável, como visto pela maior ingestão do alérgeno, menor perda de peso, redução da infiltração de eosinófilos e neutrófilos (avaliados indiretamente pela atividade de enzimas EPO eMPO, respectivamente) e menor produção de muco pelas células caliciformes. Os resultados sugerem que o tratamento t6pico com capsaicina leva a uma melhora de algumas das manifestações mais importantes da alergia como a inflamação intestinal e a perda de peso. Esse fato pode estar relacionado a inibição do canal TRPV1, atuando indiretamente em vias de sinalização de células TC04•, mast6citos e basófilos, aumentando o limiar de ativação de tais células e, assim...

Food allergy is an immediate hypersensitivity reaction mediated by lgE whichoccurs with the ingestion of allergenic foods after previous sensitization. It is considered a major problem of public health worldwide, affecting about 7% of childrenand 2% of adults, with increasing prevalence in developed and developing countries. Hypothetically, anti-inflammatory agents could contribute to the control some allergy symptoms. A candidate for this purpose is the capsaicin (8-methyl-N-vanillyl-6-nonenamide), the main pungent component of red pepper, having analgesic and anti- inflammatory actions when applied topically. This study evaluated the effect of topical treatment of capsaicin in some food allergy maniestations. For this purpose BALB/c mice were sensitized with ovalbumin (OVA) with subsequent oral challenge with 20% egg yolk solution. From the oral challenge to euthanasia, animals of capsaicin group(CAP) were topically treated with a capsaicin cream (0.075% in cream base) while the allergic group (ALE) were treated with the cream base (without capsaicin). The results showed that there was an increase in serum lgE and anti-OVA lgG1 in both groups, as expected with this from sensitization protocol. However, compared to allergic group(ALE), animals from CAP group presented a more favorable profile, as suggested by the higher intake of allergen, reduced weight loss, reduced eosinophil and neutrophilinfiltrations (assessed indirectly by the activity of the enzymes EPO and MPO, respectively) and lower production of mucus by goblet cells. The results suggest that topical treatment with capsaicin leads to an improvement of some of the most important manifestations allergy such as intestinal inflammation and weight loss. These effects may be related to inhibition of TRPV1 channel, acting indirectly on CD4+ T cell, mastcells and basophils signaling, increasing their activation thre shold and thus decreasing the inflammatory process...
Descritores: Anti-Infecciosos Locais/uso terapêutico
Capsaicina/uso terapêutico
Hipersensibilidade Alimentar
-Canais de Cátion TRPV
Hipersensibilidade Imediata
Ovalbumina
Limites: Animais
Camundongos
Responsável: BR21.1 - Biblioteca J Baeta Vianna- Campus Saúde UFMG
BR21.1; T-QU90, SAPA


  4 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-902844
Autor: Aguiar, Simone Santana; Damaceno, Neiva; Forte, Wilma Carvalho Neves.
Título: Exames para avaliar a sensibilização ao aspergillus fumigatus em fibrose cística / Tests to assess sensitization to aspergillus fumigatus in cystic fibrosis
Fonte: Rev. paul. pediatr;35(3):252-257, jul.-set. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: Avaliar os resultados dos exames utilizados para identificar a sensibilização IgE-mediada ao Aspergillus fumigatus em pacientes com fibrose cística. Métodos: Estudo transversal descritivo com amostra de conveniência de 86 pacientes com fibrose cística, acompanhados em Serviço de Referência de Fibrose Cística de hospital universitário terciário. Realizaram-se exames para avaliar sensibilização ao A. fumigatus em pacientes com fibrose cística: IgE sérica total, contagem de eosinófilos sanguíneos, identificação do fungo por swab de orofaringe ou por cultura de escarro, IgE sérica específica e testes cutâneos de hipersensibilidade imediata. Foram comparados os resultados dos diferentes exames realizados. Resultados: Em 33 (38,4%) pacientes com fibrose cística, com faixa etária de 1 a 33 anos (mediana de 8 anos), os resultados dos exames sobre sensibilização IgE mediada ao A. fumigatus foram: em 16 pacientes, aumento de IgE sérica específica (>0,35 kU/L); em 23, positividade aos testes cutâneos; e seis mostraram sensibilização a partir dos dois exames. Foram observados dois pacientes com eosinofilia (>1.000 eosinófilos/mm3) e sete com aumento de IgE sérica total (>1.000 UI/mL), sem que esses apresentassem positividade aos testes cutâneos ou aumento de IgE específica ao A. fumigatus. Em nenhum paciente foi isolado A. fumigatus no swab de orofaringe e/ou na cultura de escarro. Conclusões: Concluímos que, entre os exames para avaliar a sensibilização ao A. fumigatus na fibrose cística, são necessários os teste cutâneos de hipersensibilidade imediata e a dosagem de IgE sérica específica ao A. fumigatus. A eosinofilia sérica e a cultura de secreções respiratórias não foram essenciais neste estudo.

ABSTRACT Objective: To evaluate the results of the tests used to identify the IgE mediated sensitization to Aspergillus fumigatus in patients with cystic fibrosis. Methods: This is a cross-sectional descriptive study with a convenience sample of 86 patients diagnosed with cystic fibrosis in the Reference Service in Cystic Fibrosis at a tertiary teaching hospital. The following tests were performed to assess the sensitization to A. fumigatus in patients with cystic fibrosis: Total serum IgE, eosinophil count, fungus detection through oropharyngeal swab or sputum culture, serum-specific IgE, and immediate-type hypersensitivity (IgE) skin tests. We compared the results of the different tests performed. Results: In 33 (38.4%) patients with cystic fibrosis, with ages ranging from 1 to 33 years (median of 8 years), the IgE-mediated A. fumigatus sensitization test results were: in 16 patients, there was an increase in serum-specific IgE (>0.35 kU/L); in 23, skin tests were positive; and six had sensitization in both tests. We observed two patients with eosinophilia (>1,000 eosinophils/mm3) and seven with increasing total serum IgE (>1,000 IU/mL), all of whom obtained negative results in skin tests and had no IgE increase specific to A. fumigatus. A. fumigatus was not detected in oropharyngeal swabs and/or sputum culture of any patients. Conclusions: We conclude that, among the tests used to assess sensitization to A. fumigatus in cystic fibrosis patients, both serum-specific IgE and immediate-type hypersensitivity (IgE) skin tests are required. Serum eosinophilia and respiratory secretion culture were not essential in this study.
Descritores: Aspergillus fumigatus/imunologia
Imunoglobulina E
Fibrose Cística/imunologia
Hipersensibilidade Imediata/diagnóstico
-Estudos Transversais
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Arruda, Maria Sueli Parreira de
Texto completo
Id: biblio-1085419
Autor: Vilani-Moreno, Fátima Regina; Arruda, Maria Sueli Parreira de.
Título: Contribuição ao estudo da reação à tricofitina nas dermatofitoses / Contribution to the study of the reaction to trichophyline in dermatophytoses.
Fonte: São Paulo; s.n; 1992. 5 p. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Os autores investigaram a competência imunológica específica de 31 indivíduos portadores de dermatofitose, utilizando o antígeno tricofitina. Destes, 54,8% mostraram-se reatores à fase tardia dessa prova (48 h) nas seguintes proporções: tinea inguinale, 75%; tinea pedis, 61,5%; tinea unguium, 50% e tinea corporis, 20%. 62,5% dos casos apresentaram positividade à fase imediata (30 m) da reação. A associação entre essas reações revelou que, embora a maioria dos pacientes com reação imediata positiva apresentasse negatividade à reação tardia, 20,8% apresentaram positividade para as duas fases da reação. Dos pacientes não reatores à fase tardia, oito foram submetidos a outros testes cutâneos: PPD, estreptoquinase, candidina, vacínia e DNCB, verificando-se imunidade celular conservada em 75% dos casos. Estes resultados sugerem que, quando da utilização dessa prova na avaliação imunológica de pacientes com dermatofitose, deve-se considerar o estado imune geral do paciente, a presença de hipersensibilidade imediata e a localização da infecção

The authors investigated the specific immunological competence of 31 patients with dermatophytosis using tricophytin antigen. Among them, 54.8% showed reaction to the delay phase (48 h) in the following proportions: tinea inguinale, 75%; tinea pedis, 61.5%; tinea unguium, 50% and tinea corporis, 20%. Other 62.5% showed positive result to the early phase (30 m). The association between these reactions revealed that, although the majority of cases with early positive reaction showed negativity to the delayed reaction, 20.8% presented positivity to both phases of the reaction. Out of the non-reactive patients to the delayed phase, 8 were submitted to the other cutaneous tests such as PPD, streptokinase, candidin, vaccinia and DNCB and showed preserved cellular immunity in 75%. These results suggest that, while using this reaction for immunological evaluation of patients with dermatophytosis, one should consider the overall immune status of the patient, the presence of early hypersensibility and the localization of the infection
Descritores: Dermatomicoses/diagnóstico
Dermatomicoses/imunologia
Hipersensibilidade Imediata/diagnóstico
Hipersensibilidade Imediata/imunologia
Hipersensibilidade Tardia/diagnóstico
Hipersensibilidade Tardia/imunologia
Tinha/diagnóstico
Tinha/imunologia
Tricofitina/imunologia
-Imunidade Celular
Testes Cutâneos
Limites: Humanos
Responsável: BR191.1 - Biblioteca e Centro de Documentação Luiza Keffer
BR191.1; 9453/s


  6 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-292727
Autor: Maya, Fernando Montoya.
Título: Inmunoterapia alergénica: bases inmunológicas y efectividad terapéutica / Allergenic immunotherapy:immunologic bases and therapeutic efficacy
Fonte: Acta méd. colomb;8(3):174-180, 1983. tab.
Idioma: es.
Descritores: Alérgenos/administração & dosagem
Alérgenos/uso terapêutico
Hipersensibilidade Imediata/terapia
Dessensibilização Imunológica/instrumentação
Dessensibilização Imunológica/métodos
Dessensibilização Imunológica
-Imunoterapia/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CO47.1 - Centro de Documentación


  7 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-292721
Autor: Ortega, Jorge E.
Título: Manejo de emergencias medicas: crisis asmatica / Management of medical emergencies. Asthmatic crisis
Fonte: Acta méd. colomb;8(2):100-103, 1983. tab.
Idioma: es.
Descritores: Broncodilatadores/administração & dosagem
Broncodilatadores/uso terapêutico
Hipersensibilidade Imediata/complicações
Hipersensibilidade Imediata/fisiopatologia
Estado Asmático/diagnóstico
Estado Asmático/etiologia
Estado Asmático/fisiopatologia
Limites: Humanos
Responsável: CO47.1 - Centro de Documentación


  8 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-627129
Autor: Anon.
Título: Guias para el diagnóstico y manejo del asma: Capítulo 3: prevención del asma bronquial alérgico / Guidelines for the diagnosis and management of asthma: Chapter 3: prevention of allergic bronchial asthma
Fonte: Rev. chil. enferm. respir;20(3):164-167, jul. 2004. tab.
Idioma: es.
Descritores: Asma/imunologia
Asma/prevenção & controle
-Hipersensibilidade Imediata/complicações
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  9 / 171 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Id: biblio-894669
Autor: Orraca Castillo, Odalys; Navarro Palmera, Emilio; Quintero Pérez, William; Blanco Valdés, Tatiana Margarita; Rodríguez Machín, Leovaldo René.
Título: Frecuencia de infecciones respiratorias agudas en niños y adolescentes con asma de la provincia de Pinar del Río / Frequency of acute breathing infections in children and adolescents with asthma from Pinar del Río province
Fonte: Medisan;22(1), ene. 2018. tab.
Idioma: es.
Resumo: Se realizó un estudio epidemiológico analítico, de casos y controles en fase exploratoria, con vistas a determinar si la frecuencia de infecciones respiratorias en niños y adolescentes con asma de la provincia de Pinar del Río superaba la observada en aquellos que no presentaban esa enfermedad, desde julio del 2014 hasta junio del 2015. Para ello se conformaron 2 grupos de 585 integrantes cada uno, o sea un control por cada caso. Luego de procesada la información, se obtuvo un predominio del sexo masculino, en tanto, el catarro común fue la infección que afectó con mayor frecuencia fundamentalmente a los pacientes de 5-9 años de edad. Asimismo, se destacó un incremento del riesgo de padecer -- por orden de frecuencia -- afecciones, tales como catarro común, amigdalitis aguda y neumonía, bronconeumonía, así como neumonía intersticial

An analytic epidemiologic, of cases and controls study in exploratory phase, aimed at determining if the frequency of breathing infections in children and adolescents with asthma from Pinar del Río exceeded the one observed in those that didn't present that disease, was carried out from July, 2014 to June, 2015. Two groups of 585 members each one were conformed for that purpose, that is to say a control for each case. After having processed the information, there was a prevalence of the male sex, while, the common cold was the infection that affected with higher frequency fundamentally those patients aged 5-9. Also, it was emphasized an increment of the risk from suffering -- in order of frequency -- disorders, such as common cold, acute tonsillitis and pneumonia, bronchopneumonia, as well as interstitial pneumonia
Descritores: Infecções Respiratórias/epidemiologia
Asma/epidemiologia
Hipersensibilidade Imediata
-Atenção Primária à Saúde
Estudos Epidemiológicos
Cuba
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: CU418.1 - Centro Provincial de Información de Ciencias Médicas de Santiago de Cuba


  10 / 171 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-940867
Autor: Coelho, Sabrina Sidney Campolina.
Título: Estudo longitudinal do efeito do tratamento, com drogas anti-helmínticas, sobre os níveis de anticorpos IgE anti-Dermatophagoides pteronyssius (Der p1) e anti-antígeno bruto de Ascaris lumbricoides, em indivíduos portadores de infecção por helmintos.
Fonte: Belo Horizonte; s.n; 2013. XV, 76 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Centro de Pesquisas René Rachou para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: No presente trabalho investigou-se a relação entre infecções por geohelmintos e S. mansoni e os fatores de risco para alergia em duas áreas endêmicas com diferentes prevalências de infecção e co-infecção. A intensidade das infecções, eosinofilia,fatores de risco para alergia, co infecção e os níveis de IgE anti-Der p 1 e antiAscarisantes e 2 anos (população 1) e 3 anos (população 2) após o tratamento com drogas anti-helmínticas foram avaliados. Observou-se que na população com baixa prevalência e intensidade de infecção (população 2) apresentou menor contagem de eosinófilos (>600/mm3) e maior contato com animais do que a população com alta prevalência e intensidade de parasitos (população 1). Após o tratamento a intensidade da infecção por S. mansoni diminuiu, mas não foram observadas mudanças nos indivíduos infectados por geohelmintos ou co-infectados. Na população 1, o tratamento anti-helmíntico aumentou os níveis de densidade óptica pelo método de ELISA de IgE anti-Der p1 e anti-Ascaris nos subgrupos que se tornaram negativos para infecção helmíntica independente da condição prévia ao tratamento. Diante disso, avaliou-se o index de reatividade de IgE anti-Der p1, e a razão (após/antes tratamento) foi significativamente maior em pacientes coinfectados antes do tratamento. Por outro lado, nenhuma associação entre o index de reatividade de IgE anti-Der p1 e a intensidade foram observados. Conclui-se que o tratamento antihelmíntico de indivíduos de áreas endêmicas com alta prevalência para infecções por geohelmintos e S.mansoni aumenta os níveis de IgE anti-Der p1e que há uma correlação direta entre os níveis de IgE anti-Der p1 com os níveis de IgE e anti- Ascaris, mostrando que altos níveis de IgE anti- Ascaris e não somente a infecção, é um fator de risco para o desenvolvimento de doenças alérgicas.
Descritores: Alergia e Imunologia/tendências
Hipersensibilidade Imediata/imunologia
Schistosoma mansoni
Esquistossomose mansoni/imunologia
Limites: Masculino
Feminino
Humanos
Responsável: BR1719.1 - Biblioteca do CPqRR
BR1719.1; 616.963, C672e, 2013



página 1 de 18 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde