Base de dados : LILACS
Pesquisa : D02.886.369.029 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 17 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 17 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1002798
Autor: Pereira, Sóstenes A. R. S; Henrique, Fernanda V; Medeiros, Lylian K. G; Silva, Janaina K. C; Goes, Arcanjo B; Vaz, Antônio F. M; Souza, Almir P; Nóbrega Neto, Pedro I.
Título: Anesthetic quality and cardiovascular and respiratory effects of continuous intravenous infusion of tiletamine-zolazepam in bitches / Qualidade anestésica e efeitos cardiovascular e respiratória da infusão intravenosa contínua de tiletamina-zolazepam em cadelas
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;39(3):214-220, Mar. 2019. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: The objective of this study was to evaluate the quality and recovery from anesthesia promoted by the tiletamine-zolazepam (TZ) combination administered intravenously (IV) continuously in bitches pre-medicated with acepromazine. Eight cross-bred, clinically healthy bitches weighing 13.7 ±1.9kg on average were used in this study. After a food fast of 12 h and a water fast of four hours, the animals were treated with acepromazine (0.1mg/kg, intramuscular) and, after 15 minutes, anesthesia was induced with a combination of tiletamine-zolazepam (2mg/kg, IV) immediately followed by continuous IV infusion thereof at a dose of 2mg/kg/h for 60 min. The following parameters were measured in all animals immediately before administration of acepromazine (M15), immediately before anesthetic induction (M0), and at 5, 10, 20, 30, 40, 50, and 60 min after initiation of continuous infusion (M5, M10, M20, M30, M40, M50, and M60): electrocardiography (ECG), heart rate (HR), mean arterial pressure (MAP), respiratory rate (RR), body temperature (BT), and arterial hemogasometry, with the last performed only at experimental times M15, M0, M30, and M60. A subcutaneous electrical stimulator was used to evaluate the degree of analgesia. Myorelaxation and quality of anesthetic recovery were also assessed, classifying these parameters as excellent, good, and poor. Anesthetic recovery time was recorded in minutes. HR increased significantly at time M10 in relation to that at M-15, and at times M5, M10, M40, and M50 in relation to that at M0. MAP decreased significantly at M20 and M30 compared with the baseline. BT decreased significantly at M50 compared with that at M0, but no hypothermia was observed. RR showed significant reduction at M5, M10, and M20 in relation to that at M-15, and at M5 and M10 in relation to that at M0, and bradypnoea was observed during the first 20 min after anesthetic induction. Significant decreases in the PR interval at times M10, M40, and M50 were observed in relation to that at M15. Amplitude of the R wave showed significant decrease at M20 compared with that at M-15. In the other ECG parameters, no significant difference was observed between the times evaluated. Hemogasometric parameters and analgesia did not show significant alterations. Myorelaxation and quality of anesthetic recovery were considered excellent. Recovery time was 15.1±7.7 min for positioning of sternal decubitus and 45.5±23.1 minutes for return of ambulation. Continuous IV administration of TZ combination does not produce satisfactory analgesia and does not cause severe cardiorespiratory and hemogasometric effects in bitches pre-medicated with acepromazine.(AU)

Objetivou-se avaliar a qualidade e a recuperação da anestesia promovida pela associação tiletamina-zolazepam, administrada por via intravenosa (IV) contínua, em cadelas pré-medicadas com acepromazina. Foram utilizadas oito cadelas, sem raças definidas, clinicamente sadias, pesando em média 13,7±1,9kg. Após jejum alimentar de 12 horas e hídrico de quatro horas, os animais foram medicados com acepromazina (0,1mg/kg, via intramuscular) e, após 15 minutos, a anestesia foi induzida com a associação tiletamina-zolazepam (2mg/kg, IV) seguida imediatamente pela infusão IV contínua da mesma, na dose de 2mg/kg/h, durante 60 minutos. Os parâmetros que foram mensurados em todos os animais, imediatamente antes da administração da acepromazina (M-15), imediatamente antes da indução anestésica (M0) e, aos 5, 10, 20, 30, 40, 50 e 60 minutos após o início da infusão contínua (M5, M10, M20, M30, M40, M50 e M60) foram os seguintes: eletrocardiografia (ECG), frequência cardíaca (FC), pressão arterial média (PAM), frequência respiratória (f), temperatura corpórea (TC) e hemogasometria arterial, esta sendo realizada apenas nos momentos M-15, M0, M30 e M60. Para avaliação do grau de analgesia foi empregado um estimulador elétrico subcutâneo. Também se avaliou o miorrelaxamento e a qualidade da recuperação anestésica, classificando estes parâmetros em: excelente, bom e ruim. O tempo de recuperação anestésica foi registrado em minutos. A FC aumentou significativamente no momento M10 em relação ao M-15, e nos momentos M5, M10, M40 e M50 em relação ao M0. A PAM diminuiu significativamente em M20 e M30 em comparação ao valor basal. A TC diminuiu significativamente em M50 em comparação ao M0, mas não foi observada hipotermia. A f apresentou uma redução significativa nos momentos M5, M10 e M20 em relação ao M-15, e em M5 e M10 em relação ao M0, sendo observado bradipneia durante os primeiros 20 minutos após a indução anestésica. Foram observadas diminuições significativas do intervalo PR nos momentos M10, M40 e M50, em relação ao M-15. A amplitude da onda R apresentou diminuição significativa em M20 em comparação ao M-15. Nos demais parâmetros da ECG não houve diferença significativa entre os momentos avaliados. Os parâmetros hemogasométricos e a analgesia não apresentaram alterações significativas. O miorrelaxamento e a qualidade da recuperação anestésica foram considerados excelentes. O período de recuperação foi de 15,1±7,7 minutos para posicionamento do decúbito esternal e 45,5±23,1 minutos para retorno da deambulação. A administração intravenosa contínua de tiletamina-zolazepam não produz analgesia satisfatória e não causa efeitos cardiorrespiratórios e hemogasométricos severos, em cadelas pré-tratadas com acepromazina.(AU)
Descritores: Tiletamina/farmacologia
Zolazepam/farmacologia
Período de Recuperação da Anestesia
Taxa Respiratória/efeitos dos fármacos
Frequência Cardíaca/efeitos dos fármacos
Adjuvantes Anestésicos
Anestesia Intravenosa/veterinária
Acepromazina/farmacologia
Limites: Animais
Feminino
Cães
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  2 / 17 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-970408
Autor: Santos, E. A; Aptekmann, K. P; Santos, P. O. P. R; Reis, A. C; Kuster, M. C. C; Andrade Junior, P. S. C.
Título: Echocardiographic parameters in dogs treated with acepromazine and fentanyl / Parâmetros ecocardiográficos em cães tratados com acepromazina e fentanil
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);70(6):1767-1774, nov.-dez. 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: Considering that the use of tranquillizers could optimize the performance of the echocardiogram, this study aimed to evaluate the effect of protocols with acepromazine and fentanyl on the echocardiographic parameters of healthy dogs, besides their effect in systolic blood pressure (SBP), respiratory rate (RR), heart rate (HR), time spent for examination and sedation scale. Ten adult dogs were submitted to different tranquilizing protocols 20 minutes before the echocardiographic examination, totalling five treatments for each pair, performed at seven-day intervals between evaluations. The treatments were CT (control treatment), IAT (intramuscular acepromazine), OAT (oral acepromazine), FT (fentanyl) and AFT (acepromazine associated with fentanyl). In addition to the echocardiographic evaluation, SBP, degree of reassurance, duration of the exam, HR and RR in the different protocols were evaluated. There was a significant decrease of SBP in OAT. There was a significant reduction in left ventricular diameter during systole and diastole and mitral annular movement in IAT, OAT and AFT, compared with CT. There was a decrease in tricuspid annular plane systolic excursion and increase in mitral E/mitral A ratio in IAT and OAT when compared with CT. All the tranquillizer protocols studied were found to significantly reduce HR, that facilitated the echocardiographic examination.(AU)

Considerando que o uso de tranquilizantes poderia otimizar a realização do ecocardiograma, objetivou-se com este estudo avaliar o efeito da tranquilização com acepromazina e fentanil sobre os parâmetros ecocardiográficos em cães saudáveis, bem como o efeito na pressão arterial sistólica (PAS), na frequência respiratória (FR), na frequência cardíaca (FC), no tempo gasto para a realização do exame e na escala de sedação. Dez cães adultos foram submetidos a diferentes protocolos tranquilizantes, 20 minutos antes da avaliação ecocardiográfica, totalizando cinco tratamentos para cada dupla, realizados com intervalos de sete dias entre as avaliações. Os tratamentos foram: TC (tratamento controle), TAI (acepromazina intramuscular), TAO (acepromazina oral), TF (fentanil) e TAF (acepromazina associada ao fentanil). Além dos parâmetros ecocardiográficos, foram avaliados a PAS, o grau de tranquilização, o tempo de duração do exame e a FC e a FR nos diferentes protocolos. Houve diminuição significativa da PAS no TAO. Observou-se redução significativa do diâmetro do ventrículo esquerdo em sístole e diástole e do movimento anular de mitral nos protocolos TAI, TAO e TAF, comparados com o TC. Observou-se também uma redução da excursão sistólica do plano anular tricúspide e aumento da relação mitral E/mitral A nos protocolos TAI e TAO quando comparados ao TC. Todos os protocolos de tranquilização reduziram significativamente a FC, o que facilitou a realização do exame.(AU)
Descritores: Ecocardiografia/estatística & dados numéricos
Fentanila/análise
Cães/anormalidades
Acepromazina/análise
Limites: Animais
Cães
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  3 / 17 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-909836
Autor: Reis, A. C; Aptekmann, K. P; Egert, L; Andrade-Júnior, P. S. C.
Título: Parâmetros ecocardiográficos em cães saudáveis tratados com acepromazina, meperidina e sua associação / Echocardiographic parameters in healthy dogs treated with acepromazine, meperidine and their association
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);69(6):1437-1442, nov.-dez. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivou-se avaliar os efeitos da tranquilização com meperidina, acepromazina e de sua associação sobre os parâmetros ecocardiográficos em cães. Foram utilizados 12 cães adultos, da raça Rottweiler, submetidos ao exame ecocardiográfico sem utilização de sedação (controle - TC) e a três protocolos de tratamento, utilizando-se meperidina (TM), acepromazina (TA) e a associação dos medicamentos (TMA). As variáveis foram analisadas pelo teste de Tukey (P<0,05). Observou-se que as médias obtidas na onda A do fluxo mitral em TA e TMA diminuíram significativamente com relação ao TM, que não diferiu do TC. Houve uma diminuição significativa no valor de movimento anular mitral (MAM) e excursão sistólica do plano anular tricúspide (ESPAT) no TA. Não houve diferença significativa para os valores de fração de encurtamento (FE) entre TA e os demais tratamentos. Entretanto, observou-se que 57,3% dos cães apresentaram valores de FE abaixo da normalidade. As alterações encontradas podem ser decorrentes dos efeitos hipotensores da acepromazina utilizada de forma isolada. Conclui-se que a meperidina ou sua associação com acepromazina não alteram os parâmetros ecocardiográficos em cães saudáveis e que a acepromazina, utilizada isoladamente, causa alteração nos parâmetros de função sistólica dos cães, não sendo recomendada para a contenção química dos cães submetidos ao ecocardiograma, o que poderia levar à má interpretação do exame.(AU)

The aim of this study was to evaluate the effects of sedation with meperidine, acepromazine and its association on the echocardiographic parameters in dogs. Twelve adult Rottweilers were used and subjected to the echocardiography examination without the use of sedation (control - CT) and subjected to three treatment protocols using meperidine (MT), acepromazine (AT), and the combination of drugs (MAT). Variables were analyzed by Tukey test (p<0,05). The averages obtained in A-wave of mitral inflow in AT and MAT decreased significantly compared to MT, which did not differ from CT. There was a significant decrease in the measurement of mitral annulus motion (MAM) and tricuspid annular plane systolic excursion (TAPSE) at TA. There was no significant difference in shortening fraction (SF) values between TA and other treatments. However, it was observed that 57.3% of the dogs showed SF values below the normal range for the species. All changes found may be due to the hypotensive effects of acepromazine used in isolation. In conclusion, meperidine or its association with acepromazine does not alter echocardiographic parameters in healthy dogs and acepromazine, used alone, causes changes in the parameters of systolic function and is not recommended for sedation of dogs submitted to echocardiogram, since it could cause a misinterpretation of the exam.(AU)
Descritores: Acepromazina/uso terapêutico
Ecocardiografia/veterinária
Meperidina/uso terapêutico
Neuroleptanalgesia/veterinária
Limites: Animais
Cães
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  4 / 17 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Toniollo, Gilson Hélio
Texto completo
Id: lil-750882
Autor: Tavares, Denise Cláudia; Souza, Fabiana Ferreira; Olivaes, Claudio Galvão; Rodrigues, Valeska; Seixas, Thais Melo de Paula; Mattos Junior, Ewaldo de; Toniollo, Gilson Hélio.
Título: Splenic congestion associated with acepromazine administration in dogs / Congestão esplênica associada à aplicação de acepromazina em cães
Fonte: Braz. j. vet. res. anim. sci;51(4):304-308, 2014.
Idioma: en.
Resumo: The effects splenic dilatation induced by acepromazine in a prospective, randomized study. Thirtythree adult mongrel dogs were divided into two groups designated as AG (acepromazine 0.05 mg/kg, i.v., n = 23) and CG (0.9 percent sodium chloride administered at a similar volume, n = 10). In both groups underwent sonographic examinations before (T0) and fifteen minutes (T15) after drug injection. The thickness spleen and splenic vein width were measured. Higher thickness was found in the AG group at T15 (2.47 cm) when compared to that at T0 (2.06 cm, p = 0.016), while the T0 (2.33 cm) and T15 (2.39 cm) measures did not differ within the CG group. Moreover, the splenic vein width was higher (p = 0.013) at T15 than at T0 in the AG group. Based on results of this study, we concluded that acepromazine, in doses of 0.05 mg/kg, promotes splenomegaly in dogs after fifteen minutes of the injection.

Foram avaliados os efeitos de dilatação esplênica induzidos pela acepromazina em estudo do tipo prospectivo e randomizado. Trinta e três cães foram distribuídos em dois grupos designados como GA (acepromazina 0,05 mg/kg, i.v., n = 23) e GC (solução de cloreto de sódio 0,9 por cento em volume semelhante ao GA, i.v., n = 10). Em ambos os grupos foi realizada ultrassonografia abdominal previamente à aplicação das substâncias (T0) e após 15 minutos (T15). A espessura do baço e a largura da veia esplênica foram mensuradas. Foi verificada maior espessura esplênica no GA no T15 (2,47 cm) quando comparado a T0 (2,06 cm, p = 0,016), enquanto no GC não houve diferença significativa, sendo T0 (2,33 cm) e T15 (2,39 cm). Ainda, a largura da veia esplênica foi maior no T15 (p = 0,013) comparado a T0no GA. Baseado nos resultados encontrados, pode-se concluir que a acepromazina na dose de 0,05 mg/kg induz a esplenomegalia em cães após 15 minutos da aplicação.
Descritores: Acepromazina
Cães/classificação
Fenotiazinas/análise
Lobos
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  5 / 17 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-643623
Autor: Alves-Júnior, José Roberto Ferreira; Bosso, Andréa Cristina Scarpa; Andrade, Mariana Batista; Jayme, Valéria de Sá; Werther, Karin; Santos, André Luiz Quagliatto.
Título: Association of acepromazine with propofol in giant amazon turtles Podocnemis expansa reared in captivity / Associação da acepromazina com propofol em tartarugas-da-amazônia Podocnemis expansa criadas em cativeiro
Fonte: Acta cir. bras;27(8):552-556, Aug. 2012. ilus.
Idioma: en.
Resumo: PURPOSE: To evaluate the effects of different concentrations of an anesthetic association in giant amazon turtles (Podocnemis expansa). METHODS: Twenty healthy P. expansa of both sexes weighing between 1.0 and 1.5kg commercially bred in the Araguaia River Valley, Goias, Brazil, were separated into two groups (G1 n=10 and G2 n=10). Each group received a respective protocol: P1= acepromazine (0.5 mg/kg IM) and propofol (5 mg/kg IV) and P2 = acepromazine (0.5 mg/kg IM) and propofol (10 mg/kg IV). The acepromazine was administered in the left thoracic member and the propofol in the cervical vertebral sinus. Assessments were made of the anesthetic parameters of locomotion, muscle relaxation, response to pain stimuli in the right thoracic and pelvic members and heartbeat. RESULTS: The anesthetic induction time was the same for both protocols (P1 and P2); however the P2 effects were of a longer duration. CONCLUSION: The sedation achieved with both protocols (P1 and P2) were satisfactory for the biological sample collection, physical examinations and minor surgeries on this species.

OBJETIVO: Avaliar os efeitos de uma associação anestésica com diferentes concentrações em tartarugas-da-amazônia (Podocnemis expansa). MÉTODOS: Vinte P. expansa, hígidas, de ambos os sexos, com massa corporal entre 1,0 e 1,5 kg, de um criatório comercial localizado no vale do rio Araguaia, Goiás, Brasil, foram distribuídas em dois grupos (G1 n=10 e G2 n=10). Cada grupo recebeu um protocolo sendo: P1 = acepromazina (0,5 mg/kg IM) e propofol (5 mg/kg IV) e P2 = acepromazina (0,5 mg/kg IM) e propofol (10 mg/kg IV), aplicados nos grupos G1 e G2, respectivamente. A acepromazina foi aplicada no membro torácico esquerdo e o propofol no seio vertebral cervical. Foram avaliados os parâmetros anestésicos: locomoção, relaxamento muscular, resposta aos estímulos dolorosos no membro torácico direito e nos membros pelvinos e frequência cardíaca. RESULTADOS: O tempo de indução anestésica foi o mesmo para ambos os protocolos (P1 e P2), porém o P2 apresentou efeitos mais duradouros. CONCLUSÃO: As sedações obtidas por esses protocolos (P1 e P2) foram satisfatórias para a colheita de amostras biológicas, exames físicos e realização de pequenos procedimentos cirúrgicos nesta espécie.
Descritores: Acepromazina/administração & dosagem
Anestesia/veterinária
Anestésicos Combinados/administração & dosagem
Propofol/administração & dosagem
Tartarugas
-Brasil
Locomoção/efeitos dos fármacos
Relaxamento Muscular/efeitos dos fármacos
Fatores de Tempo
Limites: Animais
Feminino
Masculino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 17 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-605850
Autor: Souza, N. P; Guimarães, L. D'A; Paz, R. C. R.
Título: Dosagem hormonal e avaliação testicular em cachorro-do-mato (Cerdocyun thous) utilizando diferentes protocolos anestésicos / Hormonal analyses and testicular evaluation in Cerdocyun thous using different anesthetic protocols
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;63(5):1224-1228, out. 2011. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Tree Cerdocyon thous males received different anesthesia protocols: tiletamine-zolazepan (7mg/kg); ketamine-xylazine (12 and 1mg/kg); ketamine-xylazine-atropin (12, 1.0 and 0.04mg/kg), ketamine-midazolam (12 and 0.5mg/kg) and ketamine-acepromazine (12 and 0.1mg/kg) for semen collection by electroejaculation, testosterone hormonal dosages, fine needle aspiration cytology (FNAC), testicular manual evaluation, biometry by caliper and ultrassonography (US). The ejaculates collected by electroejaculation showed urine contamination making impossible the semen evaluation. The M±PD of serum testosterone was 0.74±0.2ng/mL. The cell types found in FNAC were: spermatogonia 13.3±11.5 percent, primary spermatocytes 5.5±1.1 percent, secondary spermatocytes 5.5±3.9 percent, early spermatids 12.8±6.2 percent, late spermatids 26.2±11.2 percent, sperm 14.5±4.7 percent and Sertoli cells 21.8±2.7 percent. Manual testicular evaluation showed normal consistency of testicles. The M±PD of testicular biometry by caliper was 3.8±1.5cm³ and by US was 1.1±0.3cm³. The animals showed normal spermatogenesis with normal spermatozoa observed in FNAC and normal testicular US.
Descritores: Analgesia/veterinária
Anestesia/veterinária
Canidae/anatomia & histologia
Testículo
Testosterona/análise
-Acepromazina/administração & dosagem
Atropina/administração & dosagem
Biometria/métodos
Ketamina/administração & dosagem
Midazolam/administração & dosagem
Tiletamina/administração & dosagem
Xilazina/administração & dosagem
Limites: Animais
Masculino
Cães
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  7 / 17 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-591120
Autor: Lima, D. A. S. D; Souza, A. P; Santana, V. L; Araújo, A. L; Lima, W. C; Mendes, R. S; Nóbrega Neto, P. I.
Título: Anestesia epidural com associação medetomidina e lidocaína, em gatos pré-medicados com acepromazina e midazolam / Epidural anesthesia with lidocaine and association medetomidine in cats pre-medicated with acepromazine and midazolam
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;63(2):308-316, abr. 2011. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Avaliaram-se os efeitos anestésicos promovidos pela associação medetomidina e lidocaína por via epidural, em gatos pré-tratados com acepromazina e midazolam. Foram utilizados 10 gatos adultos, machos e fêmeas, hígidos e com média de peso de 2,5±0,6kg, distribuídos em dois grupos (GM e GL) de igual número (n=5). Administraram-se, como medicação pré-anestésica, acepromazina, 0,2mg/kg, e midazolam, 0,5mg/kg, via intramuscular, e 20 minutos depois, nos animais do GM, por via epidural, lidocaína, 4,4mg/kg, associada à medetomidina, 0,02mg/kg. Os gatos do GL receberam lidocaína, 4,4mg/kg, associada à solução de NaCl a 0,9 por cento. As avaliações ocorreram antes da pré-anestesia (MPA), 20 minutos após a MPA e antes da anestesia epidural, e aos 10, 20, 30 e 40 minutos após a anestesia epidural, respectivamente, T-20, T0, T10, T20, T30 e T40. Foram avaliados: frequência cardíaca (FC) e respiratória (FR), temperatura do corpo, saturação de oxiemoglobina, analgesia, miorrelaxamento e período de recuperação. No GM, a FC diminuiu em T20, T30 e T40 em relação ao T-20 e T10 e foi mais baixa que a FC do GL em T20, T30 e T40, respectivamente, 86, 91 e 88 bat/min e 194, 205 e 177 bat/min. A FR variou entre o T-20 e os outros momentos de avaliação nos animais do GL. Nas variáveis eletrocardiográficas, houve diferenças entre T20, T30 e T40 e T-20 e T0, valores de 235, 238 e 240ms e 156 e 161ms, respectivamente, somente no GM. Este grupo diferiu do GL nas avaliações em T20, T30 e T40, valores de 147, 132 e 150ms para os gatos do GL. Oitenta por cento dos gatos tiveram analgesia intensa, e em todos os animais ocorreu relaxamento da mandíbula e da língua. O tempo de recuperação foi de 40 e 15min no GM e no GL, respectivamente. Concluiu-se que a associação lidocaína com medetomidina promoveu plano anestésico estável com grau de anestesia e recuperação anestésica de boa qualidade.

The anesthetic effects due to the association of medetomidine and epidural lidocaine in cats pretreated with acepromazine and midazolam were evaluated. Ten adult cats were used, male and female, healthy and weighing 2.5±0.6kg. They were divided into two groups (GM and GL) of equal numbers (n=5). Premedication with acepromazine, 0.2mg/kg, and midazolam, 0.5mg/kg, intramuscular was administered. Twenty minutes later, GM animals were given epidural lidocaine, 4.4mg/kg, associated with medetomidine, 0.02mg/kg. GL cats received lidocaine, 4.4mg/kg, associated with NaCl 0.9 percent. Assessments occurred before the pre-anesthesia (MPA), 20 minutes after premedication and before the epidural block, and 10, 20, 30 and 40 minutes after epidural anesthesia, respectively, T-20, T0, T10, T20, T30 and T40. Heart rate, respiratory rate, body temperature, oxyhemoglobin saturation, analgesia, muscle relaxation and recovery period were evaluated. In GM cats the heart rate decreased at T20, T30 and T40 as compared to T-20 and T10 and was lower than the heart rate in the GL cats at T20, T30 and T40, values being, respectively, 86, 91 and 88 beats/min and 194, 205 and 177 beats/min. The respiratory rate ranged from T-20 and the other time points in GL animals. Concerning electrocardiographic variables, in GM cats significant differences between T20, T30 and T40 and T0 and T-20, were observed, values being 235, 238 and 156 and 161ms and 240ms, respectively. GM animals differed from GL in T20, T30 and T40, values being 147, 132 and 150ms for GL cats. Eighty percent of the cats had severe pain and in all animals there was a relaxation of the jaw and tongue. The recovery time was 40 and 15 min at GM and GL, respectively. It was concluded that the association promoted lidocaine with medetomidine anesthesia with a stable level of anesthesia and anesthetic recovery of good quality.
Descritores: Anestesia Epidural
Eletrocardiografia
Gatos/classificação
-Acepromazina/farmacologia
Lidocaína/farmacologia
Midazolam
Medetomidina/farmacologia
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  8 / 17 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-489110
Autor: Monteiro, Eduardo Raposo; Picoli, Fabricia Mateus; Queiroz, Marisa Guizeline de Oliveira; Campagnol, Daniela; Quitzan, Juliany Gomes.
Título: Efeitos sedativo e cardiorrespiratório da administração da metadona, isoladamente ou em associação à acepromazina ou xilazina, em gatos / Sedative and cardiorespiratory effects of methadone, alone or in combination with acepromazine or xylazine, in cats
Fonte: Braz. j. vet. res. anim. sci;45(4):289-297, 2008. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Seis felinos com peso médio de 3,3±0,3 kg foram aleatoriamente submetidos a 6 tratamentos, com intervalo mínimo de 1 semana. Os animais receberam a administração intramuscular de solução fisiológica (controle), metadona (0,3 mg/kg), acepromazina (0,1 mg/kg), xilazina (1,0 mg/kg), acepromazina (0,05 mg/kg) + metadona (0,3 mg/kg) ou xilazina (0,5 mg/kg) + metadona (0,3 mg/kg). As freqüências cardíaca (FC) e respiratória (FR), a pressão arterial sistólica (PAS), a temperatura retal, o grau de sedação e o reflexo interdigital foram avaliados antes (basal) e após a administração dos tratamentos em intervalos específicos por 90 minutos. Nos animais tratados com xilazina ou xilazina/metadona, houve diminuição em FR, FC e na temperatura retal. Nos mesmos tratamentos, 1/6 e 2/6 animais não apresentaram reflexo interdigital em pelo menos um dos momentos avaliados. Nos animais que receberam a administração de 0,1 mg/kg de acepromazina, houve diminuição em PAS. Os escores de sedação foram mais elevados nos animais que receberam a administração de xilazina ou xilazina associada à metadona. A administração da metadona isolada ou associada à acepromazina resultou em sedação considerada insatisfatória e sinais de excitação em alguns animais. O uso da metadona isolado ou em associação à acepromazina foi considerado ineficaz quando se objetiva sedação moderada à intensa. A associação da metadona à xilazina produz sedação moderada à intensa, sendo esse efeito semelhante àquele observado após a administração da xilazina isoladamente em dose mais elevada.

Six cats weighting 3.3±0.3 kg were randomly allocated to 6 treatments, with at least one-week intervals. The cats received intramuscular administration of physiological saline (control), methadone (0.3 mg/kg), acepromazine (0,1 mg/kg), xylazine (1.0 mg/kg), acepromazine (0.05 mg/kg) plus methadone (0.3 mg/kg) or xylazine (0.5 mg/kg) plus methadone (0.3 mg/kg). Heart rate (HR), respiratory rate (RR), indirect systolic arterial pressure (SAP), rectal temperature, sedation score and pedal withdrawal reflex were evaluated before (baseline) and at selected intervals after treatment administration for 90 minutes. Respiratory rate, HR and rectal temperature decreased in cats given xylazine or xylazine plus methadone. In 1 out of 6 cats given xylazine and 2 out of 6 cats given xylazine/methadone, pedal withdrawal reflex was absent. In cats given 0.1 mg/kg of acepromazine, SAP decreased compared to baseline. Sedation scores were greater in cats given xylazine or xylazine plus methadone. Methadone alone or in combination with acepromazine did not produce a satisfactory degree of sedation and resulted in signs of excitement in some of the cats. Methadone alone or combination with acepromazine was not considered an effective protocol when moderate to deep sedation is required in cats. Methadone in combination with xylazine produces moderate to deep sedation, being this effect comparable to that achieved with a higher dose of xylazine alone.
Descritores: Acepromazina/administração & dosagem
Acepromazina/efeitos adversos
Gatos
Frequência Cardíaca
Metadona/administração & dosagem
Metadona/efeitos adversos
Xilazina/administração & dosagem
Xilazina/efeitos adversos
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  9 / 17 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-456426
Autor: Matsubara, L. M; Oliva, V. N. L. S; Gabas, D. T; Bevilacqua, L; Rodello, L; Perri, S. H. V.
Título: Efeito do sevofluorano sobre a freqüência cardíaca fetal no terço final de gestação de cadelas / Effect of sevoflurane on fetal heart rate in last third pregnant bitches
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;59(1):134-139, fev. 2007. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Estudaram-se os efeitos do sevofluorano sobre a freqüência cardíaca nos fetos de cadelas no terço final de gestação, mediante a mensuração da freqüência cardíaca fetal com a utilização do ultra-som. Nove cadelas, sem raça definida, entre um e cinco anos de idade, com aproximadamente 45 dias de gestação, foram anestesiadas com acepromazina (0,05mg/kg, IV), propofol (5mg/kg, IV) e sevofluorano. O monitoramento da freqüência cardíaca fetal foi realizado antes da medicação pré-anestésica (M0), 15 minutos após a intubação traqueal (M1), aos 30 minutos (M2) e 60 minutos (M3) do período de manutenção anestésica. A pressão arterial sistólica (PAS), média (PAM) e diastólica (PAD) foram obtidas pelo método não invasivo, sendo a PAM avaliada também pelo método invasivo. Por meio do monitoramento da freqüência cardíaca fetal média não se observou diferença significativa entre M0, M1 e M2, e verificou-se elevação apenas aos 60 minutos da manutenção anestésica (M3) em relação ao M0, porém sem significado clínico. O protocolo anestésico provocou diminuição significativa da pressão sangüínea arterial materna sem alterar, porém a freqüência cardíaca dos fetos.

The effect of sevoflurane on fetal heart rate of 45-day fetuses was investigated through monitoring fetal heart rate by ultrasonographic evaluation in nine adult bitches aging from 1 to 5-year-old. After sedation with acepromazine (0.05mg/kg, IV), the anesthetic induction was accomplished using propofol (5mg/kg, IV) and the maintenance was kept with sevoflurane. The fetal heart rate was measured before sedation (M0), 15 minutes after endotracheal intubation (M1), at 30 (M2) and 60 minutes (M3) from the beginning of general anesthesia. The systolic, diastolic and mean blood pressures were obtained by indirect techniques, while mean blood pressure were also obtained by direct technique. The measure of fetal heart rate did not show any difference between M0, M1 and M2, but there was a remarkable increase in the last moment of the study (M3) comparing to M0, however without clinical relevance. The anesthetic protocol employing acepromazine, propofol and sevoflurane in 45-day pregnancy bitches decreased their arterial blood pressure without affecting the fetal heart rate.
Descritores: Acepromazina/administração & dosagem
Anestesia Epidural/efeitos adversos
Anestesia Epidural/métodos
Anestesia por Inalação/efeitos adversos
Anestesia por Inalação/métodos
Cães
Frequência Cardíaca Fetal
Gravidez
Propofol/administração & dosagem
Limites: Animais
Feminino
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  10 / 17 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-432931
Autor: Morais, Marco César Batista de; Paula, Valéria Veras de; Alves Júnior, Raimundo Barrêto.
Título: Avaliação das associações anestésicas: atropina/cetamina-s/xilazina e acepromazina/cetamina-s/midazolam em felinos domésticos (Felis domestica) / The evaluation of the anesthetic associations: atropine/s-ketamine/xylazine and acepromazine/ketamine-s/midazolam in domestic felines (Felis domestica)
Fonte: Braz. j. vet. res. anim. sci;42(2):98-104, 2005. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Com o objetivo de avaliar as associações anestésicas atropina/cetamina-s/xilazina e acepromazina/cetamina-s/midazolam em felinos domésticos (Felis catus), foram utilizados 16 felinos, machos, hígidos cedidos por proprietários atendidos no Hospital Veterinário da Escola Superior de Agricultura de Mossoró. Os animais foram distribuidos aleatoriamente em dois grupos de oito animais, onde foi utilizado um tratamento anestésico distinto para cada grupo. O grupo I, foi pré-tratado com sulfato de atropina (0,044mg/kg) por via subcutânea, e decorridos 15 minutos, recebeu xilazina (1,0 mg/ kg) associada a cetamina-s (10mg/kg) por via intramuscular. No grupo II, foi utilizada acepromazina (0,2 mg/kg) por via intramuscular e após 15 minutos, administrou-se a associação de midazolam (0,5mg/ kg) e cetamina-s (10 mg/kg) por via intramuscular. Foram avaliadas as variáveis fisiológicas: freqüência cardíaca, freqüência respiratória, saturação de oxigênio e tempo de preenchimento capilar. A aferição das variáveis foi realizada a cada 10 minutos, durante 90 minutos. Também foi avaliado o período de latência, período de analgesia e de recuperação. A média do período de latência após a administração de atropina/ cetamina-s/xilazina foi de 3,68min, enquanto na acepromazina/cetamina-s/midazolam foi de 3,95 min. No grupo I, a média do tempo de analgesia foi de 45,94min, e no grupo II foi obtida analgesia em apenas um animal. A média do tempo de recuperação no grupo I foi de 134, 08min e no grupo lI, 78,28min. Concluiu-se que a associação atropina/ cetamina-s/xilazina, produz uma anestesia de boa qualidade para pequenos procedimentos cirúrgicos, enquanto que a associação acepromazina/cetamina-s/midazolam deve ser utilizada para pequenos procedimentos ambulatoriais. Ambas associações apresentam propriedades farmacológicas comparáveis com as obtidas com a cetamina racêmica.
Descritores: Acepromazina/efeitos adversos
Anestésicos Combinados/administração & dosagem
Anestésicos Dissociativos/administração & dosagem
Anestesiologia/métodos
Atropina/efeitos adversos
Gatos
Midazolam/efeitos adversos
Xilazina/efeitos adversos
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde