Base de dados : LILACS
Pesquisa : C23.550.470 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 1696 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 170 ir para página                         

  1 / 1696 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Barbosa, Décio Sabbatini
Morimoto, Helena Kaminami
Reiche, Edna Maria Vissoci
Texto completo
Id: biblio-1056605
Autor: Plastina, Juliana Carvalho Romagnolli; Obara, Vitor Y; Barbosa, Décio Sabbatini; Morimoto, Helena Kaminami; Reiche, Edna Maria Vissoci; Graciano, Andrea; Delfino, Vinicius Daher Alvares.
Título: Functional iron deficiency in patients on hemodialysis: prevalence, nutritional assessment, and biomarkers of oxidative stress and inflammation / Deficiência funcional de ferro em pacientes em hemodiálise: prevalência, avaliação nutricional e de biomarcadores de estresse oxidativo e de inflamação
Fonte: J. bras. nefrol;41(4):472-480, Out.-Dec. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Anemic patients with chronic kidney disease (CKD) can be divided into anemic patients without or with functional iron deficiency (FID). The increase in the number of cases of hemosiderosis in patients on hemodialysis (HD) attributed to excessive intravenous iron replacement has called for the investigation of the factors involved in the genesis of FID. Objectives: This study aimed to describe the prevalence of FID in patients with CKD on HD, characterize the included individuals in terms of clinical and workup parameters, and assess their nutritional, oxidative stress, and inflammation statuses. This cross-sectional study assembled a convenience sample of 183 patients with CKD on HD treated in Southern Brazil. Patients meeting the inclusion and exclusion criteria were divided into two groups, one with anemic subjects with FID and one with anemic patients without FID. Participants answered a questionnaire probing into socio-epidemiological factors, underwent anthropometric measurements, and were tested for markers of anemia, oxidative stress, inflammation, and nutrition. Statistical analysis: The date sets were treated on software package GraphPad InStat version 3.1. Variables were tested with the Kolmogorov-Smirnov, chi-square, Student's t, and Mann-Whitney tests. Statistical significance was attributed to differences with a p < 0.05. Results: Markers of inflammation were not statistically different between the two groups. Markers of anemia and nutrition were significantly lower in patients with FID. Patients with FID were prescribed higher doses of parenteral iron (p < 0,05). Discussion: FID was associated with lower nutritional marker levels, but not to increased levels of markers of inflammation or oxidative stress, as reported in the literature. Additional studies on the subject are needed.

Resumo Introdução: A anemia na DRC pode ser dividida em anemia sem deficiência funcional de ferro e com deficiência funcional de ferro (ADFF). Diante do aumento dos casos de hemossiderose em pacientes em hemodiálise, atribuídos à reposição excessiva de ferro endovenoso, maiores conhecimentos sobre os fatores envolvidos na gênese da ADFF são importantes. Objetivos: documentar a prevalência de ADFF em renais crônicos em hemodiálise. Caracterizar clínica e laboratorialmente os portadores de ADFF em HD e avaliar o estado nutricional, estresse oxidativo e inflamatório. Estudo transversal, amostra de conveniência, envolvendo 183 renais crônicos em hemodiálise no sul do Brasil. Após aplicação dos critérios de exclusão, os pacientes foram separados em dois grupos: portadores de anemia com e sem deficiência funcional de ferro. Foram submetidos a questionário socioepidemiológico, à análise antropométrica e análise laboratorial dos marcadores de anemia, estresse oxidativo, inflamatórios e nutricionais. Análise estatística: programa GraphPad InStat versão 3.1. Foram aplicados os testes: Kolmogorov-Smirnov, qui-quadrado, t de Student e Mann-Whitney. Nível de significância adotado de 5%. Resultados: não houve diferença significativa nos marcadores inflamatórios entre os dois grupos. Houve diferença significativa nos marcadores de anemia e nutrição, significativamente menores nos pacientes com ADFF. Pacientes com ADFF receberam doses mais elevadas de ferro parenteral (p < 0,05). Discussão: ADFF esteve associada a menores valores de marcadores nutricionais, mas não esteve associada a marcadores inflamatórios ou de estresse oxidativo aumentados, como relatado na literatura. Estudos adicionais sobre o tema são necessários.
Descritores: Biomarcadores/metabolismo
Diálise Renal/efeitos adversos
Anemia Ferropriva/etiologia
Insuficiência Renal Crônica/complicações
Inflamação/metabolismo
Anemia/etiologia
-Brasil/epidemiologia
Avaliação Nutricional
Prevalência
Estudos Transversais
Estresse Oxidativo/fisiologia
Anemia Ferropriva/epidemiologia
Administração Intravenosa
Hemossiderose/epidemiologia
Anemia/epidemiologia
Ferro/administração & dosagem
Ferro/efeitos adversos
Óxido Nítrico/metabolismo
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 1696 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1055949
Autor: Lima, Siméia Macêdo de; Brito, Karen Krystine Gonçalves de; Santana, Emanuelle Malzac Freire de; Nóbrega, Matheus de Medeiros; Carvalho, Paula Soares; Oliveira, Simone Helena dos Santos; Silva, Mirian Alves da.
Título: Qualidade de vida de pacientes com reações hansênicas / Calidad de vida en pacientes con reacciones hansénicas / Quality of life of patients with leprosy reactions
Fonte: Cogitare enferm;24:e62921, 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: avaliar o impacto da hanseníase na qualidade de vida de pacientes com reações hansênicas. Método: estudo transversal e quantitativo realizado com 40 pacientes em janeiro de 2017 em ambulatório de hospital paraibano de referência utilizando questionário contendo dados sociodemográficos e clínico-epidemiológicos e instrumento para avaliação da qualidade vida, The World Health Organization Quality of Life. Resultados: observou-se que a dimensão relações sociais sobressaiu-se (64,38) com melhor escore para qualidade de vida, destacando-se elevada satisfação (85%) dos indivíduos. O domínio físico apresentou menor escore (51,07), com 50% de relatos de limitação para realização de atividades devido à dor, todavia todas as dimensões pontuaram acima de 50 pontos, direcionando para boa qualidade de vida. Conclusão: a fisiopatologia das reações, as condições de vida e as políticas de saúde são capazes de influenciar a qualidade de vida dos pacientes, refletindo-se sobre a necessidade de fomento às políticas públicas para essa população.

RESUMEN: Objetivo: evaluar el impacto de la lepra en la calidad de vida de pacientes con reacciones hansénicas. Método: estudio transversal y cualitativo realizado con 40 pacientes en enero de 2017 en el área de atención ambulatoria del hospital de Paraíba de referencia, por medio de un cuestionario que contenía datos sociodemográficos y clínico-epidemiológicos y de un instrumento para evaluar la calidad de vida: The World Health Organization Quality of Life. Resultados: se observó que las dimensiones sociales se destacaron (64,38) con una mejor puntuación para la calidad de vida, especialmente el elevado nivel de satisfacción (85%) de los individuos. El dominio físico presentó una puntuación más baja (51,07), con el 50% de reportes de cierta limitación para realizar actividades debido al dolor; pese a ello, en todas las dimensiones se obtuvieron puntuaciones superiores a los 50 puntos, lo que apunta a una buena calidad de vida. Conclusión: a fisiopatología de las reacciones, las condiciones de vida y las políticas de salud pueden influenciar la calidad de vida de los pacientes, lo que se refleja sobre la necesidad de fomentar las políticas públicas destinadas a esa población.

ABSTRACT Purpose: To evaluate the impact of leprosy on the quality of life of patients with leprosy reactions. Method: A cross-sectional and quantitative study of 40 patients in January 2017 at a referral outpatient clinic in Paraíba using a questionnaire containing sociodemographic and clinicalepidemiological data and an instrument for quality of life assessment, The World Health Organization Quality of Life. Results: It was observed that the dimension of social relations stood out (64.38) with a better score for quality of life, highlighting the high satisfaction (85%) of the individuals. The physical domain presented the lowest score (51.07), with 50% of reports of limitation to perform activities due to pain, but all dimensions scored above 50 points, leading to a good quality of life. Conclusion: The pathophysiology of reactions, living conditions and health policies can influence the quality of life of patients, reflecting on the need to foster public policies for this population.
Descritores: Qualidade de Vida
Atenção Secundária à Saúde
Hanseníase
-Doenças Negligenciadas
Inflamação
Limites: Humanos
Responsável: BR501.1 - Biblioteca de Ciências da Saúde / Sede Botânico


  3 / 1696 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1049747
Autor: Santos, Tercia Jovino Neves.
Título: Expressão de FOXP3 e resposta inflamatória em carcinomas de células renais de células claras / FOXP3 expression and inflammatory response in clear cell renal cell carcinomas.
Fonte: São Paulo; s.n; 2019. 56 p. ilust, tabelas.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundação Antônio Prudente para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Introdução: Nas últimas décadas, progressos significativos foram feitos no manejo do carcinoma de células renais no cenário de doença avançada ou metastática. O uso de imunoterápicos estão aumentando tendo em vista que as células inatas e adaptativas do sistema imune desempenham um papel importante na regulação do crescimento do câncer. Objetivos: Os autores avaliaram as expressões imuno-histoquímicas de FOXP3, CD4 e CD8 e seus impactos prognósticos na sobrevida global e as compararam com fatores clínicos e patológicos. Metodologia: As expressões imuno-histoquímicas de FOXP3, CD4 e CD8 foram analisadas em 103 casos de carcinomas renais de células claras dispostos em tissue microarray. Para análise de seu impacto na sobrevida e associação com variáveis clínicas, dados epidemiológicos e clínicos foram coletados. Resultados: Em uma análise univariada, a razão de linfócitos CD4+/CD8+ apresentou impacto na sobrevida câncer específica (SCE) (p=0,045). Conclusão: A relação de linfócitos CD4+/CD8+ esteve associada a piores taxas de SCE. Nenhuma das variáveis clínicas e anatomopatológicas estudadas mostrou relação significativa com linfócitos positivos para FOXP3, CD4 e CD8 (AU)

Introduction: Significant progress has been made in the management of renal cell carcinoma during the last decades in the advanced or metastatic scenario. The use of immunotherapy is increasing as innate and adaptive cells of the immune system play an important role in regulating cancer growth. Objectives: The authors evaluated the immunohistochemical expressions of FOXP3, CD4 and CD8 and their prognostic impacts on overall survival and compared them with clinical and pathological factors. Methodology: Epidemiological and clinical data were collected. Immunohistochemical expressions were analyzed in 103 cases arranged in tissue microarray. Results: In a univariate analysis, the CD4+/CD8+ lymphocyte ratio impacted cancer-specific survival (ECS) (p = 0.045). Conclusion: The ratio of CD4+/CD8+ lymphocytes was associated with worse ECS rates. None of the clinical and anatomopathological variables studied showed a significant relationship with FOXP3, CD4 and CD8 positive lymphocytes (AU)
Descritores: Carcinoma de Células Renais
Adenocarcinoma de Células Claras
Inflamação
Neoplasias Renais
Responsável: BR30.1 - Biblioteca


  4 / 1696 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Arruda, Ilma Kruze Grande de
Texto completo
Id: biblio-1040361
Autor: Paes-Silva, Rebecca Peixoto; Gadelha, Patrícia Calado Ferreira Pinheiro; Lemos, Maria da Conceição Chaves de; Castro, Célia Maria Machado Barbosa de; Arruda, Ilma Kruze Grande de; Diniz, Alcides da Silva.
Título: Adiposity, inflammation and fat-soluble vitamins in adolescents / Adiposidade, inflamação e vitaminas lipossolúveis em adolescentes
Fonte: J. pediatr. (Rio J.);95(5):575-583, Sept.-Oct. 2019. tab.
Idioma: en.
Projeto: Conselho Nacional de Pesquisa; . Ministry of Science and Technology.
Resumo: Abstract Objective: Evaluate the association between inflammatory process, adiposity, and vitamins A, D, and E in adolescents, according to gender. Methods: Cross-sectional study with adolescents aged 12-19 years old of both genders attending public schools in Recife. A questionnaire was used to collect data on socioeconomic level, lifestyle, and food intake of adolescents. Then, an anthropometric evaluation and a blood sampling were performed to analyze serum concentrations of α-1-acid glycoprotein, retinol, β-carotene, α-tocopherol, and 25-hydroxy-vitamin D. Results: The levels of α-1-acid glycoprotein were higher for abdominal obesity in both genders. Male adolescents with insufficient serum α-tocopherol levels had low levels of α-1-acid glycoprotein (p = 0.03) and an increased risk of 25-hydroxy-vitamin D and β-carotene deficiency in relation to total and abdominal fat; female adolescents had an increased risk of insufficient β-carotene with abdominal obesity (PR: 1.33; 95% CI: 1.2-1.5). Conclusion: Abdominal adiposity implies a higher risk of inflammation and causes different changes to the levels of fat-soluble vitamins according to gender.

Resumo: Objetivo: Avaliar a associação entre processo inflamatório, adiposidade e as vitaminas A, D e E em adolescentes, segundo o sexo. Métodos: Estudo transversal com adolescentes de 12 a 19 anos de ambos os sexos de escolas públicas de Recife. Foi utilizado um questionário para coleta de dados socioeconômicos, de estilo de vida e de consumo alimentar dos adolescentes. Em seguida, realizou-se a avalição antropométrica e coleta de sangue para análise das concentrações séricas de α-1-glicoproteína ácida, retinol, β-caroteno, α-tocoferol e 25-hidroxivitamina D. Resultados: Os níveis de α-1-glicoproteína ácida foram maiores na obesidade abdominal de ambos os sexos. Os meninos com níveis séricos insuficientes de α-tocoferol expressaram níveis reduzidos de α-1-glicoproteína ácida (p = 0,03) e apresentaram um maior risco de deficiência de 25-hidroxivitamina D e β-caroteno na adiposidade total e abdominal, enquanto as meninas mostraram maior risco de insuficiência de β-caroteno com a obesidade abdominal (RP 1,33; IC 95% 1,2-1,5). Conclusão: A adiposidade abdominal reflete maior risco de inflamação e causa alterações distintas nas concentrações das vitaminas lipossolúveis, de acordo com o sexo.
Descritores: Vitaminas/metabolismo
Adiposidade/fisiologia
Inflamação/metabolismo
Obesidade/metabolismo
-Valores de Referência
Vitamina D/análogos & derivados
Orosomucoide/análise
Carotenoides/sangue
Antropometria
Estado Nutricional
Estudos Transversais
Inflamação/etiologia
Inflamação/fisiopatologia
Obesidade/complicações
Obesidade/fisiopatologia
Limites: Humanos
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 1696 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Vieira, Silvia Regina Rios
Texto completo
Id: biblio-844289
Autor: Loss, Sergio Henrique; Nunes, Diego Silva Leite; Franzosi, Oellen Stuani; Salazar, Gabriela Soranço; Teixeira, Cassiano; Vieira, Silvia Regina Rios.
Título: Doença crítica crônica: estamos salvando ou criando vítimas? / Chronic critical illness: are we saving patients or creating victims?
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;29(1):87-95, jan.-mar. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Os avanços tecnológicos que permitem dar suporte às disfunções de órgãos levaram a um aumento nas taxas de sobrevivência para a maioria dos pacientes críticos. Alguns destes pacientes sobrevivem à condição crítica inicial, porém continuam a sofrer com disfunções de órgãos e permanecem em estado inflamatório por longos períodos. Este grupo de pacientes críticos foi descrito desde os anos 1980 e teve diferentes critérios diagnósticos ao longo dos anos. Sabe-se que estes pacientes têm longas permanências no hospital, sofrem importantes alterações do metabolismo muscular e ósseo, apresentam imunodeficiência, consomem quantias substanciais de recursos de saúde, têm reduzida capacidade funcional e cognitiva após a alta, demandam uma considerável carga de trabalho para seus cuidadores, e apresentam elevadas taxas de mortalidade em longo prazo. O objetivo desta revisão foi apresentar as evidências atuais, em termos de definição, fisiopatologia, manifestações clínicas, tratamento e prognóstico da doença crítica persistente.

ABSTRACT The technological advancements that allow support for organ dysfunction have led to an increase in survival rates for the most critically ill patients. Some of these patients survive the initial acute critical condition but continue to suffer from organ dysfunction and remain in an inflammatory state for long periods of time. This group of critically ill patients has been described since the 1980s and has had different diagnostic criteria over the years. These patients are known to have lengthy hospital stays, undergo significant alterations in muscle and bone metabolism, show immunodeficiency, consume substantial health resources, have reduced functional and cognitive capacity after discharge, create a sizable workload for caregivers, and present high long-term mortality rates. The aim of this review is to report on the most current evidence in terms of the definition, pathophysiology, clinical manifestations, treatment, and prognosis of persistent critical illness.
Descritores: Doença Crônica/epidemiologia
Estado Terminal/epidemiologia
Inflamação/epidemiologia
-Alta do Paciente
Prognóstico
Doença Crônica/mortalidade
Taxa de Sobrevida
Estado Terminal/mortalidade
Cuidadores
Inflamação/fisiopatologia
Inflamação/mortalidade
Tempo de Internação
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 1696 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-899569
Autor: Righy, Cássia; Turon, Ricardo; Freitas, Gabriel de; Japiassú, André Miguel; Faria Neto, Hugo Caire de Castro; Bozza, Marcelo; Oliveira, Marcus F; Bozza, Fernando A.
Título: Subprodutos do metabolismo da hemoglobina se associam com resposta inflamatória em pacientes com acidente vascular cerebral hemorrágico / Hemoglobin metabolism by-products are associated with an inflammatory response in patients with hemorrhagic stroke
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;30(1):21-27, jan.-mar. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: Avaliar o relacionamento entre os níveis cerebrais de ferro e heme e a resposta inflamatória sistêmica e no sistema nervoso central, assim como o papel dos sistemas de defesa contra a toxicidade do ferro e do heme, no sistema nervoso central. Métodos: Avaliamos uma coorte prospectiva de pacientes com quadro de hemorragia intracraniana e subaracnóidea. Realizamos ensaios em amostras de plasma e líquido cefalorraquidiano quanto à presença de ferro, heme, hemopexina, haptoglobina, enolase, S100-β e citocinas nos primeiros 3 dias após um acidente vascular cerebral hemorrágico. Analisamos também as alterações dinâmicas em todos os componentes de ambos os líquidos e seu relacionamento com as taxas de mortalidade precoce. Resultados: As concentrações de hemopexina e haptoglobina foram quase desprezíveis no cérebro após hemorragia intracraniana e subaracnóidea. As concentrações de ferro e heme no líquido cefalorraquidiano se correlacionaram com resposta pró-inflamatória no sistema nervoso central, e os perfis inflamatórios no líquido cefalorraquidiano no terceiro dia após acidente vascular cerebral hemorrágico se correlacionaram com as taxas de mortalidade precoce. Identificamos que os níveis de interleucina 4 no líquido cefalorraquidiano durante as primeiras 24 horas após acidente vascular cerebral hemorrágico foram mais altos nos sobreviventes do que nos que não sobreviveram. Conclusão: Os níveis de ferro e heme se associaram com resposta pró-inflamatória no sistema nervoso central após acidente vascular cerebral hemorrágico, e o cérebro humano não tem proteção contra hemoglobina e heme. Os perfis inflamatórios dos pacientes se associaram com prognósticos piores, e as respostas inflamatórias locais pareceram ter um papel protetor.

ABSTRACT Objective: To evaluate the relationships of brain iron and heme with the inflammatory response of the systemic and central nervous systems and to investigate the role of defensive systems against the toxicity of iron and heme in the central nervous system. Methods: We assessed a prospective cohort of patients presenting with intracerebral and subarachnoid hemorrhage. We assayed plasma and cerebrospinal fluid samples for the presence of iron, heme, hemopexin, haptoglobin, enolase, S100-β and cytokines for the first three days following hemorrhagic stroke. We also analyzed the dynamic changes in these components within both fluids and their relationship with early mortality rates. Results: Hemopexin and haptoglobin concentrations were nearly negligible in the brain after intracerebral and subarachnoid hemorrhage. Cerebrospinal fluid iron and heme concentrations correlated with a pro-inflammatory response in the central nervous system, and plasmatic and cerebrospinal fluid inflammatory profiles on the third day after hemorrhagic stroke were related to early mortality rates. Interleukin 4 levels within the cerebrospinal fluid during the first 24 hours after hemorrhagic stroke were found to be higher in survivors than in non-survivors. Conclusion: Iron and heme are associated with a pro-inflammatory response in the central nervous system following hemorrhagic stroke, and protections against hemoglobin and heme are lacking within the human brain. Patient inflammatory profiles were associated with a poorer prognosis, and local anti-inflammatory responses appeared to have a protective role.
Descritores: Hemorragia Subaracnóidea/fisiopatologia
Hemoglobinas/metabolismo
Hemorragia Cerebral/fisiopatologia
Acidente Vascular Cerebral/fisiopatologia
-Encéfalo/fisiopatologia
Hemopexina/metabolismo
Estudos Prospectivos
Estudos de Coortes
Heme/metabolismo
Inflamação/fisiopatologia
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 1696 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Canziani, Maria Eugênia F
Texto completo
Id: lil-777507
Autor: Antunes, Sandra Azevedo; Canziani, Maria Eugenia F; Campos, Arnon Farias; Vilela, Rosana Quintela Brandão.
Título: A hipoalbuminemia parece estar associada a uma maior taxa de hospitalização nos pacientes em hemodiálise / Hypoalbuminemia seems to be associated with a higher rate of hospitalization in hemodialysis patients
Fonte: J. bras. nefrol;38(1):70-75, jan.-mar. 2016. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Introdução: Anemia, inflamação e hipoalbuminemia são complicações frequentemente observadas em pacientes submetidos à hemodiálise crônica. Existem poucos dados nacionais que avaliam a associação dessas condições à morbidade e mortalidade especialmente considerando a região nordeste do país onde a ocorrência de anemia e desnutrição é elevada. Objetivo: O objetivo desse estudo foi avaliar o impacto da presença da anemia, inflamação e hipoalbuminemia sobre os desfechos clínicos (óbito e hospitalização) de pacientes sob hemodiálise. Método: Trata-se de um estudo de coorte prospectivo observacional com pacientes pre avaliados 221 pacientes adultos, considerando-se os valores de hemoglobina, proteína C reativa (PCR), albumina sérica no início do estudo. A ocorrência de hospitalização e óbito foi computada em um seguimento aproximado de 13 meses. Resultados: A ocorrência de hospitalização e óbito não diferiu entre os grupos com e sem anemia (Hb ≤ 10g/dL) ou inflamação (PCR ≥ 0,5mg/dL). Houve um maior número de hospitalização entre os pacientes com hipoalbuminemia. A albumina não apresentou correlação com os níveis séricos de PCR. Observou-se um menor tempo livre de hospitalização entre os pacientes com hipoalbuminemia (p = 0,008), houve uma tendência de menor tempo livre de hospitalização entre os pacientes com PCR aumentado (p = 0,08), e a anemia não se relacionou com o tempo livre de hospitalização. Não houve diferença na sobrevida em relação à presença de anemia, inflamação e hipoalbuminemia. A análise de regressão de Cox apontou a hipoalbuminemia como fator independente relacionado à hospitalização, mesmo após ajustes para idade, presença de diabetes, PCR e hemoglobina. Conclusão: A hipoalbuminemia, e não anemia ou inflamação, mostrou-se um marcador independente de hospitalização em pacientes submetidos à hemodiálise.

Abstract Introduction: Anemia, inflammation and hypoalbuminemia are frequent disorders among patients underwent hemodialysis. There are few national data, particularly from Northeast region where anemia and malnourished were common findings, analyzing the association between these conditions and clinical outcomes. Objective: The aim of this study was to evaluate the impact of the presence of anemia, inflammation and hypoalbuminemia on clinical outcomes (death and hospitalization) of hemodialysis patients. Methods: In this prospective observational study 221 adult patients were evaluated, considering the presence of anemia (hemoglobin ≤ 10 g/dL), inflammation (C-reactive protein (CRP) ≥ 0,5 mg/dL) and hypoalbuminemia (albumin < 3,8 g/ dL) at baseline. Clinical outcomes were recorded over 13 months. Results: The occurrence of hospitalization and death did not differ between the groups with and without anemia or inflammation. Patients with hypoalbuminemia had more hospitalizations, and the presence of hypoalbuminemia was associated with shorter hospitalization event-free time (p = 0.008). There was a trend of shorter hospitalization event-free time among patients with increased PCR (p = 0.08). There was no correlation between albumin and CRP levels. The presence of anemia, inflammation and hypoalbuminemia were not associated with lower survival. Adjusting for confounders, hypoalbuminemia was a predictor of hospitalization in hemodialyzed patients. Conclusion: The presence of hypoalbuminemia, but not anemia or inflammation, was able to predict hospitalization in hemodialysis patients.
Descritores: Diálise Renal
Hipoalbuminemia/epidemiologia
Hospitalização/estatística & dados numéricos
-Proteína C-Reativa/análise
Hemoglobinas/análise
Albumina Sérica/análise
Estudos Prospectivos
Inflamação/epidemiologia
Anemia/epidemiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 1696 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-777495
Autor: Navarro, Maria Eugênia Lopes; Santos, Klinsmann Carolo dos; Nascimento, André Ferreira do; Francisqueti, Fabiane Valentini; Minatel, Igor Otávio; Pierine, Damiana Tortolero; Luvizotto, Renata Azevedo de Melo; Ferreira, Ana Lúcia A; Campos, Dijon Henrique Salomé de; Corrêa, Camila Renata.
Título: Inflamação renal, alterações metabólicas e oxidativas após 6 semanas de dieta de cafeteria em ratos / Renal inflammatory and oxidative and metabolic changes after 6 weeks of cafeteria diet in rats
Fonte: J. bras. nefrol;38(1):9-14, jan.-mar. 2016. tab, graf.
Idioma: pt.
Projeto: FAPESP.
Resumo: Resumo Introdução: A obesidade é uma doença em que a inflamação está inteiramente envolvida e pode causar insuficiência renal. Objetivo: Avaliar a influência da exposição a curto prazo de uma dieta de cafeteria sobre a inflamação no tecido renal e a formação de produtos de glicação avançada (AGEs) no plasma de rato. Métodos: Ratos Wistar machos (10 semanas de idade, pesando 350 g) foram designados para receber dieta de ração comercial (C; n = 8 animais/grupo, 5% de energia a partir de gordura) ou dieta de cafeteria (CAF-D, n = 8 animais/grupo: 29% de energia de gordura) e de sacarose em água (300 g/L) de beber durante 6 semanas. Resultados: Índice de adiposidade em seis semanas foi maior no grupo CAF-D em comparação com C. O mesmo comportamento foi observado para os níveis plasmáticos de glicose, triglicerídeos, leptina, insulina e AGEs. A expressão do gene de IL-6 e TNF-α em tecido renal foi maior no grupo D-CAF e nenhuma diferença significativa no tecido adiposo. Não houve aumento destas citocinas no plasma ou rim. Houve uma diminuição significativa de adiponectina no grupo CAF-D. Conclusão: A exposição a curto prazo da CAF-D reflete alterações no metabolismo, aumento dos níveis plasmáticos de AGEs, o que pode refletir o aumento expressão de citocinas inflamatórias no rim.

Abstract Introduction: Obesity is a disease in which inflammation is directly involved and can lead to impaired renal function. Objective: To evaluate the influence of short term exposure to cafeteria diet on kidney tissue inflammation and advanced glycation end products (AGEs) in the rat plasma. Methods: Male Wistar rats (10 weeks of age, weighing 350 g) were assigned to receive commercial chow diet (C; n = 8 animals/group, 5% of energy from fat) or cafeteria diet (CAF-D, n = 8 animals/group: 29% energy fat) and sucrose in drinking water (300 g/L) for 6 weeks. Results: adiposity index at six weeks was higher in CAF-D group compared to C. The same behavior was observed for plasma levels of glucose, triglycerides, leptin, insulin and AGEs. The gene expression of IL-6 and TNF-α in renal tissue was higher in CAF-D group and no significant difference in adipose tissue. There was no increase of these cytokines in plasma and kidney or histologically. There was a significant decrease of adiponectin in the CAF-D group. Conclusion: The short exposure CAF-D reflects changes in metabolism, increased plasma levels of AGEs, which may reflect the increased expression of inflammatory cytokines in the kidney.
Descritores: Produtos Finais de Glicação Avançada/sangue
Dieta/efeitos adversos
Rim/fisiopatologia
-Citocinas/metabolismo
Ratos Wistar
Adiposidade
Inflamação/metabolismo
Rim/metabolismo
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 1696 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1096999
Autor: Puerta-Suárez, Jenniffer(edt); Cardona-Maya, Walter D(edt).
Título: La próstata desde una perspectiva inmunológica / The prostate from an immunological perspective
Fonte: Med. lab;24(1):13-35, 2020.
Idioma: es.
Resumo: Los procesos inflamatorios e infecciosos que se desencadenan en la próstata, primordial glándula reproductiva masculina, originan las tres principales enfermedades de este órgano: prostatitis, hiperplasia prostática benigna y cáncer. Para entender la relación que existe entre estas tres patologías y los procesos de infección e inflamación, se realizó una revisión de la literatura científica, a conveniencia, en la base de datos PubMed, empleando los términos próstata, prostatitis, hiperplasia prostática benigna y cáncer de próstata. La literatura revisada resalta la importancia del adecuado funcionamiento del sistema inmune en el tejido prostático para eliminar los microorganismos causantes de infecciones, proceso a través del cual se desencadena la inflamación del tejido. Además, infecciones urinarias ascendentes, que culminan en prostatitis crónica, favorecen el desarrollo de la hiperplasia prostática benigna, agrandamiento y fibrosis de la próstata en hombres adultos, e incluso su progresión a cáncer en individuos genéticamente susceptibles. Por otro lado, las limitaciones en el diagnóstico de las alteraciones prostáticas promueven la inflamación crónica, y el uso indiscriminado de antibióticos de amplio espectro para el tratamiento de la prostatitis, impulsa la diseminación sexual de microorganismos multirresistentes al tratamiento. Las alteraciones prostáticas, en especial la prostatitis, continúan siendo patologías enigmáticas de difícil diagnóstico y tratamiento. El estudio de la próstata, sus alteraciones y su relación con el sistema inmune contribuirán a limitar el uso indiscriminado de antibióticos y a reducir los costos en salud y los efectos sobre la calidad de vida de los individuos afectados

Inflammatory and infectious processes triggered in the prostate, the primary male reproductive gland, originate the three main diseases of this organ: prostatitis, benign prostatic hyperplasia and cancer. To understand the relationship between these three pathologies and inflammatory and infectious processes, a review of the scientific literature was carried out in PubMed database using the terms prostate, prostatitis, benign prostatic hyperplasia and prostate cancer. The revised articles highlight the importance of properly immune system functioning in the prostate tissue to remove the microorganisms that cause infections, a process which also triggers tissue inflammation. In addition, ascending urinary infections, which culminate in chronic prostatitis, favor the development of benign prostatic hyperplasia, enlargement and fibrosis of the prostate in adult men, and even its progression to cancer in genetically susceptible individuals. Furthermore, limitations in the diagnosis of prostatic disorders promote chronic inflammation, and the indiscriminate use of broad spectrum antibiotics for prostatitis treatment leads to sexual dissemination of multidrug-resistant microorganisms. Prostatic disorders, especially prostatitis, continue to be enigmatic pathologies of difficult diagnosis and treatment. The study of the prostate, its disorders and its relationship with the immune system will contribute to limit the indiscriminate use of antibiotics and to reduce health costs and the effects on the quality of life of affected individuals
Descritores: Próstata
-Hiperplasia Prostática
Neoplasias da Próstata
Prostatite
Infecções
Inflamação
Limites: Humanos
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CO373.9 - EDIMECO - Editora Médica Colombiana S.A.


  10 / 1696 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-781796
Autor: Acosta García, Edgar; Carías, Diamela; Páez Valery, María; Naddaf, Gloria; Dominguez, Zury.
Título: Marcadores de inflamación en adolescentespúberes / Inflammatory markers in pubertal adolescents Marcadores inflamatórios em adolescentes púberes
Fonte: Acta bioquím. clín. latinoam;49(2):201-207, jun. 2015. tab.
Idioma: es.
Resumo: La obesidad coexiste con un estado inflamatorio crónico de baja intensidad. En el tejido adiposo (TA), los factores inflamatorios son producidos por los adipocitos y por las células inflamatorias asociadas al TA, como los macrófagos. El objetivo fue evaluar las concentraciones séricas (Cs) de los marcadores de inflamación interleuquina 6 (IL-6), factor de necrosis tumoral alfa (TNF-a) y PCR, y sus diferencias según el estado nutricional antropométrico y la presencia o no de resistencia a la insulina (RI) en adolescentes púberes de Valencia, Venezuela.El estudio fue descriptivo, correlacional, de campo y transversal. Participaron 80 adolescentes entre 12 y 15 años (50% masculinos). Se evaluó el estado nutricional, la circunferencia de cintura (CC) y el estadío de maduración sexual.Se determinaron las Cs de glucosa e insulina y se calculó el índice HOMA-IR.Se midieron los niveles séricos (Ns) de PCRus, TNF-α e IL-6. Las asociaciones entre variables se evaluaron utilizando los tests de correlación de Pearson y Spearman, las comparaciones de medias con las pruebas t de Student, U de Mann-Whitney, ANOVA y Kruska l-Wallis. El índice de masa corporal (IMC), las Cs de glucosa, insulina, PCRus, TNF-α, IL-6 y el índice HOMA-IR no mostraron diferencias por sexo. Las Cs de PCRus correlacionaron sólo con IMC y CC(p<0,05) y las de IL-6 lo hicieron con la insulina y el índice HOMA-IR (p<0,05),mientras que el TNF-α no correlacionó con las variables e indicadores antropométricos ni con los indicadores de RI...
Descritores: Adolescente
Insulina
Obesidade
Resistência à Insulina
-Fator de Necrose Tumoral alfa
Inflamação
Proteína C
Tecido Adiposo
Limites: Humanos
Responsável: AR144.1 - CIBCHACO - Centro de Información Biomedica del Chaco



página 1 de 170 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde