Base de dados : LILACS
Pesquisa : C23.550.291.125 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 3164 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 317 ir para página                         

  1 / 3164 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-723926
Autor: Fortunato, Fabiana; Carvalheiro, Irina; Novais, Cristina; Carreira, Raquel; Brito, Nádia.
Título: Tumefacção facial em recém-nascido / Facial swelling in newborn
Fonte: Einstein (Säo Paulo);12(3):384-385, Jul-Sep/2014. graf.
Idioma: pt.
Descritores: Parotidite/patologia
Ductos Salivares/patologia
-Parotidite/tratamento farmacológico
Doença Aguda
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 3164 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1094526
Autor: Soares, Pedro França da Costa; Gestic, Martinho Antonio; Utrini, Murillo Pimentel; Callejas-Neto, Francisco; Chaim, Elinton Adami; Cazzo, Everton.
Título: Epidemiological profile, referral routes and diagnostic accuracy of cases of acute cholangitis among individuals with obstructive jaundice admitted to a tertiary-level university hospital: a cross-sectional study
Fonte: Säo Paulo med. j;137(6):491-497, Nov.-Dec. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT BACKGROUND: Obstructive jaundice may lead to ominous complications and requires complex diagnostic evaluations and therapies that are not widely available. OBJECTIVE: To analyze the epidemiological profile, referral routes and diagnostic accuracy at admittance of cases of acute cholangitis among patients with obstructive jaundice treated at a referral unit. DESIGN AND SETTING: Cross-sectional study at a tertiary-level university hospital. METHODS: Patients with obstructive jaundice who were treated by means of endoscopic retrograde cholangiopancreatography, resection and/or surgical biliary drainage were evaluated. The main variables analyzed were epidemiological data, referral route, bilirubin levels and time elapsed between symptom onset and admittance and diagnosing of acute cholangitis at the referral unit. The accuracy of the clinical diagnosis of acute cholangitis was compared with a retrospective analysis on the medical records in accordance with the Tokyo criteria. RESULTS: Female patients predominated (58%), with an average age of 56 years. Acute cholangitis was detected in 9.9% of the individuals; application of the Tokyo criteria showed that the real prevalence was approximately 43%. The main referral route was direct contact (31.8%) and emergency care (29.7%); routing via official referral through the public healthcare system accounted for 17.6%, and internal referral from other specialties, 20%. The direct route with unofficial referral was the most important route for cases of neoplastic etiology (P < 0.01) and was the fastest route (P < 0.01). CONCLUSIONS: There is a deficiency in the official referral routes for patients with obstructive jaundice. The accuracy of the clinical diagnosis of acute cholangitis was poor. Wider dissemination of the Tokyo criteria is essential.
Descritores: Colangite/diagnóstico
Icterícia Obstrutiva/diagnóstico
Centros de Atenção Terciária
Hospitais Universitários
-Admissão do Paciente/estatística & dados numéricos
Encaminhamento e Consulta/estatística & dados numéricos
Bilirrubina/análise
Brasil/epidemiologia
Aceitação pelo Paciente de Cuidados de Saúde
Drenagem
Colangite/cirurgia
Colangite/epidemiologia
Doença Aguda
Estudos Transversais
Estudos Retrospectivos
Sensibilidade e Especificidade
Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica/estatística & dados numéricos
Icterícia Obstrutiva/cirurgia
Icterícia Obstrutiva/epidemiologia
Confiabilidade dos Dados
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 3164 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Almeida, Dirceu Rodrigues
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-970628
Autor: Almeida, Dirceu Rodrigues; Oliveira, Rafaela Rádner Reis de.
Título: Insuficiência cardíaca aguda (ICA) - decisão terapêutica: inotrópicos ou vasodilatadores? / Therapeutic decision in acute heart failure: inotropic agents or vasodilator drugs?
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;28(4):434-439, out.-dez. 2018. ilus, graf.
Idioma: en; pt.
Resumo: A insuficiência cardíaca aguda é a principal causa de hospitalização em pacientes acima de 65 anos, além de possuir altos índices de mortalidade hospitalar. Na sua abordagem terapêutica é mandatório um diagnóstico rápido e pronta caracterização do perfil hemodinâmico, baseando-se nos sinais clínicos de congestão e baixo débito cardíaco, para que possamos instituir a terapêutica com drogas endovenosas para alívio rápido dos sintomas, restabelecer a perfusão adequada dos órgãos e reduzir o risco de morte. As drogas a serem administradas de forma isolada ou em combinação são representadas pela furosemida endovenosa em infusão intermitente e contínua, dependendo do grau de congestão pulmonar e/ou sistêmica, as drogas vasodilatadoras e os agentes inotrópicos. As drogas vasodilatadoras, como o nitroprussiato de sódio e a nitroglicerina via endovenosa são, frequentemente, adicionadas aos diuréticos para o tratamento da insuficiência cardíaca aguda com perfil hemodinâmico B, promovendo estabilidade hemodinâmica mais rápida e pronto alívio da dispneia. O nitroprussiato de sódio é preferível nos pacientes com IC perfil B com níveis elevados de resistência vascular periférica e grave congestão pulmonar. Já a nitroglicerina é preferível nos pacientes com cardiopatia isquêmica ou com insuficiência coronariana aguda associada à insuficiência cardíaca. Os agentes inotrópicos positivos estão indicados nos pacientes com IC aguda e evidências de baixo débito cardíaco (perfil hemodinâmico C), a fim de garantir a melhora da perfusão tissular mediante aumento do débito cardíaco, principalmente, nos pacientes hipotensos e com piora da função renal. A associação de inotrópicos com vasodilatadores deve ser considerada quando existe a combinação de baixo débito cardíaco e aumento significativo de resistência vascular pulmonar e ou sistêmica

Acute heart failure is the leading cause of hospitalization in patients over 65 years of age and is accompanied by high hospital mortality rates. In its therapeutic approach, rapid diagnosis and prompt characterization of the hemodynamic profile based on clinical signs of congestion and low cardiac output are mandatory so that we can provide intravenous drug therapy for rapid symptom relief to restore adequate organ perfusion and reduce the risk of death. Drugs to be used alone or in combination are represented by intravenous furosemide in intermittent infusion and continue to depend on the degree of pulmonary and/or systemic congestion, vasodilator drugs, and inotropic agents. Vasodilator drugs, such as sodium nitroprusside and intravenous nitroglycerin, are often added to diuretics for the treatment of acute cardiac insufficiency with hemodynamic profile B, promoting faster hemodynamic stability and prompt relief of dyspnea. Sodium nitroprusside is preferable in patients with hemodynamic profile B with high peripheral vascular resistance and severe pulmonary congestion. Nitroglycerin is preferable in patients with ischemic heart disease or acute coronary insufficiency associated with heart failure (HF). Positive inotropic agents are indicated in patients with acute HF and evidence of low cardiac output (hemodynamic profile C) to ensure improvement in tissue perfusion by increasing cardiac output, especially in patients with hypotension and worsening renal function. The association of inotropes and vasodilators should be considered when there is a combination of low cardiac output and significant increase in pulmonary and/or systemic vascular resistance
Descritores: Vasodilatadores/uso terapêutico
Doença Aguda
Insuficiência Cardíaca/terapia
-Terapêutica
Cardiotônicos
Doenças Cardiovasculares
Diuréticos/uso terapêutico
Dobutamina/uso terapêutico
Hemodinâmica
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  4 / 3164 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-970626
Autor: Madrini Junior, Vagner; Campos, Iáscara Wozniak de; Ramires, Félix José Alvarez; Bacal, Fernando.
Título: Insuficiência cardíaca aguda (ICA) - como avaliar o perfil hemodinâmico e quando internar / Acute heart failure (AHF) - how to evaluate the hemodynamic profile and when to hospitalize
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;28(4):428-433, out.-dez. 2018. tab, ilus, graf.
Idioma: en; pt.
Resumo: A Insuficiência cardíaca é uma síndrome clínica cuja prevalência vem aumentado nos últimos anos, sendo uma das principais causas de internação no Brasil e no mundo. A apresentação da insuficiência cardíaca aguda compreende dois espectros, quais sejam, insuficiência cardíaca crônica agudizada e insuficiência cardíaca nova e ambas estão associadas a alta morbidade e mortalidade. A primeira abordagem desses pacientes deve ser realizada de maneira sistemática para estabelecer o diagnóstico, classificação hemodinâmica e estratificação de risco para orientar adequadamente as condutas iniciais. A decisão terapêutica imediata é essencial para otimizar o manejo desses pacientes, visando a melhor evolução prognóstica intra e extra-hospitalar

Heart failure is a clinical syndrome that has been increasing over the last few years and is currently one of the main causes of hospitalization in Brazil and in the world. Acute heart failure has two forms of presentation - chronic acute decompensated heart failure and new heart failure, both conditions being associated with high morbidity and mortality. The first approach to these patients should be conducted systematically in order to establish the diagnosis, the hemodynamic classification, and the risk stratification in order to adequately guide the initial conducts. An immediate therapeutic decision is essential to optimize the intra- and extra-hospital management of these patients for better prognostic evolution
Descritores: Terapêutica
Insuficiência Cardíaca/diagnóstico
Insuficiência Cardíaca/terapia
Hemodinâmica
-Espectroscopia de Ressonância Magnética/métodos
Comorbidade
Doença Aguda
Doença Crônica
Epidemiologia
Guias como Assunto/normas
Diagnóstico
Eletrocardiografia/métodos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  5 / 3164 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-796515
Autor: Nicolau, José Carlos; Furtado, Remo Holanda de Mendonça.
Título: Estratégias antiplaquetárias orais nas fases aguda e crônica das síndromes coronarianas aguda / Oral antiplatelet strategies in the acute and chronic of acute coronary syndromes
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;26(2):112-119, abr.-jun.2016. tab, ilus, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Desde os primeiros estudos com ácido acetilsalicílico (AAS), até publicações mais recentes com novos bloqueadores de ADP e bloqueadores do receptor de trombina, pode-se afirmar que o conhecimento sobre o tratamento antiplaquetário nas síndromes coronarianas agudas (SCA) evoluiu de forma exponencial. Atualmente, a dupla antiagregação (DAP) é parte essencial do tratamento das SCA em todas as suas formas de apresentação, sendorecomendada por no mínimo um ano em todos os pacientes, independentemente da estratégia de revascularização utilizada, desde que não haja contraindicações ao seu uso. Ao mesmo tempo que se demonstrava eficácia crescente com o uso de antitrombóticosde forma geral (incluindo-se os antiplaquetários), cada vez mais a comunidade científica se conscientizava da importância do sangramento que ocorria com o uso desses medicamentos e negava, ao menos parcialmente, os benefícios obtidos. Assim sendo, os maiores desafios nos tempos atuais em termos de terapêutica antitrombótica nas SCA voltam-se para o desenvolvimento de estratégias terapêuticas personalizadas individualmente, que possam ter o máximo possível de benefício emtermos de eventos isquêmicos, com o mínimo possível de sangramento. Isso inclui não apenas uma análise cuidadosa dos medicamentos a serem associados, mas também do tempo de sua utilização. Tais estratégias constituem o foco principal da presente revisão...

Since the first studies with acetylsalicylic acid (ASA) up to more recent publications with new blockers of ADP and anti-thrombin receptor blockers, it is fair to say that knowledge about antiplatelet therapy in acute coronary syndromes (ACS) has grown exponentially. Currently, dual antiplatelet (DAP) therapy is an essential part of the treatment in all presentation forms of ACS, and it is recommended for at least one year for all patients, regardless of the revascularization strategy used, provided there are no contraindications to its use. Alongside the demonstration of increased efficacy of antithrombotics in general (including antiplatelet drugs), the scientific community became increasingly aware of the impactof bleeding that occurred with the use of these drugs, and that were undermining, at least partially, the benefits obtained.Thus, the main challenge today regarding anti-thrombotic treatment in ACS is the development of tailored therapeutic strategies that can produce the greatest possible benefit in terms of ischemic events, with minimal bleeding. This includes not only a careful analysisof the drugs to be associated, but also the duration of their use. Such strategies are the focus of the present review...
Descritores: Doença Aguda
Doença Crônica
Inibidores da Agregação Plaquetária/administração & dosagem
Síndrome Coronariana Aguda/terapia
-Aspirina/administração & dosagem
Cloridrato de Prasugrel/administração & dosagem
Fibrinolíticos
Hemorragia/complicações
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  6 / 3164 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-796516
Autor: Hueb, Alexandre C; Jatene, Fábio B.
Título: Análise crítica do tratamento cirúrgico nas síndromes coronarianas agudas e suas complicaçõe / Critical analysis of surgical treatment in acute coronary syndromes and its complications
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;26(2):120-127, abr.-jun.2016.
Idioma: pt.
Resumo: Apesar dos grandes avanços no tratamento médico, suporte farmacológico, técnicas de reperfusão e o suporte mecânico, as síndromes coronarianas ainda representam uma das principais causas de morbidade e mortalidade. Abordagens agressivas de revascularização miocárdica parecem estar associadas à redução da mortalidade em pacientes com síndromes coronarianas agudas (SCA). O melhor momento da intervenção não deve apenas reduzir a mortalidade em curto prazo, mas também oferecer resultados satisfatórios em longo prazo. Dependendo do tipo de evento, a síndrome coronariana aguda tem uma adequada modalidade terapêutica. Iremos abordar estratégias relacionadas ao infarto sem e com supra desnivelamento do segmento ST, infarto miocárdico com choque cardiogênico e as complicações mecânicas do infarto. De forma geral, a abordagem invasiva tem melhores resultados. Pacientes com infarto na fase aguda são abordados preferencialmente por técnicas percutâneas, pois a estratégia cirúrgica demanda tempo para a efetiva revascularização. Os resultados de seguimento em longo prazo variam de acordo com a extensão do infarto, a fração de ejeção e a anatomia coronariana. Aqueles pacientes que evoluem com choque cardiogênico têm alta mortalidade independente da estratégia utilizada. Pacientes que evoluem com complicações mecânicas, são necessariamente cirúrgicos, sendo que o melhor momento para a intervenção varia de acordo com a condição clínica e hemodinâmica...

Despite the great advances in medical treatment, pharmacological support, reperfusion techniques, and mechanical support, coronary syndromes are still among the main causes of morbidity and mortality. Aggressive myocardial revascularization approaches appear to be associated with reduced mortality in patients with ACS. The optimum moment of intervention should not only reduce mortality in the short term, but should also offer satisfactory results in the long term. Depending on the type of event, acute coronary syndrome has an adequate therapeutic modality. We address strategies related to infarction with and without ST segment elevation, myocardial infarction with cardiogenic shock, and mechanical complications of infarction. Ingeneral, the invasive approach has shown best results. Patients with infarction in the acute phase are preferably treated by percutaneous techniques, as the surgical approach requires time for effective revascularization. The long-term results vary, depending on the extent of the infarction, the ejection fraction, and the coronary anatomy. Patients who evolve with cardiogenic shock have high mortality, regardless of the strategy used. Patients who evolve with mechanical complications must undergo surgery, with the best moment for the intervention depending on the clinical and hemodynamic condition...
Descritores: Medição de Risco/métodos
Revascularização Miocárdica
Síndrome Coronariana Aguda/complicações
Síndrome Coronariana Aguda/terapia
-Acidente Vascular Cerebral/complicações
Acidente Vascular Cerebral/terapia
Choque Cardiogênico/complicações
Choque Cardiogênico/terapia
Doença Aguda
Doença da Artéria Coronariana/complicações
Doença da Artéria Coronariana/terapia
Infarto do Miocárdio/complicações
Infarto do Miocárdio/terapia
Prognóstico
Reperfusão/métodos
Valva Mitral/cirurgia
Ventrículos do Coração
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  7 / 3164 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-796517
Autor: Bezerra, Cristiano Guedes; Pinton, Fábio Augusto; Lemos Neto, Pedro Alves.
Título: Síndrome coronariana aguda em indivíduos com revascularização cirúrgicaou percutânea prévia / Acute coronary syndrome in individuals with previous surgical or percutaneous revascularization
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;26(2):128-133, abr.-jun.2016. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Aproximadamente 30% dos pacientes que se apresentam com quadro de síndrome coronariana aguda têm revascularização prévia do miocárdio. Os eventos coronarianos subsequentes à revascularização do miocárdio podem ocorrer por progressão da doença aterosclerótica no leito coronário nativo, evento relacionado ao stent (reestenose, trombose ou neoaterosclerose) ou evento relacionado à cirurgia de revascularização domiocárdio (degeneração ou oclusão de enxertos cirúrgicos). Esses pacientes que necessitamde um novo procedimento de revascularização têm perfil de alto risco, geralmente associado a doença renal crônica, diabetes mellitus, doença arterial periférica, além deelevada carga aterosclerótica no leito coronariano nativo, degeneração de enxertos de veia safena e reestenose de stents. Este cenário faz com que o segundo procedimento de revascularização tenha maior risco e maior complexidade. Neste artigo discutiremos as características clínicas e as possibilidades terapêuticas de pacientes com SCA e revascularização percutânea ou cirúrgica prévias.

Around 30% of patients who present acute coronary syndrome have undergone previous myocardial revascularization. Coronary events following myocardial revascularization can occur due to progression of atherosclerotic disease in the native coronary bed, an event related to the stent (restenosis, thrombosis or neoatherosclerosis) or to the myocardial revascularization surgery (degeneration or occlusion of surgical grafts). These patients who need a new revascularization procedure have a high-risk profile, generally associated with chronic kidney disease, diabetes mellitus, and peripheral arterial disease, as well as a high atherosclerotic burden in the native coronary bed, degeneration of grafts of the saphenous vein, and restenosis of stents. This scenario confers a higher risk and greater complexity on the second revascularization procedure. In this article, we discuss the clinical characteristics and therapeutic possibilities of patients with ACS and previous percutaneous or surgical revascularization.
Descritores: Intervenção Coronária Percutânea/métodos
Reestenose Coronária/diagnóstico
Reestenose Coronária/terapia
Revascularização Miocárdica/efeitos adversos
Síndrome Coronariana Aguda/diagnóstico
Síndrome Coronariana Aguda/terapia
-Angioplastia/métodos
Doença Aguda
Fatores de Risco
Stents
Trombose/diagnóstico
Trombose/terapia
Vasos Coronários/cirurgia
Veia Safena
Ventrículos do Coração
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  8 / 3164 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-780016
Autor: Beduschi, Murilo Gamba; Mello, André Luiz Parizi; Von-Muhlen, Bruno; Franzon, Orli.
Título: The panc 3 score predicting severity of acute pancreatitis / Escore panc 3 na predição da severidade de pancreatite aguda
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(1):5-8, Jan.-Mar. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: Background: About 20% of cases of acute pancreatitis progress to a severe form, leading to high mortality rates. Several studies suggested methods to identify patients that will progress more severely. However, most studies present problems when used on daily practice. Objective: To assess the efficacy of the PANC 3 score to predict acute pancreatitis severity and its relation to clinical outcome. Methods: Acute pancreatitis patients were assessed as to sex, age, body mass index (BMI), etiology of pancreatitis, intensive care need, length of stay, length of stay in intensive care unit and mortality. The PANC 3 score was determined within the first 24 hours after diagnosis and compared to acute pancreatitis grade of the Revised Atlanta classification. Results: Out of 64 patients diagnosed with acute pancreatitis, 58 met the inclusion criteria. The PANC 3 score was positive in five cases (8.6%), pancreatitis progressed to a severe form in 10 cases (17.2%) and five patients (8.6%) died. Patients with a positive score and severe pancreatitis required intensive care more often, and stayed for a longer period in intensive care units. The PANC 3 score showed sensitivity of 50%, specificity of 100%, accuracy of 91.4%, positive predictive value of 100% and negative predictive value of 90.6% in prediction of severe acute pancreatitis. Conclusion: The PANC 3 score is useful to assess acute pancreatitis because it is easy and quick to use, has high specificity, high accuracy and high predictive value in prediction of severe acute pancreatitis.

Racional: Cerca de 20% dos casos de pancreatite aguda evoluem de forma severa, acompanhados de alta mortalidade. Diversos estudos têm sugerido métodos para identificar pacientes que evoluirão com maior gravidade. Entretanto, a maioria apresenta problemas em sua utilização na prática diária. Objetivo: Avaliar a eficácia do escore PANC 3 na predição da severidade da pancreatite aguda e sua relação com o desfecho clínico. Métodos: Pacientes com pancreatite aguda foram avaliados quanto ao sexo, idade, índice de massa corporal (IMC), etiologia da pancreatite, necessidade de cuidados intensivos, tempo de internação hospitalar, período necessário de cuidados intensivos e mortalidade. O escore PANC 3 foi determinado nas primeiras 24 h do diagnóstico e comparado ao grau de pancreatite aguda da classificação de Atlanta Revisada. Resultados: Dos sessenta e quatro pacientes, cinquenta e oito preencheram os critérios necessários para inclusão no estudo. O escore PANC 3 foi positivo em cinco casos (8,6%), a pancreatite evoluiu de forma severa em 10 (17,2%) e 5 (8,6%) faleceram. Pacientes com escore positivo e pancreatite severa, necessitaram mais frequentemente de cuidados intensivos e, quando necessitaram, permaneceram por período maior nas unidades de cuidados intensivos. O escore PANC 3 demonstrou sensibilidade de 50%, especificidade de 100%, acurácia de 91,4%, valor preditivo positivo de 100% e valor preditivo negativo de 90,6% na predição de pancreatite aguda severa. Conclusão: O escore PANC 3 é útil na abordagem da pancreatite aguda, por ser de fácil e rápida aplicação, apresentar alta especificidade, alta acurácia e alto valor preditivo na predição da pancreatite aguda severa.
Descritores: Pancreatite/classificação
Pancreatite/diagnóstico
-Índice de Gravidade de Doença
Doença Aguda
Valor Preditivo dos Testes
Unidades de Terapia Intensiva
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 3164 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-796943
Autor: Souza, Gleim Dias de; Souza, Luciana Rodrigues Queiroz; Cuenca, Ronaldo Máfia; Jerônimo, Bárbara Stephane de Medeiros; Souza, Guilherme Medeiros de; Vilela, Vinícius Martins.
Título: Understanding the international consensus for acute pancreatitis: classification of atlanta 2012 / Entendendo o consenso internacional para as pancreatites agudas: classificação de atlanta 2012
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(3):206-210, July-Sept. 2016. graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Introduction: Contrast computed tomography and magnetic resonance imaging are widely used due to its image quality and ability to study pancreatic and peripancreatic morphology. The understanding of the various subtypes of the disease and identification of possible complications requires a familiarity with the terminology, which allows effective communication between the different members of the multidisciplinary team. Aim: Demonstrate the terminology and parameters to identify the different classifications and findings of the disease based on the international consensus for acute pancreatitis ( Atlanta Classification 2012). Methods: Search and analysis of articles in the "CAPES Portal de Periódicos with headings "acute pancreatitis" and "Atlanta Review". Results: Were selected 23 articles containing radiological descriptions, management or statistical data related to pathology. Additional statistical data were obtained from Datasus and Population Census 2010. The radiological diagnostic criterion adopted was the Radiology American College system. The "acute pancreatitis - 2012 Rating: Review Atlanta classification and definitions for international consensus" tries to eliminate inconsistency and divergence from the determination of uniformity to the radiological findings, especially the terminology related to fluid collections. More broadly as "pancreatic abscess" and "phlegmon" went into disuse and the evolution of the collection of patient fluids can be described as "acute peripancreatic collections", "acute necrotic collections", "pseudocyst" and "necrosis pancreatic walled or isolated". Conclusion: Computed tomography and magnetic resonance represent the best techniques with sequential images available for diagnosis. Standardization of the terminology is critical and should improve the management of patients with multiple professionals care, risk stratification and adequate treatment.

RESUMO Introdução: A tomografia computadorizada contrastada e a ressonância magnética são exames amplamente utilizados no estudo da morfologia pancreática e peripancreática. O entendimento dos diversos subtipos da doença e identificação de suas possíveis complicações requer familiaridade com a terminologia padrão, a qual permite comunicação efetiva entre os diversos membros da equipe multidisciplinar. Objetivo: Demonstrar terminologia e os parâmetros para identificação das diferentes classificações da doença a partir do consenso internacional para as pancreatites agudas (Classificação de Atlanta 2012. Método: Busca e análise de artigos no "Portal de Periódicos da CAPES" com descritores "pancreatite aguda" e "Revisão de Atlanta". Resultado : Foram selecionados 23 artigos que continham descrições radiológicas, manejo ou dados estatísticos relacionados à doença. Dados estatísticos adicionais foram obtidos no sistema Datasus e Censo Demográfico 2010. O critério de diagnóstico radiológico adotado foi o do Colégio Americano de Radiologia. A "Classificação da pancreatite aguda - 2012: revisão da classificação de Atlanta e definições por consenso internacional" tenta eliminar a inconsistência e divergências a partir da determinação de uniformidade para os achados radiológicos, em especial à terminologia relacionada às coleções de fluidos. Termos mais abrangentes como "abscesso pancreático" e "flegmão" entraram em desuso e a evolução da coleção de fluidos pode ser descrita como: "coleções peripancreáticas agudas", "coleções necróticas agudas", "pseudocisto" e "necrose pancreática murada ou isolada". Conclusão: A tomografia computadorizada e a ressonância magnética representam as melhores técnicas com cortes sequenciais disponíveis para diagnóstico. A adequação da terminologia é ponto crítico e deve permitir o manejo do paciente por múltiplos profissionais, estratificação de risco e adequação de tratamento.
Descritores: Pancreatite/classificação
Consenso
-Pancreatite/diagnóstico por imagem
Imageamento por Ressonância Magnética
Tomografia Computadorizada por Raios X
Doença Aguda
Cooperação Internacional
Terminologia como Assunto
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 3164 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-796945
Autor: Sobrado, Carlos Walter; Sobrado, Lucas Faraco.
Título: Management of acute severe ulcerative colitis: a clinical update / Manejo da colite ulcerativa aguda grave: atualização terapêutica
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(3):201-205, July-Sept. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Introduction: Acute severe colitis is a potentially lethal medical emergency and, even today, its treatment remains a challenge for clinicians and surgeons. Intravenous corticoid therapy, which was introduced into the therapeutic arsenal in the 1950s, continues to be the first-line treatment and, for patients who are refractory to this, the rescue therapy may consist of clinical measures or emergency colectomy. Objective: To evaluate the indications for and results from drug rescue therapy (cyclosporine, infliximab and tacrolimus), and to suggest a practical guide for clinical approaches. Methods: The literature was reviewed using the Medline/PubMed, Cochrane library and SciELO databases, and additional information from institutional websites of interest, by cross-correlating the following keywords: acute severe colitis, fulminating colitis and treatment. Results: Treatments for acute severe colitis have avoided colectomy in 60-70% of the cases, provided that they have been started early on, with multidisciplinary follow-up. Despite the adverse effects of intravenous cyclosporine, this drug has been indicated in cases of greater severity with an imminent risk of colectomy, because of its fast action, short half-life and absence of increased risk of surgical complications. Therapy using infliximab has been reserved for less severe cases and those in which immunosuppressants are being or have been used (AZA/6-MP). Indication of biological agents has recently been favored because of their ease of therapeutic use, their good short and medium-term results, the possibility of maintenance therapy and also their action as a "bridge" for immunosuppressant action (AZA/6-MP). Colectomy has been reserved for cases in which there is still no response five to seven days after rescue therapy and in cases of complications (toxic megacolon, profuse hemorrhage and perforation). Conclusion: Patients with a good response to rescue therapy who do not undergo emergency operations should be considered for maintenance therapy using azathioprine. A surgical procedure is indicated for selected cases.

RESUMO Racional: A colite aguda grave é emergência médica, potencialmente letal e o seu tratamento permanece ainda nos dias de hoje um desafio para o clínico e cirurgião. A corticoterapia intravenosa introduzida no arsenal terapêutico na década de 50 permanece como primeira linha de tratamento, e nos pacientes refratários a tal medida, a terapia de resgate pode ser com medidas clínicas ou colectomia de urgência. Objetivo: Avaliar os resultados da terapia de resgate medicamentosa (ciclosporina, infliximabe e tracolimus), suas indicações e resultados, e sugerir um guia prático para abordagem clínica. Métodos: Foi realizada revisão na literatura utilizando as bases Medline/Pubmed, Cochrane Library, Scielo, e informações adicionais em sites institucionais de interesse cruzando os descritores: colite aguda grave, colite fulminante e tratamento. Resultados: O tratamento da colite aguda grave tem evitado a colectomia em 60- 70% dos casos, desde que iniciado precocemente e com acompanhamento multidisciplinar. A ciclosporina intravenosa apesar de seus efeitos adversos, tem sido indicada naqueles casos mais graves com risco iminente de colectomia, pela sua rapidez de ação, meia-vida curta, e não aumentar os riscos de complicações cirúrgicas. A terapia com infliximabe tem sido reservada para os casos menos graves e naqueles em uso ou já expostos a imunossupressores (AZA/6-MP). A facilidade terapêutica, seus bons resultados a curto e médio prazo, a possibilidade de terapia de manutenção e também por agir como "ponte" para ação de imunossupressores (AZA/6-MP) tem recentemente favorecido a indicação de biológicos. A colectomia fica reservada para casos que não apresentaram resposta a terapia de resgate após cinco a sete dias de tratamento e nas complicações (megacólon tóxico, hemorragia profusa e perfuração). Conclusõe s: Os pacientes com boa resposta à terapia de resgate e não submetidos à operações de urgência, deverão ser considerados para terapia de manutenção com azatioprina, sendo procedimento cirúrgico indicado para casos selecionados.
Descritores: Colite Ulcerativa/terapia
-Índice de Gravidade de Doença
Algoritmos
Doença Aguda
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 317 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde