Base de dados : LILACS
Pesquisa : D02.455.526.728.650.529 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 12 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 12 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-950449
Autor: Ilhan, Abdullah; Yolcu, Umit; Oztas, Emin; Erdem, Uzeyir.
Título: Therapeutic effects of proanthocyanidin and coenzyme Q10 on nitrogen mustard-induced ocular injury / Efeitos terapêuticos da proantocianidina e da coenzima q10 em lesão ocular induzida por mostarda de nitrogênio
Fonte: Arq. bras. oftalmol;81(3):226-231, May-June 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: Nitrogen mustard (NM) is a devastating casualty agent in chemical warfare. There is no effective antidote to treat NM-induced ocular injury. We aimed to assess the effects of proanthocyanidin (PAC) and coenzyme Q10 (CoQ10) on NM-induced ocular injury. Methods: Eighteen male rats were divided into the following 4 groups: NM, NM + PAC, NM + CoQ10, and control. The 3 NM groups received a single dose of NM (0.02 mg/μL) on the right eye to induce ocular injury. The control group received saline only. Thirty minutes after the application of NM, the NM + PAC group received PAC (100 mg/kg) via gastric gavage, while the NM + CoQ10 group received CoQ10 (10 mg/kg) via intraperitoneal injection. PAC and CoQ10 were administered once a day for 5 consecutive days. The rats were then sacrificed. Macroscopic images of the eyes were examined and eye tissues were collected for histology. Results: The treatment groups were compared to the control group with regard to both corneal opacity and lid injury scores. The findings were not significantly different for both the NM + PAC and NM + CoQ10 groups. In both the NM + PAC and NM + CoQ10 groups, the histological changes seen in the NM group demonstrated improvement. Conclusions: Our results indicate that PAC and CoQ10 treatments have therapeutic effects on NM-induced ocular injury in a rat model. PAC and CoQ10 may be novel options in patients with NM-induced ocular injury.

RESUMO Objetivo: A mostarda de nitrogênio (MN) é um agente de guerra química devastador. Não existe um antídoto eficaz para tratar lesões oculares induzidas por MN. Nosso objetivo foi avaliar os efeitos da proantocianidina (PAC) e da coenzima Q10 (CoQ10) na lesão ocular induzida por MN. Métodos: Dezoito ratos machos foram divididos em 4 grupos: MN, MN + PAC, MN + CoQ10 e Controle. Três grupos receberam uma dose única de MN (0,02 mg/μL) destilada no olho direito para gerar lesão ocular. Os animais do grupo controle receberam apenas solução salina. Trinta minutos após a aplicação de MN nos animais, o grupo MN + PAC recebeu PAC (100 mg/kg) por gavagem gástrica, enquanto a CoQ10 (10 mg/kg) foi administrada ao grupo MN + CoQ10 por meio de injeção intraperitoneal. A administração de PAC e de CoQ10 foi realizada uma vez por dia, durante 5 dias consecutivos. Os ratos foram, então, sacrificados. Imagens macroscópicas dos olhos foram examinadas e tecidos oculares foram coletados para histologia. Resultados: Os grupos de tratamento foram comparados ao grupo de controle quanto à opacidade da córnea e quanto aos escores de lesão da cobertura da córnea. Os resultados foram insignificantes para ambos os grupos. Ambos, o grupo MN+PAC e o grupo MN+CoQ10, apresentaram melhoras das alterações histológicas observadas no grupo MN. Conclusões: Nossos resultados indicam que os tratamentos com PAC e com CoQ10 têm efeitos terapêuticos sobre lesões oculares induzidas por MN em um modelo em ratos. A proantocianidina e a CoQ10 podem ser uma nova opção nesses casos.
Descritores: Queimaduras Químicas/tratamento farmacológico
Traumatismos Oculares/tratamento farmacológico
Ubiquinona/análogos & derivados
Proantocianidinas/uso terapêutico
Antioxidantes/uso terapêutico
-Distribuição Aleatória
Substâncias para a Guerra Química
Traumatismos Oculares/induzido quimicamente
Ubiquinona/uso terapêutico
Ratos Sprague-Dawley
Modelos Animais de Doenças
Mecloretamina
Limites: Animais
Masculino
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-658678
Autor: Werneck, Fernando de Almeida.
Título: Efeitos tardios do tratamento da Doença de Hodgkin em crianças abaixo de 12 anos de idade / Late effects of treatment for Hodgkin's disease in children below 12 years of age.
Fonte: Niterói; s.n; 1998. 88 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Federal Fluminense para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: A doença de Hodgkin é um tipo de neoplasia maligna que apresenta aspectos epidemiológicos particularmente interessantes, tornando-a mais frequente em crianças nos paises em desenvolvimento. Sua cura no últimos 30 anos tem sido elevada a patamares muito altos com o emprego de radioterapia e quimioterapia. Com o objetivo de avaliar os efeitos indesejáveis tardios do tratamento, 24 crianças com idades inferiores a 12 anos ao diagnóstico (20 meninos e 4 meninas), tratadas em uma única instituição (Hospital dos Servidores do Estado - RJ), entre maio de 1979 e fecereiro de 1994, foram avaliadas...Concluímos que o emprego de radioterapia nesta faixa etária deve se limitar às grandes massas tumorais e em doses inferiores a 25 Gy. Radioterapia abdominal somente deverá ser substituída devido ao seu elevado potencial carcinogênico. É também objetivo deste trabalho alertar os serviços que tratam deste tipo de patologia no nosso país par falhas que podem ser cometidas e que poderão trazer graves consequências para p futuros destas crianças
Descritores: Neoplasias Abdominais
Doença de Hodgkin/diagnóstico
Doença de Hodgkin/epidemiologia
Doença de Hodgkin/tratamento farmacológico
Doença de Hodgkin/radioterapia
Doença de Hodgkin/terapia
Infertilidade
Saúde Pública
Radioterapia/efeitos adversos
Tórax/anormalidades
-Gônadas
Mecloretamina
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Responsável: BR408.1 - Biblioteca da Faculdade de Medicina - BFM
BR408.1; T616.42, W491, 1998


  3 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Marchi, Evaldo
ANTONANGELO, LEILA
Texto completo
Id: lil-339126
Autor: Vargas, Francisco S; Teixeira, Lisete R; Carmo, Alipio O; Marchi, Evaldo; Vaz, Marcelo Costa; Antonangelo, Leila; Jatene, Fabio B.
Título: Pleurodese: perspectivas futuras / Pleurodesis: future prospects
Fonte: J. pneumol;26(6):307-312, nov.-dez. 2000.
Idioma: pt.
Resumo: Apesar de estarmos completando praticamente um século desde a realização da primeira pleurodese, a metodologia não está consensualmente definida. A tendência atual de executarmos procedimentos minimamente invasivos estimulou novas pesquisas com o objetivo de reduzir a agressão, incluindo o uso de novas substâncias, a colocação de drenos mais finos e a redução ou abolição da necessidade de internação hospitalar. Dentre as drogas esclerosantes, o talco tem a preferência mundial. Entretanto, o possível desenvolvimento da síndrome da angústia respiratória, por vezes fatal, fez renascer o interesse por outras drogas. Os quimioterápicos não têm evidente efeito esclerosante e originam importantes efeitos colaterais. Os agentes irritantes hidróxido de sódio e nitrato de prata produzem pleurodese efetiva. Ambos podem ser utilizados em seres humanos
Descritores: Derrame Pleural/tratamento farmacológico
Pleurodese/métodos
Soluções Esclerosantes/administração & dosagem
-Hidróxido de Sódio/administração & dosagem
Mecloretamina/administração & dosagem
Nitrato de Prata/administração & dosagem
Talco/administração & dosagem
Limites: Humanos
Animais
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR674.1 - IDT - Biblioteca do Instituto de Doenças do Tórax


  4 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-232683
Autor: Saldaña Imaña, Marcos; Velásquez Jones, Luis; García González, Zuzel; Urbina Jiménez, Christian; Romero Navarro, Benjamín; Medeiros Domingo, Mara; Muñoz Arizpe, Ricardo.
Título: Ineficacia de la mostaza nitrogenada en el tratamiento del síndrome nefrótico corticorresistente / Inefficacy of nitrogen mustard in the treatment of corticoresistant nephrotic syndrome
Fonte: Bol. méd. Hosp. Infant. Méx;55(3):144-7, mar. 1998. tab.
Idioma: es.
Resumo: Introducción. En los niños con síndrome nefrótico idiopático corticorresistente (SNCR) se han utilizado diversos tratamientos en base a antimetabolitos como la ciclofosfamida y la mostaza nitrogenada. Este último tratamiento se ha recomendado particularmente en niños con infecciones recurrentes que impiden la indicación de tratamientos prolongados. Material y métodos. Se revisó la respuesta al tratamiento en 10 niños con SNCR que recibieron mostaza nitrogenada durante el período comprendido entre 1988 y 1996. Resultados. Sólo 2 pacientes presentaron remisión del síndrome nefrótico: uno remisión parcial y el otro completa. Dos pacientes presentaron cuadros infecciosos graves (neumonía), en uno de ellos asociado a leucopenia grave. Conclusiones. El tratamiento con mostaza nitrogenada en niños con SNCR no ofrece ventajas aparentes en relación a otros esquemas terapéuticos
Descritores: Antimetabólitos/uso terapêutico
Mecloretamina/administração & dosagem
Mecloretamina/uso terapêutico
Recidiva
Síndrome Nefrótica/diagnóstico
Síndrome Nefrótica/terapia
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Responsável: MX1.1 - CENIDSP - Centro de Información para Decisiones en Salud Pública


  5 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Marchi, Evaldo
Id: lil-204255
Autor: Marchi, Evaldo.
Título: Efeitos pleuro-pulmonares da clormetidina, citarabina e dacarbazina admionistradas por injeçäo intrapleural: estudo experimental em coelhos.
Fonte: Säo Paulo; s.n; 1995. 63 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina para obtenção do grau de Doutor.
Descritores: Citarabina
Dacarbazina
Pulmão
Mecloretamina
Pleura
Pleurodese
Responsável: BR1.2 - Biblioteca Central
BR1.2; 2230


  6 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-186800
Autor: Gotlib, N; Oxilia, M. R.
Título: Tratamiento de la alopecia areata / Treatment of the alopecia areata
Fonte: Rev. argent. dermatol;77(4):236-47, oct.-dic. 1996. ilus.
Idioma: es.
Resumo: En una patología como la alopecía areata, la que se presenta de distintas formas clínicas, con asociaciones variadas, donde las remiciones son posibles y los tratamientos disponibles no son 100 por ciento eficaces, es dificil evaluar la terapéutica más adecuada. lLos tratamientos disponibles pueden dividirse en tópicos y sistémicos. Los corticoides ocupan un lugar importante en el arsenal terapéutico, en especial los tópicos o en inyecciones intralesionales. Otrs productos se usan con resultados varioables como la inminoterapia tópica, en especial con el minoxidil, la difenciprona y la antralina. La medicación sistïrmica se reserva para casos severos (corticosteroides,ciclosporina A, etc). La mayoría actuarían alterando la respuesta inmune y en otros en controvertida. Consideramos a la afección dentro de su marco general, más que etético, pero sin descuidar la integridad del individuo y hacia esto debemos apuntar en nuestra estrategia de tratamiento. La relación paciente-médico es fundamental para manejar esta enfermedad en la que aún no tenemos una medicación curativa.
Descritores: Corticosteroides/efeitos adversos
Corticosteroides/uso terapêutico
Alopecia em Áreas/terapia
Antralina/uso terapêutico
Ciclosporina/efeitos adversos
Ciclosporina/uso terapêutico
Inosina Pranobex/administração & dosagem
Inosina Pranobex/uso terapêutico
Mecloretamina/efeitos adversos
Mecloretamina/uso terapêutico
Minoxidil/administração & dosagem
Minoxidil/efeitos adversos
Minoxidil/uso terapêutico
Pentoxifilina/administração & dosagem
Pentoxifilina/uso terapêutico
Fotoquimioterapia
Efeito Placebo
Limites: Humanos
Responsável: AR45.1 - Biblioteca Central


  7 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-175266
Autor: Avilés, Agustín; Díaz Maqueo, José C; García, Edna L; Torras, Víctor; López Vancell, Dolores.
Título: Randomized study for the treatment of advanced Hodgkin's disease: MOPP vs. LOPP
Fonte: Arch. invest. méd;22(1):45-50, ene.-mar. 1991. ilus, tab.
Idioma: en.
Descritores: Clorambucila/administração & dosagem
Clorambucila/uso terapêutico
Doença de Hodgkin/terapia
Mecloretamina/administração & dosagem
Mecloretamina/uso terapêutico
Prednisona/administração & dosagem
Prednisona/uso terapêutico
Procarbazina/administração & dosagem
Procarbazina/uso terapêutico
Vincristina/administração & dosagem
Vincristina/uso terapêutico
Limites: Humanos
Adulto
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: MX1.1 - CENIDSP - Centro de Información para Decisiones en Salud Pública


  8 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-172093
Autor: Santos, Omar Lupi da Rosa; Azulay, David Rubem; Pereira Junior, Antônio Carlos.
Título: Alopécia mucinosa universal associada a micose fungóide / Alopecia mucinosa associated with mycosis fungoides
Fonte: Folha méd;108(6):203-6, jun. 1994. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A alopécia mucinosa é uma desordem inflamatória caracterizada clinicamente por pápulas foliculares agrupadas e alopécia. A análise histopatológica demonstra degeneraçäo mucinosa da unidade pilosebásea. A alopécia mucinosa é geralmente, uma dermatose benigna e autolimitada, especialmente quando acomete crianças ou adultos jovens, e quando é constituída de poucas lesöes, restritas à extremidade cefálica. No entanto, um pequeno número de casos se associa com reticuloses. Os autores descrevem um caso de alopécia mucinosa universal associada à micose fungóide
Descritores: Mecloretamina/uso terapêutico
Mucinose Folicular/complicações
Micose Fungoide/complicações
-Biópsia
Mucinose Folicular/tratamento farmacológico
Mucinose Folicular/patologia
Micose Fungoide/tratamento farmacológico
Micose Fungoide/patologia
Limites: Humanos
Masculino
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-153321
Autor: Souza, H. Moraes; Nogueira, D. A; Martins, P. R. J; Souza, M. A. H. de; Lima, M. A. de.
Título: Neoplasias múltiplas após tratamento bem sucedido de doença de Hodgkin / Multiple neoplasias after a well succeeded treatment of Hodgkin's disease
Fonte: Rev. Assoc. Med. Bras. (1992);41(1):77-9, jan.-fev. 1995.
Idioma: pt.
Resumo: Paciente do sexo feminino que em 1977, aos 21 anos, apresentava febre persistente e linfadenomegalia cervical e axilar, cuja biópsia revelou doença de Hodgkin, tipo esclerose nodular, estádio IIIB. A paciente recebeu seis ciclos de quimioterapia associados a imunoterapia e suplementada por radioterapia, com boa evoluçäo. RESULTADOS. Em 1985, durante rotina ginecológica e histerctomia posterior, foram dignosticados neoplasia escamosa intra-epitelial cervical grau III (NIC III) e leiomioma atípico do corpo uterino. Cinco anos mais tarde, aos 34 anos, desenvolveu carcinoma ductal com metaplasia cartilaginosa de mama direita com metástase para linfonodos cervicais e axilares. A paciente foi submetida a tratamento quimio e radioterápico, evoluindo para óbito nove meses mais tarde. CONCLUSAO. A possibilidade da ocorrência tardia de neoplasias em pacientes submetidas a tratamento de doença de Hodkin sugere seu seguimento mais rigoso e continuado, até mesmo com o emprego de mamografias periódicas
Descritores: Protocolos de Quimioterapia Combinada Antineoplásica/efeitos adversos
Doença de Hodgkin/tratamento farmacológico
Neoplasias dos Genitais Femininos/induzido quimicamente
-Protocolos de Quimioterapia Combinada Antineoplásica/uso terapêutico
Mecloretamina/uso terapêutico
Prednisona/uso terapêutico
Procarbazina/uso terapêutico
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 12 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-136182
Autor: Sánchez Millán, Leonardo; Molina Cáceres, María Teresa.
Título: Alopecía areata: tratamiento / Alopecia areata: treatment
Fonte: Dermatología (Santiago de Chile);10(2):113-6, 1994.
Idioma: es.
Resumo: El tratamiento de la alopecía areata ha cambiado notablemente en la última década. Nuevas opciones terapéuticas están disponibles para los pacientes. Es deber del dermatólogo informar al paciente de todas las alternativas posibles para su caso, sus efectos colaterales y sus cifras de éxito. La decisión final es conjunta, entre el paciente, la familia del paciente (cuando corresponda) y el dermatólogo
Descritores: Corticosteroides/administração & dosagem
Adjuvantes Imunológicos/administração & dosagem
Alopecia em Áreas/tratamento farmacológico
Ciclosporina/administração & dosagem
Injeções Intralesionais/estatística & dados numéricos
Inosina Pranobex/administração & dosagem
-Antralina/administração & dosagem
Azatioprina/administração & dosagem
Criocirurgia/estatística & dados numéricos
Ficusina/administração & dosagem
Mecloretamina/administração & dosagem
Minoxidil/administração & dosagem
Terapia PUVA/estatística & dados numéricos
Zinco/administração & dosagem
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde