Base de dados : LILACS
Pesquisa : C23.550.823 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 172 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 18 ir para página                         

  1 / 172 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-670739
Autor: Onyike, Chiadi U; Pletnikova, Olga; Sloane, Kelly L; Sullivan, Campbell; Troncoso, Juan C; Rabins, Peter V.
Título: Hippocampal sclerosis dementia: an amnesic variant of frontotemporal degeneration / Demência com esclerose hipocampal: variante amnéstica da degeneração frontotemporal
Fonte: Dement. neuropsychol;7(1), jan.-mar. 2013.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: To describe characteristics of hippocampal sclerosis dementia. METHODS: Convenience sample of Hippocampal sclerosis dementia (HSD) recruited from the Johns Hopkins University Brain Resource Center. Twenty-four cases with post-mortem pathological diagnosis of hippocampal sclerosis dementia were reviewed for clinical characterization. RESULTS: The cases showed atrophy and neuronal loss localized to the hippocampus, amygdala and entorrhinal cortex. The majority (79.2%) had amnesia at illness onset, and many (54.2%) showed abnormal conduct and psychiatric disorder. Nearly 42% presented with an amnesic state, and 37.5% presented with amnesia plus abnormal conduct and psychiatric disorder. All eventually developed a behavioral or psychiatric disorder. Disorientation, executive dysfunction, aphasia, agnosia and apraxia were uncommon at onset. Alzheimer disease (AD) was the initial clinical diagnosis in 89% and the final clinical diagnosis in 75%. Diagnosis of frontotemporal dementia (FTD) was uncommon (seen in 8%). CONCLUSION: HSD shows pathological characteristics of FTD and clinical features that mimic AD and overlap with FTD. The findings, placed in the context of earlier work, support the proposition that HSD belongs to the FTD family, where it may be identified as an amnesic variant.

OBJETIVO: descrever as características da demência com esclerose hipocampal. MÉTODOS: Uma amostra de conveniência de HSD foi recrutada no Johns Hopkins University Brain Resource Center. Vinte e quatro casos com diagnóstico patológico pós-morte de demência com esclerose hipocampal foram revisados para caracterização clínica, utilizando variáveis obtidas de prontuários médicos. OBJETIVO: descrever as características da demência com esclerose hipocampal.MÉTODOS: Uma amostra de conveniência de HSD foi recrutada no Johns Hopkins University Brain Resource Center. Vinte e quatro casos com diagnóstico patológico pós-morte de demência com esclerose hipocampal foram revisados para caracterização clínica, utilizando variáveis obtidas de prontuários médicos. RESULTADOS: A maioria dos pacientes (79,2%) tinha amnésia no início, e a maioria (54,2%) apresentava comportamento anormal e transtorno psiquiátrico. Aproximadamente 42% apresentavam um estado amnésico e 37,5% amnésia mais conduta anormal e transtorno psiquiátrico. Todos acabaram por desenvolver um distúrbio comportamental ou psiquiátrico. Desorientação, disfunção executiva, afasia, agnosia e apraxia foram incomuns no início. A doença de Alzheimer (AD) foi o diagnóstico clínico inicial em 89% e o diagnóstico clínico final em 75%. A maior parte dos casos mostrou atrofia e perda neuronal localizada no hipocampo, amígadale cortex entorrinal. CONCLUSÃO: HSD apresenta características patológicas de DFT e as características clínicas que mimetizam AD. Os resultados, colocadas no contexto do trabalho anterior, suporta a ideia de que HSD pertence à família FTD, em que pode ser identificada como uma variante amnésica. RESULTADOS: A maioria dos pacientes (79,2%) tinha amnésia no início, e a maioria (54,2%) apresentava comportamento anormal e transtorno psiquiátrico. Aproximadamente 42% apresentavam um estado amnésico e 37,5% amnésia mais conduta anormal e transtorno psiquiátrico. Todos acabaram por desenvolver um distúrbio comportamental ou psiquiátrico. Desorientação, disfunção executiva, afasia, agnosia e apraxia foram incomuns no início. A doença de Alzheimer (AD) foi o diagnóstico clínico inicial em 89% e o diagnóstico clínico final em 75%. A maior parte dos casos mostrou atrofia e perda neuronal localizada no hipocampo, amígadale cortex entorrinal. CONCLUSÃO: HSD apresenta características patológicas de DFT e as características clínicas que mimetizam AD. Os resultados, colocadas no contexto do trabalho anterior, suporta a ideia de que HSD pertence à família FTD, em que pode ser identificada como uma variante amnésica.
Descritores: Esclerose
Demência Frontotemporal
Neuropsiquiatria
Testes de Estado Mental e Demência
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  2 / 172 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-994618
Autor: Garcia, Caio Pundek; Rendon, Natalia Biancha; Mattiello, Carlo Mognon; Gerber, Flávia Cristina De Novaes; Bins-Ely, Jorge.
Título: Ressecção cirúrgica de calcinose sintomática em paciente com esclerose sistêmica / Surgical resection of symptomatic calcinosis in a patient with systemic sclerosis
Fonte: Rev. bras. cir. plást;34(1):134-137, jan.-mar. 2019. ilus.
Idioma: en; pt.
Resumo: Introdução: A esclerose sistêmica é uma doença rara, autoimune, com evolução progressiva, que afeta os tecidos conectivos e órgãos internos por inflamação, podendo causar calcinose de subcutâneo. Podem evoluir para quadros dolorosos e incapacitantes, podendo tornar-se infectados, principalmente quando ulceram pela pele. Objetivo: Apresentar caso de calcinose em região inguinal e sua evolução cirúrgica. Relato de Caso: Paciente feminina portadora de calcinoses em região inguinal bilateral, apresentando algia moderada/grave com falha de tratamento clínico. Realizada ressecção cirúrgica das calcinoses, que formavam cordões de fibrose com aderência na fáscia do músculo oblíquo externo. Realizado fechamento primário com nylon 2.0 pontos simples subdérmicos e ponto intradérmico continuo nylon 3.0 para fechamento estético e menor reação inflamatória. Boa evolução pós- operatório. Conclusão: O melhor tratamento da calcinoses ainda não é claro. O tratamento das complicações se torna essencial para reduzir a morbidade e aumentar a qualidade de vida do paciente.

Introduction: Systemic sclerosis is a rare, autoimmune, progressive disease that affects connective tissues and internal organs by inflammation, which can cause calcinosis cutis. It can progress to painful and disabling conditions, and can become infected, especially when skin ulceration is present. Objective: To present a case of calcinosis in the inguinal region and its surgical recovery. Case Report: A female patient with calcinosis in the bilateral inguinal region presenting with moderate/severe pain had a failed clinical treatment. We performed surgical resection of the calcinosis cutis, which had formed clusters of fibrosis with adhesion to the fascia of the external oblique muscle. We used simple nylon 2.0 sutures along the subdermal plane to perform primary closure and continuous nylon 3.0 sutures along the intradermal plane for aesthetic closure and minimal inflammatory reaction. Her postoperative recovery was positive. Conclusion: The best treatment for calcinosis cutis is still unclear. Treating complications becomes essential for reducing patients' morbidity and increasing their quality of life.
Descritores: Reumatologia/métodos
Esclerose/cirurgia
Esclerose/complicações
Doenças Autoimunes/diagnóstico
Procedimentos Cirúrgicos Operatórios/métodos
Calcinose/diagnóstico
Calcinose/patologia
Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos/métodos
/métodos
FUCOSYLTRANSFERASESABDOMINAL NEOPLASMS/métodos
Inflamação/patologia
Limites: Seres Humanos
Feminino
Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR32.1 - Serviço de Biblioteca e Informação Biomédica


  3 / 172 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Valenca, Marcelo Moraes
Texto completo
Id: lil-434911
Autor: Andrade-Valença, Luciana P. A; Valença, Marcelo Moraes; Velasco, Tonicarlo Rodrigues; Leite, João Pereira.
Título: Epilepsia do lobo temporal mesial associada à esclerose hipocampal / Mesial temporal lobe epilepsy with hippocampal sclerosis
Fonte: J. epilepsy clin. neurophysiol;12(1):31-36, Mar. 2006.
Idioma: en; pt.
Resumo: INTRODUÇÃO: A importância clínica da epilepsia do lobo temporal mesial (ELTM) decorre de sua alta prevalência e elevada proporção de pacientes com crises epilépticas refratárias ao tratamento medicamentos; sendo a esclerose mesial a etiologia encontrada em 50-70 por cento dos pacientes com ELTM refratária ao tratamento clínico. OBJETIVO: Revisão, atualização e discussão dos aspectos clínicos, de histologia e fisiopatogenia da ELTM associada à esclerose hipocampal. RESULTADOS: Apesar da relação entre esclerose hippocampal e ELTM já estar bem estabelecida na literatura, o mecanismo exato pelo qual a esclerose hipocampal participa da gênese das crises epilépticas ainda não foi completamente desvendado. CONCLUSÕES: Estudos retrospectivos de centros de cirurgia de epilepsia enfatizam a associação entre esclerose hipocampal e história de injúria precipitante inicial, tais como crises epilépticas, ocorrendo em fase precoce do desenvolvimento cerebral. Apenas recentemente fatores genéticos foram implicados na gênese da esclerose hipocampal.
Descritores: Esclerose/etiologia
Epilepsia do Lobo Temporal/patologia
-Epilepsia Resistente a Medicamentos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 172 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Yacubian, Elza Márcia Targas
Cavalheiro, Esper Abräo
Texto completo
Id: lil-450948
Autor: Silva, Alexandre Valotta da; Silva, André César da; Carrete Júnior, Henrique; Yacubian, Elza Márcia Targas; Priel, Margareth Rose; Silva, Julieta Gonçalves; Centeno, Ricardo da Silva; Cavalheiro, Esper Abrão.
Título: Fatores determinantes da viabilidade neuronal em fatias hipocampais de pacientes com epilepsia do lobo temporal mesial / Determining factors of the neuronal viability in hippocampal slices from patients with mesial temporal lobe epilepsy
Fonte: J. epilepsy clin. neurophysiol;12(3):139-141, Sept. 2006.
Idioma: pt.
Descritores: Eletrofisiologia/métodos
Epilepsia do Lobo Temporal/cirurgia
Hipocampo/patologia
-Esclerose
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 172 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Yacubian, Elza Márcia Targas
Cavalheiro, Esper Abräo
Texto completo
Id: lil-451667
Autor: Silva, André César da; Yacubian, Elza Márcia Targas; Sakamoto, Américo Ceiki; Centeno, Ricardo da Silva; Ueda, Érika Sayuri; Antônio, Leandro Leite; Faria, Leonardo Coutinho; Priel, Margareth Rose; Cavalheiro, Esper Abrão.
Título: Avaliação eletrofisiológica in vitro de drogas antiepilépticas em fatias hipocampais humanas provenientes de pacientes portadores de epilepsia do lobo temporal refratária ao tratamento medicamentoso / In vitro electrophysiological assessment of antiepileptic drugs in human hippocampal slices originating from patients with refractory temporal lobe epilepsy
Fonte: J. epilepsy clin. neurophysiol;12(2):73-74, June 2006.
Idioma: pt.
Resumo: The absence of a satisfactory response to antiepileptic drug (AED) therapy, is an unresolved problem in a significant number of epileptic patients. Mechanisms of intractability are not well understood but may include a combination of poor penetration of AED across a functionally altered blood-brain barrier owing to increased expression of multiple drug resistance transporters. Therefore, the aim of this work was to assess the in vitro efficacy of antiepileptic drugs through human hippocampal slices originating from patients with refractory temporal lobe epilepsy submitted to corticoamygdalohippocampectomy. Slices was prepared from a 1 cm3 block of the hippocampus body 30 min after resection. Briefly, hippocampal slices of 400 µM thickness was cut coronally. Extracellular field potentials was recorded from the st. Granulosum of the dentate gyrus. The antiepileptic drugs added in the bath were Carbamazepine, Topiramate and Phenytoin. The phenytoin was effective reducing the hyperexcitability (polispikes) in 60% of the experiments (n = 5). On the other hand, the carbamazepine promoted a decrease in evoked epileptiform activity in 37,5% of the cases (n = 8). The application of topiramate in the bath reduced in 30% the number of polispikes (n = 10). Our results showed that the phenytoin application resulted in a significant reduction in neuronal excitability, however, the carbamazepine and topiramate were not able to control of the hiperexcitability, suggesting that local neuronal alterations, as well changes in blood brain barrier, could be responsible for such behaviors.
Descritores: Esclerose
Eletrofisiologia/métodos
Epilepsia do Lobo Temporal/patologia
Anticonvulsivantes/farmacocinética
-Técnicas In Vitro
Resistência a Medicamentos
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 172 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Yacubian, Elza Márcia Targas
Texto completo
Id: lil-451858
Autor: Mantoan, Marcele Araujo Silva; Silva, Tatiana Indelicato da; Alonso, Neide Barreira; Noffs, Maria Helena da Silva; Marques, Carolina Mattos; Rios, Leslie Bellido; Azevedo, Auro Mauro; Westphal-Guitti, Ana Carolina; Sakamoto, Américo Ceiki; Yacubian, Elza Márcia Targas.
Título: Neuropsychological assessment and quality of life in patients with refractory temporal lobe epilepsy related to hippocampal sclerosis
Fonte: J. epilepsy clin. neurophysiol;12(4):201-206, Dec. 2006. tab.
Idioma: en.
Resumo: INTRODUCTION: Epilepsy is a disorder that results in abnormal activity in a group of neurons that may have significant impact on the normal cognitive processes and behavior. Temporal lobe epilepsy (TLE) is the most frequent form of partial epilepsy in adults, and hippocampal sclerosis (HS) the most common neuropathologic finding in patients with medically refractory TLE. Patients with TLE often present cognitive difficulties that may be determined by the effects of epileptic discharges and side of the lesion. And its consequence is that patients have poor effects on quality of life (QOL). PURPOSE: We report the relationship between neuropsychological assessment and QOL under the hypotheses that patients with worst results in neuropsychological assessment have poorer QOL assessed by the QOLIE-31. RESULTS: Regarding seizure frequency, 23 (46 percent) had had 1-5, 20 (40 percent) 6-10 and 7 (14 percent) more than 10 seizures/month. In relation to seizure types, 5 (10 percent) had had auras, 37 (74 percent) complex partial seizures and 8 (16 percent) partial evolving to generalized tonic-clonic seizures (GTCS). Neuropsychological evaluation had a positive correlation with QOLIE-31 domains. QOL evaluations had the worst scores in QOLIE-31 were in Cognitive Function (45.0) and Social Function (46.0). The best was Overall QOL (62.0). CONCLUSION: People with epilepsy have great impact on their QOL not only because of daily seizures but because of the impact seizures cause in their cognitive functions. TLE is an example of how refractory epilepsy can exterminate any possibilities of work, study and live in a society that discriminates someone with epilepsy who also presents cognitive decline.

INTRODUÇÃO: Epilepsia é um distúrbio decorrente de atividade anormal de um grupo de neurônios, causando grande impacto no processo cognitivo e comportamental do indivíduo. A epilepsia do lobo temporal (ELT) é o tipo de epilepsia parcial mais comum e a esclerose hipocampal (EH) o substrato neuropatológico mais freqüentemente encontrado em pacientes com epilepsia refratária. Pessoas com ELT apresentam declínio cognitivo que pode ser determinado pela localização das descargas e da lesão. E, além disso, também apresentam limitação na qualidade de vida (QV) pelas crises diárias. OBJETIVO: Avaliar a relação entre a avaliação neuropsicológica e QV com a hipótese de que pacientes com piores resultados na primeira têm pior QV determinada pelo QOLIE-31. RESULTADOS: Quanto à freqüência de crises, 23 pacientes (46 por cento) tiveram até 5 crises, 20 (40 por cento) de 6 a 10 e 7 (14 por cento) mais de 10 por mês. Quanto ao tipo de crises, 5 (10 por cento) apresentaram apenas auras, 37 (74 por cento) crises parciais complexas e 8 (16 por cento) crises parciais complexas com generalização secundária. Os resultados da avaliação neuropsicológica tiveram correlação positiva com os domínios do QOLIE-31. Nos domínios Aspectos Sociais com testes de função executiva, Preocupação com as Crises e Qualidade de Vida Global com testes de memória verbal e Bem-estar Emocional com os testes utilizados para cálculo do QI. CONCLUSÃO: Pessoas com epilepsia têm grande impacto na QV não apenas pelas limitações causadas pelas crises diárias, mas também pelo que estas causam em suas funções cognitivas. ELT é um exemplo de como uma epilepsia refratária pode acabar com qualquer possibilidade dessas pessoas procurarem um emprego, estudarem e viverem em uma sociedade que as discrimina pelo fato de ter epilepsia e um declínio cognitivo comprovado.
Descritores: Qualidade de Vida
Esclerose
Cognição
Epilepsia do Lobo Temporal/psicologia
Neuropsicologia/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Estudos de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 172 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Yacubian, Elza Márcia Targas
Texto completo
Id: lil-451668
Autor: Rahal, Márcio Andriani; Araújo Filho, Gerardo Maria de; Caboclo, Luís Otávio Sales Ferreira; Rosa, Vivianne Pellegrino; Centeno, Ricardo da Silva; Carrete Junior, Henrique; Garzon, Eliana; Sakamoto, Américo Ceiki; Yacubian, Elza Márcia Targas.
Título: Somatosensory aura in mesial temporal lobe epilepsy: semiologic characteristics, MRI findings and differential diagnosis with parietal lobe epilepsy
Fonte: J. epilepsy clin. neurophysiol;12(3):155-160, Sept. 2006. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: INTRODUCTION: Somatosensory auras (SSAs) are more usually described in patients with parietal lobe epilepsy (PLE), producing more commonly a localized cutaneous tingling sensation, involving hands and fingers followed by tonic or clonic focal seizures. These usually originate in the contralateral hemisphere. Etiology includes dysplasias, tumours, ischemic or postencephalitic gliosis. However, other focal epilepsies, such as frontal and temporal, may also originate SSAs. Although this type of aura is reported as rare in patients with mesial temporal lobe epilepsy (MTLE), this association has not been systematically studied.OBJECTIVES: The aim of this article was to describe the cases of four patients with refractory MTLE and SSAs, reporting their clinical characteristics and MRI findings. We discuss the localizing and lateralizing value of SSAs, particularly in the context of MTLE. METHODS AND RESULTS: Four patients with refractory MTLE and SSAs followed-up in the outpatient's clinic at the Epilepsy Section, Universidade Federal de São Paulo, were submitted to presurgical evaluation and corticoamygdalohippocampectomy. MRI in all cases showed unilateral mesial temporal sclerosis (MTS). Regarding seizure semiology, tingling sensation involving the upper extremity was the most prevalent symptom. Three of the four patients had SSAs contralateral to the MTS. Following the SSAs all patients most of the time presented other symptoms such as autonomic or psychic auras evolving to psychomotor seizures. After surgical treatment, two of the patients presented infrequent auras, and two were rendered seizure-free. CONCLUSION: Although rare, SSAs can be present in MTLE. The characteristics of autonomic or psychic auras, psychomotor seizures, neuropsychological deficits, and typical neurophysiologic and MRI findings may help differentiate patients with MTLE from those with PLE

INTRODUÇÃO: Auras somatossensoriais (AS) são mais frequentemente descritas em pacientes com epilepsia de lobo parietal (ELP), produzindo sensação de formigamento cutâneo envolvendo mão e dedos seguida de sinais motores focais tônicos ou clônicos. Estas crises habitualmente originam-se no hemisfério cerebral contralateral. Displasias, tumores, patologias vasculares ou gliose pós encefalite constituem as etiologias mais prováveis. Outras epilepsias focais, como as de lobo frontal e temporal podem também originar (AS). Embora este tipo de aura seja considerada rara em pacientes com epilepsia mesial do lobo temporal (EMLT), esta associação ainda não foi sistematicamente estudada. OBJETIVOS: A proposta deste artigo foi descrever quatro casos de EMLT refratária ao tratamento clínico, apresentando AS, reportar as características clínicas comuns, achados de neuroimagem e estudar o valor localizatório e lateralizatório das mesmas. MÉTODOS E RESULTADOS: Quatro pacientes com EMLT refratária e AS acompanhados no ambulatório de Epilepsia, Universidade Federal de São Paulo, foram submetidos a avaliação pré-cirúrgica. Sensação de formigamento envolvendo a extremidade superior foi o sintoma predominante em todos. Em três (75%) as auras foram contralaterais à esclerose mesial temporal (EMT). Em todos as AS eram, com maior freqüência, seguidas por outras auras autonômicas e psiquícas e evoluiam para crises parciais complexas (crises psicomotoras). CONCLUSÃO: Embora raras, AS podem estar presentes em EMLT. A associação de auras autonômicas e psíquicas, presença de crises parciais complexas (psicomotoras), déficits neuropsicológicos distintos, além de achados neurofisiológicos e de neuroimagem podem diferenciar pacientes com EMLT daqueles com ELP.
Descritores: Esclerose
Distúrbios Somatossensoriais
Epilepsia do Lobo Temporal
-Neuroimagem/instrumentação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 172 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Yacubian, Elza Márcia Targas
Texto completo
Id: lil-457659
Autor: Araújo Filho, Gerardo Maria de; Rosa, Vivianne Pellegrino; Caboclo, Luís Otávio Sales Ferreira; Sakamoto, Américo Ceiki; Yacubian, Elza Márcia Targas.
Título: Prevalence of psychiatric disorders in patients with mesial temporal sclerosis
Fonte: J. epilepsy clin. neurophysiol;13(1):13-16, Mar. 2007. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: Behavioral changes in patients with epilepsy can range from depression, anxiety to psychosis and personality traits. We evaluated the frequency of psychiatric disorders (PD) in a homogenous series of patients with refractory temporal lobe epilepsy (TLE) related to mesial temporal sclerosis (MTS) aiming at determining the frequency of PD and possible correlations to clinical variables and to laterality of MTS. METHODS: Data from 106 refractory TLE patients were reviewed. Psychiatric evaluation was based on DSM-IV criteria. Statistical analysis was performed through the chi-square (chi²), Student's t test and Fisher's exact test. P value considered significant was < 0.05. RESULTS: PD were found in 65 patients (61.3 percent). Among them, mood disorders were the most frequent (32 patients; 30 percent), followed by interictal (15 patients; 14 percent) and postictal (10 patients; 9.4 percent) psychosis. Postictal and interictal psychosis were significantly associated with left side MTS (p < 0.05), while PD in general and mood disorders were not associated to any side. CONCLUSION: There was a high prevalence of PD in patients with refractory TLE associated to MTS. The most common were mood and psychotic disorders. Psychosis was significantly associated to left side. These findings are concordant with data in literature, confirming the existence of anatomic alterations, and also a possible left laterality effect in the mesial temporal lobe structures in patients with epileptic psychosis.

OBJETIVOS: Foi avaliada a freqüência de transtornos psiquiátricos (TP) em uma série homogênea de pacientes com epilepsia do lobo temporal (ELT) associada à esclerose mesial temporal (EMT), com o objetivo de verificar a prevalência e os tipos de TP nessa população e de correlacionar tais transtornos a aspectos clínicos e à lateralidade da EMT. METODOLOGIA: Dados de 106 pacientes com ELT refratária associada a EMT foram revisados. A avaliação psiquiátrica foi baseada nos critérios diagnósticos do DSM-IV. A análise estatística foi realizada através do teste do qui-quadrado (chi²), do teste t de Student e do teste exato de Fisher. O valor de P considerado significante foi < 0,05. RESULTADOS: TP foram diagnosticados em 65 pacientes (61,3 por cento). Transtornos do humor foram os mais freqüentemente encontrados (32 pacientes; 30 por cento), seguidos por psicose interictal (15 pacientes; 14 por cento) e por psicose pós-ictal (10 pacientes; 9.4 por cento). Tanto a psicose interictal como a psicose pós-ictal foram associadas a EMT à esquerda (p < 0,05), enquanto TP em geral e transtornos do humor não foram correlacionados a nenhum lado. CONCLUSÃO: HOUVE uma elevada prevalência de TP em pacientes com ELT refratária associada a EMT. Os mais freqüentemente encontrados foram transtornos do humor e psicóticos. Quadros psicóticos foram associados a EMT à esquerda. Tais achados são concordantes com dados da literatura atual em relação à prevalência de TP na ELT, confirmando a existência de alterações anatômicas e uma possível associação da EMT à esquerda com quadros psicóticos na ELT.
Descritores: Esclerose
Epilepsia do Lobo Temporal/patologia
Transtornos Mentais/epidemiologia
-Transtornos Psicóticos/etiologia
Prevalência
Transtornos do Humor/etiologia
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Estudos de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 172 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Yacubian, Elza Márcia Targas
Texto completo
Id: lil-451863
Autor: Alonso, Neide Barreira; Silva, Tatiana Indelicato da; Westphal-Guitti, Ana Carolina; Azevedo, Auro Mauro; Caboclo, Luís Otávio Sales Ferreira; Sakamoto, Américo Ceiki; Yacubian, Elza Márcia Targas.
Título: Quality of life related to surgical treatment in patients with temporal lobe epilepsy due to mesial temporal sclerosis
Fonte: J. epilepsy clin. neurophysiol;12(4):233-241, Dec. 2006. tab.
Idioma: en.
Resumo: INTRODUCTION: Surgery is widely accepted as a modality of treatment for medically intractable seizures and the main goals of surgery as reduction or elimination of seizures without significant compromise in neurological function and improving QOL. PURPOSE: To assess QOL pre- and post-surgery in a sample of patients with temporal lobe epilepsy (TLE) due to mesial temporal sclerosis (MTS). METHODS: Thirty-five consenting subjects who had undergone corticoamygdalo-hipocampetomy were included in this study. They answered the ESI-55 before and six months after surgical treatment. Analyses of Variance (ANOVA) was used to study the changes in QOL and we also determined the effect-size of the sample. RESULTS: After surgical treatment 18 (51 percent) subjects were seizure free, 10 (29 percent) had only auras and seven (20 percent) had partial seizures. The post-operative mean scores were higher than pre-operative scores, except for Cognitive Function and Limitation due to Cognitive Problems in the group with seizures. A significant improvement in QOL post-surgery was observed in the domains Health-Perception (1.24), Emotional-Well-being (1.32) and Energy/Fatigue (1.43). CONCLUSION: A long-term follow-up is necessary to identify meanigful changes after the surgery.

INTRODUÇÃO: A possibilidade cirúrgica é amplamente reconhecida como uma modalidade de tratamento no caso da presença de crises epilépticas refratárias à terapêutica medicamentosa. O objetivo maior da cirurgia é a redução ou eliminação completa das crises, sem comprometer significativamente o funcionamento cognitivo, além de melhorar a qualidade de vida (QV). OBJETIVO: Avaliar a QV em uma amostra de indivíduos com epilepsia do lobo temporal com esclerose do hipocampo antes e seis meses após o procedimento cirúrgico. METODOLOGIA: Trinta e cinco pacientes submetidos à corticoamigdalo-hipocampectomia e que consentiram em participar do estudo submetido e aprovado pelo Comitê de Etica da UNIFESP fizeram parte desta série. O ESI-55 foi respondido antes e seis meses após o procedimento cirúrgico. A análise estatística constou da análise da variância (ANOVA) e do efeito de tamanho da amostra para determinar as mudanças ocorridas na qualidade de vida após a intervenção cirúrgica. RESULTADOS: Seis meses após o tratamento cirúrgico 18 (51 por cento) pacientes ficaram sem crises, 10 (29 por cento) tiveram auras esporádicas e sete (20 por cento) continuaram apresentando crises pouco freqüentes. A média dos escores do ESI-55 foi maior nos três grupos (sem crises, auras e crises), em todos os domínios após a cirurgia, com exceção das subescalas Funcionamento Cognitivo e Limitação por Problemas Cognitivos no grupo com crises. Uma melhora estatísticamente significante após a cirurgia foi observada nos domínios Estado Geral de Saúde (1.24), Bem-estar Emocional (1.32) e Energia/Fadiga (1.43). Conclusão: Embora aos seis meses já sejam verificadas algumas mudanças na qualidade de vida, avaliações periódicas anuais são fundamentais para o entendimento da extensão das modificações na QV após a cirurgia.
Descritores: Qualidade de Vida
Esclerose
Convulsões
Epilepsia do Lobo Temporal/cirurgia
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 172 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-471133
Autor: Brandão, Eliana Maria Domingues; Manreza, Maria Luiza Giraldes de.
Título: Clinic feature of the mesial temporal sclerosis in children: [review]
Fonte: J. epilepsy clin. neurophysiol;13(3):115-118, Sept. 2007. tab.
Idioma: pt.
Resumo: INTRODUCTION: Mesial temporal sclerosis is not a frequent cause of refractory epilepsy in children, and the its start age is uncertain. OBJECTIVE: To understand the clinic feature of children with mesial temporal sclerosis diagnosis. MATERIAL AND METHODS: It was done a literature review about this pathology in children, and it has been found a group of 4 articles that allow a general view about mesial temporal sclerosis in children and other group of 7 articles (case reports or small series) in which mesial temporal sclerosis was diagnosed until five years old. RESULTS: It was evaluated in the first group, febrile seizure that was the most frequent antecedent followed by a status epilepticus and the semiology of the seizures was characterized by oroalimentary automatism, gestural automatism, stunted movement and motor phenomenon.The group of children with mesial temporal sclerosis until five years old stood out due to the high incidence of status epilepticus (84,6 percent), by the number of children with altered neuropsycomotor development (46 percent), and by lesion in most of bilateral cases (53,8 percent) , suggesting that the bilateral form of the mesial temporal sclerosis might be a distinct pathology, and not necessarily the progression of a unilateral beginning picture. Another important thing to stand out in this group is the documentation by MR in edema in hippocampus after a status epilepticus and posterior atrophy of this structure. CONCLUSION: mesial temporal sclerosis can to appear still in early life and in any cases can to present an evolutional character and dependent from a previous aggression to the hippocampus.

INTRODUÇÃO: Esclerose mesial temporal não é uma causa freqüente de epilepsia de difícil controle em crianças, e a idade de seu aparecimento é incerta. OBJETIVO: Conhecer as características clínicas de crianças com diagnóstico de esclerose mesial temporal. MATERIAL E MÉTODO: Foi realizada uma revisão de literatura sobre esta patologia em crianças, sendo encontrado um grupo de quatro artigos que permitem uma visão geral sobre esclerose mesial temporal em crianças e outro grupo de sete artigos (relatos de caso ou series pequenas) onde esclerose mesial temporal foi diagnosticada até os cinco anos de idade. RESULTADOS: No primeiro grupo avaliado, crise febril foi o antecedente mais freqüente, seguido por estado de mal epiléptico, e a semiologia das crises foi caracterizada por automatismo oroalimentar, automatismo gestual, parada da movimentação e fenômeno motor. O grupo de crianças com esclerose mesial temporal diagnosticada até os cinco anos se destacou pela alta incidência de estado de mal epiléptico (84,6 por cento), pelo número de crianças com desenvolvimento neuropsicomotor alterado (46 por cento), e por lesão na maioria dos casos bilateral (53,8 por cento), sugerindo que a forma bilateral da esclerose mesial temporal possa ser uma patologia distinta, e não necessariamente a progressão de um quadro inicialmente unilateral. Outro ponto de destaque neste grupo é a documentação por ressonância magnética de edema em hipocampo após estado de mal epiléptico e posterior atrofia desta estrutura. CONCLUSÃO: Esclerose mesial temporal pode aparecer ainda na primeira infância e em alguns casos pode apresentar um caráter evolutivo e dependente de uma agressão prévia ao hipocampo.
Descritores: Esclerose/etiologia
Perfil de Saúde
Epilepsia do Lobo Temporal/patologia
Hipocampo/patologia
Limites: Seres Humanos
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 18 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde