Base de dados : LILACS
Pesquisa : D02.455.426.100.050.035.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 19 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 19 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Brucki, Sonia Maria Dozzi
Radanovic, Márcia
Texto completo
Id: lil-592298
Autor: Brucki, Sonia Maria Dozzi; Ferraz, Ana Cláudia; Freitas, Gabriel R de; Massaro, Ayrton Roberto; Radanovic, Márcia; Schultz, Rodrigo Rizek.
Título: Tratamento da demência vascular / Treatment of vascular dementia
Fonte: Dement. neuropsychol;5(supl 1), jun. 2011.
Idioma: en.
Resumo: O DC de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da ABN reuniu-se para escrever recomendações para o tratamento da demência vascular, uma vez que não havia nenhuma recomendação neste sentido. Esta doença tem inúmeras particularidades e pode ser considerada uma das demências que pode ser prevenida. O tratamento para sua prevenção é o de cuidados primários para os fatores de risco vasculares, ou a prevenção secundária dos fatores que levam a recorrência de alterações isquêmicas ou hemorrágicas cerebrais. Nestas recomendações sugerimos apenas o tratamento sintomático, medicamentoso ou não. Baseamo-nos nas evidências disponíveis, através da revisão das publicações nas bases MEDLINE (PubMed), LILACS e Cochrane Library. Foram analisados artigos relacionados exclusivamente à demência vascular. As recomendações dizem respeito aos seguintes fatores e suas evidências na prevenção, associação ou tratamento da demência vascular: atividade física, álcool, tabagismo, dieta e suplementos, hipertensão arterial, diabetes mellitus, obesidade, estatinas, insuficiência cardíaca, fibrilação atrial, antiagregantes, apneia do sono, revascularização carotídea e tratamento farmacológico sintomático.
Descritores: Brasil
Demência Vascular
Memantina
Colinesterases
Guias como Assunto
Consenso
Tratamento Farmacológico
Prevenção de Doenças
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  2 / 19 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-749251
Autor: Abib Júnior, Eduardo; Duarte, Luciana Fernandes; Pereira, Renata; Lemes, Anderson Belli; Estella, Mariana; Souza, Elisabete Abib Pedroso de; Morais, Douglas Costa; Souza, Carla Graziella Queiroga de; Savio, Daniele; Pengo, Sérgio; Cerliani, Alessia; Donatini, Alessio.
Título: Estudo de biodisponibilidade relativa para avaliação da farmacocinética de memantina associada a donepezila em voluntários sadios de ambos os sexos / Relative bioavailability study of pharmacokinetic evaluation of memantine associated with donepezil in healthy volunteers for both sexes
Fonte: RBM rev. bras. med;72(4), abr. 2015.
Idioma: pt.
Resumo: O estudo foi realizado para comparar a biodisponibilidade da associação em dose fixa de memantina 20 mg e donepezila 10 mg comprimido revestido (Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A., formulação teste) e Ebix® 10 mg comprimido revestido (Lundbeck Brasil Ltda., formulação referência) e Eranz® 10 mg comprimido revestido (Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda, formulação referência) em 36 voluntários de ambos os sexos. O estudo foi aberto, aleatorizado, 2-tratamentos, 2-sequências, 2-períodos, cruzado, dose única, nos quais um grupo de voluntários recebeu a formulação teste e outro as formulações de referências administradas concomitantemente. As amostras de sangue foram obtidas ao longo de um intervalo de 96 horas. As concentrações de memantina e donepezila foram determinadas através de espectrometria de massa (UPLC-MS-MS), utilizando amantadina e loratadina como padrão interno. A média geométrica de memantina associada a donepezila/Ebix® 10 mg foi de 98,75% para ASC0-t e 96,95% para "Cmáx". Os intervalos de confiança de 90% foram de 96,01%-101,58% e 93,50%-100,54%, respectivamente. A média geométrica de memantina associada a donepezila/Eranz® 10 mg foi de 92,03% para ASC0-t e 94,77% para "Cmáx". Os intervalos de confiança de 90% foram de 89,47%-94,67% e 88,22%-101,80%, respectivamente. Uma vez que os intervalos de confiança de 90% para "Cmáx" e ASC0-t estiveram dentro da faixa de 80%-125% proposta pelo FDA e pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil), conclui-se que o comprimido de memantina 20 mg associado a donepezila 10 mg foi bioequivalente à administração concomitante de dois comprimidos de Ebix® 10 mg e 1 comprimido de Eranz® 10 mg e, desta forma, o produto teste pode ser considerado intercambiável na prática médica.
Descritores: Disponibilidade Biológica
Equivalência Terapêutica
Cromatografia
Farmacocinética
Memantina
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto Jovem
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  3 / 19 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-704909
Autor: Ramos, Kathlen.
Título: Memantina mostra eficácia para síndrome de Down / Memantine shows efficacy for Down syndrome
Fonte: RBM rev. bras. med;70(2,n.esp), mar.-abr. 2013.
Idioma: pt.
Descritores: Memantina
Síndrome de Down
Tipo de Publ: Estudos de Avaliação
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  4 / 19 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Brucki, Sonia Maria Dozzi
Radanovic, Márcia
Texto completo
Id: lil-612057
Autor: Brucki, Sonia Maria Dozzi; Ferraz, Ana Cláudia; Freitas, Gabriel R. de; Massaro, Ayrton Roberto; Radanovic, Márcia; Schultz, Rodrigo Rizek.
Título: Treatment of vascular dementia. Recommendations of the Scientific Department of Cognitive Neurology and Aging of the Brazilian Academy of Neurology / Tratamento da demência vascular. Recomendações do Departamento Científico de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia
Fonte: Dement. neuropsychol;5(4), dez. 2011.
Idioma: en.
Resumo: Scientific Department of Cognitive Neurology and Aging of ABN had a consensus meeting to write recommendations on treatment of vascular dementia, there was no previous issue. This disease has numerous particularities and can be considered a preventable dementia. Prevention treatment is primary care of vascular risk factors or a secondary prevention of factors that could cause recurrence of ischemic or hemorrhagic brain modifications. In these guidelines we suggested only symptomatic treatment, pharmacologic or non-pharmacologic. We have reviewed current publications on MEDLINE (PubMed), LILACS e Cochrane Library databases. Recommendations are concern to the following factors and their prevention evidences, association, or treatment of vascular dementia: physical activity, tobacco use, diet and food supplements, arterial hypertension, diabetes mellitus, obesity, statins, cardiac failure, atrial fibrillation, antithrombotics, sleep apnea, carotid revascularization, symptomatic pharmacological treatment.

O DC de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da ABN reuniu-se para escrever recomendações para o tratamento da demência vascular, uma vez que não havia nenhuma recomendação neste sentido. Esta doença tem inúmeras particularidades e pode ser considerada uma das demências que pode ser prevenida. O tratamento para sua prevenção é o de cuidados primários para os fatores de risco vasculares, ou a prevenção secundária dos fatores que levam a recorrência de alterações isquêmicas ou hemorrágicas cerebrais. Nestas recomendações sugerimos apenas o tratamento sintomático, medicamentoso ou não. Baseamo-nos nas evidências disponíveis, através da revisão das publicações nas bases MEDLINE (PubMed), LILACS e Cochrane Library. As recomendações dizem respeito aos seguintes fatores e suas evidências na prevenção, associação ou tratamento da demência vascular: atividade física, álcool, tabagismo, dieta e suplementos, hipertensão arterial, diabetes mellitus, obesidade, estatinas, insuficiência cardíaca, fibrilação atrial, antiagregantes, apneia do sono, revascularização carotídea e tratamento farmacológico sintomático.
Descritores: Demência Vascular
Memantina
Colinesterases
Tratamento Farmacológico
Prevenção de Doenças
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  5 / 19 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-949599
Autor: Otálora-Esteba, Margarita; García-Alfonso, Carolina; Velasco, Mario; Baquero, Laura; Castañeda-Cardona, Camilo; Rosselli, Diego.
Título: Rivastigmina parches sola o combinada con memantina, comparada con memantina sola en pacientes con enfermedad de Alzheimer moderada y severa: revisión sistemática de la literatura / Rivastigmine patches alone or combined with memantine compared with memantine alone in patients with moderate to severe Alzheimer's disease: Systematic review of the literature
Fonte: Acta neurol. colomb;32(4):337-346, oct.-dic. 2016. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Resumen Introducción: la enfermedad de Alzheimer (EA), una condición neurodegenerativa irreversible y progresiva, es la causa más frecuente de demencia y genera una gran carga económica anual. El objetivo de este estudio fue realizar una revisión sistemática de la literatura para determinar la seguridad y eficacia de rivastigmina parche, sola o en combinación con memantina, comparadas con la memantina en monoterapia para el tratamiento de la EA moderada y severa. Métodos: se realizó una búsqueda sistemática de la literatura. Se incluyeron estudios clínicos controlados aleatorizados de pacientes con diagnóstico de EA moderada a severa, evaluando los desenlaces de eficacia y seguridad. Resultados: los resultados de los estudios experimentales que comparan dosis de rivastigmina en parche, indican una posible diferencia en algunos desenlaces de eficacia, tales como desempeño de las actividades diarias, actividades instrumentales y funcionamiento general en pacientes con EA moderada y severa, sin diferencia significativa en los desenlaces de seguridad. Se observó una tendencia a favor de la terapia combinada en algunos desenlaces como cambio en puntuación de MMSE y actividades diarias instrumentales. Discusión: la evidencia disponible apoya el uso de rivastigmina, y la combinación con memantina parece una opción terapéutica apropiada en casos seleccionados.

Summary Introduction: Alzheimer's disease (AD), an irreversible, progressive neurodegenerative condition, is the most common cause of dementia and generates a high economic burden. The aim of this study was to conduct a systematic review of the literature to determine the safety and efficacy of rivastigmine patch, alone or in combination with memantine, compared with memantine monotherapy for the treatment of moderate to severe AD. Methods: A systematic search of the literature was conducted. Including randomized controlled trials of patients diagnosed with moderate to severe AD, evaluating outcomes of effectiveness and safety. Results: The results of experimental studies comparing doses of rivastigmine patches indicate a possible difference in some of the outcomes of effectiveness such as performance in activities of daily living, instrumental activities, and overall functioning, in patients with moderate and severe AD, without significant difference in safety outcomes. A trend in favor of combination therapy in some of the outcomes, as change in MMSE score and instrumental daily activities, was observed. Discussion: The available evidence supports the use of rivastigmine, and the association with memantine seems an appropriate therapeutic option in selected cases.
Descritores: Memantina
Inibidores da Colinesterase
Doença de Alzheimer
Responsável: CO362.9


  6 / 19 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-908680
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos.
Título: Memantina para doença de Alzheimer / Memantine for Alzheimer's disease.
Fonte: Brasília; CONITEC; out. 2017. graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: CONTEXTO: A doença de Alzheimer (DA) é uma afecção crônica e progressiva que leva à neurodegeneração gradual e demência e se caracteriza por perda cognitiva progressiva, sintomas neuropsiquiátricos (comportamentais) e prejuízo das atividades da vida diária (funcionais) dos doentes. Por meio do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) da DA o Ministério da Saúde preconiza tratamento com inibidores das colinesterases ­ donepezila, galantamina e rivastigmina - para melhorar a função cognitiva e o estado clínico geral de pacientes com doença de gravidade leve a moderada. O presente relatório foi elaborado como parte da conduta de revisão do PCDT da DA e tem por objetivo avaliar as evidências de segurança e eficácia de memantina como tratamento da DA leve, moderada e grave. TECNOLOGIA: Cloridrato de memantina. INDICAÇÃO: Doença de Alzheimer (CID-10 G30). PERGUNTA: Memantina é eficaz e segura no tratamento de pacientes com doença de Alzheimer leve, moderada e grave quando comparada a inibidores da colinesterase ou placebo na evolução de sintomas cognitivos, sintomas comportamentais ou neuropsiquiátricos, atividades da vida diária, impressão clínica global e efeitos adversos? EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS: Foram realizadas buscas nas bases de dados Medline/PubMed, Embase e Cochrane Library por meio de estratégias elaboradas com termos específicos para cada base. Foram avaliadas 10 metanálises e 1 revisão sistemática da Cochrane. Dentre os 11 estudos incluídos, sete se referiam ao uso de memantina em monoterapia versus placebo e em 4 se avaliou a combinação de memantina com inibidores da acetilcolinesterase versus inibidores em monoterapia. Entre os estudos nos quais se avaliou a monoterapia com memantina, há um deles no qual se incluem somente participantes com DA leve à moderada, não havendo evidência de eficácia na DA leve, mas pequeno benefício na DA moderada nos desfechos de cognição e impressão clínica global. Em dois destes estudos se avaliou apenas o desfecho de sintomas comportamentais, com benefício em um deles. Dos 4 estudos restantes houve evidência de benefício em todos os desfechos da pergunta PICO, com exceção de 1 estudo em que não houve evidência de benefício em desfechos comportamentais e na impressão clínica global. A avaliação da combinação de memantina com inibidores da acetilcolinesterase versus monoterapia com inibidores da acetilcolinesterase, nos 4 estudos incluídos, mostra evidência de benefício em todos os desfechos (cognição, comportamento, funcional e impressão clínica global); benefício apenas para sintomas comportamentais em 1 e sem benefício para sintomas funcionais em 2 estudos. Sugere-se, dessa forma, a incorporação de memantina combinada a inibidores da acetilcolinesterase nos casos moderados e de memantina em monoterapia nos casos graves de DA. ANÁLISE DE IMPACTO ORÇAMENTÁRIO: O impacto orçamentário estimou quais seriam os gastos decorrentes de uma possível incorporação da memantina no SUS. Foram contemplados os pacientes com a forma moderada da doença além de um aumento da população elegível referente aos pacientes com a forma grave da doença. No primeiro ano, a estimativa foi de aproximadamente R$ 10 milhões, enquanto a estimativa para os 5 primeiros anos após a incorporação foi de aproximadamente R$ 73 milhões. A análise de sensibilidade apontou que os gastos para os 5 primeiros anos podem variar entre aproximadamente, R$ 50 milhões e R$ 131 milhões. RECOMENDAÇÃO DA CONITEC: Apesar do tamanho do efeito ser pequeno, ele é significativo e influencia favoravelmente a qualidade de vida dos doentes e cuidadores. Assim a CONITEC, em sua 57ª reunião ordinária realizada nos dias 05 e 06 de julho de 2017, recomendou preliminarmente a incorporação no SUS da memantina combinada aos inibidores da acetilcolinesterase nos casos moderados e da memantina em monoterapia nos casos graves de Doença de Alzheimer conforme Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas. A matéria será disponibilizada em Consulta Pública com recomendação preliminar favorável à incorporação. CONSULTA PÚBLICA: A consulta pública nº 34, de 02 de agosto de 2017 referente à recomendação inicial da CONITEC favorável à incorporação de memantina para doença de Alzheimer apresentada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE/MS) nos autos do processo MS/SIPAR nº 25000.063591/2017-11 ficou disponível para contribuições entre os dias 04/08 e 23/08/2017. Ao todo, foram recebidas 22 contribuições, sendo 4 do formulário "experiência ou opinião" e 18 do formulário "técnico-científico". Entre as contribuições recebidas 2 do formulário técnico-científico foram excluídas (9%); 4 apresentavam posicionamento contra ou parcialmente contra a recomendação (18% - 3 técnicas e 1 opinião) e 16 a favor ou parcialmente a favor da recomendação (73% - 13 técnicas e 3 opiniões). Em posicionamentos contrários reforçou-se o baixo efeito do medicamento nos desfechos apresentados nos estudos, mas não foram apresentadas novas evidências que pudessem modificar o parecer inicial, no qual se considerou como relevante o efeito na qualidade de vida dos pacientes e cuidadores como observados nos estudos selecionados para análise. DELIBERAÇÃO FINAL: Os membros da CONITEC presentes na reunião do plenário do dia 31/08/2017 deliberaram, por unanimidade, recomendar a incorporação de memantina para doença de Alzheimer, conforme Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do Ministério da Saúde. Foi assinado o Registro de Deliberação nº 292/2017. DECISÃO: publicou-se a Portaria nº 49, de 8 de novembro de 2017 por meio da qual se tornou pública a decisão de aprovar a incorporação da memantina para doença de Alzheimer, conforme Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS.(AU)
Descritores: Doença de Alzheimer/tratamento farmacológico
Inibidores da Colinesterase/uso terapêutico
Memantina/uso terapêutico
-Brasil
Análise Custo-Benefício
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Sistema Único de Saúde
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Revisão
Relatório Técnico
Estudos de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 19 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-883051
Autor: Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS.
Título: Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para doença de Alzheimer / Clinical protocol and therapeutic guidelines for Alzheimer's disease.
Fonte: Brasília; Brasil. Ministério da Saúde; 2017.
Idioma: pt.
Descritores: Doença de Alzheimer/diagnóstico
Doença de Alzheimer/tratamento farmacológico
Protocolos Clínicos/normas
Guias de Prática Clínica como Assunto/normas
-Brasil
Continuidade da Assistência ao Paciente
Galantamina/uso terapêutico
Memantina/uso terapêutico
Rivastigmina/uso terapêutico
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 19 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-847308
Autor: Instituto de Evaluación Tecnológica en Salud.
Título: Efectividad y seguridad de donepezilo, galantamina y memantina para el tratamiento de la Enfermedad de Alzheimer / Effectiveness and safety of donepezil, galantamine and memantine for the treatment of Alzheimer's disease.
Fonte: Bogotá; IETS; nov. 2013.
Idioma: es.
Resumo: Antecedentes: Descripción de la condición de salud de interés: Las demencias son un grupo de trastornos del sistema nervioso central, caracterizados por alteración de la memoria, de las funciones ejecutivas, déficit cognitivo y cambios en la personalidad. La Enfermedad de Alzheimer es un tipo de demencia de inicio insidioso y progresión lenta, que compromete la memoria, el lenguaje, la personalidad y la función ejecutiva. Descripción de la tecnología: En general los medicamentos empleados en la enfermedad de Alzheimer ayudan a controlar los síntomas y manejar la agitación, la depresión o los síntomas psicóticos (alucinaciones o delirios) que pueden ocurrir cuando la enfermedad progresa. Evaluación de efectividad y seguridad: Pregunta de investigación: ¿Cuál es la efectividad y seguridad de donepezilo, memantina y galantamina comparado con rivastigmina para el tratamiento de la demencia por enfermedad de Alzheimer? La pregunta de investigación fue refinada y validada con base en: autorización de mercadeo de la tecnología para la indicación de interés (registro sanitario INVIMA), listado de medicamentos vitales no disponibles, cobertura de las tecnologías en el Plan Obligatorio de Salud (POS) (Acuerdo 029 de 2011), revisión de grupos terapéuticos (código ATC: Anatomical, Therapeutic, Chemical classification system), recomendaciones de guías de práctica clínica actualizadas, disponibilidad de evidencia sobre efectividad y seguridad (reportes de evaluación de tecnologías, revisiones sistemáticas de la literatura), uso de las tecnologías (listas nacionales de recobro, estadísticas de prescripción, entre otros), estudios de prevalencia/incidencia y carga de enfermedad y consulta con expertos temáticos (especialistas clínicos), sociedades científicas y otros actores clave. No se identificaron otros comparadores relevantes para la evaluación. Población: Hombres y mujeres adultos con enfermedad de Alzheimer. Conclusiones: La evidencia disponible sobre la eficacia de los inhibidores de acetilcolinesterasa (donepezilo, galantamina y rivastigmina) muestra un efecto sobre la cognición y la funcionalidad de los pacientes con enfermedad de Alzheimer moderada y severa. Las comparaciones directas disponibles y las comparaciones indirectas no permiten establecer la superioridad de alguno de los inhibidores de colinesterasa. La eficacia de la memantina para el manejo de la enfermedad de Alzheimer moderada en comparación con rivastigmina no ha sido evaluada en experimentos clínicos controlados. El perfil de seguridad de las intervenciones en estudio es similar al del comprador (rivastigmina).
Descritores: Doença de Alzheimer/tratamento farmacológico
-Inibidores da Colinesterase/administração & dosagem
Colômbia
Galantamina/administração & dosagem
Memantina/administração & dosagem
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Resultado do Tratamento
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Relatório Técnico
Estudos de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 19 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-777899
Autor: Sayús, Alejandro.
Título: Nuevos blancos terapéuticos en el tratamiento de las depresiones resistentes: Moduladores glutamatérgicos / New Therapeutic Targets in the Treatment of Resistant Depression: glutamatergic modulators
Fonte: Psicofarmacologia (B. Aires);14(86):19-29, jun.2014. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Dentro de los trastornos del estado de ánimo, los trastornos depresivos son padecimientos generalmente recurrentes que tienen, según las estadísticas, una prevalencia anual de un 3 % a un 6 % en la población. Desde la década de los 60' la hipótesis aminérgica de Schildkraut y posteriores, establecieron que las depresiones estaban vinculadas a alteraciones en la neurotransmisión catecolaminérgica y serotoninérgica. Los fármacos antidepresivos apuntaron a esas disfunciones pero las dificultades terapéuticas, retraso en el inicio de la acción y limitaciones en la eficacia, llevaron a la búsqueda de otras posibilidades, que surgieron de las investigaciones sobre la neurotransmisión glutamatérgica. En modelos animales se descubrió en los comienzos de los 90' la acción antidepresiva de los fármacos que antagonizaban la neurotransmisión de los receptores N-metil-D-aspartato (NMDA). El objetivo de este trabajo se orienta a establecer los fundamentos de la teoría glutamatérgica de las depresiones y a describir los fármacos que potencialmente podrían utilizarse en la clínica...

Depressive disorders are usually recurrent diseases that, according to statistics, afects from 3 % to 6 % of the population. Since the early '60s the Schildkraut aminergic hypothesis and subsequent, established that depressions were associated with alterations in cahtecolaminegic and serotonergic neurotransmission. Antidepressant drugs aimed at these dysfunctions but the therapeutic difficulties, delayed onset of action and efficacy limitations, led to the search of other possibilities that emerged from the research on glutamatergic neurotransmission. In animal models it was discovered in the early 90's the antidepressant action of drugs antagonized the NMDA receptor neurotransmission. The objective of this work is aimed at establishing the foundations of the glutamatergic theory of depressions and describe drugs that potentially could be used in the clinic...
Descritores: Ketamina/farmacocinética
Memantina/farmacocinética
Receptores de Glutamato
Receptores de N-Metil-D-Aspartato/antagonistas & inibidores
Sítio Alostérico
Transmissão Sináptica
Transtorno Depressivo/epidemiologia
Transtorno Depressivo/terapia
Limites: Seres Humanos
Responsável: AR392.1 - Biblioteca


  10 / 19 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-694767
Autor: Rojas, Galeno; Demey, Ignacio; Arizaga, Raúl L..
Título: Medicamentos utilizados para trastornos cognitivos: Análisis de un millón y medio de prescripciones en la Argentina / Drugs used for cognitive impairment: Analysis of 1.5 million prescriptions in Argentina
Fonte: Medicina (B.Aires);73(3):213-223, jun. 2013. mapas, tab.
Idioma: es.
Resumo: Los costos originados por trastornos cognitivos y demencias son significativos para los sistemas de salud. Según guías nacionales e internacionales, los fármacos recomendados para su tratamiento son inhibidores de colinesterasa (donepecilo, galantamina y rivastigmina) y memantina. En la Argentina también son utilizados otros nootrópicos, galantamina, rivastigmina, vasodilatadores, vitaminas y antioxidantes. El objetivo del presente estudio es describir y comparar el patrón de prescripción de drogas para el tratamiento de trastornos cognitivos y demencias en las distintas regiones del país. Se realizó un estudio observacional retrospectivo a partir de las prescripciones (1 814 108 envases) realizadas en la práctica clínica habitual durante el segundo semestre del 2008 y el primer y segundo semestre del 2009. El trabajo fue realizado sobre la población total del Instituto Nacional de Servicios Sociales para Jubilados y Pensionados. Se analizaron variables demográficas, cantidad y tasa de prescripciones, presentaciones y dosis utilizadas por regiones. Considerando todo el país, memantina fue la droga más prescripta en esos períodos, con un total de 570 893 envases. Memantina, donepecilo, rivastigmina e idebenona presentaron un incremento en las tasas de prescripción 2008-2009. Analizando los cambios regionales en tasas de prescripción, la memantina aumentó en el Noroeste y Noreste argentino, la idebenona en el Noroeste y la Patagonia y el donepecilo en el Noreste. Grupos de fármacos no recomendados fueron altamente prescriptos en todas las regiones del país. Algunos fueron indicados en adultos jóvenes o de mediana edad.

Cognitive impairment and dementia treatment costs are significant for health systems. According to national and international guidelines, recommended drugs for treatment of dementias are cholinesterase inhibitors (donepezil, galantamine, rivastigmine) and memantine. Despite these guidelines recommendations, other nootropics, vasodilators and antioxidants are often used in Argentina. The purpose of this study was to describe and compare the prescription pattern of commonly used drugs for the treatment of cognitive disorders and dementia in different regions of Argentina. An observational, retrospective study of 1 814 108 recipes prescribed to National Institute of Social Services for Retired and Pensioners outpatients during the during the second half of 2008 and the first and second half of 2009 was performed, taking in count the whole country and also different Argentina´s regions. Demographic variables, quantity and rate of prescriptions, dosage forms and strengths were analyzed. Considering the entire country, memantine was the most prescribed drug in these periods (570 893 packages). An increase in the memantine, donepezil, rivastigmine and idebenone rates of prescription was observed. Prescription rate of memantine increased in the North-West and North-East regions, that of idebenone in the North-East region and Patagonia and donepezil in the North-East region. Non recommended drugs were highly prescribed in all the analyzed regions. Some of them were indicated to young and middle-aged patients.
Descritores: Inibidores da Colinesterase/uso terapêutico
Transtornos Cognitivos/tratamento farmacológico
Demência/tratamento farmacológico
Prescrições de Medicamentos/estatística & dados numéricos
-Argentina
Demência Vascular/tratamento farmacológico
Galantamina/uso terapêutico
Indanos/uso terapêutico
Memantina/uso terapêutico
Fenilcarbamatos/uso terapêutico
Piperidinas/uso terapêutico
Estudos Retrospectivos
Limites: Adolescente
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Criança
Pré-Escolar
Feminino
Seres Humanos
Lactente
Masculino
Meia-Idade
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: AR1.2 - Instituto de Investigaciónes Epidemiológicas



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde