Base de dados : LILACS
Pesquisa : D02.886.778.823.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 82 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 9 ir para página                      

  1 / 82 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: lil-344682
Autor: Ribeiro, Expedito E; Martinez Filho, Eulógio.
Título: Intervenções percutâneas em pacientes multiarteriais / Percutaneous coronary intervention in patients with multivessel disease
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):149-159, Mar-Abr. 2002. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Discutimos os resultados dos sete estudos randomizados comparando a angioplastia transluminal coronária e a cirurgia de revascularização miocárdica no tratamento da doença coronária obstrutiva em pacientes multiarteriais. Os resultados demonstram que a mortalidade tardia foi semelhante entre as duas opções de tratamento e que a necessidade de reintervenção foi maior nos pacientes tratados com angioplastia. Os stents coronários foram capazes de reduzir as complicações imediatas e a reestenose coronária pós-angioplastia convencional. Analisamos os dois estudos já publicados, ARTS e ERACI II, comparando-se novamente as duas opções de tratamento. Os stents coronários otimizaram os resultados da angioplastia e reduziram a necessidade de reintervenção nos pacientes tratados percutaneamente. É possível que, no futuro, stents liberadores de drogas, tais como sirolimus e taxol,possam ser utilizados no tratamento desses pacientes, reduzindo ou mesmo abolindo as reintervenções pós-angioplastia...

We reviewed the results of 7 randomized trials, comparing percutaneous transluminal coronary angioplasty vs. coronary artery bypass grafting in the treatment of patients with multivessel coronary heart disease. The results showed no differences in the late mortality, but with more reinterventions in patients treated by percutaneous transluminal coronary angioplasty. The utilization of the coronary stents reduced the acute complications and the restenosis of percutaneous transluminal coronary angioplasty. In the analysis of the two published ARTS and ERACI II trials, we found an important reduction in the need of reinterventions in patients with multivessel disease. In the future the utilization of drug eluting stent with sirolimus or taxol can improve the results of percutaneous transluminal coronary angioplasty and reduce or abolish the need of reinterventions
Descritores: Stents
Doença das Coronárias
Angioplastia com Balão
Revascularização Miocárdica
-Ticlopidina
Sirolimo
Diabetes Mellitus
Reestenose Coronária
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  2 / 82 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1045605
Autor: Ma, B; Hang, L; Chen, G; Du, Y.
Título: Effect of clopidogrel with or without omeprazole in patients with carotid artery stenting / Efecto del clopidogrel con o sin omeprazol en pacientes con stent en la arteria carótida
Fonte: West Indian med. j;62(2):135-139, Feb. 2013. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: BACKGROUND: Recent concerns have been raised about the potential for proton pump inhibitors (PPIs) to blunt the efficacy of clopidogrel. We observed the effect of clopidogrel plus aspirin with or without omeprazole in patients with carotid stenoses after they received placement of carotid stents. METHODS: Sixty-four consecutive patients treated with percutaneous carotid artery stenting (CAS) comprised the sample. All enrolled patients underwent the C13 urea breath test (C13 UBT) before CAS. Patients with Helicobacter pylori infection and a history of peptic ulcer were assigned dual antiplatelet combination with omeprazole. Others received dual antiplatelet without omeprazole. Transcranial Doppler and ultrasonography were performed to assess the middle cerebral artery and carotid artery in follow-up at three months and six months. RESULTS: Eight patients had gastrointestinal bleeding; the event rate was 22.6% without omeprazole and 3.8% with omeprazole. The rate of gastrointestinal bleeding was reduced with omeprazole as compared without omeprazole (p = 0.026, p < 0.05). The two groups did not differ significantly in the rate of instent restenosis and thrombus through transcranial Doppler and ultrasonography. CONCLUSION: Among patients receiving dual antiplatelet therapy, prophylactic use of omeprazole reduced the rate of upper gastrointestinal bleeding. There was no apparent interaction between clopidogrel and omeprazole in patients with carotid artery stenting.

ANTECEDENTES: Recientemente se han expresado preocupaciones acerca de la posibilidad de que los inhibidores de la bomba de protones (IBP) para debilitar la eficacia del clopidogrel. Observamos el efecto del clopidogrel más aspirina con o sin omeprazol en pacientes con estenosis de la arteria carótida después de que recibieran la colocación de stents carotídeos. MÉTODOS: Sesenta y cuatro pacientes consecutivos tratados con stent percutáneo de la arteria carótida (SAC) fueron seleccionados para formar la muestra. A todos los pacientes inscritos se les realizó la prueba de aliento con urea C13 (C13 UBT) antes de CAS. A pacientes con infección por Helicobacter pylori y antecedentes de úlcera péptica les fue asignada una combinación antiplaquetaria dual con omeprazol. Otros recibieron tratamiento antiplaquetario dual sin omeprazol. Se realizaron una prueba Transcranial Doppler y una ultrasonografía a fin de evaluar la arteria cerebral media y la arteria carótida en seguimientos a los tres meses y a los seis meses. RESULTADOS: Ocho pacientes tuvieron hemorragia gastrointerstinal; la tasa de eventos fue 22.6% sin omeprazol y 3.8% con omeprazol. La tasa de hemorragia gastrointerstinal se redujo con omeprazol en comparación con la obtenida sin omeprazol (p = 0,026, p < 0.05). Los dos grupos no difirieron significativamente con respecto a la tasa de restenosis en stent y trombos a través de la prueba Transcranial Doppler y la ultrasonografía. CONCLUSIÓN: Entre los pacientes que reciben terapia antiplaquetaria dual, el uso profiláctico de omeprazol redujo la tasa de hemorragia gastrointestinal superior. No hubo interacción ostensible entre el clopidogrel y el omeprazol en pacientes con stent de la arteria carótida.
Descritores: Úlcera Péptica/tratamento farmacológico
Omeprazol/uso terapêutico
Ticlopidina/análogos & derivados
Inibidores da Agregação Plaquetária/uso terapêutico
Estenose das Carótidas/tratamento farmacológico
Inibidores da Bomba de Prótons/uso terapêutico
Hemorragia Gastrointestinal/induzido quimicamente
-Úlcera Péptica/complicações
Ticlopidina/uso terapêutico
Testes Respiratórios
Angiografia
Artérias Carótidas/cirurgia
Artérias Carótidas/diagnóstico por imagem
Stents
Aspirina/uso terapêutico
Helicobacter pylori
Infecções por Helicobacter/complicações
Infecções por Helicobacter/tratamento farmacológico
Estenose das Carótidas/cirurgia
Estenose das Carótidas/complicações
Interações Medicamentosas
Quimioterapia Combinada
Clopidogrel
Hemorragia Gastrointestinal/prevenção & controle
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Ensaio Clínico
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 82 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-792646
Autor: Prates, Paulo Roberto L; Williams, Judson B; Mehta, Rajendra H; Stevens, Susanna R; Thomas, Laine; Smith, Peter K; Newby, L Kristin; Kalil, Renato A K; Alexander, John H; Lopes, Renato D.
Título: Clopidogrel use after myocardial revascularization: prevalence, predictors, and one-year survival rate
Fonte: Rev. bras. cir. cardiovasc = Braz. j. cardiovasc. surg. (impr.);31(2):106-114, Mar.-Apr. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: National Institutes of Health Cardiothoracic Surgical Trials Network.
Resumo: Abstract Introduction: Antiplatelet therapy after coronary artery bypass graft (CABG) has been used. Little is known about the predictors and efficacy of clopidogrel in this scenario. Objective: Identify predictors of clopidogrel following CABG. Methods: We evaluated 5404 patients who underwent CABG between 2000 and 2009 at Duke University Medical Center. We excluded patients undergoing concomitant valve surgery, those who had postoperative bleeding or death before discharge. Postoperative clopidogrel was left to the discretion of the attending physician. Adjusted risk for 1-year mortality was compared between patients receiving and not receiving clopidogrel during hospitalization after undergoing CABG. Results: At hospital discharge, 931 (17.2%) patients were receiving clopidogrel. Comparing patients not receiving clopidogrel at discharge, users had more comorbidities, including hyperlipidemia, hypertension, heart failure, peripheral arterial disease and cerebrovascular disease. Patients who received aspirin during hospitalization were less likely to receive clopidogrel at discharge (P≤0.0001). Clopidogrel was associated with similar 1-year mortality compared with those who did not use clopidogrel (4.4% vs. 4.5%, P=0.72). There was, however, an interaction between the use of cardiopulmonary bypass and clopidogrel, with lower 1-year mortality in patients undergoing off-pump CABG who received clopidogrel, but not those undergoing conventional CABG (2.6% vs 5.6%, P Interaction = 0.032). Conclusion: Clopidogrel was used in nearly one-fifth of patients after CABG. Its use was not associated with lower mortality after 1 year in general, but lower mortality rate in those undergoing off-pump CABG. Randomized clinical trials are needed to determine the benefit of routine use of clopidogrel in CABG.
Descritores: Complicações Pós-Operatórias/mortalidade
Ticlopidina/análogos & derivados
Inibidores da Agregação Plaquetária/uso terapêutico
Ponte de Artéria Coronária/reabilitação
Revascularização Miocárdica/reabilitação
-Alta do Paciente/estatística & dados numéricos
Cuidados Pós-Operatórios/mortalidade
Complicações Pós-Operatórias/tratamento farmacológico
Período Pós-Operatório
Inibidores da Agregação Plaquetária/administração & dosagem
Inibidores da Agregação Plaquetária/normas
Ponte Cardiopulmonar/reabilitação
Aspirina/administração & dosagem
Aspirina/uso terapêutico
North Carolina
Ponte de Artéria Coronária/métodos
Taxa de Sobrevida
Quimioterapia Combinada/mortalidade
Clopidogrel
Revascularização Miocárdica/métodos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 82 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Lotufo, Paulo Andrade
Texto completo
Id: biblio-827857
Autor: Santos, Rafael Caire de Oliveira dos; Goulart, Alessandra Carvalho; Kisukuri, Alan Loureiro Xavier; Brandão, Rodrigo Martins; Sitnik, Debora; Staniak, Henrique Lane; Bittencourt, Marcio Sommer; Lotufo, Paulo Andrade; Bensenor, Isabela Martins; Santos, Itamar de Souza.
Título: Time-To-Treatment of Acute Coronary Syndrome and Unit of First Contact in the ERICO Study / Tempo para Tratamento durante Síndrome Coronariana Aguda e Unidade de Primeiro Contato no Estudo ERICO
Fonte: Arq. bras. cardiol;107(4):323-330, Oct. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: To the best of our knowledge, there are no studies evaluating the influence of the unit of the first contact on the frequency and time of pharmacological treatment during an acute coronary syndrome (ACS) event. Objectives: The main objective was to investigate if the unit of first contact influenced the frequency and time of aspirin treatment in the Strategy of Registry of Acute Coronary Syndrome (ERICO) study. Methods: We analyzed the pharmacological treatment time in 830 ERICO participants - 700 individuals for whom the hospital was the unit of first contact and 130 who initially sought primary care units. We built logistic regression models to study whether the unit of first contact was associated with a treatment time of less than three hours. Results: Individuals who went to primary care units received the first aspirin dose in those units in 75.6% of the cases. The remaining 24.4% received aspirin at the hospital. Despite this finding, individuals from primary care still had aspirin administered within three hours more frequently than those who went to the hospital (76.8% vs 52.6%; p<0.001 and 100% vs. 70.7%; p=0.001 for non ST-elevation ACS and ST-elevation myocardial infarction, respectively). In adjusted models, individuals coming from primary care were more likely to receive aspirin more quickly (odds ratio: 3.66; 95% confidence interval: 2.06-6.51). Conclusions: In our setting, individuals from primary care were more likely to receive aspirin earlier. Enhancing the ability of primary care units to provide early treatment and safe transportation may be beneficial in similar settings.

Resumo Fundamento: Em nosso conhecimento, não há estudos que avaliam a influência da unidade de primeiro contato na frequência e tempo para o tratamento farmacológico durante um evento de síndrome coronariana aguda (SCA). Objetivos: O principal objetivo foi investigar se a unidade de primeiro contato influencia a frequência e o tempo para tratamento com aspirina no estudo "Estratégia de Registro de Insuficiência Coronariana" (ERICO). Métodos: Analisamos o tempo para o tratamento farmacológico em 830 participantes do estudo ERICO - 700 indivíduos cuja primeira unidade de contato foi o hospital, e 130 que procuraram, num primeiro momento, unidades de atenção primária. Construímos modelos de regressão logística para estudar se a unidade de primeiro contato estava associada a um tempo de tratamento de menos de três horas. Resultados: Indivíduos que buscaram unidades de atenção primária receberam a primeira dose de aspirina nestas unidades em 75,6% dos casos. Os outros 24,4% receberam a aspirina no hospital. Apesar deste achado, indivíduos de unidades de atenção primária receberam aspirina em três horas mais frequentemente do que aqueles que foram ao hospital (76,8% vs 52,6%; p<0,001 e 100% vs, 70,7%; p=0,001 para SCA sem elevação do segmento ST e infarto agudo do miocárdio com elevação do ST, respectivamente). Em modelos ajustados, indivíduos vindos de unidades de atenção primária tinham mais probabilidade de receber aspirina mais rapidamente (razão de chances: 3,66; 95% intervalo de confiança: 2,06-6,51). Conclusões: Neste contexto, indivíduos provenientes de unidades de atenção primária tinham maior chance de receber aspirina mais rapidamente. O aprimoramento da capacidade das unidades de atenção primária para proporcionar tratamento precoce e transporte seguro pode ser benéfico em contextos similares.
Descritores: Atenção Primária à Saúde/estatística & dados numéricos
Inibidores da Agregação Plaquetária/administração & dosagem
Aspirina/administração & dosagem
Síndrome Coronariana Aguda/tratamento farmacológico
-Fatores de Tempo
Ticlopidina/administração & dosagem
Ticlopidina/análogos & derivados
Brasil
Heparina/administração & dosagem
Estudos Prospectivos
Estatísticas não Paramétricas
Escolaridade
Fibrinolíticos/administração & dosagem
Clopidogrel
Anticoagulantes/administração & dosagem
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 82 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-521580
Autor: Chamié, Daniel; Costa Junior, José Ribamar; Abizaid, Alexandre; Silva, José Fábio Almiro da; Feres, Fausto; Mattos, Luiz Alberto; Staico, Rodolfo; Costa, Ricardo A; Siqueira, Dimytri; Tanajura, Luiz Fernando; Sousa, Amanda G. M. R; Sousa, J. Eduardo.
Título: Stents libertadores de sirolimus com e sem cobertura polimérica: análise seriada com angiografia e ultrassom intracoronariano tridimensional / Sirolimus-eluting stents with and without polymeric coating: serial angiography and three-dimensional intravascular ultrasound analysis
Fonte: Rev. bras. cardiol. invasiva;17(1):20-30, jan.-mar. 2009. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: A presença de polímeros sintéticos em contato com a parede vascular tem sido associada a intensa resposta inflamatória local e a eventos adversos tardios. Entretanto, sua ausência pode comprometer a eficácia dos stents farmacológicos em suprimir a hiperplasia intimal. Avaliamos, com angiografia coronariana quantitativa (ACQ) e ultrassom intracoronariano (USIC), a eficácia do stent Vestasyn (VES), liberador não-polimérico de sirolimus...
Descritores: Stents
Angiografia Coronária
Doença das Coronárias/dietoterapia
-Heparina/administração & dosagem
Seguimentos
Sirolimo/sangue
Ticlopidina/administração & dosagem
Limites: Humanos
Masculino
Idoso
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  6 / 82 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-503483
Autor: Chamié, Daniel; Costa Junior, José Ribamar; Abizaid, Alexandre; Feres, Fausto; Devito, Fernando; Mattos, Luiz Alberto; Staico, Rodolfo; Abizaid, Andrea; Tanajura, Luiz Fernando L; Fitzgerald, Peter J; Whitbourn, Robert; Sousa, Amanda G. M. R; Sousa, J. Eduardo.
Título: Stents auto-expansíveis versus balão-expansível para tratamento de lesões em vasos de fino calibre: estudo com ultra-som intracoronário tridimensional / Self-expanding versus balloon-expandable stents for the treatment of small coronary vessels: a three-dimensional intracoronary ultrasound study
Fonte: Rev. bras. cardiol. invasiva;16(3):341-352, jul.-set. 2008. ilus, graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: Intervenção coronária pecutânea em vasos de fino calibre (VF) está associada a piores resultados imediatos e tardios, com elevadas taxas de reestenose. Estudos prévios têm sugerido que stents auto-expansíveis causam menos injúria vascular no momento do implante, com expansão de seus volumes com o tempo, gerando maiores áreas luminais que stents balão-expansíveis. A influência desses fenômenos em VF ainda é desconhecida. Objetivos: Avaliar as propriedades mecânicas e a eficácia do novo stent CardioMind no tratamento de lesões em VF em comparação ao stent balão-expansível Multi-link Pixel (Pixel). Método: Treze pacientes portadores de lesões únicas primárias < 14 mm de extensão, em artérias coronárias nativas < 2,5 mm de diâmetro, foram tratados com o stent CardioMind e comparados a uma corte histórica de 25 pacientes, com os mesmos critérios de inclusão, tratados com o stent Pixel. Ultrasom intracoronário (USIC) seriado foi realizado pós-procedimento e aos 7,3 +/- 1,0 meses. Resultados: A média das idades foi de 58,1 +/- 9,9 anos, com 60,5 por cento do sexo masculino e 39,4 por cento diabéticos. Ambos os stents produziram volumes de hiperplasia neo-intimal (HNI) smelhantes...
Descritores: Stents
Angioplastia Coronária com Balão/métodos
-Aspirina/administração & dosagem
Estudo Comparativo
Ticlopidina/administração & dosagem
Vasos Coronários/anatomia & histologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  7 / 82 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-477835
Autor: Siqueira, Dimytri Alexandre de Alvim; Feres, Fausto; Abizaid, Alexandre A. C; Costa junior, José Ribamar da; Andrade, Pedro B. de; Lasave, Leandro I; Maia, Julio de Paiva; Mattos, Luiz A; Staico, Rodolfo; Costa, Ricardo A; Tanajura, Luiz Fernando; Chaves, Áurea J; Centemero, Marinella P; Abizaid, Andrea S; Sousa, Amanda G. M. R; Sousa, J. Eduardo M. R.
Título: Incidência de aposição incompleta persistente e tardia após implante de stents com sirolimus e zotarolimus / Incidence of persistent and late-acquired incomplete stent apposition after sirolimus and zotarolimus-eluting stents
Fonte: Rev. bras. cardiol. invasiva;15(4):363-369, out.-dez. 2007. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: Aposição incompleta (AI) é descrita após implante de stents farmacológicos (SF) e pode associar-se à trombose de stents. Em razão de diferentes plataformas, polímeros e fármacos utilizados, diferenças na eficácia e na segurança entre SF também são esperadas. Objetivo: Avaliar a incidência de AI persistente e tardia após implante de stents com sirolimus (SES) e com zotarolimus (ZES) e a evolução dos pacientes que apresentem essa alteração. Método: Análise de 242 pacientes tratados com SF (175 pacientes com SES – Cypher® – e 67 pacientes com ZES – Endeavor™) e submetidos a ultra-sonografia intracoronária após o implante e aos seis meses. Resultados: No grupo tratado com SES, 7 (4%) pacientes apresentaram AI tardia e 12 (6,8%), AI persistente. No grupo tratado com ZES, nenhum caso de AI tardia foi identificado e, em 4 pacientes, observou-se AI após o implante e que desapareceu aos seis meses. Nos pacientes com AI tardia, observou-se aumento evolutivo dos volumes do vaso (de 377,2 ± 148,9 mm3 para 431,9 ± 155,1 mm3; p = 0,51)e da placa (de 206,1 ± 51,5 mm3 para 236,9 ± 68,4 mm3; p = 0,36). O volume de hiperplasia intimal foi maior após ZES (16,6 ± 5,8 mm3 vs. 5,1 ± 5,5 mm3; p < 0,0001). Após nove meses, não ocorreram eventos cardíacos adversos nos pacientes com AI. Conclusão: A incidência de AI tardia foi de 2,9% e observada após SES. A presença de AI não esteve relacionada a eventos adversos a médio prazo.

Background: Incomplete stent apposition (ISA) has been documented after drug-eluting stents (DES) and could be related to stent thrombosis. Because DES differ in metal platform, polymer and pharmacological agent, differences in performance and safety are expected. Objective: We sought to investigate the frequency and clinical consequences of ISA after implantation of sirolimus- (SES) and zotarolimuseluting stents (ZES). Methods: 242 patients (pts) who underwent DES placement (175 pts with Cypher® and 67 pts with EndeavorTM stents) had serial intravascular ultrasound (IVUS) performed (at index procedure and after 6-months). Results: 7 pts (4%) had late-acquired ISA after SES. Another 12 (6.8%) pts treated with SES had persistent ISA. Among pts treated with ZES, none had late ISA and 4 had ISA observed after stent implantation that completely resolved at 6-months. There was an increase in vessel (377.2 ± 148.9 to 431.9 ± 155.1 mm3, p = 0.51) and in plaque volume (206.1 ± 51.53 to 236.91 ± 68.4 mm3, p=0.36) in pts with late ISA. Amount of neointimal hyperplasia was significantly higher in ZES than SES (16.6 ± 5.8 mm3 vs 5.1 ± 5.5 mm3, p < 0.0001). After 9 months, no adverse clinical event was observed in pts with ISA. Conclusion: Overall incidence of IVUS-detected late incomplete DES apposition was 2.9%, all after SES. The presence of ISA was not related to clinical adverse events during mid term follow-up.
Descritores: Stents
Reestenose Coronária
-Ultrassom
Heparina/administração & dosagem
Incidência
Ticlopidina/administração & dosagem
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Adulto
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  8 / 82 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Abizaid, Alexandre Antonio Cunha
Texto completo
Id: lil-477834
Autor: Maia, Julio de Paula; Abizaid, Alexandre Antonio Cunha; Chaves, Áurea J; Costa Junior, José Ribamar; Feres, Fausto; Mattos, Luiz Alberto; Staico, Rodolfo; Costa, Ricardo; Sousa, Amanda G. M. R; Sousa, J. Eduardo; Grube, Eberhard.
Título: Estudo inicial com o stent liberador de 17 beta estradiol (ETHOS R): avaliação clínica, angiográfica e pela ultra-sonografia intracoronária / Clinical, angiographic and ultrassound initial evaluation of the 17 beta estradiol-eluting stent (ETHOS)
Fonte: Rev. bras. cardiol. invasiva;15(4):357-362, out.-dez. 2007. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: Estudos prévios demonstraram a capacidade do 17β estradiol (17β-E) em reduzir a proliferação de células musculares lisas e acelerar a regeneração endotelial. O stent ETHOS® foi desenvolvido com associação da plataforma R-stent® com um polímero bioestável (Bravo®), tendo a propriedade de liberar 17β-E. Objetivo: Avaliar a segurança e a eficácia antiproliferativa do stent ETHOS®, por meio da análise de eventos cardíacos adversos maiores (ECAM) aos seis meses e do porcentual de obstrução à ultra-sonografia intracoronária (USIC). Método: Foram incluídos 127 pacientes submetidos a intervenção coronária percutânea para tratamento de lesões de novo, únicas, em artérias coronárias nativas, divididos em quatro grupos: 1) controle (stent não-farmacológico); 2) ETHOS® I de liberação lenta; 3) ETHOS® I de liberação moderada; 4)ETHOS® II (liberação lenta e menores concentrações do fármaco e do polímero). O seguimento clínico foi realizado periodicamente e as análises por angiografia e USIC foram obtidas após o procedimento e aos seis meses. Resultados: A média de idade foi de 61,1 ± 10 anos, sendo 74% do sexo masculino. O porcentual de obstrução pela USIC foi semelhante entre os grupos (31 ± 14 mm3, 31 ± 14 mm3, 33 ± 11 mm3 e 30 ± 11 mm3, respectivamente; p = 0,84), bem como as medidas pela angiografia quantitativa. Resultados similares também foram observados quanto à incidência de ECAM, havendo maior necessidade de nova revascularização no grupo ETHOS® II (6,2%,6,2%, 12,9% e 18,8%, respectivamente; p = 0,08), sem significância estatística. Não ocorreram casos de trombose definitiva ou provável. Conclusão: O stent ETHOS® apresentou perfil de segurança adequado em todas as formulações estadas, sem, no entanto, reduzir a proliferação neointimal em comparação a stents não-farmacológicos.(

Introduction: Previous data demonstrated 17β estradiol's (17β-E) antiproliferative and pro-healing properties. The ETHOS® eluting stent, combines the R-stent® platform to a bioestable polymer (Bravo®), impregnated with 17β-E. Objective: To evaluate safety and efficacy of the ETHOS 17β-E eluting stent by the analysis of the incidence of 6-month major cardiac adverse events (MACE) and percent intimal volume obstruction (IVUS). Methods: A hundred twenty-seven patients were treated for de novo single lesions in native coronary arteries, and divided into 4 groups: 1) Control (bare-metal stent); 2) ETHOS® I slowrelease; 3) ETHOS® I moderate-release; 4) ETHOS® II (slowrelease and lower doses of drug and polymer). Clinical, angiographic and IVUS follow up were performed 6 months after the index procedure. Results: The mean age was 61.1 ± 10 years and 74% were men. Six-month IVUS volume obstruction were similar among the 4 groups (respectively 31 ± 14 mm3; 31 ± 14 mm3; 33 ± 11 mm3 and 30 ± 11 mm3; p = 0.84), as well as coronary quantitative angiography measurements. Similar results were observed regarding the incidence of MACE, although the occurrence of target-lesion revascularization was higher in the ETHOS® II group (respectively 6.2%, 6.2%, 12.9% e 18.8%; p = 0.08), without statistical significance. No cases of definite or probable thrombosis were reported. Conclusion: The ETHOS 17β-E eluting stent was feasible and safe in all the tested formulations. However, there was no additional antiproliferative effect over bare-metal stents.
Descritores: Stents
Ultrassonografia
Angioplastia Coronária com Balão
Reestenose Coronária
-Aspirina/administração & dosagem
Estradiol/administração & dosagem
Ticlopidina/administração & dosagem
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  9 / 82 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-414482
Autor: Piegas, Leopoldo Soares; Rossi Neto, João Manoel.
Título: Terapêutica antiplaquetária e anticoagulante / Antiplatelet and anticoagulation therapy
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;13(2):234-239, mar.-abr. 2003. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A aterosclerose é a principal base patológica para os pacientes com doença isquêmica do coração. O tratamento da angina estável tem dois propósitos maiores: o primeiro, é prevenir o óbito e o infarto, e, portanto, aumentar a "qualidade" de vida, incluindo, entre outros tratamentos, a terapêutica antiplaquetária e antitrombótica; e o segundo é reduzir os sintomas de angina e de isquemia recorrente, que deve melhorar a qualidade de vida. A aspirina deve ser usada de rotina em todos os pacientes com doença isquêmica do coração (crônica ou aguda) com ou sem sintomas manifestos e na ausência de contra-indicações. O clopidogrel é formalmente indicado na angina crônica nos casos de intolerância à aspirina. A ticlopidina não foi avaliada especificamente na doença arterial coronária crônica. O dipiridamol pode aumentar a isquemia miocárdica induzida pelo exercício, não devendo ser usado como agente antiplaquetário. A combinação de anticoagulação oral e aspirina deve ser considerada em pacientes com situações especiais, incluindo aqueles que sofreram evento cardiovascular na vigência de monoterapia com aspirina.
Descritores: Doença das Coronárias
Angina Pectoris
Anticoagulantes
Doença da Artéria Coronariana/etiologia
Doença da Artéria Coronariana/patologia
Doença da Artéria Coronariana/terapia
Inibidores da Agregação Plaquetária/administração & dosagem
Inibidores da Agregação Plaquetária/uso terapêutico
Isquemia Miocárdica/terapia
-Qualidade de Vida
Ticlopidina
Aspirina
Fatores de Risco
Dipiridamol
Combinação de Medicamentos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  10 / 82 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-839238
Autor: Marchini, JFM; Pinto, MR; Novaes, GC; Badran, AV; Pavão, RB; Figueiredo, GL; Lago, IM; Lima-Filho, MO; Lemos, DC; Tonani, M; Antloga, CM; Oliveira, L; Lorenzi, JC; Marin-Neto, JA.
Título: Decreased platelet responsiveness to clopidogrel correlates with CYP2C19 and PON1 polymorphisms in atherosclerotic patients
Fonte: Braz. j. med. biol. res = Rev. bras. pesqui. méd. biol;50(1):e5660, 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: FAPESP.
Resumo: Clopidogrel and aspirin are the most commonly used medications worldwide for dual antiplatelet therapy after percutaneous coronary intervention. However, clopidogrel hyporesponsiveness related to gene polymorphisms is a concern. Populations with higher degrees of genetic admixture may have increased prevalence of clopidogrel hyporesponsiveness. To assess this, we genotyped CYP2C19, ABCB1, and PON1 in 187 patients who underwent percutaneous coronary intervention. Race was self-defined by patients. We also performed light transmission aggregometry with adenosine diphosphate (ADP) and arachidonic acid during dual antiplatelet therapy. We found a significant difference for presence of the CYP2C19*2 polymorphism between white and non-white patients. Although 7% of patients had platelet resistance to clopidogrel, this did not correlate with any of the tested genetic polymorphisms. We did not find platelet resistance to aspirin in this cohort. Multivariate analysis showed that patients with PON1 and CYP2C19 polymorphisms had higher light transmission after ADP aggregometry than patients with native alleles. There was no preponderance of any race in patients with higher light transmission aggregometry. In brief, PON1 and CYP2C19 polymorphisms were associated with lower clopidogrel responsiveness in this sample. Despite differences in CYP2C19 polymorphisms across white and non-white patients, genetic admixture by itself was not able to identify clopidogrel hyporesponsiveness.
Descritores: Aspirina/farmacologia
Plaquetas/efeitos dos fármacos
Doença da Artéria Coronariana/tratamento farmacológico
Inibidores da Agregação Plaquetária/farmacologia
Ticlopidina/análogos & derivados
-Alelos
Arildialquilfosfatase/genética
Subfamília B de Transportador de Cassetes de Ligação de ATP/genética
Doença da Artéria Coronariana/genética
Citocromo P-450 CYP2C19/genética
Quimioterapia Combinada
Genótipo
Intervenção Coronária Percutânea
Polimorfismo Genético
Estudos Prospectivos
Ticlopidina/farmacologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 9 ir para página                      
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde