Base de dados : LILACS
Pesquisa : D02.092.831.690 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 29 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 3 ir para página          

  1 / 29 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-516137
Autor: González Capdevila, Gabriela.
Título: Contraindicación de la prometazina en menores de dos años / Contraindication of the prometazine in minors of two years
Fonte: Evid. actual. práct. ambul;9(3):91-91, mayo-jun. 2006.
Idioma: es.
Resumo: Tomando como escenario la reciente noticia de la suspensión de la autorización del uso de prometazina en menores de dos años, resumiendo los reportes de sus efectos adversos de las últimas década y repasando las actuales indicaciones de la droga, la autora se pregunta si está establecida su seguridad en niños y en ancianos; y discute las políticas de inclusión de algunos fármacos dentro del subgrupo de ôventa libreõ, así como la agilidad de los mecanismos de regulación frente la evidencia que surge de los sistemas de fármacovigilancia.
Descritores: Preparações Farmacêuticas/administração & dosagem
Prometazina/administração & dosagem
Prometazina
Prometazina/efeitos adversos
Vigilância Sanitária
-Combinação de Medicamentos
Limites: Pré-Escolar
Criança
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  2 / 29 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-150015
Autor: Ramírez López, Faustino; Fernández Peña, Wilde; Hierro Fuente, Mario; Llanes Llanes, Julio.
Título: Profilaxis a las reacciones alérgicas de las pruebas contrastadas en Rayos X: descripción de la técnica / Prophylaxis for allergic reactions due to contrast tests in X-Rays: description of the technique
Fonte: Rev. cuba. enferm;9(1):34-8, ene.-jun. 1993. tab.
Idioma: es.
Resumo: A 101 pacientes entre los 20 y 60 años de edad se lesaplicó la técnica de la profilaxis a las reacciones alérgicas de las pruebas contrastadas en Rayos-X, para lo cual se inyectó por vía intravenosa un antihistamínico (prometacina 25 mg) y un corticosteroide (hidrocortisona 100 mg o 1 bulbo de prednisol 60), previo a la prueba. Se describe la técnica de la profilaxis, y se muestran, resultados satisfactorios en todos los pacientes a quienes se les realizó la prueba contrastada. Con este método se evitaron efectos indeseables de las sustancias yodadas en pacientes sin historia de alergia al yodo, en pruebas como urograma descendennte, cistografía, fistulografía, etcétera. Se indica que existen textos donde se apoya el uso de medicamentos para el tratamiento sintomático frente a efectos indeseables del yodo en pruebas contrastadas
Descritores: Meios de Contraste/efeitos adversos
Hipersensibilidade a Drogas/prevenção & controle
-Prometazina/administração & dosagem
Hidrocortisona/administração & dosagem
Prednisona/administração & dosagem
Limites: Humanos
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: CU1 - INFOMED - Centro Nacional de Información de Ciencias Médicas


  3 / 29 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1046490
Autor: Vaz, Jorge Oliveira.
Título: Náuseas e vômitos na gravidez / Nausea and vomiting in pregnancy
Fonte: Femina;47(1):52-54, 20190131. ilus.
Idioma: pt.
Descritores: Êmese Gravídica
Hiperêmese Gravídica/diagnóstico
Hiperêmese Gravídica/etiologia
Hiperêmese Gravídica/tratamento farmacológico
-Prometazina/uso terapêutico
Clorpromazina/uso terapêutico
Ondansetron/uso terapêutico
Dimenidrinato/uso terapêutico
Antagonistas dos Receptores Histamínicos/uso terapêutico
Meclizina/uso terapêutico
Metoclopramida/uso terapêutico
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Tipo de Publ: Protocolo de Ensaio Clínico
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  4 / 29 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-683418
Autor: Fernandes, César Eduardo.
Título: Medicamentos antieméticos no tratamento da náusea e vômitos associados à gestação / Antiemetic medications in the treatment of nausea and vomiting associated with pregnancy
Fonte: RBM rev. bras. med;70(6), jun. 2013.
Idioma: pt.
Resumo: Náusea e vômitos (NV) são os sintomas mais comuns durante a gravidez, geralmente iniciando-se entre a 6ª e a 8ª semana, atingindo a intensidade máxima em torno da 9ª semana e resolvendo-se até a 12ª semana. Embora sua etiologia seja, provavelmente, multifatorial, seu curso clínico se correlaciona com as concentrações plasmáticas da gonadotrofina coriônica humana. Por comprometerem a qualidade de vida, NV devem ser abordados com modificações dietéticas que incluem dieta fracionada e redução do consumo de alimentos gordurosos, entre outras. O uso de piridoxina pode melhorar a náusea de intensidade leve, embora não diminua significantemente os episódios de vômitos. Os anti-histamínicos são os medicamentos mais utilizados como terapia medicamentosa de primeira linha e têm sua segurança comprovada; dentre eles, o dimenidrinato determina início de ação mais rápido e menor sedação que a meclizina. Entre os antagonistas dopaminérgicos, a prometazina e a metoclopramida podem ser utilizadas, mas apresentam como desvantagem o potencial de eventos adversos maternos. O antagonista dos receptores 5-HT3, ondansetrona, pode ser considerado quando outros medicamentos não foram efetivos no tratamento de NV de intensidade grave. Do mesmo modo, os corticosteroides devem ter seu uso reservado para casos não responsivos a outros medicamentos e preferencialmente após a 10ª semana de gestação...
Descritores: Dimenidrinato
Gravidez
Meclizina
Náusea
Ondansetron
Piridoxina
Prometazina
Vômito
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  5 / 29 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Lemos, Tadeu
Texto completo
Id: biblio-868075
Autor: Serrano, Alan Indio; Lemos, Tadeu; Delziovo, Carmem Regina; Rossoni, Janaíne; Silveira, Plínio Augusto Freitas.
Título: Abordagem de transtornos por crack e cocaína em gestantes e em bebês: protocolo clínico / Approach of crack and cocaine disorders in pregnant women and infants: clinical protocol.
Fonte: Florianópolis; Santa Catarina (Estado). Secretaria da Saúde; [2014].
Idioma: pt.
Descritores: Protocolos Clínicos
Transtornos Relacionados ao Uso de Cocaína/diagnóstico
Cocaína Crack
Gestantes
Detecção do Abuso de Substâncias
-Transtornos Relacionados ao Uso de Cocaína/terapia
Feto
Haloperidol/uso terapêutico
Lorazepam/uso terapêutico
Prometazina/uso terapêutico
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/psicologia
Limites: Humanos
Gravidez
Recém-Nascido
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 29 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-584104
Autor: Baldaçara, Leonardo; Sanches, Marsal; Cordeiro, Daniel Cruz; Jackoswski, Andrea Parolin.
Título: Rapid tranquilization for agitated patients in emergency psychiatric rooms: a randomized trial of olanzapine, ziprasidone, haloperidol plus promethazine, haloperidol plus midazolam and haloperidol alone / Tranquilização rápida para pacientes agitados nos serviços de emergência psiquiátrica: um ensaio clínico randomisado de olanzapina, ziprasidona, haloperidol mais prometazina, haloperidol mais midazolam e haloperidol em monoterapia
Fonte: Rev. bras. psiquiatr;33(1):30-39, Mar. 2011. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: To compare the effectiveness of intramuscular olanzapine, ziprasidone, haloperidol plus promethazine, haloperidol plus midazolam and haloperidol alone as the first medication(s) used to treat patients with agitation and aggressive behavior. METHOD: One hundred fifty patients with agitation caused by psychotic or bipolar disorder were randomly assigned under double-blind conditions to receive olanzapine, ziprasidone, haloperidol plus midazolam, haloperidol plus promethazine or haloperidol alone. The Overt Agitation Severity Scale, Overt Aggression Scale and Ramsay Sedation Scale were applied within 12 hours after the first dosage. RESULTS: All medications produced a calming effect within one hour of administration, but only olanzapine and haloperidol reduced agitation by less than 10 points, and only olanzapine reduced aggression by less than four points in the first hour. After twelve hours, only patients treated with haloperidol plus midazolam had high levels of agitation and aggression and also more side effects. Ziprasidone, olanzapine and haloperidol alone had more stable results for agitation control, while ziprasidone, haloperidol plus promethazine and olanzapine had stable results for aggression control. CONCLUSION: Olanzapine, ziprasidone, haloperidol plus promethazine, haloperidol plus midazolam and haloperidol were effective in controlling agitation and aggression caused by mental illness over 12 hours. Although all the drugs had advantages and disadvantages, haloperidol plus midazolam was associated with the worst results in all the observed parameters.

OBJETIVO: Comparar a eficácia da olanzapina, ziprasidona, haloperidol associado ao midazolam, haloperidol associado à prometazina e haloperidol isoladamente por via intramuscular como primeira escolha no tratamento de pacientes em agitação e agressividade. MÉTODO: Cento e cinquenta pacientes com agitação psicomotora por transtorno psicótico ou transtorno bipolar foram recrutados para estudo duplo-cego e receberam olanzapina, ziprasidona, haloperidol associado a midazolam, haloperidol associado a prometazina ou haloperidol isoladamente. Foram aplicadas as escalas Overt Agitation Severity Scale, Overt Aggression Scale e Ramsay Sedation Scale no período de 12 horas após a primeira aplicação. RESULTADOS: Todas as medicações foram capazes de acalmar os pacientes após uma hora da administração. Apenas a olanzapina e o haloperidol reduziram a agitação para menos de 10 pontos e apenas a olanzapina reduziu a agressividade para menos de quatro pontos nesse período. Doze horas depois, apenas o haloperidol com midazolam apresentou valores altos para a agitação e agressividade, e também esteve relacionado com maior proporção de efeitos colaterais. A ziprasidona, a olanzapina e o haloperidol apresentaram resultados mais estáveis para o controle da agitação e a ziprasidona, haloperidol associado a prometazina e olanzapina para o controle da agressividade. CONCLUSÃO: A olanzapina, a ziprasidona, o haloperidol associado a prometazina, o haloperidol associado ao midazolam e o haloperidol isoladamente foram efetivos no controle da agitação e da agressividade secundária a transtornos mentais dentro de 12 horas. Todas as drogas apresentaram vantagens e desvantagens, exceto pela associação haloperidol e midazolam que demonstrou os piores resultados em todos os parâmetros.
Descritores: Antipsicóticos/administração & dosagem
Transtorno Bipolar/tratamento farmacológico
Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem
Agitação Psicomotora/tratamento farmacológico
Transtornos Psicóticos/tratamento farmacológico
-Agressão
Benzodiazepinas/administração & dosagem
Benzodiazepinas/efeitos adversos
Método Duplo-Cego
Quimioterapia Combinada/efeitos adversos
Quimioterapia Combinada/métodos
Serviços de Emergência Psiquiátrica
Haloperidol/administração & dosagem
Haloperidol/efeitos adversos
Injeções Intramusculares
Midazolam/administração & dosagem
Midazolam/efeitos adversos
Piperazinas/administração & dosagem
Piperazinas/efeitos adversos
Prometazina/administração & dosagem
Prometazina/efeitos adversos
Agitação Psicomotora/psicologia
Tiazóis/administração & dosagem
Tiazóis/efeitos adversos
Tranquilizantes/efeitos adversos
Limites: Adulto
Feminino
Humanos
Masculino
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 29 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-543679
Autor: Tiwari, Ruchi; Srivastava, Birendra; Tiwari, Gaurav; Rai, Awanik.
Título: Extended release promethazine HCl using acrylic polymers by freeze-drying and spray-drying techniques: formulation considerations / Liberação prolongada prometazina HCl utilizando polímeros acrílicos por liofilização e técnicas de secagem por aspersão: consideração de formulação
Fonte: Braz. j. pharm. sci;45(4):829-840, Oct.-Dec. 2009. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: The present study investigated a novel extended release system of promethazine hydrochloride (PHC) with acrylic polymers Eudragit RL100 and Eudragit S100 in different weight ratios (1:1 and 1: 5), and in combination (0.5+1.5), using freeze-drying and spray-drying techniques. Solid dispersions were characterized by Fourier-transformed infrared spectroscopy (FT-IR), differential scanning calorimetry (DSC), Powder X-ray diffractometry (PXRD), Nuclear magnetic resonance (NMR), Scanning electron microscopy (SEM), as well as solubility and in vitro dissolution studies in 0.1 N HCl (pH 1.2), double-distilled water and phosphate buffer (pH 7.4). Adsorption tests from drug solution to solid polymers were also performed. A selected solid dispersion system was developed into capsule dosage form and evaluated for in vitro dissolution studies. The progressive disappearance of drug peaks in thermotropic profiles of spray-dried dispersions were related to increasing amount of polymers, while SEM studies suggested homogenous dispersion of drug in polymer. Eudragit RL100 had a greater adsorptive capacity than Eudragit S100, and thus its combination in (0.5+1.5) for S100 and RL 100 exhibited a higher dissolution rate with 97.14 percent drug release for twelve hours. Among different formulations, capsules prepared by combination of acrylic polymers using spray-drying (1:0.5 + 1.5) displayed extended release of drug for twelve hours with 96.87 percent release followed by zero order kinetics (r²= 0.9986).

O presente trabalho compreendeu estudo de um novo sistema de liberação prolongada de cloridrato de prometazina (PHC) com polímeros acrílicos Eudragit RL100 e Eudragit S100 em diferentes proporções em massa (1:1 e 1:5) e em combinação (0,5+1,5), utilizando técnicas de liofilização e de secagem por aspersão As dispersões sólidas foram caracterizadas por espectrofotometria no infravermelho por transformada de Fourier (FT-IR), calorimetria diferencial de varredura (DSC), difratometria de raios X (PXRD), Ressonância Magnética Nuclear (RMN), microscopia eletrônica de varredura (SEM) e, também, por estudos de solubilidade e de dissolução in vitro em HCl 0,1 N (pH 1,2), água bidestilada e tampão fosfato (pH 7,4). Realizaram-se, também, testes de adsorção da solução do fármaco nos polímeros sólidos. Desenvolveu-se sistema de dispersão sólida exclusiva dentro das cápsulas, que foi avaliado por meio de estudos de dissolução in vitro. Relacionou-se o desaparecimento progressivo de picos do fármaco em perfis termotrópicos de dispersões secas por spray à quantidade aumentada de polímero, enquanto os estudos de SEM sugeriram dispersão homogênea do fármaco no polímero. O Eudragit RL100 apresentou maior capacidade de adsorção do que o Eudragit S100 e, dessa forma, a combinação de (0,5+1,5) para S100 e para RL100 mostrou taxa de dissolução maior, com liberação de 94,17 por cento de fármaco em 12 horas. Entre as várias formulações, as cápsulas preparadas pela combinação de polímeros acrílicos utilizando secagem por aspersão (0,5+1,5) apresentou liberação prolongada do fármaco em 12 horas, com 96,78 por cento de liberação, seguindo cinética de ordem zero (r² = 0,9986).
Descritores: Ácido Clorídrico/farmacocinética
Química Farmacêutica
Preparações de Ação Retardada
Polímeros/farmacocinética
Fenômenos de Química Orgânica
Prometazina/farmacocinética
-Avaliação de Medicamentos
Liofilização
Preparações Farmacêuticas
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas


  8 / 29 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-526266
Autor: Huf, Gisele; Coutinho, Evandro Silva Freire; Adams, Clive Elliot.
Título: Haloperidol mais prometazina para pacientes agitados - uma revisão sistemática / Haloperidol plus promethazine for agitated patients - a systematic review
Fonte: Rev. bras. psiquiatr;31(3):265-270, Sept. 2009. tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: A tranquilização farmacológica rápida e segura de episódios de agitação/agressividade é muitas vezes inevitável. Esta revisão investiga a efetividade da combinação haloperidol e prometazina intramuscular, muito utilizada no Brasil. MÉTODO: Através de busca nos registros do Cochrane Schizophrenia Group, foram incluídos todos os ensaios clínicos nos quais a combinação haloperidol e prometazina foi avaliada em pacientes agressivos com psicose. Todos os estudos relevantes foram avaliados quanto à qualidade e tiveram seus dados extraídos de forma confiável. RESULTADOS: Foram identificados quatro estudos relevantes de alta qualidade. A combinação haloperidol e prometazina foi comparada com midazolam, lorazepam, haloperidol isolado e olanzapina, todos administrados por via intramuscular. No Brasil, a combinação foi efetiva, com mais de 2/3 dos pacientes tranquilos em 30 minutos, mas midazolam foi mais rápido. Na Índia, comparado a lorazepam, a combinação haloperidol e prometazina foi mais efetiva. Após as primeiras horas, as diferenças foram negligenciáveis. O uso de haloperidol isolado acarretou maior incidência de efeitos adversos. Olanzapina promove tranquilização tão rapidamente quanto a combinação, mas não tem efeito tão duradouro e mais pessoas necessitaram medicação adicional nas quatro horas subseqüentes. CONCLUSÃO: Todos os medicamentos avaliados são eficazes, mas esta revisão demonstra vantagens no uso da combinação haloperidol e prometazina.

OBJECTIVE: Rapid and safe tranquillisation is sometimes unavoidable. We conducted this systematic review to determine the value of the combination haloperidol plus promethazine, frequently used in Brazil. METHOD: We searched the Cochrane Schizophrenia Group's Register and included all randomised clinical trials involving aggressive people with psychosis for which haloperidol plus promethazine was being used. We reliably selected, quality assessed and extracted data from all relevant studies. RESULTS: We identified four relevant high quality studies. The combination haloperidol plus promethazine mix was compared with midazolam, lorazepam, haloperidol alone and olanzapine Intramuscular. In Brazil, haloperidol plus promethazine was effective with over 2/3 of people being tranquil by 30 minutes, but midazolam was more swift and in India, compared with lorazepam, the combination was more effective. Over the next few hours reported differences are negligible. Haloperidol given without promethazine in this situation causes frequent serious adverse effects. Olanzapine is as rapidly tranquillising as haloperidol plus promethazine, but did not have an enduring effect and more people needed additional drugs within 4 hours. CONCLUSION: All treatments evaluated are effective, but this review provides compelling evidence as to clear advantages of the haloperidol plus promethazine combination.
Descritores: Antipsicóticos/uso terapêutico
Haloperidol/uso terapêutico
Prometazina/uso terapêutico
Agitação Psicomotora/tratamento farmacológico
-Ansiolíticos/uso terapêutico
Benzodiazepinas/uso terapêutico
Quimioterapia Combinada
Lorazepam/uso terapêutico
Midazolam/uso terapêutico
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Metanálise
Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 29 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-402308
Autor: Amaral, Geraldo Francisco do; Cardoso, Lúcio Malagoni; Gil, Tânia Lúcia Rodrigues.
Título: Pródromos de síndrome neuroléptica maligna associados ao uso de prometazina? Relato de caso / Promethazine administration associated neuroleptic malignant syndrome prodromi? Cae report
Fonte: J. bras. psiquiatr;53(4):236-240, jul.-ago. 2004. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Relata-se um caso de síndrome neuroléptica maligna (SNM) cujas manifestações tiveram início após administração de prometazina. Sintomas atenuados antecederam em dias o quadro clínico completo, que se instalou totalmente no período inicial da internação hospitalar, cursando com evolução clínica favorável
Descritores: Prometazina
Síndrome Maligna Neuroléptica/etiologia
Limites: Humanos
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  10 / 29 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Marzochi, Keyla Belizia Feldman
Marzochi, Mauro Célio de Almeida
Texto completo
Id: lil-341068
Autor: Fagundes, Aline; Marzochi, Keyla Belizia Feldman; Marzochi, Mauro Celio de Almeida.
Título: Ocorrência de reaçäo imediata generalizada à intradermorreaçäo de Montenegro / Immediate and generalized reaction to Montenegro skin test
Fonte: Rev. Soc. Bras. Med. Trop;36(3):413-414, maio-jun. 2003.
Idioma: pt.
Resumo: É descrito pela primeira vez um caso de reaçäo exantemática imediata e generalizada após teste de Montenegro com antígeno mertiolatado. A reaçäo consistiu de eritema urticariforme generalizado associado a prurido. O prurido desapareceu na primeira hora após a medicaçäo com brometazina por via oral e a erupçäo 12 horas após
Descritores: Anti-Infecciosos Locais
Exantema
Testes Intradérmicos
-Exantema
Prometazina
Limites: Humanos
Adulto
Masculino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 3 ir para página          
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde