Base de dados : LILACS
Pesquisa : D02.455.426.559.847.638.183 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 11 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 11 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-887589
Autor: Valdes-Socin, Hernan; Almanza, Matilde Rubio; Fernández-Ladreda, Mariana Tomé; Daele, Daniel Van; Polus, Marc; Chavez, Marcela; Beckers, Albert.
Título: Use of cinacalcet and sunitinib to treat hypercalcaemia due to a pancreatic neuroendocrine tumor
Fonte: Arch. endocrinol. metab. (Online);61(5):506-509, Sept.-Oct. 2017. graf.
Idioma: en.
Resumo: SUMMARY Neuroendocrine tumors (NETs) can secrete hormones, including ectopic secretions, but they have been rarely associated with malignant hypercalcemia. A 52-year-old man with a history of diabetes mellitus was diagnosed with a pancreatic tumor. A pancreatic biopsy confirmed a well-differentiated pancreatic NET (pNET). The patient subsequently developed liver metastasis and hypercalcemia with high 1,25 OH vitamin D and suppressed parathyroid hormone (PTH) levels. Hypercalcemia was refractory to chemotherapy, intravenous saline fluids, diuretics, calcitonin and zoledronate. Cinacalcet administration (120 mg/day) resulted in a significant calcium reduction. Hypocalcemia was observed when sunitinib was added three months later and cinacalcet was stopped. Subsequently, the calcium and PTH levels normalized. After six months, we observed 20% shrinkage of the pancreatic tumor and necrosis of a liver metastasis. Cinacalcet is an allosteric activator of the calcium receptor agonist, and it is used for severe hypercalcemia in patients with primary (benign and malignant) hyperparathyroidism. In this patient, cinacalcet demonstrated a calcium lowering effect, normalized hypophosphatemia, and improved the clinical condition of the patient. The mechanism through which cinacalcet improved PTH-rp mediated hypercalcemia is still unclear, but studies have suggested that a potential mechanism is the activation of calcitonin secretion. Sunitinib is an oral multi-targeted tyrosine kinase inhibitor used to treat advanced pNETs. The hypocalcemic effects of sunitinib have not been previously described in a patient with pNET. Here, we report for the first time the successful combination of cinacalcet and sunitinib in the treatment of a pNET patient presenting with malignant hypercalcemia.
Descritores: Neoplasias Pancreáticas/tratamento farmacológico
Tumores Neuroendócrinos/tratamento farmacológico
Cinacalcete/administração & dosagem
Hipercalcemia/tratamento farmacológico
Indóis/administração & dosagem
Antineoplásicos/administração & dosagem
-Neoplasias Pancreáticas/complicações
Pirróis/administração & dosagem
Tumores Neuroendócrinos/complicações
Quimioterapia Combinada
Sunitinibe
Hipercalcemia/etiologia
Limites: Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1119104
Autor: Bosco, María Belén; Diehl, María; Galich, Ana María; Jäger, Víctor; Massaro, Eduardo; Plantalech, Luisa.
Título: Hipercalcemia hipocalciurica familiar en una paciente con mutación del receptor de calcio: forma atípica de presentación y tratamiento con cinacalcet / Familial hypocalciuric hypercalcemia in a patient with calcium-sensing receptor mutation: atypical clinical presentation and treatment with cinacalcet
Fonte: Actual. osteol;13(1):69-79, Ene - Abr. 2017. graf, tab.
Idioma: es.
Resumo: El hiperparatiroidismo familiar y la hipercalcemia hipocalciúrica familiar (HHF) constituyen un subgrupo heterogéneo de trastornos con herencia mendeliana, que representan en conjunto el 5% de las causas de hipercalcemia PTH dependiente. La HHF se asocia con mutaciones del gen del receptor sensor de calcio (CaSR). Esta entidad se manifiesta, en la mayoría de los casos, con la presentación asintomática y familiar de hipercalcemia e hipocalciuria y valores elevados o normales de hormona paratiroidea (PTH). Los avances en la biología molecular han contribuido al diagnóstico, evaluación del fenotipo de cada entidad y elección del tratamiento. Se describe el caso de una paciente con hipercalcemia estudiada a partir de una tumoración de cuello asociada con una glándula paratiroides quística. Luego de un exhaustivo proceso diagnóstico se halló en el estudio genético una mutación inactivante en el gen CaSR. Teniendo en cuenta la presencia de la relación clearance calcio/clearance creatinina <0,01 y la falta de respuesta al tratamiento quirúrgico, se consideró la entidad de HHF con forma de presentación atípica. La paciente, sin tratamiento, presentaba un progresivo incremento de la calcemia luego de la cirugía de las glándulas paratiroides, que no se controló con el uso de bifosfonatos y evolucionó con episodios de mareos y desmayos frecuentes sin causa neurológica o cardiovascular detectada. Por lo tanto, se inició el tratamiento con cinacalcet, con el cual se obtuvo una buena respuesta terapéutica: descenso de la calcemia y mejoría de la sintomatología luego de un año de su comienzo. El cinacalcet es una herramienta terapéutica de importancia en estos raros casos de HHF. (AU)

Familial hyperparathyroidism including familial hypocalciuric hypercalcemia (FHH) is an heterogeneous subgroup of disorders with Mendelian inheritance, that account for 5% of PTH dependent hypercalcemia. FHH is associated with mutations of the calcium receptor (CaSR) gene. This entity is manifested by hypercalcemia with hypocalciuria and high or normal levels of parathyroid hormone (PTH) generally asymptomatic and with familial presentation. Advances in molecular biology have contributed to the diagnosis, evaluation of the phenotype of each entity and the choice of treatment. We describe a patient with hypercalcemia diagnosed following the finding of a neck tumor associated with cystic parathyroids. After an exhaustive diagnostic process, an inactivating mutation in the CaSR gene was found. Considering the presence of a ratio clearance calcium / clearance creatinine <0.01 and the lack of response to surgical treatment, HHF entity with atypical presentation was considered. The patient exhibited progressive increase in serum calcium following parathyroid surgery, which was not controlled with the use of bisphosphonates and evolved into episodes of frequent dizziness and fainting, without neurological or cardiovascular causes. Treatment with cinacalcet was initiated, with a good therapeutic response. The use of cinacalcet is a useful therapeutic tool in these rare cases of FHH. (AU)
Descritores: Receptores de Detecção de Cálcio/genética
Cinacalcete/farmacologia
Hipercalcemia/genética
-Hormônio Paratireóideo/sangue
Neoplasias das Paratireoides/cirurgia
Neoplasias das Paratireoides/diagnóstico por imagem
Glândulas Paratireoides/cirurgia
Vitamina D/sangue
Cálcio/urina
Cálcio/sangue
Reação em Cadeia da Polimerase
Hipofosfatemia/sangue
Creatinina/sangue
Receptores de Detecção de Cálcio/fisiologia
Diagnóstico Diferencial
Difosfonatos/uso terapêutico
Cinacalcete/administração & dosagem
Hipercalcemia/diagnóstico
Hipercalcemia/etiologia
Hipercalcemia/metabolismo
Hipercalcemia/tratamento farmacológico
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  3 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1117571
Autor: Ramírez Stieben, Luis Agustín; Guadagnoli, Nahuel Luis; Sylvestre Begnis, Gustavo Adolfo; Farías, Mariano; Luján, Silvia.
Título: Crisis hipercalcémica causada por adenoma paratiroideo: reporte de un caso clínico / Hypercalcemic crisis due to parathyroid adenoma: report of a clinical case
Fonte: Actual. osteol;13(3):243-250, Sept - DIc. 2017. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: La hipercalcemia es un trastorno común que representa aproximadamente el 0,6% de todas las admisiones médicas agudas. El hiperparatiroidismo primario (HPTP) y las neoplasias malignas son las dos causas más comunes de elevación de los niveles séricos de calcio; constituyen, en conjunto, alrededor del 90% de todos los casos. La presentación sintomática clásica de la hipercalcemia se observa con relativa poca frecuencia en el mundo desarrollado; la presentación más común es la detección asintomática en las pruebas bioquímicas. Sin embargo, en casos raros, el HPTP puede desarrollar hipercalcemia aguda, grave y sintomática, llamada crisis hipercalcémica (CH). Esta condición se asocia a alteraciones profundas en el estado mental y las funciones cardíaca, renal y gastrointestinal en presencia de concentraciones marcadamente elevadas de calcio sérico y paratohormona (PTH). Mientras que algunas elevaciones en el calcio sérico pueden ser bien toleradas, los síntomas de la CH son severos. Si el tratamiento se retrasa, la CH puede provocar la muerte. Describimos el caso de un paciente masculino que ingresa en la unidad de cuidados críticos por una CH secundaria a un HPTP por adenoma paratiroideo. (AU)

Hypercalcaemia is a most common disorder, accounting for approximately 0,6% of all acute medical admissions. Primary hyperparathyroidism (PHPT) and malignancy are the two most common causes of increased serum calcium levels, together accounting for about 90% of all cases. The classical symptomatic presentation of hypercalcaemia is seen relatively rarely in the developed world, the most common presentation being asymptomatic and detected following on biochemical testing. However, in rare cases HPTP can result in acute, severe and symptomatic hypercalcemia, called hypercalcemic crisis (HC). This condition is associated with profound disturbances in mental status, and cardiac, renal, and gastrointestinal function in the presence of markedly increased serum calcium and parathyroid hormone (PTH) concentrations. While some elevations in serum calcium can be well tolerated, symptoms of HC are severe. If treatment is delayed, HC can result in death. We describe herein a case of a male patient who was admitted to the intensive care unit as a consequence of HC resulting from elevated PTH, secondary to a parathyroid adenoma. We describe the case of a male patient who was admitted to the critical care unit for a HC mediated by PTH secondary to a parathyroid adenoma. (AU)
Descritores: Neoplasias das Paratireoides/complicações
Glândulas Paratireoides/patologia
Hiperparatireoidismo Primário/complicações
Hipercalcemia/induzido quimicamente
-Hormônio Paratireóideo/metabolismo
Hormônio Paratireóideo/sangue
Neoplasias das Paratireoides/cirurgia
Neoplasias das Paratireoides/diagnóstico por imagem
Glândulas Paratireoides/cirurgia
Deficiência de Vitamina D/sangue
Calcitriol/administração & dosagem
Gluconato de Cálcio/administração & dosagem
Perda de Peso
Anti-Inflamatórios não Esteroides/uso terapêutico
Cálcio/administração & dosagem
Cálcio/sangue
Diálise Renal
Colecalciferol/administração & dosagem
Desidratação
Diuréticos/administração & dosagem
Hiperparatireoidismo Primário/cirurgia
Hiperparatireoidismo Primário/diagnóstico
Cinacalcete/administração & dosagem
Pamidronato/administração & dosagem
Soluções Cristaloides/administração & dosagem
Hipercalcemia/diagnóstico
Hipercalcemia/tratamento farmacológico
Hipercalcemia/sangue
Limites: Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  4 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1048478
Autor: Palumbo, Claudia; Negri, Armando; Zanchetta, María Belén.
Título: Osteoactivos en insuficiencia renal crónica avanzada: a propósito de un caso / Osteoactive in advanced chronic renal failure: a case report
Fonte: Actual. osteol;15(2):94-102, mayo - ago. 2019. tab..
Idioma: es.
Resumo: El propósito de la terapia en el desorden del metabolismo óseo mineral asociado a la enfermedad renal crónica (IRC) consiste en restaurar el balance mineral, y, en la osteoporosis, mantener o aumentar la masa ósea. Ambas terapias tratan de evitar la fractura ósea. La mayoría de los osteoactivos están contraindicados en la insuficiencia renal crónica avanzada (estadios 4 y 5), y las terapias son empíricas. Algunos autores opinan que sin anomalías bioquímicas del desorden del metabolismo óseo mineral asociado a la enfermedad renal crónica avanzada se podría intentar el tratamiento estándar para la osteoporosis. Antes de intentar la terapia osteoactiva se debe corregir el desorden mineral óseo que pudiera presentarse asociado a la IRC, y en la indicación del tipo de osteoactivo se sugiere seleccionar al paciente según su estado óseo. Se aconseja que la administración de los antirresortivos se realice a dosis menores con respecto a los que tienen mejor función renal junto con aportes adecuados de calcio y vitamina D, antes y durante el tratamiento para prevenir el riesgo de severas hipocalcemias y un efecto óseo excesivo. Se presenta el caso clínico de una mujer de 65 años, con diagnóstico de osteoporosis de etiología multifactorial, fractura de pelvis, múltiples fracturas vertebrales e insuficiencia renal crónica avanzada, entre otras comorbilidades, y probable enfermedad ósea adinámica. Recibió inicialmente terapia con teriparatide y luego con denosumab, complicándose con hipocalcemia asintomática. (AU)

The purpose of therapy for the bone mineral metabolism disorder associated with chronic kidney disease is to restore the mineral balance; and to maintain or increase bone mass in osteoporosis. The goal of both types of therapy is to avoid bone fractures. Most antiosteoporotic drugs are contraindicated in advanced chronic renal failure (CRF) stages 4 and 5, and the therapies are empirical. Some authors believe that without biochemical abnormalities of the mineral bone metabolism disorder associated with advanced chronic kidney disease, standard treatment for osteoporosis could be attempted. Before attempting antiosteoporotic therapy, the bone mineral disorder that may be associated with CRF must be corrected, and in the indication of the type drug it is suggested that the patient be selected according to their bone status. It is advised that the administration of anti-resorptives be performed at lower doses in individuals with poor renal function compared to those with better renal function together with adequate calcium and vitamin D, before and during treatment to prevent the risk of severe hypocalcemia, and an excessive bone effect. We present the clinical case of a 65-year-old woman with a diagnosis of osteoporosis of multifactorial etiology, pelvic fracture, multiple vertebral fractures and advanced chronic renal failure, among other comorbidities and probable adynamic bone disease. The patient received initial therapy with teriparatide and followed by denosumab administration and exhibited asymptomatic hypocalcemia. (AU)
Descritores: Distúrbio Mineral e Ósseo na Doença Renal Crônica/tratamento farmacológico
Fraturas Ósseas/prevenção & controle
-Osteoporose/terapia
Distúrbio Mineral e Ósseo na Doença Renal Crônica/complicações
Distúrbio Mineral e Ósseo na Doença Renal Crônica/metabolismo
Distúrbio Mineral e Ósseo na Doença Renal Crônica/terapia
Vitamina D/administração & dosagem
Vitamina D/uso terapêutico
Cálcio/administração & dosagem
Cálcio/uso terapêutico
Alendronato/uso terapêutico
Teriparatida/administração & dosagem
Teriparatida/efeitos adversos
Teriparatida/uso terapêutico
Difosfonatos/administração & dosagem
Difosfonatos/efeitos adversos
Difosfonatos/uso terapêutico
Cinacalcete/uso terapêutico
Ácido Risedrônico/uso terapêutico
Denosumab/administração & dosagem
Denosumab/efeitos adversos
Denosumab/uso terapêutico
Hipocalcemia/prevenção & controle
Limites: Humanos
Feminino
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  5 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-841193
Autor: Conde, Sara Querido; Branco, Patrícia; Sousa, Henrique; Adragão, Teresa; Gaspar, Augusta; Barata, José Diogo.
Título: Cinacalcet in peritoneal dialysis patients: one-center experience / Cinacalcet em diálise peritoneal: a experiência de um centro
Fonte: J. bras. nefrol;39(1):42-45, Jan.-Mar. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Secondary hyperparathyroidism is the target of several therapeutic strategies, including the use of cinacalcet. Most studies were done only in hemodialysis patients, with few data from peritoneal dialysis patients. Objective: The aim of our work was to evaluate the effectiveness of cinacalcet in secondary hyperparathyroidism in a one-center peritoneal dialysis patients. Methods: A retrospective study was performed in 27 peritoneal dialysis patients with moderate to severe secondary hyperparathyroidism (PTHi > 500 pg/mL with normal or elevated serum calcium levels) treated with cinacalcet. Demographic, clinical and laboratory parameters at the beginning of cinacalcet therapy, second, fourth, sixth months after and at the time it was finished were analyzed. Results: Patients were under peritoneal dialysis at 30.99 ± 16.58 months and were treated with cinacalcet for 15.6 ± 13.4 months; 21 (77.8%) patients showed adverse gastrointestinal effects; PTHi levels at the beginning of cinacalcet therapy were 1145 ± 449 pg/mL. The last PTHi levels under cinacalcet therapy was 1131 ± 642 pg/mL. PTHi reduction was statistically significant at 2 months after the beginning of cinacalcet (p = 0.007) but not in the following evaluations. Conclusion: It is necessary the development of new forms of cinacalcet presentation, in order to avoid gastrointestinal effects adverse factors and to improve therapeutic adherence.

Resumo Introdução: O hiperparatiroidismo secundário é alvo de várias estratégias terapêuticas, incluindo a utilização de cinacalcet, sendo escassos os resultados referentes aos doentes em diálise peritoneal. Objetivo: Propusemo-nos a avaliar a eficácia da terapêutica com cinacalcet no tratamento dos doentes com hiperparatiroidismo secundário numa unidade portuguesa de diálise peritoneal. Métodos: Estudo retrospectivo que incluiu 27 doentes em diálise peritoneal com hiperparatiroidismo secundário moderado a grave (PTHi > 500 pg/mL) tratados com cinacalcet. Foram analisados os dados demográficos, clínicos e laboratoriais à data de início da terapêutica, ao segundo, quarto e sexto mês e à data do fim do estudo ou da suspensão do mesmo. Resultados: Os doentes estavam em diálise peritoneal há 30,99 ± 16,58 meses e foram tratados com cinacalcet durante 15,6 ± 13,4 meses; 21 (77,8%) doentes apresentaram efeitos adversos gastrointestinais. Os valores de PTHi no início da terapêutica com cinacalcet eram 1145 ± 449 pg/mL. Os últimos valores de PTHi foram 1,131 ± 642 pg/mL. A redução da PTHi foi estatisticamente significativa aos 2 meses após o início do cinacalcet (p = 0,007), mas não nas avaliações subsequentes. Conclusão: Torna-se necessário o desenvolvimento de novas formas de apresentação do cinacalcet, de modo a evitar os efeitos adversos gastrointestinais e melhorar a adesão terapêutica.
Descritores: Diálise Peritoneal
Calcimiméticos/uso terapêutico
Cinacalcete/uso terapêutico
Hiperparatireoidismo Secundário/tratamento farmacológico
-Estudos Retrospectivos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Riella, Miguel Carlos
Texto completo
Id: biblio-1040249
Autor: Bucharles, Sérgio Gardano Elias; Barreto, Fellype Carvalho; Riella, Miguel Carlos.
Título: The impact of cinacalcet in the mineral metabolism markers of patients on dialysis with severe secondary hyperparathyroidism / Impacto de cinacalcete em marcadores do metabolismo mineral de pacientes em diálise portadores de hiperparatireoidismo secundário grave
Fonte: J. bras. nefrol;41(3):336-344, July-Sept. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Treating secondary hyperparathyroidism (SHPT), a common condition associated with death in patients with chronic kidney disease, is a challenge for nephrologists. Calcimimetics have allowed the introduction of drug therapies no longer based on phosphate binders and active vitamin D. This study aimed to assess the safety and effectiveness of cinacalcet in managing chronic dialysis patients with severe SHPT. Methods: This retrospective study included 26 patients [age: 52 ± 12 years; 55% females; time on dialysis: 54 (4-236) months] on hemodialysis (N = 18) or peritoneal dialysis (N = 8) with severe SHPT (intact parathyroid hormone (iPTH) level > 600 pg/mL) and hyperphosphatemia and/or persistent hypercalcemia treated with cinacalcet. The patients were followed for 12 months. Their serum calcium (Ca), phosphorus (P), alkaline phosphatase (ALP), and iPTH levels were measured at baseline and on days 30, 60, 90, 180, and 365. Results: Patients with hyperphosphatemia (57.7%), hypercalcemia (23%), or both (19.3%) with iPTH > 600 pg/mL were prescribed cinacalcet. At the end of the study, decreases were observed in iPTH (1348 ± 422 vs. 440 ± 210 pg/mL; p < 0.001), Ca (9.5 ± 1.0 vs. 9.1 ± 0.6 mg/dl; p = 0.004), P (6.0 ± 1.3 vs. 4.9 ± 1.1 mg/dl; p < 0.001), and ALP (202 ± 135 vs. 155 ± 109 IU/L; p = 0.006) levels. Adverse events included hypocalcemia (26%) and digestive problems (23%). At the end of the study, 73% of the patients were on active vitamin D and cinacalcet. Three (11.5%) patients on peritoneal dialysis did not respond to therapy with cinacalcet, and their iPTH levels were never below 800 pg/mL. Conclusion: Cinacalcet combined with traditional therapy proved safe and effective and helped manage the mineral metabolism of patients with severe SHPT.

Resumo Introdução: O tratamento do hiperparatireoidismo secundário (HPTs), patologia comum e associada à mortalidade na doença renal crônica, é um desafio para o nefrologista. Advento dos calcimiméticos propiciou terapêutica medicamentosa diferente da usual, baseada em quelantes de fósforo e vitamina D ativa. O objetivo deste estudo foi avaliar segurança e efetividade de cinacalcete no controle do HPTs grave de pacientes em diálise crônica. Métodos: Estudo retrospectivo 26 pacientes [idade: 52 ± 12 anos; 55% mulheres; tempo em diálise: 54 (4-236) meses], em hemodiálise (N = 18) ou diálise peritoneal (N = 8), com HPTs grave (nível de paratormônio intacto (PTHi) > 600 pg/mL), com hiperfosfatemia e/ou hipercalcemia persistentes, em tratamento com cinacalcete. Período de seguimento de 12 meses. Avaliados níveis séricos de cálcio (Ca), fósforo (P), fosfatase alcalina (FA) e PTHi no início do seguimento, 30, 60, 90, 180 e 365 dias. Resultados: Indicações para início do cinacalcete: hiperfosfatemia (57,7%), hipercalcemia (23%), ou ambos (19,3%) com PTH > 600 pg/mL. Ao final do seguimento, observada redução dos níveis PTHi (1348 ± 422 vs. 440 ± 210 pg/mL; p < 0,001), Ca (9,5 ± 1,0 vs. 9,1 ± 0,6 mg/dl; p = 0,004), P (6,0 ± 1,3 vs. 4,9 ± 1,1 mg/dl; p < 0,001) e FA (202 ± 135 vs. 155 ± 109 UI/L; p = 0,006). Eventos adversos: hipocalcemia (26%) e queixas digestivas (23%). No fim do estudo, 73% pacientes utilizavam vitamina D ativada associada ao cinacalcete. Três (11,5%) pacientes, todos em DP, não responderam ao cinacalcete, mantendo níveis PTHi > 800 pg/mL. Conclusão: Utilização de cinacalcete, associado à terapia tradicional, em pacientes com HPTs grave foi segura, eficiente e associada a melhor controle do metabolismo mineral.
Descritores: Diálise Renal
Calcimiméticos/uso terapêutico
Cinacalcete/uso terapêutico
Hiperparatireoidismo Secundário/tratamento farmacológico
Hiperparatireoidismo Secundário/sangue
-Hormônio Paratireóideo/sangue
Fósforo/sangue
Vitamina D/uso terapêutico
Cálcio/sangue
Estudos Retrospectivos
Seguimentos
Resultado do Tratamento
Fosfatase Alcalina/sangue
Hiperfosfatemia/tratamento farmacológico
Calcimiméticos/efeitos adversos
Cinacalcete/efeitos adversos
Hipercalcemia/tratamento farmacológico
Hipocalcemia/etiologia
Falência Renal Crônica/terapia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1053282
Autor: Sánchez, Ariel; Rossi, Eduardo.
Título: Un caso de hipercalcemia hipocalciúrica de causa genética en niño prepúber / Genetic hypercalcemic hypocalciuria in a prepubertal boy
Fonte: Rev. med. Rosario;85(2):77-80, mayo-ago. 2019.
Idioma: es.
Resumo: Un paciente de 12 años consultó por vómitos recurrentes asociados con cefaleas, con varios episodios durante 7 meses, y retraso ponderal secundario a esa sintomatología. Había recibido previamente un tratamiento con antibióticos e inhibidores de la bomba de protones, por diagnóstico de gastritis a Helicobacter pylori, después de biopsia gástrica realizada durante una videoendoscopía digestiva alta. Se desconoce su historia familiar porque es hijo adoptivo. Al examen físico el paciente estaba adelgazado, sin tumoración a nivel de cuello; presentaba genitales prepuberales. Como el paciente continuó con vómitos cíclicos recurrentes, siguieron exámenes complementarios donde se constató en 2 oportunidades hipercalcemia (13,2-13,6 mg/dl), acompañada de hipofosfatemia (2,7 mg/dl). Con un diagnóstico presuntivo de hiperparatiroidismo primario se realizaron dosajes de laboratorio: calcemia total e iónica elevada (12,1 y 5,6mg/dl respectivamente), fosfatemia baja (2,8 mg/dl), fosfatasa alcalina sérica normal (151 mU/ml), PTH sérica normal (47,1 pg/ml), 25(OH)vitamina D sérica adecuada (22 ng/ml). La ecografía de glándulas tiroides y paratiroides mostró una imagen redondeada hipoecoica, avascular, de 4 mm axial por 4 mm cefalocaudal, por 3 mm ánteroposterior en topografía paratiroidea derecha, planteándose la posibilidad de hipertrofia paratiroidea versus adenopatía. Se realizó estudio de paratiroides por imágenes: centellograma con 99mTc-MIBI y PET-CT con 18F-colina, pero no se constató captación anormal. Se realizaron nuevos estudios de laboratorio: en orina de 24 horas el calcio era de 19 mg, el cociente calcio/creatinina urinaria 0,03 mg/mg, la reabsorción tubular de fósforo normal (82%) y el cociente de las tasas de depuración de calcio y creatinina muy bajo (0,00046). El CTX sérico era bajo. El diagnóstico clínico fue de hipercalcemia hipocalciúrica; ante la falta de antecedentes familiares, se realizó un estudio de posibles mutaciones puntuales en el gen del receptor de calcio (CaSR), hallándose la presencia en heterocigosis de la mutación p.Arg185Gln (p.R185Q) en la posición 554 (c.554G>A) del exón 4 del gene CaSR. Esto implica el cambio de una arginina por glutamina en el codón 185 de la proteína, y confirma el origen genético de la hipercalcemia hipocalciúrica en nuestro paciente. La edad ósea era de 12 años, y se indicó un tratamiento con testosterona i.m. a bajas dosis para acelerar el desarrollo puberal; luego de 4 aplicaciones mensuales su talla se ha incrementado en 4 cm y su peso en 3 kg. Una aplicación subcutánea de denosumab (60 mg) no controló la hipercalcemia. Continuó por un año con hipoorexia y un episodio de vómitos por semana, pero actualmente tiene buen apetito y excelente tolerancia digestiva. Se le ha prescripto cinacalcet oral (AU)

A 12-year-old patient who consulted for recurrent vomiting associated with headaches, with several episodes for 7 months, and low body weight. The patient had previously received treatment with antibiotics and proton pump inhibitors, due to gastritis with Helicobacter pylori, after gastric biopsy performed during videoendoscopy. His family history is unknown because he is an adopted son. At physical examination the patient was thin, without neck tumor; he had prepubertal genitalia. As he patient continued with recurrent vomiting, he was admitted for further evaluation. Laboratory studies revealed hypercalcemia (13.2-13.6 mg/dl), accompanied by hypophosphatemia (2.7 mg/dl). With a presumptive diagnosis of primary hyperparathyroidism, complementary determinations were performed: total and high total and ionized serum calcium (12.1 and 5.6 mg/dl, respectively), normal serum alkaline phosphatase (151 mU/ml), and PTH (47.1 pg/ml), and normal serum 25(OH) vitamin D (32 ng/ml). The ultrasonography of thyroid and parathyroid glands showed a rounded hypoechoic, avascular image, 4 mm in diameter in the lower right parathyroid topography. A parathyroid imaging studies were performed: scintigraphy with 99mTc-MIBI and PET-CT with 18F-choline, but no abnormal uptake was observed. New laboratory studies were carried out: in 24-hour urine the calcium was 19 mg, the urinary calcium/creatinine ratio was 0.03 mg/mg, the tubular reabsorption of phosphorus was normal (82%) and the ratio of clearances rates of calcium and creatinine very low (0.00046). Serum CTX was low. The clinical diagnosis was hypocalciuric hypercalcemia; in the absence of a family history, a study of possible point mutations in the calcium receptor gene (CaSR) was carried out; there was a heterozygous mutation: p.Arg185Gln (p.R185Q) at position 554 (c.554G)>A) of exon 4 of the CaSR gene. This involves the exchange of an arginine for glutamine at codon 185 of the protein, and confirms the genetic origin of the hypocalciuric hypercalcemia in our patient. Bone age was 12 years, and a treatment with testosterone i.m. at low doses to accelerate pubertal development was started; after 4 monthly applications height has increased by 4 cm and weight by 3 kg. Loss of appetite and a weekly episode of postprandial vomiting continued during one yeas, but now his appetite is normal and vomiting has subsided. A subcutaneous application of denosumab (60 mg) did not control hypercalcemia. He has been prescribed oral cinacalcet (AU)
Descritores: Receptores de Detecção de Cálcio/genética
Cinacalcete/uso terapêutico
Hipercalcemia/diagnóstico
Hipercalcemia/genética
-Doenças Genéticas Inatas
Limites: Humanos
Masculino
Criança
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: AR16.1 - Biblioteca


  8 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-971750
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde.
Título: Relatórios para a sociedade: informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS / Reports to society: information about recommendations on the incorporation of medicines and other technologies in the brazilian public health system (SUS).
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; 2016. 43 p. ilus.
Idioma: pt.
Descritores: Preparações Farmacêuticas/provisão & distribução
Tratamento Farmacológico
Tecnologia Biomédica
Simeprevir
Everolimo
-Cinacalcete
Tacrolimo
Hidroxocobalamina
Fenômenos Fisiológicos da Nutrição do Lactente
Pentoxifilina
Radioterapia
Rivastigmina
Sistema Único de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Livro-Texto
Responsável: BR599.1 - Coordenação Geral de Documentação e Informação (CGDI)
BR599.1; 615.2/.3, B823r, MT, 1200. 10002029814; BR599.1; 615.2/.3, B823r, e.2, AG. 10002029815


  9 / 11 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-859351
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS.
Título: Cloridrato de cinacalcete e paricalcitol para pacientes com hiperparatireoidismo secundário (HPTS) à doença renal crônica / Cinacalcet hydrochloride and paricalcitol for patients with secondary hyperparathyroidism (HPTS) to chronic kidney disease.
Fonte: Brasília; CONITEC; 2015. graf, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: CONTEXTO: O hiperparatireoidismo secundário (HPTS) à doença crônica renal é caracterizado por elevados níveis séricos do paratormônio (PTH), hiperplasia das glândulas paratireóides e uma doença óssea de alto remanejamento. O nível de PTH considerado adequado está situado entre 150 a 300 pg/ml. Segundo o censo da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), em 2013, em torno de 100.397 pacientes estavam em tratamento por diálise no Brasil. Dados de 2014 da SBN apontam que em torno de 13% dos pacientes em diálise apresentam HPTS moderado (PTH de 500 a 800 pg/ml), 9% HPTS grave (PTH de 801 a 1.500 pg/ml), e 4% HPTS muito grave (PTH acima de 1.500 pg/ml). Para a redução dos níveis do PTH, estão disponíveis no mercado brasileiro três classes de medicamentos: ativadores não seletivos do VDR (calcitriol e alfacalcidol), ativadores seletivos de VDR (paricalcitol) e calcimiméticos (cinacalcete). Dentre os medicamentos supracitados, o SUS disponibiliza calcitriol oral e intravenoso e alfacalcidol oral. Em relação ao paricalcitol, a solicitação de incorporação no SUS está voltada aos pacientes com PTH igual ou superior a 500 pg/ml. Para o cinacalcete, a população alvo para incorporação são pacientes com níveis de PTH acima de 800 pg/ml. EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS: Para o medicamento paricalcitol foram avaliados 3 estudos observacionais, um estudo clínico e uma revisão sistemática. Como conclusão, os estudos apresentaram resultados positivos na redução dos níveis de PTH e de hipercalcemia. Sobre o cinacalcete, foram avaliadas 2 metanálises e um estudo observacional. Os resultados desses estudos apontaram que seu uso resultou em pouco ou nenhum efeito na mortalidade por todas causas, efeitos imprecisos em mortalidade por causa cardiovascular, prevenção de paratireoidectomia (PTx) cirúrgica e de hipercalcemia e aumento na ocorrência de hipocalcemia, náusea e vômito. Em relação aos parâmetros bioquímicos, cinacalcete diminuiu os níveis de PTH e de cálcio, mas apresentou pouco ou nenhum efeito nos níveis de fósforo. CONSULTA PÚBLICA: Foi recebido um total de 392 contribuições, sendo 253 contribuições provenientes do formulário específico para pacientes e 139 do formulário geral. Os principais efeitos positivos destacados referentes às tecnologias foram: redução/controle do PTH, redução das dores ósseas e musculares, melhora da mobilidade, melhora da qualidade vida de um modo geral e do avanço da doença e redução de necessidade de realização da cirurgia da paratireoide (PTx). Como efeitos negativos, foram elencados hipocalcemia e distúrbios gastrointestinais como azia, enjoo, diarreia, vômito, porém, quanto a esses últimos, há melhora após mudança de horário do uso do medicamento. DISCUSSÃO: Embora os parâmetros bioquímicos sejam marcadores substitutos das complicações decorrentes do HPTS e distúrbio mineral ósseo associado, o tratamento de pacientes com HPTS ainda está centrado no controle desses parâmetros. Nesse contexto, um grupo delimitado de pacientes com HPTS, em diálise e refratários ao tratamento padrão pode se beneficiar com o uso do medicamento paricalcitol para controlar os níveis de PTH com menor efeito hipercalcêmico e com o uso do medicamento cinacalcete para reduzir os níveis de PTH e de cálcio. Na discussão, foi reforçado que para esse grupo de pacientes mais graves, os medicamentos propostos são as únicas alternativas, principalmente para aqueles em que o cálcio está alto, condições essas que justificam as incorporações em discussão. RECOMENDAÇÃO DA CONITEC: Na 38ª reunião do plenário da CONITEC realizada em 05 de agosto de 2015, os membros deliberaram por unanimidade recomendar a incorporação dos medicamentos a seguir, condicionada à redução de preços: paricalcitol para o tratamento de pacientes com hiperparatireoidismo secundário à doença renal crônica, submetidos à diálise e com nível de PTH igual ou superior a 500 pg/ml; e - cloridrato de cinacalcete para o tratamento de pacientes com hiperparatireoidismo secundário à doença renal crônica, submetidos à diálise e com nível de PTH acima de 800 pg/ml. Foi assinado o Registro de Deliberação n˚136/2015. DECISÃO: Incorporar cloridrato de cinacalcete e paricalcitol para pacientes com hiperparatireoidismo secundário (HPTS) à doença renal crônica no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Portaria nº 48 publicada no DOU nº 187, pág. 71, de 30/09/2015.
Descritores: Cinacalcete/administração & dosagem
Hiperparatireoidismo Secundário/tratamento farmacológico
Nefropatias/complicações
Vitamina D/administração & dosagem
Vitamina D/análogos & derivados
-Brasil
Resistência a Medicamentos
Diálise Renal
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Resultado do Tratamento
Sistema Único de Saúde
{"STATUS":"TOOLBAR_READY","TOOLBARID":CANTHARIDINRECEPTORS, LYMPHOCYTE HOMING}
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 11 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-836909
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde.
Título: Cinacalcete para o tratamento de pacientes com hiperparatireoidismo secundário à doença renal, em diálise e refratários à terapia convencional / Cinacalcete for the treatment of patients with hyperparathyroidism secondary to renal disease, on dialysis and refractory to conventional therapy.
Fonte: Brasília; CONITEC; out. 2013. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Tecnologia: Cinacalcete (Mimpara®). Indicação: Hiperparatireoidismo secundário em pacientes com doença renal estágio final, submetidos à diálise e refratários ao tratamento convencional. Demandante: Laboratório Químico Bergamo Ltda. Contexto: O hiperpar atireoidismo secundário (HPTS) à doença crônica renal é caracterizado por elevados níveis séricos do paratormônio (PTH), hiperplasia das glândulas paratireóides e uma doença óssea de alto remanejamento. O nível de PTH considerados adequado está situado entre 150 a 300 pg/ml ou duas a nove vezes o valor limite do método de dosagem. Segundo o censo da Sociedade Brasileira de Nefrologia, em 2011, aproximadamente 30,6% dos pacientes em tratamento por diálise no Brasil apresentavam valores acima de 300 pg/ml (população com HPTS), representando cerca de 28.000 pacientes. Com base nas diretrizes internacionais, o tratamento de HPTS e doença óssea relacionada está centrado no controle dos níveis de fósforo, cálcio e PTH. Para a redução dos níveis do PTH, estão disponíveis no mercado brasileiro três classes de medicamentos: ativadores não seletivos do VDR (calcitriol e alfacalcidol), ativadores seletivos de VDR (paricalcitol) e calcimiméticos (cinacalcete). Dos medicamentos supracitados, o SUS disponibiliza calcitriol oral e intravenoso e alfacalcidol oral. Pergunta: O uso do cinacalcete é eficaz, seguro e custo-efetivo em pacientes com Hiperparatireoidismo secundário à DRC, refratários à terapia convencional, quando comparado ao tratamento padrão disponível no SUS? Evidências científicas: Foram analisados quatro estudos para avaliar o uso do cinacalcete para indicação proposta, dois apresentados pelo demandante (uma metanálise e um estudo observacional) e dois incluídos pela Secretaria Executiva da Conitec (uma metanálise e um estudo clínico). As duas metanálises apontaram que os pacientes tratados com cinacalcete apresentaram melhora estatisticamente significante em relação aos parâmetros bioquímicos (PTH, Ca, CaxP) em comparação ao grupo controle. Uma das metanálises avaliou desfechos clínicos e não observou diferença estatisticamente significante para mortalidade por todas as causas. Um estudo observacional avaliou sobrevida em pacientes com HPTS que usaram cinacalcete, concluindo que, tanto no modelo ajustado, quanto no não ajustado, a taxa de mortalidade por todas causas e por causas cardiovasculares foi estatisticamente menor no grupo tratado com cinacalcete. Discussão: A incorporação do cinacalcete ao SUS foi solicitada para uso em pacientes com HPTS e doença renal em estágio final, submetidos à diálise, refratários à terapia convencional. Os critérios para definir refratariedade não foram estabelecidos, e, desta forma, não há clareza se a população elegível utilizada no estudo de custo-efetividade e no impacto orçamentário refletem a população alvo de acordo com a solicitação de incorporação. Decisão: Pelo exposto, a Conitec recomendou a não incorporação ao SUS do medicamento cinacalcete para Hiperparatireoidismo secundário em pacientes com doença renal estágio final, submetidos à diálise, refratários ao tratamento convencional. Considerou-se que a população-alvo para indicação proposta não está bem delimitada, o que compromete seu alinhamento no estudo econômico e no impacto orçamentário apresentados. Após discussão sobre as contribuições da consulta pública, um total de 603, o plenário da Conitec manteve a recomendação de não incorporar ao SUS o medicamento cinacalcete conforme solicitação do demandante. Quando da revisão dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas do MS ligados ao HPTS, o cinacalcete será novamente avaliado quanto ao seu potencial benefício clínico a um grupo específico e bem delimitado de pacientes com HPTS.
Descritores: Cinacalcete
Cinacalcete/uso terapêutico
Hiperparatireoidismo Secundário/terapia
Nefropatias/complicações
-Brasil
Análise Custo-Benefício
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Sistema Único de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde