Base de dados : LILACS
Pesquisa : D01.029.260.093 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 15 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 15 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-614846
Autor: Ferreira, B. G. A; Zuffellato-Ribas, K. C; Carpanezzi, A. A; Tavares, F. R; Koehler, H. S.
Título: Metodologias de aplicação de AIB no enraizamento de estacas semilenhosas de Sapium glandulatum (vell. ) pax / Methodologies of IBA application in the rooting of Sapium glandulatum (vell. ) pax semi-hardwood cuttings
Fonte: Rev. bras. plantas med;11(2):196-201, 2009. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A espécie Sapium glandulatum, conhecida vulgarmente como leiteiro, é uma das espécies nativas potencialmente recomendada para a recuperação de áreas degradadas, devido principalmente ao seu caráter pioneiro, além de possivelmente possuir características medicinais, uma vez que a família Euphorbiaceae, a qual pertence, é rica em compostos fenólicos. Em abril/2000 e dezembro/2000 foram conduzidos experimentos em casa-de-vegetação para verificar o efeito da aplicação de diferentes concentrações de ácido indolilbutírico (AIB), em solução concentrada (10 segundos de imersão), solução diluída (16 horas de imersão) e em talco, associadas ou não ao ácido bórico, no enraizamento de estacas semilenhosas de Sapium glandulatum. As estacas foram confeccionadas a partir de brotações do ano, coletadas de plantas matrizes localizadas no município de Bocaiúva do Sul -PR, mantendo- as com comprimento de cerca de 10 cm e 2 folhas apicais reduzidas à metade. Os tratamentos utilizados foram: 0, 4000, 6000 e 8000 mg L-1 de AIB, sozinhos e em associação com 150 mg L-1 de ácido bórico (solução concentrada), 0, 200 e 400 mg L-1 de AIB, sozinhos e em associação com 150 mg L-1 ácido bórico (solução diluída) e 0, 4000, 6000 e 8000 mg L-1 de AIB, na forma de talco. Pelos resultados obtidos foi possível concluir que, após 70 dias em casa-de-vegetação, a melhor época para coleta das estacas correspondeu à instalação realizada em dezembro/2000 (verão), onde o tratamento com 8000 mg L-1 de AIB, em solução concentrada, proporcionou o maior percentual de enraizamento (14 por cento), porém não diferindo significativamente dos demais tratamentos. A utilização da solução diluída não se mostrou promissora para a indução do sistema radicial devido à alta mortalidade das estacas. Os tratamentos com AIB veiculados em talco não superaram os resultados obtidos pelos melhores tratamentos para estacas enraizadas em solução concentrada, não sendo um método recomendável para o aumento da indução radicial de Sapium glandulatum. Pelo exposto, pode-se considerar que estacas de brotações do ano desta espécie não são indicadas para sua propagação vegetativa, de acordo com os tratamentos realizados.

The species Sapium glandulatum, commonly known as "leiteiro", is one of the Brazilian native species potentially recommended for the recovery of degraded areas, mainly due to its pioneering character and probable medicinal properties since its family, Euphorbiaceae, is rich in phenolic compounds. In April/2000 and December/2001, experiments were carried out in a greenhouse to investigate the effects of different indolebutyric acid (IBA) levels in concentrated solution (10 seconds immersion), diluted solution (16 hours immersion) and as talc, associated or not with boric acid, on the rooting of Sapium glandulatum semi-hardwood cuttings. The latter were produced from sproutings of the year collected from stock plants located in Bocaiúva do Sul, Paraná State, Brazil. The length of each cutting was about 10 cm, with 2 half apical leaves. The following treatments were evaluated: 0, 4000, 6000 and 8000 mg L-1 IBA, alone and with 150 mg L-1 boric acid (concentrated solution); 0, 200 and 400 mg L-1 IBA, alone and with 150 mg L-1 boric acid (diluted solution); and 0, 4000, 6000 and 8000 mg L-1 IBA as talc. After 70 days in greenhouse, the best period for cutting collection was December/2000 (summer), and 8000 mg L-1 IBA in concentrated solution led to the highest rooting percentage (14 percent), although not significantly different from the remaining treatments. The diluted solution did not show promising results for root system induction due to the high mortality of cuttings. The results for IBA as talc were not higher than those for the best treatments in concentrated solution, which indicates this method is not recommended to increase Sapium glandulatum rooting induction. Thus, sprouting cuttings of the year from this species are not recommended for its vegetative propagation, according to the evaluated treatments.
Descritores: Métodos
Euphorbiaceae/classificação
Plantas Medicinais/classificação
Sapium/classificação
-Ácidos Bóricos/análise
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-602984
Autor: Bayat, Oktay; Arslan, Volkan; Bayat, Belgin.
Título: Use of Aspergillus niger in the bioleaching of colemanite for the production of boric acid
Fonte: Electron. j. biotechnol;14(3):7-7, May 2011. ilus, tab.
Idioma: en.
Projeto: National Boron Research Institute of Turkey.
Resumo: Colemanite is one of the most important underground riches of Turkey, having approximately 60 percent of the world boron deposits, and it has a large portion in the deposits. In this study, chemical leaching and biological leaching methods were used for production of boric acid from colemanite (2CaO · 3B3O3 · 5H2O) (Emet-Kütahya, Turkey). Oxalic acid concentration, temperature, stirring time and solid-to-liquid ratio were taken as parameters in the chemical leaching process. It was found that the dissolution rate increases with increasing oxalic acid concentration and temperature but it decreases at higher solid-to-liquid ratios in the chemical leaching process. Using optimum conditions (d100 = 0.075 mm; 5 percent solids by weight; 0.55 M oxalic acid; 80 +/- 2 ºC leaching temperature; 150 rpm stirring speed; 90 min leaching time) for colemanite sample (28.05 percent B2O3) on chemical leaching with oxalic acid experiments, the calculated boric acid extraction efficiency from colemanite ore was 97.89 percent. Optimum conditions on bioleaching of Emet-Kütahya, Turkey colemanite ores using the fungus Aspergillus niger were found to be as follows: reaction temperature 25 +/- 2ºC; solid-to-liquid ratio 5 percent solids by weight; d100 = 0.075 mm; stirring speed 150 rpm; initial the fungus populations in the inocula about 3 x 10(7) cells/ml and reaction time 21 days. The calculated boric acid extraction efficiency from colemanite ore was 90.18 percent under the optimum conditions. Bioleachate contained 12.95 g/l B2O3, 6.60 g/l Ca and 0.087 g/l Mg. Compared with chemical leaching at 5 percent pulp density, the fungus was less efficient in the extraction of B2O3 from colemanite but the difference in the extraction yields between the two processes was less than 10 percent. Although bioleaching generally requires a longer period of operation compared to chemical leaching, these results suggest that bioleaching by A...
Descritores: Aspergillus niger/química
Boratos
Ácidos Bóricos
-Cromatografia Líquida de Alta Pressão
Cinética
Minerais
Ácido Oxálico
Temperatura
Fatores de Tempo
Turquia
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  3 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-523991
Autor: Carvalho, Regina Souza; Kara-José, Newton; Temporini, Edméa Rita; Kara-Junior, Newton; Noma-Campos, Regina.
Título: Self-medication: initial treatments used by patients seen in an ophthalmologic emergency room
Fonte: Clinics;64(8):735-741, 2009. graf, tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: This study seeks to identify practices of self-medication in the treatment of ocular emergencies. We examine patients' use of both homemade preparations and manufactured products before seeking specialized care. MATERIALS AND METHODS: We conducted a cross-sectional analytic survey of consecutive patients seen in the ophthalmology emergency room of a teaching hospital. RESULTS: The sample included 561 subjects, 51.3 percent males and 48.7 percent females, with a mean age of 39.8 years. Prior to seeking emergency care, 40.5 percent reported self-medicating; 29.4 percent used a homemade preparation (13.9 percent referred to an industrialized product like boric acid as a homemade preparation), and 11.1 percent used a manufactured product. The most frequently used products included a boric acid solution (53.3 percent), a normal saline solution (35.7 percent), herbal infusions (6.1 percent) and breast milk (4.8 percent). Viral conjunctivitis was the most frequent diagnosis (24.4 percent), followed by the presence of a corneal foreign body (7.4 percent). No significant differences were found in the self-treatment of ocular injuries according to gender (p = 0.95), level of education (p = 0.21) or age (p = 0.14). In addition, self-medication practices were not related to the medically judged severity of the condition. CONCLUSION: Patients often attempt to treat conditions that require ophthalmologic emergency care by self-medicating with homemade or manufactured products. The most widely used products include boric acid, normal saline, leaf infusions and breast milk. This behavior occurs independently of educational level, gender, age or the nature of the ocular condition. Self-medication is a culturally driven practice that is used even in cases of acute ocular injuries.
Descritores: Conjuntivite Viral/tratamento farmacológico
Corpos Estranhos no Olho/tratamento farmacológico
Automedicação
-Ácidos Bóricos/uso terapêutico
Brasil/epidemiologia
Estudos Transversais
Conjuntivite Viral/epidemiologia
Serviço Hospitalar de Emergência
Corpos Estranhos no Olho/epidemiologia
Assistência Domiciliar/estatística & dados numéricos
Leite Humano
Medicamentos sem Prescrição/classificação
Medicamentos sem Prescrição/uso terapêutico
Oftalmologia
Extratos Vegetais/uso terapêutico
Automedicação/classificação
Automedicação/estatística & dados numéricos
Cloreto de Sódio/uso terapêutico
Adulto Jovem
Limites: Adolescente
Adulto
Criança
Pré-Escolar
Feminino
Humanos
Lactente
Recém-Nascido
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Lima, Ana Luisa Hofling
Texto completo
Id: lil-453156
Autor: José, Andrea Cotait Kara; Castelo Branco, Bruno; Ohkawara, Lílian Emi; Yu, Maria Cecília Zorat; Lima, Ana Luisa Hõfling.
Título: Uso ocular de água boricada: condições de manuseio e ocorrência de contaminação / Use conditions of boric acid solution in the eye: handling and occurrence of contamination
Fonte: Arq. bras. oftalmol;70(2):201-207, mar.-abr. 2007. graf.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVOS: Avaliar as condições de uso de água boricada e verificar a contaminação dos frascos e seu conteúdo. MÉTODOS: Foram selecionados, por critério de conveniência, quarenta e dois pacientes, usuários de água boricada, que compareceram ao Pronto-Socorro de Oftalmologia do Hospital São Paulo, em fevereiro e março de 2003. Foi colhido material para cultura do saco conjuntival, da superfície interna da borda do frasco, da superfície interna da tampa, além de 1 ml de solução do frasco. RESULTADOS: Dos 42 recipientes de água boricada, 17 (40,5 por cento) apresentavam contaminação, sendo 1 (2,4 por cento) no conteúdo liquido, 17 (40,5 por cento) na parte interna da tampa e 6 (14,3 por cento) na parte interna da borda do frasco. Dos 17 frascos contaminados, 10 (58,8 por cento) tiveram suas tampas manuseadas de maneira inadequada e 13 (76,5 por cento) frascos já haviam sido usados em outras ocasiões. Os microrganismos mais encontrados nas tampas e bordas foram Staphylococcus sp (69,6 por cento) e bacilos Gram-positivos (26,1 por cento). Dezesseis (38,1 por cento) frascos foram abertos há mais de um mês e, destes, 5 (31,3 por cento) apresentaram contaminação. A instrução de uso nos rótulos dos frascos era inconsistente. A utilização de água boricada foi por conta própria, por indicação de amigos ou parentes em 26 (61,9 por cento) casos; indicação de farmacêuticos em 8 (19,0 por cento); de oftalmologistas em 5 (11,9 por cento) e de clínicos gerais em 3 (7,1 por cento). CONCLUSÃO: A indicação de uso tópico oftálmico de água boricada foi feita, na maioria, por leigos. Os frascos, em geral, eram manipulados de maneira inadequada, apresentando contaminação em uma proporção de casos muito maior do que a contaminação do líquido. Essa porcentagem menor de contaminação do conteúdo provavelmente está associada às características anti-sépticas do produto.

PURPOSE: To evaluate use conditions and detect contamination in bottles of boric acid solution. METHODS: A convenience sample of 42 recruited patients using boric acid solution came to the Ophthalmology Emergency Room of the São Paulo Hospital from February to March of 2003. Cultures were taken from material of the conjunctival sac, inner surface of bottle edge, inner part of cap and from 1 ml of boric acid solution of each bottle. RESULTS: Of the 42 boric acid solution bottles, 17 (40.5 percent) showed contamination: 1 (2.4 percent) in the solution, 17 (40.5 percent) in the inner cap and 6 (14.3 percent) in the inner part of the bottle edge. Of the 17 contaminated bottles, 10 (58.8 percent) were handled inappropriately and 13 (76.5 percent) of the bottles were not discharged after first use. The most common microorganisms found in the caps and edges of the bottles were Staphylococcus sp (69.6 percent), followed by Gram-positive bacillus (26.1 percent). Sixteen bottles (38.1 percent) had been opened more than a month ago and 5 (31.3 percent) of those showed contamination. The boric acid solution bottle directions shown on the labels were incomplete and not clear. The use of boric acid solution was on recommendation of their own, friends or relatives in 26 (61.9 percent) cases; pharmacists in 8 (19.0 percent) cases, ophthalmologists in 5 (11.9 percent) cases and general practitioners in 3 (7.1 percent) cases. CONCLUSION: In most cases, the topic use of boric acid solution was recommended by non-physicians. The bottles, in general, were handled inappropriately, and hence presented a much higher level of contamination that did the boric acid solution inside. The lower level of contamination in the solution is possibly associated with the anti-septic characteristics of the boric acid solution.
Descritores: Ácidos Bóricos/uso terapêutico
Doenças da Túnica Conjuntiva/tratamento farmacológico
Contaminação de Medicamentos
Soluções Oftálmicas/uso terapêutico
-Contagem de Colônia Microbiana
Túnica Conjuntiva/virologia
Embalagem de Medicamentos
Prescrições de Medicamentos
Armazenamento de Medicamentos
Rotulagem de Medicamentos/normas
Inquéritos e Questionários
Staphylococcus/isolamento & purificação
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-153171
Autor: Sousa Melo Cavalcanti de Alburquerque, Sonia; Cavalcanti, María Auxiliadora; Borges Aguiar, Luis Antonio.
Título: Inhibitory effect of boric acid on the development and aflatoxin production by aspergillus flavus and aspergillus parasiticus
Fonte: Bol. micol;7(1/2):55-8, jul.-dic. 1992. tab.
Idioma: en.
Resumo: El ácido bórico fué analizado en las concentraciones de 0,25 porciento; 0,5 porciento y 1,0 porciento, demostrando su eficacia al inhibir el crecimiento de Aspergillus flavus (NRRL 3251 y NRRL 5520) y Aspergillus parasiticus (UNBF A12 y NRRL 2999), como tambien la producción de aflatoxinas. Los resultados sugieren que este aditivo es eficiente en el control de hongos del grupo A. flavus inhibiendo el crecimiento de los mismos en la concentración máxima permitida por la legislación brasileña (0,5 porciento)
Descritores: Ácidos Bóricos/farmacologia
Aflatoxinas/antagonistas & inibidores
Aspergillus flavus/efeitos dos fármacos
Aspergillus/efeitos dos fármacos
-Controle de Pragas
Responsável: CL2.1 - Biblioteca de Medicina


  6 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Bernardini, Edda Maria Therezinha
Id: lil-94908
Autor: Bernardini, Edda Maria Therezinha; Fernandes, Therezinha J; Salles, Elizabeth Figueiredo de.
Título: Avaliaçäo da eficácia e tolerabilidade local de uma associaçäo alúmen amoniacal, ácido salicílico e ácido bórico no tratamento das úlceras de estase / Evaluation of the effectiveness and local tolerability of ammonium alum, salicylic acid and boric acid combination in the treatment of stasis ulcers of the lower limbs
Fonte: RBM rev. bras. med;48(3):124-8, mar. 1991. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Foram tratados 25 pacientes portadores de uma ou mais úlceras de estase em membros inferiores. A insuficiência venosa crônica foi o diagnóstico angiológico principal em 21 (84%) pacientes. Diabetes mellitus, hipertensäo arterial, linfedema e insuficiência mais freqüentes. Dos 25 pacientes avaliados, sete (28%) apresentavam apenas uma úlcera, mais sete (28%) duas úlceras, outros sete (28%) três ulceras e, finalmente, quatro pacientes (16% do total) apresentavam quatro úlceras; assim, foram avaliadas 58 úlceras, com um tempo médio de evoluçäo de 57,7% ñ 102,4 meses (x ñ d.p.). A associaçäo alúmen amonical, ácido salicílico bórico - medicaçäo sob avaliaçäo - foi utilizada na forma de banhos. Os pacientes faziam um banho diário da(s) úlcera(s), durante dez minutos, todos os dias, utilizando compressas de pano, embebendo-as na soluçäo e colocando-as sobre a(s) úlcera(s). Todos os pacientes foram avaliados, ao serem incluídos no estudo, após 30, 60 e 90 dias de tratamento. A avaliaçäo final (três pacientes - correspondendo a um total de dez úlceras - foram excluídos, por näo cumprimento do protocolo estabelecido) demosntrou: boa tolerabilidade tecidual à soluçäo estudada em todos os pacientes, cicatrizaçäo completa de 18 úlceras (38% das úlceras avaliadas), > ou = 50% de reduçäo no tamanho de 28 úlceras (58,3% das úlceras avaliadas), cicatrizaçäo completa das úlceras (um total de 14 úlceras) em sete pacientes, granulaçäo do fundo em todas as úlceras, epitelizaçäo dos quatro bordos em 12 úlceras (40% do total das úlceras que näo apresentavam cicatrizaçäo completa após 90 dias de tratamento), reduçäo (ou desaparecimento) estatisticamente signficativa no número de pacientes com edema ou cianose dos membros inferiores (p < 0,01). Podemos concluir, a partir desses resultados, que essa associaçäo (alúmen amoniacal, ácido salicílico e ácido bórico) é uma boa opçäo para o tratamento das úlceras de estase; pode substituir outros tratamento de má tolerabilidade local, tais como os banhos tradicionais com o permanganato de potássio
Descritores: Ácidos Bóricos/uso terapêutico
Salicilatos/uso terapêutico
Úlcera Varicosa/tratamento farmacológico
Insuficiência Venosa
-Banhos
Cicatrização
Ensaios Clínicos como Assunto
Limites: Humanos
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Masculino
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-92836
Autor: Silva Junior, Moacir Batista da.
Título: Tratamento da dermatite de fraldas com uma associaçäo alúmen amoniacal/ácido salicílico/ácido bórico / Treatment of napkin dermatitis with a combination of alum/salicylic aciol/boric acid
Fonte: Pediatr. mod;25(3):119-22, jul. 1990. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Foi estudada uma associaçäo de alúmen amoniacal/ácido salicílico/ácido bórico, em 30 crianças de idades entre 15 dias e 16 meses, portadoras de dermatite de fraldas, de graus leve ou moderado. O tratamento foi por banhos da regiäo perineal, coxas e abdome, durante 15 minutos, duas vezes ao dia, por sete dias. Avaliou-se comparativamente, na admissäo e após os sete dias de tratamento, o grau (ausente, leve, moderado, intenso) de cada manifestaçäo cutânea característica do quadro de dermatite de fraldas: eritema, edema, vesículas, bolhas. Dos 30 pacientes, 29 iniciaram o estudo com dermatite de grau moderado e 1 com grau leve. Aos sete dias de tratamento, 12 pacientes apresentavam pele normal, 10 dermatite de grau leve, 7 moderada e 1 de moderada a intensa. Em comparaçäo com o estado na admissäo, o tratamento produziu 90% de melhoras ou curas. Näo foram relatadas reaçöes adversas ao tratamento. Os banhos com essa soluçäo parecem ser uma boa opçäo para o tratamento da dermatite de fraldas, principalmente na sua fase aguda
Descritores: Ácidos Bóricos/uso terapêutico
Dermatite das Fraldas/tratamento farmacológico
Quimioterapia Combinada
Salicilatos/uso terapêutico
-Administração Tópica
Limites: Recém-Nascido
Lactente
Humanos
Responsável: BR11.1 - Biblioteca


  8 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Cândido, Maria Salete Machado
Sundfeld, Renato Herman
Id: lil-67194
Autor: Russo, Miguel; Cândido, Maria Salete Machado; Komatsu, Jorge; Takayama, Shizu; Holland Junior, Carlos; Sundfeld, Renato Herman; Mestrener, Sandra Rahal.
Título: Estudo histológico da resposta pulpar a agentes químicos utilizados na limpeza de cavidades / Histological study on pulp response to chemical agents used as cavity cleansers
Fonte: Rev. odontol. UNESP;17(1/2):1-5, 1988. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A finalidade do presente trabalho foi verificar o comportamento da polpa dental quando cavidades preparadas em dentes humanos eram submetidas à açäo de limpeza de uma soluçäo de ácido bórico à 2 por cento ou de fosfato de sódio a 12 por cento . O estudo, realizado num período de 35 dias, demonstrou que as duas soluçöes testadas provocaram irritaçäo pulpar, apesar de esta ser considerada suave e sempre localizada sob os preparos cavitários. Sua utilizaçäo é contra-indicada
Descritores: Ácidos Bóricos
Preparo da Cavidade Dentária
Fosfatos
Polpa Dentária/fisiologia
-Dentina/fisiologia
Polpa Dentária/patologia
Soluções
Limites: Criança
Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-61762
Autor: Santos, Antonio Batista dos.
Título: Uso clínico de soluçäo de ácido salicílico/ácido bórico/alúmen amoniacal como tratamento de vulvovaginites inespecíficas / The clinical use of salicylic acid/boric acid and amnonium alum in the treatment of non-specific vulvovaginitis
Fonte: Folha méd;96(3):141-4, mar. 1988. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo avaliou comparativamente duas formas de uso de uma soluçäo anti-séptica/antiinflamatória: por banhos de assento ou por duchas vaginais. A soluçäo era composta por uma associaçäo de ácido salicílico, ácido bórico e alúmen amoniacal dissolvida em água. Foram incluídas 30 pacientes adultas, portadoras de vulvovaginites inespecíficas, excluindo-se gestantes e pacientes com ectopia. Na admissäo e após o tratamento de 10 dias, avaliou-se o quadro clínico (prurido, ardor, eritema, edema, dor vulvar à micçäo, quantidade e odor do corrimento), pH e teste de KOH a 10% da secreçäo vaginal e o exame colposcópico. Ambos os grupos apresentaram regressäo da vulvovaginite sem efeitos adversos. Conclui-se que a anti-séptica/ antiinflamatória estudada é um tratamento indicado para vulvovaginites inespecíficas e que ambas as formas de uso säo igualmente eficazes e bem toleradas
Descritores: Ácidos Bóricos/uso terapêutico
Anti-Infecciosos Locais/uso terapêutico
Salicilatos/uso terapêutico
Vulvovaginite/tratamento farmacológico
Limites: Adulto
Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  10 / 15 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Costa, Wanderley Ferreira da
Vansan, Luiz Paschoal
Id: lil-57730
Autor: Pécora, Jesus Djalma; Murgel, Carlos Alberto Ferreira; Savioli, Ricardo Novak; Costa, Wanderley Ferreira da; Vansan, Luiz Paschoal.
Título: Estudo sobre o shelf life da soluçäo de Dakin / Study on the shelf life of Dakin solution
Fonte: Rev. odontol. Univ. Säo Paulo;1(1):3-7, jan.-mar. 1987. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Foi estudado por meio da titulometria a perda do teor de cloro da soluçäo de Dakin quando estocada em vidro ambar, mantida à temperatura ambiente, exposta à luz solar e na geladeira (9-C). Verificou-se que a soluçäo de Dakin quando exposta à luz solar perdeu 79,11 por cento do teor de cloro ativo em 122 dias, à temperatura ambiente a perda teor de cloro foi de 62,69 por cento e quando armazenada na geladeira, ou seja, a 9 graus centígrados a perda foi somente de 22,39 por cento no mesmo período
Descritores: Ácidos Bóricos/metabolismo
Cálcio/metabolismo
Carbonatos/metabolismo
Cloro/metabolismo
-Armazenamento de Medicamentos
Gelo
Luz Solar
Temperatura
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde