Base de dados : LILACS
Pesquisa : C22.232 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 2390 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 239 ir para página                         

  1 / 2390 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-1011426
Autor: He, Yuzheng; Shi, Yantao; Liu, Ruilin; Wang, Zhichao; Wang, Baohua; Li, Shujun; Zhang, Helin.
Título: PELI3 mediates pro-tumor actions of down-regulated miR-365a-5p in non-small cell lung cancer
Fonte: Biol. Res;52:24, 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: BACKGROUND: To analyze the relative expression of PELI3 and its mechanistic involvement in the non-small cell lung cancer (NSCLC). Methods: PELI3 expression in NSCLC tissue samples was determined by the immunohistochemistry. The transcripts abundance of PELI3 was measured with real-time PCR. The protein intensity was analyzed by western blot. The overall survival in respect to PELI3 or miR-365a-5p expression was plotted by the Kaplan-Meier's analysis. Cell growth was determined by colony formation assay. Cell viability was measured by MTT assay. The migration and invasion were evaluated by wound healing and transwell assay respectively. The regulatory effect of miR-365a-5p on PELI3 was interrogated with luciferase reporter assay. The direct binding between miR-365a-5p and PELI3 was analyzed by pulldown assay. RESULTS: PELI3 was aberrantly up-regulated in NSCLC both in vivo and in vitro. High level of PELI3 associated with poor prognosis. PELI3-deficiency significantly inhibited cell viability, colony formation, migration and invasion. We further identified that miR-365a-5p negatively regulated PELI3 in this disease. Ectopic expression of miR-365a-5p in both A549 and H1299 phenocopied PELI3-deficiency. Meanwhile, PELI3-silencing significantly abolished the pro-tumoral effect elicited by miR-365a-5p inhibition. CONCLUSIONS: Our results highlighted the importance of dysregulated miR-365a-5p-PELI3 signaling axis in NSCLC.
Descritores: Regulação para Baixo/fisiologia
Carcinoma Pulmonar de Células não Pequenas/metabolismo
MicroRNAs/metabolismo
Ubiquitina-Proteína Ligases/metabolismo
Neoplasias Pulmonares/metabolismo
-Sais de Tetrazólio
Tiazóis
Carcinoma Pulmonar de Células não Pequenas/patologia
Carcinoma Pulmonar de Células não Pequenas/tratamento farmacológico
MicroRNAs/uso terapêutico
Linhagem Celular Tumoral
Ubiquitina-Proteína Ligases/farmacologia
Modelos Animais de Doenças
Corantes
Neoplasias Pulmonares/patologia
Neoplasias Pulmonares/tratamento farmacológico
Antineoplásicos/uso terapêutico
Antineoplásicos/farmacologia
Limites: Humanos
Animais
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  2 / 2390 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1055096
Autor: Alegre, Patricia; Mathias, Livia; Lourenço, Maria Angelica; Santos, Priscila Portugal dos; Gonçalves, Andrea; Fernandes, Ana Angélica; Gaiolla, Paula Schmidt Azevedo; Minicucci, Marcos Ferreira; Zornoff, Leonardo; Paiva, Sergio Alberto Rupp; Polegato, Bertha Furlan.
Título: Euterpe Oleracea Mart. (Açaí) Reduces Oxidative Stress and Improves Energetic Metabolism in Myocardial Ischemia-Reperfusion Injury in Rats / Euterpe Oleracea Mart. (Açaí) Reduz o Estresse Oxidativo e Melhora o Metabolismo Energético da Lesão de Isquemia-Reperfusão Miocárdica Em Ratos
Fonte: Arq. bras. cardiol;114(1):78-86, Jan. 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: Euterpe oleracea Mart. (açaí) is a fruit with high antioxidant capacity and could be an adjuvant strategy to attenuate ischemia-reperfusion injury. Objective: To evaluate the influence of açaí in global ischemia-reperfusion model in rats. Methods: Wistar rats were assigned to 2 groups: Control (C: receiving standard chow; n = 9) and Açaí (A: receiving standard chow supplemented with 5% açaí; n = 10). After six weeks, the animals were subjected to the global ischemia-reperfusion protocol and an isolated heart study to evaluate left ventricular function. Level of significance adopted: 5%. Results: There was no difference between the groups in initial body weight, final body weight and daily feed intake. Group A presented lower lipid hydroperoxide myocardial concentration and higher catalase activity, superoxide dismutase and glutathione peroxidase than group C. We also observed increased myocardial activity of b-hydroxyacyl coenzyme-A dehydrogenase, pyruvate dehydrogenase, citrate synthase, complex I, complex II and ATP synthase in the A group as well as lower activity of the lactate dehydrogenase and phosphofructokinase enzymes. The systolic function was similar between the groups, and the A group presented poorer diastolic function than the C group. We did not observe any difference between the groups in relation to myocardial infarction area, total and phosphorylated NF-kB, total and acetylated FOXO1, SIRT1 and Nrf-2 protein expression. Conclusion: despite improving energy metabolism and attenuating oxidative stress, açai supplementation did not decrease the infarcted area or improve left ventricular function in the global ischemia-reperfusion model.

Resumo Fundamento: Euterpe oleracea Mart. (açaí) é uma fruta com alta capacidade antioxidante e pode ser uma estratégia adjuvante para atenuar a lesão de isquemia-reperfusão. Objetivo: Avaliar a influência do açaí no modelo global de isquemia-reperfusão em ratos. Metodologia: Ratos Wistar foram divididos em 2 grupos: Controle (C: recebendo ração padrão; n = 9) e Açaí (A: recebendo ração padrão suplementada com 5% de açaí; n = 10). Após seis semanas, os animais foram submetidos ao protocolo global de isquemia-reperfusão e a estudo do coração isolado para avaliar a função ventricular esquerda. Nível de significância adotado: 5%. Resultados: Não houve diferença entre os grupos quanto ao peso corporal inicial e final, e a ingestão diária de ração. O grupo A apresentou menor concentração miocárdica de hidroperóxido lipídico e maior atividade de catalase, superóxido dismutase e glutationa peroxidase do que o grupo C. Também observamos aumento da atividade miocárdica da b-hidroxiacil coenzima-A desidrogenase, piruvato desidrogenase, citrato sintase, complexo I, complexo II e ATP sintase no grupo A, bem como menor atividade das enzimas lactato desidrogenase e fosfofructoquinase. A função sistólica foi semelhante entre os grupos, e o grupo A apresentou função diastólica pior que C. Não foram observadas diferenças entre os grupos em relação à área de infarto do miocárdio, e expressão proteica de NF-kB total e fosforilado, e das proteínas FOXO1, SIRT1 e Nrf-2. Conclusão: apesar de melhorar o metabolismo energético e atenuar o estresse oxidativo, a suplementação de açaí não diminuiu a área infartada nem melhorou a função ventricular esquerda no modelo global de isquemia-reperfusão.
Descritores: Extratos Vegetais/farmacologia
Traumatismo por Reperfusão Miocárdica/fisiopatologia
Estresse Oxidativo/efeitos dos fármacos
Metabolismo Energético/efeitos dos fármacos
Euterpe/química
-Estresse Oxidativo/fisiologia
Modelos Animais de Doenças
Metabolismo Energético/fisiologia
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 2390 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-839415
Autor: Ozbay, Isa; Ital, Ilker; Kucur, Cuneyt; Akcılar, Raziye; Deger, Aysenur; Aktas, Savas; Oghan, Fatih.
Título: Effects of ozone therapy on facial nerve regeneration / Efeitos da terapia com ozônio na regeneração do nervo facial
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(2):168-175, Mar.-Apr. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Ozone may promote moderate oxidative stress, which increases antioxidant endogenous systems. There are a number of antioxidants that have been investigated therapeutically for improving peripheral nerve regeneration. However, no previous studies have reported the effect of ozone therapy on facial nerve regeneration. Objective: We aimed to evaluate the effect of ozone therapy on facial nerve regeneration. Methods: Fourteen Wistar albino rats were randomly divided into two groups with experimental nerve crush injuries: a control group, which received saline treatment post-crush, and an experimental group, which received ozone treatment. All animals underwent surgery in which the left facial nerve was exposed and crushed. Treatment with saline or ozone began on the day of the nerve crush. Left facial nerve stimulation thresholds were measured before crush, immediately after crush, and after 30 days. After measuring nerve stimulation thresholds at 30 days post-injury, the crushed facial nerve was excised. All specimens were studied using light and electron microscopy. Results: Post-crushing, the ozone-treated group had lower stimulation thresholds than the saline group. Although this did not achieve statistical significance, it is indicative of greater functional improvement in the ozone group. Significant differences were found in vascular congestion, macrovacuolization, and myelin thickness between the ozone and control groups. Significant differences were also found in axonal degeneration and myelin ultrastructure between the two groups. Conclusion: We found that ozone therapy exerted beneficial effect on the regeneration of crushed facial nerves in rats.

Resumo Introdução: O ozônio pode promover estresse oxidativo moderado, o que aumenta sistemas endógenos antioxidantes. Há determinado número de antioxidantes sendo investigados terapeuticamente para melhorar a regeneração do nervo periférico. No entanto, nenhum estudo anterior relatou o efeito da terapia com ozônio na regeneração do nervo facial. Objetivo: Nosso objetivo foi avaliar o efeito da terapia com ozônio na regeneração do nervo facial. Método: Ao todo, 14 ratos albinos Wistar foram divididos aleatoriamente em dois grupos com lesões experimentais por esmagamento do nervo: um grupo controle, que recebeu tratamento com solução salina pós-esmagamento; e um grupo experimental, que recebeu tratamento com ozônio. Todos os animais foram submetidos a cirurgia na qual o nervo facial esquerdo foi exposto e esmagado. O tratamento com solução salina ou ozônio se iniciou no dia do esmagamento do nervo. Os limiares de estimulação do nervo facial esquerdo foram medidos antes do esmagamento, imediatamente após o esmagamento e após 30 dias. Depois de medir limiares de estimulação do nervo aos 30 dias pós-lesão, o nervo facial esmagado foi excisado. Todas as amostras foram estudadas por meio de microscopia óptica e eletrônica. Resultados: Após o esmagamento, o grupo tratado com ozônio apresentou menores limiares de estimulação do que o grupo da solução salina. Embora isso não tenha significância estatística, é indicativo de maior melhoria funcional no grupo do ozônio. Foram encontradas diferenças significativas na congestão vascular, macrovacuolização e espessura da mielina entre os grupos do ozônio e controle. Diferenças significativas também foram encontradas na degeneração axonal e ultraestrutura de mielina entre os dois grupos. Conclusão: Verificou-se que a terapia com ozônio teve efeito benéfico sobre a regeneração dos nervos faciais esmagados em ratos.
Descritores: Ozônio/uso terapêutico
Traumatismos do Nervo Facial/tratamento farmacológico
Regeneração Nervosa/efeitos dos fármacos
-Ozônio/administração & dosagem
Ratos Wistar
Traumatismos do Nervo Facial/patologia
Modelos Animais de Doenças
Limites: Animais
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 2390 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889311
Autor: Koc, Sema; Kıyıcı, Halil; Toker, Aysun; Soyalıç, Harun; Aslan, Huseyin; Kesici, Hakan; Karaca, Zafer I.
Título: The effect of melatonin and vitamin C treatment on the experimentally induced tympanosclerosis: study in rats / Efeito do tratamento com melatonina e vitamina C na timpanoesclerose induzida experimentalmente: estudo em ratos
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(5):541-545, Sept.-Oct. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: The ethiopathogenesis of tympanosclerosis has not been completely under- stood yet. Recent studies have shown that free oxygen radicals are important in the formation of tympanosclerosis. Melatonin and Vitamin C are known to be a powerful antioxidant, interacts directly with Reactive Oxygen Species and controls free radical-mediated tissue damage. Objective: To demonstrate the possible preventative effects of melatonin and Vitamin C on tympanosclerosis in rats by using histopathology and determination of total antioxidant status total antioxidant status. Methods: Standard myringotomy and standard injury were performed in the middle ear of 24 rats. The animals were divided into three groups: Group 1 received melatonin, Group 2 received vitamin C, and Group 3 received saline solution. Results: The mean values of total antioxidant status were similar in the all study groups before the treatment period. The mean values of total antioxidant status were significantly higher in the melatonin and vitamin C groups compared to control group but vitamin C with melatonin groups were similar after the treatment period (p < 0.001). Minimum and maximum wall thicknesses were lower in the melatonin and vitamin C groups compared to the control group but the differences were insignificant. Conclusion: Melatonin increases total antioxidant status level and might have some effect on tympanosclerosis that develops after myringotomy.

Resumo Introdução: A etiopatogênese da timpanoesclerose (TE) não foi ainda totalmente esclarecida. Estudos recentes têm demonstrado que os radicais livres de oxigênio são importantes na formação de TE. Melatonina e vitamina C são conhecidas por serem poderosos antioxidantes, interagir diretamente com espécies reativas de oxigênio (ROS) e controlar danos em tecidos mediados por radicais livres. Objetivo: Demonstrar os possíveis efeitos preventivos da melatonina e da vitamina C na TE em ratos com histopatologia e determinação da capacidade antioxidante total (CAT). Método: Miringotomias padronizadas foram feitas na orelha média de 24 ratos. Os animais foram divididos em três grupos: o Grupo 1 recebeu melatonina, o Grupo 2 vitamina C e o grupo 3 solução salina. Resultados: Os valores médios de CAT foram semelhantes em todos os grupos de estudo antes do período de tratamento. Os valores médios de CAT foram significativamente maiores nos grupos que receberam melatonina e vitamina C em comparação com o grupo de controle, mas os grupos vitamina C e melatonina foram semelhantes após o período de tratamento (p < 0,001). As espessuras mínimas e máximas de parede foram menores nos grupos melatonina e vitamina C, em comparação com o grupo controle, mas as diferenças não foram significativas. Conclusão: A melatonina aumenta os níveis de CAT e pode ter algum efeito sobre a TE que se desenvolve após a miringotomia.
Descritores: Ácido Ascórbico/administração & dosagem
Vitaminas/administração & dosagem
Miringoesclerose/tratamento farmacológico
Melatonina/administração & dosagem
Antioxidantes/administração & dosagem
-Membrana Timpânica/efeitos dos fármacos
Ratos Wistar
Modelos Animais de Doenças
Miringoesclerose/patologia
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 2390 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-951831
Autor: Salihoglu, Murat; Dogru, Salim; Cesmeci, Enver; Caliskan, Halil; Kurt, Onuralp; Kuçukodaci, Zafer; Gungor, Atila.
Título: Ototoxicity of boric acid powder in a rat animal model / Ototoxicidade de ácido bórico em pó em um modelo animal de rato
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);84(3):332-337, May-June 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Boric acid, which has antiseptic and acidic properties, is used to treat external and middle ear infections. However, we have not found any literature about the effect of boric acid powder on middle ear mucosa and inner ear. Objective: The purpose of this study is to investigate possible ototoxic effects of boric acid powder on cochlear outer hair cell function and histological changes in middle ear mucosa in a rat animal model. Methods: Twenty healthy, mature Wistar albino rats were used in this study. The rats were divided into two groups, Group A and Group B, each of which consisted of 10 rats. Initially, the animals in each group underwent distortion product otoacoustic emissions testing of their right and left ears. After the first distortion product otoacoustic emissions test, a surgical microscope was used to make a small perforation in both ears of the rats in each group, and a second distortion product otoacoustic emissions test was used to measure both ears in all of the rats. Boric acid powder was applied to the right middle ear of the rats using tympanic membrane perforation, and the distortion product otoacoustic emissions were measured immediately after the boric acid powder application. The histological changes and distortion product otoacoustic emissions were evaluated three days later in Group A and 40 days later in Group B. Results: No significant differences were found at all of the distortion product otoacoustic emissions frequencies. In Group A, mild inflammation of the middle ear mucosa was found on the third day after boric acid powder application. In Group B, boric acid powder caused mild inflammatory changes on the 40th day, which declined over time. Those changes did not lead to significant fibrosis within the mucosa. Conclusion: In rats, boric acid powder causes mild inflammation in middle ear mucosa and it has no ototoxic effects on cochlear outer hair cell function in the inner ear of rats.

Resumo Introdução: O ácido bórico, que tem propriedades antissépticas e ácidas, é usado para tratar infecções de orelha externa e média. No entanto, não encontramos literatura sobre o efeito do ácido bórico em pó sobre a mucosa da orelha interna e da orelha média. Objetivo: Investigar possíveis efeitos ototóxicos do ácido bórico em pó sobre a função das células ciliadas externas cocleares e alterações histológicas na mucosa da orelha média em um modelo animal de rato. Método: Vinte ratos Wistar albinos maduros e saudáveis foram usados neste estudo. Os ratos foram divididos em dois grupos, Grupo A e Grupo B, cada um dos quais com 10 ratos. Inicialmente, os animais de cada grupo foram submetidos a testes de emissões otoacústicas - produto de distorção, nas orelhas direita e esquerda. Após o primeiro teste de emissões otoacústicas - produto de distorção, utilizou-se um microscópio cirúrgico para fazer uma pequena perfuração em ambas as orelhas dos ratos em cada grupo, e um segundo teste de emissões otoacústicas - produto de distorção foi utilizado para medir e avaliar as orelhas em todos os ratos. O ácido bórico em pó foi aplicado na orelha média direita dos ratos utilizando perfuração da membrana timpânica e as emissões otoacústicas - produto de distorção foram medidas imediatamente após a aplicação de ácido bórico em pó. As alterações histológicas e emissões otoacústicas - produto de distorção foram avaliadas três dias depois no Grupo A e 40 dias depois no Grupo B. Resultados: Não foram encontradas diferenças significativas em todas as frequências da emissões otoacústicas - produto de distorção. No Grupo A, foi observada uma ligeira inflamação da mucosa da orelha média no terceiro dia após a aplicação de ácido bórico em pó. No Grupo B, o ácido bórico em pó causou leves alterações inflamatórias após 40 dias, que diminuíram ao longo do tempo. Essas alterações não levaram à fibrose significativa da mucosa. Conclusão: Em ratos, o ácido bórico em pó causa inflamação leve na mucosa da orelha média e não tem efeitos ototóxicos na função das células ciliadas externas da cóclea na orelha interna.
Descritores: Membrana Timpânica/efeitos dos fármacos
Ácidos Bóricos/toxicidade
Células Ciliadas Auditivas Externas/efeitos dos fármacos
Inseticidas/toxicidade
Orelha Interna/efeitos dos fármacos
-Membrana Timpânica/patologia
Ratos Wistar
Emissões Otoacústicas Espontâneas/efeitos dos fármacos
Modelos Animais de Doenças
Orelha Interna/patologia
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 2390 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-951855
Autor: Sung, Chung Man; Kim, Hong Chan; Cho, Yong Beom; Shin, Song Yub; Jang, Chul Ho.
Título: Evaluating the ototoxicity of an anti-MRSA peptide KR-12-a2 / Avaliando a ototoxicidade de um peptídeo anti-MRSA KR-12-a2
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);84(4):441-447, July-Aug. 2018. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction Methicillin-resistant staphylococcus aureus is an emerging problem for the treatment of chronic suppurative otitis media, and also for pediatric tympanostomy tube otorrhea. To date, there are no effective topical antibiotic drugs to treat methicillin-resistant staphylococcus aureus otorrhea. Objective In this study, we evaluated the ototoxicity of topical KR-12-a2 solution on the cochlea when it is applied topically in the middle ear of guinea pigs. Methods The antimicrobial activity of KR-12-a2 against methicillin-resistant staphylococcus aureus strains was examined by using the inhibition zone test. Topical application of KR-12-a2 solution, gentamicin and phosphate buffered saline were applied in the middle ear of the guinea pigs after inserting ventilation tubes. Ototoxicity was assessed by auditory brainstem evoked response and scanning electron microscope examination. Results KR-12-a2 produced an inhibition zone against methicillin-resistant staphylococcus aureus from 6.25 µg. Hearing threshold in the KR-12-a2 and PBS groups were similar to that before ventilation tube insertion. However, the gentamicin group showed elevation of the hearing threshold and there were statistically significant differences compared to the phosphate buffered saline or the KR-12-a2 group. In the scanning electron microscope findings, the KR-12-a2 group showed intact outer hair cells. However, the gentamicin group showed total loss of outer hair cells. In our experiment, topically applied KR-12-a2 solution did not cause hearing loss or cochlear damage in guinea pigs. Conclusion In our experiment, topically applied KR-12-a2 solution did not cause hearing loss or cochlear damage in guinea pigs. The KR-12-a2 solution can be used as ototopical drops for treating methicillin-resistant staphylococcus aureus otorrhea; however, further evaluations, such as the definition of optimal concentration and combination, are necessary.

Resumo Introdução O staphylococcus aureus resistente à meticilina é um problema emergente não só para a otite média supurativa crônica, mas também para casos de otorreia crônica em crianças com tubo de ventilação. Até o momento, não há antibióticos tópicos efetivos para a otorreia causada por staphylococcus aureus resistente à meticilina. Objetivo Nesse estudo, avaliamos a ototoxicidade da solução tópica de KR-12-a2 na cóclea quando aplicada topicamente na orelha média de cobaias. Método A atividade antimicrobiana de KR-12-a2 contra cepas de staphylococcus aureus resistente à meticilina foi avaliada utilizando-se o teste de zona de inibição de crescimento. Foram aplicados na orelhas médias de 3 grupos de cobaias, ou solução tópica de KR-12-a2, ou gentamicina ou solução salina tamponada com fosfato após timpanostomia. A ototoxicidade foi avaliada através do exame auditivo de potencial evocado auditivo de tronco encefálico e por microscopia eletrônica de varredura. Resultados O KR-12-a2 produziu uma zona de inibição contra o staphylococcus aureus resistente à meticilina a partir de 6,25 µg. Alterações do limiar de audição no grupo KR-12-a2 e no grupo com solução salina foram semelhantes aos observados antes da inserção do tubo de ventilação. No entanto, o grupo gentamicina apresentou um limiar auditivo mais elevado, estatisticamente significativo em comparação ao grupo solução salina ou ao grupo KR-12-a2. Nos achados da microscopia eletrônica, o grupo KR-12-a2 apresentou células ciliadas externas intactas. No entanto, o grupo gentamicina apresentou perda total das células ciliadas externas. Em nosso experimento, a solução de KR-12-a2 aplicada topicamente não causou perda auditiva ou dano coclear em cobaias. Conclusão Em nosso experimento, a solução de KR-12-a2 aplicada topicamente não causou perda auditiva ou dano coclear em cobaias. A solução de KR-12-a2 pode ser utilizada como gotas otológicas para o tratamento da otorreia causada por staphylococcus aureus resistente à meticilina; no entanto, são necessárias outras avaliações, para a definição da concentração e das associações ideais.
Descritores: Fragmentos de Peptídeos/toxicidade
Cóclea/efeitos dos fármacos
Catelicidinas/toxicidade
Staphylococcus aureus Resistente à Meticilina/efeitos dos fármacos
Antibacterianos/toxicidade
-Otite Média Supurativa/microbiologia
Fragmentos de Peptídeos/administração & dosagem
Limiar Auditivo
Infecções Estafilocócicas/tratamento farmacológico
Microscopia Eletrônica de Varredura
Testes de Sensibilidade Microbiana
Reprodutibilidade dos Testes
Administração Tópica
Potenciais Evocados Auditivos do Tronco Encefálico
Resultado do Tratamento
Cóclea/fisiopatologia
Modelos Animais de Doenças
Catelicidinas/administração & dosagem
Cobaias
Células Ciliadas Auditivas/efeitos dos fármacos
Antibacterianos/administração & dosagem
Limites: Animais
Masculino
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 2390 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-748921
Autor: Sousa, Angela Maria; Ashmawi, Hazem Adel.
Título: Local analgesic effect of tramadol is not mediated by opioid receptors in early postoperative pain in rats / O efeito analgésico de tramadol não é mediado por receptores opioides na dor de ratos no pós-operatório imediato / El efecto analgésico del tramadol no está mediado por receptores opiáceos en el dolor en ratones en el postoperatorio inmediato
Fonte: Rev. bras. anestesiol;65(3):186-190, May-Jun/2015. graf.
Idioma: en.
Resumo: BACKGROUND AND OBJECTIVES: Tramadol is known as a central acting analgesic drug, used for the treatment of moderate to severe pain. Local analgesic effect has been demonstrated, in part due to local anesthetic-like effect, but other mechanisms remain unclear. The role of peripheral opioid receptors in the local analgesic effect is not known. In this study, we examined role of peripheral opioid receptors in the local analgesic effect of tramadol in the plantar incision model. METHODS: Young male Wistar rats were divided into seven groups: control, intraplantar tramadol, intravenous tramadol, intravenous naloxone-intraplantar tramadol, intraplantar naloxone-intraplantar tramadol, intravenous naloxone-intravenous tramadol, and intravenous naloxone. After receiving the assigned drugs (tramadol 5 mg, naloxone 200 µg or 0.9% NaCl), rats were submitted to plantar incision, and withdrawal thresholds after mechanical stimuli with von Frey filaments were assessed at baseline, 10, 15, 30, 45 and 60 min after incision. RESULTS: Plantar incision led to marked mechanical hyperalgesia during the whole period of observation in the control group, no mechanical hyperalgesia were observed in intraplantar tramadol group, intraplantar naloxone-intraplantar tramadol group and intravenous naloxone-intraplantar tramadol. In the intravenous tramadol group a late increase in withdrawal thresholds (after 45 min) was observed, the intravenous naloxone-intravenous tramadol group and intravenous naloxone remained hyperalgesic during the whole period. CONCLUSIONS: Tramadol presented an early local analgesic effect decreasing mechanical hyperalgesia induced by plantar incision. This analgesic effect was not mediated by peripheral opioid receptors. .

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Tramadol é conhecido como um fármaco analgésico de ação central, usado para o tratamento de dor moderada a grave. O efeito analgésico local foi demonstrado, em parte devido ao efeito semelhante ao anestésico local, mas outros mecanismos permanecem obscuros. O papel dos receptores opioides periféricos no efeito analgésico local não é conhecido. Neste estudo, examinamos o papel dos receptores opioides periféricos no efeito analgésico local de tramadol em modelo de incisão plantar. MÉTODOS: Ratos Wistar, jovens e machos, foram divididos em sete grupos: controle, tramadol intraplantar, tramadol intravenoso, tramadol intraplantar-naloxona intravenosa, tramadol intraplantar-naloxona intraplantar, tramadol intravenoso-naloxona intravenosa e naloxona intravenosa. Após receber os medicamentos designados (5 mg de tramadol, 200 mg de naloxona ou NaCl a 0,9%, os ratos foram submetidos à incisão plantar e os limiares de retirada após estímulos mecânicos com filamentos de von Frey foram avaliados no início do estudo e nos minutos 10, 15, 30, 45 e 60 após a incisão. RESULTADOS: A incisão plantar levou à hiperalgesia mecânica acentuada durante todo o período de observação no grupo controle; hiperalgesia mecânica não foi observada nos grupos tramadol intraplantar, tramadol intraplantar-naloxona intraplantar e tramadol intraplantar-naloxona intravenosa. No grupo tramadol intravenoso, um aumento tardio do limiar de retirada (após 45 minutos) foi observado. Os grupos tramadol intravenoso-naloxona intravenosa e naloxona intravenosa permaneceram hiperalgésicos durante todo o período. CONCLUSÕES: Tramadol apresentou efeito analgésico local inicial e diminuiu a hiperalgesia mecânica induzida pela incisão plantar. Esse efeito analgésico não foi mediado por receptores opioides periféricos. .

JUSTIFICACIÓN Y OBJETIVOS: Al tramadol se le conoce como un medicamento analgésico de acción central usado para el tratamiento del dolor moderado a intenso. El efecto analgésico local quedó demostrado, en parte, a causa del efecto similar al del anestésico local, pero otros mecanismos permanecen sin clarificar. El rol de los receptores opiáceos periféricos en el efecto analgésico local no se conoce. En este estudio, examinamos el papel de los receptores opiáceos periféricos en el efecto analgésico local del tramadol en un modelo de incisión plantar. MÉTODOS: Ratones Wistar, jóvenes y machos, fueron divididos en 7 grupos: control, tramadol intraplantar, tramadol intravenoso, tramadol intraplantar-naloxona intravenosa, tramadol intraplantar-naloxona intraplantar, tramadol intravenoso-naloxona intravenosa, y naloxona intravenosa. Después de recibir los medicamentos designados (5 mg de tramadol, 200 µg de naloxona o NaCl al 0,9%), los ratones fueron sometidos a la incisión plantar, y los umbrales de retirada de la pata posteriores a los estímulos mecánicos con filamentos de von Frey fueron evaluados al inicio del estudio y en los minutos 10, 15, 30, 45 y 60 después de la incisión. RESULTADOS: La incisión plantar conllevó hiperalgesia mecánica acentuada durante todo el período de observación en el grupo control; la hiperalgesia mecánica no fue observada en los grupos tramadol intraplantar, tramadol intraplantar-naloxona intraplantar, y tramadol intraplantar-naloxona intravenosa. En el grupo tramadol intravenoso, fue observado un aumento tardío del umbral de retirada (después de 45 min); los grupos tramadol intravenoso-naloxona intravenosa y naloxona intravenosa permanecieron hiperalgésicos durante todo el período. CONCLUSIONES: El tramadol presentó un efecto analgésico local inicial, disminuyendo la hiperalgesia mecánica inducida por la incisión plantar. Ese efecto analgésico no fue mediado por receptores opiáceos periféricos. .
Descritores: Dor Pós-Operatória/tratamento farmacológico
Tramadol/farmacologia
Hiperalgesia/tratamento farmacológico
Analgésicos Opioides/farmacologia
-Fatores de Tempo
Tramadol/administração & dosagem
Ratos Wistar
Receptores Opioides/efeitos dos fármacos
Receptores Opioides/metabolismo
Modelos Animais de Doenças
Analgésicos Opioides/administração & dosagem
Injeções
Injeções Intravenosas
Naloxona/administração & dosagem
Naloxona/farmacologia
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 2390 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-974350
Autor: Öğreden, Şahin; Rüzgar, Sedat; Tansuker, Hasan Deniz; Taşkın, Ümit; Alimoğlu, Yalçın; Aydın, Salih; Oktay, Mehmet Faruk; İzol, Uğur.
Título: Histopathological comparison of bone healing effects of endonasal and percutaneous lateral osteotomy methods in rabbit rhinoplasty model / Comparação histopatológica dos efeitos da cicatrização óssea entre as técnicas de osteotomia lateral endonasal e percutânea em modelo de rinoplastia em coelhos
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);84(5):540-544, Sept.-Oct. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Lateral osteotomy is mainly performed either endonasally or percutaneously in rhinoplasty which is a frequently performed operation for the correction of nasal deformities. Both techniques have both advantages and disadvantages relative to each other. Objective: The aim of this study was to compare the histopathological effects of endonasal and percutaneous osteotomy techniques performed in rhinoplasty on bone healing and nasal stability in an experimental animal model. Methods: Eight one year-old New Zealand white rabbits were included. Xylazine hydrocloride and intramuscular ketamine anesthesia were administered to the rabbits. Endonasal osteotomy (8 bones) was performed in Group 1 (n = 4), and percutaneous osteotomy (8 bones) in Group 2 (n = 4). One month later the rabbits were sacrificed. Bone healing of the rabbits was staged according to the bone healing score of Huddleston et al. In both groups, nasal bone integrity was assessed subjectively. Results: In the percutaneous osteotomy group, Grade 1 bone healing was observed in two samples (25%), Grade 2 bone healing in two samples (25%), Grade 3 bone healing in four samples (50%). In the endonasal osteotomy group, Grade 1 bone healing was observed in 6 samples (75%) and Grade 2 bone healing was observed in 2 samples (25%). In the percutaneous group, fibrous tissue was observed in 2, predominantly fibrous tissue and a lesser amount of cartilage was observed in 2 and an equal amount of fibrous tissue and cartilage was observed in 4 samples. In the endonasal group, fibrous tissue was observed in 6 samples, and predominantly fibrous tissue with a lesser amount of cartilage was observed in 2 samples. In both groups, when manual force was applied to the nasal bones, subjectively the same resistance was observed. Conclusion: Percutaneous lateral osteotomy technique was found to result in less bone and periost trauma and better bone healing compared to the endonasal osteotomy technique.

Resumo Introdução: Nas rinoplastias, a osteotomia lateral é realizada principalmente por via endonasal ou percutânea para correção de deformidades nasais. Ambas as técnicas apresentam vantagens e desvantagens. Objetivo: Comparar os efeitos histopatológicos sobre a cicatrização óssea e estabilidade nasal entre as técnicas de osteotomia endonasal e percutânea em rinoplastia em um modelo animal experimental. Método: Foram incluídos oito coelhos brancos da Nova Zelândia de um ano de idade. Hidrocloreto de xilazina e cetamina intramuscular foram administrados aos coelhos como agentes anestésicos. Osteotomia endonasal (8 ossos) foi realizada no Grupo 1 (n = 4) e osteotomia percutânea (8 ossos) no Grupo 2 (n = 4). Um mês depois, os coelhos foram sacrificados. A cicatrização óssea dos coelhos foi avaliada de acordo com o escore de cicatrização óssea de Huddleston et al. Em ambos os grupos, a integridade do osso nasal foi avaliada subjetivamente. Resultados: No grupo da osteotomia percutânea, observou-se cicatrização óssea de grau 1 em duas amostras (25%), cicatrização óssea de grau 2 em duas amostras (25%), e cicatrização óssea de grau 3 em quatro amostras (50%). No grupo da osteotomia endonasal, observou-se cicatrização óssea de grau 1 em 6 amostras (75%) e a cicatrização óssea de grau 2 foi observada em 2 amostras (25%). No grupo percutâneo, o tecido fibroso foi observado em 2 amostras, enquanto tecido predominantemente fibroso e uma menor quantidade de cartilagem foi observada em 2 e uma quantidade igual de tecido fibroso e cartilagem foi observada em 4 amostras. No grupo endonasal, observou-se tecido fibroso em 6 amostras e tecido predominantemente fibroso com uma menor quantidade de cartilagem em 2 amostras. Em ambos os grupos, quando força manual foi aplicada aos ossos nasais, a mesma resistência foi observada subjetivamente. Conclusão: A técnica de osteotomia lateral percutânea resultou em menor traumatismo ósseo e periosteal e melhor cicatrização óssea em comparação com a técnica de osteotomia endonasal.
Descritores: Osteotomia/métodos
Rinoplastia/métodos
Cicatrização
Osso Nasal/cirurgia
-Modelos Animais de Doenças
Osso Nasal/anatomia & histologia
Limites: Animais
Coelhos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 2390 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-782875
Autor: Sen, Oznur; Sayilgan, Nevzat Cem; Tutuncu, Ayse Cigdem; Bakan, Mefkur; Koksal, Guniz Meyanci; Oz, Huseyin.
Título: Evaluation of sciatic nerve damage following intraneural injection of bupivacaine, levobupivacaine and lidocaine in rats / Avaliação da lesão do nervo ciático após injeção intraneural de bupivacaína, levobupivacaína e lidocaína em ratos
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(3):272-275, May.-June 2016. graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE: The local anesthetics may cause neurotoxicity. We aimed to compare the neurotoxic potential of different local anesthetics, local anesthetic induced nerve damage and pathological changes of a peripheral nerve. METHODS: Sixty Wistar rats weighing 200-350 g were studied. Rats were assigned into 3 groups and 26-gauge needle was inserted under magnification into the left sciatic nerve and 0.2 mL of 0.5% bupivacaine, 5% levobupivacaine, and 2% lidocaine were injected intraneurally. An individual who was blind to the specifics of the injection monitored the neurologic function on postoperative 1st day, and daily thereafter. Neurologic examination included assessment for the presence and severity of nociception and grasping reflexes. At the 7th day sciatic nerve specimen was taken for evaluation of histopathologic changes. RESULTS: There was no statistical difference detected among groups regarding grasping reflex and histopathologic evaluation. Two cases in bupivacaine group, 1 case in levobupivacaine group and 2 cases in lidocaine group had slight grasping, while 1 case in lidocaine group had no grasping reflex on the seventh day. Severe axonal degeneration was observed in all groups, respectively in bupivacaine group 4 (20%), levobupivacaine group 3 (15%), and lidocaine group 6 (30%). CONCLUSION: In all groups, histopathological damage frequency and severity were more than the motor deficiency.

RESUMO OBJETIVO: Os anestésicos locais podem causar neurotoxicidade. Nosso objetivo foi comparar o potencial neurotóxico de diferentes anestésicos locais, os danos induzidos aos nervos e as alterações patológicas de um nervo periférico. MÉTODOS: Foram estudados 60 ratos Whistler com 200-350 g. Os ratos foram divididos em três grupos, uma agulha de calibre 26 foi inserida no nervo ciático esquerdo, com o uso de ampliação, e 0,2 mL de bupivacaína a 0,5%, levobupivacaína a 5% e lidocaína a 2% foram injetados por via intraneural. Um colaborador, cego para os conteúdos das injeções, monitorou a função neurológica no primeiro dia de pós-operatório e depois diariamente. O exame neurológico incluiu a avaliação da presença e da gravidade da nocicepção e dos reflexos de agarrar. No sétimo dia, uma amostra do nervo ciático foi colhida para avaliar as alterações histopatológicas. RESULTADOS: Não houve diferença estatística entre os grupos em relação ao reflexo de agarrar e à avaliação histopatológica. Dois casos no grupo bupivacaína, um no grupo levobupivacaína e dois no grupo lidocaína apresentaram um leve reflexo de agarrar; também no grupo lidocaína, um caso não apresentou reflexo de agarrar no sétimo dia. Degeneração axonal grave foi observada em todos os grupos: quatro casos no grupo bupivacaína (20%), três no grupo levobupivacaína 3 (15%) e seis no grupo lidocaína (30%). CONCLUSÃO: Em todos os grupos, a frequência de dano histopatológico e de gravidade foi maior do que a deficiência motora.
Descritores: Nervo Isquiático/efeitos dos fármacos
Bupivacaína/análogos & derivados
Bupivacaína/efeitos adversos
Traumatismos dos Nervos Periféricos/induzido quimicamente
Anestésicos Locais/efeitos adversos
Lidocaína/efeitos adversos
-Nervo Isquiático/fisiopatologia
Ratos Wistar
Modelos Animais de Doenças
Traumatismos dos Nervos Periféricos/fisiopatologia
Levobupivacaína
Limites: Animais
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 2390 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-1011430
Autor: Diao, Min; Qu, Yi; Liu, Hui; Ma, Yushan; Lin, Xuemei.
Título: Effect of carbamylated erythropoietin on neuronal apoptosis in fetal rats during intrauterine hypoxic-ischemic encephalopathy
Fonte: Biol. Res;52:28, 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: National Science Foundation of China; . Science and Technology Bureau of Sichuan Province; . Chengdu Science and Technology Bureau.
Resumo: BACKGROUND: Hypoxic-ischemic encephalopathy (HIE) is a common disease that occurs during the perinatal period. The primary cause of neonatal HIE is related to fetal intrauterine anoxia. Carbamylated erythropoietin (CEPO), a derivative of erythropoietin (EPO), does not exert any erythropoietic effect; however, the neuroprotective effects resemble those of EPO. Previous studies have shown the potential benefits of CEPO on the central nervous system. The present study aimed to investigate the role of CEPO in neuronal apoptosis during intrauterine HIE and the underlying mechanisms. RESULTS: To validate our hypothesis, we established an intrauterine HIE model by occluding the bilateral uteroovarian arteries of pregnant Sprague-Dawley rats. Compared to the I/R group, neuronal apoptosis in the CEPO group was significantly lower at 4, 12, 24, and 48 h (P < 0.05). CEPO significantly inhibited CC3 expression (P < 0.05) during the early-stages after ischemia-reperfusion (0.5, 4, 8, 12 and 24 h), upregulated Bcl-2 expression, and downregulated Bax expression at 4, 8, 12, and 24 h (P < 0.05). CONCLUSIONS: Carbamylated erythropoietin pretreatment inhibited the expression of proapoptotic protein CC3 in brain and regulated the Bcl-2/Bax ratio, resulting in reduced neuronal apoptosis and thus resulting in a protective effect on intrauterine HIE.
Descritores: Eritropoetina/análogos & derivados
Apoptose/efeitos dos fármacos
Fármacos Neuroprotetores/uso terapêutico
Hipóxia-Isquemia Encefálica/prevenção & controle
-Fatores de Tempo
Eritropoetina/uso terapêutico
Ratos Sprague-Dawley
Hipóxia-Isquemia Encefálica/patologia
Modelos Animais de Doenças
Limites: Animais
Feminino
Gravidez
Ratos
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central



página 1 de 239 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde