Base de dados : LILACS
Pesquisa : D02.092.471.320.250 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 8 [refinar]
Mostrando: 1 .. 8   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 8 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-735441
Autor: Shiraishi-Zapata, Carlos.
Título: Dexametasona versus dimenhidrinato en la profilaxis de las náuseas y vómitos postoperatorios en pacientes adultos sometidos a cirugía general y digestiva / Dexamethasone versus dimenhydrinate for prophylaxis of postoperative nausea and vomiting in adult patients undergoing general and digestive surgery
Fonte: Acta méd. peru;31(4):220-227, oct.-dic. 2014. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Introducción. Las náuseas y vómitos postoperatorios (NVPO) son complicaciones frecuentes en los pacientes quirúrgicos. Se han publicado una serie de guías clínicas y revisiones que recomiendan diferentes fármacos para la profilaxis y tratamiento de NVPO. Los fármacos dexametasona (DEX) y dimenhidrinato (DIM) son ampliamente utilizados para este fin; sin embargo, la evidencia científica que apoya la efectividad del DIM en el contexto de NVPO, es escasa. Objetivo. Determinar la dosis del fármaco (DIM o DEX con mayor efectividad en la profilaxis de náuseas y vómitos postoperatorios en pacientes adultos sometidos a cirugía general y laparoscópica. Asimismo, determinar la aparición de náuseas, vómitos, náuseas y vómitos postoperatorios, necesidad de tratamiento de rescate y efectos adversos de ambos medicamentos. Material y Método. Ensayo clínico aleatorizado realizado en el Hospital II EsSalud de Talara, Piura, Perú con 102 participantes (18 hombres y 84 mujeres) con un riesgo bajo y moderado para NVPO (09 y 93 respectivamente), los que fueron asignados en dos grupos de 51 pacientes cada uno. Un grupo de pacientes recibió DEX (4 mg) y otro DIM (50 mg) luego de la inducción de la anestesia general. Resultados. La incidencia de NVPO en la población tratada con DEX fue de 7,84% y de 39,22% en la población de pacientes que recibieron DIM. Conclusiones. La administración de 4 mg de dexametasona en el acto anestésico provee mejor profilaxis de náuseas y vómitos postoperatorios respecto a 50 mg de dimenhidrinato.

Background. Postoperative nausea and vomiting (PONV) are common complications in surgical patients. There have been a number of clinical guidelines and reviews that recommend different drugs for prophylaxis and treatment of PONV. Dexamethasone and dimenhydrinate drugs are widely used in our country for this purpose, but the scientific evidence supporting the effectiveness of dimenhydrinate in the context of PONV, is scarce. Objective. To determine the dose of the drug (dimenhydrinate or dexamethasone) more effective in the prophylaxis of postoperative nausea and vomiting in adult patients undergoing general and laparoscopic surgery. Also determine the occurrence of nausea, vomiting, PONV, need for rescue treatment and adverse effects of both drugs. Material and Method. Clinic randomized trial performed in the Hospital II Essalud Talara, Piura, Peru, with 102 participants (18 men and 84 women) with a low or moderate risk for PONV (09 and 93 respectively), which were assigned into two groups of 51 patients each. A group of patients received dexamethasone (4 mg) and another dimenhydrinate (50 mg) after induction of general anesthesia. Results. The incidence of PONV in the dexamethasonetreated population was 7,84% and 39,22% in the population of patients who received dimenhydrinate. Conclusions. The dexamethasone administration of 4 mg during anesthesia provides better prophylaxis of postoperative nausea and vomiting over dimenhydrinate administration of 50 mg.
Descritores: Dexametasona/uso terapêutico
Dimenidrinato/uso terapêutico
NAUSEA E VOMITO POS-OPERATORIO
Antibioticoprofilaxia
Limites: Humanos
Responsável: PE1.1 - Oficina Universitária de Biblioteca


  2 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1046490
Autor: Vaz, Jorge Oliveira.
Título: Náuseas e vômitos na gravidez / Nausea and vomiting in pregnancy
Fonte: Femina;47(1):52-54, 20190131. ilus.
Idioma: pt.
Descritores: Êmese Gravídica
Hiperêmese Gravídica/diagnóstico
Hiperêmese Gravídica/etiologia
Hiperêmese Gravídica/tratamento farmacológico
-Prometazina/uso terapêutico
Clorpromazina/uso terapêutico
Ondansetron/uso terapêutico
Dimenidrinato/uso terapêutico
Antagonistas dos Receptores Histamínicos/uso terapêutico
Meclizina/uso terapêutico
Metoclopramida/uso terapêutico
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Tipo de Publ: Protocolo de Ensaio Clínico
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  3 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-683418
Autor: Fernandes, César Eduardo.
Título: Medicamentos antieméticos no tratamento da náusea e vômitos associados à gestação / Antiemetic medications in the treatment of nausea and vomiting associated with pregnancy
Fonte: RBM rev. bras. med;70(6), jun. 2013.
Idioma: pt.
Resumo: Náusea e vômitos (NV) são os sintomas mais comuns durante a gravidez, geralmente iniciando-se entre a 6ª e a 8ª semana, atingindo a intensidade máxima em torno da 9ª semana e resolvendo-se até a 12ª semana. Embora sua etiologia seja, provavelmente, multifatorial, seu curso clínico se correlaciona com as concentrações plasmáticas da gonadotrofina coriônica humana. Por comprometerem a qualidade de vida, NV devem ser abordados com modificações dietéticas que incluem dieta fracionada e redução do consumo de alimentos gordurosos, entre outras. O uso de piridoxina pode melhorar a náusea de intensidade leve, embora não diminua significantemente os episódios de vômitos. Os anti-histamínicos são os medicamentos mais utilizados como terapia medicamentosa de primeira linha e têm sua segurança comprovada; dentre eles, o dimenidrinato determina início de ação mais rápido e menor sedação que a meclizina. Entre os antagonistas dopaminérgicos, a prometazina e a metoclopramida podem ser utilizadas, mas apresentam como desvantagem o potencial de eventos adversos maternos. O antagonista dos receptores 5-HT3, ondansetrona, pode ser considerado quando outros medicamentos não foram efetivos no tratamento de NV de intensidade grave. Do mesmo modo, os corticosteroides devem ter seu uso reservado para casos não responsivos a outros medicamentos e preferencialmente após a 10ª semana de gestação...
Descritores: Dimenidrinato
Gravidez
Meclizina
Náusea
Ondansetron
Piridoxina
Prometazina
Vômito
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  4 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-432171
Autor: Luisi, Flavio Augusto Vercillo; Petrilli, Antônio Sérgio; Tanaka, Cristiana; Caran, Eliana Maria Monteiro.
Título: Contribution to the treatment of nausea and emesis induced by chemotherapy in children and adolescents with osteosarcoma
Fonte: Säo Paulo med. j;124(2):61-65, Mar. -Apr. 2006. tab.
Idioma: en.
Resumo: CONTEXTO E OBJETIVO: A êmese induzida por quimioterapia é fator limitante no tratamento de crianças com câncer. O uso de quimioterapia com drogas emetogênicas tem aumentado a freqüência desse efeito colateral. O objetivo é comparar a eficácia e a toxicidade do granisetron às da combinação de altas doses de metoclopramida e dimenidrato em crianças com osteossarcoma utilizando a mesma quimioterapia. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Aberto, prospectivo, randomizado, realizado no Instituto de Oncologia Pediátrica, Departamento de Pediatria, Universidade Federal de São Paulo, Brasil. MÉTODOS: Entre fevereiro e agosto de 1994, 26 crianças com idade de 7 a 18 anos (média de 14 anos), recebendo quimioterapia para osteossarcoma, entraram no estudo. A quimioterapia consistiu de ciclos repetidos de: A) ifosfamida 2.500 mg/m² + epirrubicina 75 mg/m²; B) ifosfamida 2.500 mg/m² + carboplatina 600 mg/m²; C) carboplatina 600 mg/m² + epirrubicina 75 mg/m². 80 tratamentos quimioterápicos foram avaliados para o controle de náuse e vômito. Os pacientes foram randomizados para receber dose única de granisetron (50 µ/kg) ou metoclopramida (2 mg/kg) mais dimenidrato (5 mg/kg) infundidos por oito horas. Êmese e náusea foram monitoradas por 24 horas por meio de escore de MANE (Morrow Assessment of Nausea and Emesis). Foram utilizados testes de Qui-quadrado, t e Mann Whitney, além da técnica de análise exploratória de dados. RESULTADOS: O granisetron induziu resposta completa em 62,5% dos pacientes submetidos aos tratamentos quimioterápicos comparado a apenas 10% obtidos com a combinação de metoclopramida associado ao dimenidrato (p < 0,0001). CONCLUSÕES: Concluímos que o granisetron é droga segura e eficiente em crianças com osteossarcoma superior à associação de metoclopramida e dimenidrato no controle de náuseas e vômitos induzidos por quimioterapia para osteossarcoma em crianças.
Descritores: Antieméticos/administração & dosagem
Antineoplásicos/efeitos adversos
Náusea/prevenção & controle
Vômito/prevenção & controle
-Antineoplásicos/uso terapêutico
Neoplasias Ósseas/tratamento farmacológico
Dimenidrinato/administração & dosagem
Granisetron/administração & dosagem
Metoclopramida/administração & dosagem
Náusea/induzido quimicamente
Osteossarcoma
Estudos Prospectivos
Vômito/induzido quimicamente
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Caovilla, Heloisa Helena
Id: lil-317009
Autor: Ganança, Maurício Malavasi; Caovilla, Heloísa Helena; Munhoz, Mário Sérgio Lei; Silva, Maria Leonor Garcia da; Ganança, Fernando Freitas.
Título: Labirintopatias / Vestibular disorders
Fonte: RBM rev. bras. med;58(n.esp):129:132:134:passim-130-132-135, dez. 2001.
Idioma: pt.
Resumo: Os medicamentos antivertigem têm sido amplamente utilizados no tratamento sintomático dos transtornos vestibulares periféricos e centrrais de etiologias variadas. Este artigo apresenta uma revisäo sobre algumas informaçöes da experiência clínica com a utilizaçäo da betaistina, cinarizina, clonazepan, domperidona, dimenidrinato, flunarizina, extrato de ginkgo biloba (EGb-761) e pentoxifilina no tratamento clínico da vertigem crônica e sintomas relacionados. Esses medicamentos apresentam eficácia e segurança comprovadas no controle na vertigem e de outras modalidades de tontura em diversas doenças vestibulares de etiologia periférica ou central.(au)
Descritores: Cinarizina
Dimenidrinato
Doenças do Labirinto/diagnóstico
Doenças do Labirinto/tratamento farmacológico
Domperidona
Flunarizina
Ginkgo biloba
Pentoxifilina
Limites: Humanos
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  6 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-292291
Autor: Corvera, Jorge.
Título: Revisión de los medicamentos antivertiginosos / a review of antivertigo medication
Fonte: An. otorrinolaringol. mex;45(2):79-93, mar.-mayo 2000. CD-ROM.
Idioma: es.
Resumo: Objetivo. Valorar la información existente sobre los efectos de las sustancias antivertiginosas, basados en la bibliografía asequible. Información. Se localizaron artículos pertinentes en Medline y en revistas obtenidas en la ciudad de México. Selección del material. Los artículos se seleccionaron en base a su aparente consistencia interna y su relación con el propósito de la revisión. Conclusión. Se evaluaron 22 substancias pertenecientes a 8 grupos farmacológicos (colinérgicos, antihistamínicos, GABAérgicos, bloqueadores de canales de calcio, serotoninérgicos, hemorreológicos, antiagregantes plaquetarios y diuréticos) útiles en diversos padecimientos vertiginosos. Se advirtió la necesidad de un método objetivo y cuantitativo para valorar resultados de ensayos clínicos en humanos. Mientra esto no ocurra, tendremos que usar los medicamentos en base de una información veraz, confiable y basada sólidamente en la farmacología estudiada en experimentos con animales y en la valoración cuidadosa de los efectos -buenos y malos- observados en nuestros pacientes.
Descritores: Acetilcolina/farmacologia
Antagonistas Colinérgicos/farmacologia
Atropina/farmacologia
Histamina/farmacologia
Escopolamina/farmacologia
Vertigem/tratamento farmacológico
-beta-Histina/farmacologia
Bloqueadores dos Canais de Cálcio/farmacologia
Cinarizina/farmacologia
Clemastina/farmacologia
Dimenidrinato/farmacologia
Antagonistas dos Receptores Histamínicos H1/farmacologia
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: MX1.1 - CENIDSP - Centro de Información para Decisiones en Salud Pública


  7 / 8 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-247187
Autor: Mota, Augusto; Giglio, Auro del.
Título: Novos avanços no controle da náusea pós-quimioterapia antineoplásica / New advances in controlling nausea and vomiting related to anticancer chemotherapy
Fonte: Rev. bras. mastologia;8(4):196-203, dez. 1998. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A náusea é um dos efeitos colaterais mais temidos pelos pacientes que se submetem à quimioterapia (QT) antineoplásica. O controle inadequado desta complicaçäo confere significativa morbidade aos pacientes tratados com QT. Com o advento dos antagonistas dos receptores 5-HT, a incidência de náusea e vômito relacionados à quimioterapia (NVQT) diminuiu significativamente. Isso permitiu a administraçäo de regimes altamente emetizantes em nível ambulatorial para a maioria dos pacientes com câncer, melhorando sua qualidade de vida. O uso dessas drogas, entretanto, aumentou sobremaneira os custos do tratamento. Nesta revisäo, abordaremos sumariamente os mecanismos fisiopatológicos da emese, para entäo podermos compreender como atuam as drogas antieméticas atualmente utilizadas na prática oncológica. Discutiremos também os novos rumos da pesquisa clínica nesta área, incluindo estratégias para minimizar o custo desse tratamento
Descritores: Antineoplásicos/efeitos adversos
Dexametasona/administração & dosagem
Dexametasona/uso terapêutico
Dimenidrinato/administração & dosagem
Dimenidrinato/uso terapêutico
Tratamento Farmacológico/efeitos adversos
Granisetron/administração & dosagem
Granisetron/uso terapêutico
Haloperidol/administração & dosagem
Haloperidol/uso terapêutico
Lorazepam/administração & dosagem
Lorazepam/uso terapêutico
Metoclopramida/administração & dosagem
Metoclopramida/uso terapêutico
Náusea/tratamento farmacológico
Náusea/etiologia
Ondansetron/administração & dosagem
Ondansetron/uso terapêutico
Antagonistas da Serotonina/uso terapêutico
-Antieméticos/uso terapêutico
Vômito/tratamento farmacológico
Vômito/etiologia
Limites: Humanos
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  8 / 8 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-14734
Autor: Vidal de Roja, F; Rosario Guerrero, M. E. del; Alonso Mendez Feliz, P; Miguel Morales, D.
Título: Dimenhidrinato en la labor del parto. / Dimenhydrinate and the labor onset
Fonte: Rev. méd. domin;43(2):91-7, 1983.
Idioma: es.
Descritores: Dimenidrinato
Trabalho de Parto Induzido
Trabalho de Parto
Limites: Gravidez
Adolescente
Adulto
Humanos
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde