Base de dados : LILACS
Pesquisa : C25.723.756 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 254 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 26 ir para página                         

  1 / 254 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1135655
Autor: Mendonça, Múcio F. F; Pedroso, Pedro M. O; Pimentel, Luciano A; Madureira, Karina M; Macêdo, Juliana T. S. A; DSoares, Charmila S; Silva, Antonio W. O; Peixoto, Tiago C.
Título: Epidemiological aspects of natural poisoning by Prosopis juliflora in ruminants in semiarid areas of the state of Bahia, Brazil, invaded by the plant / Aspectos epidemiológicos da intoxicação natural por Prosopis juliflora em ruminantes em áreas do semiárido baiano invadidas pela planta
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;40(7):501-513, July 2020. tab, ilus.
Idioma: en.
Projeto: CAPES.
Resumo: Poisoning by Prosopis juliflora (mesquite) leads to neurological signs, cachexia and death, mainly in cattle and goats. Although the uncontrolled spread of mesquite in the Caatinga biome (biological invasion), which alters the epidemiological conditions of intoxication by this plant, has been proved for approximately 20 years, strategies for its control and prophylaxis still remain out of date. These new epidemiological conditions have allowed the uncontrolled consumption of large amounts of in natura mesquite pods by ruminants for long periods in invaded pastures, thus resulting in increased history of poisoning. This study aimed to describe the new epidemiological aspects of P. juliflora poisoning in cattle and goats, 78 years after the introduction of this plant in the country, with emphasis on its degree of invasion, and to update the control and prophylaxis measures of this intoxication and the mapping of areas of outbreak occurrence in the semiarid region of the state of Bahia, Brazil. Seven outbreaks of natural mesquite poisoning, two in goats (OB 1 and OB 2) and five in cattle (OB 3, OB 4, OB 5, OB 6, and OB 7), were studied in loco in the municipalities of Juazeiro, Iaçu, Tucano, Santa Teresinha, Barra do Mendes, Barra and Tabocas do Brejo Velho. In the studied outbreaks, clinical-epidemiological (OB 1 to OB 7) and histopathological (OB 1, OB 2, OB 3, and OB 5) findings were compatible with mesquite poisoning, and this was the first anatomopathological proof of poisoning by this plant in this state. In addition, in the state of Bahia, disease occurs in an area approximately three times larger than previously known. On the farms investigated, mesquite introduction occurred between 1980 and 2005, through the single planting of an average of 33 seedlings. Since then, propagation of this plant has occurred progressively, with gradual invasion of native pastures, which enabled the evaluation of plant spread (biological invasion) on these farms 15 (OB 2), 25 (OB 7), 30 (OB 5 and OB 6), 35 (OB 3) and 40 (OB 1 and OB 4) years after its introduction. Historical information on the introduction and spread of mesquite in the state of Bahia had never been analyzed. In 2020, a degree of mesquite invasion an average 59.57% was verified in the pastures of the seven farms where the outbreaks occurred. The great biological invasion capacity of this plant drew attention, especially in OB 5. The high degree of mesquite invasion observed (new epidemiological conditions) justifies the increased number of cases of poisoning observed in this study. Processing of P. juliflora pods (grinding) was not carried out on any farm (OB 1 to OB 7), and ruminants uncontrollably consumed large amounts of pods in natura for long periods in invaded pastures, which allowed massive dispersal of seeds through feces over decades. The main factors responsible for the gradual invasion of pastures by mesquite over time were absence of crop management plans (silvicultural treatments) and lack of knowledge by producers on disease etiology. Given the new epidemiological conditions, restriction of animal access to in natura pods in pastures and supply of mesquite bran are crucial for the control and prophylaxis of this poisoning, as consumption of in natura pods had a strong correlation with the high degree of invasion in the pastures where the seven outbreaks occurred. Additionally, although the commercialization of pods and exploitation of wood of mesquite trees can provide livestock farmers with extra income - being the correct management for areas invaded by this plant, such practice is either not yet known or not carried out technically or satisfactorily by farmers. In addition to being a threat to the Caatinga's biodiversity, the increasing invasion of semiarid areas by mesquite 78 years after its introduction in the Northeast region of Brazil, is a risk for herds, since the occurrence of poisoning outbreaks may become more frequent. Therefore, it is highly advisable that effective measures be adopted to control P. juliflora propagation.(AU)

A intoxicação por Prosopis juliflora (algaroba) cursa com sinais neurológicos, caquexia e morte, principalmente em bovinos e caprinos. Embora a disseminação descontrolada da algaroba na Caatinga (invasão biológica) tenha sido comprovada há cerca de 20 anos, o que altera as condições epidemiológicas dessa intoxicação, as estratégias de controle e profilaxia permanecem desatualizadas. Essas novas condições epidemiológicas permitem o consumo descontrolado de grande quantidade de vagens in natura de algaroba, por longos períodos, nas pastagens invadidas, o que tem resultado em aumento dos históricos de intoxicação. Objetivou-se com esse estudo descrever os novos aspectos epidemiológicos da intoxicação por P. juliflora em bovinos e caprinos, 78 anos após a introdução da planta no país, com ênfase no grau de invasão da planta, bem como atualizar as medidas de controle e profilaxia dessa intoxicação e das áreas de ocorrência dos surtos no semiárido baiano. Foram estudados in loco sete surtos (S1 a S7) de intoxicação natural por algaroba, sendo dois em caprinos (S1 e S2) e cinco em bovinos (S3, S4, S5, S6 e S7) no semiárido baiano (Juazeiro, Iaçu, Tucano, Santa Teresinha, Barra do Mendes, Barra e Tabocas do Brejo Velho). Nos surtos estudados, os achados clínico-epidemiológicos (S1 a S7) e histopatológicos (S1, S2, S3 e S5) foram compatíveis com intoxicação por algaroba, sendo essa intoxicação comprovada, pela primeira vez, com exames anatomopatológicos na Bahia. Ademais, na Bahia a doença ocorre em uma área cerca de três vezes maior do que a, até então, conhecida. Nas fazendas estudadas a introdução da algaroba ocorreu entre 1980 e 2005, através do plantio único de, em média, 33 mudas. Desde então, a disseminação da planta ocorreu de forma progressiva, invadindo gradativamente as pastagens nativas, o que permitiu avaliar a disseminação da planta (invasão biológica) nessas fazendas cerca de 15 (S2), 25 (S7), 30 (S5 e S6), 35 (S3) e 40 (S1 e S4) anos, após sua introdução. Informações históricas acerca da introdução da algaroba e sua disseminação na Bahia nunca haviam sido estudadas. Em 2020, verificou-se que nas pastagens das sete fazendas onde os surtos ocorreram, o grau de invasão por algaroba alcançou, em média, 59,57%. Chamou a atenção a grande capacidade de invasão biológica da planta, sobretudo, no S5. O alto grau de invasão da algaroba observado (novas condições epidemiológicas) justificou o aumento dos casos de intoxicação verificados nesse estudo. O beneficiamento das vagens (moagem) não era realizado em nenhuma fazenda (S1 a S7) e os ruminantes consumiam de forma descontrolada (livre) grande quantidade de vagens in natura, por longos períodos, nas pastagens invadidas, o que possibilitou a dispersão massiva das sementes da planta pelas fezes ao longo das décadas. O que aliado à inexistência de um plano de manejo do cultivo (tratamentos silviculturais) e ao desconhecimento da etiologia da doença pelos produtores foram os principais fatores responsáveis pela invasão gradativa da planta nas pastagens, ao longo dos anos, o que justifica o aumento dos casos de intoxicação observados na Bahia. Frente às novas condições epidemiológicas, a restrição do acesso dos animais as vagens in natura nas pastagens e o fornecimento do farelo de algaroba são cruciais para o controle e profilaxia dessa intoxicação, pois o consumo das vagens in natura teve forte correlação com o alto grau de invasão das pastagens onde os sete surtos ocorreram. Adicionalmente, embora a comercialização das vagens e a exploração da madeira da algaroba possam proporcionar renda extra aos pecuaristas e serem boas formas de manejo de áreas invadidas por algaroba, tais práticas ainda não são conhecidas ou não são realizadas de forma técnica ou a contento. A crescente invasão da algaroba no semiárido, 78 anos após a sua introdução no Nordeste, além de ser uma ameaça à biodiversidade da Caatinga é um risco para os rebanhos, visto que, a ocorrência de surtos de intoxicação podem se tornar mais frequentes. Desta maneira alerta-se para adoção de medidas efetivas de controle da propagação descontrolada da algaroba.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/etiologia
Intoxicação por Plantas/epidemiologia
Prosopis/envenenamento
-Plantas Tóxicas/envenenamento
Ruminantes
Doenças dos Bovinos/etiologia
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  2 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1287506
Autor: Gaspar, Alberto O; Guizelini, Carolina C; Roberto, Francisca C; Difante, Gelson S; Brumatti, Ricardo C; Ítavo, Camila C. B. F; Lemos, Ricardo A. A; Lee, Stephen T.
Título: Protodioscin levels in Brachiaria spp. in a sheep production system and a brief review of the literature of Brachiaria spp. poisoning in ruminants / Níveis de protodioscina em Brachiaria spp. em um sistema de produção de ovinos e uma breve revisão da literatura da intoxicação por Brachiaria spp. em ruminantes
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;41:e06921, 2021. tab.
Idioma: en.
Resumo: Plants of the genus Brachiaria, used in several countries as forage, are poisonous to some livestock species. Their toxic principle is protodioscin, and the main form of clinical presentation of the toxicosis is hepatogenous photosensitization. Here we compare protodioscin levels in B. decumbens and B. brizantha and review the literature on the concentrations and methodologies of collection and analysis of the toxic principle in Brachiaria spp. and the risk of contamination of pastures by more toxic species that may facilitate poisoning by plants of this genus in sheep. The experiment was conducted in pastures originally formed by B. brizantha, with many B. decumbens invasion points. The occurrence of cases of poisoning by Brachiaria spp. was the criterion for confirming pasture toxicity. The forage samples were collected at ten random points every 28 days through manual grazing simulation. The samples were analyzed for protodioscin by high-performance liquid chromatography (HPLC) with light scattering by evaporation (ELSD) after being dried and crushed. In the flock of 69 sheep, five poisoning cases occurred, three sheep died, and two recovered. The protodioscin levels found in the evaluated pastures ranged from 0.70 to 0.45%; higher levels appeared in B. decumbens (7.09%) compared to 1.04% in B. brizantha. We suggest that Brachiaria spp. should be avoided in pastures where sheep are grazing.(AU)

Plantas do gênero Brachiaria, utilizadas em vários países como forragem, são tóxicas para várias espécies pecuárias. Seu princípio tóxico é a protodioscina, e a principal forma de apresentação clínica da toxicose é a fotossensibilização hepatógena. Este estudo teve como objetivo comparar os níveis de protodioscina em B. decumbens e B. brizantha e revisar a literatura sobre as concentrações e metodologias de coleta e análise do princípio tóxico em Brachiaria spp. e o risco de contaminação das pastagens por espécies mais tóxicas que podem facilitar a intoxicação por plantas desse gênero em ovinos. O experimento foi conduzido em pastagens originalmente formadas por B. brizantha, com diversos pontos de invasão por B. decumbens. Ocorrência de casos de intoxicação por Brachiaria spp. foi o critério para confirmação da toxicidade da pastagem. As amostras de forragem foram coletadas a cada 28 dias em dez pontos aleatórios por meio de simulação de pastejo manual. As amostras foram analisadas para protodioscina por cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC) com dispersão de luz por evaporação (ELSD) após serem secadas e trituradas. No rebanho de 69 ovelhas, cinco desenvolveram a intoxicação, três morreram e duas se recuperaram. Os níveis de protodioscina encontrados nas pastagens avaliadas variaram de 0,70 a 0,45%; níveis mais elevados apareceram em B. decumbens (7,09%) em comparação com 1,04% em B. brizantha. Sugerimos que Brachiaria spp. deve ser evitada no pasto de ovelhas em pastejo.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas
Ruminantes
Ovinos
Pastagens
Brachiaria
-Transtornos de Fotossensibilidade
Toxicidade
Literatura
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  3 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Barros, Claudio S. L
Texto completo
Id: lil-624087
Autor: Driemeier, David; Irigoyen, Luiz Francisco; Loretti, Alexandre Paulino; Colodel, Edson Moleta; Barros, Claudio S. L.
Título: Intoxicação espontânea pelos frutos de Xanthium cavanillesii (Asteraceae) em bovinos no Rio Grande do Sul / Spontaneous poisoning by the burs of Xanthium cavanillesii (Asteraceae) in cattle in Rio Grande do Sul, southern Brazil
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;19(1):12-18, Jan. 1999. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Two outbreaks of Xanthium cavanillesii poisoning in feedlot cattle in the counties of Casca and Cachoeira do Sul, Rio Grande do Sul, southern Brazil, are described. The disease occurred on two farms in late April and mid August 1996. On one farm, 17 heifers out of 310 cattle died. On the other, 11 out of 83 yearling calves died. Clinical signs included depression, anorexia, progressive dehydration, sunken eyes, tenesmus and slight rectal prolapse, muscle tremors, incoordination of gait, blindness, aggressivity and recumbency. Blindness was present in the terminal stages prior to death that occurred within 3 to 24 hours after the onset of the clinical signs. Necropsy findings included accentuation of the lobular pattern of the liver with pinpoint hemorrhages on capsular and cut surfaces; perirenal edema, hydropericardium, and translucent and gelatinous edema of the gall bladder wall, mesentery, abomasal ligaments and folds. The feces were scant, dry and formed balls coated by mucus and streaks of clotted blood. There were widespread petechiae, ecchymoses and suffusions. Burs of X. cavanillesii were found mixed with the solid and dried contents of the rumen and reticulum. The main histopathological findings were marked centrilobular coagulative hepatocellular necrosis associated with congestion and hemorrhages, surrounded or not by a narrow rim of markedly swollen and vesicular hepatocytes. The animals were being fed with whole or milled leftovers from soybean crops contaminated with large amounts of burs of X. cavanillesii. Deaths stopped after the feeding with the soybean leftovers was discountinued. The diagnosis was based on epidemiological data, clinical signs, necropsy findings, histological lesions and experimental reproduction of the toxicosis in cattle and sheep. The morphology and pathogenesis of the hepatic lesion and the clinical and pathological aspects of the toxicosis are discussed and compared with other reports of Xanthium spp poisoning and other acute hepatotoxicoses in cattle.(AU)

Descreve-se a ocorrência de dois surtos de intoxicação espontânea de bovinos pelos frutos de Xanthium cavanillesii em dois estabelecimentos dos municípios de Casca e Cachoeira do Sul, RS, no final de abril e meados de agosto de 1996. Em um dos estabelecimentos, morreram 17 novilhas de um total de 310 bovinos e no outro, morreram 11 de um total de 83 terneiros de 12 a 18 meses de idade. O curso clínico variou de 3 a 24 horas e caracterizou-se por apatia, anorexia, desidratação progressiva, retração dos globos oculares, tenesmo associado a discreto prolapso retal, tremores musculares, incoordenação motora, agressividade, decúbito, cegueira na fase terminal, e morte. As principais lesões macroscópicas nos animais necropsiados incluíam fígado com acentuação do padrão lobular e hemorragias puntiformes na superfície capsular e de corte; hidropericárdio, edema gelatinoso e translúcido na parede da vesícula biliar, no mesentério, nos ligamentos e dobras do abomaso e na região perirrenal; fezes ressequidas, em pequena quantidade, sob a forma de esferas e recobertas por muco e estrias de sangue coagulado; petéquias, equimoses e sufusões disseminadas em diferentes tecidos e órgãos; e frutos de X. cavanillesii misturados a conteúdo firme e ressecado do rúmen e do retículo. A principal lesão microscópica consistia em acentuada necrose coagulativa hepatocelular centrolobular associada à congestão e hemorragias, circundadas ou não por uma estreita faixa de hepatócitos marcadamente tumefeitos e vesiculares. Nas propriedades, os bovinos confinados eram alimentados com resíduo de lavoura de soja, inteiro ou moído, contaminado acidentalmente por grande quantidade de frutos de X. cavanillesii. Após a retirada do resíduo da suplementação alimentar desses animais, as mortes cessaram. O diagnóstico baseou-se em dados epidemiológicos, clínicos, de necropsia e histopatológicos e na reprodução experimental da enfermidade em bovinos e ovinos. A morfologia e a patogenia da lesão hepática e o quadro clínico-patológico observados são discutidos e comparados com outros relatos de intoxicação por Xanthium spp descritos na literatura e com outras hepato-toxicoses agudas em bovinos.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/veterinária
Bovinos/fisiologia
Asteraceae
Hepatócitos
-Patologia Veterinária
Plantas Tóxicas/toxicidade
Envenenamento
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  4 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1151727
Autor: Rino, P; Curto, D.
Título: Midriasis unilateral por planta tóxica / Unilateral mydriasis due to a toxic plant
Fonte: Med. infant;27(2):249-253, Diciembre 2020. ilus, Tab.
Idioma: es.
Descritores: Intoxicação por Plantas
Anisocoria/diagnóstico
Anisocoria/etiologia
Midríase/diagnóstico
Midríase/etiologia
Datura arborea/envenenamento
-Diagnóstico Diferencial
Limites: Humanos
Masculino
Pré-Escolar
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: AR305.1 - SID - Servicio de Información y Documentación


  5 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1135641
Autor: Brandolt, Inácio M. C; Maurique, Ana Paula; Damboriarena, Pedro A; Trost, Maria Elisa; Pozzobon, Ricardo; Anjos, Bruno L.
Título: Gastric disorders of cattle in western Rio Grande do Sul State, Brazil / Distúrbios gástricos de bovinos no Oeste do Rio Grande do Sul
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;40(6):417-425, June 2020. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: A retrospective study of gastric disorders in autopsied cattle in the Western region of Rio Grande do Sul State, was performed. The exam reports of bovine necropsy of the Veterinary Pathology Laboratory, Unipampa, were analyzed in the period from 2010 to 2018. All cases in which death was primarily caused by disturbance in the gastric chambers were included. During the period evaluated, 141 cattle were necropsied. Of those, 25 had gastric disorders. Of those, 53% had alterations in the rumen, followed by abomasum (17%), involvement of two chambers (13%) and reticulum (9%). Most cases corresponded to beef cattle raised in an extensive system and most them for calf production and fattening with an average age of approximately three years. The cases occurred in farms of four different municipalities. Bullous bloat by excessive Trifolium repens ingestion was the gastric disturbance with the highest number of dead cattle observed in this study, especially in irrigated áreas of livestock farms. Cases such as lactic acidosis, ruminal alkalosis due to excessive urea ingestion and Baccharis coridifolia poisoning were also important gastric disturbances in necropsied cattle, associated especially with poor management and period of scarcity of good quality fodder. Cases of Clostridium perfringens infection were also observed in young cattle suggesting that it is an important infectious agent in the evaluated cattle herds, also showing failures in vaccination of the herds. As observed, gastric disturbances in cattle in the western region of Rio Grande do Sul have several causes. Metabolic/toxic and infectious disturbances were important causes of mortality in the herds, inducing considerable economic losses. Based on this study, it is clear that the majority of outbreaks or isolated cases occurred due to errors in the management of the properties and the vast majority of them could have been avoided with improvements in the technical qualification of the workers and simple adjustments in the farming methods. It is also emphasized the importance of the conclusive diagnosis to control these disorders, once after the orientation to the producers, was observed significant decrease in cattle losses in the farms.(AU)

Foi realizado estudo retrospectivo dos distúrbios gástricos em bovinos necropsiados na região Oeste do Rio Grande do Sul. Foram analisados os relatórios de exame de necropsia de bovinos do Laboratório de Patologia Veterinária (LPV) da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Rio Grande do Sul, no período de 2010 a 2018. Foram incluídos todos os casos nos quais a morte foi causada primariamente pelo distúrbio nas câmaras gástricas. De um total de 141 bovinos necropsiados, 25 corresponderam a distúrbios gástricos. Dentre esses, 53% apresentaram alterações no rúmen, seguido de abomaso 17%, acometimento concomitante de duas câmaras 13% e retículo 9%. A maioria dos casos ocorreram em bovinos de corte criados em sistema extensivo e a maioria destinados à produção de bezerros e engorda com média de idade de aproximadamente três anos. Os casos ocorreram em propriedades rurais de quatro municípios da região Oeste do estado. O timpanismo bolhoso por ingestão excessiva de Trifolium repens foi o distúrbio gástrico com maior número de bovinos mortos observados nesse estudo, especialmente em propriedades com criação de animais em áreas de irrigação. Casos como acidose láctica, alcalose ruminal por intoxicação por ureia e intoxicação por Baccharis coridifolia também foram importantes distúrbios gástricos nos bovinos necropsiados e percebeu-se sua associação a falhas no manejo e à época de escassez de forragem de boa qualidade. Foram observados ainda casos de infecção por Clostridium perfringens em bovinos jovens o que sugere também tratar-se de um importante agente infeccioso nos rebanhos bovinos avaliados, demonstrando ainda falhas na vacinação dos rebanhos. Conforme observado, diversos são os distúrbios gástricos em bovinos na região Oeste do Rio Grande do Sul, tendo como importantes causas de mortalidades os distúrbios metabólicos/tóxicos e infecciosos, induzindo consideráveis perdas econômicas. Com base nesse levantamento, percebe-se que a maioria dos surtos ou casos isolados estudados ocorreram por erros no manejo nas propriedades e, na sua grande maioria, poderiam ter sido evitados com especialização da mão de obra e ajustes simples. Ressalta-se ainda a importância do diagnóstico conclusivo para controle desses distúrbios, uma vez que, após a orientação aos produtores, observou-se significativa diminuição das perdas de bovinos nas propriedades.(AU)
Descritores: Doenças dos Bovinos
Gastroenteropatias/etiologia
Gastroenteropatias/patologia
Gastroenteropatias/veterinária
Gastroenteropatias/epidemiologia
-Intoxicação por Plantas/veterinária
Infecções por Clostridium/veterinária
Dieta/veterinária
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  6 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1135645
Autor: Graça, Flávio A. S; dAvila, Mariana S; França, Ticiana N; Armién, Aníbal G; Rolim, Marcia F; Caldas, Saulo A; Santos, André M; Miranda, Ileana C; Peixoto, Paulo V.
Título: Tremorgenic syndrome caused by Ipomoea pes caprae in cattle / Síndrome tremorgênica causada pela ingestão de Ipomoea pes caprae em bovinos
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;40(6):443-450, June 2020. ilus.
Idioma: en.
Projeto: FAPERJ.
Resumo: Poisonous plants are a significant cause of death among adult cattle in Brazil. Plants that affect the central nervous system are widely spread throughout the Brazilian territory and comprise over 30 toxic species, including the genus Ipomoea, commonly associated with a lysosomal storage disease and a tremorgenic syndrome in livestock. We describe natural and experimental Ipomoea pes caprae poisoning in cattle from a herd in the Northside of Rio de Janeiro, Brazil. Affected cattle presented episodes of severe ataxia, abnormal posture followed by falling, muscular tremor, contraction, and spasticity, more prominent in the limbs, intensified by movement and forthcoming, and recumbence. Grossly, a substantial amount of leaves and petioles were found in the rumen. Histopathological examination showed degenerative neuronal changes, mostly in cerebellar Purkinje cells, which were confirmed with Bielschowsky silver. The characteristic clinical changes and mild histological lesion strongly suggested a tremorgenic syndrome. Lectin- immunohistochemistry evaluation reinforced this hypothesis; all lectins tested failed to react with affect neurons and Purkinje cells, which ruled out an underlying lysosomal storage disease. One calf given I. pes caprae leaves experimentally developed clinical signs similar to natural cases. On the 28th day of the experiment, the plant administration was suspended, and the calf recovered within four days. I. pes caprae's spontaneous tremorgenic syndrome in cattle is conditioned to exclusive feeding for several months. We were able to experimentally reproduce toxic clinical signs 12 days following the ingestion.(AU)

A intoxicação por plantas tóxicas está entre as três causas de morte mais importantes em bovinos adultos no Brasil. O grupo das plantas que causam alterações neurológicas, muito bem representada no país, encerra mais de trinta espécies tóxicas, entre as quais do gênero Ipomoea, amplamente distribuídas no território brasileiro. As plantas tóxicas desse gênero podem causar doenças do armazenamento ou síndrome tremorgênica. Descrevem-se a intoxicação natural e reprodução experimental por Ipomoea pes caprae em bovinos, verificada no norte do Estado do Rio de Janeiro. Foram observados episódios de intensa ataxia locomotora, postura anormal seguida de queda, incapacidade de levantar-se, tremores, contrações, espasticidades musculares nos membros, intensificados após estimulação ou a simples aproximação e decúbito. Nos bovinos afetados há mais de 6 meses, os sinais clínicos tornavam-se permanentes. À necropsia havia apenas significativa quantidade de folhas e pecíolos da planta no rúmen. O estudo histopatológico evidenciou lesões neuronais degenerativas principalmente nos neurônios de Purkinje. A impregnação argêntica pela técnica de Bielschowsky ratificou esses achados microscópicos. As lesões histológicas sutis associadas ao quadro clínico indicam que trata-se de intoxicação tremorgênica. O fato de não haver nenhum armazenamento intracitoplasmático, confirmado pelo resultado do estudo lectino-histoquímico (não houve afinidade das lectinas Con-A, WGA e sWGA e de outras lectinas empregadas aos neurônios de Purkinje e outros neurônios afetados), é suficiente para descartar a possibilidade de tratar-se de doença do armazenamento. No bezerro intoxicado experimentalmente verificaram-se sinais clínicos semelhantes, entretanto, com a interrupção do fornecimento da planta no 28º dia, os sinais clínicos desapareceram após quatro dias. I. pes caprae causa síndrome tremorgênica espontânea em bovinos, quando ingerida como alimentação exclusiva durante períodos prolongados (muitos meses). Experimentalmente, os primeiros sinais clínicos da intoxicação foram reproduzidos após 12 dias de ingestão da planta.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/veterinária
Intoxicação por Plantas/epidemiologia
Doenças dos Bovinos
Síndromes Neurotóxicas/etiologia
Síndromes Neurotóxicas/patologia
Ipomoea/envenenamento
-Tremor/etiologia
Tremor/veterinária
Síndromes Neurotóxicas/veterinária
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  7 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1135651
Autor: Santos, Igor R; Lima, Janaína C; Oliveira, Fábio H; Ferreira, Hugo H; Ramos, Marcus V. V; Santos, Adriana S.
Título: Spontaneous poisoning by Stryphnodendron rotundifolium var. villosum in cattle / Intoxicação espontânea por Stryphnodendron rotundifolium var. villosum em bovinos
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;40(6):438-442, June 2020. ilus.
Idioma: en.
Resumo: This is a report on an outbreak of cattle poisoning by Stryphnodendron rotundifolium var. villosum (Benth.) Scalon in the state of Goiás in Brazil. In a herd of 80 cattle that consumed the mature fruit of this plant that was present in their pasture, 12 animals fell ill and died. The clinical signs that they presented were apathy, progressive weight loss, reeling, bristling, and dry stools containing seeds. The main necropsy findings were jaundice, an increased lobular pattern and orange coloration in their liver, enlarged kidneys with yellowish medullae, and pre-stomachs containing fruit peels and seeds. A histopathological examination revealed vacuolar degeneration and necrosis in the liver and kidneys and vacuolar degeneration in the rumen, omasum, reticulum, and intestine. The diagnosis of poisoning by S. rotundifolium var. villosum was based on epidemiological data, clinical findings, and pathological changes. Our results can aid in the differentiation between poisoning by S. rotundifolium var. villosum and poisoning by other toxic plants that are of interest to lifestock.(AU)

Relata-se um surto de intoxicação em bovinos por Stryphnodendron rotundifolium var. villosum (Benth.) Scalon no estado de Goiás, Brasil. De um rebanho composto por 80 bovinos, os quais consumiram frutos maduros da planta presente na pastagem, 12 animais adoeceram e morreram. Os sinais clínicos apresentados foram apatia, emagrecimento progressivo, andar cambaleante, pelo eriçado e fezes secas contendo sementes. Os principais achados de necropsia foram icterícia, fígado com padrão lobular e coloração alaranjada, rins aumentados e com amarelamento da medular e pré-estômagos com presença de cascas e sementes do fruto. Ao exame histopatológico, notou-se degeneração vacuolar e necrose no fígado e rins e degeneração vacuolar no rúmen, omaso, retículo e intestino. O diagnóstico da intoxicação por S. rotundifolium var. villosum baseou-se nos dados epidemiológicos, nos achados clínicos e nas alterações patológicas. Nossos resultados podem auxiliar na diferenciação entre a intoxicação por S. rotundifolium var. villosum e a intoxicação por outras plantas tóxicas de interesse pecuário.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/patologia
Intoxicação por Plantas/veterinária
Intoxicação por Plantas/epidemiologia
Fabaceae/envenenamento
-Plantas Tóxicas
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  8 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1131472
Autor: Guizelini, C. C; Veiga, R. C. P; Gomes, D. C; Barros, C. S. L; Lemos, R. A. A.
Título: Poisoning by Enterolobium contortisiliquum pods in calves showing photosensitization and digestive lesions / [Lesões digestivas e fotossensibilização em bezerros intoxicados pelas favas de Enterolobium contortisiliquum]
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);72(4):1555-1560, July-Aug. 2020. ilus.
Idioma: en.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior; . Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
Resumo: Este trabalho descreve um surto de rumenite e abomasite decorrente de sobrecarga de carboidratos em um rebanho de 238 bezerros, com idades entre 12 e 15 meses, causada pela ingestão dos frutos de Enterolobium contortisiliquum. As taxas de morbidade, mortalidade e letalidade foram de, respectivamente, 12,7%, 5,2% e 42,1%. Clinicamente, os bovinos apresentaram fotossensibilização, salivação e diarreia. Os achados de necropsia foram semelhantes nos dois bezerros necropsiados e consistiram de fotodermatite e rumenite ulcerativa multifocal, subaguda a crônica, e abomasite. A relevância deste relato é que, pela primeira vez, foi possível associar a ocorrência da rumenite devido à sobrecarga de carboidratos com a intoxicação espontânea por E. contortisiliquum em bovinos, confirmando achados anteriormente descritos em experimentos realizados com ovinos.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/veterinária
Rúmen/patologia
Acidose/veterinária
Abomaso/patologia
-Transtornos de Fotossensibilidade/veterinária
Plantas Tóxicas
Fabaceae/toxicidade
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  9 / 254 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1131518
Autor: Machado, M; Preliasco, M; Schild, C. O; Costa, R. A; Balserini, A; Giannitti, F; Riet-Correa, F.
Título: Thyroid parafollicular cell hyperplasia and carcinoma in a sheep with enzootic calcinosis due to Nierembergia rivularis poisoning / [Hiperplasia e carcinoma de células parafoliculares da tireóide em ovino com calcinose enzoótica associada a intoxicação por Nierembergia rivularis]
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);72(4):1561-1565, July-Aug. 2020. ilus.
Idioma: en.
Projeto: Instituto Nacional de Investigación Agropecuaria.
Resumo: Calcinose enzoótica, causada por Nierembergia rivularis, no Uruguai, e Nierembergia veitchii, no Brasil, é uma doença caracterizada por mineralização de tecidos moles, hiperplasia das células parafoliculares da tireoide e elevação nos níveis de cálcio e fósforo. Descreve-se um caso de hiperplasia e carcinoma de células parafoliculares bilateral em um ovino de quatro anos, com calcinose enzoótica associada à intoxicação por Nierembergia rivularis. O diagnóstico histológico de hiperplasia e carcinoma de células parafoliculares é suportado pelas marcações imuno-histoquímicas positivas para calcitonina, peptídeo relacionado ao gene da calcitonina e enolase neurônio específica. Como a hiperplasia de células parafoliculares é uma lesão pré-neoplásica induzida por hipercalcemia, sugere-se que a hipercalcemia crônica causada pela intoxicação por N. rivularis pode ter induzido hiperplasia de células parafoliculares seguida de transformação em carcinoma, neste caso. Os efeitos carcinogênicos das plantas calcinogênicas no sistema endócrino devem ser melhor explorados.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/veterinária
Calcinose/veterinária
Ovinos
Neoplasias da Glândula Tireoide/veterinária
Células Epiteliais da Tireoide/patologia
-Plantas Tóxicas
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  10 / 254 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1091656
Autor: Silva Filho, Givaldo B; Chaves, Hisadora A. S; Albuquerque, Raquel F; Souza, Paulo E; Vieira, Maria E. Q; Nascimento, Ana L. O; Lima, Stephanie C; Mendonça, Fábio S.
Título: Spontaneous and experimental poisoning by Froelichia humboldtiana in cattle / Intoxicação espontânea e experimental por Froelichia humboldtiana em bovinos
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;40(1):1-6, Jan. 2020. ilus.
Idioma: en.
Projeto: FACEPE; . CAPES; . CNPq.
Resumo: The aim of this work was to describe the epidemiological, clinical and pathological aspects of two outbreaks of spontaneous poisoning caused by Froelichia humboldtiana in cattle in Pernambuco, northeastern Brazil and reproduce experimentally this poisoning in cattle. Spontaneous poisonings of primary photosensitization occurred in two farms at the municipalities of Cachoeirinha and São Caetano and affected twenty-two adult bovines and two suckling calves after the rainy season. All bovines have recovered 21 days after they were removed from the pasture. To reproduce experimental poisoning, three cows and a calf were maintained in a pasture with 1ha composed by F. humboldtiana during 14 days. Clinical signs and skin lesions were similar in both spontaneous and experimental poisoning and consisted of cutaneous itching and hyperemia of non-pigmented areas of skin that evolved into edema, exudative dermatitis and extensive areas of skin necrosis. Serum levels of aspartate aminotransferase (AST), gamma glutamyltransferase (GGT), total, direct and indirect bilirubin were normal in all cattle examined. Histologically, lesions consisted of epidermal necrosis, hyperkeratosis with large amounts of degenerate neutrophils and acanthosis. In the dermis, edema and inflammatory infiltrate composed of eosinophils, lymphocytes and plasma cells mainly around the blood vessels were observed. In the experimental group, clinical signs of photosensitization were observed after the third day of F. humboldtiana consumption. The suckling calf displayed mild clinical signs of photodermatitis on the 8th day of the experiment. It was estimated that the average consumption of F. humboldtiana necessary to initiate clinical signs in each adult bovine was 78kg.(AU)

Os objetivos deste trabalho foram descrever os aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos de dois surtos de intoxicação por Froelichia humboldtiana em bovinos em Pernambuco e reproduzir experimentalmente essa intoxicação em bovinos. Intoxicações espontâneas foram observadas após o início do período chuvoso nos municípios de Cachoerinha e São Caetano. Vinte e dois bovinos apresentaram sinais clínicos e lesões cutâneas compatíveis com fotossensibilização primária, dentre os quais, dois bezerros lactentes. Todos os bovinos se recuperaram totalmente cerca de 21 dias após serem retirados da pastagem. Para reproduzir experimentalmente a intoxicação, três vacas, uma delas com bezerro ao pé, foram mantidas em um piquete de 1ha composto por F. humboldtiana por 14 dias consecutivos. O quadro clínico e as lesões tegumentares, tanto nos bovinos intoxicados nos surtos espontâneos, quanto nos bovinos do experimento consistiram em prurido e hiperemia em áreas despigmentadas de pele, que evoluíam para edema, dermatite exsudativa e necrose de áreas extensas de pele. Em todos os bovinos examinados, os níveis séricos de aspartato aminotransferase (AST), gamaglutamiltransferase (GGT), bilirrubina total, direta e indireta estavam normais. Histologicamente, as lesões consistiram em necrose da epiderme, hiperqueratose com grande quantidade de neutrófilos degenerados e acantose. Na derme havia edema e infiltrado inflamatório composto por eosinófilos, linfócitos e plasmócitos principalmente ao redor dos vasos sanguíneos. Nos bovinos do experimento, sinais clínicos de fotossensibilização foram observados após o terceiro dia de consumo de F. humboldtiana. O bezerro lactente apresentou sinais clínicos leves de fotodermatite no 8º dia do experimento. Estimou-se que o consumo médio de matéria seca de F. humboldtiana necessário para iniciar os sinais clínicos em cada bovino adulto foi de 78kg.(AU)
Descritores: Intoxicação por Plantas/veterinária
Dermatite Fotoalérgica/etiologia
Cicer/envenenamento
Cicer/toxicidade
-Dermatite Fotoalérgica/veterinária
Dermatite/etiologia
Dermatite/veterinária
Limites: Animais
Bovinos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice



página 1 de 26 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde