Base de dados : LILACS
Pesquisa : D03.633.100.079.080.070.450 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 51 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 6 ir para página                

  1 / 51 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-787613
Autor: Ramos, Juan A; Brull, Sorin J.
Título: Psychogenic non-epileptic seizures in the post-anesthesia recovery unit / Convulsões não epilépticas psicogênicas em sala de recuperação pós-anestésica
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(4):426-429
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: Psychogenic non-epileptic seizures (PNES or “pseudoseizures”) remain an obscure topic in the peri-operative setting. They are sudden and time-limited motor and cognitive disturbances, which mimic epileptic seizures, but are psychogenically mediated. Pseudoseizures occur more frequently than epilepsy in the peri-operative setting. Early diagnosis and management may prevent iatrogenic injury. Case: 48 year-old female with a history of depression and “seizures” presented for gynecologic surgery. She described her seizure history as “controlled” without anticonvulsant therapy. The patient underwent uneventful general anesthesia and recovered neurologically intact. During the first two postoperative hours, the patient experienced 3 episodes of seizure-like activity with generalized shaking of extremities and pelvic thrusting; her eyes were firmly closed. No tongue biting or incontinence was noted. The episodes lasted approximately 3 min each, one of which resolved spontaneously and the other two following intravenous lorazepam. During these episodes, the patient had stable hemodynamics and adequate ventilation such that endotracheal intubation was deemed unwarranted. Post-ictally, the patient was neurologically intact. Computed axial tomography of the head, metabolic assay, and electroencephalogram showed no abnormalities. A presumptive diagnosis of PNES was made. Discussion: Psychogenic non-epileptic seizures mimic shivering, and should be considered early in the differential diagnosis of postoperative shaking, as they may be more likely than epilepsy in this setting. Pseudoseizure patterns include asynchronous convulsive episodes lasting more than 90 s, forced eye closure with resistance to opening, and retained pupillary responses. Autonomic manifestations such as tachycardia, cyanosis and incontinence are usually absent. A psychiatric background is common. Knowledge and correct diagnosis of pseudoseizures is of great importance for anesthesiologists to prevent morbidity and iatrogenic injury such as respiratory arrest caused by anticonvulsant therapy, in addition to the risks associated with endotracheal intubation and prolonged hospital stays. The diagnosis of pseudoseizures must be thoroughly documented and relayed in transfer of care to avoid misdiagnosis and iatrogenic complications. Treatment recommendations are anecdotal; psychiatric interventions are the hallmark of treatment. Anesthetic recommendations include techniques involving the minimum required short-acting agents, along with high levels of peri-operative psychological support and reassurance.

Resumo Introdução: As convulsões não epilépticas psicogênicas (CNEP ou “pseudoconvulsões”) permanecem como tema obscuro no cenário perioperatório. Trata-se de distúrbios motores e cognitivos súbitos, mas por tempo limitado, que imitam as convulsões epilépticas, mas que são psicogenicamente mediados. Pseudoconvulsões ocorrem com mais frequência do que epilepsia em cenário perioperatório. O diagnóstico e o tratamento precoces podem evitar lesões iatrogênicas. Caso: Paciente do sexo feminino, 48 anos, com história de depressão e “convulsões”, apresentou-se para cirurgia ginecológica. A paciente descreveu sua história de convulsões “controladas” sem o uso de terapia anticonvulsivante. Foi submetida à anestesia geral sem intercorrências e recuperou-se neurologicamente intacta. Durante as duas primeiras horas de pós-operatório, apresentou três episódios semelhantes à convulsão, com tremores generalizados das extremidades e impulso pélvico; seus olhos estavam bem fechados. Não observamos mordedura da língua ou incontinência. Os episódios duraram cerca de três minutos cada; um dos episódios resolveu espontaneamente e os outros dois após a administração de lorazepam por via intravenosa. Durante os episódios, a condição hemodinâmica da paciente era estável e a ventilação adequada, de modo que a intubação traqueal foi considerada injustificável. Após a convulsão, a paciente estava neurologicamente intacta. Tomografia axial da cabeça, teste metabólico e eletroencefalograma não mostraram alterações. O diagnóstico de provável CNEP foi feito. Discussão: As convulsão não epilépticas psicogênicas imitam o tremor e devem ser inicialmente consideradas no diagnóstico diferencial de tremor pós-operatório, pois podem ser mais prováveis do que a epilepsia nesse cenário. Os padrões da pseudoconvulsão incluem episódios convulsivos assíncronos que duram mais de 90 segundos, olhos forçadamente fechados com resistência à abertura e respostas pupilares mantidas. Manifestações autonômicas, como taquicardia, cianose e incontinência, normalmente estão ausentes. Uma história psiquiátrica é comum. O conhecimento e o diagnóstico correto de pseudoconvulsões são muito importantes para os anestesiologistas para a prevenção de morbidade e lesões iatrogênicas, como a parada respiratória causada por terapia anticonvulsivante, além dos riscos associados à intubação orotraqueal e internação prolongada. O diagnóstico de pseudoconvulsões deve ser cuidadosamente documentado e retransmitido nas trocas de equipes médicas para evitar erros de diagnóstico e complicações iatrogênicas. As recomendações de tratamento são anedóticas; intervenções psiquiátricas são o pilar do tratamento. As recomendações anestésicas incluem técnicas que envolvem o uso de agentes de ação curta, juntamente com altos níveis de apoio e amparo psicológico no período perioperatório.
Descritores: Convulsões/complicações
Período de Recuperação da Anestesia
Transtorno Depressivo/complicações
Anestesia Geral
-Convulsões/tratamento farmacológico
Diagnóstico Diferencial
Lorazepam/uso terapêutico
Pessoa de Meia-Idade
Anticonvulsivantes/uso terapêutico
Limites: Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 51 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1047551
Autor: Alpízar, Consuelo María Cubero; Valenciano, Ligia Rojas; Fernández, Mauricio Campos.
Título: Prescripción de lorazepam dentro de la caja Costarricense del seguro social / Prescription of lorazepam within the Costa Rican social insurance Prescrição de lorazepam no fundo de seguro social da Costa Rica / Prescrição de lorazepam no fundo de seguro social da Costa Rica
Fonte: J. Health NPEPS;4(2):70-89, jul.-dez. 2019.
Idioma: es.
Resumo: Objetivo: describir la prescripción de lorazepam dentro de la caja Costarricense del seguro social. Método: el estudio es descriptivo y retrospectivo, de enero de 2011 a diciembre de 2015. La investigación consistió en 339,484 prescripciones de lorazepam. El tratamiento estadístico de los datos se centró en las estadísticas descriptivas de las cinco unidades generadas a partir de las variables, que fueron analizadas por el programa R. Resultados: se observó un aumento exponencial en la prescripción de lorazepam durante el período investigado. El lorazepam ha sido indicado principalmente para adultos mayores de 60 años. Para todos los grupos de población se encontraron recetas por encima de la dosis diaria definida. Las prescripciones fueron realizadas principalmente por médicos generales y en áreas rurales. Conclusión: en vista de este escenario, es necesario revisar las estrategias de prescripción, dispensación y seguimiento para los usuarios de este medicamento, a fin de evitar efectos adversos y daños a la salud de la clientela.

Objective: to describe the prescription of lorazepam in the social insurance fund of Costa Rica. Method: the study is descriptive and retrospective, from January 2011 to December 2015. The investigation consisted of 339,484 lorazepam prescriptions. The statistical treatment of the data was focused on the descriptive statistics of the five units generated from the variables, which were analyzed by the R program. Results: exponential increase in lorazepam prescription was observed during the investigated period. Lorazepam has been mainly indicated for adults over 60 years old. For all population groups prescriptions above the defined daily dose were found. The prescriptions were performed mainly by general practitioners and in rural areas. Conclusion: In view of this scenario, there is a need to review the prescription, dispensing and follow-up strategies for users of this medication, in order to avoid adverse effects and harm to clientele's health.

Objetivo: descrever a prescrição de lorazepam no fundo de seguro social da Costa Rica. Método: o estudo é descritivo e retrospectivo. A investigação foi constituída por 339.484 prescrições de lorazepam. O tratamento estatístico dos dados foi focado na estatística descritiva das cinco unidades geradas, a partir das variáveis, que foram analisadas pelo programa R. Resultados: foi verificado aumento exponencial na prescrição de lorazepam durante o periodo investigado. O lorazepam foi indicado principalmente para idosos de 60 anos. Para todos os grupos populacionais foram encontradas prescrições acima da dose diária definida. As prescrições foram realizadas principalmente por médicos generalistas e em áreas rurais. Conclusão: frente a este cenário, há necessidade de rever as estratégias de prescrição, dispensação e acompanhamento aos usuários dessa medicação, a fim de evitar efeitos adversos e prejuízos para a saúde da clientela.
Descritores: Uso de Medicamentos
Prescrições
-Lorazepam
Responsável: BR1972.9 - DE - Departamento de Enfermagem


  3 / 51 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Carvalho, Werther Brunow de
Id: lil-218904
Autor: Carvalho, Werther Brunow de.
Título: Analgesia e sedaçäo em pediatria / Analgesia and sedation in pediatrics
Fonte: Rev. paul. pediatr;14(2):53-65, jun. 1996. ilus, tab.
Idioma: pt.
Descritores: Inibidores de Ciclo-Oxigenase/farmacologia
Analgesia/efeitos adversos
Anti-Inflamatórios/farmacologia
Analgésicos Opioides/farmacologia
Anestésicos Intravenosos/farmacologia
Sedação Consciente/efeitos adversos
Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica
-Pentobarbital/farmacologia
Flumazenil/farmacologia
Ketamina/farmacologia
Lorazepam/farmacologia
Acetaminofen/farmacologia
Meperidina/farmacologia
Morfina/farmacologia
Anestésicos Locais/farmacologia
Óxido Nitroso/farmacologia
Limites: Humanos
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Recém-Nascido
Responsável: BR584.1 - Biblioteca Central BSCAN


  4 / 51 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-995599
Autor: Núcleo de Telessaúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Título: TeleCondutas: avaliação e manejo da insônia / TeleGuides: evaluation and management of insomnia.
Fonte: Porto Alegre; Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Telessaúde; 2018. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A insônia é o mais prevalente dos transtornos do sono. É definida como a insatisfação com a qualidade ou a quantidade de sono, que ocorre a despeito de adequada oportunidade para dormir e que impõe ao indivíduo algum tipo de prejuízo durante o dia. A prevalência da insônia crônica em sociedades industrializadas é de 5 a 10%. Entre pessoas portadoras de doença crônica (psiquiátricas ou não) e idosos, a prevalência é significativamente maior. Trata-se de queixa frequente na Atenção Primária à Saúde (APS). Este material contempla as situações mais comumente associadas a insônia na APS, assim como o manejo inicial desta queixa. Está baseado em extensa revisão das evidências disponíveis na literatura, em boas práticas clínicas e adaptado à realidade brasileira, considerando as intervenções terapêuticas disponíveis. Esta guia apresenta informação que orienta a conduta para casos de avaliação e manejo da insônia no contexto da Atenção Primária à Saúde, incluindo: Avaliação Geral, Avaliação Objetiva, Avaliação e Manejo em situações específicas, Intervenções Não-Farmacológicas, Manejo Farmacológico na APS, Retirada de benzodiazepínico, Preocupações com uso de amitriptilina, Fármacos não recomendados na APS, Avaliação longitudinal da insônia, Fluxograma para avaliação e manejo da insônia.
Descritores: Distúrbios do Início e da Manutenção do Sono/diagnóstico
Distúrbios do Início e da Manutenção do Sono/tratamento farmacológico
-Atenção Primária à Saúde
Trazodona/uso terapêutico
/uso terapêutico
FRONTAL LOBEABDOMINAL NEOPLASMS/uso terapêutico
/uso terapêutico
FUMARATESABDOMEN/uso terapêutico
Amitriptilina/uso terapêutico
Lorazepam/uso terapêutico
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 51 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Lemos, Tadeu
Texto completo
Id: biblio-868075
Autor: Serrano, Alan Indio; Lemos, Tadeu; Delziovo, Carmem Regina; Rossoni, Janaíne; Silveira, Plínio Augusto Freitas.
Título: Abordagem de transtornos por crack e cocaína em gestantes e em bebês: protocolo clínico / Approach of crack and cocaine disorders in pregnant women and infants: clinical protocol.
Fonte: Florianópolis; Santa Catarina (Estado). Secretaria da Saúde; [2014].
Idioma: pt.
Descritores: Protocolos Clínicos
Transtornos Relacionados ao Uso de Cocaína/diagnóstico
Cocaína Crack
Gestantes
Detecção do Abuso de Substâncias
-Transtornos Relacionados ao Uso de Cocaína/terapia
Feto
Haloperidol/uso terapêutico
Lorazepam/uso terapêutico
Prometazina/uso terapêutico
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/psicologia
Limites: Humanos
Gravidez
Recém-Nascido
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 51 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-847174
Autor: Martínez Soto, Damián; Vanegas Escamilla, Egdda Patricia; Perea, Ana H.
Título: Efectividad y seguridad del clorhidrato de dexmedetomidina comparado con midazolam, lorazepam, propofol y ketamina para pacientes que requieren sedación en unidad de cuidados intensivos / Effectiveness and safety of dexmedetomidine hydrochloride compared to midazolam, lorazepam, propofol and ketamine for patients requiring sedation in the intensive care unit.
Fonte: Bogotá; IETS; dic. 2014. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: Múltiples procedimientos en la unidad de cuidados intensivos requieren sedación. La sedación ideal, debe reducir la ansiedad, facilitar la monitorización, mejorar la tolerancia a la ventilación mecánica, reducir los tiempos de estancia y la morbilidad, además, ofrecer seguridad frente a la presentación de eventos adversos asociados con la administración de los agentes sedantes. Estudios recientes presentan al clorhidrato de dexmedetomidina como un agente seguro en sedación con mejor rendimiento y menor presentación de desenlaces no deseables que otros agentes sedantes en estos pacientes. Sus aparentes ventajas hacen necesaria una revisión de la evidencia actual al respecto. Objetivo: Evaluar la efectividad y seguridad del uso de dexmedetomidina en pacientes que requieren sedación en unidad de cuidados intensivos (UCI). Metodología: Se realizó una búsqueda sistemática de revisiones sistemáticas de la literatura (RSL) utilizando las bases de datos MEDLINE (In-Process & Other Non-Indexed Citations y Daily Update) EMBASE, Cochrane Database of Systematic Reviews, Database of Abstracts of Reviews of Effects ­ DARE, LILACS y la revisión de publicaciones obtenidas por otros medios comparando el uso de dexmedetomidina en UCI con otros agentes sedantes, considerando los resultados en cuanto a estancia en UCI, tiempo de extubación, mortalidad, delirium y bradicardia. Resultados: Se obtuvieron 27 publicaciones, 11 fueron tamizadas para valoración de los criterios de inclusión. Cuatro cumplieron con estos y se evaluaron con la herramienta AMSTAR. Solo una fue considerada de alta calidad, base de esta revisión. Esta, incluyó 24 estudios con 2419 pacientes. Dexmedetomidina estuvo asociado a una reducción significativa de la estancia en UCI (Diferencia ponderada de medias -0.48 días IC95% -0.18 a ­ 0.78 p = 0.002), también se asoció a un incremento en el riesgo de bradicardia que requirió intervención cuando se usó una dosis de carga o mantenimiento > 0.7µ/kg/hr (RR= 7.3 IC95% 1.73 ­ 30.81 p= 0.007). Conclusiones: Basándose en evidencia de moderada calidad, el clohidrato de dexmedetomidina reduce los tiempos de estancia en unidad de cuidados intensivos sin tener efecto en los tiempo de ventilación mecánica, está asociada a un incremento en la bradicardia sintomática que requiere intervenciones cuando se usan dosis de carga o mantenimiento superiores a > 0.7µ/kg/hr, no hay diferencia en otros desenlaces de interés como mortalidad, delirium, hipotensión, auto extubación, infarto del miocardio o fibrilación auricular. Con estos hallazgos es razonable sugerir el uso de dexmedetomidina como agente sedante en los pacientes que así lo requieren en UCI.(AU)
Descritores: Sedação Consciente
Dexmedetomidina/administração & dosagem
Unidades de Terapia Intensiva
-Tecnologia Biomédica
Colômbia
Análise Custo-Benefício
Ketamina/administração & dosagem
Lorazepam/administração & dosagem
Midazolam/administração & dosagem
Propofol/administração & dosagem
Reprodutibilidade dos Testes
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 51 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-594291
Autor: Franco Vasquez, Jose.
Título: Delirium / Delirium
Fonte: Med. U.P.B = Med. UPB;24(2):127-137, oct. 2005.
Idioma: es.
Resumo: El delirium se caracteriza por fluctuación en el nivel de conciencia y deterioro de funciones cognoscitivas, con tres subtipos: hiperactivo, hipoactivo y mixto. Para el diagnóstico es suficiente la evaluación clínica. Existen instrumentos para tamizaje y seguimiento. La prevalencia en hospitalización en la CUB es de 8.3%. Los factores de riesgo producen un disbalance dopamina-acetilcolina. Para el manejo se deben modificar los factores etiológicos, proveer un ambiente familiar, garantizar la seguridad del paciente y de los demás; en cuanto al tratamiento farmacológico, el medicamento más usado es el haloperidol, que puede combinarse con lorazepam o midazolam; la olanzapina puede usarse como segunda opción al haloperidol. El delirum se asocia con mal pronóstico luego de una hospitalización, con alto riesgo de morir y de deterioro cognitivo y funcional. En cuanto al aspecto económico, está entre las complicaciones médicas que aumentan los costos en el manejo de los pacientes hospitalizados.

Deliriwn is charaeterized by flucntation in the leve! of consciousness and cognitive impairment, with tree subtypes: «hyperactive¼, «hypoactive¼ and «mixed¼. For the diagnosis, clinical evaluation is enough. There are instruments for screening and the follow up. The prevalence in the CUB in-patient service is 8.3%. Risk factors produce a misbalance between dopamine and acetylcholine. For treatment: etiological factors should be modified, the location should be as familiar as possible and the proteetion of the patient and othersshould be guaranteed. Regarding to the pharmacological treatment, the most widen used drug is haloperidol which can be combined with lorazepam or midazolam, olanzapine is the second option. Delirium is associated to poor prognosis after a hospitalization with a huge risk offunctional or cognitive damage, or even dying. From the economical point of view, this disorder is one of the medical complications that increases inpatients management costs.
Descritores: Delírio
Lorazepam
Midazolam
Limites: Humanos
Responsável: CO101.1 - BCdeS - Biblioteca Ciencias de la Salud


  8 / 51 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-541225
Autor: Elena, Gustavo Adolfo.
Título: Evaluación de la funcionalidad de los neutrófilos de pacientes sometidos a colecistectomía por video laparoscopía bajo anestesia general / Evaluation of neutrophil function in patients undergoing videolaparoscopic cholecystectomy with general anesthesia
Fonte: Rev. argent. anestesiol;66(5):399-417, oct.-dic. 2008. tab, graf.
Idioma: es.
Descritores: Anestesia Geral/métodos
Colecistectomia Laparoscópica/métodos
Neutrófilos/fisiologia
Neutrófilos/metabolismo
Cirurgia Vídeoassistida
-Anestesia por Inalação
Anestesia Intravenosa
Anestésicos Gerais/imunologia
Anestésicos Gerais/metabolismo
Hidrocortisona/fisiologia
Hidrocortisona/metabolismo
Leucócitos/fisiologia
Leucócitos/metabolismo
Leucocitose/etiologia
Lorazepam/administração & dosagem
Sistema Fagocitário Mononuclear
Período Pós-Operatório
Estresse Fisiológico
Limites: Humanos
Adulto
Responsável: AR1.1 - Biblioteca Rafael Herrera Vegas


  9 / 51 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-526266
Autor: Huf, Gisele; Coutinho, Evandro Silva Freire; Adams, Clive Elliot.
Título: Haloperidol mais prometazina para pacientes agitados - uma revisão sistemática / Haloperidol plus promethazine for agitated patients - a systematic review
Fonte: Rev. bras. psiquiatr;31(3):265-270, Sept. 2009. tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: A tranquilização farmacológica rápida e segura de episódios de agitação/agressividade é muitas vezes inevitável. Esta revisão investiga a efetividade da combinação haloperidol e prometazina intramuscular, muito utilizada no Brasil. MÉTODO: Através de busca nos registros do Cochrane Schizophrenia Group, foram incluídos todos os ensaios clínicos nos quais a combinação haloperidol e prometazina foi avaliada em pacientes agressivos com psicose. Todos os estudos relevantes foram avaliados quanto à qualidade e tiveram seus dados extraídos de forma confiável. RESULTADOS: Foram identificados quatro estudos relevantes de alta qualidade. A combinação haloperidol e prometazina foi comparada com midazolam, lorazepam, haloperidol isolado e olanzapina, todos administrados por via intramuscular. No Brasil, a combinação foi efetiva, com mais de 2/3 dos pacientes tranquilos em 30 minutos, mas midazolam foi mais rápido. Na Índia, comparado a lorazepam, a combinação haloperidol e prometazina foi mais efetiva. Após as primeiras horas, as diferenças foram negligenciáveis. O uso de haloperidol isolado acarretou maior incidência de efeitos adversos. Olanzapina promove tranquilização tão rapidamente quanto a combinação, mas não tem efeito tão duradouro e mais pessoas necessitaram medicação adicional nas quatro horas subseqüentes. CONCLUSÃO: Todos os medicamentos avaliados são eficazes, mas esta revisão demonstra vantagens no uso da combinação haloperidol e prometazina.

OBJECTIVE: Rapid and safe tranquillisation is sometimes unavoidable. We conducted this systematic review to determine the value of the combination haloperidol plus promethazine, frequently used in Brazil. METHOD: We searched the Cochrane Schizophrenia Group's Register and included all randomised clinical trials involving aggressive people with psychosis for which haloperidol plus promethazine was being used. We reliably selected, quality assessed and extracted data from all relevant studies. RESULTS: We identified four relevant high quality studies. The combination haloperidol plus promethazine mix was compared with midazolam, lorazepam, haloperidol alone and olanzapine Intramuscular. In Brazil, haloperidol plus promethazine was effective with over 2/3 of people being tranquil by 30 minutes, but midazolam was more swift and in India, compared with lorazepam, the combination was more effective. Over the next few hours reported differences are negligible. Haloperidol given without promethazine in this situation causes frequent serious adverse effects. Olanzapine is as rapidly tranquillising as haloperidol plus promethazine, but did not have an enduring effect and more people needed additional drugs within 4 hours. CONCLUSION: All treatments evaluated are effective, but this review provides compelling evidence as to clear advantages of the haloperidol plus promethazine combination.
Descritores: Antipsicóticos/uso terapêutico
Haloperidol/uso terapêutico
Prometazina/uso terapêutico
Agitação Psicomotora/tratamento farmacológico
-Ansiolíticos/uso terapêutico
Benzodiazepinas/uso terapêutico
Quimioterapia Combinada
Lorazepam/uso terapêutico
Midazolam/uso terapêutico
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Metanálise
Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 51 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-503909
Autor: Martín Alisky, Joseph.
Título: La inmovilidad en pacientes con demencia avanzada pudiese ser una forma de catatonía reversible por lorazepam: [carta al editor] / Immobilityin patients with advanced dementia may actually be a form of a lorazepam-reversible catatonia: [letter to the editor]
Fonte: Rev. méd. Chile;136(10):1359-1360, Oct. 2008.
Idioma: es.
Descritores: Catatonia/tratamento farmacológico
Demência/complicações
Moduladores GABAérgicos/uso terapêutico
Lorazepam/uso terapêutico
-Demência/tratamento farmacológico
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Carta
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 6 ir para página                
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde