Base de dados : LILACS
Pesquisa : D03.383.129.539.487.130 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 27 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 3 ir para página          

  1 / 27 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Rosa, Adalberto Luiz
Id: biblio-857417
Autor: Salata, Luiz Antonio; Rosa, Adalberto Luiz.
Título: Associação benzidamina-paracetamol: uma nova formulação analgésica e antiinflamatória / Association of benzydamina-acetaminophen: a new analgesic and anti-inflammatory formulation
Fonte: Rev. bras. odontol;49(2):12-6, mar.-abr. 1992. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Uma associação inédita de benzidamina (50 mg) + paracetamol (500 mg) foi testada em 13 pacientes, submetidos à extrações bilaterais dos terceiros molares inferiores inclusos, na forma de duplo-cego controlado com placebo. Foram utilizados, como parâmetros de avaliação, a dor, o edema e o trismo, decorrentes das intervenções cirúrgicas e os resultados mostraram que a associação benzidamina-paracetamol apresentou pronunciada atividade analgésica, discreto efeito antiinflamatório e não reduziu significantemente o trismo pós-operatório. Concluiu-se que a associação benzidamina-paracetamol pode vir a constituir-se em mais um recurso farmacoterapêutico para as condições clínicas adotadas neste estudo, em razão da eficácia terapêutica e da baixa toxicidade apresentada pelo medicamento
Descritores: Acetaminofen/uso terapêutico
Anti-Inflamatórios não Esteroides/uso terapêutico
Benzidamina/uso terapêutico
Dente Serotino/cirurgia
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Artigo de Revista
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica


  2 / 27 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-790333
Autor: Noronha, Vladimir Reimar Augusto de Souza.
Título: Gel de própolis mucoadesivo versus solução de cloridrato de benzidamina na prevenção da mucosite oral em pacientes irradiados em região de cabeça e pescoço. Ensaio clinico, cego, randomizado: fase II / Propolis mucoadhesive gel versus Benzydamine Hydrochloride Solution to Prevention of Oral Mucositis in Patients Irradiated in Head and Neck Region. A phase II study randomized and blind.
Fonte: Belo Horizonte; s.n; 2015. 120 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Odontologia para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Os efeitos colaterais mais conhecidos em cavidade bucal, durante a radioterapia para o tratamento de câncer em região da cabeça e pescoço, são a mucosite e a candidose. Essas alterações são potencializadas pela hipossalivação em decorrência de alterações nas glândulas salivares. Existem diversos protocolos para o controle da mucosite, hipossalivação e candidose bucais nesses pacientes, entretanto, nenhum deles é totalmente eficaz. A Própolis possui atividade analgésica, anti-inflamatória, antifúngica e cicatrizante. Essas características farmacológicas conferem à Própolis um grande potencial para prevenir as alterações na cavidade bucal dos pacientes que serão submetidos à radioterapia. O objetivo deste trabalho foi avaliar a efetividade do Gel contendo Própolis na prevenção da mucosite e candidose em comparação com o cloridrato de benzidamina. Vinte e seis pacientes foram incluídos no estudo. Os pacientes foram aleatorizados em dois grupos, sendo que o grupo 1 usou o cloridrato de benzidamina e o grupo 2 o gel de Própolis. Tanto os pacientes do grupo 1 , como os pacientes do grupo 2 usaram os produtos 3 (três) vezes ao dia, durante todo o período da radioterapia e duas semanas após o término do tratamento e todos foram avaliados semanalmente. Os resultados obtidos mostraram que 84,6% dos pacientes eram do sexomasculino e que 19,2% dos pacientes mantinham o hábito de fumar e consumir bebidas alcoólicas. A dose média de radioterapia foi 6466,1 Gys. Após a análise final dos dados, observou-se que o Gel de Própolis apresentou melhor efetividade na prevenção da mucosite, a partir da 17a sessão de radioterapia, quando comparado ao grupo cloridrato de benzidamina. Setenta e oito por cento (78,6%) dos pacientes avaliaram o produto como bom, enquanto 85,7% o indicariam para pacientes com a mesma condição. O estudo mostrou que o controle da inflamação na mucosa bucal pelo Gel contendo Própolis foi melhor...

The best known side effects in the oral cavity during radiotherapy for the treatment of cancer in the head and neck, are mucositis and candidiasis. These changes are enhanced by hyposalivation due to changes in the salivary glands. There are many protocols for the control of mucositis, hyposalivation, and oral candidiasis in these patients however, none iscompletely effective. Propolis has analgesic, anti-inflammatory, antifungal and healing activity. These pharmacological characteristics give propolis great potential to prevent changes in the oral cavity of patients undergoing radiotherapy. The aim of this study was to evaluate the effectiveness of the gel containing propolis in preventing mucositis and candidiasis compared with benzydamine hydrochloride. Twenty-six patients were included in this study. Patients were divided into two groups with group 1 used the benzydamine hydrochloride and group 2 gel propolis. Both group used the products three times a day during the whole period of radiotherapy and two weeks after the end of treatment and all patients were evaluated weekly...
Descritores: Anti-Infecciosos/uso terapêutico
Anti-Inflamatórios/uso terapêutico
Benzidamina/uso terapêutico
Estomatite/prevenção & controle
Mucosite/terapia
Própole/uso terapêutico
-Neoplasias de Cabeça e Pescoço/tratamento farmacológico
Neoplasias de Cabeça e Pescoço/radioterapia
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR365.1 - BIB - Biblioteca
BR365.1; D047, N852q, 2015. T


  3 / 27 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Costa, Alessandra Alves da
Texto completo
Id: lil-553090
Autor: Mota, Daniel Marques; Costa, Alessandra Alves da; Teixeira, Christiane dos Santos; Bastos, Augusto Amorim; Dias, Murilo Freitas.
Título: Uso abusivo de benzidamina no Brasil: uma abordagem em farmacovigilância / Use abusive of benzydamine in Brazil: an overview in pharmacovigilance
Fonte: Ciênc. saúde coletiva;15(3):717-724, maio 2010. tab.
Idioma: pt.
Resumo: O uso abusivo de medicamentos tem sido objeto de crescente interesse em saúde pública e geralmente veiculado na imprensa brasileira. Dentre os medicamentos, objeto de abuso e que causam dependência física e/ou psíquica, incluemse os barbitúricos, benzodiazepínicos, analgésicos opióides e anfetaminas. Os analgésicos, antitérmicos e antiinflamatórios não esteroidais, apesar de não fazerem parte dessa relação de fármacos, estão, geralmente, associados ao uso recreativo ou fins não terapêuticos. O objetivo deste ensaio é apresentar informações sobre o uso abusivo de benzidamina no Brasil. Trata-se de um estudo descritivo do tipo exploratório, em que foram utilizadas diferentes estratégias metodológicas adotadas na prática de regulação em farmacovigilância. O uso abusivo desse fármaco foi constatado na literatura científica, imprensa e internet. Em função da facilidade na compra de medicamentos sujeitos à prescrição médica, entre outros fatores, devem-se exigir meios e formas para monitorar a comercialização e utilização de medicamentos, assegurando seu uso seguro e racional, incluindo o fortalecimento da farmacovigilância no Brasil.

The abusive drug use has been object of increasing concern in public health and is commonly issued in the Brazilian press. Amongst medicines, those that are abuse substances and cause physical and/or psychic dependence, barbiturates, benzodiazepines, opioid analgesics and amphetamines are included. Analgesics, antipyretics and non-steroidal anti-inflammatory drugs, even not making part of this list, are generally associated with recreational use or non therapeutical purpose. The objective of this essay is to present information on the abusive use of benzydamine in Brazil. The present study is an exploratory essay in which different methodological strategies adopted in the regulatory practice of pharmacovigilance have been used. The abusive use of this drug was evidenced in scientific literature, press releases and on the internet. Considering the facility of purchasing drugs under medical prescription, among other factors, it must be demanded ways to assess the marketing and use of medicines, and assure its safe and rational use, including the strengthening of pharmacovigilance in Brazil.
Descritores: Benzidamina/efeitos adversos
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/epidemiologia
-Sistemas de Notificação de Reações Adversas a Medicamentos
Brasil
Benzidamina/farmacologia
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 27 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-547568
Autor: Ensina, Luis F; Tanno, Luciana K; Garro, Laila S; Rodrigues, Adriana T; Aun, Marcelo V; Giavina-Bianchi, Pedro; Motta, Antonio A.
Título: Uso a longo prazo de alternativas terapêuticas aos anti-inflamatórios não-esteroidais / Long term use of therapeutic alternatives for non-steroidal anti-inflammatory drugs
Fonte: Rev. bras. alergia imunopatol;32(6):237-239, nov.-dez. 2009.
Idioma: pt.
Resumo: A benzidamina e o etoricoxibe são drogas que podem ser utilizadas como alternativa terapêutica em pacientes com hipersensibilidade aos anti-inflamatórios não-esteroidais (AINEs). O objetivo do estudo foi avaliar a utilização destas medicações a longo prazo em pacientes com teste de provocação negativo. Métodos: Pacientes com hipersensibilidade aos AINEs que apresentaram teste de provocação negativo foram contactados por telefone e questionados sobre a utilização posterior da drogatestada. Os pacientes que responderam que não voltaram a utilizar a droga foram questionados sobre os motivos pelo qualnão usaram. Resultados: Dos 53 pacientes testados, 50 apresentaram teste de provocação negativo. Destes, 36 foram contactados por telefone e 18 haviam utilizado novamente a droga sem qualquer reação. Dentre os que não foram expostos novamente aos medicamentos, metade não o fez porque não julgou necessário, e a outra metade por receio de uma nova reação. Conclusões: O teste de provocação oral é seguro para a determinação de alternativas terapêuticas, mas a eficácia do mesmo está diretamente relacionada ao entendimento do paciente quanto a possibilidade de novas reações. Além disso, as indicações para o teste também devem ser revistas.

Benzydamine and etoricoxib are drugs that can be used as an alternative therapy in patients with hypersensitivity to thenon-steroidal anti-inflammatory drugs (NSAIDs). The aim of the study was to evaluate the long-term use of these drugs inpatients with a negative drug provocation test. Methods: Patients with NSAIDs hypersensitivity that presented a negative drug provocation test were contacted by telephone and questioned about the subsequent use of the tested drug. The patients who answered that they had not used the drug again were questioned on the reasons for not using it. Results: Of the 53 patients tested, 50 presented a negative drug provocation test. Of these, 36 were contacted by telephone and 18 had used the drug again without any reaction. Among the ones that were not exposed again to the drugs, halfof them had not used because they didn't judge necessary, andt he other half were afraid of a new reaction. Conclusions: The drug provocation test is safe for the determination of an alternative therapy, but the effectiveness oft he test is directly related to the patient's understanding about the possibility of new reactions. Besides, the indications for the test should also be reviewed.
Descritores: Angioedema
Anti-Inflamatórios não Esteroides
Benzidamina
Hipersensibilidade a Drogas
Conduta do Tratamento Medicamentoso
Urticária
-Métodos
Testes Cutâneos
Técnicas e Procedimentos Diagnósticos
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR32.1 - Serviço de Biblioteca e Informação Biomédica


  5 / 27 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-526259
Autor: Opaleye, Emérita Sátiro; Noto, Ana Regina; Sanchez, Zila van der Meer; Moura, Yone Gonçalves de; Galduróz, José Carlos Fernandes; Carlini, Elisaldo Araújo.
Título: Recreational use of benzydamine as a hallucinogen among street youth in Brazil / Uso recreacional de benzidamina como alucinógeno entre adolescentes em situação de rua no Brasil
Fonte: Rev. bras. psiquiatr;31(3):208-213, Sept. 2009. mapas, tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: To describe the recreational use of benzydamine, an anti-inflammatory drug, among street youth in Brazil. METHOD: Design: a descriptive, cross sectional survey. Setting: 93 welfare services for the street youth in 27 Brazilian capitals. Participants: 2807 street youth, 10 to 18 years old. Main outcome measures: demographic characteristics, drug use pattern (lifetime use, use in the past 30 days, frequency, and characteristics of use in the past month) and effects of benzydamine through the use of a questionnaire. RESULTS: 78 reported lifetime recreational benzydamine use (67 cases identified only in three capitals). Among the 30 respondents reporting drug use in the last month (the month preceding the survey), 66.7 percent (n = 20) used the drug on 4 or more days (in the month preceding the survey). The most frequently (50 percent) pleasure effects reported were hallucination and nonspecific sensory changes described as "trips". Unwanted effects were reported by 75 percent of respondents, they were especially nausea and vomiting (21.4 percent). In the majority of the cases, drug was obtained from drugstores without a medical prescription. CONCLUSION: This study identifies the recreational use of benzydamine among street youth, mainly in the Northeast of Brazil, and also indicates the need for special controls on the dispensation of this substance.

OBJETIVO: Descrever o uso recreacional de benzidamina, um medicamento antiinflamatório, entre adolescentes em situação de rua no Brasil. MÉTODO: Desenho: descritivo, transversal. Local: 93 instituições assistenciais para crianças e adolescentes em situação de rua nas 27 capitais do Brasil. Participantes: 2.807 crianças e adolescentes em situação de rua, com idade entre 10 e 18 anos. Principais medidas de interesse: características demográficas, padrão de uso (uso na vida, uso nos últimos 30 dias, frequência e características de uso no mês anterior à pesquisa) e efeitos da benzidamina usando um questionário. RESULTADOS: 78 relataram uso recreacional na vida de benzidamina (67 casos identificados somente em três capitais). Entre os 30 entrevistados que relataram uso recente da substância (no mês que precedia a investigação), 66,7 por cento (n = 20) tomaram o medicamento em quatro dias ou mais no mês. Os efeitos desejados mais frequentemente reportados foram alucinações e alterações sensoriais inespecíficas como "viagem" (50 por cento). Efeitos indesejados foram citados por 75 por cento dos entrevistados, principalmente náuseas e vômitos (21,4 por cento). Na maioria dos casos, o medicamento foi obtido de drogarias sem apresentação de prescrição médica. CONCLUSÃO: Os resultados observados neste estudo identificam o uso recreacional de benzidamina entre crianças e adolescentes em situação de rua, especialmente no Nordeste do Brasil, e indicam a necessidade de controle especial sobre a dispensação desta substância.
Descritores: Anti-Inflamatórios/efeitos adversos
Benzidamina/efeitos adversos
Alucinógenos/efeitos adversos
Jovens em Situação de Rua/estatística & dados numéricos
Drogas Ilícitas/efeitos adversos
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/epidemiologia
-Anti-Inflamatórios/administração & dosagem
Benzidamina/administração & dosagem
Brasil/epidemiologia
Estudos Transversais
Alucinógenos/administração & dosagem
Internet
Prazer
Inquéritos e Questionários
Fatores de Tempo
Limites: Adolescente
Criança
Feminino
Seres Humanos
Masculino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 27 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-485605
Autor: Souza, João Fábio R. de; Marinho, Carmem L. C; Guilam, Maria Cristina R.
Título: Consumo de medicamentos e internet: análise crítica de uma comunidade virtual / Medicine consumption and the internet: critical evaluation of a virtual community
Fonte: Rev. Assoc. Med. Bras. (1992);54(3):225-231, maio-jun. 2008. tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: Discute-se a promoção do uso de medicamentos na mídia a partir da análise dos diálogos de uma comunidade virtual, cujos participantes utilizam a substância benzidamina em altas dosagens, em busca de seus efeitos adversos. MÉTODOS: Privilegiou-se uma abordagem qualitativa em que, através da técnica de análise de conteúdo, os comentários de um grupo reunido em um Serviço de Rede Social (SRS), disponível na rede mundial de computadores (internet), foram analisados. Dados de 385 participantes foram reunidos e utilizados para a identificação do perfil dos indivíduos. RESULTADOS: O perfil encontrado foi de jovens entre 18 e 20 anos, predominantemente do sexo masculino e com escolaridade média. Verificou-se a partir da análise dos comentários, uma tendência ao consumo de 16 a 20 drágeas do medicamento, acompanhadas ou não de álcool, com o predomínio dos seguintes efeitos: alucinações visuais, insônia e distúrbios gastrointestinais. Pôde-se identificar nos diálogos, duas correntes: uma, que incentiva seu uso não-terapêutico e outra, que o desaconselha. CONCLUSÃO: Uma comunidade virtual organizada em torno da discussão de uso não-terapêutico de um medicamento pode contribuir para a sua promoção, principalmente em jovens. Tal fato reforça a necessidade de maiores campanhas de alerta sobre a automedicação e o cumprimento das leis sanitárias pelas farmácias e drogarias.

OBJECTIVE: Discuss the promotion of medicines in the media by the analysis of dialogs from a virtual community, whose members use benzydamine in high doses seeking the collateral effects. METHODS: Opinions from a group in a Social Network Service (SNS) available in the internet were evaluated by the Analysis of Content Technique, whereas data from 385 members from this group were used to identify a profile of the individuals. RESULTS: The profile found was male, age between 18 and 20 years and in high school. Analysis of opinions revealed the consumption of 16 to 20 tablets of the medicine, sometimes along with alcohol and the occurrence of the following symptoms: visual hallucinations, insomnia and gastrointestinal effects. In the dialogs, two discourses were identified: one recommends this non-therapeutic use and the other tries to dissuade individuals from using it. CONCLUSION: A virtual community organized to discuss a non-therapeutic use of a medicine may contribute to its use. This fact reaffirms the necessity of a major campaign to alert individuals about the dangers of self-medication and also the importance of pharmacies and drugstores to comply with the sanitary legislation.
Descritores: Anti-Inflamatórios/efeitos adversos
Benzidamina/efeitos adversos
Comunicação
Redes Comunitárias
Internet
Automedicação
-Anti-Inflamatórios/administração & dosagem
Brasil
Benzidamina/administração & dosagem
Relação Dose-Resposta a Droga
Alucinógenos/administração & dosagem
Alucinógenos/efeitos adversos
Relações Interpessoais
Drogas Ilícitas
Adulto Jovem
Limites: Adolescente
Adulto
Feminino
Seres Humanos
Masculino
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 27 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-418089
Autor: Costa, C. M; Romão, M. A. P; Bruno, S. F.
Título: Uso do cloridrato de benzidamina no tratamento de cistos de retenção de penas em canários (Serinus canarius) / Use of benzidamina HCL on feather cysts treatment in canaries (Serinus canarius)
Fonte: Arq. ciênc. vet. zool. UNIPAR;7(2):141-144, jul.-dez. 2004. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Os cistos de retenção de penas surgem como nódulos envolvendo um ou vários folículos das penas e sua ocorrência é devida a má formação da pena em crescimento sob a pele. São comuns em canários, principalmente os das raças Norwich e Gloucester. As formas de tratamento preconizadas são relativamente cruentas e susceptíveis a hemorragias. Este artigo descreve a utilizaçào do anti-inflamatório não esteróide, cloridrato de benzidamina, como método adjuvante para o tratamento desta anomalia. Nos últimos três anos, foram tratados 14 canários na Policlínica da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal Fluminense (UFF) com a citada medicação, sendo esta administrada por via oral, diretamente no bico ou diluída na água de beber. As aves tratadas apresentaram maturação dos cistos, facilitando assim a remoção de seu conteúdo, sem os indesejáveis riscos de hemorragia.
Descritores: Benzidamina/uso terapêutico
Canários
Cistos/veterinária
Limites: Animais
Masculino
Feminino
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  8 / 27 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Tortamano, Nicolau
Rocha, Rodney Garcia
Id: lil-345268
Autor: Tortamano, Nicolau; Rocha, Rodney Garcia.
Título: Terapêutica medicamentosa em odontopediatria / Medicinal therapeutics in pediatric dentistry
Fonte: In: Guedes Pinto, Antônio Carlos. Odontopediatria. Säo Paulo, Santos, 2003. p.839-853, ilus, tab. (BR)
Idioma: pt.
Símbolo: BR.
Descritores: Odontopediatria
Condutas Terapêuticas
-Acetaminofen
Analgésicos não Entorpecentes/uso terapêutico
Analgésicos/uso terapêutico
Ansiolíticos/uso terapêutico
Ansiolíticos
Anti-Inflamatórios
Anti-Inflamatórios não Esteroides
Antibacterianos/química
Antibacterianos/uso terapêutico
Aspirina
Benzidamina
Cloranfenicol
Clindamicina
Antagonistas dos Receptores Histamínicos
Hidroxizina
Cetoprofeno
Lincomicina
Macrolídeos/uso terapêutico
Naproxeno
Nistatina
Penicilinas
Pirazóis/uso terapêutico
Profilaxia Dentária/classificação
Tetraciclinas
Tranquilizantes
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica
BR97.1; D27, G924o, 2003


  9 / 27 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Planeta, Cleópatra da Silva
Id: lil-301778
Autor: Buscariolo, Inês Aparecida; Planeta, Cleópatra da Silva; Delucia, Roberto.
Título: Effects of acute and chronic administration of benzydamine on the stimulatory effects of ethanol in mice
Fonte: Rev. ciênc. farm;21(1):117-124, 2000. graf.
Idioma: en.
Resumo: Acute and chronic effects of benzydamine (BEZ) and its interactions with ethanol (EtOH) were examined on open field locomotion. Male Swiss mice were injected intraperitoneally (i.p.) with 15, 30 or 60 mg kg of BEZ alone or in combination with EtOH (2.0 mg/k, i.p.). Pretreatment with BEZ (60 mg/kg) produced a significant decrease in EtOH-induced behavioral stimulation. Chronic administration of BEZ (15mg/kg/day for 21 days) intensified locomotor response induced by EtOH, suggesting the development of behavioral sensitization. The results show that BEZ can interact with EtOH suggesting that alcohol drinkers should be educated about risks of BEZ toxicity.
Descritores: Benzidamina
Limites: Animais
Camundongos
Masculino
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  10 / 27 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-246753
Autor: Alle, Nevaldo.
Título: Estudo das propriedades antiinflamatória e antimitótica das drogas indometacina, butazona, clinoril, naprosin, beneflogin e inflaril: análise comparativa em ratos / Anti-inflammatory and antimototic properties study of drugs: indomethacin, phenyl-butazone, sulindac, naproxen, bensydamine and niflumic acid: comparative analysis in rats.
Fonte: Bauru; s.n; 1985. 172 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de Säo Paulo. Faculdade de Odontologia de Bauru para obtenção do grau de Professor Livre Docente.
Resumo: A inflamaçäo é uma reaçäo do organismo caracterizada por reaçöes vasculares e teciduais, cuja magnitude depende da intensidade do agente agressor. Inevitavelmente os agentes flogógenos provocam agressöes que conduzem às alteraçöes periódicas da permeabilidade vascular desenvolvidas nas áreas da lesäo inflamatória, À expressividade dessas reaçöes estäo ligadas a maior atuaçäo do agente flogógeno no local. Tomam parte desse episódio tanto os capilares como as vênulas, que aumentam a permeabilidade vascular, surgindo no local extravasamento de proteína plasmática liberada ao nível tecidual configurando o edema. É sabido que através de modelos experimentais com a carregenina obtém-se o aumento da permeabilidade vascular em torno de uma hora (imediata) e o edema atinge uma configuraçäo máxima na 4ª hora. Conclui-se que a reaçäo inflamatória aguda (exsudativa) manifesta-se em duas fases distintas. Com a finalidade de observar os efeitos das drogas antiinflamatórias näo-esteróides nas fases imediata (1 hora) e tardia (3 horas) da inflamaçäo aguda, utilizou-se como agentes flogógenos (placa bacteriana dental) de estímulos fracos (0,07 mg) e médios (0,7 mg). Os estímulos fortes foram descartados para evitar uma rotura maciça dos vasos locais afetados...
Descritores: Anti-Inflamatórios não Esteroides/farmacologia
Inflamação/fisiopatologia
Placa Dentária/imunologia
-Antineoplásicos
Benzidamina
Contagem de Células/métodos
Granuloma de Células Gigantes/fisiopatologia
Indometacina
Leucócitos/imunologia
Macrófagos
Naproxeno
Ácido Niflúmico
Sulindaco
Limites: Animais
Masculino
Adulto
Ratos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR28.1 - Serviço de Biblioteca e Documentação Professor Doutor Antônio Gabriel Atta
BR28.1



página 1 de 3 ir para página          
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde