Base de dados : LILACS
Pesquisa : D03.633.100.759.758.399 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 7 [refinar]
Mostrando: 1 .. 7   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 7 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-463147
Autor: Lima-Silva, Adriano Eduardo; Fernandes, Tony Charles; De-Oliveira, Fernando Roberto; Nakamura, Fábio Yuzo; Gevaerd, Monique da Silva.
Título: Metabolismo do glicogênio muscular durante o exercício físico: mecanismos de regulação / Muscle glycogen metabolism during exercise: mechanism of regulation
Fonte: Rev. nutr;20(4):417-429, jul.-ago. 2007. graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Uma série de estudos tem sido realizada para compreensão do metabolismo de glicogênio muscular durante o exercício. Estudos clássicos apontaram uma associação entre as reservas iniciais de glicogênio muscular e o tempo de sustentação do esforço. O glicogênio muscular diminui de forma semi-logarítmica em função do tempo, mas a concentração desse substrato não chega a zero, o que sugere a participação de outros mecanismos de fadiga na interrupção do exercício prolongado. Nesse tipo de atividade, a depleção de glicogênio, primeiro, ocorre nas fibras de contração lenta, seguida pela depleção nas de contração rápida. A diminuição na taxa de utilização de glicogênio muscular está sincronicamente ligada ao aumento no metabolismo de gordura, mas o mecanismo fisiológico é pouco compreendido. Estudos recentes sugerem que uma diminuição da insulina durante o exercício limitaria o transporte de glicose pela membrana plasmática, causando um aumento no consumo de ácidos graxos. Alguns estudos têm demonstrado, também, que a própria estrutura do glicogênio muscular pode controlar a entrada de ácidos graxos livres na célula, via proteína quinase. Fisicamente, a molécula de glicogênio se apresenta de duas formas, uma com estrutura molecular menor (aproximadamente, 4,10(5) Da, Proglicogênio) e outra maior (aproximadamente, 10(7) Da, Macroglicogênio). Aparentemente, a forma Proglicogênio é metabolicamente mais ativa no exercício e a Macroglicogênio mais suscetível a aumentar com dietas de supercompensação. Maior concentração de hipoxantinas e amônia no exercício com depleção de glicogênio muscular também foi relatada, mas estudos com melhor controle da intensidade do esforço podem ajudar a elucidar essa questão.

A large number of studies have been conducted to understand muscle glycogen metabolism during exercise. Classical studies demonstrated a relationship between the pre-exercise muscle glycogen content and duration of exercise. Muscle glycogen declines in a semilogarithmic manner in function of time, but glycogen concentration does not reach zero, which suggests that other fatigue mechanisms participate in the interruption of prolonged exercise. In this type of activity, glycogen depletion occurs first in slow twitch fibers followed by fast twitch fibers. The decrease in the rate of muscle glycogen utilization is synchronized with an increased rate of fat uptake, but the physiological mechanism is not well understood. Recent studies suggest that the decline of insulin during exercise could be a limiting factor of glucose transport through the plasma membrane, which increases the uptake of fatty acids. Others studies have also demonstrated that the structure of muscle glycogen itself can regulate the cellular uptake of free fatty acids via protein kinase. Physically, the glycogen molecule has two forms, one with a smaller molecular structure (approximately 4.10(5) Da, proglycogen) and another one with a larger molecular structure (approximately 10(7) Da, macroglycogen). Apparently, the proglycogen form is more metabolically active during exercise and the macroglycogen form is more susceptible to increase with supercompensation diets. Higher concentrations of hypoxanthines and ammonia during exercise with muscle glycogen depletion have been reported, but studies that control exercise intensity better are necessary to help shed light on this issue.
Descritores: Esforço Físico/fisiologia
Glicogênio/metabolismo
Hipoxantinas/metabolismo
Insulina/metabolismo
Músculos/metabolismo
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR13.3 - Biblioteca das Faculdades de Odontologia e Nutrição


  2 / 7 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-131926
Autor: Molina, Héctor; Biscardi, Mónica; Abud, Maria; Corvalán, Marta.
Título: Guanasa y metabolitos en pancreatitis isquemica experimental / Guanase and metabolites in experimental ischemic pancreatitis
Fonte: Rev. ciênc. bioméd. (Säo Paulo);12:9-13, 1991. tab.
Idioma: es.
Resumo: El dano provocado por la pancreatitis experimental en perros, determina un aumento significativo de la actividad de la Guanasa. Este aumento se produce a las 2 hs de la isquemia en tejidos y a las 24 hs en suero. Asi mismo se determina que la actividad es similar en cabeza y cola y está ausentela actividad en el cuerpo del páncreas. Finalmente se observa que mientras las oxipurinas séricas, aumentan en forma similar a la Guanasa sérica, la Guanina sé-rica, disminuye significativamente recién a las 24 hs. Estos resultados indicanque la actividad de guanasa es un excelente "marcador" del dano pancreático en perros
Descritores: Guanina Desaminase/metabolismo
Isquemia
Pâncreas/irrigação sanguínea
Pâncreas/metabolismo
Pancreatite/enzimologia
-Hipoxantinas/metabolismo
Isquemia
Xantinas/metabolismo
Limites: Animais
Masculino
Cães
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  3 / 7 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-98076
Autor: Reynaert, M. S; Lys, G; Hanique, G; Roessler, J; Torres, H; Martínez, M.
Título: Evaluación de la hipoxia tisular mediante la medición de transporte y consumo de oxígeno / Assessment of tissular hypoxia through measurement of oxygen transport and consumption
Fonte: Bol. Hosp. Viña del Mar;46(3/4):49-53, 1990. tab.
Idioma: es.
Descritores: Hipóxia
-Etanol/efeitos adversos
Hipoxantinas
Lactatos/sangue
Metanol/efeitos adversos
Oxigênio/sangue
Consumo de Oxigênio
Pressão Parcial
Fenformin/efeitos adversos
Pressão Venosa
Limites: Cães
Animais
Humanos
Responsável: CL2.1 - Biblioteca de Medicina


  4 / 7 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-95764
Autor: Molina, Héctor Alfredo; García Corvalán, Marta; Biscardi, Mónica; Abud, María.
Título: Enzimas y metabolitos purínicos durante el embarazo / Purine metablic enzymes during of pregnancy
Fonte: Acta bioquím. clín. latinoam;24(2):159-63, jun. 1990. tab.
Idioma: es.
Resumo: Se estudia el metabolismo purínico en 64 mujeres, 48 embarazadas y 16 no embarazadas. Los resultados se confrontaron estadísticamente y se concluye que: no se observa actividad de guanasa, a diferencia del suero, en saliva de mujeres embarazadas o no embarazadas. Las oxipurinas, xantina + hipoxantina, salivales, aumentan progresivamente durante el embarazo, siendo los valores más significativos en el 3er. trimestre. El ácido úrico sérico y salival, y la xantina oxidasa salival, disminuyen progresivamente durante la gestación, observando los valores más significativos en el 3er. trimestre. Se establecen los valores normales de xantina oxidasa, oxipurinas y ácido úrico en la saliva de las mujeres estudiadas.
Descritores: Gravidez
Saliva/análise
-Ácido Úrico/análise
Guanina Desaminase/análise
Hipoxantinas/análise
Filipinas
Gravidez
Trimestres da Gravidez
Purinas/metabolismo
Xantina Oxidase/análise
Xantinas/análise
Limites: Humanos
Gravidez
Adulto
Feminino
Responsável: AR144.1 - CIBCHACO - Centro de Información Biomedica del Chaco


  5 / 7 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-43684
Autor: Guimaräes, R. C; Gutteridge, W. E.
Título: Purine base uptake in Trypanosoma cruzi: adaptations and effects of inhibitors
Fonte: Braz. j. med. biol. res = Rev. bras. pesqui. méd. biol;20(1):1-10, 1987. ilus, tab.
Idioma: en.
Descritores: Purinas/metabolismo
Trypanosoma cruzi/metabolismo
-Adenina/metabolismo
Membrana Celular/metabolismo
Guanina/metabolismo
Hipoxantinas/metabolismo
Limites: Animais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 7 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-37051
Autor: Guimaräes, R. C; Gutteridge, W. E.
Título: Uptake of purine bases by Trypanosoma cruzi culture epimastigotes
Fonte: Braz. j. med. biol. res = Rev. bras. pesqui. méd. biol;19(3):339-50, 1986. tab.
Idioma: en.
Descritores: Purinas/metabolismo
Trypanosoma cruzi/metabolismo
-Adenina/metabolismo
Meios de Cultura
Guanina/metabolismo
Hipoxantinas/metabolismo
Pentosiltransferases/metabolismo
Limites: Animais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 7 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-29014
Autor: Ventura, M. C. S; Lima Filho, J. L; Oliveira, D. N. G; Gillett, Michael P. T; Lima, V. L. M; Costa, J. C. M; Carneiro, P. S; Ribeiro, A. M.
Título: Plasma lecithin: cholesterol acyltransfer in normal and hyperuricaemic men
Fonte: Arq. biol. tecnol;28(4):557-64, 1985. tab.
Idioma: en.
Descritores: Ácido Úrico/sangue
Técnicas In Vitro
Fosfatidilcolina-Esterol O-Aciltransferase/sangue
Esterol O-Aciltransferase/sangue
-Adenina/farmacologia
Guanina/farmacologia
Hipoxantinas/farmacologia
Xantinas/farmacologia
Limites: Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde